Revista giro rura 2ª edição

972 views

Published on

Published in: Travel, Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
972
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista giro rura 2ª edição

  1. 1. AS MELHORES OPORTUNIDADES EM PROPRIEDADES RURAIS ESTÃO NA IMOBILIÁRIA: CONFIRA CLASSIFICADOS NA PÁGINA 27  p a u l i s t aGiroRURAL ENTREVISTA Entrevista exclusiva com o secretário de agricultura de Marília, SP  PÁGINA 16 45ª FAPI A maior feira de portões abertos do país  PÁGINA 24 REFloRESTAmENTo Uma boa alternativa o e s t e ambiental e financeira  PÁGINA 34 c e n t r oANO 1 · N O 2 · julhO/AgOstO 2011 R$ 6,90 seleção de gado de elite UbAldo oléA, gRANdE jUIz dA AbCz, Com SUA PERSPICáCIA E ExPERIêNCIA FAlA SobRE Como AVAlIAR A qUAlIdAdE E VIdA ESSÊNCIA TE REPRodUTIVA doS ANImAIS, APENAS Com Um olhAR ATENTo E TREINAdo. GUADALUPE  PÁGINA 12
  2. 2. Gr Editorial OBRIGADO! sÓ teMos a aGraDecer aos leitores e eMpresÁrios Do centro oeste paulista C om muita alegria publicamos a segunda edição da nossa revista. Muito satisfeitos com a receptividade e confiança dos leitores do Centro Oeste Paulista, dos nossos anunciantes e parceiros. Por isso, gostaríamos de agradecer a vocês, que estão colabo- rando para manter vivo o nosso sonho de levar informações relevantes ao UM DOS MAIORES E MAIS MODERNOS PARQUES GRÁFICOS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Nossos parceiros nesta edição homem do campo da região. Para este segundo exemplar preparamos com muito carinho matérias Ao equacionar qualidade, originalidade, nacionais e regionais interessantes, gostosas de ler e indispensáveis para lhe profissionalismo, orçamentos justos, credibilidade e alta tecnologia, a manter bem informado. Trouxemos uma entrevista exclusiva com o secre- IMPRESS GRÁFICA E EDITORA conceitua sua excelência em tário da agricultura de Marília, Paulo Roberto de Oliveira Júnior, revelando prestação de serviços gráficos nos segmentos editoriais e promocionais. projetos, entraves e expectativas para o agronegócio regional. Na seção “Gente da Terra”, contamos a história da família do Sr Ovídio Oliveira, que mantém há mais de cinquenta anos uma propriedade de produção leiteira no distrito de Avencas. Já na seção “Giro Equestre”, res- A aceitação de madeira de eucalipto tratada na um custo muito inferior à madeira de origem nativa saltamos a formação e fortalecimento de um núcleo regional da raça quarto construção civil está cada vez mais alta nas apli- considerando a distância em que é encontrada.IMPRESSÃO COM PERSONALIDADE POSSUI residências de médio e alto padrão,NOSSA ! Portanto, para um ótimo resultado na cações em MARCA REGISTRADA. A como também em construções de hotéis, resorts, restau- execução dos mais variados projetos, de milha na região, e para isso fomos conversar com João Maciel, que nos rantes, bares, quiosques de praia, decorações de jardins, contribuir com a preservação do portões e muitos outros. O aumento do interesse ocorre meio ambiente, gerar incremento LAMINAÇÃO BOPP - PLASTIFICAÇÃO - RELEVO - VERNIZ ULTRAVIOLETA - HOT-STAMPING MATERIAIS INSTITUCIONAIS pela qualidade e -durabilidade desta madeira, podendo EM ESPIRAL economia local e ainda econo- FACAS ESPECIAIS COSTURA DE MIOLO DE LIVROS - PRODUÇÃO DE ARAME da apresentou o seu haras, Paraíso, localizado em Pompeia. ser encontrada serrada, beneficiada eDE ANEL DUPLO (WIRE-O) - FURAÇÃO mizar dinheiro, a melhor opção COLOCAÇÃO DOS ESPIRAIS COLOCAÇÃO tratada como MATERIAIS PROMOCIONAIS / PDV pranchas, vigas, caibros, ripas e decks.CATÁLOGOS - constru-QUADRADA ultilizar madeira de GRAMPEADEIRA AUTOMÁTICA PARA REVISTAS E Além da LOMBADA é ção civil, a madeira tratada também tem seu espaço em (HOTMELT) - ALCEADEIRA PARA MIOLO DE LIVROS - DOBRADEIRA COM POSSIBILIDADESeucalipto tra- DE MATERIAIS EDITORIAIS redes elétricas, na utilização de postes, e ainda, em subs- tada. A revista Giro Rural presta uma homenagem ao Sr Ubaldo Oléa, grande MÚLTIPLAS DOBRAS - CORTE E VINCO - PRENSADORA DE MIOLO DE LIVROS. tituição de cruzetas de madeira nativa e de concreto. Toda a matéria-prima vem de reflorestamentos, sem explorar as florestas tropicais e gerando economia para Gráficas tercerizem conosco.Orçamento sem compromisso pelo e-mail: os(18) 3908-3444 - (18) 3908-8134 produtores rurais que já encontraram no eu- Rua Vicente Mele, 141 calipto uma cultura altamente rentável e de juiz da ABCZ, que marcou a história de seleção de gado de elite, não só CEP 19064-200 baixa manutenção, podendo ser cultivado no Brasil, mas na América Latina. Com sua perspicácia e experiência em orcamento@graficaimpress.com.br Pres. Prudente - SP nos mais diversos solos e terrenos. WWW.GRAFICAIMPRESS.COM.BR Hoje, é possível encontrar madei- ra tratada de qualidade em todo do país, o que a torna um produto com avaliar a qualidade e vida reprodutiva dos animais, apenas com um olhar atento e treinado. Boa leitura! LAZARINI J ulh o /ag o s t o · 2 0 1 1 A sua colaboração terá um imenso valor para que consigamos melhorar sempre, portanto colabore conosco enviando sugestões, críticas e elogios para o e-mail revistagirorural@gmail.com. 4 Giro Rural
  3. 3. Gr Sumário Especial Gr 12 CAPA Ubaldo Oléa, grande juiz da ABCZ, com sua perspicácia e experiência fala sobre como avaliar a qualidade e vida reprodutiva dos animais, apenas com um olhar atento e treinado. 8 Giro notas 26 Sustentabilidade 360º de notícias do agronegócio Agricultura brasileira é sustentável Dilma Rousseff 10 Agricultura País ruma à liderança mundial na 28 Gente da terra produção de alimentos Ovídio de Oliveira, produção leiteira. 14 Nelore de Elite 30 Giro esquestre Haras Paraíso Essência Te Guadalupe 16 Entrevista 32 Controle biológico Veterinário Jayme de Toledo Piza Secretário de Agricultura e Abastecimento de Marília 34 Meio Ambiente Reflorestamento um negócio promissor 22 Encontro de cafeicultores Café colheita com qualidade 36 Etanol Uma Grande Riqueza Nacional 24 Evento 45ª Fapi 38 Giro Literário Editor: Luiz Felippe Nogueira | Diretora Administrativa: Laura Whiteman | Diretora de Jornalismo: Cristiane Mattar – MTB62481/SP Diretor de Arte: Gustavo Prado Ramos | Design grafico: Mauricio W. Santos | Fotografia: Karina Bertaco Revisão: Lívia Figueiredo de Carvalho | Representação Comercial: Amaury Girardi | Impressão: Gráfica Impress | Tiragem: 3 mil Circulação Regional: Centro Oeste Paulista | Distribuição dirigida: postada pelos correios aos produtores rurais do Centro Oeste Paulista Pontos de distribuição: a disposição nas empresas anunciantes | A venda nas principais bancas de revistas da região centro oeste paulista.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 Solicite reimpressões editoriais das melhores reportagens da Giro Rural – C.O.P. com a capa da edição. “Os artigos assinados não emitem, necessariamente, a opinião da Giro Rural – C.O.P. Publicação Mensal. Todos anúncios, imagens e artigos revistagirorural@gmail.com.br publicados e assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores.” (14) 3221-0342 AG RON EGÓCIO, I N FOR MAÇÕE S E OP ORTU N I DADE S. AN U NCI E E BON S N EGÓCIOS! 6 Giro Rural Giro Rural 7
  4. 4. Gr Giro notas 360º De notÍcias Do aGroneGÓcio SACARIAS VERA CRUZ milho laranja soja SACARIAS NOVAS E USADAS BENEFÍCIO DE CAFÉ LONAS CORDAS ARAME PARA CERCAS MAGUEIRAS PENEIRA PARA CAFÉ IGC prevê produção mundial Safra paulista terá alta Abiove prevê aumento na produção VASADEIRAS recorde para o milho em 2011/12 considerável na safra 2011/2012 brasileira de soja Segundo as previsões deve ser mais discreto e Boa notícia para os citri- uma larga vantagem em Devido ao clima favorável para ante 26,9, último número divulgado FERRAMENTAS EM GERAL do Conselho Internacional de Grãos (IGC), divulgadas gira em torno de 3% frente ao ano safra 2010/11, isso cultores do estado São Pau- lo, responsável por cerca de relação aos outros estados. De acordo com a Faesp, o cultivo da soja em todo o país, a Abiove (Associação Brasileira das pela Abiove. A boa notícia chega para animar anÚncio no final do mês de abril, a produção mundial de milho ocorre devido aos preços elevados, segundo o IGC. 77% da produção nacional da laranja, a safra paulista a Federação da Agricultura do Estado de São Paulo, Indústrias de Óleos Vegetais) ele- vou sua estimativa para a produção os produtores, que mantêm grandes expectativas para a safra 2011/2012 sacar ia deve atingir um recorde de O Conselho estima que deve ser 20% maior do que cerca de 80% dos produ- brasileira do grão, neste ano, de e sentem-se mais seguros de que 847 milhões de toneladas o aumento do consumo a de 2010. tores de laranja do estado 70,1 para 71,1 milhões de toneladas. estas serão atendidas. Além disso, as no ano safra 2011/12, um seja contido em até 1,3% A produção da fruta fecharam contratos anteci- A previsão para as exportações, perspectivas são muito boas para a aumento de aproximada- em função do baixo nível vem deixando os agricul- pado, as caixas atingiram assim como para produção de farelo próxima safra, que deverá ser ainda mente 5% na comparação das reservas mundiais, tores cada vez mais con- um preço de R$ 12,00 a R$ de soja, também foi elevada. No melhor, segundo Fábio Trigueirinho, anual. Mas o reduzido es- mesmo com o provável tentes. Além disso, o estado 15,00, sendo que o valor caso das exportações, a expecta- secretário-geral da associação, isso toque mundial deve limitar crescimento da produção de São Paulo está se consa- de custo é de aproximada- tiva de crescimento é de 24 para se deve aos produtores, que certa- o crescimento da demanda. global. As ofertas totais grando cada vez mais como mente R$ 9,00, o que está 32,4 milhões de toneladas. Já na mente estarão mais preparados para Já em relação ao plantio de milho devem cair 0,8% o maior produtor, conquis- deixando os produtores produção de farelo, estima-se o o plantio e possivelmente consegui- mundial do grão, o aumento nesta temporada. tando espaço e mantendo muito satisfeitos. valor de 27,3 milhões de toneladas, rão aumentar a área plantada. Cartas espaço Do leitor Faço votos que a “Giro” seja uma grande ferramenta de divulgação de nossa região. Material de qualidade, a região é promissora, o público alvo é carente de um veículo regional claro e que fale sobre as coisas de seu dia-a-dia. Chega em um momento importante, hora de mostrar a cara e ver o potencial anÚncio do ‘Centro Oeste Paulista’ mostrar sua força, seus valores, seus personagens: falar de nós pra nós mesmos! Assim, a “Giro” se (1/4) pÁG i na torna o ‘nosso 1º veículo de agronegócio’ e torcemos por seu sucesso!Cordial abraço! AV. CEL. ALFREDO DE OLiVEiRA - 28 AGiro rural Giro rural Eng. Agr. José Tonon Junior CENTRO :: VERA CRUZ– SP Gerente de Comunicação - Máquinas Agrícolas Jacto S/A’ FONES: (14) 3492-3272 / 9112-5647 / 8100-0810 8 abril · 2011 sacariasveracurz@hotmail.com 16 abril · 2011
  5. 5. Gr paÍs ruMa à LIDERANçA MUNDIAL na proDução De aliMentos Wagner Rossi diz que projeções da agricultura mostram país pronto para enfrentar o desafio mundial da fome O ministro da Agricultura, Pecuária e Brasil, nos próximos anos, continuará a Abastecimento, Wagner Rossi, apresen- marchar firmemente em direção a essa tou em meados de junho, as estimativas meta, de se tornar o maior agente no para o agronegócio brasileiro na próxi- mercado internacional de alimentos”, ma década. Os números mostram que disse. o Brasil está pronto para contribuir no O país é líder mundial em produtos grande desafio da economia mundial, como carne de frango e de boi, além de que é enfrentar a fome. manter o primeiro lugar na produção “Os organismos internacionais de açúcar, café e suco de laranja. Outro têm levantado a existência de uma produto tradicional, o algodão, deve ter o população de 1 bilhão de pessoas que maior incremento na produção (47,84%) ainda passam fome”, observou Wagner e nas exportações (68,4%) na próxima Rossi, no lançamento das Projeções do década. Agronegócio 2010/2011 a 2020/2021. As estimativas mostram ainda grande Elaborado pela Assessoria de Gestão potencial na celulose e no leite. “Temos Estratégica (AGE) do Ministério, em uma janela de oportunidade muito signi- conjunto com a Empresa Brasileira ficativa nos lácteos, já que os países que de Pesquisa Agropecuária (Embra- têm protagonismo na produção estão pa), o estudo mostra que a produção no seu limite”, observou Wagner Rossi. agropecuária do país deve crescer A confiança do ministro na força da 23%, em volume, com incorporação agricultura brasileira decorre da utiliza- de 9,5% de novas áreas cultivadas ção intensiva de tecnologia e da situação no período. do mercado internacional nos próximos “O Brasil tem potencial para se anos. O cenário é de uma demanda maior tornar o maior fornecedor de pro- por alimentos e em expansão, graças às teína animal e vegetal do mundo”, mudanças no perfil econômico dos paí- destacou Wagner Rossi. Ele ressal- ses, especialmente os emergentes, que tou que os dados apresentados são antes tinham menos acesso à alimentação, conservadores. Atualmente, o Brasil sobretudo ao consumo de proteína. é o segundo maior fornecedor no Ele destacou a importância das mercado internacional de alimen- projeções para orientar a alocação dosJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 tos, mas, segundo as projeções, se recursos naturais, humanos e financeiros aproximará cada vez mais dos Esta- disponíveis da melhor maneira. dos Unidos, que detém a liderança. Texto cedido por Ministério da “Esta radiografia mostra que o Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Shutte rstock /c. 10
  6. 6. Gr Capa Gr nelore De elite UBALDO OLéA, constatou que esta não poderia mais INFERTILIDADE: reproduzir, devido à idade avançada. Para detectar fêmeas subférteis, que são aquelas que produzem um Mas na ficha do locutor os dados não bezerro a cada dois ou três anos, quando o ideal seria uma prenhez por ano, conferiam essa informação. Após afir- 13 pontos devem ser observados: mar confiar no que estava revelando, o Dono De uM olhar infalÍvel 1. Colo: nas subférteis o pescoço 8. Músculos: são de formato ar- alguns organizadores foram verificar é grosso e largo; redondado. Por trás a aparência a procedência do animal e puderam 2. Cabeça: as subférteis possuem é masculina, semelhantes aos confirmar que a ficha estava realmente cabeça masculinizada e mandí- machos da espécie. equivocada e que a vaca já possuía bula pesada; 7. Gordura: aparecem maneios cerca de 6 anos, idade já não adequa- 3. Peito: Em fêmeas subférteis a de gorduras isolados por todo o da para a reprodução. Quando ficou massa do peito é de tamanho corpo. São mais aparentes entre constatado que ele realmente havia maior que o normal, crescendo as escápulas, adiante do úbere, na acertado, a plateia que assistia ao para frente e para baixo; anca, no cupim e abaixo da vulva; julgamento veio à loucura, encantados, 4. Pelo: fica arrepiado. No lombo o 9. Vulva: pequena com orifício todos vibravam com aquele senhor redemoinho de pelos está sem- vaginal deslocado e de difícil que apenas ao observar externamente pre espetado e, tanto no cupim acesso durante a monta. Acú- o animal, não havia cometido erro quanto na paleta, eles crescem mulo de gordura entre as coxas; algum. Ao contar esta história, seu em sentido contrário; 10. Postura: crescimento exagerado sorriso transparecia todo o orgulho 5. Dianteiro: crescimento despro- das patas dianteiras. Parte do osso e alívio que, provavelmente, sentiu porcional da parte dianteira. Cos- se desenvolve mais, provocando naquele momento. tuma-se dizer que a vaca está, desequilíbrio estético e físico; Durante os anos trabalhados como nesse caso, começando a perder 11. Tamanho: gigantismo. As vacas juiz da ABCZ (Associação Brasileira suas características femininas. subférteis, ou com tendência, dos Criadores de Zebu), recorda-se 6. Cauda: nas vacas férteis ela são enormes e pesadas. As de haver tirado o título de uma vaca cai perpendicularmente. Nas férteis são magras, com os os- para dar a outra nos últimos minutos, subférteis ela desce acompa- sos traseiros aparecendo sob o quando tudo já parecia estar certo. Ao nhando a forma arredondada couro; anunciarem o resultado, ele se mani- do traseiro; 13. Chifres: Fêmeas que se torna- festou afirmando que a vencedora 12. Úbere: quase imperceptível. As ram inferteiz possuem chifres deveria ser a outra vaca, já que a que tetas estão recolhidas; lisos, porcelanizados. Ubaldo oléa, inesquecível juiz da AbCZ Cerimônia de posse de Ubaldo na Diretoria da Divisão Regional estava levando o mérito havia sofrido Agrícola de Marília. Na foto acima, da esquerda para a direita é o um aborto e não poderia mais repro- segundo, ao alto. Abaixo é o terceiro da esquerda para a direita AboRTo: duzir. Todos ficaram em choque, mas Q Peito: uma vaca que já sofreu aborto traz saliente sob a pele do peito uem vê a simplicidade e o estado de São Paulo em produção de apresentar. Após participar, em 1982, mais uma vez ficou constatado que o uma pelota do tamanho de uma bola de pingue-pongue. Para cada jeito humilde de Sr Ubal- gado de corte. Confiava que a exposi- de um curso com o americano J. C. seu olhar não costumava falhar, muito gestação mal sucedida, uma nova marca é criada. do Oléa, nem imagina que ção traria à cidade maior visibilidade Bosman, na cidade de Barretos, e ser perspicaz conseguia averiguar dados Chifres: podem apresentar anéis em baixo relevo, significando abortos este já foi um dos, se não o me- e movimentaria o setor, aumentando um dos poucos a concluí-lo, Ubaldo por meio, principalmente, dos chifres, ou estresse. lhor, juiz de gado de elite que este as chances de alcançar o objetivo. aprendeu a treinar o seu olhar para da maçã do peito e do cupim. Brasil já teve. Durante mais de 40 Convidado para ser presidente de diversas características que deveria Até hoje, sente-se orgulhoso e FERTILIDADE: anos, dedicou a vida em realizar honra da Nova Examar, sentiu-se or- levar em conta nas suas avaliações. apaixonado pelo trabalho que realizou Fêmeas: o chifre de parideiras tem osso lascado, mal acabado e apre- análises e avaliações da qualidade gulhoso e contente, acreditando que Porém, com os anos de experiência, e afirma que tentou passar os seus senta um anel em alto relevo para cada cria bem-sucedida. dos valiosos animais, mundo afora. os muitos esforços de anos atrás não ele aumentou de 5 para 13 os pontos conhecimentos adiante e que está Macho: A percepção da fertilidade nos machos é menos complicada. Com muitas boas histórias para serão desperdiçados, nem tão pouco a serem observados e, por meio de confiante de que alguns de seus alunos É possível detectar um touro fértil analisando sua postura. Estes andam contar, foi em parceria com um pe- ficarão apenas na memória e história análise minuciosa de cada um deles, também se destacarão nos julgamen- com a cabeça erguida e a libido se manifesta sempre que está preso e queno grupo de pecuaristas, um dos da cidade. conseguia relatar, sem erros, a vida tos, utilizando apenas um dom, o olhar. vê uma fêmea passar do outro lado da cerca. A pelagem também é ca- fundadores da Examar, há mais de Com uma invejável vocação, pro- reprodutiva da vaca. Oléa deixou algumas valiosas di- racterística, os machos bons de cobertura apresentam pelos escuros na paleta. Outro fator a ser considerado para qualificar a fertilidade do boi éJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 vinte anos. Acreditavam no potencial vou frente a multidões possuir um Lembra-se de uma viagem para cas para que os leitores da Giro Rural de Marília para o agronegócio e na olhar infalível, que não deixava passar a Venezuela, onde após realizar a não cometam erros na hora da aqui- através da medida da circunferência escrotal do testículo esquerdo, que possibilidade de torná-la a primeira do qualquer defeito que o animal pudesse avaliação da fêmea, a última da noite, sição de um bom gado. Veja ao lado. deve ser de aproximadamente 35 centímetros, aos 18 meses de idade. 12 Giro Rural Giro Rural 13
  7. 7. Gr Capa Gr nelore De elite PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS RACIAIS DO NELORE DE ELITE Animais Nelore apresentam estado geral sadio e vigoroso. A ossatura é leve, robusta e forte, com muscula- Nos machos, o pescoço é muscu- loso e com implantação harmoniosa ao tronco. Nas fêmeas, é delicado. A essÊncia te GuaDalupe tura compacta e bem distribuída. A barbela começa debaixo do maxilar masculinidade e a feminilidade são inferior e se estende até o umbigo, acentuadas. sendo mais abundante e pregueada Apresentam pelagem branca ou nos machos. O peito dos animais é cinza-clara, sendo que os machos largo e com boa cobertura muscular. apresentam o pescoço e o cupim Nos machos, o cupim deve ser normalmente mais escuros. A pele é bem desenvolvido, apoiando-se so- preta ou escura, solta, fina, flexível, bre o cernelha, Nas fêmeas, deve ser macia e oleosa. Os pêlos são claros, reduzido. curtos, densos e medulados. A região dorso-lombar é larga e A cabeça tem formato de ataúde, reta, levemente inclinada, tendendo com a cara estreita, arcadas orbitárias para a horizontal, harmoniosamente não salientes e perfil ligeiramente con- ligada à garupa com boa cobertura vexo. A fronte é descarnada, apresen- muscular. tando uma linha média no crânio, no O Nelore possui ancas bem afas- sentido longitudinal, uma depressão tadas e no mesmo nível. A garupa é alongada (goteira). comprida, larga, ligeiramente inclina- O Chanfro é reto, largo e proporcio- da, no mesmo nível e unida ao lombo, nal nos machos. Nas fêmeas, é estreito sem saliências ou depressões e com e delicado. O focinho preto e largo, com boa cobertura de gordura. Sacro não as narinas dilatadas e bem afastadas, saliente, no mesmo nível das ancas. é outra característica da raça. A boca A cauda é inserida harmoniosa- tem abertura média e lábios firmes. mente, estendendo-se até os jarretes e As orelhas do nelore são curtas, vassoura preta. O tórax é amplo, largo com boa simetria entre as bordas e profundo. As costelas são compridas superior e inferior, terminando em e largas, bem arqueadas, afastadas e ponta de lança, e a face interna do com espaços intercostais revestidas de pavilhão deve ser voltada para a frente músculos e sem depressão atrás das e apresentar movimentação. espáduas. O umbigo deve ser propor- A raça pode ser dividida em cional ao desenvolvimento do animal. animais que apresentam chifres e Membros anteriores e posterio- mochos. Os chifres são de cor escura, res devem apresentar comprimento firmes, curtos de forma cônica, mais grossos na base, achatados e de seção médio, com ossatura forte e músculos bem desenvolvidos. As coxas e per- ximação dos bezerros. A vulva deve Uma verdadeira campeã que produz campeãs. oval, de superfície rugosa e estrias lon- nas são largas, com boa cobertura possuir conformação e desenvolvi- A Essência TE Guadalupe foi a Além de ser campeã nacional cional de preço no leilão Elo de gitudinais. Nascem para cima, acom- muscular, descendo até os jarretes, mento normais. primeira grande campeã do plantel em Uberaba em 2001, Essência Raça de 2006) e super campeã panhando o perfil, bem implantados com calotes bem pronunciados. As Os machos devem possuir a bolsa da Unimar. Filha de Hierarca, outra também tem em seu "currículo" nas pistas. na linha da marrafa, assemelhando-se pernas devem ser bem aprumadas e escrotal fina e bem pigmentada, com grande campeã, Essência, em o fato de ser mãe de Elegance I Recordista nacional de ven- a dois paus fincados simetricamente afastadas. Os cascos devem ser pretos os dois testículos bem desenvolvidos. 2001, no envento Elo de Raça, foi (reservada campeã bezerra em da de prenhezes. Reser vadaJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 no crânio. Com o crescimento, po- e bem conformados. A bainha deve ser proporcional ao considerada um dos animais mais Uberaba 2003), mãe de Elegance Campeã Nacional Progênie de dem dirigir-se para fora, para trás e As fêmeas devem ter o úbere de desenvolvimento do animal e bem valorizados do país, tendo sido ad- II (campeã nacional de 2006), Mãe/06, medalha de ouro melhor para cima, ou curvando-se para trás volume pequeno, com o formato das direcionada. O prepúcio deve ser quirida pela universidade paulista. mãe de Dália M4 (recordista na- matriz ranking ACNB/06. e para baixo. tetas de maneira que facilite a apro- recolhido. Fonte: ACNB Associação dos Criadores de Nelore do Brasil 14 Giro Rural Giro Rural 15
  8. 8. Gr Entrevista Nome da seção Gr paulo roberto De oliveira JÚnior nonononono nonono nononononono secretÁrio De aGricultura e nonononononono nonono nononono abasteciMento De MarÍlia-sp D esde criança é acostumado a respirar os ares do campo e aproveitar todas as maravilhas que a vida na fazenda tem a oferecer. Nascido em Oswaldo Cruz, nas proximidades de Marília, Paulo Roberto acompanhava de perto, ainda pequeno, a lida com o gado de corte na propriedade da família. Aos 17 anos, quando estava se decidindo por cursar veterinária, foi conhecer a dinâmica agrária do Centro Oeste brasileiro, encantou- se com a lavoura e retornou ao estado de São Paulo com a certeza de que cursaria a faculdade de agronomia, para assim ampliar seus conhecimentos na área rural, que sempre foi sua paixão. Após concluir a faculdade em Marília, foi convidado para trabalhar na Unimar e desde o ano de 2000, gerencia e dirige não só a fazenda experimental de gado de leite, a mesma onde realizou seu estágio obrigatório, como as demais fazendas da universidade. Após anos de experiência e uma vida profissional admirável, foi convidado pelo prefeito Mário Bulgareli para assumir o cargo de secretário de agricultura de Marília, papel que desempenha desde janeiro de 2011. Para conhecer as perspectivas do agronegócio para a cidade e região, a revista Giro Rural conversou com aquele que organiza e administra projetos e melhorias voltados ao homem do campo. Secretário de Agricultura e Abastecimento de Marília anÚncio Paulo Roberto de oliveira Júnior faz uma análise do (1) pÁG i na mercado e revela seus projetos e expectativas Qual a contribuição da agro- dutores que temos total condição de surgiu o interesse do Márcio Mesquita pecuária para o crescimento melhorar e aumentar o crescimento Serva, reitor da Unimar, em clonar as do PIB do agronegócio aqui na região. vacas Essência e Página, duas gran- e desenvolvimento regional? des campeãs da universidade, desde A história com cavalos vem da minFundamental. Marília, assim como Dentre as universidades pri- então estamos acompanhando as pes- a grande maioria das cidades do vadas, a Unimar é a pioneira quisas e conferindo os resultados. No interior do estado de SP construiu-se , em trazer a clonagem para o ano passado nasceram sete bezerras, em cima do agronegócio, principal- seu plantel, o Sr acompanhou cópias genéticas de Essência. Agora mente do café, amendoim e algodão, essa realização? Poderia nos estamos colhendo o material de que tivemos muito aqui no passado. contar como decorreu esse outras doadoras que serão subme- Atualmente, cerca de 30% do que se processo? tidas ao processo de clonagem. Este Por volta de três anos atrás co- ano estamos inserindo os alunos no movimenta na cidade de Marília vem meçou-se a falar muito de clones, contato com esses animais clonados, do campo. Hoje temos dez mil pesso- principalmente clonagem de nelore, e o início desse processo se deu com as morando em áreas rurais, fora isso, quem começou com esse trabalho foi uma palestra Dr. Rodolfo na universi- muitas mais envolvidas com o campo. o doutor Rodolfo Rumpf, pesquisador dade, em abril. Marília é hoje um polo industrial, da Embrapa, juntamente com o pro- temos um setor de alimentação muito forte, que demanda a compra de pro- prietário do laboratório Geneal, Jonas Quais atividades estão emJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 dutos que vêm do campo. A vocação Barcelos,que em parceria passaram a ascensão na cidade? pesquisar a realização da produção Principalmente pecuária de cor- Giro rural da cidade é agrícola. A nossa ideia é do clone em larga escala. Em 2008 te, que hoje é um grande negócio, mostrar para a cidade, para os pro-16 Giro Rural abril · 2011 16
  9. 9. Gr Entrevista Nome da seção Gr paulo roberto De oliveira JÚnior secretÁrio De nonononono nonono nononononono aGricultura e abasteciMento De MarÍlia-sp nonononononono nonono nononono o preço do café também melhorou de Marília, com o SEBRAE e com o dos, 80% dos produtores queixaram- muito, o que torna a atividade mais Banco do Brasil. Um dos projetos é a se sobre as más condições em que interessante, o trabalho com o gado pecuária de leite, em andamento há as vias se encontram, o que prejudica leiteiro está cada vez mais valorizado dois meses, com ele estamos levando muito o transporte de seus produtos, e retomando aos poucos a importân- para 15 produtores da cidade de Marília assim como o acesso às propriedades. cia que sempre teve para a região. acompanhamento técnico, por meio Temos também um projeto onde Temos algumas promessas para o de profissionais da secretaria de agri- prestamos assistência total no plantio futuro, é o caso da laranja, que parece cultura, juntamente com os estagiários de eucalipto para o reflorestamento, chegar com muita força na região, do de agronomia, zootecnia e veterinária fornecemos as mudas por um preço reflorestamento, da ovinocultura. Esse por um período de um ano. Nos seis simbólico ao produtor e para auxiliá-lo desenvolvimento e aprimoramento primeiros meses, estamos fazendo uma no plantio enviamos um técnico. nas atividades já realizadas na região avaliação da dinâmica das proprie- Há o projeto “Horta Comunitária”, são muito importantes, da mesma for- dades, para a partir do mês de julho, onde a prefeitura cede um terreno ma que a chegada de novas culturas e apresentar o levantamento realizado e disponível em áreas carentes, disponi- produções, pois precisaremos dobrar as soluções propostas pelos alunos e biliza adubo, sementes e o que for ne- a produção de alimento em um curto técnicos e realizar melhorias dentro do cessário para a criação da horta. Quem espaço de cerca de dez anos. poder aquisitivo de cada produtor. Com dá continuidade na manutenção são esse projeto esperamos que pequenas os moradores da região, coordenados Como diretor social da Asso- mudanças, coisas simples e acessíveis, pela associação de moradores local. ciação Paulista dos Criadores tragam uma condição melhor de tra- Contamos com um viveiro que pro- de Nelore, como avalia a raça balho e renda para cada uma dessas duz cerca de 350 mil mudas por ano, no mercado de São Paulo e no famílias, além de gerar empregos na fornecemos as mudas para a prefeitura brasil? propriedade e, dessa forma, quere- plantá-las em praças, vias, escolas, etc. Muito importante, hoje ela repre- mos fixá-las no campo em condições senta 85% do rebanho nacional. A raça dignas. Também pretendemos retomar Quais os principais desafios começou a ganhar destaque no país ou chegar o mais próximo possível da para o desenvolvimento da na década de 60, quando pecuaristas posição que tínhamos até 1980, ser a agropecuária em Marília? renomados trouxeram da Índia alguns maior bacia leiteira de leite B do Brasil. Existem alguns desafios a serem gados que caíram no gosto dos cria- Fora esse projeto, também estamos superados. Eu acredito que o nosso dores, devido a sua resistência a altas iniciando o projeto do “Cinturão Ver- maior problema seja a logística, temperaturas e aos carrapatos. Até de”, com o qual pretendemos produzir principalmente a logística interna das então, as raças que predominavam no quantidade suficiente de hortaliças propriedades. Nós temos também o Brasil eram as europeias, que não resis- necessária para a demanda da popu- problema sério das estradas, que tem tiam ao intenso calor, já que eram mais lação da cidade. Hoje importamos de que ser tratado como prioridade. É preparadas para o frio. Então quando outras cidades cerca de 90% do que um grande desafio também mudar a se começou a usar o nelore as pessoas consumimos de folhas e tubérculos. forma de pensar do produtor, transfor- perceberam se tratar de um gado mais Com isso pretendemos aumentar a mar suas ideias de produtividade para rústico, um animal que dava menos oferta de empregos no campo, já que o próprio consumo em produtividade trabalho, mais fácil de lidar, e com isso, é necessária uma quantidade signifi- para negociação. Ou seja, transformar hoje, 80 a 85% de nosso rebanho tem cativa de funcionários, pois é preciso a mentalidade de que a propriedade cruzamento com a raça nelore. o cuidado diário para não haver perda rural é apenas o seu lar e fazê-lo en- excessiva de folhagem. xergar que ela precisa funcionar como Existem projetos voltados Há também o serviço oferecido uma empresa. Então ela tem que ter para a agricultura familiar? pela secretaria chamado “Patrulha lucro, balancete, tem que apresentar Quais? Rural”, onde colocamos a disposição o retorno do investimento, porque Na secretaria de agricultura temos do produtor rural, com propriedades geralmente são áreas de alto valor.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 um cuidado especial com a agricultura de até 30 alqueires, máquinas e im- Queremos auxiliá-los no aumento familiar e com os pequenos produtores. plementos agrícolas a preço de custo. da sua produção dentro do mesmo Giro rural Há alguns projetos que estamos viabili- Há o projeto de melhoria das es- espaço de terra ocupado. Ou seja, zando em parcerias com a Universidade tradas rurais, pois quando questiona- pretendemos otimizar sua atividade,18 Giro Rural abril · 2011 16
  10. 10. Gr Entrevista paulo roberto De oliveira JÚnior secretÁrio De aGricultura e abasteciMento De MarÍlia-sp claro que respeitando sempre o meio isso? Também somos a favor que mais o “cinturão verde”que são extrema- ambiente, pois acho que a palavra pessoas tenham acesso a uma melhor mente voltados ao pequeno produtor. da vez é sustentabilidade, em todos alimentação, mas para conseguirmos Ano que vem pretendemos mais dois os setores da economia, inclusive no isso é preciso haver uma redução nos projetos voltados ao mesmo público. agronegócio. tributos cobrados, pois temos aqui no Também pretendo unir as entida- Brasil uma das taxas tributárias mais des representativas do agronegócio Como avalia o impacto do altas do mundo. em prol dos produtores. E juntos novo código florestal em Produzir no Brasil é uma grande mostrar para eles que podemos fazer Marília? luta, o produtor não sabe quanto vai acontecer, mostrar ao homem do Considero muito importante o que conseguir produzir, precisa contar campo que ele tem condições de foi aprovado, porque a grande maio- com a chuva, com o sol e, se não bas- melhorar sua produção e se destacar ria dos produtores rurais estava na tasse isso, ainda precisamos contar cada vez mais. ilegalidade. Acompanhamos aqui em com os preços. Quem acompanha o Outro grande desafio que temos Marília uma palestra do deputado Aldo agronegócio já viu pessoas trabalha- agora é o de reativar a Examar.Ano Rebelo, nela ele expôs o resultado de doras perderem tudo do dia para a passado tivemos uma, a nova Examar, muitas pesquisas, de um intenso traba- noite, e não podemos contar nem com e a prefeitura foi a maior incentivadora. lho onde realizou inúmeras audiências um seguro agrícola decente. Este ano pretendemos fazer uma feira com todo o segmento do agronegócio, Muitas vezes o produtor é tratado muito forte, definindo grandes shows conversas com ambientalistas, ou seja, como uma pessoa extremamente e levando mais empresas do agrone- se cercou de informações. Por isso extrativista, como alguém que está ali gócio, pois sentimos que isso ficou a acreditamos que ele fez o justo. O pro- apenas para explorar o funcionário desejar no ano passado, queremos dutor também não é a favor do desma- dele no campo, e não é nada disso. Nós também trazer animais para exposi- tamento, há aqueles que desrespeitam estamos sendo cada vez mais eficien- ção. A intenção é realizar uma Examar o meio ambiente, mas muitas vezes tes, estamos produzindo cada vez mais, como Marília nunca teve, para ficar generalizam e na verdade temos muita e queremos ser reconhecidos por isso. marcada na história da cidade. gente séria, interessada apenas em realizar o seu trabalho com dignidade. Quais seus principais desa- Como o Sr avalia a inicia- O Brasil precisa dobrar sua produ- fios enquanto secretário da tiva da revista Giro Rural ção até 2020, mas mesmo assim não agricultura? para Marília e região? somos a favor de desmatarmos flores- O maior desafio é o tempo, ou seja, Eu acho muito importante, porque tas, existem maneiras de aumentar a conseguir fazer uma boa gestão com no segmento do agronegócio, aqui produção sem derrubar uma árvore. o tempo que nos resta. A minha inten- na região, não temos uma revista Queríamos apenas que a situação ção é realmente marcar a passagem especializada no assunto. Com essa fosse definida, regularizada, para que pela secretaria de agricultura, como iniciativa teremos um canal para di- soubéssemos a maneira correta de alguém extremamente técnico, que fundir informações e unir forças pelo agir, o caminho certo a seguir. Foi uma vitoria muito grande, mas ajudou a transformar principalmente a estrutura física da secretaria. Nos cinco agronegócio. Existem no mercado algumas ORGULHO DE SER BRASILEIRA muitas coisas ainda virão. Ganhamos meses que assumimos, conseguimos revistas de circulação nacional, que a primeira etapa e já estamos muito dar uma mudada na estrutura, aumen- muitas vezes apresentam em seu contentes com isso. Precisamos es- tar a rede de computadores e o acesso conteúdo técnicas de produção que perar as próximas, mas certamente à informação, com isso pretendemos são inviáveis na região. Quando exis- estamos mais confiantes. deixar o ambiente de trabalho mais te uma revista comprometida com a agradável e onde os profissionais se- região fica muito mais fácil o acesso Quais as principais dificul- jam capazes de produzir mais. à informação relevante e possível de dades enfrentadas por um Além disso, pretendo focar muito ser concretizada. Parceria de sucesso! produtor rural no brasil? no pequeno produtor. Minha intenção A revista poderá mostrar técnicasJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 Os impostos. O governo deseja é ajudar o pequeno produtor, pois aplicáveis e compatíveis com o nosso levar alimento barato do campo para sei das dificuldades que eles têm. clima, nosso solo, nossas condições. a cidade e nos cobra cerca de 35% de Então este ano trabalhamos naqueles Acredito que possa ser muito útil na impostos. Como conseguiremos fazer dois projetos que já citei, o de leite e difusão de novas tecnologias.20 Giro Rural

×