Your SlideShare is downloading. ×
0
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09

705

Published on

Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09

Rio Info 2010 - Oficina - Workshop Financiamento Europeu para produtos de TIC - José Afonso Oliveira Jr. - 02/09

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
705
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. José Afonso Oliveira Júnior
  • 2. Como financiar o desenvolvimento de produtos e serviços <ul><li>Chamadas Cordis – Comunidade Européia </li></ul><ul><li>História </li></ul><ul><li>Áreas prioritárias do FP 7 </li></ul><ul><li>Tipos de participação </li></ul><ul><li>Desafio 1 – Redes, infra estrutura e serviços confiáveis. </li></ul><ul><li>Desafio 2 – Robótica, interatividade e sistemas cognitivos. </li></ul><ul><li>Desafio 3 – Componentes, engenharia, nano eletrônica, fotônica </li></ul><ul><li>Desafio 4 – Conteúdo e bibliotecas digitais. </li></ul><ul><li>Desafio 5 – Sustentabilidade e saúde </li></ul><ul><li>Desafio 6 – TIC para mobilidade, sustentabilidade ambiental e eficiência energética. </li></ul><ul><li>Desafio 7 – TIC para e-gov, inclusão e qualidade de vida. </li></ul><ul><li>Desafio 7 – TIC para e-gov, inclusão e qualidade de vida. </li></ul><ul><li>B. Bice </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 3. Chamadas Cordis – Comunidade européia <ul><li>Os Programas-Quadro (Framework Programmes) são o principal instrumento de financiamento utilizado pela União Européia para apoiar atividades de pesquisa e desenvolvimento. </li></ul><ul><li>FP 7 vai de 2007 a 2013 </li></ul><ul><li>50,521 bilhões de Euros </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior Parlamento Europeu Conselho Europeu Comissão Européia Diretórios gerais (~ ministérios) . Chamadas européias
  • 4. História <ul><li>Década de 80 – indústria de alta tecnologia européia ameaçada pelos EUA e Japão. </li></ul><ul><li>Ameaças </li></ul><ul><ul><li>Comercial: Balança de pagamentos européia negativa, principalmente nas áreas de alta tecnologia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Social – Desemprego, principalmente entre graduados. </li></ul></ul><ul><ul><li>Segurança – Dependência de produtos de segurança estrangeiros. </li></ul></ul><ul><ul><li>Programa de financiamento de produtos de TIC iniciou em 1984 (ESPRIT). </li></ul></ul><ul><ul><li>Vinte e sete países constituem a União Européia e há onze países associados. </li></ul></ul><ul><li>2008 – E$ 9,1 bilhões, 38% para TIC, 75% para pequenas empresas. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 5. Tipos de participação <ul><li>CP - Projetos colaborativos </li></ul><ul><li>Apóia projetos de pesquisa executados via consórcio de diferentes países, para desenvolvimento de produtos, novas tecnologias, novos conhecimentos , demonstrações . Dois tipos: </li></ul><ul><ul><li>Strep – Projetos de pequena e média escala, com objetivo focado e imutável. No mínimo 3 participantes, 2 a 3 anos de projeto, 1 a 4 M€ </li></ul></ul><ul><ul><li>IP – Projetos de integração em larga escala. No mínimo 3 participantes, 3 a 4 anos, 6 a 25 M€. </li></ul></ul><ul><li>NoEx- Redes de excelência </li></ul><ul><li>Projetos de longa duração entre organizações de pesquisa </li></ul><ul><li>CSA </li></ul><ul><li>Apóia projetos de coordenação ou atividades de suporte à pesquisa e políticas: infra estrutura, coordenação de projetos financiados, estudos, conferências etc. Dois tipos de projetos: </li></ul><ul><ul><li>CA – Ações de coordenação – Mínimo: 3 participantes, projetos de 1 a 3 anos, 0,5 a 2 M€. </li></ul></ul><ul><ul><li>SA – Ações de suporte – Mínimo: 1 participante, projetos de 1 a 3 anos, 0,5 a 2 M€. </li></ul></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 6. Áreas prioritárias do FP 7 <ul><ul><li>Alimentos, agricultura e biotecnologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Ciências Sócio-econômicas e Humanas </li></ul></ul><ul><ul><li>Espaço </li></ul></ul><ul><ul><li>Energia </li></ul></ul><ul><ul><li>Meio ambiente </li></ul></ul><ul><ul><li>Nanociências, nanotecnologias, materiais e novas tecnologias de produção </li></ul></ul><ul><ul><li>Saúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Segurança </li></ul></ul><ul><ul><li>Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) </li></ul></ul><ul><ul><li>Transporte </li></ul></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 7. Atributos dos produtos a serem financiados <ul><ul><ul><li>Menor custo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mais funcionalidade & performance </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Escalabilidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Adaptabilidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aprendizagem </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Confiança </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Segurança </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Escala </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Heterogeneidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inovação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Controle – usuário </li></ul></ul></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 8. O que pode ser financiado <ul><li>Despesas correntes: consumo, pessoa física, jurídica, viagens, estadias, contratações, pagamento de pessoal para o projeto, obras, aluguel etc. </li></ul><ul><li>Despesas de capital: máquinas, equipamentos, material permanente. </li></ul><ul><li>Impostos dentro do projeto: IR, ICMS, ISS, INSS etc. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 9. Os sete desafios <ul><ul><li>Industriais </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Nova Internet </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Robótica, interação e sistemas de conhecimento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Novos componentes </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Objetivos sócio econômicos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tecnologia para conteúdo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Saúde personalizada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Eficiência energética, mobilidade etc. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inclusão e cidadania </li></ul></ul></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 10. Desafio 1 – Redes, infra estrutura e serviços confiáveis. <ul><li>Palavras chave: 3D, virtualização, jogos, RFID, testes, SOA. </li></ul><ul><li>Objetivos </li></ul><ul><li>1 – A rede do futuro </li></ul><ul><li>Novas arquiteturas e tecnologias para a Internet, celulares baseados em rádio, infra-estruturas convergentes. </li></ul><ul><li>2 – Internet de serviços, software, virtualisação </li></ul><ul><li>Arquiteturas de serviços e plataformas para a futura Internet, Engenharia de software, serviços altamente inovadores, testes. </li></ul><ul><li>3 – Internet das coisas </li></ul><ul><li>Protocolos abertos, distribuição de inteligência, modelos de arquitetura, negócios em rede altamente inovadores. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 11. Desafio 1 – Redes, infra estrutura e serviços confiáveis. 4 – Infra-estruturas confiáveis Serviços, tecnologias e ferramentas confiáveis. 5 – Mídia em rede e Internet 3D Redes escaláveis e convergentes, distribuição de conteúdo multimídia personalizado e de acordo com contexto, tecnologias 3D, qualidade superior de experiência para o usuário, mídias imersivas, experiências além do HDTV e cinema eletrônico, sistemas de busca e conteúdo em cache. 6 – Pesquisas e testes para a futura Internet Construindo e testando o protótipo da nova Internet, pesquisa orientada para a experimentação. José Afonso Oliveira Júnior
  • 12. Desafio 2 – Robótica, interatividade e sistemas cognitivos. <ul><li>Sistemas de engenharia para sentir e entender um mundo desestruturado e em mudança constante. Atributos destes sistemas: robustez, adaptativos, efetivos, naturais (lidam com humanos). </li></ul><ul><li>Objetivos </li></ul><ul><li>1 – Robótica e sistemas cognitivos </li></ul><ul><li>Representação, categorização, reconhecimento, interpretação de objetos, eventos, situações, comportamentos em ambientes reais, memória e aprendizagem em sistemas artificiais, robôs com percepção avançada e capacidade de ação, arquiteturas de sistemas científicos integrando controle de comunicação e capacidade cognitiva. </li></ul><ul><li>2 – Interação baseada na linguagem </li></ul><ul><li>Novas arquiteturas, modelos e ferramentas para máquinas de aprendizagem para tradução, métodos para representação do conhecimento em lingüística, tradução automática em contexto on line, instituto virtual multidisciplinar e multilíngüe. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 13. Desafio 3 – Componentes, engenharia, nano eletrônica, fotônica <ul><li>1 – Nanoeletrônica </li></ul><ul><li>Minituarização, além do CMOS, novos processos de fabricação, redução energética. </li></ul><ul><li>2 – Desenho de semicondutores e sistemas minituarizados. </li></ul><ul><li>Plataformas, interfaces, métodos e ferramentas para fábricas, desenvolvedores e desenhistas de semicondutores. </li></ul><ul><li>3 – Eletrônica flexível, orgânica e de grande alcance </li></ul><ul><li>Novos materiais, incluindo combinação de orgânicos e inorgânicos, sistemas flexíveis baseados em chapas. </li></ul><ul><li>4 – Sistemas embarcados </li></ul><ul><li>Teoria e novos métodos para desenho de sistemas embarcados, software, sw/hw e desenho. </li></ul><ul><li>5 – Controle e monitoração de sistemas e redes. </li></ul><ul><li>Fundamentos de engenharia de sistemas complexos, redes wi fi de sensores e objetos colaborativos (métodos, algoritmos, semântica etc), sistemas de controle em larga escala. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 14. Desafio 3 – Componentes, engenharia, nano eletrônica, fotônica <ul><li>6 – Sistemas de computação. </li></ul><ul><li>Paralelismo, programabilidade, metodologias, técnicas e ferramentas para adaptação contínua, virtualização, simulação e análise. </li></ul><ul><li>7 – Fotônica </li></ul><ul><li>Componentes, tecnologias e sistemas de fotônica para comunicação, fonte de luz, biofotônica, imagem digital, aplicações industriais, integração com semicondutores de diferentes materiais. </li></ul><ul><li>8 – Tecnologias fotônicas disruptivas e fotônica orgânica. </li></ul><ul><li>9 – Mini e micro sistemas. </li></ul><ul><li>Integração heterogênea e multifuncional, multi-sensorial e wi fi. Sistemas autônomos de gestão inteligente de energia </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 15. Desafio 4 – Conteúdo e bibliotecas digitais. <ul><li>1 – Bibliotecas e preservação digitais. </li></ul><ul><li>Sistemas escaláveis e serviços para preservar o conteúdo digital (integridade e autenticidade). Métodos, modelos e ferramentas para gerenciar memória digital.Soluções inovadoras para construção de bibliotecas digitais multimídias. Criação de visões personalizadas da experiência cultural. Redes de pesquisa interdisciplinar. Rede européia de centros de memória viva. </li></ul><ul><li>2 – Aprendizagem baseada em tecnologia. </li></ul><ul><li>Sala de aula do futuro com tecnologia e práticas para individualização, colaboração, criatividade e expressão em atividades mais ativas, reflexivas e independentes. Aumentar os vínculos entre aprendizagem organizacional, individual e criatividade. Sistemas adaptativos, inovadores e intuitivos para aprendizagem. Eletrodomésticos e brinquedos revolucionários para aprendizagem. Redes interdisciplinares para aprendizagem. </li></ul><ul><li>3 – Gestão inteligente da informação </li></ul><ul><li>Sistemas para tratamento, análise e categorização de grandes quantidades de informação incompleta, conflitante, heterogênea e multimídia. Colaboração e suporte à decisão. Informação para a vida pessoal. Redes para integração de fornecedores de tecnologia, integradores e usuários finais. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 16. Desafio 5 – Sustentabilidade e saúde <ul><li>1 – Sistemas personalizados de saúde. </li></ul><ul><li>Sistemas de diagnóstico remoto de saúde, sistemas pouco invasivos, órgãos habilitados por TIC, saúde mental, interoperabilidade entre sistemas pessoais de saúde e os públicos. </li></ul><ul><li>2 – TIC para segurança do paciente. </li></ul><ul><li>TIC para cirurgias seguras, treinamento, planejamento cirúrgico, 3D, modelos. Prevenção de problemas de saúde públicos etc. </li></ul><ul><li>3 –Fisiologia humana virtual. </li></ul><ul><li>Modelos e simulação de órgãos e doenças humanas. Ferramentas, serviços e infra-estrutura especializados para pesquisa biomédica.Projetos de virtualização da fisiologia humana. </li></ul><ul><li>4 – Cooperação internacional em virtualização fisiológica. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 17. Desafio 6 – TIC para mobilidade, sustentabilidade ambiental e eficiência energética. <ul><li>1 – TIC para segurança e eficiência energética em mobilidade. </li></ul><ul><li>Sistemas avançados para segurança em veículos: sensores, design, controles, redução de gases etc. </li></ul><ul><li>2 – TIC para mobilidade do futuro. </li></ul><ul><li>Testes de campo para sistemas integrados de segurança e de cooperação. Sistemas e serviços para mobilidade urbana. </li></ul><ul><li>3 – TIC para eficiência energética. </li></ul><ul><li>Arquiteturas e ferramentas para um novo mercado de eletricidade com novas regras e participantes. Sistemas de controle para otimização de geração e consumo de energia de qualquer tipo: solar, eólica, micro turbinas etc. CAD e simulação para controle do ciclo de vida energético. </li></ul><ul><li>4 – TIC para serviços ambientais e adaptação às mudanças climáticas. </li></ul><ul><li>TIC para melhor adaptação às mudanças climáticas, ferramentas para serviços ambientais na web, análise de TIC para ambiente urbano sustentável, estímulo às redes de monitoramento ambiental. </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 18. Desafio 7 – TIC para e-gov, inclusão e qualidade de vida. 1 – TIC e terceira idade Soluções robóticas com auto aprendizado para o lar, arquiteturas de sistemas abertos, sensores, padrões e plataformas para melhoria da qualidade de vida na terceira idade. 2 – TIC e acessibilidade Acessibilidade para portadores de deficiências variadas, inclusive, bio sensores, interação computador e cérebro, sistemas adaptativos e de auto aprendizagem, processamento de sinais etc. 3 – TIC para e-gov TIC para governança e participação, pesquisas de opinião, simulação, assistência aos interesses e necessidades da juventude, modelagem de políticas, transparência política, aumento de feed back etc. José Afonso Oliveira Júnior
  • 19. B. Bice O Bureau Brasileiro para Ampliação da Cooperação Internacional com a União Européia (Projeto B.Bice) foi criado em 2005 com o objetivo de promover e melhorar a cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) entre o Brasil e os países da União Européia. Ações * Desenvolver estudos, avaliações e pesquisas estruturadas. * Melhorar a participação das empresas brasileiras de base tecnológica no Programa-Quadro. * Melhorar a coordenação entre o B.Bice e outros projetos semelhantes em países que mantêm acordos de cooperação em CT&I com a Comissão Européia. * Implementar eventos que visem identificar as prioridades para a cooperação e o aumento da qualidade, quantidade e visibilidade das ações futuras. * Atuar como facilitador na identificação de propostas de projetos, auxílio na busca de parceiros e certificação de que todos os aspectos necessários à formulação de propostas - de acordo com os editais da Comunidade Européia - tenham sido satisfeitos www.bbice.unb.br José Afonso Oliveira Júnior
  • 20. Missão Inovação e Cooperação em TICs com a União Européia <ul><li>- Programação </li></ul><ul><ul><li>• ICT 2010, no Centro de Convenções de Bruxelas (Brussels Expo), Bélgica, de 27 a 29 de setembro de 2010; </li></ul></ul><ul><ul><li>• Open World Forum, no Eurosites George V, Paris, França, de 30 de setembro a 01 de outubro de 2010; </li></ul></ul><ul><ul><li>• Visita ao CAP Digital, em Paris, França, na tarde do dia 01 de outubro de 2010 </li></ul></ul><ul><li>Tema Principal do ICT 2010 é: Prioridades Européias contidas na Agenda Digital e o Programa de Financiamento Europeu em P&D&I para TIC no biênio 2011-2012 (€2.8 bilhões). </li></ul><ul><li>Stand Brasil IT+ da Softex e do B. Bice </li></ul><ul><li>Dia 27/9 – Chamadas cooperadas entre União Européia e Brasil. </li></ul><ul><li>Mais informações: inovacao@nac.softex.br </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 21. Palestra: Analisando e entendendo o edital Subvenção 2010 <ul><li>O edital </li></ul><ul><ul><li>Características: R$ 500 milhões, sendo 90 milhões para TIC, que é uma das seis prioridades do edital, </li></ul></ul><ul><ul><li>O edital é um dos poucos que permite o pagamento da equipe do projeto, incluindo encargos sociais e que não exige a participação da universidade. </li></ul></ul><ul><ul><li>Os projetos poderão ser de R$ 500 mil no mínimo até o valor do faturamento anual da empresa. </li></ul></ul><ul><li>A palestra </li></ul><ul><ul><li>Leitura e análise do edital </li></ul></ul><ul><ul><li>Análise das prioridades de TIC do edital </li></ul></ul><ul><ul><li>O que pode ser financiado. </li></ul></ul><ul><ul><li>Os critérios de seleção de projetos </li></ul></ul><ul><ul><li>Diferenças em relação aos editais dos outros anos. </li></ul></ul><ul><li>Dia 14/9/10 às 19 h. na Riosoft </li></ul><ul><li>Inscrições: inscricoes@riosoft.softex.br </li></ul>José Afonso Oliveira Júnior
  • 22. José Afonso Oliveira Júnior – afonso@riosoft.softex.br Muito obrigado ! José Afonso Oliveira Júnior

×