Your SlideShare is downloading. ×
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista

1,721

Published on

2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista

2ª Edição Revista Giro Rural Centro Oeste Paulista

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,721
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. AS MELHORES OPORTUNIDADES EM PROPRIEDADES RURAIS ESTÃO NA IMOBILIÁRIA: CONFIRA CLASSIFICADOS NA PÁGINA 27  p a u l i s t aGiroRURAL ENTREVISTA Entrevista exclusiva com o secretário de agricultura de Marília, SP  PÁGINA 16 45ª FAPI A maior feira de portões abertos do país  PÁGINA 24 REFloRESTAmENTo Uma boa alternativa o e s t e ambiental e financeira  PÁGINA 34 c e n t r oANO 1 · N O 2 · julhO/AgOstO 2011 R$ 6,90 seleção de gado de elite UbAldo oléA, gRANdE jUIz dA AbCz, Com SUA PERSPICáCIA E ExPERIêNCIA FAlA SobRE Como AVAlIAR A qUAlIdAdE E VIdA ESSÊNCIA TE REPRodUTIVA doS ANImAIS, APENAS Com Um olhAR ATENTo E TREINAdo. GUADALUPE  PÁGINA 12
  • 2. Gr Editorial OBRIGADO! sÓ teMos a aGraDecer aos leitores e eMpresÁrios Do centro oeste paulista C om muita alegria publicamos a segunda edição da nossa revista. Muito satisfeitos com a receptividade e confiança dos leitores do Centro Oeste Paulista, dos nossos anunciantes e parceiros. Por isso, gostaríamos de agradecer a vocês, que estão colabo- rando para manter vivo o nosso sonho de levar informações relevantes ao UM DOS MAIORES E MAIS MODERNOS PARQUES GRÁFICOS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Nossos parceiros nesta edição homem do campo da região. Para este segundo exemplar preparamos com muito carinho matérias Ao equacionar qualidade, originalidade, nacionais e regionais interessantes, gostosas de ler e indispensáveis para lhe profissionalismo, orçamentos justos, credibilidade e alta tecnologia, a manter bem informado. Trouxemos uma entrevista exclusiva com o secre- IMPRESS GRÁFICA E EDITORA conceitua sua excelência em tário da agricultura de Marília, Paulo Roberto de Oliveira Júnior, revelando prestação de serviços gráficos nos segmentos editoriais e promocionais. projetos, entraves e expectativas para o agronegócio regional. Na seção “Gente da Terra”, contamos a história da família do Sr Ovídio Oliveira, que mantém há mais de cinquenta anos uma propriedade de produção leiteira no distrito de Avencas. Já na seção “Giro Equestre”, res- A aceitação de madeira de eucalipto tratada na um custo muito inferior à madeira de origem nativa saltamos a formação e fortalecimento de um núcleo regional da raça quarto construção civil está cada vez mais alta nas apli- considerando a distância em que é encontrada.IMPRESSÃO COM PERSONALIDADE POSSUI residências de médio e alto padrão,NOSSA ! Portanto, para um ótimo resultado na cações em MARCA REGISTRADA. A como também em construções de hotéis, resorts, restau- execução dos mais variados projetos, de milha na região, e para isso fomos conversar com João Maciel, que nos rantes, bares, quiosques de praia, decorações de jardins, contribuir com a preservação do portões e muitos outros. O aumento do interesse ocorre meio ambiente, gerar incremento LAMINAÇÃO BOPP - PLASTIFICAÇÃO - RELEVO - VERNIZ ULTRAVIOLETA - HOT-STAMPING MATERIAIS INSTITUCIONAIS pela qualidade e -durabilidade desta madeira, podendo EM ESPIRAL economia local e ainda econo- FACAS ESPECIAIS COSTURA DE MIOLO DE LIVROS - PRODUÇÃO DE ARAME da apresentou o seu haras, Paraíso, localizado em Pompeia. ser encontrada serrada, beneficiada eDE ANEL DUPLO (WIRE-O) - FURAÇÃO mizar dinheiro, a melhor opção COLOCAÇÃO DOS ESPIRAIS COLOCAÇÃO tratada como MATERIAIS PROMOCIONAIS / PDV pranchas, vigas, caibros, ripas e decks.CATÁLOGOS - constru-QUADRADA ultilizar madeira de GRAMPEADEIRA AUTOMÁTICA PARA REVISTAS E Além da LOMBADA é ção civil, a madeira tratada também tem seu espaço em (HOTMELT) - ALCEADEIRA PARA MIOLO DE LIVROS - DOBRADEIRA COM POSSIBILIDADESeucalipto tra- DE MATERIAIS EDITORIAIS redes elétricas, na utilização de postes, e ainda, em subs- tada. A revista Giro Rural presta uma homenagem ao Sr Ubaldo Oléa, grande MÚLTIPLAS DOBRAS - CORTE E VINCO - PRENSADORA DE MIOLO DE LIVROS. tituição de cruzetas de madeira nativa e de concreto. Toda a matéria-prima vem de reflorestamentos, sem explorar as florestas tropicais e gerando economia para Gráficas tercerizem conosco.Orçamento sem compromisso pelo e-mail: os(18) 3908-3444 - (18) 3908-8134 produtores rurais que já encontraram no eu- Rua Vicente Mele, 141 calipto uma cultura altamente rentável e de juiz da ABCZ, que marcou a história de seleção de gado de elite, não só CEP 19064-200 baixa manutenção, podendo ser cultivado no Brasil, mas na América Latina. Com sua perspicácia e experiência em orcamento@graficaimpress.com.br Pres. Prudente - SP nos mais diversos solos e terrenos. WWW.GRAFICAIMPRESS.COM.BR Hoje, é possível encontrar madei- ra tratada de qualidade em todo do país, o que a torna um produto com avaliar a qualidade e vida reprodutiva dos animais, apenas com um olhar atento e treinado. Boa leitura! LAZARINI J ulh o /ag o s t o · 2 0 1 1 A sua colaboração terá um imenso valor para que consigamos melhorar sempre, portanto colabore conosco enviando sugestões, críticas e elogios para o e-mail revistagirorural@gmail.com. 4 Giro Rural
  • 3. Gr Sumário 12 CAPA Ubaldo Oléa, grande juiz da ABCZ, com sua perspicácia e experiência fala sobre como avaliar a qualidade e vida reprodutiva dos animais, apenas com um olhar atento e treinado. 8 Giro notas 26 Sustentabilidade 360º de notícias do agronegócio Agricultura brasileira é sustentável Dilma Rousseff 10 Agricultura País ruma à liderança mundial na 28 Gente da terra produção de alimentos Ovídio de Oliveira, produção leiteira. 14 Nelore de Elite 30 Giro esquestre Haras Paraíso Essência Te Guadalupe 16 Entrevista 32 Controle biológico Veterinário Jayme de Toledo Piza Secretário de Agricultura e Abastecimento de Marília 34 Meio Ambiente Reflorestamento um negócio promissor 22 Encontro de cafeicultores Café colheita com qualidade 36 Etanol Uma Grande Riqueza Nacional 24 Evento 45ª Fapi 38 Giro Literário Editor: Luiz Felippe Nogueira | Diretora Administrativa: Laura Whiteman | Diretora de Jornalismo: Cristiane Mattar – MTB62481/SP Diretor de Arte: Gustavo Prado Ramos | Design grafico: Mauricio W. Santos | Fotografia: Karina Bertaco Revisão: Lívia Figueiredo de Carvalho | Representação Comercial: Amaury Girardi | Impressão: Gráfica Impress | Tiragem: 3 mil Circulação Regional: Centro Oeste Paulista | Distribuição dirigida: postada pelos correios aos produtores rurais do Centro Oeste Paulista Pontos de distribuição: a disposição nas empresas anunciantes | A venda nas principais bancas de revistas da região centro oeste paulista.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 Solicite reimpressões editoriais das melhores reportagens da Giro Rural – C.O.P. com a capa da edição. “Os artigos assinados não emitem, necessariamente, a opinião da Giro Rural – C.O.P. Publicação Mensal. Todos anúncios, imagens e artigos revistagirorural@gmail.com.br publicados e assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores.” (14) 3221-0342 AG RON EGÓCIO, I N FOR MAÇÕE S E OP ORTU N I DADE S. AN U NCI E E BON S N EGÓCIOS! 6 Giro Rural
  • 4. Especial GrGiro R u r a l7 J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1
  • 5. Gr Giro notas 360º De notÍcias Do aGroneGÓcio milho laranja IGC prevê produção mundial Safra paulista terá alta recorde para o milho em 2011/12 considerável na safra 2011/2012 Segundo as previsões deve ser mais discreto e Boa notícia para os citri- uma larga vantagem em do Conselho Internacional gira em torno de 3% frente cultores do estado São Pau- relação aos outros estados. de Grãos (IGC), divulgadas ao ano safra 2010/11, isso lo, responsável por cerca de De acordo com a Faesp, no final do mês de abril, a ocorre devido aos preços 77% da produção nacional a Federação da Agricultura produção mundial de milho elevados, segundo o IGC. da laranja, a safra paulista do Estado de São Paulo, deve atingir um recorde de O Conselho estima que deve ser 20% maior do que cerca de 80% dos produ- 847 milhões de toneladas o aumento do consumo a de 2010. tores de laranja do estado no ano safra 2011/12, um seja contido em até 1,3% A produção da fruta fecharam contratos anteci- aumento de aproximada- em função do baixo nível vem deixando os agricul- pado, as caixas atingiram mente 5% na comparação das reservas mundiais, tores cada vez mais con- um preço de R$ 12,00 a R$ anual. Mas o reduzido es- mesmo com o provável tentes. Além disso, o estado 15,00, sendo que o valor toque mundial deve limitar crescimento da produção de São Paulo está se consa- de custo é de aproximada- o crescimento da demanda. global. As ofertas totais grando cada vez mais como mente R$ 9,00, o que está Já em relação ao plantio de milho devem cair 0,8% o maior produtor, conquis- deixando os produtores mundial do grão, o aumento nesta temporada. tando espaço e mantendo muito satisfeitos. anÚncio (1/4) pÁG i naGiro rural 8 abril · 2011
  • 6. SACARIAS VERA CRUZ soja SACARIAS NOVAS E USADAS BENEFÍCIO DE CAFÉ LONAS CORDAS ARAME PARA CERCAS MAGUEIRAS PENEIRA PARA CAFÉAbiove prevê aumento na produção VASADEIRASbrasileira de soja Devido ao clima favorável para ante 26,9, último número divulgado FERRAMENTAS EM GERALo cultivo da soja em todo o país, aAbiove (Associação Brasileira das pela Abiove. A boa notícia chega para animar anÚncioIndústrias de Óleos Vegetais) ele-vou sua estimativa para a produção os produtores, que mantêm grandes expectativas para a safra 2011/2012 sacar iabrasileira do grão, neste ano, de e sentem-se mais seguros de que70,1 para 71,1 milhões de toneladas. estas serão atendidas. Além disso, as A previsão para as exportações, perspectivas são muito boas para aassim como para produção de farelo próxima safra, que deverá ser aindade soja, também foi elevada. No melhor, segundo Fábio Trigueirinho,caso das exportações, a expecta- secretário-geral da associação, issotiva de crescimento é de 24 para se deve aos produtores, que certa-32,4 milhões de toneladas. Já na mente estarão mais preparados paraprodução de farelo, estima-se o o plantio e possivelmente consegui-valor de 27,3 milhões de toneladas, rão aumentar a área plantada. Cartas espaço Do leitor Faço votos que a “Giro” seja uma grande ferramenta de divulgação de nossa região. Material de qualidade, a região é promissora, o público alvo é carente de um veículo regional claro e que fale sobre as coisas de seu dia-a-dia. Chega em um momento importante, hora de mostrar a cara e ver o potencial do ‘Centro Oeste Paulista’ mostrar sua força, seus valores, seus personagens: falar de nós pra nós mesmos! Assim, a “Giro” se torna o ‘nosso 1º veículo de agronegócio’ e torcemos por seu sucesso!Cordial abraço! AV. CEL. ALFREDO DE OLiVEiRA - 28 A Giro rural Eng. Agr. José Tonon Junior CENTRO :: VERA CRUZ– SP Gerente de Comunicação - Máquinas Agrícolas Jacto S/A’ FONES: (14) 3492-3272 / 9112-5647 / 8100-0810 sacariasveracurz@hotmail.com 16 abril · 2011
  • 7. Gr paÍs ruMa à LIDERANçA MUNDIAL na proDução De aliMentos Wagner Rossi diz que projeções da agricultura mostram país pronto para enfrentar o desafio mundial da fome O ministro da Agricultura, Pecuária e Brasil, nos próximos anos, continuará a Abastecimento, Wagner Rossi, apresen- marchar firmemente em direção a essa tou em meados de junho, as estimativas meta, de se tornar o maior agente no para o agronegócio brasileiro na próxi- mercado internacional de alimentos”, ma década. Os números mostram que disse. o Brasil está pronto para contribuir no O país é líder mundial em produtos grande desafio da economia mundial, como carne de frango e de boi, além de que é enfrentar a fome. manter o primeiro lugar na produção “Os organismos internacionais de açúcar, café e suco de laranja. Outro têm levantado a existência de uma produto tradicional, o algodão, deve ter o população de 1 bilhão de pessoas que maior incremento na produção (47,84%) ainda passam fome”, observou Wagner e nas exportações (68,4%) na próxima Rossi, no lançamento das Projeções do década. Agronegócio 2010/2011 a 2020/2021. As estimativas mostram ainda grande Elaborado pela Assessoria de Gestão potencial na celulose e no leite. “Temos Estratégica (AGE) do Ministério, em uma janela de oportunidade muito signi- conjunto com a Empresa Brasileira ficativa nos lácteos, já que os países que de Pesquisa Agropecuária (Embra- têm protagonismo na produção estão pa), o estudo mostra que a produção no seu limite”, observou Wagner Rossi. agropecuária do país deve crescer A confiança do ministro na força da 23%, em volume, com incorporação agricultura brasileira decorre da utiliza- de 9,5% de novas áreas cultivadas ção intensiva de tecnologia e da situação no período. do mercado internacional nos próximos “O Brasil tem potencial para se anos. O cenário é de uma demanda maior tornar o maior fornecedor de pro- por alimentos e em expansão, graças às teína animal e vegetal do mundo”, mudanças no perfil econômico dos paí- destacou Wagner Rossi. Ele ressal- ses, especialmente os emergentes, que tou que os dados apresentados são antes tinham menos acesso à alimentação, conservadores. Atualmente, o Brasil sobretudo ao consumo de proteína. é o segundo maior fornecedor no Ele destacou a importância das mercado internacional de alimen- projeções para orientar a alocação dosJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 tos, mas, segundo as projeções, se recursos naturais, humanos e financeiros aproximará cada vez mais dos Esta- disponíveis da melhor maneira. dos Unidos, que detém a liderança. Texto cedido por Ministério da “Esta radiografia mostra que o Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Shutte rstock /c. 10
  • 8. Gr Capa nelore De elite UBALDO OLéA, o Dono De uM olhar infalÍvel Ubaldo Oléa, inesquecível juiz da ABCZ Cerimônia de posse de Ubaldo na Diretoria da Divisão Regional Agrícola de Marília. Na foto acima, da esquerda para a direita é o segundo, ao alto. Abaixo é o terceiro da esquerda para a direita Q uem vê a simplicidade e o estado de São Paulo em produção de apresentar. Após participar, em 1982, jeito humilde de Sr Ubal- gado de corte. Confiava que a exposi- de um curso com o americano J. C. do Oléa, nem imagina que ção traria à cidade maior visibilidade Bosman, na cidade de Barretos, e ser este já foi um dos, se não o me- e movimentaria o setor, aumentando um dos poucos a concluí-lo, Ubaldo lhor, juiz de gado de elite que este as chances de alcançar o objetivo. aprendeu a treinar o seu olhar para Brasil já teve. Durante mais de 40 Convidado para ser presidente de diversas características que deveria anos, dedicou a vida em realizar honra da Nova Examar, sentiu-se or- levar em conta nas suas avaliações. análises e avaliações da qualidade gulhoso e contente, acreditando que Porém, com os anos de experiência, dos valiosos animais, mundo afora. os muitos esforços de anos atrás não ele aumentou de 5 para 13 os pontos Com muitas boas histórias para serão desperdiçados, nem tão pouco a serem observados e, por meio de contar, foi em parceria com um pe- ficarão apenas na memória e história análise minuciosa de cada um deles, queno grupo de pecuaristas, um dos da cidade. conseguia relatar, sem erros, a vida fundadores da Examar, há mais de Com uma invejável vocação, pro- reprodutiva da vaca.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 vinte anos. Acreditavam no potencial vou frente a multidões possuir um Lembra-se de uma viagem para de Marília para o agronegócio e na olhar infalível, que não deixava passar a Venezuela, onde após realizar a possibilidade de torná-la a primeira do qualquer defeito que o animal pudesse avaliação da fêmea, a última da noite, 12 Giro Rural
  • 9. Grconstatou que esta não poderia mais INFERTILIDADE:reproduzir, devido à idade avançada. Para detectar fêmeas subférteis, que são aquelas que produzem umMas na ficha do locutor os dados não bezerro a cada dois ou três anos, quando o ideal seria uma prenhez por ano,conferiam essa informação. Após afir- 13 pontos devem ser observados:mar confiar no que estava revelando, 1. Colo: nas subférteis o pescoço 8. Músculos: são de formato ar-alguns organizadores foram verificar é grosso e largo; redondado. Por trás a aparênciaa procedência do animal e puderam 2. Cabeça: as subférteis possuem é masculina, semelhantes aosconfirmar que a ficha estava realmente cabeça masculinizada e mandí- machos da espécie.equivocada e que a vaca já possuía bula pesada; 7. Gordura: aparecem maneioscerca de 6 anos, idade já não adequa- 3. Peito: Em fêmeas subférteis a de gorduras isolados por todo oda para a reprodução. Quando ficou massa do peito é de tamanho corpo. São mais aparentes entreconstatado que ele realmente havia maior que o normal, crescendo as escápulas, adiante do úbere, naacertado, a plateia que assistia ao para frente e para baixo; anca, no cupim e abaixo da vulva;julgamento veio à loucura, encantados, 4. Pelo: fica arrepiado. No lombo o 9. Vulva: pequena com orifíciotodos vibravam com aquele senhor redemoinho de pelos está sem- vaginal deslocado e de difícilque apenas ao observar externamente pre espetado e, tanto no cupim acesso durante a monta. Acú-o animal, não havia cometido erro quanto na paleta, eles crescem mulo de gordura entre as coxas;algum. Ao contar esta história, seu em sentido contrário; 10. Postura: crescimento exageradosorriso transparecia todo o orgulho 5. Dianteiro: crescimento despro- das patas dianteiras. Parte do ossoe alívio que, provavelmente, sentiu porcional da parte dianteira. Cos- se desenvolve mais, provocandonaquele momento. tuma-se dizer que a vaca está, desequilíbrio estético e físico; Durante os anos trabalhados como nesse caso, começando a perder 11. Tamanho: gigantismo. As vacasjuiz da ABCZ (Associação Brasileira suas características femininas. subférteis, ou com tendência,dos Criadores de Zebu), recorda-se 6. Cauda: nas vacas férteis ela são enormes e pesadas. Asde haver tirado o título de uma vaca cai perpendicularmente. Nas férteis são magras, com os os-para dar a outra nos últimos minutos, subférteis ela desce acompa- sos traseiros aparecendo sob oquando tudo já parecia estar certo. Ao nhando a forma arredondada couro;anunciarem o resultado, ele se mani- do traseiro; 13. Chifres: Fêmeas que se torna-festou afirmando que a vencedora 12. Úbere: quase imperceptível. As ram inferteiz possuem chifresdeveria ser a outra vaca, já que a que tetas estão recolhidas; lisos, porcelanizados.estava levando o mérito havia sofridoum aborto e não poderia mais repro- ABORTO:duzir. Todos ficaram em choque, mas Peito: uma vaca que já sofreu aborto traz saliente sob a pele do peitomais uma vez ficou constatado que o uma pelota do tamanho de uma bola de pingue-pongue. Para cadaseu olhar não costumava falhar, muito gestação mal sucedida, uma nova marca é criada.perspicaz conseguia averiguar dados Chifres: podem apresentar anéis em baixo relevo, significando abortospor meio, principalmente, dos chifres, ou estresse.da maçã do peito e do cupim. Até hoje, sente-se orgulhoso e FERTILIDADE:apaixonado pelo trabalho que realizou Fêmeas: o chifre de parideiras tem osso lascado, mal acabado e apre-e afirma que tentou passar os seus senta um anel em alto relevo para cada cria bem-sucedida.conhecimentos adiante e que está Macho: A percepção da fertilidade nos machos é menos complicada.confiante de que alguns de seus alunos É possível detectar um touro fértil analisando sua postura. Estes andamtambém se destacarão nos julgamen- com a cabeça erguida e a libido se manifesta sempre que está preso etos, utilizando apenas um dom, o olhar. vê uma fêmea passar do outro lado da cerca. A pelagem também é ca- Oléa deixou algumas valiosas di- racterística, os machos bons de cobertura apresentam pelos escuros na paleta. Outro fator a ser considerado para qualificar a fertilidade do boi é J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1cas para que os leitores da Giro Ruralnão cometam erros na hora da aqui- através da medida da circunferência escrotal do testículo esquerdo, quesição de um bom gado. Veja ao lado. deve ser de aproximadamente 35 centímetros, aos 18 meses de idade. Giro R u r a l 13
  • 10. Gr Capa nelore De elite PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS RACIAIS DO NELORE DE ELITE Animais Nelore apresentam estado geral sadio e vigoroso. A ossatura é leve, robusta e forte, com muscula- Nos machos, o pescoço é muscu- loso e com implantação harmoniosa ao tronco. Nas fêmeas, é delicado. A essÊncia tura compacta e bem distribuída. A barbela começa debaixo do maxilar masculinidade e a feminilidade são inferior e se estende até o umbigo, acentuadas. sendo mais abundante e pregueada Apresentam pelagem branca ou nos machos. O peito dos animais é cinza-clara, sendo que os machos largo e com boa cobertura muscular. apresentam o pescoço e o cupim Nos machos, o cupim deve ser normalmente mais escuros. A pele é bem desenvolvido, apoiando-se so- preta ou escura, solta, fina, flexível, bre o cernelha, Nas fêmeas, deve ser macia e oleosa. Os pêlos são claros, reduzido. curtos, densos e medulados. A região dorso-lombar é larga e A cabeça tem formato de ataúde, reta, levemente inclinada, tendendo com a cara estreita, arcadas orbitárias para a horizontal, harmoniosamente não salientes e perfil ligeiramente con- ligada à garupa com boa cobertura vexo. A fronte é descarnada, apresen- muscular. tando uma linha média no crânio, no O Nelore possui ancas bem afas- sentido longitudinal, uma depressão tadas e no mesmo nível. A garupa é alongada (goteira). comprida, larga, ligeiramente inclina- O Chanfro é reto, largo e proporcio- da, no mesmo nível e unida ao lombo, nal nos machos. Nas fêmeas, é estreito sem saliências ou depressões e com e delicado. O focinho preto e largo, com boa cobertura de gordura. Sacro não as narinas dilatadas e bem afastadas, saliente, no mesmo nível das ancas. é outra característica da raça. A boca A cauda é inserida harmoniosa- tem abertura média e lábios firmes. mente, estendendo-se até os jarretes e As orelhas do nelore são curtas, vassoura preta. O tórax é amplo, largo com boa simetria entre as bordas e profundo. As costelas são compridas superior e inferior, terminando em e largas, bem arqueadas, afastadas e ponta de lança, e a face interna do com espaços intercostais revestidas de pavilhão deve ser voltada para a frente músculos e sem depressão atrás das e apresentar movimentação. espáduas. O umbigo deve ser propor- A raça pode ser dividida em cional ao desenvolvimento do animal. animais que apresentam chifres e Membros anteriores e posterio- mochos. Os chifres são de cor escura, res devem apresentar comprimento firmes, curtos de forma cônica, mais médio, com ossatura forte e músculos grossos na base, achatados e de seção bem desenvolvidos. As coxas e per- ximação dos bezerros. A vulva deve oval, de superfície rugosa e estrias lon- nas são largas, com boa cobertura possuir conformação e desenvolvi- gitudinais. Nascem para cima, acom- muscular, descendo até os jarretes, mento normais. panhando o perfil, bem implantados com calotes bem pronunciados. As Os machos devem possuir a bolsa na linha da marrafa, assemelhando-se pernas devem ser bem aprumadas e escrotal fina e bem pigmentada, com a dois paus fincados simetricamente afastadas. Os cascos devem ser pretos os dois testículos bem desenvolvidos.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 no crânio. Com o crescimento, po- e bem conformados. A bainha deve ser proporcional ao dem dirigir-se para fora, para trás e As fêmeas devem ter o úbere de desenvolvimento do animal e bem para cima, ou curvando-se para trás volume pequeno, com o formato das direcionada. O prepúcio deve ser e para baixo. tetas de maneira que facilite a apro- recolhido. Fonte: ACNB Associação dos Criadores de Nelore do Brasil 14 Giro Rural
  • 11. Grte GuaDalupe Uma verdadeira campeã que produz campeãs. A Essência TE Guadalupe foi a Além de ser campeã nacional cional de preço no leilão Elo de primeira grande campeã do plantel em Uberaba em 2001, Essência Raça de 2006) e super campeã da Unimar. Filha de Hierarca, outra também tem em seu "currículo" nas pistas. grande campeã, Essência, em o fato de ser mãe de Elegance I Recordista nacional de ven- 2001, no envento Elo de Raça, foi (reservada campeã bezerra em da de prenhezes. Reser vada J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 considerada um dos animais mais Uberaba 2003), mãe de Elegance Campeã Nacional Progênie de valorizados do país, tendo sido ad- II (campeã nacional de 2006), Mãe/06, medalha de ouro melhor quirida pela universidade paulista. mãe de Dália M4 (recordista na- matriz ranking ACNB/06. Giro R u r a l 15
  • 12. Gr Entrevista paulo roberto De oliveira JÚnior secretÁrio De aGricultura e abasteciMento De MarÍlia-sp D esde criança é acostumado a respirar os ares do campo e aproveitar todas as maravilhas que a vida na fazenda tem a oferecer. Nascido em Oswaldo Cruz, nas proximidades de Marília, Paulo Roberto acompanhava de perto, ainda pequeno, a lida com o gado de corte na propriedade da família. Aos 17 anos, quando estava se decidindo por cursar veterinária, foi conhecer a dinâmica agrária do Centro Oeste brasileiro, encantou- se com a lavoura e retornou ao estado de São Paulo com a certeza de que cursaria a faculdade de agronomia, para assim ampliar seus conhecimentos na área rural, que sempre foi sua paixão. Após concluir a faculdade em Marília, foi convidado para trabalhar na Unimar e desde o ano de 2000, gerencia e dirige não só a fazenda experimental de gado de leite, a mesma onde realizou seu estágio obrigatório, como as demais fazendas da universidade. Após anos de experiência e uma vida profissional admirável, foi convidado pelo prefeito Mário Bulgareli para assumir o cargo de secretário de agricultura de Marília, papel que desempenha desde janeiro de 2011. Para conhecer as perspectivas do agronegócio para a cidade e região, a revista Giro Rural conversou com aquele que organiza e administra projetos e melhorias voltados ao homem do campo. Secretário de Agricultura e Abastecimento de Marília Paulo Roberto de Oliveira Júnior faz uma análise do mercado e revela seus projetos e expectativas Qual a contribuição da agro- dutores que temos total condição de surgiu o interesse do Márcio Mesquita pecuária para o crescimento melhorar e aumentar o crescimento Serva, reitor da Unimar, em clonar as do PIB do agronegócio aqui na região. vacas Essência e Página, duas gran- e desenvolvimento regional? des campeãs da universidade, desde A história com cavalos vem da minFundamental. Marília, assim como Dentre as universidades pri- então estamos acompanhando as pes- a grande maioria das cidades do vadas, a Unimar é a pioneira quisas e conferindo os resultados. No interior do estado de SP construiu-se , em trazer a clonagem para o ano passado nasceram sete bezerras, em cima do agronegócio, principal- seu plantel, o Sr acompanhou cópias genéticas de Essência. Agora mente do café, amendoim e algodão, essa realização? Poderia nos estamos colhendo o material de que tivemos muito aqui no passado. contar como decorreu esse outras doadoras que serão subme- Atualmente, cerca de 30% do que se processo? tidas ao processo de clonagem. Este Por volta de três anos atrás co- ano estamos inserindo os alunos no movimenta na cidade de Marília vem meçou-se a falar muito de clones, contato com esses animais clonados, do campo. Hoje temos dez mil pesso- principalmente clonagem de nelore, e o início desse processo se deu com as morando em áreas rurais, fora isso, quem começou com esse trabalho foi uma palestra Dr. Rodolfo na universi- muitas mais envolvidas com o campo. o doutor Rodolfo Rumpf, pesquisador dade, em abril. Marília é hoje um polo industrial, da Embrapa, juntamente com o pro- temos um setor de alimentação muito forte, que demanda a compra de pro- prietário do laboratório Geneal, Jonas Quais atividades estão emJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 dutos que vêm do campo. A vocação Barcelos,que em parceria passaram a ascensão na cidade? pesquisar a realização da produção Principalmente pecuária de cor- da cidade é agrícola. A nossa ideia é do clone em larga escala. Em 2008 te, que hoje é um grande negócio, mostrar para a cidade, para os pro-16 Giro Rural
  • 13. Nome da seção Gr nonononono nonono nononononono nonononononono nonono nononono anÚncio(1) pÁG i na Giro rural abril · 2011 16
  • 14. Gr Entrevista paulo roberto De oliveira JÚnior secretÁrio De aGricultura e abasteciMento De MarÍlia-sp o preço do café também melhorou de Marília, com o SEBRAE e com o dos, 80% dos produtores queixaram- muito, o que torna a atividade mais Banco do Brasil. Um dos projetos é a se sobre as más condições em que interessante, o trabalho com o gado pecuária de leite, em andamento há as vias se encontram, o que prejudica leiteiro está cada vez mais valorizado dois meses, com ele estamos levando muito o transporte de seus produtos, e retomando aos poucos a importân- para 15 produtores da cidade de Marília assim como o acesso às propriedades. cia que sempre teve para a região. acompanhamento técnico, por meio Temos também um projeto onde Temos algumas promessas para o de profissionais da secretaria de agri- prestamos assistência total no plantio futuro, é o caso da laranja, que parece cultura, juntamente com os estagiários de eucalipto para o reflorestamento, chegar com muita força na região, do de agronomia, zootecnia e veterinária fornecemos as mudas por um preço reflorestamento, da ovinocultura. Esse por um período de um ano. Nos seis simbólico ao produtor e para auxiliá-lo desenvolvimento e aprimoramento primeiros meses, estamos fazendo uma no plantio enviamos um técnico. nas atividades já realizadas na região avaliação da dinâmica das proprie- Há o projeto “Horta Comunitária”, são muito importantes, da mesma for- dades, para a partir do mês de julho, onde a prefeitura cede um terreno ma que a chegada de novas culturas e apresentar o levantamento realizado e disponível em áreas carentes, disponi- produções, pois precisaremos dobrar as soluções propostas pelos alunos e biliza adubo, sementes e o que for ne- a produção de alimento em um curto técnicos e realizar melhorias dentro do cessário para a criação da horta. Quem espaço de cerca de dez anos. poder aquisitivo de cada produtor. Com dá continuidade na manutenção são esse projeto esperamos que pequenas os moradores da região, coordenados Como diretor social da Asso- mudanças, coisas simples e acessíveis, pela associação de moradores local. ciação Paulista dos Criadores tragam uma condição melhor de tra- Contamos com um viveiro que pro- de Nelore, como avalia a raça balho e renda para cada uma dessas duz cerca de 350 mil mudas por ano, no mercado de São Paulo e no famílias, além de gerar empregos na fornecemos as mudas para a prefeitura Brasil? propriedade e, dessa forma, quere- plantá-las em praças, vias, escolas, etc. Muito importante, hoje ela repre- mos fixá-las no campo em condições senta 85% do rebanho nacional. A raça dignas. Também pretendemos retomar Quais os principais desafios começou a ganhar destaque no país ou chegar o mais próximo possível da para o desenvolvimento da na década de 60, quando pecuaristas posição que tínhamos até 1980, ser a agropecuária em Marília? renomados trouxeram da Índia alguns maior bacia leiteira de leite B do Brasil. Existem alguns desafios a serem gados que caíram no gosto dos cria- Fora esse projeto, também estamos superados. Eu acredito que o nosso dores, devido a sua resistência a altas iniciando o projeto do “Cinturão Ver- maior problema seja a logística, temperaturas e aos carrapatos. Até de”, com o qual pretendemos produzir principalmente a logística interna das então, as raças que predominavam no quantidade suficiente de hortaliças propriedades. Nós temos também o Brasil eram as europeias, que não resis- necessária para a demanda da popu- problema sério das estradas, que tem tiam ao intenso calor, já que eram mais lação da cidade. Hoje importamos de que ser tratado como prioridade. É preparadas para o frio. Então quando outras cidades cerca de 90% do que um grande desafio também mudar a se começou a usar o nelore as pessoas consumimos de folhas e tubérculos. forma de pensar do produtor, transfor- perceberam se tratar de um gado mais Com isso pretendemos aumentar a mar suas ideias de produtividade para rústico, um animal que dava menos oferta de empregos no campo, já que o próprio consumo em produtividade trabalho, mais fácil de lidar, e com isso, é necessária uma quantidade signifi- para negociação. Ou seja, transformar hoje, 80 a 85% de nosso rebanho tem cativa de funcionários, pois é preciso a mentalidade de que a propriedade cruzamento com a raça nelore. o cuidado diário para não haver perda rural é apenas o seu lar e fazê-lo en- excessiva de folhagem. xergar que ela precisa funcionar como Existem projetos voltados Há também o serviço oferecido uma empresa. Então ela tem que ter para a agricultura familiar? pela secretaria chamado “Patrulha lucro, balancete, tem que apresentar Quais? Rural”, onde colocamos a disposição o retorno do investimento, porque Na secretaria de agricultura temos do produtor rural, com propriedades geralmente são áreas de alto valor.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 um cuidado especial com a agricultura de até 30 alqueires, máquinas e im- Queremos auxiliá-los no aumento familiar e com os pequenos produtores. plementos agrícolas a preço de custo. da sua produção dentro do mesmo Há alguns projetos que estamos viabili- Há o projeto de melhoria das es- espaço de terra ocupado. Ou seja, zando em parcerias com a Universidade tradas rurais, pois quando questiona- pretendemos otimizar sua atividade,18 Giro Rural
  • 15. Nome da seção Grnonononono nonono nonononononononononononono nonono nononono Giro rural abril · 2011 16
  • 16. Gr Entrevista paulo roberto De oliveira JÚnior secretÁrio De aGricultura e abasteciMento De MarÍlia-sp claro que respeitando sempre o meio isso? Também somos a favor que mais o “cinturão verde”que são extrema- ambiente, pois acho que a palavra pessoas tenham acesso a uma melhor mente voltados ao pequeno produtor. da vez é sustentabilidade, em todos alimentação, mas para conseguirmos Ano que vem pretendemos mais dois os setores da economia, inclusive no isso é preciso haver uma redução nos projetos voltados ao mesmo público. agronegócio. tributos cobrados, pois temos aqui no Também pretendo unir as entida- Brasil uma das taxas tributárias mais des representativas do agronegócio Como avalia o impacto do altas do mundo. em prol dos produtores. E juntos novo código florestal em Produzir no Brasil é uma grande mostrar para eles que podemos fazer Marília? luta, o produtor não sabe quanto vai acontecer, mostrar ao homem do Considero muito importante o que conseguir produzir, precisa contar campo que ele tem condições de foi aprovado, porque a grande maio- com a chuva, com o sol e, se não bas- melhorar sua produção e se destacar ria dos produtores rurais estava na tasse isso, ainda precisamos contar cada vez mais. ilegalidade. Acompanhamos aqui em com os preços. Quem acompanha o Outro grande desafio que temos Marília uma palestra do deputado Aldo agronegócio já viu pessoas trabalha- agora é o de reativar a Examar.Ano Rebelo, nela ele expôs o resultado de doras perderem tudo do dia para a passado tivemos uma, a nova Examar, muitas pesquisas, de um intenso traba- noite, e não podemos contar nem com e a prefeitura foi a maior incentivadora. lho onde realizou inúmeras audiências um seguro agrícola decente. Este ano pretendemos fazer uma feira com todo o segmento do agronegócio, Muitas vezes o produtor é tratado muito forte, definindo grandes shows conversas com ambientalistas, ou seja, como uma pessoa extremamente e levando mais empresas do agrone- se cercou de informações. Por isso extrativista, como alguém que está ali gócio, pois sentimos que isso ficou a acreditamos que ele fez o justo. O pro- apenas para explorar o funcionário desejar no ano passado, queremos dutor também não é a favor do desma- dele no campo, e não é nada disso. Nós também trazer animais para exposi- tamento, há aqueles que desrespeitam estamos sendo cada vez mais eficien- ção. A intenção é realizar uma Examar o meio ambiente, mas muitas vezes tes, estamos produzindo cada vez mais, como Marília nunca teve, para ficar generalizam e na verdade temos muita e queremos ser reconhecidos por isso. marcada na história da cidade. gente séria, interessada apenas em realizar o seu trabalho com dignidade. Quais seus principais desa- Como o Sr avalia a inicia- O Brasil precisa dobrar sua produ- fios enquanto secretário da tiva da revista Giro Rural ção até 2020, mas mesmo assim não agricultura? para Marília e região? somos a favor de desmatarmos flores- O maior desafio é o tempo, ou seja, Eu acho muito importante, porque tas, existem maneiras de aumentar a conseguir fazer uma boa gestão com no segmento do agronegócio, aqui produção sem derrubar uma árvore. o tempo que nos resta. A minha inten- na região, não temos uma revista Queríamos apenas que a situação ção é realmente marcar a passagem especializada no assunto. Com essa fosse definida, regularizada, para que pela secretaria de agricultura, como iniciativa teremos um canal para di- soubéssemos a maneira correta de alguém extremamente técnico, que fundir informações e unir forças pelo agir, o caminho certo a seguir. ajudou a transformar principalmente a agronegócio. Foi uma vitoria muito grande, mas estrutura física da secretaria. Nos cinco Existem no mercado algumas muitas coisas ainda virão. Ganhamos meses que assumimos, conseguimos revistas de circulação nacional, que a primeira etapa e já estamos muito dar uma mudada na estrutura, aumen- muitas vezes apresentam em seu contentes com isso. Precisamos es- tar a rede de computadores e o acesso conteúdo técnicas de produção que perar as próximas, mas certamente à informação, com isso pretendemos são inviáveis na região. Quando exis- estamos mais confiantes. deixar o ambiente de trabalho mais te uma revista comprometida com a agradável e onde os profissionais se- região fica muito mais fácil o acesso Quais as principais dificul- jam capazes de produzir mais. à informação relevante e possível de dades enfrentadas por um Além disso, pretendo focar muito ser concretizada. produtor rural no Brasil? no pequeno produtor. Minha intenção A revista poderá mostrar técnicasJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 Os impostos. O governo deseja é ajudar o pequeno produtor, pois aplicáveis e compatíveis com o nosso levar alimento barato do campo para sei das dificuldades que eles têm. clima, nosso solo, nossas condições. a cidade e nos cobra cerca de 35% de Então este ano trabalhamos naqueles Acredito que possa ser muito útil na impostos. Como conseguiremos fazer dois projetos que já citei, o de leite e difusão de novas tecnologias.20 Giro Rural
  • 17. ORGULHO DE SER BRASILEIRAParceria de sucesso!
  • 18. Gr Encontro de cafeicultores“CAFé COLHEITA COM QUALIDADE” Encontro de cafeicultores discute melhor qualidade do café e inicia as comemorações do cinquentenário da Coopemar A Cooperativa dos Cafeicultores pesquisador científico do Instituto em prática. As orientações sobre co- da Região de Marília realizou, no dia Agronômico de Campinas (IAC), Prof. lheita, secagem e estocamento do café cinco de maio, a abertura da 11ª cam- Dr. Gerson Silva Giomo, enfatizando contribuem bastante, principalmente panha “Café Colheita com Qualidade”. os principais cuidados durante a pós- para quem é novo na cafeicultura”, Aproximadamente 300 cafeicultores e colheita e qualidade do café. comenta. representantes do setor foram orienta- “Muitos detalhes fazem diferença Para o presidente da Câmara dos sobre o cultivo de suas lavouras, durante a secagem do café, por isso Setorial de Café e diretor executivo cuidados durante a colheita e pós-co- o cafeicultor deve estar atento a tudo, da Associação Brasileira da Indústria lheita, comercialização do seu produto pois a boa comercialização vai depen- de Café (ABIC), Nathan Herszkowicz, e certificação de propriedades. der das boas condições do café. Mais o importante é o cafeicultor oferecer Além de um café da manhã espe- de 50% da qualidade do produto final boa qualidade para alcançar melhores cial com cappuccino, drink de café depende do próprio produtor”, alerta preços. “Temos condições de produ- com laranja e licor de café, feitos pelo o pesquisador. zir um café bom para o Brasil e para consultor e barista, Leandro Moeda O cafeicultor e pecuarista de o exterior. Muitos dos nossos cafés Dias, uma equipe de enfermeiros da Guaimbê, Sérgio Yoshiaki Tinen, que são iguais aos melhores do mundo. OJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 Unimed realizou aferição de pressão e está no ramo há pouco tempo, aprovei- consumidor quer um café melhor e teste de glicemia para os participantes tou todas as dicas. “São informações existe mercado para café de qualidade interessados em checar a saúde. essenciais, pois estou começando no Brasil”, afirma. A série de palestras foi aberta pelo agora. A gente aprende e já coloca Ele ainda destaca o Programa22 Giro Rural
  • 19. “Consumidor quer um café melhor e por reGiane ferreira Gr fotos: paulo cansini /existe mercado para café de qualidade no aDilson MontoriniBrasil”, afirma diretor executivo da ABIC.de Qualidade do Café, da ABIC, que sendo vendido no Brasil. As marcasidentifica três qualidades de café: o são certificadas e depois fiscalizadasTradicional (qualidade menor), Supe- regularmente”, explica Herszkowicz.rior (intermediário) e Gourmet (alta O que determina a categoria équalidade), com o objetivo de agregar a nota final, numa escala de 0 a 10,valor e ampliar o consumo a partir da obtida pelo produto: para Cafés Tra-melhoria contínua dos cafés. É o único dicionais, nota igual ou superior aprograma que se tem conhecimento 4,5; Cafés Superiores, nota igual ouno mundo que avalia a qualidade do superior a 6,0 pontos e até 7,3; e Cafés Qualidade do café: Cerca de 300 pessoas receberam informações e esclareceram dúvidas sobre o cultivocafé torrado e moído (as demais certi- Gourmets nota igual ou superior e 7,3 do produto.ficações avaliam o café verde, apenas). até 10. Segundo Herszkowicz, “das “Assim a ABIC consegue moni- 430 marcas certificadas no País, 110torar a qualidade do café que está são Gourmets”.Tarde de Campo Depois do almoço de confrater- cafés da região, aberto para todos osnização, os participantes visitaram os cafeicultores, mesmo que não sejamstands e receberam informações de cooperados. “Momento em que, alémprodutos e maquinários agrícolas. Ao de tudo, comemoraremos os 50 anosfim do dia, o presidente da Coopemar, da cooperativa e a vitória da agri-François Regis Guillaumon, comemo- cultura da nossa região. Esperamosrou o sucesso do encontro. “No ano em melhorar ainda mais a qualidade do Coopemar 50 anos - Nathan Herszkowicz eque vamos celebrar o nosso jubileu café para competirmos com cafeicul- François Guillaumon: Sindicato da Indústria deesperávamos ver a casa cheia e foi tores de todo o Estado de São Paulo”, Café do Estado de São Paulo e Câmara Setorial de Café de São Paulo homenageiam a Cooperativa doso que aconteceu. Até, porque, é um finaliza Guillaumon. Cafeicultores da Região de Marília.momento bom para a cafeicultura e Para reforçar a união dos agriculto-devemos aproveitar essa boa época, res da região, o cafeicultor mariliensepois o café ajuda os outros setores a Lúcio de Oliveira Lima Júnior deixa osuperarem as dificuldades. Isso é o seu recado. “Acredito que toda reuniãocooperativismo”, diz. de pessoas com o mesmo propósito, A campanha será encerrada em ou seja, na atividade agrícola e nosetembro ou outubro com a realização incentivo ao cooperativismo, é muitodo 11º Concurso Café Colheita com importante nos dias de hoje. Pela As esposas dos cooperados participaram de programaçãoQualidade, que elege os melhores simples razão: toda união tem força”. especial com palestras e bingo. J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1Tarde de Campo: Almoço e visita aos stands, com demonstração de máquinas e produtos. Giro R u r a l 23
  • 20. Gr Evento por KÁtia vanzini45 fapia feira aGropecuÁria e inDustrial De ourinhos Luan Santana encerra programação da 45ª FAPI F inal do rodeio, show de fogos e que é considerado a Festa da Família. camarim, preparando-se para o show cavalgada marcaram o último Milhares de crianças, pais, pessoas e atendendo a imprensa local, quando dia da maior feira de portões de diversas idades aproveitaram da o grande show de fogos iluminou o céu abertos do país. estrutura oferecida pelo recinto, lo- de Ourinhos, para o deleite das mais O recorde de público para o tando pavilhões, estantes, pistas de de cem mil pessoas que aguardavam último dia de feira já era esperado e julgamento e o Yupie Park. o cantor para o grande show da noite os fãs não decepcionaram. Mais de O Bloco do R, de Itu, animou o e um dos mais esperados da progra- cem mil pessoas lotaram o Recinto público no meio da tarde, atendendo mação da 45ª Fapi. Olavo Ferreira de Sá no domingo, 12, um convite especial do presidente da “Ourinhos vai ficar para sempre para o último show da programação feira, Eduardo Luiz Bicudo Ferraro, o em nosso coração, afinal, foi aqui que da 45ª Fapi – Feira Agropecuária e Brigadeiro, que foi integrante do bloco tivemos nosso primeiro recorde de Industrial de Ourinhos, realizada de quando morava na cidade de Itu. público, no ano passado. Este ano, já 02 a 12 de junho. Outra atração que chamou a aten- ficamos sabendo que batemos o re- O último dia de feira foi iniciado ção foi a apresentação da Escola de corde de público do último dia de feira pela tradicional cavalgada, conside- Volteio, da Polícia Militar, realizada e é com alegria que também fazemos rada uma das mais bonitas e bem horas antes da grande final do rodeio, parte da história deste grande evento”, organizadas de toda a história do considerada uma das mais disputadas comemorou o cantor. evento, na qual comitivas, cavaleiros e da história da feira. O presidente da feira, Eduardo Luiz amazonas percorreram as principais Rodeio - Para chegar ao grande Bicudo Ferraro, o Brigadeiro, agrade- ruas de Ourinhos rumo ao Recinto vencedor do rodeio da 45ª Fapi, o ceu o público presente, patrocinadores Olavo Ferreira de Sá, reunindo mais público presente na arena do rodeio e apoiadores por mais um ano de de duas mil pessoas. pôde assistir duas etapas. Na primeira, grande sucesso. “Todos os anos, assu- Durante todo o dia, as pistas de foram selecionados cinco melhores mimos o desafio de superar a edição julgamento de animais receberam as tempos entre dez competidores. anterior e estamos conseguindo esse últimas provas e a arena do rodeio, as Depois, na grande final, os cinco me- grande êxito. Agradecemos os patroci- eliminatórias dos três tambores. lhores disputaram o ford ká zero qui- nadores, apoiadores e colaboradores, O Recinto Olavo Ferreira de Sá lômetro, sagrando-se campeão, com a e, principalmente o público, que mais J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 registrou o maior movimento de públi- totalidade de 425.50 pontos marcados, uma vez deu exemplo de respeito e co durante todo o dia de sua história, Elton José de Souza, de Pompéia. de que realmente a Fapi é a festa da num desfecho ideal para um evento O cantor Luan Santana já estava no família”, destacou o presidente. 24 Giro Rural
  • 21. Nome da seção Gr nonononono nonono nononononono nonononononono nonono nonononoSua festa muito mais completaCom 35 anos de tradição e qualidade oferecemos a mais completa estrutura.Casamentos | formaturas | recepções empresariais | aniversários | bodas Festas temáticas e muito mais! Contatos: 14 3324-6162 · 9706-2837 · gauchosbuffet@hotmail.com R. Rafael Cassetari, 284 · Jd. América - Ourinhos/SP Giro rural abril · 2011 16
  • 22. Gr Sustentabilidade AGRICULTURA BRASILEIRA é SUSTENTÁVEL, Diz presiDente DilMa Para a presidenta, a atividade no Brasil tem Roberto Stuckert Filho produzido alimentos com a menor redução de florestas no mundo (ABC) para o cumprimento das metas gamos abastecer o mercado interno assumidas durante a conferência de crescente com alimentos de qualidade Copenhagen (COP15). O ABC incen- a preços acessíveis”, completou. tiva o uso de práticas que reduzem As melhores condições de finan- a emissão de gases de efeito estufa ciamento estipuladas no novo Plano gerados pela atividade agropecuária, Agrícola e Pecuário foram também um dos compromissos voluntários lembradas pela presidenta. Segundo estabelecidos pelo governo brasileiro ela, o governo tem a estratégia de dar A presidenta Dilma Rousseff na conferência. as condições adequadas para que o afirmou no final do mês “O programa visa também a asse- Brasil possa competir com qualquer de junho, que a agricultura gurar a competitividade da agricultura país no mundo. Por isso, 80% dos R$ brasileira é uma potência ambiental. brasileira no mercado internacional ao 107,2 bilhões destinados à agricultura “Temos produzido alimentos com a oferecer um alimento produzido de comercial estão disponíveis a juros menor redução de florestas no mun- forma sustentável. Tem juros de 5,5% fixos de até 6,75% ao ano. “Temos as do”, disse a presidenta, que anunciou ao ano que incentivam o produtor a armas para competir lá fora e aqui em Ribeirão Preto o Plano Agrícola e contratar o crédito”, enfatizou Dilma dentro”, disse. Pecuário para a safra 2011/2012. Rousseff. A presidenta finalizou falando do Dilma Rousseff mencionou como Ela também reforçou o papel do papel social da agricultura. “A ativi- exemplo de produção sustentável o Brasil como grande fornecedor de dade agrícola também pode ser uma programa brasileiro do etanol, que alimentos em longo prazo. Para a presi- potência social porque o alimento é produz energia renovável por meio denta, com o aumento da renda da po- essencial para que a nossa população da cana-de-açúcar. “O etanol – um pulação e o consequente crescimento tenha condições de sair da desigual- combustível renovável - depende da da demanda por alimentos, a função dade e para nos orgulharmos da situ- agricultura”, lembrou. A presidenta do Brasil como importante produtor ação social do país”, concluiu. também falou da importância do Pro- agropecuário ficará mais evidente. Texto cedido por Ministério da Agricultura, grama Agricultura de Baixo Carbono “Também é fundamental que consi- Pecuária e Abastecimento. anÚncio (1/4) pÁG i naGiro rural26 abril · 2011
  • 23. L i Lazarini imóveis COMPRA · VENDA 20 anos de t radição PERMUTA · LOCAçÃO residências · apartamentos · terrenos · chácaras · sítios · fazendas · indústrias prédios comerciais · pontos comerciais · loteamentos · Áreas para indústrias FAzENdA MARíLIA – (PRóxIMO A FABRICA DA COCA-COLA) – S.P PADRE NóBREGA – S.P FAzENdA FAzENdA ASSIS – S.P OSCAR BRESSANE – S.P FAzENdA FAzENdA GARçA – S.P ECHAPORà – SPPareceres comerciais, avaliações (14) 3417-5500para inventário, avaliações judiciais.Rua Francisco Barrueco, nº 26 – J. Parati II (14) 9704-6151(Próximo ao H.C) – Cep: 17519-500 – Marília – S.P e-mail: lazariniimoveis@ig.com.br
  • 24. Gr Gente da terra ovÍDio De oliveira FAMíLIA OLIVEIRA, hÁ trez Gerações na aGropecuÁria Sobreviver com o dinheiro da agropecuária não é tarefa fácil, conversando com diversos produtores, constatamos esse fato. Todos reclamam das taxas abusivas de impostos, da dependência de uma estabilidade climática, que vem se tornando cada vez mais imprevisível, devido aos fenômenos naturais originados pelo uso e abuso irresponsável do ser humano na natureza. Portanto, o simples fato de uma família conseguir se manter exclusivamente com a renda adquirida do campo é algo nem tão simples assim, que se tornou até mesmo especial nos dias de hoje, merecendo destaque em nossa revista. Por isso, trouxemos para os leitores a história da família Oliveira, que apesar dos apuros e apertos, não desistiu de investir em gado leiteiro e, com isso, tem conseguido se reerguer crise após crise. T udo teve início quando o pai Na propriedade trabalham Sr. tornar a renda da família satisfatória. do Sr. Ovídio de Oliveira se Ovídio, seus dois filhos, Sidney e Para atingirem o objetivo desejado, instalou na região de Marília, Wander e mais um funcionário. adquiram no último mês mais sessenta em 1927, de lá para cá a família se de- Atualmente possuem 65 vacas na novilhas de girolando, gado que consi- dica exclusivamente à agropecuária. ordenha e tiram uma média de 400 a deram o melhor para a atividade, pois Com altos e baixos, já investiram na 500 litros de leite por dia, destinados apesar de produzir menos do que o cultura de diversos produtos, como ao laticínio Gege, de Oscar Bressane. holandês é mais resistente e mais fácil melancia, amendoim e milho, sempre No entanto, consideram a quantidade nos cuidados, já que se alimentamJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 paralelamente à produção de leite, produzida insuficiente para uma boa quase que exclusivamente de forra- atividade que nunca abriram mão, margem de lucro. Pretendem atingir geiras, precisando de complementa- desde que iniciaram, há mais de 1000 litros em até um ano, e acreditam ção como ração e silagem de milho cinquenta anos. que com essa produção conseguirão ou sorgo apenas na época da seca.28 Giro Rural
  • 25. Sr. Ovídio de Oliveira e seus dois filhos, Wander e Sidney, família proprietária do Sítio Santa Cecília Nesses mais de cinquenta anos da vaca. Pois tornou-se necessário na produção se acumularam, e adedicados ao gado leiteiro, viram lavá-las e secá-las para dar início ao família precisou se desfazer dasmudanças significativas acontece- procedimento de retirada do leite. máquinas e de um terreno de suarem. Ainda lembram-se dos tempos Paralelamente a atividade lei- propriedade. Mesmo após enfren-sem a ordenha, em que o leite era teira, o cultivo do amendoim tinha tarem essa difícil crise, não desis-tirado manualmente e sem os cui- se tornado muito lucrativo para a tiram do agronegócio, se uniramdados necessários com a higiene. família, até que, com a transição dos e investiram na atividade da qualContam que regras de higienização governos FHC para o governo Lula, nunca abriram mão, e conseguiramvêm ganhando espaço e rigidez en- o valor da saca do fruto despencou provar a eles mesmos e aos outros,tre os produtores, e que os cuidados para menos da metade do valor que que a melhor maneira de se ganharcom a qualidade do produto final estavam acostumados a receber. uma guerra é não desistir de umase inicia com ela, antes mesmo da Com isso, as dívidas dos maquiná- batalha, por mais difícil que elamangueira ser colocada nas tetas rios adquiridos para o investimento possa parecer. cafeeiro anÚncio 1155-4 / 4 ) p Á G i n a ( 4x4 1 Giro rural Comandante João Ribeiro de Barros, km 443, nº 2205 - Fone: (14) 3401 0333 Trator 1155-4 Super Estreito, linha cafeeiro, Representante exclusivo da linha Yanmar Agritech com largura externa traseira de 1,18 metro em Marília e região, a Ciamar disponibiliza toda a e consumo de apenas 2,5 a 3,0 litros / hora. 2 cv 1 16 linha de tratores lde· 11 0 1 a 75 cv. abri
  • 26. Gr Giro equestre O Centro Oeste Paulista tem Pai orgulhoso, sente-se privilegia- levá-lo à baia destinada, piquete ou se tornado cada vez mais do em ter passado aos filhos sua pai- pasto onde ele vai ficar”, conclui. um núcleo importante para xão, pois para ele a criação foi um fator Mesmo com pouca idade, seu filho a criação de Quarto de Milha. Diver- importantíssimo que colaborou muito mais velho, Leonardo, já apresenta sos criadores e apaixonados pela raça com a transmissão de valores impres- estar maduro e seguro do que deseja encontram-se na região, um deles é cindíveis para a educação, como res- para sua vida. Aos 15 anos, o jovem João Maciel, proprietário do haras Pa- ponsabilidade, confiança e lealdade. participa de competições, e após raíso, na cidade de Pompeia. Ele abriu “Eu sempre digo aos meus amigos, chegar da escola dedica todas as suas as porteiras de sua propriedade e de que uma coisa que eu não me arre- tardes ao haras, cuidando dos animais sua vida revelando antigos desejos e pendo foi de ter direcionado a vida dos e aplicando aulas de equitação. projetos para o futuro. meus filhos para o cavalo. Acredito que A rotina do haras não é tarefa fá- Há seis anos, João conseguiu trans- tenha sido um fator preponderante na cil, o local conta com cerca de vinte formar em realidade um sonho de in- educação deles, porque eu percebo animais, e os cuidados com cada um fância que se fazia presente não só na que o cavalo trouxe responsabilidade deles demanda tempo e disposição. É imaginação, mas que constantemente para os dois”, afirma. “Cavalo não é preciso de uma equipe de profissio- era passado para o papel em dese- um brinquedo que seu filho acaba nais preparados para se fazer um bom nhos e esboços, o seu haras. “Lembro de brincar e deixa jogado na sala ou trabalho. Esta é composta por um trei- que na escola eu fazia desenhos no em qualquer lugar. Ele precisa de nador, tratador, ferrador, competidores caderno de como eu faria minhas cuidados, ou seja, quando acaba o e assistência de dois veterinários, Dr.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 cocheiras e os piquetes”, comenta. treinamento não pode simplesmente Fernando Costa e Dr. Lucas Comino, Sua paixão por cavalos vem desde a soltá-lo no pasto, é preciso dar um que dão suporte na reprodução e infância, graças ao interesse de seu banho, verificar se há algum ferimento acompanhamento geral dos animais. pai, Aristides Garcia, pelo animal. ou torção, alimentá-lo para só depois Os treinamentos estão a cargo do30 Giro Rural
  • 27. Wladimir Lesia, com a colaboração modalidade do quarto de milha, clarode Leonardo Garcia. que existem algumas exceções, mas Além disso, o retorno do inves- no geral é isso. Então desde a idealiza-timento na criação dos animais é ção de um animal até fazer com quede pelo menos cinco anos, segundo aquilo se torne realidade em termos CONFECÇÕES ARTESANAISJoão. “O investimento no cavalo é de nascimento e competição, leva-sede longo prazo. Após realizar todo o no mínimo cinco anos.planejamento para uma gestação, o Com os sonhos praticamentenovo animal nascerá somente após 11meses,ou seja, já terá se passado umano para conferir o resultado daquele realizados, João ainda tem algumas metas para concretizar. Deseja possuir uma criação de excelência, ou seja, DE SELAS E ARREIOStão desejado cruzamento. Depois do os melhores animais da raça. Paranascimento do animal será preciso atingi-la, procura comprar os animaismais ou menos dois anos e meio para levando em consideração mais do queiniciar os treinamentos. Após esse pe- a beleza, o pedigree. Busca mais doríodo ainda levará cerca de um ano e que a classificação do próprio animal,meio para ele se tornar um craque ou sempre aqueles com os melhoresum campeão de tambor ou de outra progenitores. O sucesso do trabalho em família. anÚncio (1/3) pÁG i na S VENHA NO M V I S I TA R E VO NOSSO NO ! E N D E R E ÇO Giro ruralDa esquerda para a direita, Leonardo Garcia, sua irmã Laura e R. Manoel Pinheiro de Matos, 901 · Marilia/ SPseus pais Márcia e João Maciel (014) 9672-2180 primiciasselaria@hotmail.com 16 abril · 2011
  • 28. Gr Controle biológico veterinÁrio JayMe De toleDo piza ESTERCO COM FUNGOS auxiliaM o coMbate De verMes O veterinário Jayme de Tole- fungos possuem para combater ver- gastos com vermífugos para aplicação do Piza, atento a procedi- mes e é realizada adicionando uma no rebanho. Não que o medicamento mentos promissores que espécie de pó concentrado do fungo deixará de ser utilizado, mas proje- auxiliem a criação e cuidados com os à ração do gado. ções apontam que ao utilizá-lo em animais, fez um alerta para uma nova Embora letais para os ovos e larvas combinação com o pó concentrado técnica da Universidade Federal de dos vermes, esses fungos são inofen- do fungo na alimentação dos animais, Viçosa, publicada recentemente no sivos aos animais e às plantas, assim futuramente sua necessidade cairá jornal Folha de São Paulo e que está como aos seres humanos que vierem significativamente. Já que as fezes em estado avançado de testes, aguar- a consumir a carne e o leite desses possuirão esse antídoto natural, e em dando apenas registro no Ministério da rebanhos. contato com o ambiente este se espa- Agricultura. Esta consiste em utilizar Com o avanço dessa inovação, lhará, exterminando ovos e larvas e di- o poder natural que alguns tipos de possivelmente haverá diminuição de minuindo, assim, possíveis infestações. Entenda melhor o funcionamento da técnica: http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/922274-tecnica-de-esterco-com-fungos-combate-parasitas-em-animais.shtml32 Giro Rural
  • 29. Nome da seção Gr nonononono nonono nononononono nonononononono nonono nononono roupa masculina, feminina e infantil, selaria completa, Bota, chapéu, roupas de couroLoja 1: Loja 2: Giro ruralRua João da C. Vieira, 729 - Galeria MPI - Loja 13 Rua Comte. João Ribeiro de Barros, km 480(14) 3452-2634 (14) 3452-3622 Pompéia - SP abril · 2011 16
  • 30. Gr Meio Ambiente uM neGÓcio proMissor REFLORESTAMENTO, uMa boa alternativa aMbiental e financeira O estilo de vida dos países industrializados, sejam São Paulo é o maior estado consumidor de produtos eles desenvolvidos ou em florestais do Brasil e, além disso, provavelmente desenvolvimento, agrediu a natureza haverá, em breve, o incentivo e investimento de de diversas formas. Tanto na emissão de gases poluentes, decorrentes do países do Hemisfério Norte, para atividades que funcionamento das indústrias, dos tenham como fins o sequestro de carbono. motores dos automóveis, da produção de gado em larga escala, entre outras coisas, quanto no desmatamento de No que diz respeito a mudanças de disponibiliza mudas de eucalipto a florestas e áreas nativas para a planta- postura no campo, é perceptível que o custo simbólico, assim como presta ção de produtos rentáveis, criação de reflorestamento vem ganhando desta- gratuitamente a assistência de técnicos pastos, ocupação urbana, ou seja, para que entre as atitudes mais praticadas. para produtores que desejam iniciar a realização de diferentes atividades. Isso porque a exploração sustentável a atividade. A Coopemar também Nos últimos anos a natureza tem apre- de lenha, celulose e madeira é um ne- realiza um serviço semelhante a seus sentado, de maneiras não muito agradá- gócio promissor, já que tem mercado cooperados, o que torna possível a veis, as consequências do descaso do garantido. prática não somente no município, mas ser humano. Com fenômenos ambientais Muitas ONGs, cooperativas e em municípios vizinhos. que devastam milhares de vidas, e vêm municípios desenvolvem programas Pelo que se tem visto, o refloresta- aumentando de frequencia ultimamente, e beneficiam agricultores e pecua- mento está em grande crescimento na tornou-se consenso mundial a necessi- ristas que apresentam a iniciativa do região, o que é muito interessante, não dade de mudanças em algumas práticas reflorestamento. É o que acontece em só para a economia local, como para a como, industriais, urbanas e agrícolas. Marília e região. A prefeitura da cidade saúde das pessoas e do planeta.J ul h o/a g o s t o · 2 0 1 134 Giro Rural
  • 31. A aceitação de madeira de eucalipto tratada na um custo muito inferior à madeira de origem nativa construção civil está cada vez mais alta nas apli- considerando a distância em que é encontrada. cações em residências de médio e alto padrão, Portanto, para um ótimo resultado nacomo também em construções de hotéis, resorts, restau- execução dos mais variados projetos,rantes, bares, quiosques de praia, decorações de jardins, contribuir com a preservação doportões e muitos outros. O aumento do interesse ocorre meio ambiente, gerar incrementopela qualidade e durabilidade desta madeira, podendo da economia local e ainda econo-ser encontrada serrada, beneficiada e tratada como mizar dinheiro, a melhor opçãopranchas, vigas, caibros, ripas e decks. Além da constru- é ultilizar madeira deção civil, a madeira tratada também tem seu espaço em eucalipto tra-redes elétricas, na utilização de postes, e ainda, em subs- tada.tituição de cruzetas de madeira nativa e de concreto. Toda a matéria-prima vem de reflorestamentos, semexplorar as florestas tropicais e gerando economia paraos produtores rurais que já encontraram no eu-calipto uma cultura altamente rentável e debaixa manutenção, podendo ser cultivadonos mais diversos solos e terrenos. Hoje, é possível encontrar madei-ra tratada de qualidade em todo dopaís, o que a torna um produto com
  • 32. Etanol Gr xxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxx UMA GRANDE RIQUEZA NACIONAL Produção de produtividade é, sem dúvida, a maior combustível renovável. Só resta fazer do mundo. Pois, nos Estados Unidos, com responsabilidade, sem compro- biocombustível mais maior produtor mundial de etanol meter a produção de outros alimentos atualmente, cada hectare da cultura ou promovendo o desmatamento ile- viável na atualidade é gera menos da metade de litros do gal, pois de nada adianta procurar so- liderada pelo Brasil que a mesma quantidade de terra no lucionar um problema gerando novos. Brasil, onde são produzidos 6800 litros Para continuar apresentando essa N a intensa busca por soluções de álcool, ante os 3200 litros norte relevância, é preciso superar alguns de combustíveis renováveis americanos. Esse fator pode estar re- entraves que dificultam, e muito, o e que agridam o menos pos- lacionado com o fato do etanol ameri- maior crescimento e desenvolvimento sível o meio ambiente, o Brasil possui cano ser produto do milho, enquanto o no mercado,como por exemplo o meio uma importância significativa, já que nacional é extraído da cana. Outro fator de transporte pelo qual o etanol é dis- é o maior produtor da cana de açúcar que conta a favor do Brasil é o preço tribuído, atualmente é realizado quase e, consequentemente um dos maiores da produção, o litro custa cerca de 20 que exclusivamente por caminhões, o produtores do etanol, combustível que centavos de dólar, ante 47 centavos do que encarece o valor final. A construção mais se destaca do ponto de vista am- álcool de milho americano. de dutos, o investimento em ferrovias biental e econômico. Pois além de ser Numa época em que o mundo vem e hidrovias, assim como portos me- uma fonte renovável, ainda apresenta assistindo e sofrendo as consequên- lhores equipados, se tornam medidas baixas emissões de gás carbônico em cias das ações irresponsáveis do ser necessárias para não frear ou limitar as relação aos combustíveis fósseis. humano sobre a natureza, os países possibilidades do Brasil no setor. O Brasil dificilmente perderá a passaram a buscar algumas formas de Com a expectativa de um futuro liderança para algum outro país nes- amenizar e diminuir o crescimento de- promissor do país no ramo do bio- se campo, pelo menos a curto prazo. senfreado de agentes causadores dos combustível, o estado de São Paulo só O país tem realizado com excelên- problemas. Com isso quem apresenta tem a ganhar, já que é responsável porJ ul h o/a g o s t o · 2 0 1 1 cia a produção em larga escala de boas alternativas tende a conquistar pouco menos de 60% de toda a pro- combustíveis renováveis, favorecido espaço mundialmente. O Brasil é sem dução nacional. Mais um dos diversos pelas condições climáticas, extensão dúvidas um dos países que continuará produtos importantes para a economia territorial, relevo e reservas de água. A a ter destaque enquanto produtor de do Brasil que o estado paulista lidera.36 Giro Rural
  • 33. Nome da seção Grnonononono nonono nonononononononononononono nonono nononono Giro rural abril · 2011 16
  • 34. Gr Giro Literário www.aGrolivros.coM.br ALIMENTAçÃO DE BOVINOS DE CORTE MARKETING AMBIENTAL: NA ESTAçÃO SECA éTICA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E COMPETITIVIDADE NOS NEGóCIOS editora: lK editora: atlas ano: 2006 ano: 2008 edição: 1 edição: 1 isbn: 85-87890-49-2 isbn: 978-85-224-4676-6 páginas: 72 páginas: 200 acabamento: brochura acabamento: brochura formato: Médio formato: Médio Nos últimos anos, a bovinocultura de corte tem passado por profundas mudanças em nosso país, sendo necessária a aplicação de tecnologias adequadas a cada Atualmente, os problemas ambientais globais (o efeito estufa, o aumento do buraco situação. Para alcançar este objetivo, novos conhecimentos estão sendo utilizados na camada de ozônio, a perda da biodiversidade, a ameaça de escassez de energia e a fim de melhorar a produção. da água) contribuem para que diferentes atores sociais percebam a extensão da crise No Brasil, o sistema de produção de bovinos de corte mais utilizado é o de pastagens, ecológica na qual estamos inseridos. Seus sinais mais evidentes para o público são: o devido às condições climáticas típicas de regiões tropicais, com duas estações bem aquecimento global, as mudanças climáticas, a intensificação da extinção de espécies, definidas: uma chuvosa e outra seca. Em conseqüência disso, o produtor deve dar o aumento da poluição do ar, do solo e das águas e a destruição das florestas. ao seu rebanho uma correta alimentação, visto que ela interfere diretamente nos Muito da intensificação da pressão sobre o meio ambiente tem suas raízes no aumento processos produtivo e reprodutivo dos bovinos. substancial do consumo nos últimos 200 anos, e a perspectiva a curto e médio prazo O presente trabalho vai orientar os leitores sobre os principais procedimentos para é o seu crescimento contínuo, devido a que muitos países em desenvolvimento (como a alimentação de bovinos de corte no período da seca, desde o conhecimento das a China, índia, Rússia etc.) adotaram o modelo seguido pelos países mais ricos. fases de criação de bovinos de corte e os fatores determinantes da sua produção A alternativa é uma profunda mudança em toda a sociedade: nos valores sociais, até as alternativas para a alimentação no período da seca. nos padrões de consumo, na adoção de tecnologias verdes, implantação da gestão Os procedimentos são apresentados em fotografias, acompanhadas por textos curtos ambiental em todo processo produtivo etc. Essa perspectiva envolve um papel mais e objetivos, e inserções de atenções - que visam à produtividade e à obtenção de um ativo do marketing, de modo que contribua para as mudanças de comportamento produto de qualidade - e de precauções, que são recomendações para a execução e procure satisfazer as necessidades, em termos mais sustentáveis, levando em das operações sem o mínimo de risco para o operador e para terceiros. consideração os aspectos ecológicos. Humor Conversa de pescador Três caipiras conversam anima- — Ainda não faz quinze dias pes- — E qual é a novidade num pacu damente sobre as suas façanhas de quei um dourado de metro e meio... desse tamanhico,” cumpadi”? - riem pescador: Nisso, o terceiro estica o braço os outros dois caipiras. — Outro dia pesquei uma traíra de como se estivesse indicando uns trinta E ele decidido: quase um metro, diz um deles. centímetros: — Essa era a distância entre os O segundo não desanima e re- — Ah, mas o pacu que eu pesquei zóios do bicho... truca: era mais ou menos assim... Disponíveis em: <http://www.agricoma.com.br/agricoma/humor/humor.htm> anÚncio (1/4) pÁG i na 3422-1858Giro rural (14) • PISCINA AQUECIDA • PROFESSORES FORMADOS AV. BRASIL, 268 – CENTRO38 • ADULTOS E CRIANÇAS • 3ª IDADE E GESTANTES abril · 2011 MARÍLIA – SP
  • 35. quer vender gado?quer comprar gado? www.apartador.com.br apartador.com.br O site www.apartador.com.br trabalha com venda de lotes de Gado, cadastramos os lotes e enviamos para toda a nossa carta de clientes. Faça uma visita e encontre ótimos negócios. www.apartador.com.brNão cobramos o cadastro dos lotes, trabalhamos com comissão que deve ser paga pelo veNdedor e pelo comprador dos lotes após o Negócio efetivado.
  • 36. UM DOS MAIORES E MAIS MODERNOS PARQUES GRÁFICOS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Ao equacionar qualidade, originalidade, profissionalismo, orçamentos justos, credibilidade e alta tecnologia, a IMPRESS GRÁFICA E EDITORA conceitua sua excelência em prestação de serviços gráficos nos segmentos editoriais e promocionais.IMPRESSÃO COM PERSONALIDADE POSSUI MARCA REGISTRADA. A NOSSA ! LAMINAÇÃO BOPP - PLASTIFICAÇÃO - RELEVO - VERNIZ ULTRAVIOLETA - HOT-STAMPING MATERIAIS INSTITUCIONAIS FACAS ESPECIAIS - COSTURA DE MIOLO DE LIVROS - PRODUÇÃO DE ARAME EM ESPIRAL COLOCAÇÃO DOS ESPIRAIS COLOCAÇÃO DE ANEL DUPLO (WIRE-O) - FURAÇÃOMATERIAIS PROMOCIONAIS / PDV GRAMPEADEIRA AUTOMÁTICA PARA REVISTAS E CATÁLOGOS - LOMBADA QUADRADA (HOTMELT) - ALCEADEIRA PARA MIOLO DE LIVROS - DOBRADEIRA COM POSSIBILIDADES DE MATERIAIS EDITORIAIS MÚLTIPLAS DOBRAS - CORTE E VINCO - PRENSADORA DE MIOLO DE LIVROS. (18) 3908-3444 - (18) 3908-8134 Gráficas tercerizem conosco. Rua Vicente Mele, 141Orçamento sem compromisso pelo e-mail: CEP 19064-200 orcamento@graficaimpress.com.br Pres. Prudente - SP WWW.GRAFICAIMPRESS.COM.BR

×