Trabalho T.I Powerpoint
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Trabalho T.I Powerpoint

on

  • 5,476 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,476
Views on SlideShare
5,470
Embed Views
6

Actions

Likes
0
Downloads
29
Comments
0

1 Embed 6

http://www.slideshare.net 6

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Trabalho T.I Powerpoint Presentation Transcript

  • 1. - Michele e Renata -Tecnologia da Informação - Turma nº 127
  • 2. Conceitos básicos do EAD  Educação, Aprendizagem e Ensino   Há uma conexão conceitual entre educação e aprendizagem: não há educação sem que ocorra aprendizagem. (Ou, invertendo, se não houver aprendizagem, não haverá educação).  A aprendizagem, por seu lado, pode resultar de um processo quot;de fora para dentroquot; (como o ensino) ou de um processo gerado quot;de dentro para foraquot; (auto-aprendizagem, ou aprendizagem não decorrente do ensino). (Considero pacífico que aprendemos muitas coisas sem que alguém nos ensine).  Tanto o ensino como a aprendizagem são conceitos moralmente neutros. Podemos ensinar e aprender tanto coisas valiosas como coisas sem valor ou mesmo nocivas.  A educação, porém, não é um conceito moralmente neutro. Educar (alguém ou a si próprio) é, por definição, fazer algo que é considerado moralmente correto e valioso. Usamos outros conceitos para nos referir a processos de certo modo parecidos com a educação mas que não são moralmente aprovados, como, por exemplo, doutrinação.  A aprendizagem é um processo que ocorre dentro do indivíduo. Mesmo quando a aprendizagem é decorrente de um processo bem-sucedido de ensino, ela ocorre dentro do indivíduo, e o mesmo ensino que pode resultar em aprendizagem em algumas pessoas pode ser totalmente ineficaz em relação a outras.  Por causa disso, e do nexo conceitual entre educação e aprendizagem, tem havido autores que negam (contrariamente ao que afirma o senso comum) que possamos educar uma outra pessoa. Paulo Freire mesmo, em Pedagogia do Oprimido, afirma que quot;ninguém educa ninguémquot; – embora acrescente que ninguém se educa sozinho. Segundo essa visão, a educação, como a aprendizagem, de que ela depende, é um processo que ocorre dentro do indivíduo, e, que, portanto, só pode ser gerado pela própria pessoa.  Mesmo que admitamos, porém, que a educação possa ser decorrente do ensino, a aprendizagem continua sendo algo que se passa dentro da pessoa.
  • 3. O que é EAD?  A educação a distância é um recurso de grande importância como modo apropriado para atender a grandes contingentes de alunos de forma mais efetiva que outras modalidades e sem riscos de reduzir a qualidade dos serviços oferecidos em decorrência da ampliação da clientela atendida.  A escolha da modalidade da educação a distância, como meio de dotar as instituições educacionais de condições para atender às novas demandas por ensino e treinamento ágil e qualitativamente superior, tem por base a compreensão de que, a partir dos anos sessenta, a educação a distância começou a distinguir--se como uma modalidade não -convencional de educação, capaz de atender com grande perspectiva de eficiência, eficácia e qualidade aos anseios de universalização do ensino e, também, como meio apropriado à permanente atualização dos conhecimentos gerados de forma cada vez mais intensa pela ciência e cultura humana.
  • 4. Histórico da EAD  Muitos autores, a exemplo de João Roberto Moreira Alves (1998), datam o surgimento da EAD no mundo no século XV, quando Johannes Guttenberg inventou a imprensa na Alemanha, utilizando caracteres móveis para a composição de palavras. Até aquele momento, a produção de livros era realizada manualmente e era extremamente onerosa, dificultando o acesso ao universo do conhecimento. Em épocas mais recentes, temos citações de uma tentativa de estabelecer um curso por correspondência na Inglaterra, com direito a diploma, em 1880 (Niskier, 1999). Tal idéia foi rejeitada pelas autoridades locais e os autores da proposta foram para os Estados Unidos, encontrando espaço na Universidade de Chicago. Em 1882, surgiu o primeiro curso universitário de EAD naquela instituição, com material enviado pelo correio. Depois, em 1906, a Calvert School, em Baltimore, EUA, tornou-se a primeira escola primária a oferecer cursos por correspondência.
  • 5. EAD no mundo atual  Atualmente, muitas pessoas ainda não acreditam na completa eficácia da educação a distância restando-lhes dúvidas quanto a valorização daquele curso, entre outros.  Com isso percebemos quão propagadas ainda podem ser as características da educação a distância, pois gente bem informada ainda não sabe que os cursos em EAD podem ter certificados e diplomas emitidos, contando que atendam a critérios específicos, regidos por exemplo, a necessidade de realização de pelo menos uma prova presencial.  Assim, a credibilidade de cursos a distância tem aumentado exponencialmente, em conjunto com o uso da internet, onde se pensa em grupos de alunos fazendo atividades juntos, o que resulta em um ambiente de informações fluindo em mão-dupla, permitindo emergir, com isso, uma informação global por parte de cada aluno.
  • 6. EAD no Brasil  Entre os inúmeros desafios que o Brasil possui quando o tema é Educação, a expansão da Educação Universitária e a inclusão de jovens no Ensino Superior se configuram como dois dos mais importantes. Com um déficit histórico - na América latina, nosso país foi o último a criar uma universidade -, o número de estudantes, necessários para a consolidação de uma economia forte, está muito alem do necessário.  A EAD (Educação a Distância), no Brasil, está crescendo e fortalecendo o numero de profissionais qualificados.
  • 7. Número da EAD no Brasil e no mundo  Enquanto o Brasil têm apenas 10,9% dos jovens entre 18 e 24 anos matriculados em Instituições de Ensino Superior, nossa vizinha, a Argentina, apresenta uma porcentagem de 48%. Nos Estados Unidos, este índice é de 70%. Além disso, não fosse a Educação tão importante, países emergentes como a China não teriam apostado em uma reformulação da Educação Universitária para contar com massa crítica e mão-de-obra qualificada a fim de tornar sua nação mais competitiva no cenário internacional. E é neste caminho que o Brasil deve caminhar. A EAD vem aumentando significativamente no mundo inteiro.
  • 8. O aluno e o professor em EAD  A EAD via Internet pode ajudar a EAD em geral a superar uma de suas maiores barreiras, a da manutenção da motivação do estudante. Uma das maiores dificuldades da EAD convencional está no chamado quot;isolamentoquot; do estudante, que não conta com o apoio e o estímulo de um grupo de pessoas que estão nas mesmas condições que ele, aprendendo as mesmas coisas e ajudando-se mutuamente a vencer dificuldades neste aprendizado, em outras palavras, uma quot;turmaquot;. No caso da tele-educação isto vem sendo enfrentado através da organização de grupos locais de alunos reunidos em tele-salas, mas nem sempre é possível reunir um grupo que se encontre num mesmo lugar na mesma hora - condição cine quando para o funcionamento de uma tele-sala. No caso do ensino por correspondência, tenta-se vencer esta dificuldade através do trabalho de auxiliares, os chamados quot;tutoresquot;, que quot;vão atrásquot; do aluno quando este passa muito tempo sem dar notícias ou sem cumprir alguma tarefa, mas por mais atencioso que um tutor seja é muito difícil que um apenas consiga manter o estudante motivado por muito tempo.
  • 9. Como é o aluno em EAD  O aluno de um curso na modalidade Educação a Distância (EAD) logo no início precisa aprender a estudar com independência, também precisa adquirir a capacidade de aprender com pouca orientação. Na verdade, deve ser orientado na direção da independência auto didática pelos tutores que mediam as atividades acadêmicas. Portanto, esse aluno, ao menos no início do curso, precisa de boa dose de atenção por parte dos tutores, para juntos identificarem quais são suas deficiências, e com o auxílio desses tutores, resolvê-las durante o processo de aprendizagem. Essas orientações precisam levar o aluno a ‘aprender como aprender’, para alcançar gradativamente autonomia acadêmica em seus estudos.
  • 10. Características do bom aluno em EAD Características do bom aluno em EAD: Ter consciência de que ele é o construtor de seu conhecimento; estar motivado para aprender;ter responsabilidade; ter hábito de planejamento; ter visão de futuro; ser comprometido e auto- disciplinado.
  • 11. Papel do professor em EAD  Qual o papel do professor em EAD, salientando o que muda em relação a educação presencial. O papel do Tutor (como é chamado o professor na modalidade EAD) é pensar em novos modelos de educação à distância. Além disso, pensar também sobre os papéis dos principais sujeitos do processo de aprender e ensinar: alunos e professores. E por fim, o que muda em relação à educação presencial, é o seguinte: Enquanto na educação presencial, a aula é conduzida pelo professor; na EAD, a aula é acompanhada pelo tutor. Enquanto na educação o processo é centrado no professor; na EAD, o processo é centrado no aluno.
  • 12. EAD versus presencial ou EAD e presencial  O termo EAD quot;EDUCAÇÃO A DISTÂNCIAquot; é sem dúvida muito discutido principalmente, por aqueles que almejam iniciar um curso superior e, que ainda não tem segurança ou informação em optar por um curso desse tipo. Mas, você sabe realmente o que é, e como funciona esta modalidade de ensino? Segundo Moran (2002) quot;é o processo de ensino-aprendizagem, mediado por tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmentequot;. Atualmente, temos a educação presencial, que é aquela que já estamos acostumados, professores e alunos se encontram sempre numa sala de aula em tempo real. A semipresencial que ocorre parte em sala de aula e outra a distância, mediados pelas tecnologias e a distância. E, a última e não menos importante, a educação a distância que ocorre tanto nos momentos presenciais, com professores e alunos separados fisicamente, como também através das tecnologias de comunicação, como é o caso da internet e a transmissão via satélite.
  • 13. Diferenças da EAD em relação à educação presencial  De acordo com o que temos vindo a estudar, as diferenças entre educação presencial e educação a distância situam-se no fato de a educação presencial obrigar a um contato direto entre educador e educando em um local estabelecido, como exemplo, uma sala de aula. A partir desse encontro ocorre o processo de ensino aprendizagem. O professor é o mediador num processo partilhado de construção do conhecimento, organizando os conteúdos, as estratégias de ensino e o ambiente favorável à aprendizagem.
  • 14. O que é melhor: EAD, presencial ou um pouco de cada uma?  Enquanto é debatido se o ensino a distância é benéfico ou não, os benefícios gerados pelas novas ferramentas são ignorados. Enquanto isso a inovação tecnológica chega e se impõe rapidamente como realidade.   Tem muita gente com duvida em relação a EAD, e se perguntam: Será que eu faço minha faculdade à distancia, pagando menos, ou pago mais caro e faço presencial, da forma convencional. Será que eu vou arrumar emprego depois?  Ultimamente o MEC tem aprovado muitos cursos de nível superior a distância, os chamados EAD, e eles têm crescido como uma epidemia.  Os cursos EAD possuem muitas vantagens: o aluno pode ler seu material e fazer seus trabalhos na hora que quiser e no lugar que quiser, assim como as mensalidades são muito mais em conta, para as pessoas que não tem condições de pagar uma universidade particular com curso presencial, ou até mesmo pagar um cursinho para passar em uma universidade pública.
  • 15. E-learning  Guardadas as proporções, este é um desafio relativamente comum pra as empresas em um mercado globalizado, competitivo e em constante mutação: Agregar conhecimento aos funcionários d forma extremamente rápida, eficiente e de baixo custo. É ai que entra o e- learning, o uso da internet na propagação de conhecimento.
  • 16. O que é e-learning  Tecnicamente, o e-learning é o ensino realizado através de meios eletrônicos.é basicamente um sistema hospedado no servidor da empresa que vai transmitir, através da internet ou intranet, informações e instruções aos alunos visando agregar conhecimento especifico. O sistema pode substituir total ou parcial, o que é mais comum, o instrutor, na condução do processo de ensino. No e-learning, as etapas de ensino pré-incoprogramada, divididas em módulos e são utilizados diversos recursos como o e-mail, textos e imagens digitalizadas, sala de bate-papo, links para fontes externas de informações, vídeos e teleconferências, entre outras. O treinamento com o e-learning pode ser montada pela própria empresa ou por qualquer dos fornecedores desse tipo de solução já existentes no mercado.
  • 17. Como as empresas estão usando a EAD  Interromper o trabalho por algumas horas para se dedicar a aprender é uma prática que faz parte do cotidiano de muitos profissionais. Sem sair do lugar, eles fazem cursos que auxiliam no seu desenvolvimento profissional e pessoal. O professor é a tela do computador e o curso, em geral, é financiado pela própria empresa. Se há alguns anos isso não passava de fantasia, hoje, muitas empresas já estão investindo em programas de ensino à distância (EAD) baseados na Internet, os chamados Web Based Trainning. Segundo o instituto de pesquisas Internet Data Corporation (IDC), o mercado de software de educação à distância deve movimentar US$ 6,3 bilhões em todo o mundo até o final deste ano.
  • 18. Vantagens e desvantagens da EAD nas empresas  Foi a partir da década de 1960 – 1970, que a Arquivista passou a interessar-se pelos documentos não textuais, independentemente do seu suporte e natureza, sendo forçada a desenvolver normas e práticas para todos os tipos de suportes de informação.  Isto porque, foi igualmente durante estas décadas que as organizações começaram a usar os primeiros Sistemas Informáticos, dando origem a uma quantidade cada vez maior de informação.  Atualmente, uma grande parte da memória organizacional está registrada eletronicamente sobre suportes frágeis e cujo conteúdo é fácil de alterar ou apagar, sendo este o maior dos riscos das Aplicações Informáticas para a Gestão Documental.  Outra desvantagem associada a este tipo de Aplicações, passa pela constante necessidade na atualização dos sistemas de hardware o que exponencial os riscos de perda de dados e informação pela não migração de dados.  Quando bem estruturadas e, tal como os Sistemas tradicionais para a Gestão Documental, as Aplicações Informáticas, permitem um acesso mais rápido e eficaz aos documentos, bem como um melhor controle sobre os prazos de conservação para cada série documental ou tipologia documental, permitindo um melhor aproveitamento do tempo.
  • 19. A visão dos funcionários  Ensino à distância para treinar funcionários de uma empresa. Uma boa idéia, desde que não aplique métodos mais do que batidos do ensino presencial. Essa questão foi levantada durante o 3o Seminário Nacional de Educação Corporativa e à Distância, que ocorreu nos dias 20 e 21 de setembro na Câmara Americana de Comércio de São Paulo.  Organizado pelo Ibap – Educação Empresarial, o evento apresentou experiências em e-learning no treinamento corporativo de companhias como Xerox, Embratel, Siemens e Carrefour. Também participaram consultores na área.  Grandes empresas apresentaram seus cases na área: o Centro Avançado de Educação Permanente, da Embratel, a Universidade Livre Inepar, o Instituto de Formação Carrefour, o Management Learning, da Siemens, o Centro de Tecnologia Educacional Xerox, o GVnet (Centro FGV-Petrobras de Educação à Distância) e a Universidade Telemar.
  • 20. A visão do dono da empresa  Antes um mercado cativo das instituições públicas e de investidores brasileiros, a educação superior começou a atrair estrangeiros. Um dos maiores grupos internacionais de ensino, o americano Laureate, fechou recentemente um inédito negócio no Brasil. O Laureate já tem vinte universidades espalhadas por Ásia, Europa e países da América Latina, como o Peru e o Chile. Agora, ele passou a ter o controle da Universidade Anhembi Morumbi, uma instituição de 25.000 alunos, em São Paulo. É a primeira vez que um grupo estrangeiro tem o comando sobre a administração e a vida acadêmica de uma universidade brasileira. O negócio chama atenção pelas cifras (o Laureate desembolsou 160 milhões de reais) e pelo fato de expor o Brasil ao competitivo mundo das universidades americanas e européias. Um efeito positivo imediatamente discernível com a chegada desses grupos é o aumento da qualidade trazida pelo acirramento da competição entre as escolas.
  • 21. Conclusão  Reconhecendo as inúmeras vantagens da educação a distância, continuo preocupado com os modelos da maioria dos cursos focados, tanto a distância como presenciais, mais no conteúdo do que na pesquisa; na leitura pronta mais do que na investigação e em projetos. O ensino superior, tanto no presencial como no a distância, reproduz, ainda, um modelo inadequado para a sociedade da informação e do conhecimento, onde nos encontramos.  Com as tecnologias cada vez mais rápidas e integradas, o conceito de presença e distância se altera profundamente e as formas de ensinar e aprender também. Estamos caminhando para uma aproximação sem precedentes entre os cursos presenciais (cada vez mais semi- presenciais) e os a distância. Os presenciais começam a ter disciplinas parcialmente a distância e outras totalmente a distância. E os mesmos professores que estão no presencial-virtual começam a atuar também na educação a distância. Teremos inúmeras possibilidades de aprendizagem que combinarão o melhor do presencial (quando possível) com as facilidades do virtual.