• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Esfera publica digital
 

Esfera publica digital

on

  • 529 views

Alguns pensamentos sobre a esfera publica digital e suas conexoes com os mass midia e o cotidiano das pessoas.

Alguns pensamentos sobre a esfera publica digital e suas conexoes com os mass midia e o cotidiano das pessoas.

Statistics

Views

Total Views
529
Views on SlideShare
529
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
7
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Esfera publica digital Esfera publica digital Presentation Transcript

    • Internet como esfera pública? Análise de usos e repercussões reais das discussões virtuaisChalini Torquato Gonçalves de Barros Rafael Cardoso Sampaio
    • Internet como esfera pública• Argumento Otimista• Internet é aberta, incentiva o diálogo, vantagens da assincronia, maior capacidade de mobilização e chamar a atenção, arquitetura distribuída, baixo custo para se tornar falante, falta de intermediação da mídia, grande quantidade de material comunicativo produzido pela esfera civil.• Internet = nova esfera pública, ampliação do capital social, novas comunidades e maior participação política.
    • Nova esfera conversacional?• Pode-se assim, como hipótese, pensar no ciberespaço como uma nova esfera pública de conversação onde o “mundo da vida” amplia o capital social, recriando formas comunitárias, identitárias (público), ampliando a participação política. A função conversacional das mídias de função pós-massiva pode servir como fator privilegiado de resgate da coisa pública, embora não haja garantias. A participação, a colaboração e a conversação são as bases para uma ação política, mas não garantem a sua efetividade (LEMOS, 2009, p.27).
    • • Argumento cético• Cidadãos mal informados, excesso de informação, acesso restrito às elites, falta de interação face a face, pouca reflexividade, reflete desigualdades da realidade presencial, falta de respeito, dominação do debate por certos indivíduos ou grupos.
    • Internet como parte da esfera pública• Muita exigência em cima da internet, que deixa de ser considerada ferramenta para se tornar entidade. São necessárias ações de estímulo ao engajamento cidadão. Não é uma tecnologia que vai reduzir a apatia política por si.• Defendemos seu caráter complementar: espaço adicional de deliberação com liberdade o suficiente para permitir formação espontânea e troca de opiniões.• Um instrumento com enorme potencial discursivo e deliberativo, de fato, mas que apenas poderá funcionar como componente da esfera pública se for utilizada dessa maneira por instituições, associações coletivas e indivíduos.
    • Exemplo 1: Twitter• Cala a Boca Galvão = mentira e enganação = brincadeira.• Tópico 1 no TT Mundial do Twitter• Repercussão internacional e “barriga” de jornais internacionais - El País, New York Times.• Resposta oficial da Globo
    • • Cala a Boca Tadeu Schmidt• Questões mais sérias como: limites do jornalismo, críticas aos jornalistas, limites da Rede Globo, direito do técnico limitar o acesso as emissoras..• Gera #diasemglobo• Cala a Boca Sylvester Stallone• Declaração simples dada em uma convenção de quadrinhos gera novo movimento e, dessa vez, um pedido de desculpas oficial.• Interconexão e influência mútua entre internet e mídias tradicionais.
    • Exemplo 2: Consultas Públicas• a) Consulta Pública o Relatório de Progresso de País (2008/2009) sobre os compromissos em HIV/AIDS• Campanha mais sigilosa, offline e envolvendo diretamente grupos sociais.• b) Ministério da Cultura - Consulta Direitos autorais• Vídeos, comentários do twitter, opiniões individuais e de atores coletivos,• Cada parágrafo da nova lei podia ser comentado. Podia-se aceitar ou não e explicar o motivo, assim como ler dos outros.• 7863 contribuições.
    • Exemplo 3: OP Online• OPD – Belo Horizonte (2008)• Voto totalmente online, chat (secretários), ferramenta de comentários, fórum online, mapa interativo, quis, vídeos, imagens. Edição 2006 offline 2006 online 2008 offline 2008 online Participantes 34.643 172.938 40.967 124.320
    • • Condado Lichtenberg da cidade de Berlim, Alemanha.• Enquetes, newsletter, entrevistas com políticos, simulação de orçamento, além de fóruns de discussão e a possibilidade da criação de wikis, que foram utilizados para agrupar as diferentes propostas dos cidadãos.• 4 mil pessoas participaram das discussões.• Foram enviadas ao conselho local 42 propostas de orçamento e de emendas as políticas públicas, sendo que 37 foram aprovadas.
    • Conclusões• A internet não é uma esfera pública virtual por si, mas pode ser utilizada pelos seus usuários para incrementar as discussões na esfera pública, podendo, em determinadas situações, desencadear demandas sobre o sistema político formal. Por outro lado, é possível acreditar que o ceticismo em relação ao meio on-line se deve ao fato de esses casos ainda serem exceção e não regra.• Contudo, Silveira indica que na lista dos sites mais acessados nos anos de 2007, 2008 e 2009 estavam “YouTube, MySpace, Facebook, Blogger e Wikipédia – todos eles, repositórios de conteúdos produzidos pelos internautas” (SILVEIRA, 2009, p.83).
    • •Obrigado!• Chalini Barros (@chalinibarros)• chalinibarros@gmail.com• Rafael Sampaio (@cardososampaio)• cardososampaio@yahoo.com.br www.comunicacaoepolitica.com.br