Ê   Ó          Ã        ÇÃO:    2
As lendas religiosas fizeram história e aciência pode provar muita destas tradições! Oobjetivo deste trabalho não e respon...
õ                              ê         A palavra portuguesa religião          aspecto     intelectual.  Mais      tarde,...
uma primeira crença evoluiu, gerando             situações históricas, geográficas enovas crenças e consecutivamente as   ...
necessário provas observadas e o que se        dos metais. O mercúrio é o princípioobserva sempre destrói as idéias. Para ...
Já a Metafísica trata de                 podemos dividi-lo, utilizando as teoriasproblemas sobre o propósito e a origem   ...
Acusam o espiritismo de                  forma vem à frase Abre as comportasparentesco com a magia e a feitiçaria;        ...
são esferas semelhante a terra; Observa-        levada mais a sério. Cientistaslhes as fases e determina o tempo que      ...
Na terra, convivemos com                 precisa entrar no estômago de umapessoas      que      têm      ideologias       ...
culturas inteiras, línguas tradições,            idéias religiosas pelo mundo a fora, nãopraticas,   são     povos    que ...
O instinto é a força oculta que           ciência, ser aprendido a brincar”.solicita os seres orgânicos a atos            ...
argumentos          para        possíveis        determinado numero de pesquisa,esclarecimentos que devem ser feitos      ...
precisam refletir com segurança e                       Lembrando que estudar é pensar,discernimento, antes de abraçá-lo, ...
é        Palavra originaria do Latim              comum em discussões religiosas,fides, que significa fidelidade. A fé se ...
O corpo físico é uma máquina               eliminar resíduos metabólicos nãoque funciona ininterruptamente, do            ...
Sistema circulatório: Mantém a            placenta. As glândulas hipófise e pinealvida, o calor interno e leva a todas as ...
na humanidade atual está sendo                     menos intensas na maior parte dossobrepujada pelo cérebro anterior com ...
a que denominamos sentidos eferentes                      Todas essas formações nervosasou perceptivos:                   ...
d) O intestino, que expele pelo                elo de ligação entre o macrocosmo e o      ânus a matéria sólida nociva e o...
material da terra e do pensamento                incorporação. Ele incorpora o campohumano.                               ...
como lobos frontais e outra que                           principalmente,     áreas      decompreende todo córtex restante...
externas. É a energia ativa do Ego,                 mente, a energia sai e entra maistrata-se de uma substância sutil     ...
aparência de uma existência remota               Espírito, razão pela qual, premido por(vestuário       ou     outros     ...
Você com certeza já deve ter              negativo. Em ambos os eletrodos háconhecido alguém assim: basta chegar          ...
em imagens religiosas, principalmente                     Existe uma técnica bem simplesde Jesus, santos e anjos.         ...
de aura dourada, é o estudo da ordem              dessa anomalia, não permite a livresuperior do universo e de leis e     ...
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Ciência, História e Religião
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Ciência, História e Religião

10,022

Published on

Conjunto de textos para estudo!
www.expressodofluxo.blogspot.com

Published in: Education
2 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
10,022
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
198
Comments
2
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ciência, História e Religião

  1. 1. Ê Ó Ã ÇÃO: 2
  2. 2. As lendas religiosas fizeram história e aciência pode provar muita destas tradições! Oobjetivo deste trabalho não e responder todas assuas dúvidas, mais trocar informações adquiridasdurante anos de pesquisa. Nasci dentro de famíliacatólica com um pezinho na cultura afro-brasileira,sou descendente de ciganos, negros e índios. Aoser contagiado pelo vírus da fé, quis compreendercomo os milagres e manifestações espirituaisaconteciam. Comecei a estudar revistas esotéricas,frequentei sociedades, participei de igrejas, cultos erituais considerados pagãos. Li e reli a bíbliavárias vezes buscando respostas e questionandosuas contradições. Quase me tornei pastor, poremnão consegui fica subordinado as normas impostaspor homens sem objetivos espirituais. Fiz muitas anotações, testes, entrevistas erecorte de textos. Infelizmente muita destas fontesprimaria não estão completas impossibilitando daros devidos créditos. Os livros, conversas, debates eestudos antropológicos mostraram-me que epossível juntar as crenças religiosas, se analisarmosa história social e cultural as testando com formascientíficas. Após essa leitura, você será capaz debuscar complementos pedagógicos e chegar a suaprópria conclusão da teoria do evolucionismo e osproblemas da falta de estudo do que não seconhece. Aproveitem esta “colcha de retalhos”, poiscom ela você poderá descobrir as suas verdades econhecer os dons de sua alma! Boa Leitura. Waldemar Alvarenga Lapoente (Reizinho) 3
  3. 3. õ ê A palavra portuguesa religião aspecto intelectual. Mais tarde,deriva da palavra latina religionem, Lactâncio (século III e IV d.C.) rejeita areligio no nominativo, mas desconhece- interpretação de Cícero e afirma que ose ao certo que relação estabelece com termo vem de religare, religar,outros vocábulos. Aparentemente no argumentando que a religião é um laçomundo latino anterior ao surgimento do de piedade que serve para religar oscristianismo, representava um estilo de seres humanos a Deus.comportamento marcado pela rigidez e No livro "A Cidade de Deus"pela precisão. Agostinho de Hipona (século IV d.C.) O termo religião foi usado afirma que religio deriva de religere,durante séculos no contexto cultural da "reeleger". Através da religião aEuropa, marcado pela presença do humanidade reelegia de novo a Deus,cristianismo que se apropriou do termo do qual se tinha separado. Mais tarde,latino religio. Em outras civilizações na obra De vera religione Agostinhonão existe uma palavra equivalente. O retoma a interpretação de Lactâncio,hinduísmo antigo utilizava a palavra rita que via em religio uma relação comque apontava para a ordem cósmica do "religar".mundo, com a qual todos os seres Macróbio (século V d.C.)deveriam estar harmonizados e que considera que religio deriva detambém se referia à correta execução relinquere, algo que nos foi deixadodos ritos pelos brâmanes. Mais tarde, o pelos antepassados. Independente datermo foi substituído por dharma, que origem, o termo é adotado para designaratualmente é usado pelo budismo e que qualquer conjunto de crenças e valoresexprime a idéia de uma lei divina e que compõem a fé de determinadaeterna. pessoa ou conjunto de pessoas. A primeira manifestação Não há registro em qualquerreligiosa surgiu no período Paleolítico e estudo por parte da História,Neolítico, expressando um vínculo com Antropologia, Sociologia ou qualquera Terra, a Natureza, os ciclos e a outra "ciência" social, de umfertilidade. Estabelecendo nesse sentido, grupamento humano em qualquer épocaa adoração à Deusa mãe, à Mãe Terra que não tenha professado algum tipo deou Mãe Cósmica. Em torno desse crença religiosa. As religiões são entãosentimento formaram-se sociedades um fenômeno inerente a culturamatriarcais centradas na figura feminina humana, assim como as artes e técnicas.e suas manifestações. As religiões que afirmam a Historicamente foram propostas existência de deuses podem servárias etimologias para a origem de classificadas em dois tipos: monoteístareligio. Cícero, na sua obra De natura ou politeísta. As religiões monoteístasdeorum, (45 a.C.) afirma que o termo se admitem somente a existência de umrefere a relegere, reler, sendo único deus, um ser supremo. Ascaracterístico das pessoas religiosas religiões politeístas admitem aprestarem muita atenção a tudo o que se existência de mais de um deus.relacionava com os deuses, relendo as O estudo científico da religião éescrituras. Esta proposta etimológica atualmente realizado por váriassublinha o carácter repetitivo do disciplinas das ciências sociais efenômeno religioso, bem como o humanas. A Antropologia acredita que 4
  4. 4. uma primeira crença evoluiu, gerando situações históricas, geográficas enovas crenças e consecutivamente as culturais específicas que influenciam ereligiões. moldam a forma tomada pela religião. Tudo o que não compreendia E a hipocrisia resulta dasdevia ser obra de uma potência atitudes egoístas, da falta desobrenatural. Daí a crer em tantas compreensão do verdadeiro sentido dapotências distintas quanto os efeitos que Religião, que é caminho e não ponto deobservava, não havia mais que um chegada da espiritualização do homem.passo. Os homens tinham por deuses os Conhecido na sociologia comoespíritos. Pelos ensinos, que etnocentrismo.espalharam, preparam o terreno para Ao estudar sobre religiões e bomreceber a semente. O conhecimento e compreender o verdadeiro significadocomo a luz, o homem precisa habituar- de cada palavra empregada, para nãose a ela, pouco a pouco; do contrario ocorrer equívocos. Alguns gruposfica deslumbrado e cego. E Não religiosos denominam outros grupos deensinais as crianças o que ensinais aos seita como forma de insulto. Porem aadultos e não dais ao recém nascido um definição do termo seita e derivado daalimento que ele não possa digerir. palavra latina "Secta", nada mais é doCada coisa tem seu tempo. Muitas que um segmento minoritário que secoisas os homens não compreendera ou diferencia das crenças majoritárias, masalteraram. como tal também é religião. Os precursores da idéia Cristã A palavra Heresia é outro termoforam Sócrates e Platão. O primeiro mal compreendido. Significanada escreveu e sua doutrina ficou simplesmente um conteúdo que vaiconhecida através de seu discípulo contra a estrutura teórica de umaPlatão, assim como Jesus que foi religião dominante. Sendo assim oregistrado nos escritos dos apóstolos. Cristianismo foi uma heresia JudaicaNinguém neste mundo pode dizer que assim como o Protestantismo umaconhece a verdade absoluta. Jesus veio heresia Católica, ou o Budismo umacumprir a lei, desenvolvê-la, dar-lhe o heresia Hinduísta. A palavra dogma éverdadeiro sentido e adaptá-la. grega e seu sentido original é opinião. Com isso ocorreu várias Adquiriu em filosofia e religião omisturas de idéia, mas Jesus não podia sentido de princípio doutrinário.de um só golpe destruir inveteradas A religião que prevalece hoje é acrenças, faltando aos homens antropolatria. O homem tornou-se oconhecimentos necessários para centro de todas as coisas. Na pregaçãoconceber a infinidade do Espaço e o contemporânea, Deus é quem está anúmero infinito dos mundos; A terra serviço do homem e não o homem apara eles era o centro do universo; não serviço de Deus. A vontade do homem élhe conheciam a forma nem a estrutura que deve ser feita no céu e não ainternas; tudo se limitava ao seu ponto vontade de Deus na terra. O homemde vista; as noções do futuro não contemporâneo não busca conhecer apodiam ir alem dos seus conhecimentos. Deus, mas sentir-se bem. Jesus limitou-se a falar Tanto as religiões como abrevemente das boas aventuranças e dos ciência tentam descrever a natureza ecastigos reservados aos culpados. dar uma explicação para a origem doEmbora qualquer religião normalmente universo. A diferença está na forma deafirme ter sido inspirada por “Deus”, é pensar de um cientista. O cientista nãoimportante lembrar que todas elas aceita descrever o natural com ocomeçam e se desenvolvem em sobrenatural. Para o cientista é 5
  5. 5. necessário provas observadas e o que se dos metais. O mercúrio é o princípioobserva sempre destrói as idéias. Para volátil, passivo, feminino, inerte.um cientista, a ciência é uma só, pois a Ambos, combinados, formam o que osnatureza é apenas uma. Sendo assim, as alquimistas descrevem como o "coito doidéias da Física devem complementar as Rei e da Rainha".idéias da química, da paleontologia, O sal, também conhecido porgeografia e assim por diante. Embora a arsênico, é o meio de ligação entre ociência seja dividida em áreas, para mercúrio e o enxofre, muitas vezesfacilitar o estudo, ela ainda continua associado à energia vital, que une corposendo apenas uma. e alma. A linguagem dos textos O pensamento dogmático coloca alquímicos com frequência faz uso deas idéias como sendo superiores ao que imagens sexuais. E não é muitose observa. O pensamento cético coloca incomum que a ligação de elementoso que é observado como sendo superior seja comparada a um "coito".às idéias. Um dogma é uma idéia e por Normalmente este casamento émais que se observem fatos que associado à morte, e é representado,destruam o dogma, uma pessoa com com frequência, ocorrendo dentro depensamento dogmático irá preservar o um sarcófago.seu dogma. Para a ciência uma teoria é Enquanto a união de ambos osuma idéia, mas se observarmos fatos elementos é representada por umque comprovem a falsidade da idéia, o "casamento" ou "coito", o combate entrecientista tem a obrigação de destruir ou o enxofre e o mercúrio, entre o fixo e omodificar a teoria. volátil, entre o masculino e o feminino é Embora alguns, influenciados comumente representado pela luta entrepelo conhecimento científico moderno, o dragão alado e o dragão áptero.atribuam à alquimia um caráter de Também é muito frequente o uso deproto-ciência, devemos nos lembrar que símbolos da astrologia na linguagemela possui mais atributos ligados à alquímica. Associam-se os planetas dareligião do que à ciência. Assim, ao astrologia com os elementos da seguintecontrário da ciência moderna que busca forma: O Sol com o ouro; A Lua com adescobrir o novo, a alquimia prata; Mercúrio com mercúrio; Vênuspreocupava-se com os segredos do com o cobre; Marte com o ferro; Júpiterpassado, e em preservar um suposto com estanho e Saturno com chumbo.conhecimento antigo. Os alquimistas acreditavam que O processo alquímico é o o mundo material é composto porprincipal trabalho dos alquimistas - matéria-prima sob várias formas, asfrequentemente chamado de "A Grande primeiras dessas formas eram os quatroObra". Trata-se da manipulação dos elementos - água, fogo, terra e ar,metais, e da fabricação da pedra divididos em duas qualidades: Úmido -filosofal. As matérias-primas do que trabalhava principalmente com oprocesso alquímico são, entre outras, o orvalho, Seco, Frio ou Quente. Asorvalho, o sal, o mercúrio e o enxofre. qualidades dos elementos e suas O orvalho é utilizado para eminentes proporções determinavam aumedecer ou banhar a matéria-prima. O forma de um objeto, por isso, ossal é o dissolvente universal. Os outros alquimistas acreditavam ser possível adois elementos, mercúrio e enxofre são transmutação: transformar uma formaas principais matérias-primas da ou matéria em outra alterando asalquimia. O enxofre é o princípio fixo, proporções dos elementos através dosativo, masculino, que representa as processos de destilação, combustão,propriedades de combustão e corrosão aquecimento e evaporação. 6
  6. 6. Já a Metafísica trata de podemos dividi-lo, utilizando as teoriasproblemas sobre o propósito e a origem da psicanálise, o Behaviorismo, ada existência e dos seres. Especulação bioenergética e demais áreas daem torno dos primeiros princípios e das psicologia da seguinte forma:causas primarias do ser. Muitas vezesela é vista como parte da Filosofia,  Arquicórtex = Inconsciente.outras, se confunde com ela.  Paleocórtex = Pré-conscienteConsiderado o pai desta ciência  Neocórtex = Consciente.Aristóteles, escreveu sobre temasrelacionados à physis e sobre temas Varias partes do cérebro estãorelacionados à ética e à política, entre relacionadas com experiências místicas.outros semelhantes. Andrônico, ao São elas:organizar os escritos de Aristóteles, ofez de forma que, espacialmente,  Lobo Parietal: Diminuição deaqueles que tratavam de temas neurosinapses levando arelacionados à physis viessem antes dos sensação de união como ooutros. Assim, eles vinham além da universo.física - Meta = depois, além; Physis =  Lobo frontal: Concentraçãofísica. Neste sentido, a metafísica é algo ampliada (meditação) bloqueiaintocável, que só existe no mundo das outros impulsos neurais.idéias.  Lobo temporal: Ativa intensa Mas foi na época de Sócrates e emoção, como prazer e medo.seus contemporâneos, que o  Lobo occipital: Processapensamento científico se consolidou, imagens que facilitam praticasprincipalmente com o surgimento do espirituais - velas, cruzes, etc.conceito de prova científica, ourepetição do fato observado na natureza. Todas as ciências se encadeiamQuando esse processo de modificação e sucedem numa ordem racional;no pensamento grego terminou, nascem umas das outras, à proporçãoaproximadamente noventa por cento dos que acham ponto de apoio nas idéias egregos haviam se tornado ateus. conhecimentos anteriores. ASócrates foi condenado à morte e teve Astronomia, uma das primeirasde tomar cicuta, pois foi julgado cultivadas, conservou os erros daculpado de estar desvirtuando a infância, até ao momento em que ajuventude. Os gregos acabaram por Física veio revelar a lei das forças dosdestruir sua própria religião. agentes naturais; a Química, nada A teologia é fortemente podendo sem a física, teve deinfluenciada pelas mais diversas acompanhá-la de perto, para depoisreligiões. Também existe a marcharem ambas de acordo,neuroteologia conhecida como amparando-se uma à outra. Abioteologia ou neurociência espiritual. Anatomia, a fisiologia, a zoologia, aEsta estuda a base neural da botânica, a Mineralogia, só se tornaramespiritualidade e emoção religiosa. ciências sérias com o auxilio das luzesPropondo-se a descobrir os processos que lhe trouxeram a Física e a Química.cognitivos que produzem experiências A Geologia nascida ontem, sem aespirituais ou religiosas e relacioná-las astronomia, a física, a Química e todascom padrões de atividade no cérebro, as outras, teriam faltado elementos deincluindo evolução e benefícios. vitalidade; ela só podia vir depois Para melhor entender o daquelas.funcionamento do cérebro humano, 7
  7. 7. Acusam o espiritismo de forma vem à frase Abre as comportasparentesco com a magia e a feitiçaria; do céu, ate hoje utilizadas.porém esquecem que a Astronomia tem Pelo ano 600 a.C., Tales depor irmã mais velha a Astrologia Mileto na Ásia Menor, descobriu ajudiciária, ainda muito distante de nós; esfericidade da Terra, a obliquidade daque a Química é filha da Alquimia. eclíptica e a causa dos eclipses. UmNinguém nega, entretanto, que na século depois, Pitágoras, descobre oAstrologia e na Alquimia estivesse o movimento diurno da Terra, Sobre ogérmen das verdades de que saíram as próprio eixo, seu movimento anual emciências atuais. A astrologia se apoiava torno do Sol e incorpora os planetas e osna posição e no movimento dos astros, cometas ao sistema solar. Hiparco, deque ela estudara; mais na ignorância das Alexandria no Egito, 160 anos a.C.,verdadeiras leis que regem o inventa o astrolábio, calcula e prediz osmecanismo do Universo, os astros eram, eclipses, observa as manchas do Sol,para o vulgo, seres misteriosos. determina o ano trópico, a duração das Nenhuma ciência existe que haja revoluções da lua.saído prontinha do cérebro de um Cerca do ano 140 da era cristã,homem. Todas, sem exceção de Ptolomeu, um dos homens mais ilustresnenhuma, são frutos de observações da Escola de Alexandria, combinadosucessivas, apoiadas em observações suas próprias idéias com as crençasprecedentes, como em um ponto vulgares e com algumas das maisconhecido, para chegar ao recentes descobertas astronômicas,desconhecido. Vendo o Sol aparecer compôs um sistema que se podepela manhã, de um lado do horizonte, e qualificar de misto, que traz o seu nomedesaparecer, à tarde, do lado oposto, e que por perto de quinze séculos, foi oconcluíram naturalmente que ele girava único que o mundo civilizado adotou.em torno da Terra, conservando-se esta Segundo este sistema a terra era oimóvel. Se lhes dissessem então que o centro do universo, compostas porcontrario é o que se dá, responderiam quatro elementos, Terra, água, ar e fogo.não ser possível tal coisa, objetando: E dotada de Onze céus.Vemos que o sol muda de lugar e não No começo do século dezesseis,sentimos que a terra de mexa. Copérnico, astrônomo célebre, nascido Igualmente desconhecida era em Thorn na Prússia, no ano de 1472 eentão a formação das nuvens pela morto no de 1543, reconsiderou asevaporação das águas da terra. A idéias de Pitágoras e concebeu umninguém podia acudir a idéia de que a sistema que, confirmado todos os diaschuva, que cai do céu, tivesse origem na por novas observações teve acolhimentoTerra, donde ninguém a via subir. Daí a favorável e não tardou a desbancar o decrença na existência de águas superiores Ptolomeu. Segundo o sistema dee de águas inferiores, de fontes celestes Copérnico, o Sol está no Centro e aoe de fontes terrestres, de reservatórios seu derredor os astros descrevem órbitascolocados nas altas regiões, suposição circulares, sendo a Lua um satélite daque concordava perfeitamente com a Terra.idéia de uma abóbada sólida, capaz de Decorrido um século, em 1609,sustentar. As águas superiores, Galileu, natural de Florença, inventa oescapando-se pelas fretas da abóbada, telescópio; em 1610, descobre os quatrocaíam em chuva e, conforme fossem satélites de Júpiter e lhe calcula asmais ou menos largas as frestas, a chuva revoluções; reconhecem que os planetasera branda, torrencial e diluviana. Desta não têm luz própria como às estrelas, mas que são iluminados pelo sol; que 8
  8. 8. são esferas semelhante a terra; Observa- levada mais a sério. Cientistaslhes as fases e determina o tempo que consagrados não ignoram oduram as rotações deles em torno de conhecimento religioso, o Dr. Davidseus eixos, oferecendo assim, por Bohm foi o primeiro a notar aprovas materiais, sanção definitiva ao semelhança entre o seu modelo dasistema de Copérnico. Ordem Implícita e as religiões orientais. As velhas cosmogonias Jung era um cientista. Investigoudeixaram para sempre de subsistir. A diversos aspectos do que chamamos deastronomia só podia avançar não recuar. esotérico e encontrou nele elementosA história diz das lutas que esses que foram trazidos à luz da ciência, parahomens de gênio tiveram de sustentar serem investigados, analisados, e quecontra os preconceitos e, sobretudo, hoje são estudados nas universidades,contra o espírito de seita, interessado para possibilitar a compreensão humanaem manter erros sobre os quais se da sua própria mente. A idéia dehaviam fundado crenças supostamente unidade dos esotéricos da Nova Era éfirmadas em bases inabaláveis. Bastou à baseada no conceito feminino da Mãeinvenção de um instrumento de óptica Terra, ou Deusa Mãe, passivo, que épara derrocar uma construção de muitos oposto ao Deus varão e ativo quemilhares de anos. aprendemos a cultuar, e isso está nos Graças a Tipografia o grande estudos de Jung, onde o aspectopúblico tomou conhecimento dos fatos. feminino do espiritual é mencionado.Adão e Eva não foram os primeiros do A Era Vindoura não destruirá oglobo terrestre, segundo o espiritismo Cristianismo, substituindo-o comteriam sido espíritos superiores, paganismo, mas transcenderá oconhecidos como Raça Adânica que Cristianismo histórico substituindo avieram a terra na missão de ajudar a imitação de Cristo pela experiênciamesma a evoluir. Essas Imigrações e direta e vivente do Espírito Santo. Omigrações são constantes de forma que próprio Cristo insinuou (João 16:7-13)disto surge a teoria dos extraterrestres. que o Espírito Santo ou ConfortadorNão posso deixar de citar Lilith, a viria depois dele, não apenas paraprimeira mulher segundo a Torá. derramar as línguas do Pentecostes Moisés revelou aos homens a sobre seus discípulos, mas paraexistência de um único Deus, impregnar toda a humanidade com oapresentando os Dez manda mentos espírito da verdade.para purificar o povo. Jesus Cristo As experiências de entrar norevelou a existência de uma vida futura mundo espiritual são diferentes dee cumpriu os mandamentos resumindo pessoa para pessoa, dependendo doem dois. Amar a Deus sobre todas as sistema de crenças de cada um, do nívelcoisas e ao próximo como a ti mesmo. de conhecimento e do grau de evoluçãoO espírito Santo trouxe maiores espiritual. À medida que passamosesclarecimentos sobre a vida futura pelos planos astrais inferiores e nosapresentada por Cristo. Kardec foi um movemos para dimensões superiores, àsdos instrumentos utilizado para experiências se tornam ainda maisapresentar a doutrina do Espírito. rarefeitas. Pensamentos e sentimentos A grande diferença aqui é o têm suas intensidades amplificadas.preconceito dos religiosos, que vendem Espíritos viajam através de váriascomo dogma o que deveria ser teoria. dimensões até atingirem aqueles queCiência e religião são maneiras de coincidem com seu nível dedescrever a realidade e, onde a ciência compreensão.pára, a filosofia religiosa deveria ser 9
  9. 9. Na terra, convivemos com precisa entrar no estômago de umapessoas que têm ideologias ovelha, ou de uma vaca, para continuarcompletamente diferentes das nossas. o seu ciclo de vida. Na verdade aSe olharmos ao redor, podemos formiga perde o comando de si mesmaenxergar uma multiplicidade de crenças para um parasita que induzreligiosas e de diversas idéias sobre comportamento suicida.como a vida funciona. A diversidade é Parece assustador, mais vai ficarimportante, porque a terra é uma escola. pior. Isso pode ocorre com humanos, jáEstamos aqui para aprender com base parou para analisar que Islã quer dizernas diferentes contribuições de cada um. rendição, ou submissão, do interesseNo entanto nas dimensões espirituais, próprio à vontade de Alá. Mesmo nãogravitamos em direção a uma sendo vermes, as idéias sequestrammentalidade semelhante à nossa e à de nossos cérebros. Há muitas idéias pelasoutros que têm os mesmos pontos de quais morrer: Liberdade, Justiça,vista e se encontram no mesmo nível de verdade, comunismo e religião. Elas sãoevolução. O lugar onde vamos parar infecciosas, assim como a maior partedepois da morte é criado por nós da cultura divulgada são "Repetitemesmos, por meio de nossos Infecciosa".pensamentos, palavras e atos e Os hospedeiros trabalham duroprincipalmente pela maneira que para espalhar estas idéias para outros.vivemos na terra. Se seguirmos o Quase todos nós temos uma respostacaminho de uma determinada religião, decorada para determinado assunto. Umpor exemplo, ficamos junto com outros conjunto de idéias ou outroque compartilham a mesma crença. simplesmente substituíram os nossos Ao pensar nas religiões e etnias imperativos biológicos em nossasque existem no mundo. Parece que mentes, Este é o nosso "SummumDeus ou o universo, criou os seres bonum".humanos de uma forma maravilhosa, Este é um profundo efeitocomo se fossem as facetas de um biológico, a subordinação dos interessesdiamante brilhante e lindo. É essa genéticos a outros interesses, e nenhumasingularidade de cada faceta que faz a outra espécie faz algo remotamentebeleza do diamante. Todas as crenças parecido com isto. Richard Dawkinssão belas em sua sabedoria. Nenhuma é chama de memes, estas Idéias que semelhor do que a outra. Isso é apenas replicam ao passarem de cérebro prauma ilusão do mundo físico. Só quando cérebro.formos capazes de celebrar nossa Temos de tentar corrigir os mausdiversidade e amar uns aos outros entendimentos para que apenas asincondicionalmente teremos a variantes úteis e benignas das nossasverdadeira paz em nosso planeta. Como idéias continuem a se disseminar. Afinalainda não aprendemos a amar, somos responsáveis pelo que dizemos.continuamos matando nossa própria Memes são como vírus, informaçõesespécie. Isso coloca a terra em um nível que podem ser compartilhadas pormuito baixo na escala da evolução qualquer meio.espiritual. Com o auxilio das novas Existe uma formiga que sobe ate tecnologias e possível semear idéiasa ponta da folha de um capim e cai, para qualquer lugar do mundo. Isto evoltando a repetir o ato no intuito de maravilhoso, mais não podemospermanecer sempre no topo da folha. controlar as idéias tóxicas. AsEla foi infectada por um verme cerebral propagandas, de moda, bebidas, bares eparasítico chamado Lancet Fluke, este todos os filmes, são memes. Destroem 10
  10. 10. culturas inteiras, línguas tradições, idéias religiosas pelo mundo a fora, nãopraticas, são povos que não devemos tentar destruir outras religiões.desenvolveram imunidade para certas Exemplos de memes:informações. Um meme, assim como um  Jingles, músicas emgene, não faz ou deseja qualquer coisa propagandas políticas eintencionalmente. Simplesmente é ou comerciais e slogans.não replicado, e isto de forma passiva.  Verme de orelha são canções,As idéias que são transmitidas de em especial refrões, que vocêcérebro em cérebro podem sofrer não consegue parar de cantarolarmodificações que se acumulam ao ou pensar.longo do tempo. Essas modificações são  Provérbios e aforismos (e.g.,então transmitidas sob uma nova forma. "Deus ajuda quem cedo A evolução memética, tal como madruga").o seu equivalente genético, pressupõe a  Canção de Ninar; sãopossibilidade de mutações e de um propagadas por pais para filhosmecanismo darwiniano de seleção por várias gerações, muitasnatural para que possa ter lugar. Entre vezes associada a ações eas gerações podem ser passadas idéias movimentos específicos.que podem aumentar ou diminuir a  Corrente de correspondência;sobrevivência dos indivíduos que as "Você deve mandar estaobtêm e usam. A esse processo vem mensagem para cinco outrasassociado um mecanismo de seleção das pessoas, ou algo ruim vaiidéias que continuarão a serem passadas acontecer com você."às gerações futuras.  Religiões são memes Será que estamos imunes, a complexos, e religiões,pornografia esta em todo lugar, são incluindo crenças folclóricas,como leve resfriado para nos, Mais para podem até mesmo se espalharmuitas outras pessoas são doenças como um vírus.graves e deveríamos estar atentos a isso.Não devemos sair por ai discutindo 11
  11. 11. O instinto é a força oculta que ciência, ser aprendido a brincar”.solicita os seres orgânicos a atos Allan Kardec.espontâneos e involuntários, tendo em Há o conhecimento natural quevista a conservação deles. Nos atos um homem adquire no decorrer da suainstintivos não há reflexão, nem vida, por experiências, estudos, leituras,combinação, nem premeditação. E convivência com outras pessoas,assim que a planta procura o ar, se volta viagens, pesquisas, buscas constantespara a luz, dirige suas raízes para a água motivadas pela ânsia de saber. O dome para a terra nutriente; que a flor se da ciência é uma revelação sobrenaturalabre e fecha alternativamente, conforme de algum fato desconhecido e que Deusse lhe faz necessário; que as plantas quer que o homem tome conhecimento,trepadeiras se enroscam em torno através do seu espírito, pela ação dodaquilo que lhes serve de apoio, ou se Espírito Santo.agarram com as gavinhas. E pelo No entanto sabemos que sempreinstinto que os animais são avisados do em todo historia vimos e ouvimos falarque lhe convém ou prejudica; que de escolhidos com dons especiais que sebuscam conforme a estação, os climas comunicam com esferas superiores epropícios. Entre tantos outros. seres iluminados. Este dom permite que A inteligência se revela por atos a pessoa identifique fatos recentes,voluntários, refletidos, premeditados, como cumprimento de profeciascombinados, de acordo com a bíblicas antigas. O dom deoportunidade das circunstancias. E discernimento não se limita, apenas aincontestavelmente um atributo discernir espíritos demoníacos noexclusivo da alma. Todo ato maquinal é momento de uma possessão.instintivo; o ato que denota reflexão, Discernimento é a faculdade decombinação e inteligência. Um é livre, o perceber diferenças, distinguir entre aoutro não o é. Sendo assim o estudo tem verdade e o erro e de julgar as coisasa vantagem de fundar a unidade de claramente. O discernimento será útil naprincípios, trazendo o esclarecimento, seleção do que ouvimos, falamos,capaz de propagar o ensino e de lemos, vemos. É uma questão dedesenvolver grande número de médiuns. disciplina! O médium tem obrigação de “O Espírito expressamente dizestudar muito, observar intensamente e que nos últimos tempos apostatarãotrabalhar em todos os instantes pela sua alguns da fé, dando ouvidos a espíritosprópria iluminação. Somente desse enganadores, e a doutrinas demodo poderá habilitar-se para o demônios”. I Timóteo 4:1.desempenho da tarefa que foi confiada, Uma pessoa que diz ser usadacooperando eficazmente com os por Deus e afirma que Deus falouEspíritos sinceros e devotados ao bem e quando Deus não falou, está usando suaà verdade. mente ou está influenciada por “Dissemos que o Espiritismo é sugestões malignas. Praticar atoda uma ciência, toda uma filosofia. espiritualidade experimental sem estudoQuem, pois, seriamente queira é o mesmo que querer efetuarconhecê-lo deve, como primeira manipulações químicas sem sabercondição, dispor-se a um estudo sério e química. O médium sem conhecimentopersuadir-se de que ele não pode, como não tem forças, nem palavras e nem 12
  12. 12. argumentos para possíveis determinado numero de pesquisa,esclarecimentos que devem ser feitos reconhece que estava errada a respeitoaos que nos cercam. de tal coisa. “Se algum de vós tem falta de Nunca estude pelos filmes desabedoria, peça-a a Deus”. Tiago 1:5. temática espírita, pois estes servem O homem pode se tornar como propagação e divulgação daengenheiro, médico, advogado, doutrina, de certa forma pessoas ligadamagistrado, seja lá qual for sua opção ao espiritismo podem ou não concordade vida e de profissão, mas ele sempre com a maneira que ocorre o roteiro,terá de começar pela alfabetização. mais quem nos somos para dizer queAssim é o médium bem orientado, e esta certo ou errado.plenamente consciente de seu papel Captamos as informações, cadadentro da Doutrina, pois poderá aplicar- qual com a sua capacidade. Desta formase melhor no serviço desinteressado Jesus falava por parábolas, porque oscom imaginação disciplinada e o homens não possuíam condição deequilíbrio moral e emotivo para compreender certas coisas. AS pessoasalcançar o sucesso frente ao por falta de estudo e esclarecimento,compromisso assumido com o Pai começa a valorizar o médium e nãoMaior. reconhece que a cura veio por Deixemos de lado nossa intermédio do Deus altíssimo.preguiça mental, paremos de nos Desenvolvendo a idolatria.esconder atrás de nossos problemas e Todos os dias a experiência nosdediquemos um tempo para nós traz a confirmação de que asmesmos, para a espiritualidade e dificuldades e os desenganos, com quebusquemos cada vez mais muitos topam na prática do Espiritismo,conhecimentos, pois com esta atitude se originam da ignorância dosestaremos evitando o surgimento de princípios desta ciência. A necessidadefórmulas impróprias, crenças do estudo da mediunidade de formasupersticiosas e encenações ridículas. contínua e sistematizada tem comoLembremos sempre que a todo o finalidade preparar trabalhadores damomento estamos sendo vistos por mediunidade conscientes,alguém, que com toda certeza copiará responsáveis e esclarecidos, porémnossos atos e atitudes. capazes de garantir a simplicidade e a Determinadas coisas no segurança do intercâmbio com osespiritismo requer atenção e estudo Espíritos. Para tanto, a práticademorado, observação como exigem mediúnica deve está isenta de distorçõestodas as ciências humanas, continuidade doutrinárias, misticismos ou dee perseverança. Anos são precisos para comportamentos exóticos.formar-se um médico. Como adquirir a Devemos ajudar os novosciência do infinito em apenas algumas médiuns, guiá-los nas suas observações,horas? Assim como temos médicos que assinalar-lhes os obstáculos que podemnão possuem a mesma opinião teremos e hão de necessariamente encontrar,espíritas. Isso não quer dizer que um lidando com uma nova ordem de coisas,esta certo e o outro errado, existem iniciá-los na maneira de confabularemmaneiras diferente de trabalho. com os Espíritos, indicar-lhes os meios O homem superficial não vê de conseguirem boas comunicações, talnuma flor mais do que uma forma o círculo que temos de abranger, sobelegante, o sábio descobre nela tesouros pena de fazermos trabalho incompleto.para o pensamento. A própria ciência Os candidatos ao trabalhoafirma hoje uma coisa e com mais mediúnico, junto das criaturas humanas, 13
  13. 13. precisam refletir com segurança e Lembrando que estudar é pensar,discernimento, antes de abraçá-lo, segue quatro técnicas básicas de leitura:conscientes de que se encontram diantede um dos mais sérios compromissos a) Técnica da leitura repetida: lerespirituais da vida. Não nos referimos, diversas vezes e com atenção cadaporém, à educação moral pelos livros e texto, até certificar-se de quesim à que consiste na arte de formar apreendeu o pensamento do autor.caráter, à que incute hábitos, porquanto Anotar as idéias que julgara educação é o conjunto dos hábitos interessantes em uma folha.adquiridos. b) Técnica das linhas sublinhadas: O estudo, evitar dificuldades e inicialmente, deve ser feita umadesenganos relativos ao leitura global do texto a serdesconhecimento do assunto. Educa os estudado, com muita atenção. Após,médiuns de forma correta e equilibrada. deve ser relido o texto, procurandoAjuda a conhecer obstáculos e desafios sublinhar as palavras e frasesrelacionados à manifestação dos consideradas chaves, isto é, as queEspíritos e ao diálogo com Entidades expressam idéias básicas em cadasofredoras, à obtenção de boas parágrafo. Anotar o que foicomunicações mediúnicas e à sublinhado, para posteriorneutralização de atos oriundos de desdobramento.Espíritos moralmente inferiores. c) Técnica de leitura com resumo: Na dúvida, abstém-te. Desde que devem ser feitas várias leiturasuma opinião nova venha a ser expedida, globais do texto, para tomarpor pouco vos pareça duvidosa, fazei-a conhecimento das idéiaspassar pelo crisol da razão e da lógica e desenvolvidas pelo autor. A seguir,rejeitai desassombradamente o que a deve ser feito um resumo, comrazão e o bom-senso reprovarem. palavras próprias, de todas as idéias As palestras públicas, dentre as do texto lido que interessem aotantas atividades que se desenvolvem enfoque do tema escolhido.em uma Sociedade Espírita, são de d) Técnica da leitura comentada:relevante importância. A ela consiste em anotar em uma folha ascomparecem as mais diversas pessoas, principais ideais do autor e depoisdesde as que são habituais enriquece-las com conhecimentosfrequentadoras de sociedades espírita, próprios ou com textos de outrosincluindo-se seu rol de trabalhadores, autores, mantendo-se umaté pessoas que buscam o local à encadeamento lógico entre todas asprocura de alívio às suas dores, consolo partes, o que facilitará a extração dopara suas almas, esclarecimento ou conteúdo da exposição. Explicar,solução para as suas problemáticas. definir, comentar e concluir são Assim, dada a heterogeneidade processos mentais dessa tarefa.de público, os temas devem tender paraa simplicidade, evitando-se temaspolêmicos ou que exijam do ouvinte umconhecimento básico prévio. 14
  14. 14. é Palavra originaria do Latim comum em discussões religiosas,fides, que significa fidelidade. A fé se principalmente quando o crente esgotarelaciona de maneira unilateral com os todas as explicações racionais paraverbos acreditar, confiar e apostar, isto sustentar a sua crença. Nesse sentido,é, se alguém tem fé em algo, então geralmente as pessoas racionais acabamacredita, confia e aposta nisso, mas se aceitando-a como justificativa válida euma pessoa acredita, confia e aposta em honrosa, provavelmente devido ao usoalgo, não significa, necessariamente, da palavra ser bastante impreciso, eque tenha fé. A diferença entre eles é geralmente associado a uma boa atitudeque ter fé é nutrir um sentimento de ou qualidade positiva.afeição, ou até mesmo amor pelo que “Fé é acreditar em coisas queacredita,confia e aposta. se esperam, a convicção de fatos que se A fé se manifesta de várias não vêem, independentemente daquilomaneiras e pode estar vinculada a que vemos, ou ouvimos". Hebreusquestões emocionais e a motivos nobres 11:1.ou estritamente pessoais. Pode estar As crianças te uma fé natural emdirecionada a alguma razão específica tudo o que seus pasis lhes contam. Seou mesmo existir sem razão definida. aprender a respeito do evangelhoTambém não carece absolutamente de quando são pequenas, adquiriram a fé equalquer tipo de evidência racional. o amor. Para religiões que se baseiam em “Disse Jesus: Pois em verdadecrenças, a fé também quer dizer que vos digo que, se tiverdes fé como umalguém aceita as visões dessa religião grão de mostarda direis a este monte:como verdadeiras. Para religiões que Passa daqui para acolá, e ele há denão se baseiam em credos, por outro passar; e nada vos será impossível”.lado, significa que alguém é leal para Negar ou mesmo contestar ascom uma determinada comunidade decisões da fé em nome da ciência, éreligiosa. Outras vezes, fé significa provar que não se compreende nem acompromisso numa relação com Deus. ciência nem a fé. Deus só pode serNesse caso, a palavra é usada no sentido definido pela fé; a ciência não podede fidelidade. Tal compromisso não negar nem afirmar que ele existe. Aprecisa ser cego ou submisso e pode ser ciência busca a verdade em todas asbaseado em evidências de caráter coisas, a fé relaciona todas as coisas apessoal. Outras vezes esse compromisso uma verdade universal e absoluta.pode ser forçado, ou seja, imposto por Se a ciência afirmasse o que nãouma determinada comunidade ou pela sabe, destruiria a si própria. A ciênciafamília do indivíduo, por exemplo. não pode, portanto, realizar a obra da fé, Muitos religiosos racionalistas, tanto quanto a fé não pode decidir emassim como pessoas não-religiosas, matéria de ciência. Uma afirmação de fécriticam a fé, apontando-a como com que a ciência tenha a temeridade deirracional. Para eles, o credo deve ser ocupar-se será apenas um absurdo pararestrito ao que é diretamente ela, da mesma forma que umademonstrado por lógica ou evidência, afirmação de ciência que nos fosse dadatornando inapropriado o uso da fé como como artigo de fé seria um absurdo naum bom guia. Apesar das críticas, seu ordem religiosa. Crer e saber são doisuso como justificativa é bastante termos que nunca se podem confundir. 15
  15. 15. O corpo físico é uma máquina eliminar resíduos metabólicos nãoque funciona ininterruptamente, do aproveitados.nascimento ao desencarne, acionada por A digestão começa na boca,forças do meio ambiente; constitui-se de onde os alimentos sofrem a ação daum conjunto de tecidos e órgãos saliva que contém agentes digestivos;especializados e autônomos. seguem, através de movimentos A célula é a unidade peristálticos, para o esôfago, passammorfológica e fisiológica na estrutura pela válvula cárdia, entram no estômagodos seres vivos, ou seja, é à base de toda que os manipula durante certo tempo,organização viva. Organismo, altamente trabalhando-os com os sucos digestivosespecializado de várias formas, que lhe são próprios; em seguida,composto dos seguintes elementos: através da válvula piloro, passam para o duodeno, onde continuam a ser tratados 1) Membrana celular: Que envolve pelos sucos digestivos, dentre os quais a célula. aqueles que vêm do fígado e pâncreas. 2) Citoplasma: Substância Continuam, então, pelo intestino fundamental, na qual estão delgado, onde se dá a maior parte da mergulhadas diversas partículas, absorção das substâncias e, finalmente, cada uma das quais vão ao intestino grosso, de onde são desempenhando funções eliminados através do ânus. específicas: digestão, respiração, A absorção se faz através das excreção e produção de energia. vilosidades intestinais, onde se 3) Núcleo: Responsável pela encontram finíssimos capilares reprodução celular e pela linfáticos e sangüíneos que recebem as transmissão dos caracteres substâncias e as distribuem através da hereditários, através dos circulação para todo o organismo. cromossomos nele contidos, na Sistema respiratório: Absorve estrutura do DNA. da atmosfera não somente o oxigênio necessário, como também o fluido vital, Os tecidos são grupos de células que fornece ao organismo a energia. Ésemelhantes que, juntas, realizam uma formado pelas fossas nasais, faringe,função particular. Os quatro tipos laringe, traquéia, brônquios e pulmões.básicos de tecido são tecido epitelial, Na laringe situam-se as cordas vocais.tecido conjuntivo, tecido muscular e Os pulmões são envolvidos por umatecido nervoso. Diversos tecidos se membrana serosa a pleura, que sereúnem para formar uma estrutura mais ramificam em bronquíolos e alvéolos.complexa, responsável por uma função Estes são envolvidos por capilaresespecífica: o órgão. sanguíneos e é no seio deles que se dá aEstes órgãos são reunidos formando os oxigenação do sangue.sistemas. O sangue venoso vem bombeado Sistema digestório: Formado pelo coração e nos alvéolos épela boca, esôfago, estômago, intestinos oxigenado, desprendendo o gásdelgado, grosso, glândulas anexas e carbônico, passando de venoso aglândulas salivares. Destina-se a captar, arterial, próprio para oxigenar as célulasmanipular e absorver alimentos e novamente. 16
  16. 16. Sistema circulatório: Mantém a placenta. As glândulas hipófise e pinealvida, o calor interno e leva a todas as são pontos sensíveis das intervençõescélulas, através do sangue, o alimento espirituais na vida anímica do homemde que se nutrem, retirando os resíduos encarnado, sobretudo nometabólicos tóxicos do organismo. É desenvolvimento de suas faculdadesformado pelo coração, artérias, veias e psíquicas.baço, resumidamente. A glândula pineal possui uma As artérias conduzem sangue aura, uma concreção dourada em torno,rico em oxigênio, bombeado pelo que apresenta as cores básicas. Essacoração para os vasos sanguíneos aura não existe na criança antes dos setemenores, os capilares, os quais se anos, nem nos idosos comencontram em íntima relação com as arteriosclerose intensa e nos deficientescélulas. Ali, o sangue arterial deixa o mentais, o que prova que essa glândulaoxigênio e substâncias alimentícias. está ligada à vida mental dos homens. ÉTransformando-se em sangue venoso, o órgão principal da espiritualidade e daleva o gás carbônico e substâncias consciência das coisas tanto externastóxicas para serem eliminados. quanto internas. Sistema excretor: Recolhe e Sistema nervoso: Coordenaexpele os resíduos venenosos todas as atividades orgânicas,resultantes das trocas fisiológicas. É conduzindo sensações e idéias. Serveformado pelos rins, os ureteres, a bexiga como elemento adaptador do organismoe a uretra. Pelos vasos apropriados, o às condições do momento. É formadosangue passa pelos rins, onde sofre um pelo tecido mais delicado e complexoprocesso de filtração e depositam de todos: o tecido nervoso.resíduos a serem eliminados, os quais, O corpo físico não gera o fluidoem seguida, descem pelos ureteres até a vital ou a força promotora da atividadebexiga, de onde são expelidos pela orgânica, entretanto recebe-o dosuretra. centros de força do perispírito e Sistema esquelético: absorve-o do meio em que vive porCompreende os ossos e articulações os intermédio da pele, dos alimentos e daquais, no seu conjunto, formam o respiração. Em todos os casos o sistemaesqueleto que sustenta o corpo, nervoso é o veículo de recebimentoprotegendo-o e dando-lhe forma. dessas forças e, além de armazená-las Sistema muscular: em órgãos apropriados, finalmente asResponsáveis pelos movimentos distribui oportunamente a todos osvoluntários e involuntários. órgãos internos, segundo asProporcionando os movimentos das necessidades momentâneas dediversas partes do corpo. concentração e dispersão, locais ou Sistema genital: Executa o gerais, visando sempre a manutenção doprocesso de reprodução e perpetuação equilíbrio orgânico, seu ritmo funcionalda espécie. Compreende as gônadas, e sua harmonia interna.órgãos produtores de células sexuais. A O encéfalo, contido dentro damulher, além disso, possui ainda o caixa craniana, pode ser dividido em:útero, responsável pela gestação. medula oblonga, ponte, mesencéfalo, Sistema endócrino: As cerebelo, diencéfalo e telencéfalo.principais glândulas endócrinas são: Os lobos frontais do cérebroepífise ou pineal, hipófise ou pituitária, contêm os núcleos da vida intelectual doque controla as outras glândulas, tiróide espírito e o cerebelo é a sede dose paratireóide, timo, pâncreas, adrenais, centros do equilíbrio orgânico da vidaovários, testículos e, finalmente, a anímica, do sentimento, parte esta que 17
  17. 17. na humanidade atual está sendo menos intensas na maior parte dossobrepujada pelo cérebro anterior com órgãos internos, dependentes dessa vidahipertrofia da inteligência e atrofia da vegetativa.vida moral. A ação do Espírito sobre o O Sistema Nervoso Periférico, primeiro destes dois sistemas é todacom seus nervos, conduz estímulos do intelectual, direta e individual, isto é,meio ambiente para o espírito e vice- para cada caso que surja há uma soluçãoversa. Esses estímulos podem ser própria, uma reação, uma respostavoluntários ou involuntários, especial, que vem do cérebro para oconscientes ou inconscientes, motores ponto do organismo em que o casoou sensitivos, somáticos ou viscerais. ocorreu. Por exemplo, no caso de O Sistema Nervoso Autônomo é ferimento na ponta de um dedo da mãoo que mais nos interessa. É o direita, a notícia vai diretamente aoresponsável pela inervação das vísceras cérebro e este responde tambéme que pode ser dividido, por sua vez, em diretamente para essa região, reagindoSistema Nervoso Autônomo Simpático segundo as conveniências ee Sistema Nervoso Autônomo circunstâncias próprias do momento.Parassimpático. Sobre o sistema vegetativo, a O Parassimpático, na sua quase ação, é indireta e permanente: os órgãostotalidade, é representado pelo nervo funcionam automaticamente porVago, que inerva todas as vísceras até o impulsos vindos do perispírito eintestino grosso na sua parte mais alta, enquanto o Espírito estiver ligado aomais ou menos. Tem uma ação corpo pelo cordão umbilical fluídicomoderadora. que, como se sabe, somente se rompe O Simpático é constituído por com a morte física. Ocorre uma espécieuma cadeia de gânglios e nervos de ação catalítica; a presença dopróximos à coluna vertebral, Espírito determina o funcionamentodenominada Tronco Simpático. Sua automático do conjunto, os centros deação é excitadora. força remetendo os impulsos aos plexos Tomando por exemplo o sistema e estes aos nervos; e assim todos oscirculatório, se, por qualquer órgãos funcionam regularmente, semcircunstância, predomina a ação do consciência da mente encarnada, muitoSimpático, o coração baterá cada vez embora ambos os sistemas estejammais rápido, podendo caminhar para intimamente ligados à contextura e aouma insuficiência de oxigenação e funcionamento orgânico em geral.infarto. Se, contrariamente, avultar a Em seu papel de transmissores,ação do Vago, ele baterá cada vez em os nervos assumem importância capitalritmo mais lento, podendo chegar até a em relação ao espírito e ao seu veiculocompleta paralisação. No sono, o Vago mais grosseiro: todo e qualquer contactoretarda para o repouso geral. com o mundo externo é feito através O Vago e o Simpático dos nervos. Para isso, o espíritofuncionam com um antagonismo que construiu para si um veículo com cincomantém o equilíbrio interno, janelas, através das quais poderá receberautomaticamente, equilíbrio esse que é a as impressões do mundo ambiente, asaúde e que somente se rompe quando fim de julgar e decidir o que mais lheocorrem intervenções diretas do convém fazer em cada circunstância. OsEspírito, que age através dos plexos, nervos adaptaram suas pontas paraprincipalmente o plexo solar. recolher as diversas vibraçõesProjetando-se fluidos nessa região, exteriores, e as comunicam ao espírito.obteremos, de pronto, reações mais ou Assim nasceram aquelas sensibilidades 18
  18. 18. a que denominamos sentidos eferentes Todas essas formações nervosasou perceptivos: são especializadas em perceber e Visão: Compreende a cavidade transmitir o que recebem ao espírito.orbitária, globo ocular e nervo óptico. O Da mesma forma, tudo aquilo que oaparelho funciona como uma máquina espírito deseja realizar no corpo físicofotográfica, recebendo as ondas ou através dele:luminosas através das células da retina e Ação: Por intermédio das mãos,transmitindo-as ao nervo óptico, que as com habilidades definidas e de imensaleva ao cérebro. Os nervos se variedade, sobretudo depois que oadaptaram, tornando-se cones e espírito conseguiu plasmar a oposiçãobastonetes espalhados na retina, para do polegar.perceber as sensações luminosas em Locomoção: Por meio dastodas as suas gradações coloridas, pernas e pés, pela qual o espírito conduzdentro de uma faixa vibratória enviando o corpo para os locais desejados.ao perispírito. Expressão: Utiliza o aparelho Audição: Recebe as ondas fonador criando sons variados, com ossonoras; estas fazem vibrar o tímpano, quais expressa suas idéias, em sinaispassam ao ouvido médio, depois ao sonoros convencionais de acordo com aouvido interno e, no caracol, atingem o tradição do local onde reencarna.nervo auditivo, que leva as ondas ao Reprodução: Por meio doscérebro e, daí, à mente, no perispírito, órgãos especializados, de tão grandepara a devida classificação. No ouvido influência sobre o próprio indivíduointerno, as terminações nervosas que, de acordo com a parte daapanham as diferentes frequências de reprodução escolhida pelo espírito parasons, gerando-se assim uma corrente ai mesmo, a criatura se distinguirá emque, no cérebro, é identificada como homem ou mulher.notas musicais. Limpeza: Por intermédio dos Tato: Recebe e transmite as sentidos excretores, especializado emimpressões recebidas pela epiderme em sua função, em seu lugar próprio. Assimtoda a superfície do corpo, encontramos cinco tipos principais queprincipalmente nos dedos. Estas funcionam globalmente no corpo:impressões são percebidas porterminações nervosas especializadas, a) A pele, que elimina asque as remetem ao cérebro, pelo mesmo impurezas da superfície, pelaprocesso já referido. expulsão de sais, por meio do Gustação: Compreende boca e suor e da leve respiração atravéslíngua, onde existem as papilas dos poros;gustativas, que diferenciam os mais b) Os pulmões, que expelem ovariados sabores, em regiões anidrido carbônico produzidoespecíficas. A língua possui milhares de pela hematose, onde se queimamcorpúsculos gustativos, cada qual com as impurezas do corpo etérico,sua ligação nervosa direta com o recolhidas ao sangue;cérebro. c) As glândulas lacrimais, que têm Olfato: Destinado à a função de manter úmido odiferenciação dos odores e formado por globo ocular para limpeza decélulas apropriadas existentes na poeira, e que faz a catarse dosmucosa nasal. Este sentido é fluidos pesados do corpo astral,grandemente desenvolvido nos animais após emoções violentas, alegrese lhes serve não só para defesa como ou tristes;para a busca de alimentos. 19
  19. 19. d) O intestino, que expele pelo elo de ligação entre o macrocosmo e o ânus a matéria sólida nociva e os microcosmo. Em forma de pinha, restos inúteis, sobras do que foi localizada no mesencéfalo, a máquina aproveitado; do raciocínio chamada de glândula e) Os rins, que lançam fora, pela Pineal ou Epífise Cerebral, tem função uretra, após a destilação, a parte relacionada com a luz, mas não com a do que não mais serve ao corpo. luz física e sim com a luz divina. Na geração do ser humano, a â Glândula Pineal aparece no período embrionário desde as primeiras semanas A máquina do raciocínio e a microscopia eletrônica revela quechamada cientificamente de Glândula em sua estrutura encontram-se capilaresPineal ou Epífise, teve várias fenestrados, diferentes de todos osdenominações ao longo do tempo. Há capilares que integram o sistemapelo menos 2.000 anos, foi considerada nervoso central e células ovaispelos cientistas místicos como a sede da específicas nesta área.alma. O filósofo e matemático francês Muitos, por falta deRenê Descartes, em Carta a Mersenne, conhecimento costumam fazerde 1640, afirma que existiria no cérebro confusões de epífise com hipófise, doisuma glândula que seria o local onde a órgãos de funções completamentealma se fixaria mais intensamente. distintas. Para esclarecimentos sobre Do ponto de vista tradicional isso, nem precisamos aprofundarmosvem sendo considerada como o órgão nos conceitos técnicos, bastade percepção da razão. Do ponto de analisarmos a etimologia das palavras, ovista científico moderno, é significado das mesmas.frequentemente chamada de reguladora Hipófise ou Glândula Pituitária:das reguladoras e glândulas das "Hipo" corresponde ao prefixo gregoglândulas, pelo seu papel na sensação que indica em posição inferior a algumafísica de bem estar. Em profecias de coisa. A hipófise identifica ao seu meioNostradamus, encontramos que é este universo eletromagnético,esclarecimentos da importância dessa funciona através das energias elétrica eglândula nos tempos atuais, magnética. Sendo uma das glândulasconsiderando-a a antena mais fina e alta vitais do corpo humano, comanda ade nosso sistema nervoso central, a função de outras partes do organismo,nossa central elétrica. responsabilizando-se por importantes É uma central dirigente do funções, como o crescimento e acorpo. Ocupa o centro de gravidade da reprodução. Alimentadas por impulsosmassa cerebral e morfologicamente eletromagnéticos, ajuda a compor aapresenta-se como um vestígio de máquina do pensamento, que influenciaalgum terceiro olho a surgir nos diversos aspectos das atividadesremotamente nos homens do futuro. É humanas.uma espécie de radar psíquico, chamado Epífise ou Glândula Pineal:também de olho pineal, sexto sentido e "Epi" significa acima, de formacorpo pineal. superior, de ordem superior. É um Para os hindus centro de força, prefixo da língua grega. "Fise" origina-para os ocultistas olho de shiva, por ser se da palavra grega "Phisis", denotandoo responsável pela clarividência, a natureza. Portanto "epi" + "fise" =vidência Racional. É realmente o olho "epífise", que é uma glândula que estápelo qual o homem faz a ligação do em termos de qualidade natural e emmundo exterior com o mundo interior, o grau superior, acima da natureza 20
  20. 20. material da terra e do pensamento incorporação. Ele incorpora o campohumano. com as informações do universo mental A pineal não explica de outrem. É possível visualizar estesintegralmente o fenômeno mediúnico, cristais na tomografia. Quando ocomo simplesmente os olhos não paciente não apresenta estes cristais, eleexplicam a visão. Você pode ter os possui mais facilidade para realizar oolhos perfeitos, mas não ter a área desdobramento espiritual.cerebral que interprete aquela imagem. A pineal está localizada no meioÉ como um computador: você pode ter do cérebro, na altura dos olhos.todos os programas em ordem, mas se a Obedece aos chamados Zeitbergers, ostela não funciona você não vê nada. A elementos externos que regem aspineal, no que diz respeito à noções de tempo. Por exemplo, o Sol émediunidade, capta o campo um Zeitberger que influencia a pineal,eletromagnético, impregnado de regendo o ciclo de sono e de vigília,informações, como se fosse um telefone quando esta glândula secreta ocelular. Mas tudo isso tem que ser hormônio melatonina. Isso dá aointerpretado em áreas cerebrais, como organismo a referência de horário.por exemplo, o córtex frontal. Existe também o Zeitberger Então, a ela não basta à interno, que são os genes, trazendo oexistência da glândula pineal, mas sim, perfil de ritmo regular de cada pessoa.todo o cone que vai até o córtex frontal, Agora, o tempo é uma região do espaço.que é onde você faz a crítica daquilo A dimensão espaço-tempo é a quartaque absorve. A mediunidade é uma dimensão. Então, a glândula quefunção de senso-percepção. Então, a proporciona à noção de tempo emmediunidade é uma função humana. contato com a quarta dimensão. AAtributo biológico, que acontece pelo pineal é a única estrutura do corpo quefuncionamento da pineal, que capta o transpõe essa dimensão, que é capaz decampo eletromagnético, através do qual captar informações que estão aléma espiritualidade interfere. Não só no dessa dimensão nossa.espiritismo, mas em qualquer expressão Todos os animais têm essade religiosidade, ativa se a glândula; ela os orienta nos processosmediunidade, que é uma ligação com o migratórios, por exemplo, pois elamundo espiritual. sintoniza o campo magnético. Nos Um hindu, um católico, um animais, a glândula pineal temjudeu ou um protestante que estiver fotorreceptores iguais aos presentes nafazendo uma prece, está ativando sua retina dos olhos, porque a origemcapacidade de sintonizar com um plano biológica da pineal é a mesma dosespiritual. A pineal tem a capacidade de olhos, é um terceiro olho, literalmente.forma cristais de apatita, e isso O cérebro humano possui duasindepende da idade. Estes cristais têm a partes distintas no que se refere à suaver com o perfil da função da glândula. atuação durante o fenômeno mediúnico.Uma criança pode ter estes cristais na A primeira delas é o subcórtexpineal em grande quantidade enquanto representado pela substância brancaum adulto pode não ter nada. Quando existente no interior do cérebro, e aum adulto tem muito destes cristais na segunda é o córtex, representado pelapineal, ele tem mais facilidade de captar substância cinzenta, que envolveo campo eletromagnético. anterior formando uma membrana de Se comunicando com os outros alguns milímetros de espessura. Nocristais, este indivíduo então apresenta córtex existem por sua vez, duas partesmais facilidade no fenômeno da bem configuradas, a anterior, conhecida 21
  21. 21. como lobos frontais e outra que principalmente, áreas decompreende todo córtex restante. São associação e representam a basechamados respectivamente córtex estrutural do segundo sistema.frontal e córtex extrafrontal. Através do estudo de várias Em outras palavras, poderíamosquestões os cientistas chegaram à admitir sob o ponto de vistaconclusão que o subcórtex e duas partes reencarnacionista, que ao subcórtexdo córtex desempenham tarefas corresponde o arquivo de nossasdefinidas e específicas no mecanismo existências pretéritas e ao córtex, emda estruturação mental. particular ao extrafrontal, corresponde o arquivo da presente existência. O fato Em síntese, eis, segundo Pavlov de as crianças serem descortiçadasos aspectos básicos de nossa estrutura parece vir a favor de tal hipótese, poismental: desta forma, o cérebro perispiritual teria plasmado durante a gestação, apenas o Atividade subcortical: subcórtex, retratando nele somente aRepresentada pelos reflexos parte de seu acervo que se tornaincondicionados, inatos (atividades necessária ao espírito durante estafisiológicas, instintos, emoções). última existência. Atividade cortical: Quecorresponde aos reflexos condicionados Tipos de Corpos:ou adquiridos e desenvolve-se em doissistemas: Corpo Físico, Denso, Provisório ou Matéria: Corpo utilizado pelo 1) Comum aos animais e ao espírito encarnado, nele somatizam-se homem, responsável pelo os impulsos positivos ou negativos pensamento figurativo, isto é, oriundos dos demais corpos, em forma feito de imagens, concretas e de vitalidade ou doenças, desajustes ou particulares - os sinais da desarmonias. Esta ligado ao cordão de realidade. O primeiro sistema prata e aos chakras. tem como substrato anatômico Duplo Etérico ou Veículo de todo o córtex situado fora das Prana: É utilizado na prática para áreas frontais e está em conexão explicar os mecanismos de direta com as vias aferentes que funcionamento da Homeopatia, da relacionam o cérebro com o Acupuntura, do Do-in ou digito mundo exterior. É a origem dos pressura, etc. Ultrapassa as linhas reflexos condicionados plásticas externas do corpo humano propriamente ditos. mais ou menos em um centímetro, 2) Característico da espécie apresentando contextura densa nos seres humana e resultante do humanos primitivos, e contextura sutil e desenvolvimento da linguagem, delicada nos seres humanos conjunto de “sinais de sinais” espiritualmente mais evoluídos. Dentre que possibilitam o pensamento suas características destacam-se: forma abstrato. Afirma Pavlov, citando humanóide geralmente maior do que a seu predecessor Sctchenov, que do corpo humano. “os pensamentos são reflexos Energia Vital, Energia cujas manifestações exteriores Perietérica, Sopro da Vida ou Prana: estão inibidas”. Os lobos Percorre os nervos do corpo, frontais, onde se encontram os permitindo-lhes que transmitam força centros motores da palavra, são, motriz e sensibilidade às impressões 22
  22. 22. externas. É a energia ativa do Ego, mente, a energia sai e entra maistrata-se de uma substância sutil rapidamente dos chakras mentais, e todoparticular. E a energia que determina o o corpo mental se torna mais ativo etempo de vida encarnada. luminoso. Corpo Astral, Perispírito ou Corpo Causal, Alma ouPsicossoma: Veículo da consciência Espírito: Têm aspecto pálido e etéreo,que atua no Plano Astral, foi construído, possuindo cores iridescentes como as dea partir da concepção, molécula por uma bolha de sabão. E nele que ficamolécula sendo uma duplicata, perfeita armazenado nossas experiências denos mínimos detalhes do corpo físico. vidas passadas e presente, à vontade, e oOrganismo delicado, com extremo senso moral o nosso verdadeiro eu. Essapoder plástico, modifica-se sob o dimensão espiritual é a origem de tudocomando do pensamento. Apresenta que há de melhor em nós, podendopeso e luminosidade variáveis, exercer uma poderosa influência nodependendo das condições mentais pode sentido do crescimento e daatravessar barreiras físicas. E a parte do autotransformação. Este corpo não secorpo que sai para desdobramento, desintegra com a morte.aumentando seu campo de percepçãosensorial, envolvendo outra propriedadedo corpo astral, que é abiocorporeidade. Serve de laço eintermediário entre o espírito e o corpo.Quando um espírito se mostra pelamediunidade, é esse corpo que vemos. Corpo Mental: A sua natureza éuma essência sutil; as suas funçõesconsistem em ser veículo imediato ondeo Ego se manifesta como inteligência;quanto ao seu desenvolvimento, o corpomental progride vida após vida,proporcionalmente ao desenvolvimentointelectual; e a sua organização tambémse vai tornando mais perfeita e definida.Possui uma forma oval e penetra, é Para melhor compreender:claro, nos corpos físico e astral,envolvendo-os na sua atmosfera O Homem e um ser complexoresplandecente, que tende sempre a onde se combinam três elementos paraaumentar com o progressivo formar uma unidade viva. Alma +desenvolvimento intelectual. Perispírito + Corpo. O corpo mental se estende cerca Alma é o ser imaterial, distinto ede noventa centímetros além da individual, unido ao corpo que lhe serveperiferia do corpo físico, de invólucro temporário, isto é, ointerpenetrando tanto o corpo astral Espírito em estado de encarnação. Aquanto o etérico. O indivíduo que união da alma, do perispírito e do corpopercebe o "Eu" mais em função dos seus material constitui o homem; a alma e opensamentos do que dos seus perispírito sem o corpo constituem o sersentimentos, possui em geral um corpo chamado espírito.mental mais brilhante e vital do que a Um Espírito pode, portanto,média das pessoas, e, ainda, uma textura apresentar-se ao médium com amais fina. Quando essa pessoa usa a 23
  23. 23. aparência de uma existência remota Espírito, razão pela qual, premido por(vestuário ou outros sinais um estado consciente de culpa, este secaracterísticos da época, inclusive apresenta portando inibições, defeitos,cicatrizes, etc), embora isto não aleijões, ou problemas outros, dos quais,signifique que ele conserve embora o desejasse não se pode furtar.normalmente essa aparência, mas sim ade vidas posteriores. Normalmente, no entanto, operispírito retrata a condição íntima do 24
  24. 24. Você com certeza já deve ter negativo. Em ambos os eletrodos háconhecido alguém assim: basta chegar uma fraca produção de luz. Nos gases eperto para se envolver numa vapores, os átomos e os íons são aindamaravilhosa onda de luz e paz. Sua muito mais livres e afastados do que nosenergia é tão positiva e contagiante que líquidos. Quando ocorre a ionizaçãopoderia até ser tocada. Outras pessoas, num meio gasoso, quase queao contrário, provocam uma imediatamente, todo o ambiente ficadesagradável sensação de cansaço, iluminado.como se roubassem nossa energia. Esta Como resultado do metabolismocapacidade de apagar ou iluminar o celular de nossos corpos, diversasambiente reflete o poder da nossa aura. substâncias químicas são liberadas e, no Ela foi estudada nos anos setenta final, são exaladas sob a forma de gasespelo físico russo Samuel Kirlian, que pelos poros da pele, como o suor, uréia,inventou a kirliangrafia, que não é nada CO2, NH4, SO2, etc, inclusive osmais que a fotografia da nossa aura. feromônios. Este fato pode serAtravés dela pode-se detectar demonstrado através de umvisualmente que todo ser humano Espectrofotômetro. Como esses gasesrepresenta um gerador de energia que são produzidos pelo metabolismoproduz um campo energético. A celular, está claro que indicarão comoKirliangrafia hoje e conhecida como se encontra o estado de saúde orgânica eBioeletrografia, é e considerada como psíquica da pessoa, inclusive, atéum fato científico pela Academia de mesmo, sua sexualidade, devido àCiências da Rússia e por vários outros exalação dos feromônios.órgãos internacionais. A espessura da aura é Para entender o significado proporcional à quantidade decientífico, devemos recorrer à física: Se pensamentos bons e maus.um elétron, por um motivo qualquer, se Internamente, quando uma pessoadesprende do átomo, deixando de girar pratica o bem, sente uma satisfação naem torno do núcleo, e sai viajando consciência. Esses pensamentos selivremente, entre os demais átomos do convertem em luz, somando-se a luz domeio ambiente, recebe o nome de corpo espiritual. Quando, ao contrário,elétron livre. Toda vez que um elétron os pensamentos e atos sãos maus, esteslivre volta a ser um elétron comum se convertem em nuvens do corpoemite um fóton de luz, ou seja, produz espiritual.luz, ilumina o ambiente. A aura é constituída por quatro Na realidade, todo elétron livre é campos; Aura da saúde física, Auraum Íon, bem como todo e qualquer astral ou emocional, Aura mental eátomo que esteja desfalcado de elétrons Aura do corpo etérico. Podemos definirno último orbital também é chamado de como nosso espaço sagrado, um campoÍon. Os elétrons livres são os Íons de energia eletromagnética que nosNegativos e os átomos que perderam cerca e abrange a atmosfera de todos oselétrons são os Íons Positivos. seres vivos. Composta por diversas Uma corrente de íons negativos camadas, separadas e interligadassai do eletrodo negativo para o eletrodo dentro de um mesmo campo. Muitaspositivo. Uma corrente de íons positivos vezes e chamada de auréola e mostradasai do eletrodo positivo para o eletrodo 25
  25. 25. em imagens religiosas, principalmente Existe uma técnica bem simplesde Jesus, santos e anjos. para visualizar a aura de alguém, Estende-se, segundo a potência usando apenas a sua intuição: Coloque-magnética, mental e espiritual, desde o se na frente pessoa. Fixe seu olhar nosdiâmetro de centímetros, metros e em olhos da mesma. Conte até cinco. Fechecasos especiais quilômetros. Segundo a os olhos por alguns segundos. Depois,potência energética e vibratória do ser, fixe sua atenção no alto da cabeça dasão suas múltiplas e variantes cores. De pessoa. Conte até cinco. Feche os olhosacordo com seu valor material, é sua e pergunte mentalmente: Qual a cor dadisposição radial, desde a forma similar sua aura? A resposta viráà imagem representada até o oval instantaneamente.perfeito. É a cédula de identidade dos Algumas das qualidadesseres e das coisas, como uma impressão principais das cores, as quais se referemdigital. Não existem duas auras à segunda camada da aura, que nosexatamente iguais, embora elas se indica o estado de nossa alma:agrupem, por possuírem as mesmas Verde: Autoconfiança,vibrações, as mesmas cores básicas. capacidade de resolver problemas e de Uma dor de dente, afeta o chakra perdoar. Pessoa que ama a paz;que irá afetar o perietérico que irá sensibilidade. É organizador, planejadorrefletir a dor emotiva na aura astral que e estrategista.irá também se refletir na aura mental em Amarela: Capacidade de dar emenor escala. Por isso é importante não receber; ter esperanças; a saúde e aconfundir corpo etérico com aura família desempenham um papeletérica, corpo astral com aura astral, importante. Tem o dom de trabalhar emcorpo mental com aura mental e corpo grupo harmoniosamente. O amarelo écausal com aura causal. Cada corpo tem uma das cores cinestésicas do espectro;sua emanação energética oriundo dos isso significa que uma pessoa com auracorpos. Por isso os religiosos sempre desta cor tem uma reação física antes dedizem; Busquem a verdade dentro de si ter uma resposta emocional oumesmo. Cada corpo está consciente na intelectual. Quando ele entra numa saladimensão que sua evolução atingir. cheia de gente, sabe de imediato se quer Os seres humanos em sua grande permanecer ou não.maioria vivem no nível de sua Azul: Capacidade de curarconsciência astral, isto quer dizer que a através das próprias energias mentais emaioria dos seres humanos vive pelas espirituais; age sobre os outros de modoemoções, impulsos, não usando a agradável e calmante; altos ideais dereflexão em seus atos. Comparando vida; sinceridade. O Azul personifica asesses níveis a um ser poderíamos dizer características do cuidado e do carinho.que o ser humano evolutivamente vive É a cor da aura que mais se preocupaentre a infância e a adolescência. em ajudar os outros. Quanto à maturidade física em Laranja: Destemidos, poderosostermos físicos, emocionais, mentais e e descuidados com a própria segurançaintelectuais, é atingida só aos vinte e um pessoal, brandem os punhos fechados21 anos, porque a cada sete anos um contra o próprio Deus. Sua buscacorpo sutil se forma. O corpo etérico e espiritual é, na verdade, uma busca deastral se completa dos 7 anos até os 14 um sentido de vida além de si mesmo.anos, os outros corpos estão sob forma Dourada: Adora saber como ede germes e vão se desenvolver por que uma determinada coisaconforme a vida que levará o ser funciona, e lança mão de uma paciênciahumano (21 anos o mental). infinita. A espiritualidade, para a pessoa 26
  26. 26. de aura dourada, é o estudo da ordem dessa anomalia, não permite a livresuperior do universo e de leis e circulação do prana. Sensações deprincípios que o governam. Ele quer contrações, dores de cabeça, nasentender a organização mental, as leis articulações do corpo é notado essasou as probabilidades que geraram a excrescências, cotovelo, punhos,ordem no interior do caos espiritual. ombros, na parte detrás dos joelhos, na Vermelha: Ênfase no modo de virilha, na cintura. Uma excrescênciavida material; sucesso alcançado através positiva é vista numa cor azul prateado,da dedicação pessoal completa; saúde entre os olhos, coração, na garganta oufísica estável; tendência à irritabilidade orelha indício de vidência tais comoquando contrariada. clarividência, clariaudiência, Violeta: Espiritualidade bem mediunidade.desenvolvida; inspirações criativas; A visualização de cavidades oucapacidade de transformar os buracos na radiância etérica é objeto desofrimentos pessoais em fatores preocupação, é sinal de que não existepositivos para o próprio destino. O energia no lugar, de espécie alguma, emvioleta é a cor do espectro mais próxima casos graves pode levar a falência dedo equilíbrio psíquico, emocional e órgãos conforme a cor que circundaespiritual em vigor no planeta neste como exemplo ataque cardíaco. Mas amomento. existência de uma fratura pode acusar Prateada: Um curandeiro, uma falha em forma de buraco.médium natural. Utiliza energia para Paralelamente aos buracos natransformar luz em raios que curam, seu aura, você aprenderá fugas de energiasmaior desafio é aprender a se conhecer e vitais, como se fosse uma fumaçadescobrir seus dons especiais. saindo de uma chaminé, semelhante a Anil Indigo: A aguda perspicácia um gêiser, trata-se de uma perdaintelectual é um dos aspectos mais energética, quando essa fuga é da corgratificantes e mais exasperantes, é acinzentada ou branco sujo. Se for nosbrilhante e inquiridor, com uma chakras e colorido de uma cor viva,inteligência que vai muito além dos principalmente nos chakras magnosconceitos mais tradicionais. esplênico e laríngeo é nos grandes pés e Há zonas do corpo onde existem palma das mãos, é um ato expelidorexcrescências acinzentadas, trata-se de normal. Mas não sendo nestes locais,estagnações energéticas, ou seja, pode-se dizer que é uma perda e deveresíduos da energia vital no qual o ser cuidado para não produzircorpo não conseguiu expelir, se desfazer agravamentos, pois enquanto foremnaturalmente. Obesos que não praticam fissuras, brechas, podem ser cuidadas eexercícios possuem na área do chakra tratadas.umbilical verdadeiras massasprotuberantes de um cinza. A presença 27

×