MODAL HIDROVIÁRIO LAILA DA ROCHA LUIZ CARLOS MACHADO MÁRIO GUTERRES RAFAEL POZZOBON
INTRODUÇÃO O comércio demanda eficiência na produção e na negociação das mercadorias. A colocação de produtos no mercado e...
TIPOS DE CARGA <ul><li>Carga Geral:  Carga embarcada, com marca de identificação e contagem de unidades, podendo ser solta...
TIPOS DE CARGA <ul><li>Carga Frigorificada:  Necessita ser refrigerada ou congelada para conservar as qualidades essenciai...
TIPOS DE CARGA <ul><li>Carga Perigosa:  Aquela que, por causa de sua natureza, pode provocar acidentes, danificar outras c...
TRANSPORTE MARÍTIMO O transporte marítimo é fornecido em todas as formas legais, e a maioria das mercadorias embarcadas po...
TRANSPORTE MARÍTIMO Os custos de perdas e danos resultantes do transporte por água são considerados baixos em relação aos ...
TIPOS DE NAVIOS <ul><li>Navios de Carga Geral:  São os navios que transportam vários tipos de cargas, geralmente em pequen...
TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios de Passageiros:  São os navios que tem a finalidade única de transportar pessoas e suas baga...
TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Portas-Contêiner:  São os navios semelhantes aos navios de carga geral mas normalmente não p...
TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Tanque:  São os navios para transporte de petróleo bruto e produtos refinados (álcool, gasol...
TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Gaseiros:  São os navios destinados ao transporte de gases liquefeitos. Se caracterizam por ...
TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios RollOn/RollOff:  São os navios em que a carga entra e sai dos porões. Existem vários tipos d...
TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Graneleiros:   São os navios destinados ao transporte de grandes quantidades de carga a gran...
TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Ore-Oil:   São os navios de carga combinada, ou seja, transportam minério e petróleo .   </l...
 
 
 
 
TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE O serviço de transporte fluvial é limitado em escopo por várias razões. O serviço fluvial domé...
TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE Considerando o potencial de suas bacias hidrográficas, o transporte fluvial tem ainda uma util...
TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE As vantagens de se usar a hidrovia como meio de transporte são bem visíveis: para cada tonelad...
TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE <ul><li>11% da demanda do transporte de cargas da Europa Ocidental é feita através de vias nav...
ECLUSAS A eclusa é uma obra de engenharia que faz com que em uma construção seja possível que barcos subam o desçam os rio...
 
ECLUSAS
TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE Navegação lacustre é aquela realizada em lagos e tem como característica a ligação de cidades ...
CABOTAGEM É a navegação realizada entre portos interiores do país pelo litoral ou por vias fluviais. A cabotagem se contra...
CONSIDERAÇÕES FINAIS A seleção de um modal de transporte pode ser usada para criar uma vantagem competitiva do serviço. Qu...
FIM!!!!
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Modal hidroviário

30,921

Published on

6 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
30,921
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
6
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Modal hidroviário"

  1. 1. MODAL HIDROVIÁRIO LAILA DA ROCHA LUIZ CARLOS MACHADO MÁRIO GUTERRES RAFAEL POZZOBON
  2. 2. INTRODUÇÃO O comércio demanda eficiência na produção e na negociação das mercadorias. A colocação de produtos no mercado exige o aproveitamento adequado dos meios de transporte disponíveis. O transporte é fator fundamental na definição do custo final da mercadoria e no atendimento das condições de prazo e condições de entrega.
  3. 3. TIPOS DE CARGA <ul><li>Carga Geral: Carga embarcada, com marca de identificação e contagem de unidades, podendo ser soltas ou unitizadas ; </li></ul><ul><li>Carga a Granel: Carga líquida ou seca embarcada e transportada sem acondicionamento, sem marca de identificação e sem contagem de unidades (exemplos: petróleo, minérios, trigo, farelos e grãos, etc.). </li></ul>
  4. 4. TIPOS DE CARGA <ul><li>Carga Frigorificada: Necessita ser refrigerada ou congelada para conservar as qualidades essenciais do produto durante o transporte (exemplos: frutas frescas, pescados, carnes, etc.); </li></ul><ul><li>Carga Neogranel: Carregamento formado por conglomerados homogêneos de mercadorias, de carga geral, sem acondicionamento específico, cujo volume ou quantidade possibilita o transporte em lotes, em um único </li></ul><ul><li>embarque (exemplo: veículos). </li></ul>
  5. 5. TIPOS DE CARGA <ul><li>Carga Perigosa: Aquela que, por causa de sua natureza, pode provocar acidentes, danificar outras cargas ou os meios de transporte ou, ainda, gerar riscos para as pessoas. </li></ul><ul><li>Divida em: </li></ul><ul><li>Explosivos, Gases Líquidos Inflamáveis, Sólidos Inflamáveis, Substâncias Oxidantes, Substâncias Infecciosas, Substâncias Radioativas, Corrosivos e Variedades de Substâncias Perigosas. </li></ul>
  6. 6. TRANSPORTE MARÍTIMO O transporte marítimo é fornecido em todas as formas legais, e a maioria das mercadorias embarcadas por este meio são desregulamentadas. Além do carregamento privado desregulamentado, as cargas líquidas a granel movimentadas em navios-tanque e mercadorias a granel, como carvão, areia e grão, que somam mais de 80% do total anual de toneladas-milhas por água, também são isentos de regulamentação.
  7. 7. TRANSPORTE MARÍTIMO Os custos de perdas e danos resultantes do transporte por água são considerados baixos em relação aos outros modais porque o dano em produtos a granel de baixo valor não preocupa muito e as perdas devido a demoras não são sérias (geralmente os compradores mantêm estoques grandes).
  8. 8. TIPOS DE NAVIOS <ul><li>Navios de Carga Geral: São os navios que transportam vários tipos de cargas, geralmente em pequenos lotes – sacarias, caixas, veículos encaixotados ou sobre rodas, bobinas de papel de imprensa, vergalhões, barris, barricas, etc. </li></ul>
  9. 9. TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios de Passageiros: São os navios que tem a finalidade única de transportar pessoas e suas bagagens. Pode ser para viagens normais como para cruzeiros turísticos. </li></ul>
  10. 10. TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Portas-Contêiner: São os navios semelhantes aos navios de carga geral mas normalmente não possuem além de um ou dois mastros simples sem paus de carga. As escotilhas de carga abrangem praticamente toda a área do convés e são providas de guias para encaixar os contêineres nos porões. </li></ul>
  11. 11. TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Tanque: São os navios para transporte de petróleo bruto e produtos refinados (álcool, gasolina, diesel, querosene, etc.). Se caracterizam por sua superestrutura a ré e longo convés principal quase sempre tendo à meia nau uma ponte que vai desde a superestrutura até a proa. </li></ul>
  12. 12. TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Gaseiros: São os navios destinados ao transporte de gases liquefeitos. Se caracterizam por apresentarem acima do convés principal tanques típicos de formato arredondado. </li></ul>
  13. 13. TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios RollOn/RollOff: São os navios em que a carga entra e sai dos porões. Existem vários tipos de RoRos, como os porta- carros, porta-carreta, multi-propósitos, etc. </li></ul>
  14. 14. TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Graneleiros: São os navios destinados ao transporte de grandes quantidades de carga a granel: milho, trigo, soja, minério de ferro, etc. </li></ul>
  15. 15. TIPOS DE NAVIO <ul><li>Navios Ore-Oil: São os navios de carga combinada, ou seja, transportam minério e petróleo . </li></ul>
  16. 20. TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE O serviço de transporte fluvial é limitado em escopo por várias razões. O serviço fluvial doméstico está confinado aos sistemas de vias aquáticas internas, que exige que os embarcadores estejam localizados nas vias aquáticas ou que usem outro modal de transporte em combinação com o fluvial. Na média, ele é mais vagaroso que o ferroviário. A disponibilidade e a confiabilidade dos serviços fluviais são fortemente influenciados pelo clima.
  17. 21. TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE Considerando o potencial de suas bacias hidrográficas, o transporte fluvial tem ainda uma utilização muito pequena no Brasil. É um modal bastante competitivo, já que apresenta grande capacidade de transporte, baixo consumo de combustível e é menos poluente que o modal rodoviário.
  18. 22. TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE As vantagens de se usar a hidrovia como meio de transporte são bem visíveis: para cada tonelada de soja transportada, gastam-se US$ 8,00 na hidrovia, US$ 16,00 na ferrovia e de US$ 30,00 na rodovia.. Além disso as embarcações não tem a mesma frequência de desgaste e acidentes, como nas rodovias. No Brasil, as hidrovias não movimentam nem 1% do total de cargas transportadas. Cerca de 43 mil km de rios são navegáveis mas somente 10 mil são utilizados.
  19. 23. TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE <ul><li>11% da demanda do transporte de cargas da Europa Ocidental é feita através de vias navegáveis; </li></ul><ul><li>Na Europa, mais de 400 milhões de toneladas de produtos são transportados anualmente em mais de 26 mil km de hidrovias; </li></ul><ul><li>Nos EUA, mais de 1,5 bilhões de toneladas de produto são transportados anualmente nos mesmos 40 mil km de hidrovias que o Brasil possui. </li></ul>Cenário Mundial:
  20. 24. ECLUSAS A eclusa é uma obra de engenharia que faz com que em uma construção seja possível que barcos subam o desçam os rios/mares em locais onde há desníveis (corredeiras ou quedas d’água). No Brasil, temos aproximadamente 18 eclusas em quase todas as regiões do Brasil .
  21. 26. ECLUSAS
  22. 27. TRANSPORTE FLUVIAL/LACUSTRE Navegação lacustre é aquela realizada em lagos e tem como característica a ligação de cidades e países vizinhos. É um tipo de transporte bastante restrito em face de serem poucos os lagos navegáveis e por isso não tem grande importância no transporte internacional. Também pode ser utilizado para qualquer carga, a exemplo do marítimo.
  23. 28. CABOTAGEM É a navegação realizada entre portos interiores do país pelo litoral ou por vias fluviais. A cabotagem se contrapõe à navegação de longo curso, ou seja, aquela realizada entre portos de diferentes nações. No Brasil, a navegação de cabotagem somente pode ser realizada por embarcações construídas no País. Outra questão a se considerar, é a garantia de construção de navios destinados a cabotagem, nos estaleiros nacionais. Dessa maneira, a construção naval rende empregos e faturamento as economias nacionais.
  24. 29. CONSIDERAÇÕES FINAIS A seleção de um modal de transporte pode ser usada para criar uma vantagem competitiva do serviço. Quando um comprador em um canal de suprimentos compra bens de mais de um fornecedor, o serviço logístico oferecido, assim como o preço pode influenciar na seleção do fornecedor. Com as rodovias em estado precário, e o colapso no setor aéreo, o investimento no modal hidroviário surge como alternativa para o transporte no Brasil. Infelizmente, é um processo que leva anos para estar consolidado e que, provavelmente, nós não presenciaremos.
  25. 30. FIM!!!!

×