UNIPAC - UNIVERSIDADE PRESIDENTE             ANTONIO CARLOS           FAME – FACULDADE DE MEDICINA<br />Doença Celíaca<br ...
4 - out/dez. 1999<br />DOENÇA CELÍACA:A evolução dos conhecimentos desdesua centenária descrição originalaté os dias atuai...
Objetivos<br /><ul><li>Objetivos Gerais
Realizar revisão da literatura sobre Doença Celíaca
Objetivos Específicos
Fornecer aos profissionais de saúde informações atuais sobre Doença Celíaca a fim de melhorar seu diagnóstico e evitar sua...
Evolução<br />
Lei de 1990<br />Obrigatoriedade nos rótulos dos produtos industrializados devem indicar presença de glúten.<br />
Grupos de risco<br />Familiares de pacientes celíacos <br />Condições associadas a DC:<br />► Dermatite herpetiforme ( mai...
Celular<br />CD4+ glutenespecificos(int.delgad)<br />CD8+ <br />LinfT- estão elevados mesmo após tx<br />Humoral<br />Anti...
Doença Celíaca : prevalência<br />Prevalência<br />  1% da população geral<br />Sintomatica DC<br />“Íceberg”<br />1994 It...
Doença por sensibilidade ao glúten<br />Resposta imunológica ao glúten do trigo, centeio, cevada e possivelmente aveia.<br...
Gliadina<br />ETIOPATOGENIA<br />tTGauto-antígeno envolvido - a transglutaminase tecidual  (enzima IC presente no endomisi...
<ul><li>I – aumento de linfócitos intraepiteliais</li></li></ul><li><ul><li>II – aumento de linfocitos intraepiteliais e <...
<ul><li>III – aumento de linfocitosintraepiteliais,
Hipertrofia de criptas e
Leve atrofia de vilosidades</li></li></ul><li><ul><li>IV – atrofia total de vilosidades</li></li></ul><li>
Quadro Clínico<br />Formas:<br />Clássica<br />Oligossintomatica<br />Atípica<br />Assintomática: alterações mucosa,sorolo...
Quadro Clínico<br />Forma clássica <br />(mais freqüente–1º anos de vida)<br /><ul><li>Diarréia crônica
Intolerância a lactose
Vômitos
Irritabilidade
Falta de apetite
Déficit de crescimento
Distensão abdominal
Diminuição do tecido celular sub-cutâneo
Atrofia da musculatura glútea
Mal absorção de gorduras : esteatorreiae deficiência de vitaminas lipossolúveis</li></li></ul><li>Manifestações clínicas d...
Dor abdominal
Constipação
Vômitos
Distensão abdominal isolada
Baixa estatura</li></li></ul><li>FORMAS ATIPICAS<br />ODONTOLOGIA:<br /><ul><li>Hipoplasia do esmalte dentário
Aftas de repetição</li></li></ul><li>FORMAS ATIPICAS<br />HEMATOLOGIA:<br />Anemia ferropriva , megaloblástica<br />(pela ...
FORMAS ATIPICAS<br />ENDOCRINO:<br />Baixa estatura<br />
FORMAS ATIPICAS<br />ORTOPEDIA: Mal absorção de Cálcio<br />Osteoporose<br />Raquitismo<br />Fraturas<br />
FORMAS ATIPICAS<br /><ul><li>REUMATOLOGIA:</li></ul>Artrite<br />Artralgia <br />
FORMAS ATIPICAS<br />GINECOLOGIA:<br />Esterilidade<br />Abortos de repetição<br />(mal absorção de ácido fólico)<br />
FORMAS ATIPICAS<br /><ul><li>NEUROLOGIA:</li></ul>Epilepsia<br />Calcificações intracranianas<br />
FORMAS ATIPICAS<br />PSIQUIATRIA: alterações no metabolismo do triptofano(serotonina), piridoxina-Vit B6 (essencial para o...
Suspeita Clínica<br />Função digestivo/absortiva:<br />prova de absorção da D-xilose,<br />dosagem de gordura nas fezes <b...
Testes sorológicos- antígenos exógenos<br />IgG também encontrados: Crianças normais<br />Doença auto-imune:<br />	Artrite...
Antiendomísio (EMA)<br />                 Reage com elementos das camadas musculares do intestino<br />Anticorpo anti-tran...
<ul><li>A BIÓPSIA DE INTESTINO DELGADO É </li></ul>CONSIDERADO PADRÃO OURO PARA O <br />DIAGNÓSTICO DE DC!!!<br />- NÃO DE...
Suspeita clinica<br />Sorologia positiva<br />E <br />Biopsia alterada<br />Retirada do glúten<br /><ul><li>Remissão clíni...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Doença celíaca

7,440

Published on

doença celíaca,

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,440
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
197
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Doença celíaca

  1. 1. UNIPAC - UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTONIO CARLOS FAME – FACULDADE DE MEDICINA<br />Doença Celíaca<br />Raquel C. Rennó<br />Roberto C. Rennó Neto<br />Mariana C. Rennó<br />RaianeNascimento<br />Ludmilla Lobato <br />IsadoraMaluf<br />
  2. 2. 4 - out/dez. 1999<br />DOENÇA CELÍACA:A evolução dos conhecimentos desdesua centenária descrição originalaté os dias atuais<br />Vera Lucia SDEPANIAN, Mauro Batista de MORAISe Ulysses FAGUNDES-NETO<br />
  3. 3. Objetivos<br /><ul><li>Objetivos Gerais
  4. 4. Realizar revisão da literatura sobre Doença Celíaca
  5. 5. Objetivos Específicos
  6. 6. Fornecer aos profissionais de saúde informações atuais sobre Doença Celíaca a fim de melhorar seu diagnóstico e evitar suas complicações.</li></li></ul><li>DEFINIÇÃO<br /> “Doença Celíaca é uma intolerância<br />permanente ao glúten caracterizada por atrofia<br /> total ou subtotal da mucosa do intestino<br />delgado proximal e consequente má-absorção<br /> de alimentos em indivíduos geneticamente <br /> suscetíveis”<br />Walker-Smith J.A. – Pediatric gastrointestinal disease.3ª Ed.2000.p-727-746<br />
  7. 7. Evolução<br />
  8. 8. Lei de 1990<br />Obrigatoriedade nos rótulos dos produtos industrializados devem indicar presença de glúten.<br />
  9. 9.
  10. 10.
  11. 11. Grupos de risco<br />Familiares de pacientes celíacos <br />Condições associadas a DC:<br />► Dermatite herpetiforme ( mais 90%)<br />► Doenças auto imunes: Tireoide, diabetes, alopéciaareata, artrite juvenil<br />► Deficiência de IgA<br />► Síndrome de Down<br />TODO FAMILIAR DE PRIMEIRO GRAU DE PACIENTE <br />CELIACO DEVE SER RASTREADO PARA DC<br />
  12. 12.
  13. 13. Celular<br />CD4+ glutenespecificos(int.delgad)<br />CD8+ <br />LinfT- estão elevados mesmo após tx<br />Humoral<br />Anticorpos da DC<br />Imunológicos<br />HLA (antígeno<br />de histocompatibilidade)<br />98% dos celiacos:<br /> DQ 2 <br /> DR3<br /> DQ 8<br />Prevalência:<br />8 % a 12 % parentes <br />de primeiro grau <br />70% em gêmeos monozigóticos<br />DC<br />Ambientais<br />Genéticos<br />Dieta: gluten<br />Fatores desencadeantes:<br />Desmame precoce<br />Enteroinfecçoes<br />Adenovirus<br />Parasitoses <br />
  14. 14. Doença Celíaca : prevalência<br />Prevalência<br /> 1% da população geral<br />Sintomatica DC<br />“Íceberg”<br />1994 Itália, casos<br />Diagnosticados X casos não<br />Diagnosticados antes do rastreamento,foide 1X7a maioria dos indivíduos com<br />DC não são diagnosticados,<br />DC silenciosa<br />DC latente<br />(nao manifestada)<br />Mucosa<br />normal<br />Susceptibilidade Genética: - DQ2, DQ8<br />Positividade Serologica <br />Figuraadaptada de:http://www.medwave.cl/medios/cursos/.jpg<br />
  15. 15. Doença por sensibilidade ao glúten<br />Resposta imunológica ao glúten do trigo, centeio, cevada e possivelmente aveia.<br />Doença celíaca<br />Dermatite herpetiforme<br />Aftas recorrentes<br />
  16. 16.
  17. 17. Gliadina<br />ETIOPATOGENIA<br />tTGauto-antígeno envolvido - a transglutaminase tecidual (enzima IC presente no endomisio)<br />Complexos Gliadina-tTG<br />CAA (DQ2;DQ8)<br />Cel. apresentadoras de antígenos<br />CD4 TH1<br />CD4 TH2<br />CITOCINAS<br />Fibroblastos Intersticiais<br />Plasmócitos<br />Auto anticorpo:<br />Anti-tTGIgA(antitransglutaminase tecidual Ig A) EmAIgA (antiendomísio)<br />AGA Iga(Antigliadina Ia A) <br />Atrofia das Vilosidades<br />Hiperplasia das Criptas<br />
  18. 18.
  19. 19.
  20. 20.
  21. 21. <ul><li>I – aumento de linfócitos intraepiteliais</li></li></ul><li><ul><li>II – aumento de linfocitos intraepiteliais e </li></ul>Hipertrofia de criptas<br />
  22. 22. <ul><li>III – aumento de linfocitosintraepiteliais,
  23. 23. Hipertrofia de criptas e
  24. 24. Leve atrofia de vilosidades</li></li></ul><li><ul><li>IV – atrofia total de vilosidades</li></li></ul><li>
  25. 25. Quadro Clínico<br />Formas:<br />Clássica<br />Oligossintomatica<br />Atípica<br />Assintomática: alterações mucosa,sorologia+<br />Formas Latentes: com diagnóstico, mas com normalização da mucosa<br />Formas Potenciais: com marcadores sorológicos + ,mais biópsia normal.<br />
  26. 26. Quadro Clínico<br />Forma clássica <br />(mais freqüente–1º anos de vida)<br /><ul><li>Diarréia crônica
  27. 27. Intolerância a lactose
  28. 28. Vômitos
  29. 29. Irritabilidade
  30. 30. Falta de apetite
  31. 31. Déficit de crescimento
  32. 32. Distensão abdominal
  33. 33. Diminuição do tecido celular sub-cutâneo
  34. 34. Atrofia da musculatura glútea
  35. 35. Mal absorção de gorduras : esteatorreiae deficiência de vitaminas lipossolúveis</li></li></ul><li>Manifestações clínicas discretas - Oligossintomatica<br /><ul><li> Manifestações digestivas vagas
  36. 36. Dor abdominal
  37. 37. Constipação
  38. 38. Vômitos
  39. 39. Distensão abdominal isolada
  40. 40. Baixa estatura</li></li></ul><li>FORMAS ATIPICAS<br />ODONTOLOGIA:<br /><ul><li>Hipoplasia do esmalte dentário
  41. 41. Aftas de repetição</li></li></ul><li>FORMAS ATIPICAS<br />HEMATOLOGIA:<br />Anemia ferropriva , megaloblástica<br />(pela mal absorção de ferro e ácido fólico)<br />
  42. 42. FORMAS ATIPICAS<br />ENDOCRINO:<br />Baixa estatura<br />
  43. 43. FORMAS ATIPICAS<br />ORTOPEDIA: Mal absorção de Cálcio<br />Osteoporose<br />Raquitismo<br />Fraturas<br />
  44. 44. FORMAS ATIPICAS<br /><ul><li>REUMATOLOGIA:</li></ul>Artrite<br />Artralgia <br />
  45. 45. FORMAS ATIPICAS<br />GINECOLOGIA:<br />Esterilidade<br />Abortos de repetição<br />(mal absorção de ácido fólico)<br />
  46. 46. FORMAS ATIPICAS<br /><ul><li>NEUROLOGIA:</li></ul>Epilepsia<br />Calcificações intracranianas<br />
  47. 47. FORMAS ATIPICAS<br />PSIQUIATRIA: alterações no metabolismo do triptofano(serotonina), piridoxina-Vit B6 (essencial para o metabolismo do triptofano). <br /> Alterações do humor<br />depressão<br />
  48. 48. Suspeita Clínica<br />Função digestivo/absortiva:<br />prova de absorção da D-xilose,<br />dosagem de gordura nas fezes <br />estudos hematológicos <br />determinação de folatos nos glóbulos vermelhos (criancas)<br />Sorologia<br />EDA/Histopatológico do intestino delgado<br />Diagnóstico<br />
  49. 49. Testes sorológicos- antígenos exógenos<br />IgG também encontrados: Crianças normais<br />Doença auto-imune:<br /> Artrite reumatóide<br /> Síndrome de sjögren<br /> Sarcoidose<br /> Eczema atópico<br />Alergia às proteínas do leite <br />de vaca<br />Diarréia aguda e crônica<br />Parasitose<br />Hepatopatias<br />AntigliadinaIgG e A<br />Não é patognomônico<br />
  50. 50. Antiendomísio (EMA)<br /> Reage com elementos das camadas musculares do intestino<br />Anticorpo anti-transglutaminase tecidual (anti-tTG)<br />Testes sorológicos - auto-anticorpos<br />IgA EMA – sensibilidade - 83 a 100%<br /> especificidade – 98 a 100%<br />
  51. 51. <ul><li>A BIÓPSIA DE INTESTINO DELGADO É </li></ul>CONSIDERADO PADRÃO OURO PARA O <br />DIAGNÓSTICO DE DC!!!<br />- NÃO DEVE SER REALIZADAS TENTATIVAS <br />TERAPÊUTICAS APENAS COM A SUSPEITA CLÍNICA<br />
  52. 52. Suspeita clinica<br />Sorologia positiva<br />E <br />Biopsia alterada<br />Retirada do glúten<br /><ul><li>Remissão clínica clara
  53. 53. Negativação da sorologia</li></li></ul><li>Tratamento<br />Dieta isenta de glúten<br /> por toda a vida<br />Suplementação vitamínica e de oligoelementos<br /> (em alguns casos)<br />
  54. 54. PROIBIDO!!!<br />
  55. 55. TRATAMENTO:<br />
  56. 56.
  57. 57.
  58. 58.
  59. 59. Tratamento<br />Pacientes não diagnosticadosou que não aderem à dieta<br />Câncer orofaringeo e no<br /> esôfago: 23x ><br />Linfoma: 77x ><br />Baixa estatura<br />Infertilidade<br />Doenças ósseas<br />Doenças auto-imunes<br />Distúrbios psiquiátricos<br />maior risco<br />mortalidade<br />maior risco<br />morbidade<br />Holmes et al., 1989<br />
  60. 60. Alimentos permitidos<br />Leites e derivados: <br />Leite fresco;<br />Leite condensado;<br />Iogurte; <br />Ricota;<br />Carnes:<br />Carnes em geral;<br />Frutos do mar;<br />2 porções ou mais<br />Queijo parmesão;<br /> Queijo cheddar; <br /> Queijo pasteurizado processado<br />2 porções ou mais<br />Aves;<br /> Ovos<br />
  61. 61. Cereais:<br />Batatas;<br />Arroz; <br />Inhame;<br />Pães:<br />Especialmente preparados usando farinhas permitidas.<br />Frutas e Verduras:<br />Frutas frescas;<br />Frutas congeladas;<br />Sucos de frutas;<br />Frutas enlatadas;<br />1 porção ou mais<br />Talharim especial sem glúten;<br /> Cereal feito de fubá;<br />3 porções ou mais<br />Vegetais frescos;<br /> Vegetais congelados<br /> Vegetais enlatados<br />2 porções ou mais<br />
  62. 62. Leguminosas: <br />Ervilhas;<br />Feijões secos<br />Lentilha<br />Gorduras: <br />Manteiga;<br />Margarina;<br />Óleo vegetal<br />Doces:<br />Chocolate;<br />Geléia<br />Mel<br />Caldas em geral;<br />2 porções ou mais<br /> Nozes<br /> Molhos para salada;<br /> Maionese<br />1 a 2 porções<br />Pudim;<br /> Bolos;<br />Sorvete sabor baunilha<br />
  63. 63. Associacao dos Celiacos do Brasil - ACELBRA<br />http://www.acelbra.org.br/<br />BELO HORIZONTE / MG - 0xx31            <br />Rua Dr. Furtado de Menezes, 342Bairro Ipiranga - CEP 31160-170Contatos:Ângela - Presidente - acelbramg@hotmail.com - Fone 3421-9768<br />
  64. 64. Conclusões<br /><ul><li>Reconhecer o acometimento sistêmico variado e não mais pensarmos na DC somente como acometimento isolado do sistema digestivo, com inicio reservado à infância, sem negligência de diagnósticos.
  65. 65. A dieta isenta de glúten (DIG) é o único tratamento conhecido devendo ser abordada por equipe multidisciplinar, visando a melhora da qualidade de vida e sobrevida do paciente.</li></li></ul><li>OBRIGADO<br />
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×