0
Personagens
As personagens desta obra dividem-se em:Pobres: pretos,      Ricos: portuguesesmulatos e brancos,   enriquecidos, queque s...
João Romão   Ambicioso;   Esperto;   Miserável;   Enganador;   Invejoso."...deixando de pagar todas as vezes que podi...
Bertoleza   Trabalhadora;   Submissa;   Sonhava com a    liberdade.
Miranda   Velho português;   Covarde;   Oportunista;   Não era feliz no casamento.".....o Miranda pilhou-se em flagran...
Jerônimo   Sério;   Forte;   Trabalhador exemplar;   Dedicado;   Honesto;   Pai de família." ..... grande seriedade ...
Zulmira    Filha de Miranda e Estela;    Sofre por representar o fruto dessa     relação;    Vivia para satisfazer a vo...
D. Estela   Adultera;   Presunçosa."..... senhora pretensiosa e com fumaças de nobreza..."
Pombinha   Amiga;   Inteligente;   Pura." A filha era flor do cortiço (...) Moça bonita, posto queenfermiça nervosa ao ...
Léonie   Prostituta;   Independe dos homens.    "... com suas roupas exageradas e barulhentas de    cocote à francesa, l...
Botelho   Antipático;   Parasita    "... via-se totalmente sem recursos e vegetava à    sombra do Miranda ..."
Piedade   Submissa;   Honesta;   Trabalhadora.    "Piedade merecia bem o seu homem, muito diligente,    sadia, honesta,...
Rita Baiana   Alegre;   Assanhada;   Dançarina." E toda ela respirava o asseio das brasileiras e um  odor sensual de tr...
Firmo   Gastador;   Galanteador;   Charlatão;   Presunçoso"... era um mulato pachola, delgado de corpo ágilcomo um cab...
TEMPO   Cronológico: segue os passos de João Romão
   Referências históricas nas falas das    personagens e do narrador:    “... No jornal do Comércio que sua    excelência...
   Lei do Ventre Livre:    “...entre outros assuntos palpitantes, vinha à    discussão o movimento abolicionista que    p...
Espaço
Cortiço    “Eram cinco horas da manhã e o cortiçoacordava, abrindo, não os olhos, mas suainfinidade de portas e janelas al...
Botafogo   Uma das características de estilo mais importantes    em    O Cortiço é a minuciosa descrição de    ambientes ...
Casa de Miranda“...vendeu-se também um sobrado que ficava à   direita da venda, separado desta apenas por   aquelas vinte ...
A ideologia emO Cortiço
AnarquismoNega o poder do Estado e defende o homem tenha          ampla liberdade individual.
“E, ao mesmo tempo que se defendia, atacava. Obrasileiro tinha já recebido pauladas na testa, no pescoço,nos ombros, nos b...
Liberalismo   Fundamento ideológico do capitalismo que    defende a liberdade individual, política e                   eco...
“Às vezes chegavam a ralhar com ostrabalhadores, quando lhes parecia que nãoiam bem no serviço! João Romão, agorasempre de...
Irracionalismo Oposição as premissas racionais dos Iluministas,enfatizando o lado irracional da natureza humana. “Os insti...
“Ele         pôs-se        logo         adevorar, sofregamente, olhando inquieto para oslados, como se temesse que alguém ...
EvolucionismoTeoria que defende a origem comum de todos os seres vivos, seleção natural e lei do mais forte               ...
“Durante dois anos o cortiço prosperoude dia para dia, ganhando forças, socando-sede gente. E ao lado o Miranda assustava-...
DeterminismoO Homem é visto como um produto biológico e o seu  comportamento é determinado pelo meio que vive.            ...
Linguagem da Obra   Fidelidade aos princípios da Gramática Normativa;   Influência de Eça de Queirós no estilo sóbrio e ...
   Tom forte e carregado, ressalta o ritmo ágil, nervoso    e agitado:        “A Bruxa surgiu à janela da sua casa, como ...
   Uso das cores para atingir o poético e    transportar o leitor para os refúgios mais    amenos:        “Começou logo a...
   Repetição de fonemas tanto vogais quanto    consonantais para ampliar o ruído, construir    com destreza situações dra...
   Consciência da linguagem falada pelas    diversas camadas sociais:               “Parece que tem fogo no rabo!”       ...
   Características bem portuguesas da língua da    linguagem da época:    “Olha! pediu ela, faz-me um filho, que eu preci...
   Uso predominante de pontuações:    “ ...está tudo terminado! Seu marido vai recebê-    la em boa paz...    - Eu?! esfu...
O importante papel das mulheres em  O Cortiço
   Estela: entediada com a monotonia de seu casamento, se    prostitui, inclusive para o próprio marido;   Pombinha: de ...
Me disseram que amor de Rita Jerônimo atou     E nem pedindo, por Piedade, o gajo voltouPombinha branca, o que está fazend...
Produzido por:     Fábio Rodrigues Lemes            Contsto:   fabiokafka@yahoo.com.brwww.reserva-literaria.blogspot.com
O cortiço   pesquisa
O cortiço   pesquisa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

O cortiço pesquisa

2,265

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,265
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
123
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "O cortiço pesquisa"

  1. 1. Personagens
  2. 2. As personagens desta obra dividem-se em:Pobres: pretos, Ricos: portuguesesmulatos e brancos, enriquecidos, queque são moradores moram no sobradodo cortiço; ao lado do cortiço.
  3. 3. João Romão Ambicioso; Esperto; Miserável; Enganador; Invejoso."...deixando de pagar todas as vezes que podia e nuncadeixando de receber, enganando os fregueses roubandonos pesos e nas medidas...."
  4. 4. Bertoleza Trabalhadora; Submissa; Sonhava com a liberdade.
  5. 5. Miranda Velho português; Covarde; Oportunista; Não era feliz no casamento.".....o Miranda pilhou-se em flagrante delito de adultério; ficou furioso e o seu primeiro impulso foi manda-la para o diabo junto com o cúmplice; mas a sua casa comercial garantia-se com o dote que ela trouxera...."
  6. 6. Jerônimo Sério; Forte; Trabalhador exemplar; Dedicado; Honesto; Pai de família." ..... grande seriedade do seu caráter e a pureza austera dos seus costumes..."
  7. 7. Zulmira  Filha de Miranda e Estela;  Sofre por representar o fruto dessa relação;  Vivia para satisfazer a vontade do pai;"....pálida, magrinha , com pequeninas manchas roxas nas mucosas do nariz, das pálpebras e dos lábios(...) olhos grandes, negros, vivos e maliciosos."
  8. 8. D. Estela Adultera; Presunçosa."..... senhora pretensiosa e com fumaças de nobreza..."
  9. 9. Pombinha Amiga; Inteligente; Pura." A filha era flor do cortiço (...) Moça bonita, posto queenfermiça nervosa ao último ponto: loura muito pálida,com uns modos de menina de boa família."
  10. 10. Léonie Prostituta; Independe dos homens. "... com suas roupas exageradas e barulhentas de cocote à francesa, levantava rumor lá ia e punha expressões de assombro em todas as caras."
  11. 11. Botelho Antipático; Parasita "... via-se totalmente sem recursos e vegetava à sombra do Miranda ..."
  12. 12. Piedade Submissa; Honesta; Trabalhadora. "Piedade merecia bem o seu homem, muito diligente, sadia, honesta, forte, bem acomodada com tudo e com todos, trabalhando de sol a sol e dando sempre tão boas contas da obrigação, que seus fregueses de roupa, apesar daquela mudança para Botafogo, não a deixaram quase todos."
  13. 13. Rita Baiana Alegre; Assanhada; Dançarina." E toda ela respirava o asseio das brasileiras e um odor sensual de trevos e plantas aromáticas. Irrequieta, saracoteando o atrevido e rijo quadril baiano, respondia para a direita e para a esquerda, pondo à mostra um fio de dentes claros e brilhantes que enriqueciam a sua fisionomia com um realce fascinador".
  14. 14. Firmo Gastador; Galanteador; Charlatão; Presunçoso"... era um mulato pachola, delgado de corpo ágilcomo um cabrito; capadócio de marca, pernóstico, sóde maçadas, e toso ele se quebrando nos seusmovimentos de capoeira."
  15. 15. TEMPO Cronológico: segue os passos de João Romão
  16. 16.  Referências históricas nas falas das personagens e do narrador: “... No jornal do Comércio que sua excelência fora agraciado pelo governo português com o titulo do Barão Feixal”.
  17. 17.  Lei do Ventre Livre: “...entre outros assuntos palpitantes, vinha à discussão o movimento abolicionista que principiava a forma-se em torno da Lei Rio Branco”.
  18. 18. Espaço
  19. 19. Cortiço “Eram cinco horas da manhã e o cortiçoacordava, abrindo, não os olhos, mas suainfinidade de portas e janelas alinhadas. Umacordar alegre e farto de quem de uma assentadasete horas de chumbo”.
  20. 20. Botafogo Uma das características de estilo mais importantes em O Cortiço é a minuciosa descrição de ambientes e personagens, da qual emergem elementos perceptíveis pelos sentidos para compor um quadro de sons, cores, cheiros e formas.
  21. 21. Casa de Miranda“...vendeu-se também um sobrado que ficava à direita da venda, separado desta apenas por aquelas vinte braças; de sorte que todo o flanco esquerdo do prédio, coisa de uns vinte e tantos metros, despejava para o terreno do vendeiro as suas nove janelas de peitoril....”
  22. 22. A ideologia emO Cortiço
  23. 23. AnarquismoNega o poder do Estado e defende o homem tenha ampla liberdade individual.
  24. 24. “E, ao mesmo tempo que se defendia, atacava. Obrasileiro tinha já recebido pauladas na testa, no pescoço,nos ombros, nos braços, no peito, nos rins e nas pernas. Osangue inundava-o inteiro; ele rugia e arfava, iroso ecansado, investindo ora com os pés, ora com a cabeça, elivrando-se daqui, livrando-se dali, aos pulos e àscambalhotas. A vitória pendia para o lado do português. Osespectadores aclamavam-no já com entusiasmo; mas, desúbito, o capoeira mergulhou, num relance, até as canelasdo adversário e surgiu-lhe rente dos pés, grupado nele,rasgando-lhe o ventre com uma navalhada.”
  25. 25. Liberalismo Fundamento ideológico do capitalismo que defende a liberdade individual, política e econômica. “O homem é movido por interesses pessoais eegoístas, empenhando-se em produzir uma maior quantidade de riquezas para si”
  26. 26. “Às vezes chegavam a ralhar com ostrabalhadores, quando lhes parecia que nãoiam bem no serviço! João Romão, agorasempre de paletó, engravatado, calças brancas,colete e corrente de relógio, já não parava navenda, e só acompanhava as obras na folga dasocupações da rua. Principiava a tomar tino nojogo da Bolsa; comia em hotéis caros e bebiacerveja em larga camaradagem comcapitalistas nos cafés do comércio.”
  27. 27. Irracionalismo Oposição as premissas racionais dos Iluministas,enfatizando o lado irracional da natureza humana. “Os instintos animais eram o fator básico da existência humana e determinam seu comportamento muito mais que a razão” Friedrich Nietzche (1844-1900)
  28. 28. “Ele pôs-se logo adevorar, sofregamente, olhando inquieto para oslados, como se temesse que alguém lhe roubassea comida da boca. Engolia semmastigar, empurrando os bocados com osdedos, agarrando-se ao prato e escondendo nasalgibeiras o que não podia de uma só vez meterpara dentro do corpo.” “Parece que nunca viu comida, este animal!”
  29. 29. EvolucionismoTeoria que defende a origem comum de todos os seres vivos, seleção natural e lei do mais forte sobre o mais fraco. Charles Darwin (1809-1882)
  30. 30. “Durante dois anos o cortiço prosperoude dia para dia, ganhando forças, socando-sede gente. E ao lado o Miranda assustava-se,inquieto com aquela exuberância brutal devida, aterrado defronte daquela florestaimplacável que lhe crescia junto da casa, pordebaixo das janelas, e cujas raízes, piores emais grossas do que serpentes, minavam portoda a parte, ameaçando rebentar o chão emtorno dela, rachando o solo e abalando tudo.”
  31. 31. DeterminismoO Homem é visto como um produto biológico e o seu comportamento é determinado pelo meio que vive. Hypolite Taine (1828-1893) “E naquela terra encharcada e fumegante, naquela umidade quente e lodosa, começou a minhocar, a esfervilhar, a crescer, um mundo, uma coisa viva, uma geração, que parecia brotar espontânea, ali mesmo, daquele lameiro, e multiplicar-se como larvas no esterco.”
  32. 32. Linguagem da Obra Fidelidade aos princípios da Gramática Normativa; Influência de Eça de Queirós no estilo sóbrio e correto de narrações e descrições; Influência de Zola na criação e caracterização dos personagens; Língua falada no Brasil na época; Capacidade descritiva de grupos sociais e festas populares;
  33. 33.  Tom forte e carregado, ressalta o ritmo ágil, nervoso e agitado: “A Bruxa surgiu à janela da sua casa, como à boca de uma fornalha acesa. Estava horrível; nunca fora tão bruxa. O seu moreno trigueiro, de cabocla velha, reluzia que nem metal em brasa; a sua crina preta, desgrenhada, escorrida e abundante como as das éguas selvagens, dava-lhe um caráter fantástico de fúria saída do inferno. E ela ria- se, ébria de satisfação, sem sentir as queimaduras e as feridas, vitoriosa no meio daquela orgia de fogo, com que ultimamente vivia a sonhar em segredo a sua alma extravagante de maluca.”
  34. 34.  Uso das cores para atingir o poético e transportar o leitor para os refúgios mais amenos: “Começou logo a sonhar que em redor ia tudo se fazendo de um cor-de-rosa, a princípio muito leve e transparente, depois mais carregado, e mais, e mais, até formar-se em torno dela uma floresta vermelha, cor de sangue, onde largos tinhorões rubros se agitavam lentamente.”
  35. 35.  Repetição de fonemas tanto vogais quanto consonantais para ampliar o ruído, construir com destreza situações dramáticas: “As cercas e os jiraus desapareceram do chão e estilhaçaram-se no ar, estalando em descarga; ao passo que numa berraria infernal, num fecha-fecha de formigueiro em guerra, aquela onda viva ia arrastando o que topava no caminho; barracas e tinas, baldes, regadores e caixões de planta, tudo rolava entre aquela centena de pernas confundidas e doidas. Das janelas do Miranda apitava-se com fúria; da rua, em todo o quarteirão, novos apitos respondiam" .
  36. 36.  Consciência da linguagem falada pelas diversas camadas sociais: “Parece que tem fogo no rabo!” “... apanhei hoje com a boca na botija.” “Com que esfregas tu, sua vaca?! Neologismos, expressões populares e frases feitas do dito popular: “ – E não é que o demo da mulata está cada vez mais sacudida?...” “ – Facilita muito, meu boi manso, que te escorvo os galhos na primeira ocasião!”
  37. 37.  Características bem portuguesas da língua da linguagem da época: “Olha! pediu ela, faz-me um filho, que eu preciso alugar-me de ama-de-leite![...] Se me arranjares um filho dou-te outra vez o coelho!”
  38. 38.  Uso predominante de pontuações: “ ...está tudo terminado! Seu marido vai recebê- la em boa paz... - Eu?! esfuziou o ferreiro. Você não me conhece! - Nem eu queria! retorquiu a mulher. Prefiro meter-me com um cavalo de tílburi a ter de aturar este bruto!”
  39. 39. O importante papel das mulheres em O Cortiço
  40. 40.  Estela: entediada com a monotonia de seu casamento, se prostitui, inclusive para o próprio marido; Pombinha: de menina pura se transforma em cobra; larga o marido e cai na prostituição; Leónie: senhora das prostitutas; arrebanha novas parceiras; Rita Baiana: com seu jeito brasileiro e sensual de ser, seduz Jerônimo, destruindo seu casamento com Piedade; Augusta: arranja barriga fora do casamento para se tornar ama-de-leite e lucrar com isso.
  41. 41. Me disseram que amor de Rita Jerônimo atou E nem pedindo, por Piedade, o gajo voltouPombinha branca, o que está fazendo? pra longe voou Nas garras finas de Leónie o seu ninho encontrou Indo além do céu, à filha de Estela, João encontrou A Bertoleza no chão a servir sua buchada
  42. 42. Produzido por: Fábio Rodrigues Lemes Contsto: fabiokafka@yahoo.com.brwww.reserva-literaria.blogspot.com
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×