Adolfo yanez casal cap.3 para uma epistemologia do discurso

1,525 views
1,316 views

Published on

Breves notas sobre o cap. 3

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,525
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Adolfo yanez casal cap.3 para uma epistemologia do discurso

  1. 1. 3. Criticas <br />Para Uma Epistemologia do Discurso e Prática Antropológica<br />Adolfo Yanez Casal - 1996<br />
  2. 2. Adolfo Yanez Casal <br />Professor Catedrático na Universidade Nova de Lisboa <br />Doutoramento na Universidade de Sorbornne – Paris<br />Interesses : Antropologia Económica e Antropologia do Desenvolvimento <br />Estudos Africanos , Património e identidade<br />
  3. 3. A questão epistemológica da Antropologia<br />Breve descrição dos métodos abordados pela antropologia<br />3 questões : <br />A antropologia é uma ciência? <br />Que padrão pode explicar a compreensão e a interpretação?<br />De que se ocupa a antropologia? (factos, significados, estruturas ou regularidades?)<br />
  4. 4. A questão epistemológica da Antropologia<br />O objecto é o homem<br />O conhecimento é objectivo ou subjectivo<br />O local é próximo ou distante<br />A razão é a cultura<br />A antropologia produz ficções narrativas ou conhecimento antropológico? E porque a crise antropológica?<br />
  5. 5. Crise da Antropologia <br />Globalização <br />
  6. 6. Crise da Antropologia<br />O primitivo e a realidade <br />
  7. 7. Crise da Antropologia<br />A concorrência <br />
  8. 8. Pressupostos das práticas e discurso antropológico<br />Ciência Empírica <br />Usa um método indutivo<br />Usa a compreensão e interpretação como práticas etnográficas de investigação<br />Antropólogos são cientistas corajosos mas incapazes de produzir sínteses cientificas, critica antropólogos como Morgan, Frazer, Tylor, e Strauss, por darem aos estudo atributos humanos esquecendo-se de algo. <br />
  9. 9. Pressupostos das práticas e discurso antropológico<br />Já filósofos como Schiller, Tidlhey e Heidger não universalizam estas questões, usando ideias mais particulares. <br />Critica a Levy-Bruhl, por assumir a ausência da lógica do primitivo <br />Boas libertou a Cultura (Sahlins) TertiumQuid<br />RadcliffBrown “A Antropologia é uma ciência universal usa a observação empírica com leis que regem a totalidade sociocultural”<br />
  10. 10. Pressupostos das práticas e discurso antropológico<br />RadcliffBrown – Paradigma das ciências sociais<br />
  11. 11. Dispositivo epistemológico das analogias<br />Analogias segundo Gertz, são a distorção da metamorfose de um significado (metáfora do jogo, metáfora do drama e metáfora do texto)<br />Outras analogias de outros autores, como – Habernas, Foucault, Cassiere Certau. <br />Contudo a metodologia mais significativa é a interpretativa pós-modernista<br />
  12. 12. A natureza interpretativa da Antropologia<br />A Antropologia hermenêutica de Gertz“todas as pessoas que estudam a população, porque o fazem ? E quem são elas?”<br />A Fusão de horizontes é mais estética do que mecânica<br />A cultura é uma falácia estruturalista <br />Noções de abordagens universais e particulares<br />
  13. 13. A Antropologia pós moderna Perversão ou Reconversão Epistemológica<br />CliffordGertz – A Antropologia da Antropologia<br />VincentCarpanzano e Paul Rabinow<br />Critica MichalTaussig e StephenTyler<br />Critica Tyler dizendo que a etnografia não é uma ciência<br />
  14. 14. A Antropologia pós moderna Perversão ou Reconversão Epistemológica<br />Ridicularização da frase “Eu estive lá”, pelas teorias hermenêuticas. <br />Falta de descrição discursiva, poucos informantes, gestos e intensões<br />
  15. 15. Retórica e Antropologia <br />A antropologia tem um idealismo ingénuo<br />Questões sobre a credibilidade de Gertz<br />Persuasão na escrita que dá a sensação que o leitor também lá está, não estando.<br />Critica Malinowski e Mead e Strauss (por Gertz)<br />Para Casal a Antropologia, parece enfrentar o problema da objectividade<br />
  16. 16. Retórica da Antropologia<br />MarvinHarris (1979) “ TODO O FACTO É UMA FICÇÃO E TODA A FICÇÃO É UM FACTO, É INTELECTUAL E MORALMENTE DEPRAVADA”<br />Questões sobre o contexto etnográfico : <br />O que legitima o trabalho de campo, segundo as exigências epistemológicas ma actividade global?<br />O Observador trás uma linguagem realista ou neo-realista?<br />
  17. 17. Retórica da Antropologia <br />O ponto de vista do observado é significativo para quem? Para ele próprio? Para o observador? Para o leitor? Ou para os 3?<br />Emic ou Etic ? <br />Qual o estatuto das notas de campo, textos e diários, artigos ou livros?<br />
  18. 18. FIM<br />

×