Your SlideShare is downloading. ×
0
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Apresentação   yiolanda
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação yiolanda

726

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
726
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB.DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS – DCH, CAMPUS IV- JACOBINA.COLEGIADO DE GEOGRAFIA.ESTAGIARIAS: JAMILLE PEZZARO E YIOLANDA FAGUNDES Visão panorâmica de Jacobina Bahia Fonte: Arcevo pessoal , 2011
  • 2. AS ESTRUTURAS E AS FORMAS DO RELEVO.1. DE QUE FORMA ESSES CONHECIMENTOS IRÃOCONTRIBUIR NA SUA VIDA SOCIAL?2. COMO O RELEVO INFLUÊNCIA NO SEU DIA-A-DIA?3. SOBRE AS ESTRUTURAS E AS FORMAS DO RELEVO,EM QUE SE APLICAM ESSES CONHECIMENTOS?
  • 3. O RELEVO INFLUÊNCIA ...NA ORGANIZAÇÃO INTERNA DA CIDADE Fonte: Google Earth, 2012
  • 4. Fonte: RAMOS ,s/d
  • 5. Fonte: RAMOS ,s/d
  • 6. O RELEVO INFLUÊNCIA ... ATIVIDADE AGRÍCOLA Fonte: Google imagens
  • 7. O RELEVO INFLUÊNCIA ...NO SISTEMA DE TRANSPORTE Fonte: Google imagens
  • 8. O RELEVO INFLUÊNCIA ...SISTEMAS DE ENERGIA Fonte: Google imagens
  • 9. Obversando a imagem, todas as formas de uso e ocupação do solo estão favoráveis com as características do relevo? Fonte: Google imagens
  • 10. Fonte: VESENTINI, 2011
  • 11. As formas do relevo influenciam na identidade cultural? Seio de Minas Paula Fernandes De cantar melodias de Eu nasci no celeiro da Minas arte No Brasil inteiro No berço mineiro Sou das Minas de ouro Sou do campo da serra Das montanhas Gerais Onde impera o minério Eu sou filha dos montes de ferro Das estradas reais Eu carrego comigo no Meu caminho primeiro sangue Vi brotar dessa fonte Um dom verdadeiro Sou do seio de Minas Nesse estado um diamante.
  • 12. PARA ANALISAR 1.(Pucmg/sd) Para cada tipo de ocupação do solo se perde uma quantidade de solo como nos mostram os três primeiros desenhos Visando combater a erosão, complete o desenho IV acima, escolhendo, para cada área delimitada, o cultivo mais adequado da maior para a menor inclinação do terreno. A seguir, assinale a opção CORRETA encontrada: a) III, II, I b) III, I, II c) I, III, II d) I, II, III e) II, III, IAdaptado de http://www.professor.bio.br/geografia/provas_vestibular.asp?origem=Pucmg. .Acessado em 30 de jun de 2012
  • 13. 2. (UFGO/2001) Adaptado de: <www.vestibular.ufg.br_estatisticas_2001_1 etapa_dia2_geografia12> .acessado em 20 de jun de 2012
  • 14. As fisionomias das paisagens do relevo• O relevo da superfície terrestres apresenta elevações e depressões de diferentes formas e altitudes.• O relevo é constituído por rochas e solos diversos de diferentes origens e vários processos o modificam ao longo do tempo• As diferentes forma do relevo resultam da ação dos agentes internos e externos sobre determinada estrutura geológica durante determinado tempo geológico
  • 15. QUAIS SÃO OS AGENTES INTERNOS E EXTERNOS?
  • 16. Fonte: RAMOS ,s/d
  • 17. Adaptado de : SAMPAIO, 2010
  • 18. Os principais processos de modelagem do relevo Fonte: Google imagens
  • 19. O que são estruturas e formas de relevo?1. Quais são as estruturas geológicas que compõem o relevo? Escudos cristalinos Dobramentos modernos Bacias sedimentares2. E o relevo do Brasil é constituído por quais estruturas geológicas?Escudos cristalinos Bacias sedimentares
  • 20. Escudos cristalinos (dobramentos maciços ou antigo)• escudo, ou escudo cristalino, em geologia, é uma grande área de rochas ígneas e metamórficas de alta temperatura do Pré –Cambriano e Proterozoica que se encontram expostas, formando zonas tectonicamente estáveis, resistentes, porém bastante desgastadas• Em todos os escudos a idade das rochas é superior a 570 milhões de anos chegando mesmo aos 3 bilhões e meio de anos. São das primeiras formações rochosas terrestres.• Estes escudos favorecem a formação de relevos planálticos e ricos em ferro, alumínios, ouro, cobre, manganês etc.
  • 21. • DOBRAMENTOS MODERNOS São os mais recentes; São mais flexíveis e maleáveis; Situa nas zonas tectônicas (convergentes); Devido as pressão dobram formando as montanhas; Era Cenozoica.
  • 22. • BACIA SEDIMENTARES São resultado da acumulação de sedimentos provocados por desgastes das rochas e organismos vegetais ou animais Nesta estrutura que se forma importantes recursos minerais energéticos: petróleo e carvão minerais. Origina relevo nas formações de planícies e os planaltos sedimentares. Era Paleozoica, Mesozoica e Cenozoica.•
  • 23. Fonte: RAMOS, S/D
  • 24. Fonte: RAMOS, S/D
  • 25. Fonte: Google imagens
  • 26. Fonte: RAMOS, S/D
  • 27. ATREVA – SE 3. ( 33. UNEMAT- Geografia 2010.1) Segundo Ross (1995), o relevo brasileiro apresenta grande variedade morfológica, e corrente, principalmente, da ação de agentes externos, sobre os agentes internos. Os agentes externos que mais participam da formação do relevo são: a. Abalos sísmicos e vulcões. b. As erupções vulcânicas do passado e os raios solares. c. A erosão e umidade. d. O clima (temperatura, ventos, chuvas) e os rios e. As intempéries e a ação antrópicaAdaptada de: http://pt.scribd.com/doc/33775598/Lista-de-exercicios-de-Geografia-UNEMAT-2006-a-2010 > Acessado em 07 jul de 2012
  • 28. QUAIS SÃO ASCLASSIFICAÇÕES DORELEVO BRASILEIRO
  • 29. Fonte: RAMOS, S/D
  • 30. Quais são as classificações do relevo brasileiro?Fonte: RAMOS, S/D
  • 31. UNIDADE DE RELEVO, SEGUNDO JURANDYR ROSS (1990). Fonte: Google imagens Adaptado por Melo, 2010
  • 32. Afinal, quais são as diferencias entre...• PLANALTOS – São formas de relevo elevadas, com altitudes superiores a 300 metros. Podem ser encontradas em qualquer tipo de estrutura geológica. Nas bacias sedimentares, os planaltos se caracterizam pela formação de escarpas em áreas de fronteira com as depressões. Formam também as chapadas, extensas superfícies planas de grande altitude. Com 3.014 metros, o pico da Neblina é o ponto mais alto do relevo brasileiro. • DEPRESSÕES – São áreas rebaixadas em consequência da erosão, que se formam entre as bacias sedimentares e os escudos cristalinos. Algumas das depressões localizadas às margens de bacias sedimentares são chamadas depressões marginais ou periféricas. Elas estão presentes em grande número no território brasileiro e são de variados tipos, como a depressão da Amazônia Ocidental (terrenos em torno de 200 metros de altitude). • PLANÍCIES – São unidades de relevo geologicamente muito recentes. É uma superfície extremamente plana, sua formação ocorre em virtude da sucessiva depressão de material de origem marinha, lacustre ou fluvial em áreas planas. Normalmente, estão localizadas próximas do litoral ou dos cursos dos grandes rios e lagoas, como, por exemplo, as planícies da lagoa dos Patos e da lagoa Mirim, no litoral do Rio Grande do Sul. FRANCISCO, s/d (.Brasilescola.) Disponível em:< http://www.brasilescola.com/brasil/relevo-brasileiro.htm >. acessado em 20 de jul de 2012 :
  • 33. Fonte: Google imagens
  • 34. 4. Observe a figura abaixo e trace um perfil topográfico do relevo brasileiro, com um corte no sentido de A a B de cada ponto. A A B A BAdaptada de : <http://marcosbau.com.br/geobrasil-2/relevo-brasileiro/>. Acessado em: 14 de jun de 2012.
  • 35. FONTE: RAMOS, S/D
  • 36. ATREVA – SE 5. (UFAL) No mapa a seguir, a seta está indicando um importante compartimento regional de relevo do Brasil. Nesse compartimento, dominam : a) amplos dobramentos. b) serras cristalinas. c) chapadas. d) escarpas de falhas cristalinas. e) maciços residuais.Adaptada de: http://www.geografiaparatodos.com.br/index.php?pag=capitulo_6_relevo_e_solo_formacao_e_classificacao >. Acesso em 7 de jul de 2012
  • 37. 6. (FGV, 2006) As áreas assinaladas no mapa por X-Y-Z correspondem, respectivamente, as seguintes unidades do relevo brasileiro: A) Depressões Marginais Amazônicas / Depressão Sertaneja e do São Francisco / Depressão Periférica Sul-Rio-grandense. B) Planaltos Residuais Norte-Amazônicos / Depressão Sertaneja e do São Francisco / Chapadas da Bacia do Paraná. C) Depressões Marginais Amazônicas / Planaltos e Chapadas da Bacia do Parnaíba / Chapadas da Bacia do Paraná. D) Planaltos Residuais Norte-Amazônicos / Planalto da Borborema / Depressão Periférica Sul-Rio-grandense. E) Planaltos Residuais Norte-Amazônicos / Planaltos e Chapadas da Bacia do Parnaíba / Planaltos e Chapadas da Bacia do ParanáDisponível em : http://www.geografiaparatodos.com.br/index.php?pag=capitulo_6_relevo_e_solo_formacao_e_classificacao >. Acesso em 7 de jul de 2012
  • 38. Fonte: Google imagens
  • 39. • DOMÍNIO AMAZÔNICO Região norte do Brasil, com terras baixas e grande processo de sedimentação; Clima e floresta equatorial;Fonte: Google imagens
  • 40. • DOMÍNIO DO CERRADO Região central do Brasil, como diz oFonte: Google imagens nome, vegetação tipo cerrado e inúmeros chapadões
  • 41. Fonte: Google imagens • DOMINIO DA CAATINGA • Região nordestina do Brasil (polígono das secas), de formações cristalinas,área depressiva intermontanhas e de clima semiárido; Fonte: Google imagens
  • 42. • DOMÍNIO DOS MARES E MORROS Região leste (litoral brasileiro), onde se encontra a floresta Atlântica que possui clima diversificado. Fonte: Google imagens
  • 43. • DOMÍNIO DAFonte: Google imagens ARAUCÁRIA Região sul do Brasil, área do habitat do pinheiro brasileiro (araucária), região de planalto e de clima subtropical.Fonte: Google imagens
  • 44. • DOMÍNIO DAS PRADARIAS • Região do sudeste gaúcho, local de coxilhas subtropicais.Fonte: Google imagens
  • 45. FAIXAS DE TRANSIÇÃOEncontrados entre os vários domíniosmorfoclimáticos brasileiros, as faixas detransições, são: as Zonas dos Cocais, a ZonaCosteira, o Agreste, o Meio-Norte, as Pradarias, oPantanal e as Dunas. Espalhadas por todo oterritório nacional, constituem importantes áreasambientais e econômicas.
  • 46. 7. (UFSCAR 2005) Considerando os domínios morfoclimáticos e fitogeográficos do Brasil, assinale a alternativa que indica a sequência correta dos domínios interceptados pela linha, no sentido S-N. • (A) Domínio das araucárias; domínio tropical atlântico; domínio dos cerrados; domínio equatorial amazônico. • (B) Domínio dos campos; domínio das araucárias; domínio dos cerrados; domínio equatorial amazônico. • (C) Domínio dos campos; domínio tropical atlântico; domínio pantaneiro; domínio amazônico. • (D) Domínio das araucárias; domínio do Araguaia- Tocantins; domínio do cerrado; domínio equatorial amazônico. • (E) Domínio dos campos; domínio dos pinhais; domínio do cerrado; domínio das florestas latifoliadas.Adaptado de: < http://www.professor.bio.br/geografia/provas_vestibular_detalhe.asp?universidade=Ufscar-2005> . Acessado em 20 de juj de 2012
  • 47. BIOMAS BRASILEIROSBioma é conceituado no mapa como um conjunto devida (vegetal e animal) constituído peloagrupamento de vários tipos de vegetaçãocontíguos e identificáveis em escala regional, comcondições geoclimáticas similares e históriacompartilhada de mudanças, o que resulta em umadiversidade biológica própria.
  • 48. • Biomas :• Amazônia• Caatinga• Cerrado• Mata Atlântica• Pampa• Pantanal Fonte: Google imagens
  • 49. GABARITO DAS QUESTÕES1= D 4=2 = 1-V, 2-F, 3-V, 4-V3=D5=C6=E7=A
  • 50. Referências• BRANCO, Anselmo Lazaro; MENDONÇA, Claudio; LUCCI, Elian Alabi. Geografia para todos; ensino médio. Disponível em: http://www.geografiaparatodos.com.br/index.php?pag=capitulo_6_relevo_e_solo_formacao_e_classificacao >. Acesso em 19 de jun de 2012.• BRANDÃO, Marcos Bau. Geobau: Caracteres sobre geografia e a fins. Disponível em: <http://marcosbau.com.br/geobrasil-2/relevo-brasileiro/>. Acessado em: 14 de jun de 2012.• FRANCISCO, Wagner de Cerqueira e. Relevo do Brasil, Brasil Escola Disponível em: < http://www.brasilescola.com/brasil/relevo-brasileiro.htm> . Acessado em 10 de jun de 2012• LUCCI, Elian Alabi; BRANCO, Anselmo Lazaro; MENDONÇA, Claudio.Território e sociedade globalizada: geografia: ensino médio, volume 1. São Paulo1.ed; Saraiva, 2010.• RAMOS, Cristina, Relevo e Geologia do Brasil: Resumo de aula. Disponível em: < http://www.slideshare.net/cristinaramos/relevo-e-geologia-do-brasil >. Acesso em 30 de jun de 2012• SAMPAIO, Fernando dos Santos; SUCENA, Ivone Silveira. Geografia 1º ano ensino médio. Ed; SM. São Paulo, 2010• SCRIBD, Lista de exercícios UNEMAT-Geografia (anos2006 a 2010) disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/33775598/Lista-de-exercicios-de-Geografia-UNEMAT-2006-a-2010• >. Acessado em: 14 de jun de 2012• SENE, Eustáquio de. MOREIRA, João Carlos. Geografia geral do Brasil: espaço geográfico e globalizado: ensino médio, volume 1. São Paulo: 1.ed; Scipione, 2010.• VESENTINI, J. William. Geografia : o mundo em transição; ensino médio, São Paulo: Ática, 2010

×