• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Medo da inteligência
 

Medo da inteligência

on

  • 292 views

 

Statistics

Views

Total Views
292
Views on SlideShare
239
Embed Views
53

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 53

http://mensagensdoroy.blogspot.com.br 31
http://mensagensdoroy.blogspot.com 22

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Medo da inteligência Medo da inteligência Presentation Transcript

    • Vá clicando...
    • Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou depronunciar seu discurso de estréia na Câmara dosComuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigode seu pai, o que tinha achado do seu primeirodesempenho naquela assembléia de vedetes políticas.
    • O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, emtom paternal: “Meu jovem, você cometeu um grande erro.
    • Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso naCasa. Isso é imperdoável! Devia ter começado umpouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco.
    • Com a inteligência que demonstrou hoje, deve terconquistado, no mínimo, uns trinta inimigos. O talentoassusta".
    • Ali estava uma das melhores lições de abismo queum velho sábio pôde dar ao pupilo que se iniciava numacar-reira difícil.
    • Isso, na Inglaterra. Imaginem aqui, no Brasil!...
    • Não é demais lembrar a famosa trova de AntónioAleixo, poeta português:: “Há tantos burros mandandoem homens de inteligência, que, às vezes, fico pensan-do que a burrice é uma Ciência”.
    • A maior parte das pessoas encasteladas em po-sições políticas é medíocre e tem um indisfarçávelmedo da inteligência.
    • Temos de admitir que, de um modo geral, osmedíocres são mais obstinados na conquista deposições.
    • Sabem ocupar os espa-ços vazios deixados pelostalentosos displicentes quenão revelam o apetite dopoder.
    • Mas é preciso considerar que esses medíocres la-dinos, oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de salva-guardar suas posições conquistadas, com verdadeirasmuralhas de granito por onde talentosos não conseguempassar.
    • Em todas as áreas encontramos dessas fortalezasestabelecidas, as panelinhas do arrivismo, inexpug-náveis às legiões dos lúcidos.
    • É pecado fazer sombra a alguém até numa conversasocial.
    • Assim como um grupo de senhoras burguesas bemcasadas boicota, automaticamente, a entrada de umajovem mulher bonita no seu círculo de convivência, pormedo de perder seus maridos, também os encasteladosmedíocres se fecham como ostras, à simples aparição deum talento-so jovem que os possa ameaçar.
    • Eles conhecem bem suas limitações, sabem comolhes custa desempenhar tarefas que os mais dotadosrealizam com uma perna nas costas...
    • Enfim, na medida em que admiram a facilidade comque os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocresos repudiam para se defender.
    • É um paradoxo angustiante!
    • Infelizmente, temos de viver segundo essas regrasabsurdas que transformam a inteligência numa espéciede desvantagem perante a vida.
    • Como é sábio o velho conselho de Nelson Ro-drigues: "Finge-te de idiota, e terás o céu e a terra".
    • O problema é que os inteligentes costumam brilhar! Que Deus os proteja, então, dos medíocres!...