Your SlideShare is downloading. ×
Revista Giro Rural Centro-Oeste Paulista
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Revista Giro Rural Centro-Oeste Paulista

686
views

Published on


0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
686
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. COOPEMAR, 50 ANOs dE tRAbAlhO E lutA EM PROl dOs AGRICultOREs E PECuARIstAs CONFIRA NA PÁGINA 28  p a u l i s t a GIR LEITEIRO GIRO EQUESTRE GENTE DA TERRA 1ª exposição regional O manga-larga melancia: produtor desiste da raça com julgamento marchador foi uma da cultura pela 2ª vez e e torneio leiteiro agrada descoberta, diz aposta na diversificação criadores em Lins-SP criadora das lavouras  PÁGINA 12  PÁGINA 20  PÁGINA 32 c e n t r o - o e s t eANO 1 · N O 4 ·dezembrO/jANeirO 2011/12 R$ 6,90 CONFINAMENTO ACABAmENTO Em COCHO AINDA É Um BOm NEGÓCIO ENTREVISTA COM FERNANDO BOTELHO VILLELA NETO, AGROPECUARISTA E VICE-PRESIDENTE DO SINDICATO RURAL DE MARÍLIA, QUE FALA SOBRE AS VANTAGENS E AS DIFICULDADES EM CONFINAR NA REGIÃO.
  • 2. Nome da seção Gr nonononono nonono nononononono nonononononono nonono nononono Band Rural anÚncio anÚncio (1) pÁG i na (1) pÁG i naGiro rural Giro rural 2 abril · 2011 abril · 2011 16
  • 3. Gr Editorial uM ANO dE CONquIstAs Sua festa muito mais completa Estamos no final de 2011 e a revista Giro Rural comemora sua con- solidação junto ao mercado editorial de Marília e região. Aos poucos, conquistamos nosso espaço, pois conhecemos o trabalho e o talento do produtor rural, que é a válvula propulsora da economia brasileira e que, nos últimos anos, vem protagonizando uma verdadeira revolução no cam- po. Conquista que também é apoiada pelas empresas que, como nós, são parceiras do homem do campo, criando e inovando produtos, serviços, pesquisas e tecnologias. É por isso que, neste momento de festa e reflexão, a nossa homenagem é dupla: aos produtores rurais, nossos personagens principais, e aos empresários do segmento, que nos apoiam a cada edição. Nesta edição, trouxemos uma entrevista especial sobre confinamento de gado com o pecuarista Fernando Vilella, vice-presidente do Sindicato Rural de Marília, na qual ele destaca as principais vantagens e desvanta- gens encontradas na atividade. Já na seção “Gente da Terra”, contamos a história do Sr. Vitório Pontello, que, com uma agricultura diversificada, resolveu desistir do plantio de melancias No “Giro Equestre”, quem nos conta uma bela história sobre a paixão pela equinocultura é Claudia Pineda, criadora de Manga-larga Marchador.E MAIS MODERNOS PARQUES Nossos parceiros nesta edição E, ainda, duas novidades: a coluna “Essência do Campo”, da agropecuaristaR DO ESTADO DE SÃO PAULO Dalila Galdeano Lopes, diretora jurídica da APCGIL – Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro; e um espaço com receitas deliciosas de drinks de café — a bebida do verão —, desenvolvidas pelo consultor eade, barista Leandro Moeda.stos, a, a Em 2011, a Giro Rural obteve muitas conquistas e todas concretizadasORA com muita persistência e dedicação, dentre elas o seu “lançamento”.a em nos Agradecemos a participação da jornalista paulistana Cristiane Mattar,nais. que desde o início acreditou no projeto e contribuiu muito para que nosso sonho se tornasse realidade. E damos as boas-vindas à jornalista Regiane Ferreira, com trabalho já inserido no agronegócio da região e que agora escreve para os nossos leitores. Nossa equipe deseja a todos um feliz 2012, repleto de muita saúde e realizações e, principalmente, que a agricultura e a pecuária sejam cada POSSUI MARCA REGISTRADA. A NOSSA ! vez mais valorizadas por nós e pelo governo brasileiro, atingindo seus objetivos e uma maior sustentabilidade. Estes são os nossos votos a você,AMINAÇÃO BOPP - PLASTIFICAÇÃO - RELEVO - VERNIZ ULTRAVIOLETA - HOT-STAMPINGCAS ESPECIAIS - COSTURA DE MIOLO DE LIVROS - PRODUÇÃO DE ARAME EM ESPIRAL leitor, que esteve ao lado da Giro Rural no seu primeiro ano e continuará COLOCAÇÃO DOS ESPIRAIS COLOCAÇÃO DE ANEL DUPLO (WIRE-O) - FURAÇÃOGRAMPEADEIRA AUTOMÁTICA PARA REVISTAS E CATÁLOGOS - LOMBADA QUADRADA no que está prestes a chegar. Para nós, esperamos que todas as realizaçõesOTMELT) - ALCEADEIRA PARA MIOLO DE LIVROS - DOBRADEIRA COM POSSIBILIDADES DE alcançadas sejam apenas sementes plantadas e que serão colhidas com MÚLTIPLAS DOBRAS - CORTE E VINCO - PRENSADORA DE MIOLO DE LIVROS. Com 35 anos de tradição e qualidade oferecemos a mais completa estrutura. maior sucesso em 2012. Casamentos | formaturas | recepções empresariais | aniversários | bodas3908-3444 - (18) 3908-8134 Rua Vicente Mele, 141 CEP 19064-200 Boa leitura! Festas temáticas e muito mais! Pres. Prudente - SP WWW.GRAFICAIMPRESS.COM.BR Laura Whiteman Diretora Contatos: 14 3324-6162 · 9706-2837 · gauchosbuffet@hotmail.com R. Rafael Cassetari, 284 · Jd. América - Ourinhos/SP J an eir o · 2 0 1 2 A sua colaboração terá um imenso valor para que consigamos melhorar sempre, portanto colabore conosco enviando sugestões, críticas e elogios para o e-mail revistagirorural@gmail.com. 4 Giro Rural
  • 4. Gr sumário 14 CAPA Entrevista com Fernando Botelho Villela Neto, agropecuarista e vice- presidente do sindicato rural de marília que fala sobre as vantagens e as dificuldades em confinar na região. 8 Giro notas 24 Giro culinário 360º de notícias do agronegócio Delícias do café 10 Especial coopercitrus 26 Essência do campo Tradição que gera benefícios Dalila Galdeano Lopes 12 Evento 28 Cinquentenário Coopemar 36ª Expolins História da Coopemar 18 Veículos 32 Gente da terra Nova Hilux 2012 - Força e elegância Vitório Pontello Júnior produtor de Avencas 20 Giro equestre Manga-larga marchador 34 Giro literário 22 Especial pecuária Itália máquinas lança pulverizadores pecuários Editor: Luiz Felippe Nogueira | Diretora Administrativa: Laura Whiteman | Diretora de Jornalismo: Cristiane Mattar – MTB62481/SP| Jornalista Responsável: Regiane Ferreira – MTB49346/SP | Design grafico: Mauricio W. Santos | Foto capa: Giro Rural Revisão: Rodrigo Gerdulli | Representação Comercial: Amaury Girardi | Impressão: Gráfica Impress | Tiragem: 3 mil Circulação Regional: Centro Oeste Paulista | Distribuição dirigida: postada aos produtores rurais do Centro Oeste Paulista Pontos de distribuição: a disposição nas empresas anunciantes | A venda nas principais bancas de revistas da região centro oeste paulista. Leia em nosso blog: www.revistagirorural.blogspot.com Solicite reimpressões editoriais das melhores reportagens da Giro Rural – C.O.P. com a capa da edição. “Os artigos assinados não revistagirorural@gmail.comJan ei ro · 2 0 1 2 emitem, necessariamente, a opinião da Giro Rural – C.O.P. Publicação Mensal. Todos anúncios, imagens e artigos publicados e assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores.” (14) 3221-0342 AG RON EGÓCIO, I N FOR MAÇÕE S E OP ORTU N I DADE S. AN U NCI E E BON S N EGÓCIOS! 6 Giro Rural
  • 5. Gr Giro notas 360º De notÍcias Do aGroneGócio amendoim frango agrotóxicos Amendoim: agricultores de Tupã apostam Frango: produção brasileira está mais Agrotóxicos: monitoramento verifica resíduos em vegetais em variedade mais durável próxima da norte-americana O Ministério da Agricultura, Pe- midade em maçãs (99,13%), mamão Produtores de amen- a diferença está dentro A propósito da carne estará produzindo so- cuária e Abastecimento divulgou o (97,57%) e milho (96,15%). doim do município de do grão, que tem maior de frango, muito tem sido mente 200 mil toneladas resultado do Plano Nacional de Con- O monitoramento existe desde Tupã-SP (40 mil hectares concentração de ácido, dito a respeito da apro- a mais, o Brasil com 13,6 trole de Resíduos e Contaminantes 2009 e o seu resultado é usado de área plantada) desco- que garante mais durabi- ximação dos volumes milhões de toneladas e a em Produtos de Origem Vegetal que como base para corrigir as não- briram uma mina de ouro lidade. O preço da saca produzidos por Brasil e China com 13,8 milhões monitorou a quantidade de resíduos conformidades por meio de ações no campo. A novidade (25 kg) saltou de R$ 35 no China – esta, por ora, de toneladas. de agrotóxicos e de contaminantes fiscais e de educação para o uso é uma espécie conhe- começo do ano para R$ 43 segunda maior produtora Já a produção de car- em 23 produtos na safra 2010/2011. correto dos agrotóxicos. Na safra cida como alto oleico. A em média. mundial. Assim, enquanto ne de frango dos EUA Cem por cento das amostras de 2011/2012 serão recolhidas 2.160 principal vantagem do Os principais com- há 10 anos a avicultura deve situar-se nos 16,9 arroz, batata, café, feijão e tomate amostras, envolvendo 21 estados amendoim é que o grão, pradores do amendoim chinesa produzia cerca milhões de toneladas. estavam dentro dos padrões. Porém, brasileiros. Fonte: Mapa mesmo depois de colhido, brasileiro são os países de três milhões de tone- O Departamento pre- foi registrado alto índice de confor- pode ficar armazenado da Europa. Nesta primeira ladas de carne de frango vê que o Brasil possa Suíno por mais de um ano sem safra, São Paulo deve che- a mais que o Brasil, em superar os EUA em menos perder a qualidade. gar a 88% da produção 2012, pelas previsões do de uma década ou pouco Apesar de mesma nacional. Departamento de Agri- mais. aparência rosada e sabor, Fonte: Globo Rural cultura dos EUA (USDA) Fonte: AviSite Consumo de carne suína no Brasil atinge 15,1 kg per capita Gir perde recordista absoluto da raça A carne suína está mais presente na mesa Faleceu, no final de outubro, CA Sansão, lendário do brasileiro, que, em 2011, consumiu mais raçador da central de genética CRV Lagoa, o maior touro 0,5 kg per capita, crescimento que no ano da história da raça Gir Leiteiro. passado chegou a 1 kg. Segundo a Associação Foram quinze anos e sete meses de uma trajetória Brasileira da Indústria Produtora e Exportado- incomparável de títulos e recordes nacionais e interna- ra de Carne Suína (Abipecs) o aumento do cionais. consumo de carne suína atingiu os 15,1 kg per capita, ultrapassando a meta estabelecida Sansão foi o primeiro e único touro Gir Leiteiro que pelo Projeto Nacional de Desenvolvimento da conquistou o troféu Palheta de Ouro, oferecido aos re-Jan ei ro · 2 0 1 2 Suinocultura (PNDS) junto ao Sebrae Nacional Giro rural produtores que atingem a marca de 250 mil doses de prevista para 2012. Fonte: Suinocultura Industrial sêmen produzidas. 8 Giro Rural abril · 2011 16
  • 6. Gr Especial coopercitrus Especial Gr coopercitrus – filial De MarÍlia-sp P ossui um sistema sólido e reconhecida no prêmio Top Dealer Com a aquisição desta filial, a que além dos serviços pres- devido a sua excelência em gestão na Coopercitrus ampliou seu leque de tados, pensa no crescimento área de produtos e serviços oferecidos produtos como colhedoras de café. de seus cooperados. Ao lon- aos seus cooperados. Além disso, a Além de ter uma história rica na cultu- go desses anos, adquiriu um quadro Coopercitrus é também a maior con- ra de café, a cidade de Marília possui de mais de 20.000 produtores rurais cessionária em volume de negócios grandes produtores de amendoim associados, 35 lojas de insumos, 18 do banco AGCOFinance e está no topo e para eles, a Cooperativa oferece concessionárias Valtra, 7 postos de em venda de cotas de consórcio, o recolhedoras de amendoim com combustíveis, 15 unidades de rece- que prova a confiança dos produtores condições diferenciadas de preços, bimento de embalagens vazias de rurais nos produtos oferecidos por além de planos para a reforma de agrotóxicos, armazéns para grãos, sua Cooperativa. A loja de Marília - SP, todos os maquinários. No entanto, a uma equipe de alto nível de colabora- sediada na Avenida Álvaro Simões, Coopercitrus se completa através dores especializados em assistência n° 1498, no Parque das Indústrias, da melhor equipe de pós-venda do técnica e de outros serviços, que a faz comercializa tratores da marca Valtra país, benefício este presente em todas ser uma das maiores prestadoras de e implementos das fornecedoras mais as suas unidades. Os treinamentos serviços, estando presente em 500 conceituadas do país. Possui também muitas vezes acontecem dentro das municípios nos estados de São Paulo uma oficina completa, equipada com próprias fábricas, o que torna os e Minas Gerais, fornecendo insumos, ferramental adequado para a manu- colaboradores da Cooperativa bem máquinas e implementos agrícolas. tenção das máquinas, comercializa capacitados para reparar qualquer É hoje a maior revenda dentre peças genuínas de reposição e realiza tipo de maquinário que está na carta os mais de 60 concessionários da o conserto na loja ou diretamente na de produtos comercializados pela fábrica de tratores Valtra do Brasil, é propriedade do cooperado. Coopercitrus. tRAdIçãO quE GERA bENEFíCIOs De toda esta trajetória de 35 anos atuando de forma a proporcionar benefícios aos produtores rurais, a Coopercitrus colheu bons resultados, tanto que hoje é considerada uma das maioresJan ei ro · 2 0 1 2 J ane ir o · 2 0 1 2 cooperativas no segmento do Brasil. Os tratores produzidos pela Valtra possuem tecnologia diversificada, que garantem alto desempenho e baixo custo operacional. 10 Giro Rural Giro Rural 11
  • 7. Gr Evento Nome da seção Gr 36ª expolins COMECE O SEU DIA COM UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL! nonononono nonono nononononono nonononononono nonono nononono 1ª ExPOsIçãO REGIONAl dO GIR lEItEIRO dE lINs, COM julGAMENtO E tORNEIO lEItEIRO Campeã do torneio Gir Leiteiro garante o sucesso da sua proprietária A 36ª Expolins foi realizada Leiteiro foi a “Eldorada da Epamig”, juntamente à 13ª Festa do da criadora Maria Tereza Lemos Calil, Peão do bairro Bom Viver, no proprietária da Fazenda Paraíso, de recinto de exposições “José Maurício Franca-SP Ela competiu com catorze . Junqueira de Andrade”, em Lins-SP A . animais em duas modalidades: pista e programação elaborada pelo Sindica- torneio leiteiro, que conquistaram vá- to Rural de Lins, além das montarias rios prêmios. Mas, o prêmio especial em touros e shows artísticos, também foi o da Eldorada. contou com a 36ª Exposição de Jul- “Estou muito feliz por ter participa- gamento de Raças e a 1ª Exposição do e pela minha vaca, que foi a grande Maria Tereza Lemos Calil, criadora de Gir Leiteiro e Regional do Gir Leiteiro de Lins, com campeã do torneio leiteiro. Inclusive proprietária da Fazenda Paraíso, de Franca-SP. julgamento e torneio leiteiro. ganhamos um carro como premiação. Durante a competição do torneio leiteiro, que durou três dias (de 4 a A visibilidade é muito grande e é uma oportunidade para divulgarmos nosso anÚncio 7 de outubro), foram realizadas dez ordenhas de oito em oito horas, sendo trabalho, apresentando nossos melho- res animais. Trata-se de uma forma de (1) pÁG i na premiada a vaca que produzisse mais colher frutos do trabalho realizado”, leite. A grande campeã do torneio Gir afirmou a criadora de Gir Leiteiro. Novilha Girolando bate recorde mundial na produção de leite Já no torneio leiteiro Girolando, Com uma bacia leiteira tradicional, a estrela da competição foi a novilha a cidade de Lins, para ele, “é como “Germina Benta Spirit”, que produziu se fosse uma ‘caixa de ressonância’ uma média de 79,3 quilos de leite, de tudo que acontece para o negócio quebrando recorde mundial — que, do leite”, por isso se torna uma praça segundo seu dono, era pouco mais importante de divulgação dos animais. que 60 quilos. O criador paranaense “Quando tenho animais em condições Bernardo Garcia de Araújo Jorge, de apresentarem um bom desempe- proprietário da fazenda Germina, de nho, eu trago, com certeza, pois é uma Apucarana-PR, participou do torneio praça de divulgação muito interessan- Novilha “Germina Benta Spirit” da fazenda Germina, com três animais e disse que já tinha te para os criadores”, finaliza. de Apucarana-PR, do proprietário Bernardo Garcia de Araújo Jorge,é a recordista mundial na produção de leite. grandes expectativas com Germina O julgamento morfológico dos Benta Spirit. “Não só para o Girolando, animais foi realizado nos dias 6, 7 e mas para toda a pecuária de leite, é 8 de outubro sob a responsabilidade um número exorbitante. O recorde do jurado Euclides Prata dos SantosJan ei ro · 2 0 1 2 Giro rural de produção terá um grande impacto; Neto. A exposição foi homologada nem sei avaliar o que pode trazer de pela ABCGIL – Associação Brasileira retorno comercialmente.” de Criadores de Gir Leiteiro. GRANJA LEITEIRA BOM GOSTO (14) 3453-2298 12 Giro Rural abril · 2011 16
  • 8. Gr Capa “No pasto, o boi engorda, cerca de 800 gramas por dia. Já no confinaMento De GaDo confinamento, esse peso é dobrado, apesar de o custo de produção praticamente dobrar também. Então, você tem que ver quando é realmente importante fazê-lo ” Há quanto tempo o senhor iniciou o confinamento na sua propriedade? A fazenda era do meu avô desde 1916, antes de existir Marília, e, depois do seu falecimento, meu pai cuidou da fa- zenda por uns sete anos. Em 1988, deixei o Rio de Janeiro e assumi a fazenda. No começo, tínhamos por volta de duas mil cabeças de gado (entre matrizes, bezerros, novilhas e garrotes para engordar). Atualmente, só confino machos. Já o restante da boiada fica no pasto; ao todo são cerca de três mil animais. Como foi a implantação da estrutura para CONFINAMENtO confinar e quais os investimentos? Para você confinar um gado, primeiramente é preciso preparar a alimentação. A fazenda já fazia renovação de pasta- gem constantemente. Então, vislumbramos uma oportunidade Fernando Vilela Agropecuarista e de nessa renovação plantar milho e começar fazer silagem. vice-presidente do Já tínhamos currais que poderiam ser adaptados, por isso o Sindicato Rural de Marília-SP investimento acabou sendo menor. Mas, tivemos um grande gasto para concretá-los e, também, com coberturas e calhas. Só em concretos gastei mais de R$ 15 mil e com a cobertura um acabamento em cocho Qual é o momento certo de colocar os bois valor parecido. Se tivéssemos sol o tempo todo, os custos di- nos cochos? minuiriam, mas aqui na nossa região não é assim que funciona. No pasto, o boi engorda cerca de 800 gramas por dia. Já ainda é um bom negócio Por que optou pelo confinamento semiaberto? Na hora em que começam as chuvas, qualquer confinamen- no confinamento, esse peso é dobrado, apesar de o custo de produção praticamente dobrar também. Então, você tem que ver quando é realmente importante fazê-lo. Com uma pastagem A to passa a ter um problema sério: a lama. O boi fica tão irritado na época das águas que faça a engorda de 800 gramas, vale lguns pecuaristas consideram abate de matrizes. Com isso, o plantel bovi- que perde o apetite, não engorda e chega até a emagrecer. a pena manter só na pastagem. A partir do momento em que Um confinamento todo coberto prejudica, pois o boi precisa o confinamento de gado muito no brasileiro diminuiu, o que proporcionou você não tem pasto, no começo da seca, por exemplo, até o do sol, que ajuda na absorção da comida. Normalmente, temos caro, já que no final do acaba- esse aumento de preço agora. Na época, os final e até uns dois meses depois, o confinamento é interessante. dois meses de seca e os outros com possibilidades de chuvas Confino do final de junho até o final de dezembro. mento os animais de cocho cus- pecuaristas venderam tudo para sustentar intensas. Então, é preciso um curral semiaberto, pois mesmo tam, pelo menos, 40% mais caro do que os a propriedade e depois faltou produto”, com chuva eu tenho condições de mantê-los em locais secos. O confinamento é mais utilizado para a acabados a pasto. Porém, quem investe na recorda o pecuarista Fernando Villela. O terminação de bovinos, ou seja, envolve atividade acredita na estabilidade do preço carioca, hoje agropecuarista e vice-pre- Grande parte dos custos da engorda é referente o acabamento da carcaça que será à alimentação. Quanto o senhor economiza comercializada. Quais são as características do boi gordo, que está em alta — podendo sidente do Sindicato Rural de Marília, fala produzindo a comida, em vez de comprá-la? ideais de um boi pronto para o abatimento? chegar a R$ 105 por arroba —, situação sobre as vantagens do confinamento na sua A economia é enorme, sobretudo quando a própria fazenda É importante, em um boi pronto para o abate, peso acima que, para confinadores, ainda proporcio- propriedade — Fazenda Santa Emília —, é utilizada para o plantio. Como realizo a renovação de pasta- de 17 arrobas e com cobertura de carne bem razoável, porque na um bom retorno financeiro. No Brasil, localizada no distrito de Amadeu Amaral, gem com o milho, o custo é diluído. Já o feno, também produzido uma das exigências do mercado é justamente o acabamento. apesar de estar em crescimento, a oferta Marília-SP, e ainda aponta alguns fatores aqui, sustenta o restante do gado na época da seca, pois não Por isso, existem alguns problemas em bois europeus pois,Dez emb r o/Ja ne iro · 20 11/ 2 0 1 2 ainda continua inferior à demanda. “Houve que prejudicam a atividade, principalmente é preciso que eles engordem muito, apenas que mantenham apesar de terem peso necessário, eles não têm camada de o peso. No cocho, além do milho, complemento com farelo de gordura. Isso prejudica na conservação e no congelamento da um ganho de consumo interno bastante ra- no momento da comercialização da carne, soja comprado. O rebanho é alimentado duas vezes ao dia carne. O próprio povo brasileiro não aceita tanto essa carne zoável a partir de 2008 e, por isso, o preço tanto na região quanto no exterior. Villela J ane ir o · 2 0 1 2 e cada animal consome 15 quilos de volumoso e mais uns 3 sem gordura. O confinamento dá essa chance de engorda, e da arroba reagiu. Passamos cinco anos com cria, recria e engorda raças como Nelore, quilos de concentrado. O confinamento dura de 60 a 110 dias, no pasto é melhor trabalhar com gado zebuíno, que é o que preços muito baixos causando um grande Guzerá, Red Angus e Aberdeen Angus. quando cada boi engorda 1,5 quilo diariamente. dá maior acabamento de carcaça. 14 Giro Rural 15
  • 9. Gr Capa “Não existem diferenças Quais são as diferenças de tir, se é num confinamento, no plantio custos do boi de pasto e de de preços de laranja, cana ou eucalipto. Faça as confinamento? E na hora da contas antes, porque hoje não é mais venda? No final, o boi de confinamento sai na hora da tão fácil começar. Para quem já tem a estrutura (propriedade e pastagem), é uns 40% mais caro. O preço por arroba de um boi acabado a pasto é de apro- comercialização. uma boa opção. A partir do momento em que é preciso comprar uma área, ximadamente R$ 60 e, no confinamento, em torno de R$ 95. O custo diário no Quem tem boi é melhor colocar na ponta do lápis se vale a pena ou não. pasto é difícil dimensionar, porque é consumido um alimento fornecido gordo vende O senhor investe em pela natureza, com custos de vacinas, tecnologias que auxiliam na vermífugos e manejo, mas fica em bem. Quem não criação do gado? Alcançou o torno de R$ 3. Já no confinamento se resultado esperado? consomem R$ 5 de alimentação por tem, perde” Compro de produtores seleciona- dos alguns touros para melhoramento dia, sem contar custos de vacinação. Não existem diferenças de preços na genético ou por inseminação, que hora da comercialização. Quem tem boi gordo vende bem. também faço aqui, pois se a genética for ruim o gado não en- Quem não tem, perde. gorda. Com genética boa, evita-se o problema de cruzamento entre pais e filhos, o que definha o animal. Também utilizo um O que é feito para evitar prejuízos? sistema de rastreamento que contribui com cruzamento de É complicado, pois atualmente os preços podem cair por dados, haja vista que fornece o histórico do animal. causa do crescimento da oferta de boi confinado. Tem muita gente que comprou boi magro caro, trabalha com produtos Como funciona esse sistema de rastreamento caros e levou prejuízo. Para evitar essa situação, é preciso e quais são os custos? cuidado e planejamento. O mais importante é você ter o boi Quando o bezerro nasce já é informado para uma certi- acabado para vender. Neste ano, no mês de junho, vendemos ficadora (de quem é filho, raça, etc.) e recebe identificação, a R$ 105 (arroba), agora novamente, porém nos meses de passando a ter um código fixo até o abate. Semestralmente, setembro e outubro o preço baixou para R$ 94. Quem apostou a certificadora realiza vistoria e, anualmente, pelo Ministério no acabamento do boi durante essa queda de preço, não se da Agricultura. São visitas cobradas por cabeça e se gasta deu tão bem. também com brincos de numeração. O investimento é grande, pois todo o rebanho deve ser rastreado, e não só os animais Na região de Marília, o que falta para estimular em confinamento; e eu só venderei o boi gordo. Então, o ou até mesmo melhorar a atividade? A relação confinamento fica responsável pelo retorno não só do que custo/benefício está viável no mercado atual? gastei com ele, e sim com toda a propriedade. Uma das coisas é não deixar essa concentração de abate- douros continuar. Se a gente tem vários frigoríficos, obtemos Como esse rastreamento interfere na poder de negociação. Quando se concentra qualquer mer- comercialização da carne? cado, ele acaba sendo prejudicial para todos os produtores A comunidade europeia, por exemplo, está exigindo comerciais. Ainda está viável, mas começa a ficar arriscado, que o gado do Brasil seja todo rastreado, pois estão tendo pois o governo investiu muito em apenas dois frigoríficos. Isso problemas com falta de crescimento e falta de espaço para acabou concentrando demais de um lado e tirando o poder produzir. Então, impõe uma série de dificuldades, princi- de barganha que o pecuarista teria se tivesse mais opções. palmente para o Brasil, que é o maior vendedor mundial de carne. Vários países já utilizam e o Brasil está aderindo não Que orientação o senhor dá para quem quer só para animais, como no setor de hortifrútis, suínos, soja e começar um confinamento? farelos, entre outros. Possibilita acompanhar o seu produto Primeiramente, pensar bem na comida que dará para o desde a origem até a hora em que foi vendido para o con- seu rebanho e dimensioná-lo corretamente. Em São Paulo sumidor. Se tivéssemos um sistema de rastreabilidade em está ocorrendo um problema sério, que é o valor alto da todo o país, no caso de algum problema tanto aqui como nosJan ei ro · 2 0 1 2 terra, apesar de o confinamento não precisar de muita terra. países exportadores, seria possível detectar da onde veio Mas, se você quiser produzir a alimentação, precisa de mais aquela carne. A falta de informações de alguns produtos espaço. Tem que pensar duas vezes no que é melhor inves- pode prejudicar todo o setor.16 Giro Rural
  • 10. Gr Veículos noVa Hilux 2012 noVa Hilux Gr 2012 coM FORçA E ElEGâNCIA conDição de telefone, áudio e computador de exemplo, o TRC aciona o sistema, bordo, conexões Bluetooth®, USB e que transmite força à outra roda Aux-in, compatíveis com iPod® e iPho- para vencer os obstáculos com mais ne®, rádio com CD player/MP3 e tela de 6,1” sensível ao toque, câmera de desenvoltura. É um diferencial muito importante que possibilita maior especial De ré, acendimento automático dos faróis segurança em terrenos irregulares”, Para ser um verdadeiro líder é fundamental superar e banco do motorista com ajustes elé- tricos (distância, inclinação e altura). conta o consultor. Também presente, o controle de estabilidade ajuda o Desconto desafios. Esse foi o pensamento que guiou o para Uma das características que fa- motorista em uma iminente derra- zem da Hilux a líder de mercado em pagem ao desviar de um obstáculo desenvolvimento da nova Hilux, que está ainda melhor: sua categoria há seis anos (segundo ou nas curvas, especialmente em mais moderna e com novo design. ANFAVEA – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, líder na categoria Comerciais Leves, superfícies escorregadias. Além dos controles eletrônico de tração e de estabilidade, o veículo pos- proDutor P rural ara ser um verdadeiro líder do máximo de aderência para o ter- linhas de crédito Pronamp (Programa que compreende caminhonetes de sui: freios com sistema antitravamento é fundamental superar desa- reno sem que ocorra o deslizamento Nacional de Apoio ao Médio Produtor carga a diesel nacionais e importadas) ABS — com EBD (calibra a força de Foto: Joelson Leite fios. Esse foi o pensamento dos pneus traseiros. E em situações Rural) e Pronaf (Programa Nacional é a modernidade. Essa marca regis- frenagem de cada eixo) e BAS (auxilia que guiou o desenvolvi- off-road ajuda a superar terrenos es- de Fortalecimento da Agricultura trada está mais que presente na nova a parada em menores distâncias), air mento da nova Hilux, que está ainda corregadios e lamacentos com mais Familiar), com juros de 2% a 6,75% versão, disponível nas cores: branco, bag duplo frontal, carroceria GOA melhor: mais moderna e com novo eficácia. Produtores rurais podem ter (dependendo da modalidade que o prata metálico, bege austral, cinza (protege os ocupantes do carro em design. Os faróis e a grade frontal fo- descontos especiais na venda direta e produtor se enquadra), com carência chumbo, preto safira e preto mica, com caso de colisão), colunas e coberturas ram redesenhados para conferir mais por meio de financiamentos oferecidos de dois anos. É importante lembrar cabines simples e duplas. que absorvem impactos e coluna de robustez ao veículo. O para-choque por linhas de crédito. que a condição especial para o pro- A Hilux 2012 contará com quatro direção deformável e pedal de freio dianteiro também apresenta novida- “Na venda direta, na qual o valor dutor rural vale apenas para a Hilux novas versões de acabamento, sen- desarmável (em caso de forte colisão des, juntamente com o capô e as lan- do veículo é faturado diretamente na com cabine simples”, explica Fábio do elas: STD, STD Pack, SR e SRV. E, frontal, absorve o impacto e se retrai, ternas traseiras. Isso tudo sem falar das fábrica, oferecemos uma condição Batista da Silva, consultor de vendas ainda, pode conter alguns acessórios enquanto o freio desprende e diminui rodas de liga leve aro 17”. Um grande especial de desconto para produtor diretas da Mirai Motors. opcionais, como protetor de caçamba; a invasão da região dos pés). diferencial está no quesito segurança: rural e frotistas, além de veículos com O novo modelo conta com o in- capota marítima de lona; santantônio o Sistema Eletrônico de Tração (TRC), isenção. Já o financiamento pode ser terior renovado e mais sofisticado: cromado, sport e preto; engate; solei- Durabilidade que, no asfalto, permite a transmissão feito em até oito anos mediante as volante com comandos integrados ras; estribos cromados e pretos; calhas “A Hilux é uma da porta; kit de alarme; e cabide. A durabilidade da caminhonete é caminhonete robusta um requisito indispensável, por isso e não quebra fácil, Desempenho e segurança Divulgação é importante que ela seja resistente fazendo a manutenção e não quebre. Por outro lado, se há Quando se fala da picape líder, variação nos componentes acima da corretamente, não existe fala-se de desempenho. E nesse que- tolerância especificada, há diminui- problema. No campo, sito a nova Hilux também se destaca. ção da durabilidade. A nova Hilux colocamos de tudo na Seu motor turbo diesel D-4D com traz uma caçamba com capacidade caçamba, como sal, injeção direta/eletrônica common rail de mil quilos e 1,80 m3, a maior da ração, pneus e etc. E nas proporciona alto desempenho, baixo categoria. viagens oferece um ótimo consumo de combustível e baixa Durante a fase da concepção do emissão de poluentes. Além disso, o projeto Hilux, foram realizados testes conforto.” Depoimento do proprietário: turbo de geometria variável (TGV) e de resistência — mais de 300 mil Martin Gustavo Herzog - cafeicultor o intercooler garantem potência extra quilômetros de condução em vias e baixo nível de ruído e vibração. Para regulares. Testes de durabilidade Você pode encontrar a nova Hi- completar, o modelo 2012 ainda apre- também acontecem a cada mudança lux 2012 na Mirai Motors Toyota, na senta um controle eletrônico de tração na Hilux, com o objetivo de alcançar Avenida Sampaio Vidal, 1225, emJan ei ro · 2 0 1 2 J ane ir o · 2 0 1 2 que não deixa a traseira derrapar. maior resistência, mesmo quando Marília. Informações (14) 2105-3800 e “Durante uma perda de ade- conduzida sobre vias irregulares e em miraimotors@miraimotors.com.br ou rência em uma roda traseira, por ambientes severos. vendas@miraimotors.com.br18 Giro Rural Giro Rural 19
  • 11. Gr Giro equestre ManGa-larGa MarcHaDor CONFECÇÕES ARTESANAIS e, uma vez por ano, durante as férias, Duna, Dinastia e Duquesa. As filhas meu pai organizava uma cavalgada de Xerife foram acasaladas com de uns 50 km. Já éramos acostumados Netuno de Santa Lúcia e, mais tarde, com a lida, e a cavalgada era uma dis- tração. E na hora de ir para a escola, em vez dos livros, colocávamos nas Pensamento de Santa Lúcia, que em 1993 entrou para o Guinness Book. O recorde foi alcançado por ele e mais DE SELAS E ARREIOS mochilas as roupas para cavalgar. En- dois cavalos que cavalgaram pelo tão, dávamos a volta por trás da fazen- Brasil inteiro durante um ano e meio, da e íamos para a cocheira, enforcando percorrendo 17 mil km, na Jornada a aula. Esse era um programa de uma dos Marchadores. vez por mês e os pais não podiam Hoje, o plantel conta com aproxi- saber (risos).” madamente quarenta éguas, mais po- Após o falecimento de seu pai, o tros e potras (tordilhos e castanhos). plantel da raça quarto de milha da Os garanhões são Bronze JB da Ogar família foi repartido para os cinco e o crioulo Cobalto Paredão, filho do irmãos, quando cada um optou por campeão nacional de progênie Origi- criar uma raça. E foi justamente pela nal do Passo Fino. “Na cobertura de necessidade de um bom cavalo para trinta éguas, dos machos que nascem, O Marchador foi a fazenda e que trouxesse como- doze ou treze por estação, 95% são uma descoberta, didade ao vaqueiro que, em 1980, castrados, colocado como animal Sela Team Roping 2000 diz Claudia Pineda, de volta ao Brasil, o casal Claudia e de serviço e vendido na região. Eu criadora da raça Nelson Pineda (in memoriam), que vivia na Venezuela até então, optou tenho grande rigor na seleção de machos, justamente para só deixar anÚncio na fazenda Paredão pela criação da raça. O objetivo era criar cavalos dóceis, com excelência como garanhão quem realmente vale a pena. Ainda tenho, em parceria com (1/3) pÁG i na na marcha batida e fortes na estrutura. o criador Roberto Duarte, o Netuno PAIxãO E dEdICAçãO “Cada raça tem sua aptidão e de Santa Lúcia, hoje com 28 anos, ins- cada povo a desenvolveu de acordo crito no livro de mérito da ABCCMM com suas necessidades. O Marchador (Associação Brasileira dos Criadores pa é o cavalo ideal tanto para trabalho do Cavalo Manga-larga Marchador), ta Ca e c/ Por como para cavalgadas e vencer enfim, um ícone do marchador”, ex- Alforg PElA EquINOCultuRA grandes distâncias. Para o trabalho plica Pineda, que também trabalha do dia a dia da pecuária brasileira, com o Dr. Luis Carlos Bueno Ferreira, não existe cavalo melhor. É uma ati- do haras Passo Fino, em Jaguariúna- vidade que vem de toda a vida e pela SP. “Como não participo de pista ele necessidade de que o nosso vaqueiro tem levado éguas minhas e, com mui- esteja bem montado. O Marchador foi to sucesso, levou o nome da fazenda C om temperamento ativo A raça tem dois andamentos e to- “O foco de tudo é o andamento. uma descoberta!”, relata a criadora. Paredão às pistas”. e dócil, de porte médio, das as variações são intermediárias a Em todo julgamento de pista o quesito Na época, o casal decidiu ir a um A criadora destaca que para Cor ágil e bem estruturado, estes. O mais macio é a marcha picada, mais valorizado é a forma de caminhar congresso da raça em Caxambu, no se alcançar a perfeição da raça reia d e Es pele e pelos finos e lisos, e o que rende mais é a marcha batida. que oferece conforto, regularidade e Sul de Minas Gerais (pioneira e maior primeiramente é preciso investir por a La utilizado para trabalho no campo e em Entre esses dois extremos encaixam- estilo, encantando o público”, explica produtora da raça), onde encontraram na boa genética, boas pastagens e rga longas cavalgadas, devido ao con- se todas as modalidades de comodida- Claudia Pineda, criadora de Manga- todos os grandes criadores. Adqui- mineralização. E, de acordo com o forto proporcionado, o Manga-larga de. O típico é sempre que um membro larga Marchador na fazenda Paredão, riram um reprodutor de excelente desempenho desejado, utilizar mais Marchador forma o maior rebanho esteja no chão. Nunca há um momento em Oriente-SP . andamento — o Xerife AJ —, do Sr. ou menos ração. Suas éguas são cria- Visite nossa página de equinos do Brasil. O país possui o de suspensão e, se ocorre, não é mais A equinocultura já está presente Antonio Junqueira, de Araçatuba-SP, das a pasto, sal e água. “Pode-se criar na internet maior número de cavalos na América marchador, o que o desclassifica. O na história da família desde a infância para cruzar com um lote de éguas nessas condições, pois a rusticidade www.selariaprimicias.blogspot.comJan ei ro · 2 0 1 2 Latina e ocupa o terceiro lugar no ideal buscado por seus criadores é um da empresária, que até recordou das comprado em MG. Desse cruzamen- é intrínseca da raça. Foram seleciona- Giro rural ranking mundial, somando mais de tríplice apoio, que tenha um momento peraltices já envolvendo os cavalos. to, nasceram os primeiros produtos dos em Minas Gerais, em locais com R. Manoel Pinheiro de Matos, 901 · Marilia/ SP oito milhões de cabeças. com três patas no chão. “Sempre tivemos contato com o cavalo Paredão, com destaque para as éguas muito morro e pedras, e clima severo.” (014) 9672-218020 primiciasselaria@hotmail.com 16 abril · 2011
  • 12. Gr Especial Nome da seção Gr MÁquinas aGrÍcolas nonononono nonono nononononono nonononononono nonono nononono inoVação e conquista De noVos MercaDos A Itália Máquinas começou O proprietário da empresa garante Desenvolvimento Econômico e Social). suas atividades no Brasil os bons resultados do pulverizador e A Itália Máquinas está sediada na em janeiro de 1968. Ini- aposta na satisfação dos clientes. cidade de Marília, no Centro-Oeste do cialmente, denominava-se Estado de São Paulo, onde conta com Leone Francisco Dalle Vedove (Marca “Inovamos com esse uma grande linha de produtos para Dalle Vedove) e, no início de 2006, entrega imediata. Possui revendas em sistema de pulverização, passou a se chamar Itália Máquinas e toda a região e seus produtos estão Implementos Agrícolas LTDA. A partir diferenciado e novo disponíveis no site www.italiama- daí, tornou-se uma grande fabricante quinas.com.br, que disponibiliza as de roçadeiras e diversos implementos no mercado, que características de cada máquina. agrícolas. Consciente da necessidade gera economia para do mercado brasileiro para a aquisição Angola, primeira conquista de novas tecnologias e do aprimora- o produtor e garante no mercado externo mento de processos de fabricação e Este ano a Itália Máquinas obteve resultados excelentes. capacitação do parque industrial, vem uma grande conquista, dando um solidificando sua participação no mer- Com o foco na pecuária, passa- passo à frente no setor das exporta- cado interno e no exterior, por meio da mos a pesquisar o mercado a partir ções. Angola (país da costa ocidental conquista de novas parcerias e clientes. dos nossos próprios clientes com o da África) foi o primeiro a se tornar “A empresa era bem pequena e intuito de descobrir qual era a maior cliente da empresa mariliense. Para familiar, pois começou com quatro necessidade da área para agilizar a os angolanos, já foram vendidos quin- irmãos (incluindo meu pai). Com o fim produção, diminuindo custos (que é o ze contêineres de produtos e outros da sociedade e a mudança do nome, nosso forte) e mantendo a qualidade quinze já estão encomendados para ultrapassamos os limites regionais e dos produtos, explica”. 2012. E, para aumentar o leque de conquistamos maior visibilidade no A fabricação das máquinas é feita vendas internacionais, foram enviados mercado nacional. E, neste ano, come- na própria empresa, com equipamen- representantes para alguns países do çamos a exportar para Angola”, relata tos específicos para o desenvolvimento Mercosul (Argentina, Paraguai e Uru- Gustavo Dalle Vedove, proprietário da do produto final, e nada é terceirizado. guai, além dos já existentes no Brasil). Itália Máquinas. Hoje, conta com 25 funcionários de “O investimento vale a pena, pois é Com a perspectiva de lançar de Marília, Vera Cruz e Garça na produção um mercado novo e, aos poucos, con- dois a três produtos por ano, com su- e mais dez representantes comerciais quistaremos mais clientes e aumento no cesso na aplicação de suas soluções, espalhados pelo Brasil inteiro. número de vendas, gerando mais em- alcançando melhores resultados, a Além das facilidades do paga- pregos e pagamento de impostos. Isso Itália Máquinas lançou, no início do mento direto, todas as máquinas são contribui tanto para o crescimento da em- mês de novembro, um pulverizador credenciadas ao Finame (linha de cré- presa quanto para o desenvolvimento da específico para pecuária. O lote piloto, dito que facilita a compra de máquinas cidade. Inclusive, já fizemos requerimen-Jan ei ro · 2 0 1 2 com vinte máquinas, já foi vendido agrícolas e equipamentos nacionais), to de uma nova área para ampliarmos Giro rural para o estado do Pará. mediante o BNDES (Banco Nacional de nosso trabalho”, conclui o empresário.22 Giro Rural abril · 2011 16
  • 13. Gr Giro culinário Nome da seção Gr DelÍcias Do café Em vez de jogar fora o café que sobra nonononono nonono nononononono na garrafa térmica, faça cubos de gelo nonononononono nonono nonononoRECEItAs COM CAFé de café, para posteriormente preparar bebidas geladas a base de café. Seguem algumas dicas de receitas geladas com café:Refresco de Laranja e Abacaxi Ingredientes: 4 cubos de gelo de café (ou meia xícara (chá) de café prepa-rado e gelado) 1 xícara (chá) de suco de laranja 1 xícara (chá) de suco de abacaxi concentrado 1 colher e meia (sopa) de açúcar Modo de Preparo: Bata no liquidificador o café, o suco de laranja, o abacaxi e oaçúcar, sirva em copos altos com pedras de gelo. Rendimento: 2 porções Tempo de preparo: 10 minutos. Pudim de Café Ingredientes: 1 xícara (chá) de café preparado bem forte 2 latas de leite condensado 1 xícara (chá) de leite 5 ovos 2 colheres (sopa) de canela em pó (opcional) 1 xícara (chá) de glicose de milho (ou calda de açúcar) Modo de Preparo No liquidificador, bata o leite condensado, o café, o leite, os ovos e a canela em pó. Passe essa mistura por uma peneira fina e reserve. Em uma forma redonda com furo central, espalhe a glicose de milho e despeje a mistura. Cubra com papel alumínio e leve ao forno em banho-maria, em temperatura média por 1 hora e 30 minutos. Retire o papel alumínio e espete a massa, o palito deve sair limpo. Desligue, retire do forno e deixe esfriar, leve a geladeira, depois desenforme e sirva gelado. Rendimento: 8 porções – Tempo preparo: 1 hora e 45 minutos. Giro rural Giro rural 24 abril · 2011 abril · 2011 16
  • 14. Gr Essência do Campo Nome da seção Gr por Dalila GalDeano lopes nonononono nonono nononononono nonononononono nonono nononono GIGANtEs N inguém perde a sua mora no campo, na cidade, capital essência! Que o digam ou Nova York. Veja que há uma os alquimistas e os po- peculiaridade ímpar em todos etas! Cá estou às voltas eles: a simplicidade. Esta é própria de escrever o texto para a nossa daquele que se forjou na natureza, coluna, honrada e feliz pelo convite porque a natureza é pura! Jamais de voltar aos periódicos, e me vem perderá a sua essência. à mente os tempos acadêmicos, E é a esse gigante, que vive do quando disputava, com o saudoso campo, que dele faz a sua razão, e querido mestre Dr. Paulo Lucio que produz, buscando incessante- Nogueira, os espaços do matutino mente amainar a fome do mundo Dalila Galdeano Lopes é pós-graduada em Direito / Criadora de Gir Leiteiro e com os nossos poemas e crônicas. Passados tantos anos dos ban- de todos os seres, a quem hoje rendemos as homenagens neste anÚncio Girolando / Diretora Jurídica da APCGIL (Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro) / Associada da ABCGIL (Associação Brasileira dos Criadores de Gir cos acadêmicos, hoje, voltada, dentre outras atividades, ao agro- intróito de escrita. Gigante, sim, pela sua própria essência! Quer na (1) pÁG i na Leiteiro) / Associada da ABCZ (Associação negócio, respirando dia a dia o simplicidade de um extrativista, do Brasileira dos Criadores de Zebu). amanhecer de um vale, ao primei- de punho numa enxada ao grande ro clarão do alvorecer, o som da produtor, ou a uma tecnologia de vida refulge… produção nas estrelas, a quem Tudo é movimento! Ali, vê-se o rendemos nossa homenagem. passar das matrizes, o barulho dos Produtor rural é um herói, bezerrinhos atendendo ao convite exemplo de persistência, de cora- do retireiro chamando-os à orde- gem, de luta, de inteligência, que nha; já acolá, o tratador metódico a não se curva diante de entraves. consagrar o trato matutino, enquanto É o tempo, é a chuva, é o sol, o ORGULHO DE SER BRASILEIRA os outros ao campo vão, cuidar dos fornecedor, o empréstimo subsi- solteiros; e outros, ainda, a cuidar diado junto ao banco, que promete dos demais afazeres, numa roda e demora e, às vezes, nem sai… de atividades sem fim. Tudo é vida, Mas, ele continua ali. Decidido, tudo gira, caminha numa moenda firme nos seus propósitos. A crer! incessante. Fazenda… Fazendo… Talvez seja esse o seu grande Olho ao redor e sinto a paz que triunfo. Ele crê! gira em torno de tanta sinfonia. “Se tiverdes fé do tamanho de Bendita natureza! Bendito o ho- um grão de mostarda, removereis Parceria de sucesso! mem que a lavra, produz, mantém montanhas.” Gigantes, Homens e lhe conserva! (mulheres e homens) do Campo, O homem do campo, com Removedores de Montanhas, estaJan ei ro · 2 0 1 2 Giro rural contratempos ou não, possui a se- coluna é sua! renidade no olhar! Não importa se Até a próxima edição!26 Giro Rural abril · 2011 16
  • 15. Gr Coopemar – Especial Cinquentenário Gr HISTÓRIA DA COOPEMAR cooperatiVa Dos cafeicultores Da reGião De MarÍlia cooperado Darcy Martins Azevedo assumiu a presidência. E, dois anos depois, foi eleito presidente o cooperado Brasílio de Freitas de Crédito Credimar (1983), Associação Paulista de Preservação da Ecologia (1989) e Exportadora Coopemar (1990). Também 50 anos de trabalho e luta em prol dos Cayres, que ocupou o cargo até 1977. Foi justamente a partir dessa gestão que a coo- transformou o Departamento de Transportes da cooperativa em uma transportadora inde- perativa começou a superar definitivamente pendente, a Transcooper (1991). agricultores e pecuaristas suas dificuldades iniciais, fortalecendo sua presença na economia agrícola local. Atualmente, com 1307 cooperados, a Coopemar possui cinco filiais: Echaporã,A Paraguaçu Paulista, Pompeia, Ocauçu e Vera comercialização do café estava em alta no final dos Em 1962, a Coopemar recebeu o registro do Departamento anos 1950, mas, na época, os donos das “máquinas de Assistência ao Cooperativismo de São Paulo e mudou-se para Construção da nova sede Cruz, atendendo a mais de seis mil hectares Para atender às crescentes expectativas de área rural em Marília e região. Os princi- de café” acumulavam as maiores vantagens da venda um edifício (já demolido) na Rua Três, nº 55, no bairro Fragata, dos cooperados, a diretoria inaugurou as pais serviços oferecidos aos cooperados são: do produto beneficiado, enquanto o produtor rural, com apenas uma máquina de beneficiamento de café, cuja ca- filiais de Ocauçu (1977), Pompeia (1979) e assistência técnica agronômica (plantação,apesar de ser o principal responsável por essa riqueza, não era o pacidade era de cem sacos por dia, e um pequeno armazém Echaporã (1981). Em 1983, foi inaugurada a adubação, colheita, etc.), assistência técnicaseu maior beneficiário. Descontentes com a situação, os cafeicul- para o produto, além de outras máquinas para beneficiamento sede atual, com quase três alqueires (Rodovia veterinária, recebimento e beneficiamentotores de Marília decidiram criar uma organização que protegesse de arroz e de amendoim. Em muito pouco tempo, o número de Os quatro primeiros presidentes: na foto menor, Darcy Martins Azevedo (falecido); do Contorno), e adotado o nome definitivo de do café, padronização do café, armazena-seus interesses, possibilitando remuneração justa aos pequenos cooperados duplicou. Foi adquirida uma segunda máquina de ao lado, Francisco Wilson de Almeida Pirajá e abaixo, Brasílio de Freitas Cayres Cooperativa dos Cafeicultores da Região de gem, classificação e degustação, comercia-agricultores. Assim nasceu a Cooperativa Mista dos Agricultores beneficiamento, e um novo serviço foi oferecido aos associados: e Orlando Fogaça. Marília. Com a saída do até então presidente lização, viveiro de mudas de café, loja deda Zona de Marília, por iniciativa de 116 pioneiros, no dia 5 de a classificação do café. Orlando Fogaça, o engenheiro agrônomo insumos agrícolas e produtos veterinários,novembro de 1961. Quatro anos depois, em abril de 1966, instalou-se na Avenida François Guillaumon foi eleito. Foram ins- parceria com a Flora Paulista (viveiro de A primeira diretoria eleita era composta pelo presidente, Nelson Spielmann, 1367, onde permaneceu até 1983, prédio que taladas mais quatro filiais: Oscar Bressane mudas de eucalipto e mudas nativas), cam-Francisco Wilson de Almeida Pirajá, pelo diretor-secretário, José ainda é de propriedade da cooperativa. Mesmo com o cresci- (1983), Paraguaçu Paulista (1984), Lutécia po experimental, balança eletrônica de altaBaptista de Almeida Sobrinho, e pelo diretor-gerente, Natal San- mento, a Coopemar foi marcada por dificuldades administrativas (1986) e Assis (1987). E, ainda, Cooperativa precisão e posto de combustíveis.ches Cibantos. Como naquela época a cooperativa não possuía em sua primeira década, pois ainda era pequena e sua capaci-uma sede própria, ocupou, temporariamente, uma sala na Asso- dade de atender às expectativas dos associados era reduzida.ciação Rural de Marília. Em 1970, Wilson Pirajá precisou afastar-se da diretoria, então o28 Homenagem aos 116 pioneiros. Construção da sede. 29
  • 16. “Comemoramos ocinquentenário com muitagarra e equilíbrio, buscandocada vez mais oferecer apoioaos nossos cooperados esempre atentos às novas Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Marília Rodovia do Contorno, s/nº CEP 17505-200tecnologias. Não esmorecemos Fone: (PABX) (14) 3402-9200 - Fax: (14) 3402 - 9201 www.coopemar.com.br - E-mail: coopemar@coopemar.com.brdiante das dificuldades, poisabrimos novas frentes e fomosem busca do aprender pararepassarmos aos nossos (Esq./Dir.) Arquimedes de Grande, J. G. Castellon, Arnaldo Mendes, François Guillaumon E Orlando Fogaça.cooperados. Esperamos que o Muda de café resistente a nematoide: cia. Pior do que isso: além de constatarempróximo ano seja o da virada. a salvação das lavouras paulistas nematoides conhecidos, como Prathilen- nos anos 1970 chus brachiurus, Meloydogyne incognita,E que possamos colher os Preocupada em solucionar problemas Meloydogyne coffeicola e Meloydogyne como ferrugem nos cafezais e a infestação exigua, verificaram a presença de umafrutos desta árvore, que foi por nematoides, em 1973 a Coopemar nova espécie, até então desconhecida no Filial de Vera Cruz - SP Filial de Ocauçu - SPcultivada nestes cinquenta contratou o engenheiro agrônomo François Brasil, o Prathilenchus coffea. Rua Paulo Guerreiro Franco, nº 442. Rua Pedro Casagrande, nº 35. Regis Guillaumon, formado pela Escola “Comecei a levar tantas plantas infes- (14) 3492-3002/1766 (14) 3475-1257anos e hoje se encontra Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” tadas para os meus professores, Lordellofrondosa, que dela possamos (ESALQ), em Piracicaba, para dar asses- e Ailton Monteiro, no Departamento de soria técnica aos cooperados. Na época, Nematologia, que me indicaram ao Dr. Al-sentir orgulho por tudo que fez ele pesquisou quatro propriedades — as cides de Carvalho, do Instituto Agronômicoe fará pela agricultura do país”, fazendas Suissa, em Guaimbê; Primave- de Campinas. Ele nos enviou os técnicos ra, em Marília; União e Santa Terezinha, Wallace Gonçalves e Luiz Carlos Fazuoli erelata Guillaumon, presidente da coopera- ambas no Distrito de Padre Nóbrega — e começamos a montar experimentos para otiva há 28 anos. Também é presidente do decidiu fazer um teste definitivo, enviando controle do nematoide e mudas resistentes.Sincoagro – Sindicato das Cooperativas um cafeeiro doente com raiz e toda sua A partir daí, descobrimos uma variedadeAgropecuárias do Estado de São Paulo, pre- terra de um talhão da fazenda Primavera, do robusta resistente a nematoide. Nãosidente Associação Paulista de Recupera- para ser examinado na ESALQ. Segundo deixamos o café acabar. Portanto, aqui nas-ção e Preservação da Ecologia e vice-presi- os técnicos, a causa do definhamento do ceram a muda de café resistente a nema-dente da Femecap – Federação Meridional cafeeiro era umas das maiores infestações toide e, logo após, as mudas em tubetes”, Filial de Paraguaçu Paulista - SP Filial de Pompeia - SPde Cooperativas Agropecuárias LTDA. de nematoides de que já haviam tido notí- recorda o atual presidente da cooperativa. Avenida Siqueira Campos, nº 2582. Rua José de Aguiar Moraes, nº 314. (18) 3361-2235 (14) 3452-1499 Fotos: Paulo CansiniConselho Fiscal: (Esq./Dir.) – François Regis Guillaumon - Antonio Diretoria Executiva e Conselho Administrativo: (Esq./Dir.) – Edson Navarro -Carlos Franchini - Lúcio de Oliveira Lima Júnior - Antonio Carlos Diretor Superintendente: Sussumu Hojo - Carlos Roberto Albertoni - José GonzalezDalla’Antonia - Atemiro Caliani - Carlos Tadaioshi Miyahira - João Luiz Castellon - Antonio Segundo Quito - Adilson Aparecido Costa e Silva - Jorge Filial de Echaporã - SP Viveiro de mudas de café comuns Flora Paulista: cultivo de mudasMoron Lopes Saes. Shimabukuno - Presidente: François Regis Guillaumon - Diretor Administrativo: José Rua Geraldo Abreu Pinto, nº 51. e enxertadas das variedades (Obatã, de eucalipto e mais de 100 Jurandir Gimenez Marini. (18) 3356-1105 Mundo Novo, Catucaí, Catuai). espécies de árvores nativas.30 31
  • 17. Gr Gente da terra Gr Vitório pontello JÚnior REGIãO dE MARílIA jÁ NãO é A MAIOR PROdutORA dE MElANCIA dO EstAdO Vitório Pontello Júnior, produtor de Avencas desiste da cultura pela 2ª vez Melancia: uma das frutas sais minerais, como cálcio, fósforo 95,2 milhões de toneladas (China, mais exportadas do mundo e ferro. A pigmentação vermelha Turquia, Irã, Estados Unidos e Egito A região de Marília já culti- não cobriam os custos. Até 2003 a a melancia e continuarei com gado, Originária da África, a melancia da polpa é conferida pelo licopeno, representam mais de 82% da produ- vou dois mil hectares de melancia foi um bom negócio, mas café e amendoim”, diz o produtor. foi trazida ao Brasil por escravos e é um caroteno com elevada atividade ção mundial). melancia, com produção depois o preço caiu demais”, recorda. Uma melancia de 10 a 11 quilos vale cultivada principalmente nos estados antioxidante. Nas de polpa amarela, Os principais países importadores de mais de 60 mil tonela- Na última safra resolveu tentar de R$ 0,40 a R$ 0,50, o quilo. “Esse de Goiás, Bahia, Rio Grande do Sul a cor é conferida por betacaroteno são Estados Unidos, Canadá, Alema- das, liderando o cultivo no Estado de novamente, mas 2011 foi considerado preço compensa e dá um bom retorno, e São Paulo. Na década de 1990, a (pró-vitamina A) e xantofilas. nha, Polônia e França, que acumularam São Paulo. Só no distrito de Avencas, um ano difícil e, em virtude da falta para quem teve uma boa produção”, produção brasileira foi estimada em Atualmente, é uma das principais em 2004 mais de 49% das importa- localizado no município de Marília, já de chuvas, a produção de Vitório foi ressalva. 144 mil toneladas pelo IBGE (Instituto frutas em volume de produção mun- ções. Já os maiores exportadores são foram plantados mais de mil hectares muito baixa, chegando, no máximo, Vitório, que hoje vende sua produ- Brasileiro de Geografia e Estatística). dial e também está no rol dos dez México, Espanha, Hungria e Estados da fruta, o que elevou o distrito a um em 50 toneladas por alqueire. No Sítio ção para atravessadores de Ocauçu, já A melancia está entre os dez produtos hortifrutícolas mais expor- Unidos. As exportações brasileiras de dos maiores produtores de melancia Nossa Senhora Aparecida, que totaliza exportou para Argentina e Paraguai e primeiros lugares na lista das hor- tados, com um mercado estimado em melancia ainda são reduzidas, embora do país. Mas, nos últimos dois anos, 55 alqueires, apenas três foram desti- também representou os produtores de taliças comercializadas no mercado mais de 1,7 milhão de toneladas por na última década tenha se registrado devido aos preços baixos no mercado, nados à produção da fruta. No restante melancia em tempos que foram consi- brasileiro. É uma das frutas mais ricas ano. De acordo com dados da FAO uma significativa tendência de cresci- a produção caiu cerca de 90%, ocu- da propriedade, bem como em outras, derados por ele a “época de ouro” da em vitaminas no Brasil, tendo na sua (Food and Agriculture Organization), mento, com as exportações passando pando pouco mais de 40 hectares. As Vitório cultiva café, amendoim e cria fruta, de 1998 a 2008. Foi presidente da composição alto teor de água (90%), em 2006, a produção mundial de de 6,1 mil toneladas, em 1995, para expectativas eram de que em 2011 a gado de corte e leite. E aposta na di- APRAM (Associação dos Produtores açúcar, vitaminas do complexo B e melancia foi de aproximadamente 16,1 mil toneladas em 2004. situação melhorasse, porém alguns versificação, já que a safra da melancia Rurais de Avencas e Marília) de 2000 agricultores da região não alcançaram não foi boa. até 2008. “Foi muito bom, pois éramos resultados satisfatórios. No dia 26 de “Eu recomecei com a esperança unidos e comercializávamos direta- novembro — Dia da Melancia — o de acertar. Infelizmente, ficou difícil, mente com grandes mercados do produtor Vitório Pontello Júnior não pois estou com apenas três funcio- Estado. Só não seguramos os clientes, teve muito que comemorar. nários e precisa-se de muita mão pois eles queriam a fruta durante o ano anÚncio Vitório começou a plantar me- de obra, que hoje está escassa. E a todo e nós tínhamos produção apenas lancia em 1986 e parou em 2005 por melancia também é uma cultura de nos meses de outubro e novembro R. Sebastião Braz de Oliveira, 304 – Marília – SP causa da queda dos preços e dos muito risco. Neste ano, por exemplo, e, depois, na safrinha, nos meses de Fone/Fax: (14) 3413-1190 – Cel: 9703-6033 consequentes prejuízos. “Com a dimi- ainda faltou chuva e eu já nem tenho março e abril. Para nós ficou difícil e (1/4) pÁG i na e-mail: esmgenetica@terra.com.brJan ei ro · 2 0 1 2 J ane ir o · 2 0 1 2 nuição da produção e preços baixos, o mais irrigação, e a fruta precisa de passamos a vender para atravessado- trabalho ficou inviável, pois os lucros muita água. No ano que vem deixarei res”, lembra.32 Giro Rural Giro Rural 33
  • 18. Gr Giro literário www.aGroliVros.coM.br CONFINAMENtO dE bOVINOs dE CORtE MICRObIOlOGIA dE AlIMENtOs editora: nobel editora: artmed ano: 0 ano: 2005 edição: 3 edição: 6 isbn: 8521304897 isbn: 85-363-0507-x páginas: 124 páginas: 712 acabamento: brochura acabamento: brochura formato: Médio formato: Grande dirigida a estudantes de zootecnia, técnicos e criadores, esta obra traz todas as Microbiologia de alimentos focaliza a biologia geral dos microrganismos que são informações necessárias para o incremento da produtividade do gado bovino por meio encontrados nos alimentos, explorando os elementos fundamentais que afetam de instalações simples e práticas. O autor fornece todas as informações necessárias sua presença, sua atividade e seu controle. Esta nova edição inclui capítulos sobre ao incremento da produtividade do gado bovino. Mostra como utilizar instalações e preservação de alimentos em atmosferas modificadas alta pressão e campo elétrico alimentos, selecionar os animais e ainda como administrar os custos de produção. pulsado biologia e metodologia de controle dos patógenos alimentares MANuAl dE AudItORIA AMbIENtAl MANuAl dE PAstAGEM – FORMAçãO MANEjO E RECuPERAçãO editora: qualitymark ano: 2011 editora: aprenda fácil edição: 3 ano: 2006 isbn: 978-85-7303-993-1 edição: 1 páginas: 136 isbn: 85-7630-028-1 acabamento: brochura páginas: 302 formato: Grande acabamento: brochura formato: Médio Com o objetivo de familiarizar os leitores com o conceito de Auditoria Ambiental e sua evolução, foi lançada a terceira edição revista e ampliada do Manual de Auditoria Este livro é direcionado ao empresário rural, estudante ou, mesmo, ao apaixonado Ambiental. Com a coordenação de Emilio lèbre la Rovere - vencedor do prêmio Nobel por forrageiras. Ele ensina “como produzir mais, com melhor qualidade e, ainda, da Paz, em 2007, junto de Al Gore - a obra fornece, também, o instrumental básico com um custo compatível aos padrões internacionais”. Em outras palavras, ensina, para a realização de uma auditoria deste tipo para qualquer atividade econômica “como fazer” para se obter uma pastagem de qualidade e que não se degrade. que resulte em impactos ao meio-ambiente. Estas técnicas apresentam tentativas O autor procurou, juntamente com os co-autores, transmitir as informações da de avaliar valores e limites das perturbações que, uma vez excedidos, resultam em forma mais simples possível, para que todos tenham condições de entendê-las, recuperação demorada do ecossistema, de modo a maximizar a retomada de seus assimilando-as e aplicando as tecnologias descritas. recursos, assegurando uma produtividade prolongada e de longo prazo. A auditoria Aqui você encontrará diversos assuntos relativos à Pastagem, como: a pecuária de ambiental é um instrumento usado por empresas para auxiliá-las a controlar o corte e de leite no brasil; a necessidade do conhecimento da propriedade (solo, atendimento a políticas, práticas, procedimentos e/ou requisitos estipulados com água etc.); o que é mais interessante: formar ou reformar a pastagem?; diversas o objetivo de evitar a degradação ambiental. Ela teve início nos Estados unidos, na gramíneas existentes e o que plantar; tipos de leguminosas; plantio (implementos, década de 1970, quando as empresas começaram a se preocupar com o crescente condições, tipos de sementes etc.); manejo adequado; manejo de plantas daninhas rigor da legislação ambiental e com a ocorrência de acidentes ecológicos de grande em pastagens; comportamento e necessidades dos animais no pasto; intensificação porte. Além da preocupação com a conformidade legal de suas atividades, essas da pecuária; nutrição e adubação de pastagens forrageiras; suplementação (silagem, organizações estavam atentas em identificar os potenciais riscos à saúde pública, cana-de-açúcar e capineiras); usuais pragas das pastagens; e integração do meio gerados pelo processo produtivo ou pela prestação de serviços. ambiente com a propriedade rural.• PISCINA AQUECIDA • PROFESSORES FORMADOS (14) 3422-1858 AV. BRASIL, 268 – CENTRO• ADULTOS E CRIANÇAS • 3ª IDADE E GESTANTES MARÍLIA – SP
  • 19. UM DOS MAIORES E MAIS MODERNOS PARQUES GRÁFICOS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Ao equacionar qualidade, originalidade, profissionalismo, orçamentos justos, credibilidade e alta tecnologia, a IMPRESS GRÁFICA E EDITORA conceitua sua excelência em prestação de serviços gráficos nos segmentos editoriais e promocionais.IMPRESSÃO COM PERSONALIDADE POSSUI MARCA REGISTRADA. A NOSSA ! LAMINAÇÃO BOPP - PLASTIFICAÇÃO - RELEVO - VERNIZ ULTRAVIOLETA - HOT-STAMPING MATERIAIS INSTITUCIONAIS FACAS ESPECIAIS - COSTURA DE MIOLO DE LIVROS - PRODUÇÃO DE ARAME EM ESPIRAL COLOCAÇÃO DOS ESPIRAIS COLOCAÇÃO DE ANEL DUPLO (WIRE-O) - FURAÇÃOMATERIAIS PROMOCIONAIS / PDV GRAMPEADEIRA AUTOMÁTICA PARA REVISTAS E CATÁLOGOS - LOMBADA QUADRADA (HOTMELT) - ALCEADEIRA PARA MIOLO DE LIVROS - DOBRADEIRA COM POSSIBILIDADES DE MATERIAIS EDITORIAIS MÚLTIPLAS DOBRAS - CORTE E VINCO - PRENSADORA DE MIOLO DE LIVROS. (18) 3908-3444 - (18) 3908-8134 Gráficas tercerizem conosco. Rua Vicente Mele, 141Orçamento sem compromisso pelo e-mail: CEP 19064-200 orcamento@graficaimpress.com.br Pres. Prudente - SP WWW.GRAFICAIMPRESS.COM.BR