RESISTANCE3ª Edição                         Setembro 2011 João Pedro          Maria da Conceição Neto                Ruivo...
Editorial    “A journey of a thousand miles begins with a single step.”    Lao Tzu    Depois do sucesso das duas primeiras...
ÍndiceDentro do dep...3_”Caloiro 101”. Pedro Melo4_”Caloiro 101”. Sérgio Pinto5_”Caloiro 101”. Carlos Henriques6_”Caloiro ...
Caloiro 101                       There‘s no secret                       texto_Pedro Melo     Já me perguntaram várias ve...
Caloiro 101                     A vida de Coimbra         texto_Sérgio PintoAlguns passam ao lado do que esta cidade tem d...
Caloiro 101                         Aprenda a fazer cadeiras                             passo-a-passo                    ...
Caloiro 101                              PRAXIS                               texto_João Almeida                          ...
Depois de Coimbra            A problemática derivada da complexidade            da situação que se introduz.            te...
Depois de CoimbraO meu projecto era na área aeroespacial e respondia        sonda ExoMars (que irá para Marte em 2016) e p...
Entrevista               Maria da Conceição Espadinha Ruivo                                                          texto...
Entrevista   As provas académicas e o                Contudo, a física teórica não é estanque,   trazer alguma satisfação ...
Erasmus            A experiência de PLI                       Davide Di Croce     Olá leitores! O meu nome é Davide Di Cro...
texto_Magda Silva                                                              CPSÉ muito mais do que posso contar. Vai um...
16 Frames por segundo                                                                       clara mensagem de denúncia do ...
16 Frames por segundo“Midnight in Paris”                                desta vez um pouco menos extravagante, mas        ...
78 rotações por minuto       Bombay Bicycle Club                                                                          ...
78 rotações por minuto                                               Thurston Moore                                       ...
A gamer (re)view     texto_Bruno Galhardo     Poucos foram os títulos interessantes lançados para as lojas este Verão. Nat...
FIM                                                                                               João Pedro Ferreira     ...
O dia antes                                                  caixa de spam. Lá está o tão esperado e-mail: felicidade,    ...
Estado estacionário                                          Porto                                            texto_João L...
Estado excitado                                                                    Roma                                   ...
Estado excitadoAlgures no fundo de uma longa escadaria encontrámos          de Arquitectura que passou o seu primeiro seme...
Resistance (3ªedição)
Resistance (3ªedição)
Resistance (3ªedição)
Resistance (3ªedição)
Resistance (3ªedição)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Resistance (3ªedição)

697

Published on

Magazine created by students of the physics department of the university of Coimbra

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
697
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resistance (3ªedição)

  1. 1. RESISTANCE3ª Edição Setembro 2011 João Pedro Maria da Conceição Neto Ruivo Depois de Coimbra Entrevista página 7 página 9
  2. 2. Editorial “A journey of a thousand miles begins with a single step.” Lao Tzu Depois do sucesso das duas primeiras edições, abraçar um novo projeto. Não hesites, fala connosco! partimos para a terceira cheios de ambição. Queremos Queremos o teu contributo, seja através de artigos ou ser aquilo com que sempre sonhámos ser. Uma revista, na edição. não só do Departamento de Física, mas sim de toda a Contacta-nos através do nosso e-mail (resistancemag@ nossa faculdade. gmail.com) ou no facebook. Com a entrada de três novos membros: André Silva, Gostaríamos de deixar uma palavra de apreço ao Mariana Ramos e Rui Nunes, a nossa equipa está a NEDF por todo o apoio prestado nesta edição. aumentar e a melhorar de edição em edição. P.S. Uma vez que ambicionamos obter uma revista Mas queremos mais, queremos-te a ti. com um conteúdo mais técnico, ficamos, também, à espera do apoio dos professores através de novos Nada melhor do que começar um novo ano lectivo a artigos. Ficha técnica: Editores: Joana Faria, Frederico Borges, Pedro Silva Colaboradores: Karen Duarte, Patrícia Silva, Ana Telma Santos, Rui Nunes, André Silva, Mariana Ramos Revisão: Bruno Galhardo, Ângela Dinis1 Setembro 2011 RESISTANCE
  3. 3. ÍndiceDentro do dep...3_”Caloiro 101”. Pedro Melo4_”Caloiro 101”. Sérgio Pinto5_”Caloiro 101”. Carlos Henriques6_”Caloiro 101”. João Almeida7_”Depois de Coimbra”. João Neto9_”Entrevista”. Maria da Conceição Espadinha Ruivo11_”Erasmus”. Davide Di Croce12_”ICPS”. Magda Silva _20Viagens...20_”Estado estacionário”. João Lima21_”Estado excitado”. Ana ToméCultura...13_”16 frames por segundo”.15_”78 rpm”. _617_”A gamer (re)view”25_”Mãe, afinal sei cozinhar”. João DomingosOpiniões...18_”Fim”. João Pedro Ferreira23_”Crónicas”. _25RESISTANCE Setembro 2011 2
  4. 4. Caloiro 101 There‘s no secret texto_Pedro Melo Já me perguntaram várias vezes o que fazia para ter boas volta se transformem em porcos (ou algo parecido). Mas, notas. Não satisfeitos com a história que envolve pactos muitas vezes, os professores dizem coisas importantes sobrenaturais, arranjaram forma de me fazer escrever que não aparecem em livro nenhum e ler apontamentos sobre o assunto. como todas as experiências particulares, de outros nem sempre é boa ideia, uma vez que estão esta vale o que vale e ninguém vos culpa se saltarem para organizados de acordo com a lógica de outra pessoa, nem outro artigo... ainda estão a ler? Então vamos lá: todos apontam tudo o que é relevante (e a caligrafia pode não ser a melhor)*. 1 - Dormir: Aquelas 7 ou 8 horas de sono que se ignoram por pensarmos coisas como “tenho alguma resistência” 3 - Estudar: O seguinte provérbio budista “Ouve e são, na verdade, muito úteis. permitem-nos “desligar” esquecerás, lê e lembrarás, faz e compreenderás” parte do cérebro para que este se possa concentrar em apareceu num dos meus livros de Matemática. Ir às outras tarefas. É, durante o sono, que a memória a longo aulas e ler apontamentos é muito útil, mas treinar o que prazo (muito útil em exames) é preenchida e quem é que aprendemos é o passo fundamental. na área onde estamos nunca acordou a meio da noite com a solução para algum traduz-se muitas vezes em resolver problemas por nós problema na cabeça? mesmos. Olhar para uma ou duas resoluções ajuda no início, mas memoriza-las ou simplesmente transcrever acaba por não ajudar muito, até porque é possível sempre inventar novos problemas. Tudo isto tem um aspecto muito bonito, mas na realidade nada acaba por funcionar se não tivermos vontade (sei o quanto isto se parece com aqueles livros absurdos de auto-ajuda, mas as duas primeiras partes de “eu quero, posso e mando” quando bem enraizadas acabam por funcionar). ter um hobbie também ajuda, seja ele tocar um instrumento musical ou disparar contra personagens virtuais. *O autor deste texto é criticado várias vezes por ter 2 - Ir às aulas: Sim, há aulas que parecem um episódio da um caracter semelhante a várias letras (de diferentes Twilight Zone em que esperamos que as pessoas à nossa alfabetos) e números.3 Setembro 2011 RESISTANCE
  5. 5. Caloiro 101 A vida de Coimbra texto_Sérgio PintoAlguns passam ao lado do que esta cidade tem de melhor, me impediu de trabalhar, de querer dar o meu contributoacordam e vêm às aulas, saem das aulas e vão para casa, para a academia, mas ao mesmo tempo não sentia o “pesomas Coimbra é mais que isto...Coimbra é e será sempre a real” da responsabilidade, vim a sentir este ano…cidade das paixões, têm algo que nos faz olhar para alémdos estudos e consegue fazer-nos sentir um “amor” por Falando agora realmente do que o Pedro queria, falandoesta cidade e por toda a tradição que existe, é a cidade da deste este ano e o que é trabalhar na DG, são memóriasAssociação Académica de Coimbra. que ficam para uma vida, o formar lista, o fazer o organigrama, as discussões de projecto, o concorrer, asO Pedro pediu-me para escrever algo a falar sobre o que noites sem dormir, o colar cartazes e…o ganhar! São tudoé a Direção Geral e trabalhar lá e como conciliar com os experiências que ficam para uma vida.estudos, um tema nada fácil…mas vamos tentar passar Olhando para trás e para o futuro sei que perdi muito,para palavras aquilo que muitas vezes é impossível relacionamentos, amizades, tempo pessoal, estudos,definir. saudades da família, mas no fim do dia, aqueles em queOlhando para trás, bem para trás, para o inicio, para se consegue ir dormir, sei que perdi muito mas tambémo percurso que fiz, comecei no núcleo de estudantes sei que ganhei, ganhamos amizades novas, ganhamosdo departamento de física (NEDF) fui coordenador experiência de trabalho, experiência que nunca um cursoda Cultura, aquele que acabou por ser o meu primeiro chega a dar e a preparar para a vida. Há dias em que mecontacto com o Associativismo, nessa altura tornava- arrependo, outros em que não,.Foi uma escolha, umase fácil conciliar o cargo com os escolha minha, uma escolha de vida,estudos e a vida pessoal, porque era uma escolha que fiz por mim.um universo pequeno mas ao mesmo São muitas noites sem dormir, muitotempo era importante , fazia-me sentir stress, muitas reuniões, é o falhar atéque realmente estamos a tentar fazer o mais simples jantar com amigos,algo para os nossos colegas/amigos, é abdicar da nossa vida, as criticashorários iguais…era fácil conciliar constantes…mas há uma “pequena”tudo…e cresceu um “bichinho”, o coisa que faz com que tudo valhaquerer fazer algo importante, o querer a pena, é olharmos para o lado efazer algo que importe, que tenha vermos que estamos a trabalhar esignificado, o querer deixar uma a ajudar algo que é e será sempremarca pela positiva… maior que qualquer um de nós e queFoi esse “bichinho” que me fez no estará aqui por muitos mais anos, éfinal desse ano concorrer ao núcleo, ter orgulho em dizer, “sim sou da UC,perdi, mas na vida também temos de saber lidar com sim sou da AAC”, é o sentir que fazemos parte de algodesilusões, na altura e durante algum tempo não soube, que já derrubou um governo, que fez uma das maioressenti que desiludi uma equipa que acreditou em mim, que manifestações a nível nacional, é o chegar ao bar e olharacreditou num projecto, mas pior senti que desiludi os para todas as imagens a nossa volta e sentirmos quemeus amigos que acreditaram em mim, senti que não me estamos a escrever o que um dia será historia….envolveria nunca mais nisto…mas estava enganado! É uma experiência de uma vida, sabermos que estamos aO ano passado fiz parte da DG, estive como coordenador trabalhar para ajudar não aqueles que já partiram mas simdas Saídas Profissionais era a hipótese de dar o meu aqueles que ainda aqui estão e os que para aqui virão...contributo à mais antiga associação académica do Se puder pedir algo, peço que não passem ao ladopaís, aquela que é a associação mais antiga, com mais de Coimbra...vivam a academia, vivam o que faz detradição, cultura, uma referência para todas as outras, Coimbra a cidade das paixões...Eu vivi, venci e aomas acima de tudo era a hipótese de trabalhar lado a lado mesmo tempo perdi, mas no fim do dia é uma escolhacom alguns amigos, amizades que só Coimbra nos sabe apenas vossa, saibam que perdem muito mas tambémdar…atrevi-me e aceitei! Foi um ano complicado, tive de ganham… deixo-vos com aquilo que foi o nosso sloganabdicar de algumas coisas porque a responsabilidade já quando concorremos, e que apenas cada um sabe qual aera maior, embora não fosse o coordenador geral isso não resposta que dará, “és capaz?”RESISTANCE Setembro 2011 4
  6. 6. Caloiro 101 Aprenda a fazer cadeiras passo-a-passo texto_Carlos Henriques Chegamos à universidade a meio mestre em cinco anos, com uma boa falto a essas aulas. Assim, tenho mais de Setembro (no caso dos caloiros), nota e, finalmente, acabaste o curso tempo para estudar o que realmente as praxes, os jantares, as tascarias que te pareceu durar uma eternidade. interessa e para os “copos”. Quando e as saídas à noite tornam-se uma Passado uns anos dás por ti a começarem as frequências, saio uma inevitável rotina. É o início do ano, reflectir: “afinal que experiência tirei a duas vezes por semana e estudo à ainda não há nenhuma avaliação e, eu da universidade? Que maluqueiras tarde. Não me junto em grupos de portanto, “Puto! Caga nas aulas que e amigos fiz nestes 5 anos?”. É, estudo, pois a concentração é menor. ainda é cedo pra isso. Bora sair ”. O então, que te dás conta que perdeste Tento começar a estudar uma semana tempo vai passando até que chega a os melhores anos da tua vida e nunca antes da frequência, intensificando Latada, no entanto, apesar de haver os poderás recuperar. o estudo exponencialmente, sendo aulas, poucos são os que vão. O meu conselho: que a noite precedente à prova é As bebedeiras e as noites do recinto Eu não sou um bom exemplo, mas, passada a estudar (nunca sair na noite levam-nos a repensar e a dizer: até agora, tenho conseguido conciliar anterior ao ponto). As laboratoriais “Puto! Depois da latada vou-me as cadeiras com as tradicionais noites ajudarão muito na nota final, por empenhar a sério”, no entanto a boémias coimbrãs. isso empenho-me nesse trabalho. inércia é uma fatalidade intrínseca Na época dos exames raramente da Física e metade do semestre já lá saio, estudo apenas para a cadeira do vai. Sendo a “distância de segurança” Warning! O que se segue exame mais próximo e se não tiver tão pequena, é quase impossível é o meu processo e tempo deixo o seguinte para recurso. anular o “momento”, de tal modo não obrigatoriamente o Em recurso, caso me tenha corrido que os copos e as noites longas se mais correcto. Não me tudo bem, só terei melhorias e aquele perpetuam. É, então, que dizemos exame que deixei na época normal. “Caga puto! Faço tudo por exame… responsabilizo por eventuais A minha política é baseada numa na boa man”. Julgo que não preciso danos. gestão precisa do tempo e não goza de exemplificar o que irá acontecer… de grande flexibilidade, no entanto Então, avancemos. Tudo o que é preciso é uma boa é conciliável com os ”copos”. A No início do segundo semestre gestão. No início dos semestres responsabilidade e um copo de verde dizemos com toa a convicção “Puto! vou a algumas aulas e saio à noite de Vale de Cambra antes de estudar Hoje não saio, este semestre vou- de duas a quatro vezes por semana. são a chave do sucesso. me aplicar a sério” mas… “Man! Procuro saber quais as cadeiras que também não exageres ainda agora são preferíveis fazer por frequência. começou :p” e tudo isto se repete Seguidamente, se possível, novamente no segundo semestre. descarto logo 2 cadeiras às Einstein, há 100 anos, mostrou-nos quais deixarei de ir às aulas com a sua teoria da relatividade que e nunca lhes pego até aos o tempo não flui uniformemente exames (na minha opinião quando a velocidade é excessiva. Isto isto é preferível a tentar ir a é inteiramente verdade. Esta triste todas as frequências e não ter sina repete-se durante anos sem nos tempo de estudar a sério para apercebermos que o tempo passa, é o nenhuma). No início, tento que eu chamo “o ciclo do borrachão”. ir à maioria das teórico- O que fazer? práticas até me aperceber Talvez o mais correcto seja ficares quais as cadeiras, cujas aulas todo o dia na tua toca a “marrar”. És são menos importantes e5 Setembro 2011 RESISTANCE
  7. 7. Caloiro 101 PRAXIS texto_João Almeida Como todos sabem, uma das mas em Coimbra nem só a terra características do Estudante de se prepara para receber o noivo, Coimbra é a “Capa e Batina”, seja também alguns carros ganham ele caloiro ou veterano. Pode o seu muita vida.... Claro, estou a falar uso diário ter caído em desuso, mas do Cortejo dos Fitados, que ao invés pelo menos contínua a ser a melhor do anterior é a apresentação dos que opção para as Serenatas. se vão embora; como na Serenata, Enverguei pela primeira vez Capa toda a academia se junta a esta festa. e Batina na Serenata do Caloiro, e É também um momento especial só a partir desse momento me senti para os caloiros, porque para além completamente igual a todos os de diminuírem as responsabilidades, outros Estudantes, não só os que podem, pela primeira vez, usar a tão lá estavam nesse dia, mas também famosa Pasta. todos os outros que constituíram Salto agora para o segundo ano e para a minha entrada na SecçãoAqui estamos, uns de novo, outros de Fado. A Praxe é por princípiopela primeira vez, para dar início a colectiva, portanto nada melhor quemais um ano na nossa Mui Nobre uma secção como esta para viverUniversidade. Vou relatar-vos a esses valores. Através da Orquestraminha experiência em Coimbra no Típica e Rancho, juntei-me a umaque se relaciona com a Praxe. família que reintroduziu a PraxeAinda antes de ser estudante em em Coimbra, depois de cerca deCoimbra sonhava com toda esta uma década de luto académico.mística que a cidade encerra. E, Hoje em dia lutamos para manter asdepois do dia da matrícula, criou-se tradições, revestidas a cada dia queuma relação sem fim. A condição passa de uma nova modernidade.de caloiro não se esquece. Há quem Desejo a todos um bom ano, quediga que é degradante, eu discordo; Atenas e Díoniso nos protejam!!!também temos direitos (poucos), nãosomos escravos de ninguém, aliássomos como um pulmão da nossa esta Academia. Todavia faltavaAlma Mater. ainda algo, faltava uma apresentaçãoNem tudo são rosas e a Rainha Santa oficial à Cidade e naquela Terça-já não as distribui por Coimbra. Feira desci da Universidade à Baixa.Infelizmente, somos obrigados Este é daqueles dias que não se vãoa conviver com muita gente sem esquecer, a não ser que a Alzheimernível, ignorante e sem formação me ataque.moral, que olha para os outros como Enquanto a terra recebia os donsobjecto do seu divertimento. celestes e florescia Maio chegou,RESISTANCE Setembro 2011 6
  8. 8. Depois de Coimbra A problemática derivada da complexidade da situação que se introduz. texto_João Neto “João, man, I’m really dying here… I’m going for a algumas empresas de Coimbra para propor-me a estágio. coffee, wanna come?”, perguntou o meu colega de Daqui o meu primeiro conselho: quando se trata do gabinete maiorquino; “Thanks dude, but not now. I’m vosso futuro profissional, esqueçam as regras e não finishing some work due for today.”, menti eu. Na contem com a sorte. Já diziam os antigos que a sorte só realidade tinha reservado este tempo para escrever as favorece os audazes, por isso não fiquem na equipa dos próximas linhas, onde vou tentar descrever-vos o que conformados. tem sido a minha “vida depois da universidade”, tal Foi assim que depois de alguns contratempos fui como me foi pedido. “Hey, Xavi, take your time in the finalmente aceite numa empresa com um projecto coffee break. You’re really looking like crap today!” extremamente interessante, em Agosto de 2010; acrescentei eu por fim, não fugindo nada à verdade. “Descanse em Setembro, faça luto da sua antiga vida, Aproveitei assim para fazer uma porque em Outubro começa uma pausa e estou agora a escrever- nova etapa”, dizia o email que vos do meu gabinete no European confirmava o meu lugar. E assim Space Research and Technology foi. Em Outubro apresentei-me Center (ESTEC), um enorme ao trabalho e fui recebido com campus tecnológico plantado à mais palavras que não esqueço, beira mar, na costa holandesa; e que vale a pena transcrever: é um dos centros da Agência “Espero que tenha tido umas Espacial Europeia (ESA), na qual férias repousantes. Caso estou de momento a trabalhar. contrário a culpa é sua. Durante Como vim aqui parar? É uma este ano vai ser confrontado excelente pergunta, pois há com muitas situações em que vai menos de um ano estava no sentir-se frustrado e desiludido Departamento de Física (DF) com o trabalho e com as pessoas; da Universidade de Coimbra a passará horas a olhar para o terminar o curso de Engenharia computador sem progredir e a Física; longe estava de imaginar que algum dia viria a pensar que nunca vai conseguir acabar aquilo a que ser engenheiro da ESA. se propôs. Nessas alturas lembre-se que ali ao lado Em retrospectiva, considero que a minha vida pós- há dezenas de pessoas dispostas a saltar para o seu universidade começou logo no meu último ano de lugar.” Foi um crash course, sem dúvida, mas sabem curso, em 2009/2010, quando comecei o meu projecto que mais? Não era mentira. As profecias realizaram-se final numa empresa dos arredores de Coimbra. Tive a todas, mas ao fim de um ano tinha realizado um projecto sorte de ter acesso a um projecto do sector aeroespacial do qual me orgulho. Durante esse ano ausentei-me e Aliás, deixem-me reescrever: sempre quis realizar completamente do DF, fiz o mesmo horário que os meus o projecto final no seio de uma empresa e, como tal, colegas da empresa e dediquei-me a ela como se de não me conformando com a oferta de projectos do DF um funcionário me tratasse; além disto, envolvi-me em nesse ano, fiz questão de procurar eu próprio por algo questões paralelas à vida empresarial, nada relacionadas que me satisfizesse. Assim, contactei directamente com o meu projecto. Compensou.7 Setembro 2011 RESISTANCE
  9. 9. Depois de CoimbraO meu projecto era na área aeroespacial e respondia sonda ExoMars (que irá para Marte em 2016) e pelodirectamente a uma encomenda de um cliente; como meio vou colaborando também na revisão de outrostal, não era puramente académico. Quando contactei a projectos. Nas próximas semanas vou começar trabalhosempresa fui imediatamente advertido que ao aceitar o em análise crítica de fracturas, que é uma área ondeprojecto estaria a fazer mais do que “estagiar”, estaria a poucas pessoas trabalham e por isso estrategicamentecontribuir para a a criação de uma nova área de negócio interessante. A rotina passa pelo uso de diverso softwareque poderia precisar da minha orientação, caso me de CAD, CAE, elementos finitos, etc… Mas não pensemportasse bem. E assim foi. Finda a tese e o curso, fui que é tudo high-tech. Ficariam espantados com o uso queconvidado a ficar. Isto para vos dar um segundo conselho: damos às ferramentas e conteúdos mais básicos que seem Portugal o projecto de final de curso pode fazer a aprendem na universidade, desde as folhas de cálculo aodiferença na transição para o mercado de trabalho. Não o F = ma, passando pela balística básica. Várias vezes é adesperdicem a estudar a inércia doexcremento da gaivota malhada! “Descanse em Setembro, faça luto da sua antigaProcurem um bom projecto e vida, porque em Outubro começa uma nova etapa”dediquem-se a ele ferozmente.Mostrem que o mercado precisa de vós e destaquem-se. papel e lápis que confirmamos cálculos e validamos osFoi no último dia de Outubro que, a título de brincadeira resultados que o PC debita. Enfim, a engenharia não temcom um colega, enviei uma candidatura para um que ser complicada, mas é certamente muito complexa. Oprograma de estágios da ESA. Aparentemente alguém trabalho que faço agora não é muito diferente do que fazialevou a minha brincadeira a sério e no mês seguinte recebi em Portugal e, tendo esta referência, posso garantir-vosum email que, alegremente, me comunicava que tinha que no nosso país trabalhamos muito bem.sido aceite na agência. A decisão não foi preto e branco, E por cá estou há 6 meses. Mas… e o que vem a seguir?mas acabei por aceitar o desafio e em Março comecei o Bem, para muitos dos meus colegas a resposta é simples:meu trabalho na “NASA europeia”, onde actualmente ficar na ESA. Mas, a mim, ficar não me satisfaz.faço análise de estruturas. De momento estou a envolvido O meu desejo passa por voltar a Portugal e a Coimbra.no estudo do pára-quedas de reentrada atmosférica da Não tenciono com isto dizer que quero fazer um downgrade à minha vida profissional – uma coisa nem implica a outra. Pelo contrário, pretendo voltar e construir algo novo, contribuir para o mercado e fazer a diferença. “Otário”, pensam uns. “Sonhador”, dirão os mais moderados. Mas... não é o sonho que comanda a vida? Dediquem-se, sonhem e façam acontecer. learn something everyday : www.learnsomethingeverday.co.ukRESISTANCE Setembro 2011 8
  10. 10. Entrevista Maria da Conceição Espadinha Ruivo texto_André Silva Maria da Conceição Espadinha Ruivo, doutora com agregação e professora catedrática da Universidade de Coimbra é natural de uma aldeia do baixo Alentejo. Oriunda de uma família de pastores e pequenos proprietários que na altura em que nasceu não tinham meios de a pôr na Universidade. Fez o liceu em Beja e veio estudar depois para Coimbra, com uma bolsa de Estudos da Gulbenkian, onde posteriormente fez carreira. Trabalha actualmente no Centro de Física Teórica e apesar de reformada lecciona as cadeiras de Métodos Matemáticos da Física e Electromagnetismo II. Na Infância, já tinha “queda” toda a vida. gosto”. O trabalho de investigação foi para a Física? Nos meus tempos de e vai continuar a ser muito interessante criança e adolescente, nunca pensei em Gosta mais de escrever sobre e enriquecedor, e por outro lado as vir a ser cientista, aliás, nem sabia o que física ou sobre aquilo que pensa, vê ou aulas (apesar de estar reformada isso era. O que eu queria era ser escritora. sente? Bem, há duas coisas, uma coisa é disponibilizei-me para assegurar o O meu avô era um poeta popular muito a escrita relacionada com a física, que é serviço do 1º semestre, o que não é bom do Alentejo e eu sempre quis ser uma coisa de que eu gosto, naturalmente. um sacrifício para mim). Ao longo escritora. Acontece que cheguei ao Outra coisa é a escrita literária e aí a destes anos, houve também uma grande liceu em Beja e tive uma professora área é a ficção; eventualmente pode interacção com a comunidade em que Então a física revelou- aparecer a física mas a base é estou inserida e obviamente que apesar se um universo fascinante, a ficção; publiquei um livro de de haver altos e baixos, isso faz parte da desafiador e divertido. histórias para crianças aqui há vida; portanto a apreciação global que uns anos, depois publiquei um faço da minha vida no departamento de física excelente, extraordinária, livro que é uma edição contextualizada de física é extremamente positiva e não que nos ensinava física só a partir de das décimas (forma de poesia popular, experiências. Então a física revelou-se muito conhecida no Alentejo) do meu voltava atrás por nada deste mundo. um universo fascinante, desafiador e avô, Joaquim Espadinha (1871-1955) Acho que ao estarmos numa profissão divertido. Foi aí que resolvi ir para física que falam das histórias desse período. que gostamos, de alguma forma entra- e apercebi-me que não era incompatível O ano passado publiquei um livro de nos na corrente sanguínea e começa a com cultivar o interesse por outras fazer parte de nós. ficção que se chama Mapas do Silêncio áreas, nomeadamente a escrita. Evidentemente que uma pessoa diz que que é a história de um lugar e do tempo, Quais foram os momentos mais não é incompatível ser escritor e ser não tendo nada a ver com a física. marcantes que viveu como professora cientista ao mesmo tempo (em principio não é), mas na prática é, porque digamos Como descreve a sua experiência e como pessoa neste departamento? que são duas actividades que exigem profissional no departamento a sua Há um momento importante que não muito profissionalismo e que são passagem por cá ao longo destes tem a ver somente com o departamento muito exigentes; contudo foi possível anos? É um caminho de que eu me mas também com o 25 de Abril de 1974, conciliar as duas coisas, apesar de eu orgulho muito, e em que acho que pois marcou uma viragem no país e em só ter começado a publicar há alguns aprendi bastante. Aliás aprender é algo todos nós. Também na universidade anos. A ideia de me reformar agora, é foi extremamente importante porque também uma ideia de ter mais tempo que deve ser para toda a vida, as pessoas de repente começamos a participar nas para a escrita, continuando a cultivar devem estar sempre em permanente decisões, nas discussões, ou seja, o a física. Vou continuar no Centro de aprendizagem. Sempre gostei muito nosso local de trabalho passou a ser um Física Teórica, a fazer investigação, daquilo que fazia, sou daquelas pessoas local onde podíamos intervir e onde a porque quem é professor, é professor que podem dizer “tenho o privilégio de nossa voz podia ser ouvida. que me paguem para fazer aquilo que9 Setembro 2011 RESISTANCE
  11. 11. Entrevista As provas académicas e o Contudo, a física teórica não é estanque, trazer alguma satisfação pessoal?doutoramento foram também passos pois acabamos por estudar coisas que Ah sim, sem dúvida! Sobretudomuito importantes assim como toda posteriormente podem acabar por quando o nosso trabalho éa progressão na carreira académica. ser medidas experimentalmente. Há reconhecido e temos facilidade emTambém exerci algumas actividades uma citação de Dirac que diz “é mais publicar em revistas internacionaisno departamento, uma das quais não importante ter beleza nas teorias, de impacto elevado. Vamos àsqueria deixar de frisar, que foi a minha do que acordo com a experiência” e conferências internacionais e a partirparticipação na comissão instaladora outra de Feynman ,“uma teoria pode daí temos uma grande satisfação poisno museu de física, um grande desafio ser muito bonita mas se não for de vemos que o nosso trabalho é útil eque envolveu todo departamento encontro ao resultado da experiência, reconhecido.que como sabe não estava aberto ao está errada”. Eu, nas minhas aulas,público. Portanto todo o organizar e perguntava sempre se estas duas teorias Uma mensagem aos professorespreparar o museu, os monitores para estavam em contradição e obviamente e alunos deste departamento?as visitas guiadas e o próprio contacto não estão. De facto, Einstein dizia que Tenho a felicidade de ter muitoscom as pessoas foi muito importante. o Alfa e o Omega do nosso trabalho é amigos e colegas que têmPor outro lado ,obrigou-me a estudar a a experiência. Tudo começa e acaba na muita consideração por mim nohistória dos instrumentos o que é, de departamento. Como disse, a reformafacto, fascinante, uma vez que sendo é uma passagem para outra etapa eeu sou física teórica não tenho, à pelo menos enquanto for possível épartida, um interesse muito grande por importante para mim. Vou continuareles. Mas, cada um conta-nos a história aqui para o que for necessário.da física. Sempre que quiserem podem baterApesar de a minha área de investigação a porta, pois estou disponível paraser a Física de Partículas, desenvolvi qualquer solicitação.um interesse pela história da Física, Acho muito importante divulgarpois ajuda-nos a perceber como evoluiu os cursos no departamento e nãotudo a nossa volta,visto que a ciêncianão está num compartimento estanque é por acaso que nos últimos anospois interage e sofre a interacção do experiência mas há todo um trabalho nós enchemos os cursos. Isso deve-meio em que está inserida. teórico que deve ser feito. Quando se ao trabalho muito importanteA minha experiência mais recente foi se diz que é preciso ter beleza nas de professores e alguns alunosa ocupação do cargo de coordenadora equações, diz se efectivamente que é em acções de divulgação, comoda Lic. em Física, a qual é uma figura ter coerência, simplicidade, elegância. visitas ao departamento, à “Salaimportante uma vez que serve de ponte Se uma teoria é muito bonita mas Experimenta”, palestras nas escolas,entre alunos, professores e órgãos não está de acordo com a experiência projecto QUARK. Isto porque temosdirectivos. Foi uma experiência muito não se vai deitar logo fora a teoria. de atrair os jovens, temos de procurarboa, pois os cursos aqui do departamento Vai-se experimentar e verificar que e lutar pelo que queremos. Por isso,permitem uma boa interacção com a experiência é insuficiente. Há queria agradecer aos meus colegasos alunos, que responderam positiva partículas que foram previstas e pelo trabalho que têm feito. Ose responsavelmente. É a partir do apenas mais tarde se conseguiram alunos e o núcleo são também muitofeedback que os alunos nos dão do descobrir! Há um balanço entre teoria importantes na recepção aos novosdiálogo com os professores e direcção e experiência e é isso que um físico estudantes: recebam bem os vossosque podemos efectivamente melhorar teórico deve estar sempre atento. Aliás, colegas, atraiam-nos para cá, poisos nossos cursos. nós comparamos sempre os nossos somos um departamento óptimo queEstes, entre muitos outros, foram então resultados com as previsões da teoria. tem de facto uma investigação deos momentos mais marcantes aqui no O nosso trabalho resume-se a leitura de alto nível. Os cursos estão muito bemdepartamento. artigos, participação em conferências, organizados e o ambiente é excelente. fazer cálculos e depois discutir e Já me foi dito, inclusive, que os Como é trabalhar num centro de compará-los com a experiência. É disso que tenho feito a minha vida e professores conhecem os alunosinvestigação de física teórica? pelo nome, o que acaba por ser umaEu trabalho no Centro de Física que naturalmente gosto. vantagem.Computacional, em física teórica. Por isso mesmo este trabalho, Mantenham este ambiente, porqueFaço cálculos analíticos e numéricos. deve ser muito gratificante, e de vale mesmo a pena!RESISTANCE Setembro 2011 10
  12. 12. Erasmus A experiência de PLI Davide Di Croce Olá leitores! O meu nome é Davide Di Croce, italiano, mas morei no Brasil cinco anos. Moro e estudo em Coimbra há um ano, mas já estudei dois anos na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), sou aluno de dupla licenciatura em Física através do Programa de Eu estive envolvido em atividades com alunos do Licenciaturas Internacionais (PLI). Dupla licenciatura secundário. Neste novo ano haverá mais PLIs (alunos do em Física? PLI? Isto é um programa de uma entidade do PLI), cerca de 300, sendo que no departamento de física governo brasileiro: Coordenação de Aperfeiçoamento de serão 21. Pessoa de Nível Superior (CAPES), onde os alunos das Quando cheguei a Coimbra não notei grandes diferenças, universidades brasileiras do terceiro ou quarto semestre além da falta da minha família, pois os professores e os (não privadas) participantes da convenção com a CAPES novos colegas são muitos simpáticos. Também não senti são escolhidos para estudar na Universidade de Coimbra diferença entre o curso português e o brasileiro que me na mesma área de licenciatura. Eu faço parte da primeira desmotivasse. Nas duas universidades o curso de física requer muito empenho. Além Uma coisa que achei muito interessante aqui disto, a cidade de Coimbra é linda, os é as pessoas. Todas com quem estabeleci contacto lindos parques e a arquitetura românico- renascentista da cidade “baixa” fascinam os se mostraram super simpática e bem prestativa. novos moradores. As poucas dificuldades que encontrei foram em relação à língua, edição do PLI, com cerca de mais de 260 alunos. pelo português não ser a minha Licenciatura no Brasil é um pouco diferente de Portugal. língua mãe e também porque a língua portuguesa falada No Brasil a pessoa licenciada é aquela que é formada para no Brasil ter uma melodia diferente e mais pausada. As lecionar no ensino primário ou secundário. Por isto, esta várias diferenças que existem nas mesmas palavras entre convenção entre CAPES e a Universidade de Coimbra as duas línguas são muito engraçadas. Outra dificuldade foi não envolve somente o aperfeiçoamento dos conteúdos encontrar um local para residir aquando da minha chegada. estudados ou o estudo de novos, mas também um contato Para que os novos PLIs (alunos do PLI) não sofram com com jovens. isto, os primeiros PLIs auxiliaram os novos, e com o conteúdo das aulas, e muitas outras coisas. Enfim, por tudo que Coimbra e a Universidade de Coimbra me deram só tenho a agradecer e dizer que minha experiência de PLI está sendo ótima!11 Setembro 2011 RESISTANCE
  13. 13. texto_Magda Silva CPSÉ muito mais do que posso contar. Vai uma amálgama daqueles que se atreviam a provar as suas famosastal de memórias na minha cabeça que pegar e seguir bebidas… Os portugueses, claro, a adorar cada um dosuma linha de acontecimentos é-me difícil. Se olho para elogios ao vinho do Porto, à ginja de Óbidos, à broa,trás, para aqueles oito dias, consigo ver perfeitamente a ao salame de chocolate, aos tremoços. Mais tarde nanossa partida anedótica e quase desastrosa do aeroporto festa é pedida uma apresentação de cada país, seja uma(o embaraço impede-me de dizer mais sobre isto), dança, uma música, qualquer coisa que mostre o orgulhomas não sem imediatamente me lembrar da despedida em sermos de onde somos. Oh, e na apresentação detrapalhona, à porta do hostel húngaro. Não dá para Portugal o orgulho esteve presente, definitivamentepensar nas vezes que atravessámos as pontes da cidade mal direccionado, mas lá de qualquer forma! Quanto àssem lembrar o gentil casal que, quando do avião actividades diurnas, posso garantir que era difícil estarcomeçou a ser possível distinguir as luzes lá em baixo, um momento sem nada para fazer. Entre as palestras anos chamou à janela do lado deles para dizer “aqui que assistimos (ok, não foi exactamente isso que nosBuda, daquele lado Peste”. ocupou o tempo), entre as caminhadas pelo centro daEntão é assim, as primeiras e últimas impressões que cidade, o passeio de barco no Danúbio, o percurso denós, as seis meninas de Coimbra, causamos foram 15 minutos que era preciso fazer para chegar às cantinassem dúvida as piores: fizemos o check-in cansadas ecom “fome” estampado no rosto; fizemos o check-outde ressaca e mal-humoradas. Felizmente o ambientedos restantes dias naquele 17º andar (onde havia umasalsada de portugueses, espanhóis e italianos) foimuito mais animado. Por falar em animação: as festas!Ora, foram seis festas, seis temas diferentes. A grandeexpectativa da viagem centrava-se na Spa Party e, defacto, tivemos uma noite muito bem passada, mas se mepedissem para escolher a melhor festa não hesitaria emresponder National Party. Nesta noite, os representantesde cada país deliciam os restantes com pratos típicos,doces de chorar por mais, bebidas, a maior parte delas,de chorar por menos. Vemos os ucranianos no seu cantovestidos a rigor (não me lembro do nome do traje masfaziam lembrar os nossos usados no rancho), os romenosa exibir a sua espécie de bolo de farinha e queijo, osaustríacos, de calções e suspensórios, a rir-se da cara cujo único senão era não terem boa comida… chegamos ao fim da semana exaustos. Ah, fica aqui a nota de que, na tarde de desporto, a nossa equipa deu espectáculo no torneio de futebol – tínhamos a melhor equipa, o melhor marcador e a melhor claque! O segundo lugar foi injusto. Enfim, para aqueles que não sabem o que a Conferência Internacional de Estudantes de Física é, a ideia que quero deixar é que é o melhor evento para conhecer cidades de vistas e culturas apaixonantes, pessoas com interesses parecidos, gente de ar maluco mas com a cabeça cheia de ideias geniais – um aparte aqui: aposto que um dos italianos que conhecemos vai virar milionário em poucos anos -, futuros grandes investigadores, certamente alguém para te arranjar um sofá onde dormir quando estiveres na sua cidade. Sim, aqueles dias foram fatigantes e as noites mal dormidas mas repetiria tudo amanhã mesmo.RESISTANCE Setembro 2011 12
  14. 14. 16 Frames por segundo clara mensagem de denúncia do tratamento “ Rise of the Planet dado aos animais em cativeiro, bem como da maneira como estes são capturados e of the Apes” afastados do seu habitat natural. E se James Franco, bem acompanhado por Freida Pinto (Quem Quer Ser Bilionário?), não falha em mais uma boa performance, o pequeno texto_Gonçalo Louzada Caesar permite conduzir a história a uma Em momento alto da carreira, James Franco visão mais emocional. Os efeitos especiais dá vida a Will Rodman, o cientista que, dão ao chimpanzé virtual uma aparência desesperadamente, tenta curar a doença assustadoramente real e humanizada, que lentamente vai desgastando o seu pai, carregada de expressividade, só alcançável a doença de Alzheimer. Testando as suas em filme através da tecnologia. A certo tentativas de cura em cobaias, Will acaba ponto, é quase inevitável criar uma ligação por se ver na posse de um chimpanzé bebé afectiva com Caesar, ponto muito e bem (filho de uma das suas cobaias), que adopta explorado. Esta relação que o espectador cria e cria. E é nesta relação que o filme ganha a com o “pequeno” chimpanzé, a paternidade profundidade que faltou ao seu predecessor, de Will e o seguir da aventura de Caesar explorando a paternidade que Will tem para são os pontos-chave do filme. E não caindo com Caesar, o chimpanzé. Interessante o na tentação de abusar do protagonismo, a facto de o filme se situar cronologicamente equipa de efeitos especiais (Avatar, Senhor antes do seu predecessor, mas se visto como dos Anéis) dá ao filme os meios para este ser filme isolado não perder nada do que tem para cativante, coerente e não apenas mais um no oferecer. Desde o início que é transmitida uma meio da chuva actual de filmes sem conteúdo. “Animais unidos jamais polar e duas tartarugas centenárias sobre- vivem na savana, pois não é esse o intuito do serão vencidos” filme. Os problemas ambientais que aborda texto_Joana Melo são um tema que persistentemente têm sido Baseado no livro The Animal’s Conference“ - abordados, no entanto fica um filme um pouco Erich Kästner, este filme animado assenta na aquém dos últimos filmes animados, uma vez união improvável dos animais que se deparam que acaba por ser demasiado informativo e com a falta de água devido a uma barragem esquece-se de mais momentos engraçados di- construída em prol de um luxuoso Resort. Não rigidos para as crianças. Mesmo assim, o ob- interessa muito como se conhecessem uns aos jectivo é cumprido e a mensagem ecológica é outros, nem como um galo francês, um urso passada. realidades e imaginários ao nível de David “A Máscara” Lynch (que aparece 30 anos depois). O clímax deste jogo é a uma conversa entre texto_Frederico Borges as duas personagens filmada duas vezes É impressionante como um filme de 45 anos a filmar as reacções de Elisabeth e Alma, se mantém tão actual. Talvez isso aconteça respectivamente. Provavelmente uma porque todas as obras-primas aparentam ser das cenas mais poderosas da História do intemporais. Alma (Bibi Andersson) é uma Cinema. É impressionante como um filme enfermeira que é designada para tomar conta onde as conversas entre Alma e Elisabeth de Elisabeth Vogler (Liv Ullman, a musa são na realidade monólogos porque só Alma de Bergman), uma actriz que se remete ao fala, Elisabeth digamos que conversa com silêncio sem sabermos a razão para tal. Estas os olhares e expressões consegue agarrar duas personagens vão para um retiro na praia o espectador somente com a força de um de forma a “curar” o silêncio de Elisabeth. argumento fenomenal. Mas calculo que seja A evolução do relacionamento entre estas necessário um génio como Ingmar Bergman duas pessoas, onde as personagens se para o fazer, não está ao alcance do comum misturam na personalidade, é um jogo de dos mortais.13 Setembro 2011 RESISTANCE
  15. 15. 16 Frames por segundo“Midnight in Paris” desta vez um pouco menos extravagante, mas a grande novidade foi a breve participação detexto_Joana Melo Carla Bruni.Com vários saltos temporais leva-Woody Allen no seu novo filme retrata a vi- nos a conhecer nomes importantes da música,gem de Gil com a sua noiva e os sogros em pintura e literatura, conseguindo dar-nos umaParis devido a uns negócios. No entanto, uma percepção exacta dos anos 20, sendo este o pon-vez que esta cidade foi o principal local da sua to mais forte do filme.Num ambiente romântico”Idade de Ouro”, Gil acaba por se convencer e bastante divertido, Allen acaba por mostrara mudar definitivamente para esta cidade. Esta mais uma vez a permanente insatisfação do pre-comédia romântica conta com Owen Wilson, sente e do ser humano com a vida.“Blade Runner”texto_Gonçalo LouzadaMais que um clássico filme de culto que falhou de quem assiste. Com o desenrolar do enredo,o sucesso nas bilheteiras, Blade Runner: Perigo o espectador é confrontado com questõesIminente é um marco na história do cinema (e da inerentes à própria existência humana. AFicção Cientifica em particular). Realizado por definição do sentir vai se tornando cada vezRidley Scott, originalmente exibido em 1982, mais turva ao longo do filme. O que diferenciao filme retrata uma realidade futurista (2019), Deckard dos Replicants que persegue? O teste para identificar Replicants baseia-se naem que seres geneticamente modificados, incapacidade de sentir. Mas será Deckardcom aparência humana (Replicants) são capaz de sentir? E os Replicants? Um filmeutilizados nas colónias que o Homem possui que deixa o espectador intrigado, entranhado,fora da Terra. Rick Deckard (Harrison Ford) e que em última instância levanta uma questãoé um Blade Runner reformado que aceita uma básica, a que todo e nenhum ser humano sabeúltima missão: perseguir e eliminar quatro responder: o que nos torna verdadeiramenteReplicants que escaparam para a Terra e se humanos? Obrigatório para qualquer cinéfilo,escondem em Los Angeles. Considerado um e uma inspiração para muitos filmes que sedos expoentes máximos do neo-noir, o filme seguiram.serve-se de uma hipnotizante banda sonora Nota. Em 1992 saiu a Director’s Cut, uma novacomposta por Vangelis, e é no ambiente versão que aprofunda o íntimo de Deckard, asombrio e desconfortável que acompanha a sua relação com Rachael, e enfatiza a dúvidahistória, que Scott começa a moldar a mente sobre a verdadeira natureza de Deckard. “ Rise of The “Midnight in “Blade Planet of The “A Máscara” Apes” Paris” Runner”GonçaloLouzadaJoanaMeloFredericoBorgesRESISTANCE Setembro 2011 14
  16. 16. 78 rotações por minuto Bombay Bicycle Club Helen Merrill I Had The Blues But I Shook Them Loose Parole e Em 2008, Londres, quatro jovens acabados de sair do Musica secundário gravam este álbum. Brit-rock indie com traços de outros estilos, e nome derivado de uma cadeia de restaurantes. I Had The Blues But I Shook Them Loose sai em 2008, produzido por Jim Abiss, o mesmo de Whatever People Helen Merril é uma vocalista de Jazz nascida em Nova Say I Am, That’s What I’m Not (Arctic Monkeys). Iorque em 1930. Apesar de não ser uma das divas mais E embora não tão marcante, o primeiro remate dos carismáticas e bem sucedidas do mundo da música jazz, Londrinos é um tiro certeiro. teve no início da década de 60 um período de sucesso Os primeiros dois temas acordam os mais distraídos, significativo na Europa, tendo mesmo acabado por resisidir preparando-os para Evening/Morning, cuja guitarra em Itália durante largos anos. inicial deixa antever a energia do tema. Mas quando esta Não é, portanto, de suspeitar as influências explícitas acaba e a tentação de a repetir se apodera da mente, a que o seu país de acolhimento teve neste seu albúm, que tem seguinte apaga essa ideia, procurando lugares idílicos, um alinhamento peculiar. Todas as músicas são standards inches above the Dust On The Ground. E depois da de jazz famosos e cada faixa cantada pela vocalista é tranquila Ghost , Always Like This, com um riff de baixo precedida por uma faixa em que a letra da música é recitada único, viciante, eleva-se como ponto mais alto do álbum. em italiano e tem como pano de fundo um músico a solo Desengane-se quem pensa que acaba por aqui. Magnet, que toca a melodia do standard em questão. The Hill (que cresce até um final apoteótico) e What If Esta estrutura põe em evidência o romantismo da gastam as últimas forças e abrem caminho a um final música cantada e traz um encanto e charme a todo o albúm. suave com The Giantess. Mas é sem dúvida a voz de Helen Merrill o ponto alto de A melodia deve muito à simbiose entre todos os cada faixa. Uma voz doce e ao mesmo tempo atrevida, que instrumentos, um baixo e uma bateria que alternam entre encontra o seu expoente máximo na faixa “Why don’t you o protagonismo (por exemplo em Always Like This) e o do right”. A música com mais swing de todo o albúm, é pano de fundo, abrindo espaço para as duas guitarras e sem dúvida a primeira faixa “Night and Day”, o conhecido para voz de Jack (por exemplo em Dust On The Ground). standard de Cole Porter. O mais impressionante nesta É difícil encontrar bandas actuais com semelhanças, ainda música é a facilidade com que nos esquecemos que todos os assim, por vezes lembra The Maccabees, ou até Foals músicos são italianos, pois o fraseado e a brilhante execução com as suas guitarras agudas. No entanto, o álbum prima faz-nos acreditar que nos encontramos no Blue Note num pela originalidade, daí a dificuldade em catalogar este cenário dos filmes a que Hollywood nos habituou. Não promissor grupo. posso portanto deixar de realçar a qualidade dos músicos Passaram pelo Optimus Alive ‘11, oferecendo um dos que acompanham a artista, e que, sem lhe querer tirar melhores concertos do festival, e prometem voltar em algum mérito, lhe facilitam o brilho com que se destaca. breve. Esperemos então. Com músicos assim, parece fácil cantar como Helen. texto_Gonçalo Louzada texto_Nuno Ferreira15 Setembro 2011 RESISTANCE
  17. 17. 78 rotações por minuto Thurston Moore Demolished Thoughts texto_João Borba O dinamismo dos Sonic Youth no que toca a projectos exteriores à banda sempre foi algo de salutar. Comquase 30 anos de existência, as individualidades da banda mais icónica do rock alternativo continuam, de uma formairónica, a fazer justiça ao nome Sonic Youth. Kim Gordon é uma aventureira a nível artístico, Lee Ranaldo ainda nãoabdicou de colaborações poético - musicais, e Steve Shelley continua a escrever o seu nome enquanto Deus da baterianoutros projectos musicais. Já Thurston Moore continua a investir na carreira musical a solo. Este ano saiu DemolishedThoughts, o terceiro álbum a solo do guitarrista/vocalista dos Sonic Youth, e que dá sequência a Psychic Hearts (1995)e ao aclamado Trees Outside The Academy (2007). Neste álbum, Thurston Moore volta aos contextos minimais de Trees Outside The Academy, onde umaconjuntura folk - clássica substitui qualquer réstia de raiva camuflada em atmosferas intensas de noise. O espíritopunk, é uma vez mais, trocado por um Thurston mais sereno, mais introspectivo. Apesar de um ou outro momentomais expansivo (em “Orchard Street” e na maravilhosa “Space”), a acalmia, solitária mas ironicamente romântica, éum sentimento que pauta o álbum do início ao fim. Thurston Moore sempre procurou muito mais do que ser o “chefe” dos Sonic Youth ou o rei das atmosferasnoise. Pode quase dizer-se que além de músico, é um verdadeiro investigador musical. Com Demolished Thoughts,Thurston consegue o apogeu do reverso da medalha. E com 53 anos, Thurston ainda não desistiu de si nem do que tempara dar à música. É de louvar tamanha ‘juventude’!Parov StelarDaylighttexto_Rui Nunes Ao ritmo da música electrónica, Parov Stelar lança em 2008 Daylight,uma fusão electro-swing inspirada nos anos ’30. Combinando a euforia daépoca, com a força motriz de um bass electrónico contemporâneo, Stelartraz-nos um revival e um álbum contagiante que nos faz bater o pé até aofim. Detido apenas por pequenos momentos de devaneios amorosos, commúsicas mais calmas como “Lost in Amsterdam” ou “Tango Muerte”, esteálbum é um hino ao ritmo e às texturas do swing/jazz instrumentais. Acordar com o sol de Agosto a ouvir “Good ByeEmily”, jogar as cartas com os amigos na praia ao som de “On my way now”, dançar ao ritmo das luzes, noite fora,com “Charlestone Butterfly”, ou bem acompanhado num serão after-hours com “Happy End” a tocar, são algumas daspossibilidades recomendadas. Nesta viagem, intitulada “luz do dia”, Stelar transporta-nos no tempo e no espaço, criandoum ambiente de retro/introspectiva, que me acompanhou para todo o lado este verão.RESISTANCE Setembro 2011 16
  18. 18. A gamer (re)view texto_Bruno Galhardo Poucos foram os títulos interessantes lançados para as lojas este Verão. Naturalmente, também o mundo dos videojogos tirou férias, aproveitando inclusivamente para viajar e se reunir (em massa!) em diversos pontos do globo. Foi assim que, não só mostraram aos fãs os títulos mais aguardados, como também anunciaram várias surpresas! E3 Uncharted 3 (1 Nov 2011). Admirável foi, ainda, e agora a Este evento dá um maior relevo aos PCs, não sendo, por isso, de Ocorreu em Junho o evento níveis técnicos, o jogo de primeira estranhar que o destaque tenha favorito dos vários developers pessoa militar, Battlefield 3 (25 sido atribuído ao juggernaut do e editoras do mundo. É aqui Out 2011), que se espera que leve PC: Battlefield 3. Dentro das que, geralmente, são reveladas a geração corrente de hardware de novidades estiveram, não só novidades completamente inéditas. PCs a novos limites! a redução de preço em 50€ da Uma vez que o evento é realizado Também a evidenciarem-se neste consola da Sony (agora poderás nos Estados Unidos (LA), as evento mundial estiveram, não só adquirir uma PS3 por 250€), como várias editoras não se poupam o trailer e gameplay do novo Tomb também, o Diablo 3 e o mmorpg a esforços para impressionar, Raider (2012), como também o Star Wars: The Old Republic como tanto a imprensa, como, anúncio em primeira mão de um principais destaques. consequentemente, o público. Todo novo Hitman (2012). Inúmeros o investimento é pouco para tentar outros jogos constaram deste TGS aumentar o interesse de todos os acontecimento, como alguns seus produtos.Na agenda do evento demos para a nova consola Mais recentemente, ainda este estavam as habituais conferências da Nintendo. Não posso, mês, realizou-se no Japão o Tokyo das conhecidas produtoras de evidentemente, deixar de referir o Game Show. Este conta com um consolas: A Microsoft, bastante demo apresentado pela Bethesda: mercado ligeiramente diferente focada no seu periférico Kinect; o novo Elder Scrolls 5 Skyrim (11 do ocidental. Aqui, a Microsoft é A Sony, cujo principal destaque Nov 2011), um role playing game inexistente e o show é dominado foi o anúncio do preço da nova open world, passado num universo por empresas como a Sony, consola portátil VITA (250€); fantasia, que, sem dúvida, promete Nintendo, Capcom e Square-Enix. e a Nintendo, que mostrou pela arrasar com a competição no final Focado no mercado asiático, primeira vez ao mundo a futura deste ano! os títulos de destaque foram os consola WiiU, com uma tablet chamados jrpg (japanese role como comando. Para além das Gamescom playing games), um pouco mais conferências, distinguiram-se, obscuros para os ocidentais. De ainda, os stands de cada empresa, Este evento Europeu ocorre, realce estão alguns anúncios de que dispunham de jogos e novo habitualmente, em Agosto, na jogos para as consolas portáteis hardware para dar a testar a cada Alemanha, em Colónia. Ao 3DS da Nintendo e a VITA da jornalista que por lá passasse. contrário da E3, o Gamescom está Sony. Dentro dos títulos que estão No que diz respeito aos jogos, os aberto gratuitamente a todos os fãs a merecer a atenção deste lado que mais impressionaram foram ou simples curiosos que queiram do globo estão Asura’s Wrath, o Bioshock infinite (2012), um apreciar ao vivo as novidades. Dragon’s Dogma, Binary Domain jogo de primeira pessoa, com uma Aqui, os visitantes passam pelos and Final Fantasy XIII-2, títulos história imersiva e que acabou por vários stands e experimentam os estes previstos para 2012. O único ser considerado o jogo do evento, diversos demos disponíveis dos título ocidental premiado neste e, também, o exclusivo da PS3 principais developers e editoras. evento foi o Battlefield 3 Embora tenha referido que poucos foram os jogos lançados este Verão, há, ainda assim, alguns dignos de menção, e que valerá a pena experimentares: Bastion (PC, XBOX 360), Catherine (XBOX 360, PS3), Deus Ex 3: Human Revolution (PC, XBOX 360, PS3), Gears of War 3 (XBOX 360)17 Setembro 2011 RESISTANCE
  19. 19. FIM João Pedro Ferreira Futuro ArquitectoAgora que tenho a mania que sou grande abrangem uma segunda-feira, não se esqueçam que, não só não estão de férias como este esforço final pode serUm ano depois. Hoje somos estudantes universitários, muito importante.vestimos orgulhosamente o traje e estamos à espera dosnovos alunos. Cada um à sua maneira está mais perto Época de examesou não de acabar o curso. Os dias de caloiro já lá vão Yeah.., ninguém quer ler sobre isto.mas no final vamos relembrá-los saudosamente, porquepor muito crescidos que nos possamos sentir e apesar da Algures nas ruas de Coimbra com cara demuita ou pouca importância que concedamos à praxe, faztudo parte de um conjunto de tradições que com muitas palhaçoguitarras e capas negras à mistura nos fazem sentir terfeito parte de algo grandioso. (Mas quem é que escreveu (Desde o primeiro dia já passou algum tempo, mas nãoisto, pá!?) teria piada nenhuma se contasse toda a história até aqui. OK, na verdade, a edição não me deixa escrever tanto, e eu acho muito bem.O sprint final OK OK!! Eu apareci-lhes com uma dissertação e eles bateram-me, bolas..)Quase a dar por terminado o segundo semestre reparamos Em vésperas da Latada já todos tivemos tempo deque as promessas de não sair à noite depois da Queima perceber um pouco como funciona tudo isto, de decorarnão passaram disso mesmo: promessas. Está a acabar os confusos horários ou de fazer já alguns amigos. Maso primeiro ano de uma longa caminhada e no entanto eis que, com um péssimo timing, chega a dita Latada queparece que sempre estivemos aqui. Enfrentámos a praxe, nos corta todo o trabalho feito. Pelo lado positivo vão sairfomos baptizados, obtivemos um quociente menor ou dela baptizados, facto que vão recordar para o resto daigual a 0,5 entre “aulas assistidas/total de aulas”, vestimos vida (mesmo não podendo garantir-vos que saiam delao traje académico e nunca vimos a cara do professor das vivos).práticas de química. Mas no final sentimo-nos integradose prontos a gozar as curtas férias antes do novo anolectivo. O primeiro dia do resto das nossas vidas Este deve ser dos raros dias em que toda a gente chega aQueima das fitas tempo e horas ao departamento. Os novos alunos porque não se querem ver perdidos como um bebé recem-nascidoPara quem resistiu trajar até esta altura, vão pôr-se a num bar de topless (gostava de dizer que esta frasecontar os dias para trajar pela primeira vez no dia da é minha mas estaria a mentir) logo no primeiro dia eSerenata. De resto, a Queima das Fitas tem material para querem acompanhar tudo o que se vai passar; os antigostrês páginas, mas como eu sou o maior, consigo resumir alunos.., bem, também querem acompanhar tudo o que seem três linhas: Serenata, Baile de Gala quando te sentires vai passar (evil laugh). A partir deste momento esqueçamcrescido, Cortejo, Chá Dançante e Garraida, intercalos tudo o que vos foi dito por colegas ou familiares maiscom paletes de cerveja e fardos de hepadox. Só mais velhos. Do pouco que se vão conseguir lembrar, nada vaiuma coisa a dizer sobre a Queima: as noites do parque só parecer familiar, so, enjoy it! www.eusotenhoumblogporqueopedrotambemtem.blogspot.comRESISTANCE Setembro 2011 18
  20. 20. O dia antes caixa de spam. Lá está o tão esperado e-mail: felicidade, alívio ou resignação são as opções. Independentemente A maioria vem de véspera acompanhados pelas famílias de qualquer que tenha sido a emoção que vos assaltou e trazem a casa as costas (Subitamente o vosso primeiro nesse momento, cá estão vocês, preparados para enfrentar quarto parece ter sido assaltado, não?). Uns jantam esta fase completamente diferente das vossas vidas. com os pais e tentam adiar o momento em que eles vão embora. Outros já os estão a varrer para fora de casa 10 Roendo as unhas minutos depois. Querem um mau conselho? Nem tentem dormir nesta noite porque não vão conseguir. Corrijam-me se estiver errado mas aposto que passaram o vosso último verão já com saudades dos vossos colegas O 34 dos SMTUC de secundário apesar de continuarem a encontrar-se quase todos os dias. Bebiam as palavras dos vossos amigos Os serviços académicos distribuiram os milhares de mais velhos que já entraram na universidade que contam colocados por ordem alfabética ao longo dos dias da histórias sobre a vivência em Coimbra, sobre a maneira semana de matrículas, mas toda a gente tentou arranjar como são lecionadas as aulas e principalmente sobre maneira de ir no dia A-B. Foi também a semana da a praxe. É um misto de nostalgia pelo que ficou para correria para procurar casa e neste caso, só houveram dois trás e curiosidade pela descoberta do que está para vir, critérios, pela seginte ordem: ficar o mais perto possível corrijam-me se estiver errado se não foi isto que vos foi dos colegas de escola; ficar perto do departamento. passando pela cabeça. Certo? Errado! Ninguém admite mas aqueles que vêm mais bem informados têm o critério extra que por acaso Prólogo até é a primeira prioridade: ficar o mais perto possível da Praça onde se concentra a animação nocturna. Certo? Este aglomerado de palavras tem por propósito fazer uma Pois, conta-me histórias.. brevíssima descrição do que espera um vulgar caloiro da UC. Contém informações inapropriadas para pais e Colocações educadores, logo, se és estudante e estás para ler isto, olha à tua volta primeiro. Este aviso seria tão mais útil se À medida que vai anoitecendo começam já a receber eu não me tentasse armar em Cristopher Nolan (pois é, mensagens e telefonemas dos vossos colegas mas vocês tive de ir ao imdb..) e não tivesse escrito o texto inteiro de continuam num aperto até resolverem conferir a vossa trás para a frente. Um texto cheio de clichês www.eusotenhoumblogporqueopedrotambemtem.blogspot.com19 Setembro 2011 RESISTANCE
  21. 21. Estado estacionário Porto texto_João LimaConsiderada por muitos, a segunda magnífico e que alberga um dos vezes deita os problemas para trascapital de Portugal, a cidade do Porto clubes mais importantes e com mais das costas e vive cada dia de cadasituada no Norte do País, não deixa história na cidade – o fantástico vez sempre com um sorriso na cara.ninguém indiferente quando por Futebol Clube do Porto. Eu sou Na minha opinião é fácil a adaptaçãolá passam. Por isso mesmo, e para suspeito a descreve-lo, pois é o meu à cidade. Tem uma óptima redeque isso continue nesses trâmites, clube do coração, como já muitos de transportes, desde o Metro aosencantando todos os visitantes vou sabem! Situa-se no lado oriental da Autocarros, que nos levam a qualquervos descrever um pouco daquilo que cidade, na zona das Antas. ponto da cidade em pouco tempo ,conheço da minha bela cidade. Como as visitas não são só conhecer os Eléctricos e também os típicosTem várias entradas a sul, todas monumentos, quando a fome aperta SightSeeing Tour Bus que fazempelas pontes que atravessam o Rio todos se lembram das Tripas à Moda rotas pelos locais mais emblemáticosDouro, um dos Ex libris da cidade, do Porto, ou da fabulosa Francesinha. da cidade. O principal problema parae nas quais se pode observar as São refeições que qualquer turista os visitantes, problema comum amaravilhosas paisagens desde a encontra com facilidade num muitas cidades portuguesas, são aszona ribeirinha, até a zona da Foz. restaurante da cidade, quer seja da sinalizações, porque para quem nãoLá dentro, subindo-se a cansativa zona histórica ou não. Raramente conhece a cidade pode facilmenteescadaria temos acesso a uma vejo pessoas a dizer que não gostam enganar-se num trajecto, se não tivervista panorâmica sobre as áreascircundantes. Para aqueles que não Se o desejo do visitante é passear e conhecer zo-têm vertigens, aconselho desde já a nas históricas e monumentos pode-se começar pelafazer essa experiência, não se vãoarrepender! Continuando a nossa Sé do Porto, seguindo-se a Estação de São Bento, evisita, o Palácio de Cristal é uma mais a cima a imponente Torre dos Clérigos.óptima escolha para relaxar envoltoda Natureza. Para os amantes de desses pratos. Mas não se esqueçam consigo um GPS.cultura outra passagem obrigatória que as imitações não contam. Muitos Por fim, e em jeito de opiniãoé a Casa da Música, um edifício dizem que não gostam porque pessoal, a grande maioria doscom uma arquitectura amada por provam noutros pontos do País. As visitantes da cidade gostam emuitos e odiada por outros tantos. verdadeiras Tripas e Francesinhas prometem voltar. Ou porque nãoNa minha opinião, é um design são as confeccionadas no Porto. Se conseguiram conhecer tudo aquilocontemporâneo, um pouco diferente estão a procura de uma altura ideal que o Porto tem para mostrar,daquilo que estamos habituados a para vir provar uma, não percam o ou então porque gostaram tantover, mas que cativa o olhar. Outra Festival da Francesinha que se realiza que certamente seria um prazeratractividade, um pouco mais recente todos os anos, geralmente na Foz apreciar tudo novamente, tambémé o Sea Life Porto situado no Castelo do Douro, mas pode eventualmente porque foram muito bem recebidos.do Queijo, no fim da Avenida da variar o local. As sardinhas assadas Quando estiverem indecisos sobreBoavista, e onde se pode apreciar são igualmente típicas da cidade o próximo local a visitar, ponhama biodiversidade marinha. É um principalmente quando o povo sai o Porto na vossa folha de opções,género de oceanário no Porto. O a rua nas festividades populares do vão, desfrutem, e verão que muitoPalácio do Freixo, situado perto da São João, festa típica que de há uns provavelmente vão prometerPonte do Freixo, é também uma obra anos para cá já vem atraindo cada vez regressar a esta cidade, não só porquemuito bonita e que todos deviam mais gente à cidade. é uma cidade bonita e atractiva, masvisitar. O Estádio do Dragão é O povo portuense é um povo bastante também porque tem sempre muitooutro empreendimento estrondoso, hospitaleiro e divertido e que muitas para vos oferecer.RESISTANCE Setembro 2011 20
  22. 22. Estado excitado Roma texto_Ana Tomé Não desfazendo da vida qualquer local elevado acima dos edifícios mais altos, e Universitária, as férias depois de subir cerca de 500 e muitas escadas posso com da Páscoa são uma toda a certeza afirmar que me senti no “topo do mundo”, folga muito bem-vinda! apesar de exausta. Para os católicos, ou para aqueles que E nada melhor que não o são mas apreciam a arte e a presença irrefutável da um destino de sonho história nos nossos dias, esta pequena cidade é um local a para aproveitar estes visitar sem sombra de dúvida. E desculpem desiludir-vos tão merecidos dias de mas é improvável que vejam o papa! férias, Roma a capital de Itália! Peguei então nas minhas Cheias de energia e decididas a patrulhar a cidade a pé, poupanças e embarquei num avião que me ia levar a lá nos aventuramos por mais um dia pelas ruas de Roma. uma cidade encantada que é literalmente um museu ao ar Primeira paragem, o Coliseu e o Fórum Romano. Por livre! entre geladarias, pizzarias, turistas e vespas, começámos Aterrámos em Roma! Primeira paragem, Two Ducks a descobrir a maravilhosa cidade que se abria aos nossos Hostel. Um Hostel invulgar escondido numa rua olhos pronta a acolher-nos por mais um dia. Chegando perdida perto da estação principal da cidade, a estação finalmente ao coliseu, era impossível contar o número de de Termini, que se revelou um local acolhedor para pessoas presentes à sua volta. Pessoas de todo o mundo pernoitar nas duas noites que iríamos passar na capital de admiravam aquele belíssimo monumento que já recebeu Itália. biliões de turistas. É verdade sim, está no meio da cidade, Não havia tempo para descansar e por isso, assim que nos instalámos, seguimos direitinhas, pelo metro, à Cidade do Foi um prazer, belíssima Roma! Vaticano. Somos recebidas nesta sede da Igreja católica ao entrar na praça de São Pedro, que remonta ao século está muito destruído, mas encerra milhares de anos de XVII e possui à sua frente uma imponente Basílica que história e portanto é impossível não apreciar cada minuto adoptou o seu nome. Por toda a praça se avistam fiéis ou que passemos nas suas redondezas ou no seu interior. simples turistas completamente deliciados com a beleza E já que estávamos, nas nossas cabeças, a voltar atrás no do local, e eu estava sem dúvida no meio deles. A fila tempo, porque não aproveitar a proximidade do Fórum para entrar na basílica era significativamente grande, mas Romano e ir visitá-lo também? São basicamente ruínas, no entanto, ninguém arredava pé, porque acreditem, vale mas tal como o coliseu, possui qualquer coisa de muito a pena a espera. Para além de um trabalho de arquitectura especial, sendo sempre místico passar alguns minutos a esplêndido e de ser considerado o maior edifício de seu deambular pelos corredores daquela “cidade” fantasma. período artístico, a basílica é um baú de obras-primas, No entanto a manhã já ia longa e tínhamos poucos dias tanto pelo seu belíssimo interior como pelas estátuas e muita coisa para ver. No cimo de uma das saídas que apesar de serem centenas não são suficientes para do Fórum é possível avistar a famosa estátua da loba tornar a basílica, um local pequeno ou preenchido. Mas que, segundo a lenda, teria amamentado os lendários existe algo que não posso deixar de salientar e que para fundadores de Roma, Rómulo e Remo. Uma estátua mim representa talvez o ponto mais interessante desta de pequenas proporções, que não deixa de nos levar ao minha visita à cidade do Vaticano, a subida à cúpula. passado, aos dias em que estava estampada nos nossos Esta cúpula é avistada no horizonte de Roma a partir de livros de história!21 Setembro 2011 RESISTANCE
  23. 23. Estado excitadoAlgures no fundo de uma longa escadaria encontrámos de Arquitectura que passou o seu primeiro semestreum edifício branco e enorme, guardado por um cavalo em Coimbra, é definitivamente o local de eleição paramontado por um homem de ar corajoso e altivo, em degustar um saboroso gelado Italiano.bronze, que suponho ser o homem a quem aquele edifício Para terminar o dia da melhor forma, dirigimo-nos aoé erigido, Vittorio Emanuele II. Um edifício caracterizado local que eu mais ansiava por visitar, a famosa Fontana dipela sua brancura e preservação, ao contrário da grande Trevi ou como se diria em português, Fonte dos Trevos.parte dos edifícios de Roma. As suas proporções são de É um sítio mágico e especialmente agitado, no entantotal ordem que tive de me afastar consideravelmente e o cenário é fascinante e a sonoridade da água recheiacolocar-me no meio da estrada para conseguir tirar uma de energia positiva os seus visitantes. Todos os turistasfoto completa do Vittoriano. Fica a curiosidade de visitar querem honrar a tradição de lançar uma moeda com ao seu interior numa próxima vez que visite solo Romano. mão direita, à fonte, na esperança de cumprir os seusMas a caminhada tem de continuar e ignorando o desejos ou de ficar bem na foto. Eu pedi o meu com uma moeda de 0,50€ e ainda estou à espera do resultado! Não deixou no entanto de ser o ponto alto do meu dia poder admirar aquela obra -prima que me fez permanecer naquele mesmo sítio, sem palavras, durante mais de uma hora. Para o nosso último dia em Roma, guardámos a praça de Espanha. Esta praça é uma das mais deslumbrantes de Roma e trata-se de um ponto de encontro para turistas ou mesmo Romanos. A sua belíssima escadaria monumental é um local famoso e muito visitado especialmente no mês de Maio quando está totalmente enfeitada de flores. Roma, no entanto possui ainda uma jóia escondida. Um belíssimo parque verde que oferece aos turistas uma privilegiada vista sobre toda a cidade. É um local harmonioso e óptimo para relaxar mas sobretudo é o local ideal para culminar uma viagem a uma cidade que marca para sempre quem lá vai. Foi um prazer, belíssima Roma!cansaço, chegámos ao Panteão. Este edifício construídona época greco-romana é o único que, actualmente, seencontra em perfeito estado de conservação. Foi primeiroutilizado como templo dedicado a todos os deuses dopanteão romano e, desde o século VII, como templocristão. É famoso pela sua cúpula que nos mostra o céua descoberto, e pela sua estranha fachada que nos levaa crer que o edifício não é circular mas sim rectangular.O seu interior é pequeno mas fascinante, rodeado deestátuas e túmulos que nos transportam mais uma vezatravés da história.Mas todo o turista, por mais fiel que seja à sua demandapela arte, merece uma pausa. E não poderíamos sairde Roma sem ir à melhor gelataria da zona. De nomeGiolitti e recomendada por um estudante de ErasmusRESISTANCE Setembro 2011 22

×