• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Mycobacteruim tuberculosis - Renato Varges
 

Mycobacteruim tuberculosis - Renato Varges

on

  • 5,869 views

Aula de tuberculose ministrada para turma de odontologia

Aula de tuberculose ministrada para turma de odontologia

Statistics

Views

Total Views
5,869
Views on SlideShare
5,869
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
212
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • A infecção pelo bacilo da tuberculose pode ocorrer em qualquer idade, mas no Brasil geralmente acontece na infância. Nem todas as pessoas expostas ao bacilo da tuberculose se tornam infectadas. A probabilidade que a TB seja transmitida depende de alguns fatores; Da contagiosidade do caso índice (doente bacilífero fonte da infecção); Do tipo de ambiente onde a exposição ocorreu; Da duração da exposição.
  • Apenas em torno de 10% das pessoas infectadas adoecem, metade delas durante os 2 primeiros anos após a infecção e a outra metade ao longo de sua vida. Esta estimativa está correta se não existirem outras infecções ou doenças que debilitem o sistema imunológico da pessoa, como, por exemplo: Diabetes Mellitus (DM); Infecção pelo HIV; Tratamento prolongado com corticosteroídes; Terapia imunossupressora; Doenças renais crônicas, entre outras. NESTES CASOS O RISCO DE PROGRESSÃO DA INFECÇÃO PARA A DOENÇA AUMENTA.

Mycobacteruim tuberculosis - Renato Varges Mycobacteruim tuberculosis - Renato Varges Presentation Transcript

  • Gênero Mycobacterium Renato Varges
  • Bastonete álcool - ácido resistente - BAAR Aeróbias estritas, imóveis, sem cápsula Não se coram pelo Gram Não produzem toxinas Gênero Mycobacterium Robert Koch Propriedades gerais:
  • Parede celular com espessa camada lipídica: Ácidos micólicos
    • Longo tempo de geração
    • Resistência a atb
    • Poder alergênico
    • Infecção crônica
    FIQUEM DE OLHO NOS LIPÍDEOS DA PAREDE CELULAR
    • M. tuberculosis
    • M. leprae
    • M. bovis
    • M. avium
    Gênero Mycobacterium Principais espécies de interesse médico:
  • TUBERCULOSE AGENTE: Mycobacterium tuberculosis - Bacilo de Koch
  • Tuberculose Dados Epidemiológicos Atuais
    • Casos anuais são estimados em 8,7 milhões de doentes no mundo, com 1,8 milhão de óbitos.
    • 80% dos casos de tuberculose estão concentrados em 22 países. Apenas um destes está situado na América Latina, o Brasil.
    • Estima-se que no Brasil ocorram 129.000 casos por ano, dos quais são notificados apenas cerca de 90.000. Em 2004, o Brasil notificou 86.881 casos de TB. Com incidência de 60/100.000 habitantes.
    • Em 2005, foram notificados 15.662 casos de TB no Rio de Janeiro. Este número representa 15% de casos de TB notificados no país.
  • Problema ? Há uma década, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a tuberculose em estado de emergência no mundo, onde ainda é a maior causa de morte por doença infecciosa em adultos O Brasil ocupa o 15º lugar entre os 22 países responsáveis por 80% do total de casos de tuberculose no mundo. Estima-se cerca de 111.000 casos novos e 6.000 óbitos, anualmente.
  •  
  • Mortes Causadas por Doenças Infecciosas em Adultos no Países em Desenvolvimento Fonte: Banco Mundial, 1997 TB 51.4% Inf. Respiratórias 10.0% HIV 8.6% Malaria 6.4% Outras 23.5% TB 54.7% Inf. Respiratórias 2.6% HIV 37.1% Malaria 1.3% Outras 4.4% 1990 2020
  • EPIDEMIOLOGIA
    • Dados do Mundo
      • 8,2 milhões de casos novos/ano
      • 2 milhões de óbitos/ano
      • cada segundo 1 pessoa é infectada
      • 1/3 da população mundial está infectada
      • 5 a 10 % dos infectados adoecerão
      • 22 países concentram 80 % dos casos
    Tuberculose
  • TAXA DE INCIDÊNCIA DE TUBERCULOSE POR TODAS AS FORMAS. BRASIL E UNIDADES FEDERADAS, 2001 . Fonte: SINAN (Dados sujeitos a atualizações)
  • EPIDEMIOLOGIA - TRANSMISSÃO
    • A infecção pelo bacilo da tuberculose pode ocorrer em qualquer idade.
    • Nem todas as pessoas expostas ao bacilo da tuberculose se tornam infectadas.
    • A probabilidade que a TB seja transmitida depende de alguns fatores:
      • Da contagiosidade do doente bacilífero fonte da infecção;
      • Do tipo de ambiente onde a exposição ocorreu;
      • Da duração da exposição.
    Tuberculose
    • 10% das pessoas infectadas adoecem, metade durante os dois primeiros anos após a infecção e a outra metade ao longo da vida.
    • O risco de progressão da infecção para a doença aumenta na presença de situações que debilitem o sistema imunológico da pessoa, como, por exemplo:
      • Diabetes Mellitus (DM);
      • Infecção pelo HIV;
      • Tratamento prolongado com corticosteroídes;
      • Terapia imunossupressora;
      • Doenças renais crônicas, entre outras.
    EPIDEMIOLOGIA - TRANSMISSÃO Tuberculose
  • PATOGENIA Tuberculose Macrófago ativado IL-6, IL-12, TNF Interferon gama Novos macrófagos Morte dos macrófagos acumulo de células inflamatórias e fibrina formam um granuloma (tubérculo) Células gigantes de Langhans que retiram água e depositam sais de cálcio
  •  
  • SINAIS CLÍNICOS
    • Febre
    • Sudorese
    • Emagrecimento
    • Astenia
    • Hemoptise
    SINAIS CLÍNICOS
  • Diagnóstico Clínico
    • Investigar Sempre os Pacientes que Apresentem:
    • Tosse por mais de três semanas;
    • Febre
    • Sudorese
    • Emagrecimento
    • Astenia
  • Diagnóstico Epidemiológico
    • A propagação da tuberculose está intimamente ligada às condições de vida da população.
    • Sua prevalência é maior nas grandes cidades.
  • Diagnóstico Epidemiológico
      • História de contato, intradomiciliar ou não, com uma pessoa com tuberculose;
      • Indivíduo oriundo de população que vive em comunidade fechada (manicômios, presídios, abrigos, asilos, e outros);
      • Trabalhadores da área de saúde (principalmente aqueles que trabalham com tuberculose e/ou AIDS);
      • Populações de rua.
  • Diagnóstico Laboratorial – Tuberculinização
  • Diagnóstico Laboratorial - baciloscopia
  • Diagnóstico Laboratorial - Baciloscopia
    • Baciloscopia do Escarro:
      • Principal exame diagnóstico para TB pulmonar;
      • Informação acerca da transmissibilidade (pacientes bacilíferos são os epidemiologicamente importantes)
      • Detecta até 80% dos casos de TB pulmonar.
    • A baciloscopia direta do escarro deve ser solicitada para:
      • Tosse por três ou mais semanas;
      • Alterações pulmonares na radiografia de tórax;
      • Contatos de casos de TB pulmonar bacilíferos.
    Diagnóstico Laboratorial - Baciloscopia
  • Percentual de Municípios com Laboratórios que Realizam Baciloscopia - 2003 Fonte:LACEN CGLAB/DEVEP/SVS/MS
  • TRATAMENTO
  • TRATAMENTO
    • O tratamento supervisionado:
    • - apoio governamental
    • busca ativa dos sintomáticos respiratórios
    • suprimento de medicamentos com regularidade e qualidade
    • observação direta e incentivo do tratamento
    • monitoramento do paciente
    - Fator de risco para seleção de cepas multi-resistentes
  • Fonte: GT-SINAN (Atualizado em Outubro/2003) Resultados após 6 meses de Tratamento para Tuberculose. Brasil, 2001.
    • Vacina BCG – 1º mês de vida
    • Identificação precoce dos doentes e tratamento
    • Programa de Tratamento Supervisionado para evitar abandono
    PROFILAXIA E CONTROLE