Pop projeto oficina de pintura

  • 3,004 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,004
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
32
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ProjectoOficina de Pintura,Manualidades, Artes eGrafismos para asOficinas de S. José2010 - 2011
  • 2. Indice Introdução Conceito e Identidade Visual Conteúdos Pedagógicos e Programáticos Cursos disponíveis e Plano Anual de Actividades Classes e Perfil dos Alunos Parceiros Parcerias a estabelecer Estratégias de Comunicação e Divulgação Produtos esperados Responsabilidade Social01
  • 3. O Projecto Oficina de Pintura tem linha, trama, mancha, articulados nas como missão, estruturante e grandes categorias temáticas das fundamental, o desenvolvimento Artes Visuais - Abstracção, Retrato, emocional e intelectual através da Composição Histórica, Natureza criatividade, com aquisição e Morta – com uma incursão na desenvolvimento de competências / ilustração e novas tecnologias de saberes nos domínios do desenho e tratamento de imagem. da pintura, nas suas diversas Destina-se a Alunos do 1º, 2º e 3º abordagens técnicas, tecnológicas e Ciclos do Ensino Básico, com uma estilísticas. resposta educativa fortemente Aborda curricularmente as tradições direccionada para a expressão da aguarela, do óleo, do acrílico, do plástica, emoção e fruição artística, carvão, do pastel e da grafite, em a Alunos com Necessidades suportes como o papel, tecido ou Educativas Especiais, numa tela. abordagem de Ensino Especial Neste percurso de ensino técnico e orientada para a terapia e tecnológico são ainda leccionados desenvolvimento, e a Alunos externos conceitos como a cor, modelagem em contexto universitário ou outro claro-escuro, modelagem cromática, numa abordagem de Academia.01
  • 4. instrumento de criação – “ O que transforma o mundo é o competências necessárias num conhecimento (…) só o mundo em transformação em que a conhecimento é capaz de mudar o criatividade, empreendedorismo e mundo, deixando-o ao mesmo tempo inovação são instrumentos como ele é. Quando olhamos para o indispensáveis para o sucesso e mundo com conhecimento, sustentabilidade das actividades concluímos que as coisas são profissionais, empreendedoras, imutáveis e, contudo, em perpétua institucionais e empresariais. transformação. (…) do casamento O Plano Anual para esta actividade entre o belo e o conhecimento nasce artística extra-curricular algo (…) a que as pessoas chamam fundamentar-se-á segundo a Arte” categorização postulada por Elliot W. Yukio Mishima em “O Templo Dourado” Eisner (explicada na sua obra “Educating Artistic Vision”) em O POP – Projecto Oficina de Pintura - primeiro lugar nesta abordagem têm justamente este fim. “essencialista” da Arte, como O de reunir a procura de contributo à experiência, conhecimento com a capacidade de conhecimento humano e até o sentir, fruir e de o utilizar como capacidade para a fruir e01
  • 5. compreender, nas suas Balizadas por este conceito global características únicas e especiais. serão assim exercitadas, de forma Por outro lado, e seguindo esta dinâmica e concertada, mesma categorização, neste Plano é competências e saberes nas também valorizada uma visão seguintes técnicas: “contextualista”, mais orientada para 1. Aguarela os efeitos instrumentais da Arte, 2. Carvão sobretudo com uso das técnicas da 3. Pastéis Secos e Pastéis de Pintura, como a resolução de Óleo necessidades concretas, a saber, a 4. Grafite ilustração de trabalhos, ideias, 5. Óleo pensamentos, aplicação a formatos e 6. Acrílicos projectos de design, produtos, 7. Têmperas actividades do Colégio, participações A aprendizagem destas técnicas e junto à Comunidade ao nível da tecnologias será feita de acordo com postura cívica, responsabilidade as seguintes abordagens social e eco-sustentabilidade. vocacionais: a) Banda Desenhada A utilização do nome “Oficina”, que b) Ilustração no fundo repete e enfatiza as origens c) Desenho sobre papel das Oficinas de S. José, enuncia esta d) Pintura sobre tela e outros abordagem holística em que é dado materiais um particular enfoque ao tema deste e) Design gráfico ano lectivo – Ser Dom – e em que são … e nas seguintes categorias tidos em conta o calendário global temáticas: das actividades das OSJ, as f) Retratística actividades da Solidariedade g) Abstracção Salesiana – Sol Sal – e as h) Composição Histórica necessidades da Comunidade Local i) Natureza Morta em que o Colégio está inserido. j) Figuração k) Paisagem01
  • 6. O Sinal Marca escolhido para o POP – resistência, até que a pressão no interior Projecto Oficina de Pintura, das Oficinas atinge um valor 9 vezes superior à de S. José, Salesianos de Lisboa, evoca pressão atmosférica, aflorando de forma precisamente o som, a fonética obtida quase explosiva… dando a impressão de quando é pronunciada a sigla. que o milho se transmuta POP reenvia-nos para a Arte, para o espectacularmente naquela forma linda e apogeu do Modernismo, tão importante deliciosa. para a consolidação do papel da Arte na Uma Arte que nos faz florir, de forma vida e identidade das Sociedades. sublime e plena de enegia para o, para o POP é também o som obtido quando se Mundo exterior . abre um frasco hermeticamente fechado. As nossas actividades extracurriculares Até as Pipocas (“Popcorn”) fazem, POP, são um pouco a súmula destas duas quando a água e o amido se abordagens: por um lado a de um transformam numa massa espírito modernista e informado, e por superaquecida que vai empurrando a outro uma arte jovem, deliciosa, capaz camada exterior do grão de milho, de ensinar, estruturar e dar prazer. chamada de pericarpo, ao limite da sua01
  • 7. 01
  • 8. Ficha de Inscrição Nº Nome Ano Turma Ano Segunda Terça Quarta X Quinta Sexta 1º ciclo 2º ciclo Pintura 3º ciclo Secundário Academia 1º ciclo 2º ciclo Desenho 3º ciclo Secundário Academia 1º ciclo Banda 2º ciclo Desenhada 3º ciclo Secundário 1º ciclo 2º ciclo Ilustração 3º ciclo Secundário Academia Inscrições a partir de 15 de Setembro / Início das Actividades a 04 de Outubro Estoril, / / 20 O Encarregado de Educação01
  • 9. 01
  • 10. A aguarela é fabricada a partir de se deposita a tinta (lavis). pigmentos moídos em pó, misturados É ainda possível trabalhar com materiais com goma arábica. Em tempos também que isolem previamente zonas do papel, se misturaram com outros aditivos, como como por exemplo pastéis de óleo ou glicerina, mel e outras substâncias com borracha líquida seguindo-se esta fim a aumentar a transparência e utilização da aplicação da aguarela. retardar a secagem. A aguarela Os papéis de aguarela são encorpados, caracteriza-se pela transparência das texturados e/ou granulados e existem à suas cores. As tintas existem à venda em venda numa grande variedade de estado sólido (pastilhas), pastoso (tubos) características e gramagens. De extrema e líquido (frascos). Em qualquer dos importância é a escolha correcta dos casos é utilizada a água como solvente, pincéis a utilizar, que também existem sendo a dissolução o método para se em grande variedade, quer em qualidade obter o tom pretendido. quer em formato e características do Numa lógica metodológica, inicia-se o pelo. Os bons pincéis, bem como as boas trabalho de aguarela com a aplicação cores são geralmente mais onerosos... primeiro das cores claras e depois das Os melhores são os de pelo de cauda de escuras. Usam-se basicamente duas marta vermelha ou um seu substituto técnicas que se definem pelas seguintes sintético, prerrogativas: Embora a aguarela seja -sobreposição de camadas de tinta sobre fundamentalmente uma técnica de papel seco, deixando secar cada pintura é também usada para desenhar e camada que se aplica antes de pôr a ilustrar ou trabalhar em conjunto com seguinte, obtendo sucessivamente tons materiais variados nas artes plásticas e mais escuros. gráficas. - aplicação da aguarela sobre papel A aguarela é uma técnica de que exige previamente humedecido (com uma uma aprendizagem demorada, reiterada, esponja, por exemplo), permitindo a livre por forma a conseguir resultados de expansão desta na superfície do papel e qualidade. mistura das cores no momento em que01
  • 11. A grafite foi descoberta na Baviera por volta de envolvidas em plástico para desenhos que exigem 1400, não lhe tendo sido dado na época o valor um grande depósito de grafite. que já guardava em potencial. Existem também em muitas durezas, desde extra- A história do lápis remonta a 1564, quando se duras a extra-macias. As mais duras permitem descobriu em Inglaterra um filão de grafite pura. A traços finos cinzento pálido, as mais macias coroa inglesa mandou então abrir minas com o fim produzem traços mais grossos e mais negros, pois de obter grafite como material de desenho. Estas depositam mais grafite no papel. Existem assim minas forneceram grafite a toda a Europa, até se um número definido de maciezad e durezas neste esgotarem as suas reservas no séc. XIX. material, obedecendo a sua classificação à O mineral era misturado com gomas, resinas e seguinte escala de grafites: colas. Esta mistura era então colocada numa 8H, 7H, 6H, 5H, 4H, 3H, 2H, H, HB, F, B, 2B, 3B, ranhura de um pedaço de madeira geralmente de 4B, 5B, 6B, 7B, 8B, 9B cedro e atado com um cordel. À medida que se ia Por "H" entende-se "Hard" - uma mina dura. gastando a grafite, o cordel era desenrolado e Por "B" entende-se "Brand" ou "Black" - uma mina repunha-se a mina no extremo. macia ou preta. Em 1761, na Alemanha, Faber criou uma pequena Por "HB" entende-se "Hard/Brand"- uma mina de oficina de fabrico de lápis. Misturava duas partes dureza média de grafite com uma de enxofre. Napoleão, no séc. Associados ao uso da grafite estão sempre os XVIII, encomendou a Conté a exploração de afiadores ou canivetes para afiar, as borrachas processos de fabricar lápis para substituir os mais ou menos macias e os porta-minas. importados. Apareceu então uma nova espécie de A grafite pode ser usada praticamente em todas lápis que consistia na mistura de terra (argilas), as superfícies, excepto nas plastificadas, onde grafite e água, que eram solidificados por adere mal. Quase todos os tipos de papel - lisos, cozedura e colocados em ranhuras de madeira. texturados, rugosos - são também um suporte Este foi o antecessor do lápis que conhecemos. adequado. Papéis como o "Ingres" ou "Canson" No passado usaram-se certos materiais na são óptimos suportes para trabalhos em valores confecção das minas como ceras, goma-laca, de cinzento e "degradés". O tipo de papel que se resinas, negro de fumo, etc. Actualmente algumas usa é importantíssimo pois determina a forma das melhores minas fazem-se misturando grafites como a grafite se vai comportar. Papéis coloridos de grande qualidade com polímeros especiais. são também frequentemente usados para Encontramos no mercado uma enorme variedade trabalhos de desenho a grafite, geralmente com de qualidades de grafite. Envolvida em madeira aplicação de destaques com riscadores ou (lápis), em minas simples de várias espessuras aplicações de tinta branca noutros tons mais para porta minas, desde as mais vulgares 0,5mm, claros que a cor do suporte 0,7 mm, 1,2 mm, até às mais grossas apenas01
  • 12. O carvão é um material clássico no desenho, talvez o grossuras de cerca de 0,6 cm. Partem-se menos durante mais antigo. Usa-se para esboços ou para desenhos o trabalho, pois são mais resistentes. Em contrapartida definitivos, de acordo com o suporte e a intenção. Já os também são mais difíceis de remover com a borracha. homens primitivos usavam galhos queimados para Lápis de carvão - com carvão moído e aglutinado com desenhar. um ligante fazem-se minas que se envolvem em madeira No Renascimento foi usado profusamente para fazer ou papel enrolado. São mais limpos mas têm a estudos preliminares em paredes para "frescos". característica por vezes negativa de só se poder usar a Actualmente é correntemente usado em aulas de artes ponta, não se conseguindo facilmente obter traços ou visuais e em escolas e academias de arte, pois manchas mais grossas como nas outras modalidades. proporciona gradações muito expressivas. Nas aulas de Existem numa escala que vai de 6B, passando por HB, desenho e figura humana é um dos materiais mais até aos duros (8H). usados pelas suas óptimas características de riscador, O carvão usa-se no desenho de linhas ou no trabalho de que se deposita suavemente no papel ao sabor dos valores de claro escuro. Trabalha-se com muita gestos e que é possível apagar com miolo de pão, facilidade sobre grandes superfícies, pois é macio e borrachas apropriadas (por ex: PVC) ou mesmo com um marca com facilidade. pano macio, sem esquecer naturalmente a modelação Usa-se também no esboço da pintura a óleo, acrílico ou táctil tão apetecível neste material. na pintura de cenários, murais, etc., pois desprende-se O carvão pode ser obtido a partir de ramos de salgueiro com facilidade, se o desejarmos deixando apenas ou videira carbonizados (dentro de um recipiente suaves traços ou manchas que servem de guias no fechado). Obtêm-se diversas durezas de carvão trabalho. conforme o tempo de carbonização. O carvão pode A dureza do carvão deve ser escolhida em função do ainda encontrar-se à venda no mercado, em variadas tipo de trabalho. Para trabalhos mais lineares, mais durezas quer sob a forma de pequenos galhos pequenos ou com mais detalhe os mais duros. Para carbonizados com o aspecto original, quer com formas trabalhos com traços mais grossos, ou para obter regulares de paralelepípedo, cilindro e ainda envolvido manchas negras e maiores mais facilmente devem usar- por madeira. se os mais macios e em barras. A escolha do papel é fundamental para o aspecto final A borracha ou miolo de pão pode também servir para do trabalho uma vez que o carvão comporta-se segundo aclarar zonas que se querem mais luminosas ou mais a textura do papel, tendo o suporte um efeito vazias. Alguns desenhadores diluem por aguada zonas consirerável sobre a expressão obtida. É importante de trabalho a carvão, obtendo o espalhamento suave também que o papel seja suficientemente resistente deste. Por vezes deixam secar e tornam a desenhar por para suportar a abordagem expressiva e o uso cima, avivando certos traços ou manchas. associado da borracha “miolo de pão” utilizada para O esfuminho é outro material associado ao carvão. Um modelar o claro, dentro do escuro que cdefine o carvão. papel tipo "mata-borrão" é enrolado sobre si próprio, Carvão em pau - apresenta-se com a forma original dos formando um "lápis de papel" que serve para esfregar o galhos. Os mais suaves são galhos de vinha. Carvão em desenho a carvão, atenuando traços e manchas, fazendo barra regular - pode ser cilíndrico ou paralelipipédico. o espalhamento do pó ou obtendo zonas de cinzas mais Existe em várias grossuras e durezas. Têm mais ou homogéneas. menos 18 cm de comprimento, tendo os mais grossos O trabalho de carvão é muito frágil. No final dos cerca de 1 cm de diâmetro. Carvão comprimido - são trabalhos o desenho exige fixação, com a utilização de blocos de carvão obtidos pela redução a pó de madeira um spray próprio, ou com uma solução vaporizada de carbonizada misturada com ligante e comprimidos em álcool e goma laca. forma de barra. Têm dimensões ente 9 e 12 cm e01
  • 13. Elaborada nos Estados Unidos nos anos 20, a tinta se num líquido plástico esbranquiçado que, uma acrílica era um produto criado para uso industrial vez seco, se torna perfeitamente claro. Por isso, a e, até finais dos anos 50 e princípios dos 60, tinta acrílica tende a escurecer ao secar. apenas se utilizou nesse terreno. Foi introduzida - O solvente do acrílico é a água. Enquanto a tinta na Europa na década de 60. está ainda, é possível dissolver-se ou tirar-se com É muito possível que os primeiros pintores que água mas, quando seca, é possivelmente o tipo de utilizaram tintas acrílicas estivessem filiados no tinta mais difícil de eliminar. movimento denominado "POP ART" e foi possivelmente aí que adquiriu a sua reputação de - Podemos decidir usar tinta acrílica por vários meio pictórico de colorido brilhante. Ao mesmo motivos: tempo, os pintores abstractos americanos . pode ser utilizada com a maioria das também faziam experiências com tintas acrílicas, técnicas de qualquer tipo de tinta possivelmente pela rapidez com que secavam, até . possui pouco cheiro, ao contrário do porque a sua arte era definida por este toque de forte odor do óleo e da terebintina por exemplo espontaneidade e de instantâneo. . quando seca, processo que ocorre rapidamente, permite continuar com o processo A tinta acrílica veio simplificar radicalmente de execução com maior agilidade muitos dos problemas técnicos e inconvenientes . é mais fácil a correcção de erros, associados a outros métodos utilizados para através da sua cobertura com uma camada de pintar e, no caso do pintor mais capacitado, o tinta branca ou de estuque acrílico, e subsequente acrílico coloca em perspectiva novos horizontes e retoque. desafios em aspectos como a arte final e tempo . é um “média” excelente para aulas de dispendido na execução de cada obra. pintura, já que o seu transporte e armazenamento Existem ainda alguns benefícios globais é muito mais fácil. associados a este material que o tornam Por exemplo, enquanto o Aluno limpa os pincéis e vantajoso em relação a outros congéneres: guarda os tubos de tinta, o quadro está seco e - Os fabricantes de tintas acrílicas utilizam os pronto a ser transportado ou armazenado com mesmos pigmentos (cores) que outros fabricantes segurança de tintas. Em geral, são minerais derivados da . a tinta acrílica conserva indefinidamente terra ou produtos químicos. o seu colorido, sem amarelecer ou desvanecer - As tintas, só se diferenciam nos seus fixadores, com o tempo isto é, na substância ou aglutinante que faz com . pode ser utilizado sobre qualquer que se mantenham unidos os pigmentos superfície não gordurosa utilizados. No caso da tinta acrílica o fixador é um . os materiais utilizados podem ser plástico criado pelo homem. O pigmento dispersa- facilmente limpos com água01
  • 14. O óleo é essencialmente uma massa espessa, A linhaça acrescenta brilho à tinta enquanto untuosa e ao mesmo tempo resistente, bastante que a terbentina tende a torná-la opaca. A elástica segundo as necessidades com a mistura com este óleo atribui ao autor a possibilidade de conservação da sua vantagem de um maior tempo de intervenção maleabilidade, ou ao contrario, aceleração do sobre a modelagem cromática, permitindo seu amadurecimento pela adição de uma assim uma evolução mais controlada e substancia secativa. A sua invenção é atribuída ponderada de aspectos como o claro escuro ou aos irmão Van Eyck, pintores flamengos, no ano a gradação cromática. de 1410. Geralmente a pintura a óleo é feita sobre uma A pintura a óleo enquanto técnica é sobretudo tela sustentada sobre um cavalete. conhecida pela sua versatilidade. É através A ergonomia e flexibilidade permitida pelo uso deste material que se consuma plenamente a do cavalete, associado à utilização da tela ou utilização de quase todos e materiais e outro suporte rígido, facilita o processo criativo recursos associados à pintura: pincéis, (aproveitamento da luz e da cor), melhora a espátulas, telas, tecidos, superfícies de postura no trabalho, e possibilita uma melhor madeira e muitos outros materiais. A paleta compreensão global dos aspectos relacionados cromática de pigmentos disponíveis neste com escala, composição e harmonia cromática material abrange um total apreciável de 114 das obras. cores disponíveis. Os óleos podem ainda ser aplicados na O espectro de possibilidades técnicas que este consistência original de fabrico, para o efeito material permite, tais como consistência, de uma intensa superfície de pinceladas textura, lustro/brilho, tempo de secura/fixação, (empasto), podem ser diluídos até se obter uma é um dos grandes factores que transforma o consistência semelhante à das aguarelas, óleo na tinta de eleição para a maior parte dos podendo também ser aplicados com uso de um Autores do elenco da História das Artes. pequeno pedaço de pano de para o efeito de Na sua constituição, as tintas de óleo são uma mancha suave. mistura de pigmentos pulverizados e óleo de É ainda vulgar, neste material, a utilização da linhaça. No aspecto apresentam-se como uma técnica da velatura que consiste na aplicação massa espessa, da consistência da manteiga, e após uma primeira secagem, de um véu de que actualmente já vem pronta para a usar, verniz colorido com transparência sobre o qual embalada em tubos ou em pequenas latas. se vai aperfeiçoando a forma da camada É solúvel em óleo de linhaça ou terebintina que anterior, criando desta maneira, uma superfície permitem um trabalho mais diluído e fácil de rica em cor e textura. espalhar, retardando a secagem no primeiro caso, e acelerando-a no segundo.01
  • 15. Giz de desenho e pastéis secos Alguns grandes artistas do passado usaram no desenho depositados no papel existe alguma dificuldade em certos tipos de giz, principalmente branco, a par da apagar sem se deixar vestígios. Para desenhar com sanguínea, sépia e pedra negra. Era um material duro, pastéis secos existem papéis apropriados embora se constituído por pigmento em pó misturado com óleo ou possa fazê-lo em qualquer um que se preste cera. Fragonard (1732-1806) e Watteau (1684-1721) convenientemente à técnica. São muito usados papéis usaram este riscadores sobre papel colorido. Hoje em coloridos como por exemplo papel "Ingres" e "Canson". dia, é pouco usual e é feito a partir de talco mineral. Cartões, telas, etc., podem ser preparados com receitas Existem actualmente materiais com características variadas à base de glicerina pura, caseína ou gelatina semelhantes, como o pastel seco. Este é constituído por não animal de forma a oferecer um bom suporte para o pigmentos em pó, aglutinados numa mistura de resina pastel seco. ou cola e moldados em forma de barra. Quanto mais cola tiver a mistura, mais duros e menos brilhantes se tornam Pastéis de óleo os pastéis. Semelhantes aos pastéis secos no seu aspecto, a sua No decurso do desenho a pastel é admissível a constituição é no entanto diferente pois são fabricados utilização do esfuminho ou da borracha miolo de pão. No com uma mistura de pigmento e óleo. Existem desde os final os trabalhos devem ser fixados com um spray anos 60. Tal como os pastéis secos, têm a forma de apropriado como condição essencial para a sua pequenos “sticks” cilíndricos e vendem-se em caixas ou preservação. avulso numa grande variedade de cores e durezas. Os pastéis têm uma paleta de tons suaves, muito Aderem com facilidade ao papel e permitem misturas de atraente, que permite alcançar resultados belíssimos. As cores que se depositam numa camada mais grossa e tonalidades pálidas de algumas cores, especialmente as pastosa ou mais fina, conforme se pretender. São cores de carne, devem-se à argila ou "branco de possíveis correcções no trabalho, raspando com um X- Espanha" que se mistura para os tornar mais opacos. acto, retirando o pastel de determinada zona e cobrindo Normalmente são caros devido à sua qualidade e à de novo com a cor pretendida. Prestam-se a ser delicadeza da matéria prima. aplicados "deitados" obtendo a deposição de uma maior Têm grande estabilidade cromática, misturam-se muito quantidade de uma vez só e permitem misturas de tons facilmente e produzem com espontaneidade trabalhos pelas suas qualidades pastosas. É possível ainda, no de uma suavidade muito particular. Não têm os decurso do trabalho diluí-los e mistura-los com um inconvenientes dos materiais que necessitam de secar pincel embebido em terebentina. Sem o uso deste ou que exigem grandes preparações. Em França a partir solvente, os pastes de óleo nunca secam efectivamente, de finais do séc. XVIII, este material entrou na moda, processando-se apenas um efeito de oxidação na sua tendo sido empregue por centenas de artistas. superfície. Anteriormente Rosalba Carriera (1674-1757) usou-os Quase todos os papéis são bons suportes, no entanto com grande sabedoria e arte. Quentin de la Tour (1704- devem ter algum corpo (gramagem espessa), 1788), também usou profusamente os pastéis registando especialmente quando se usa a terebentina para os todo o fausto e esplendor do período Rococó. Degas e diluir. Monet exploraram toda a suavidade e riqueza dos pastéis secos em obras notáveis. Os pastéis secos têm apenas um inconveniente. Uma vez01
  • 16. 01
  • 17. A Pintura, antes de ser entendida como Arte, espaço da criação independente da Retratística filiação numa finalidade ou uso, foi durante muito tempo um ofício que deu os primeiros passos no contexto da Abstracção representação simbólica e mimética de alguns géneros temáticos apreciados Pintura sobretudo na nossa tradição Ocidental. Da exploração sistemática de alguns Histórica géneros mais admirados surgiram algumas tradições de representação na Paisagem pintura a que chamamos Categorias Temáticas. Natureza Morta No POP – Projecto Oficina de Pintura – criámos conteúdos curriculares com o propósito de revisitar algumas destas Figuração categorias temáticas, de abordagem fundamental para a compreensão de conceitos tão importantes como identidade, cultura, história, civilização, mas também de um interesse incontornável na exploração da nossa inteligência emocional. É nesta expressão da nossa inteligência, intuitiva, que conseguimos entrar em contacto com capacidades únicas ao nível dos sentidos, sensações, reacções, emoções , compreensão (“Insight”), competências estas fundamentais para uma relação profícua com o mundo e com o outro.01
  • 18. Por definição, o retrato trata da representação de uma figura individual ou na paisagem que se deixa entrever por trás dos corpos em primeiro plano. de um grupo, elaborada a partir de modelo vivo, documentos, fotografia, ou Frans Hals (ca.1581 - 1666) e Rembrandt (1606 - 1669) são dois outros com o auxílio da memória grandes nomes do retrato no século XVII. Hals, por exemplo, dedica-se O retrato (do latim retrahere, copiar) no seu sentido original está associado quase que exclusivamente ao género. O seu retrato colectivo em tamanho à ideia de mimese, ou seja, imitação da realidade. natural,O Banquete dos Oficiais da Milícia de São Jorge (1616), inaugura Por essa razão, foi muito utilizado nas academias e escolas de arte para o novo esquema de composição ancorado na linha diagonal que organiza as ensino do ofício e domínio das técnicas de representação e expressão figuras na tela. O pintor atinge o auge da popularidade entre 1630 e 1640, visual. quando realiza o retrato dos Regentes e das Regentes do Asilo dos Idosos Na pintura, o retrato afirmou-se como género autónomo no século XIV, após (ca.1664). ter sido utilizado no Egipto, no mundo grego e na sociedade romana, com Rembrandt, por sua vez, inaugura uma forte tradição retratística ao romper finalidades diversas: comemorativas, religiosas, funerárias etc. o esquema convencional de composição de grupos (Lição de Anatomia do Giovanni, o Bom (1360), pertencente ao Museu do Louvre, é considerado Dr. Tulp, 1632) e, nos retratos individuais, ao conferir densidade psicológica um dos primeiros retratos pintados de que se tem notícia. A partir daí, o aos tipos retratados, com auxílio de contrastes luminosos (Saskia retrato passa a ocupar lugar destacado na arte europeia, atravessando Sorridente, 1642). diferentes escolas e estilos artísticos. A produção de auto-retratos segue o Os séculos XVIII e XIX surgem novas características associadas aos desenvolvimento do género, desde o início, constituindo um filão retratos, com o recurso a figuras de segmentos sociais mais amplos (e não amplamente explorado por artistas de todas as épocas. apenas dos círculos aristocráticos) e através de uma maior liberdade A difusão da retratística acompanha os anseios da corte e da burguesia expressiva. Por exemplo, nos retratos de Jean-Auguste-Dominique Ingres urbana de deixar marca das suas imagens, na vida pública e privada. (1780 - 1867), a figura representada na tela dirige o seu olhar a um Artistas flamengos, como Jan van Eyck (ca.1390 - 1441) contribuem para a observador não-retratado, mas implícito - recurso que será explorado pelos afirmação do género. retratos de Pablo Picasso (1881 - 1973). No Retrato de Mademoiselle Rivière O célebre quadro Giovanni Arnolfini e sua Esposa (1434), por exemplo, (1805-1806) notam-se inclusive os contornos expressivos, a sensualidade representa um casal, em primeiro plano, dentro de uma sala. Tanto as da figura e a redução do aparato cénico, característicos do pintor (cf. A figuras como o ambiente doméstico são representadas com extrema Banhista de Valpiçon, 1808). Os impressionistas, Olympia(1865), de Éduard atenção aos detalhes, cores e texturas, o que coloca a obra entre o retrato Manet (1832 - 1883), as banhistas e dançarinas de Edgar Degas (1834 - e a pintura de género. Na Itália do Sec. XV, destacam-se nesta categoria 1917); os pós-impressionistas, Retrato do Carteiro Roulin e Auto-retrato temática, os pintores Piero della Francesca (ca.1415 - 1492) e Domenico com Orelha Enfaixada (ambas de 1888), de Vincent Van Gogh (1853 - 1890); Ghirlandaio, (1449 - 1494). e os neo-impressionistas- Mãe e Menino (1899), de Édouard Vuillard (1868 - Na Renascença italiana, a produção de retratos expande-se de acordo com 1940) rompem definitivamente com o acento naturalista que marca a uma doutrina-filosófica que tem o homem como centro das atenções. Os tradição retratística. O advento da fotografia é o factor fundamental que retratos de Rafael (1483 - 1520), são comparados aos de Leonardo Da Vinci catalisa a mudança do paradigma da reprodução fiel da figura e do mundo, (1452 - 1519), pelo estilo subtil das caracterizações e os de Ticiano levando os pintores a enfatizar o carácter interpretativo da obra. Cabe (ca.1488 - 1576) ganham enfoque graças ás cores empregadas, lembrar que a fotografia, ela mesma, desenvolve uma retratística própria, o originalidade da composição, pelo movimento (Homem com uma Luva, que leva a pensar o retrato como género extremamente popular no interior ca.1520). do campo fotográfico, alimentado pelo baixo custo das impressões Da Vinci, por sua vez, realiza retratos na sua fase milanesa, até 1499 - Dama produzidas a partir de 1860. com um Arminho, por exemplo -, no período florentino, entre 1500 e 1506 (a A reflexão sobre as possibilidades e limites da representação atravessam a Mona Lisa) e também na última fase da sua carreira (as duas imagens de arte do século XX, e encontram tradução particular nos retratos. Um São João Batista, uma delas convertida em Baco, ca.1515). O sorriso exemplo específico, como o dilema de Alberto Giacometti (1901 - 1966) com enigmático, as sombras, o dedo indicador elevado e as fartas cabeleiras um de seus modelos, o escritor James Lord, tem a vantagem de evidenciar, são traços salientes dos retratos de Leonardo, repetidos pelos seguidores. pelo acompanhamento da execução de um quadro, os dilemas do artista O século XVII assiste-se à emergência do realismo original de Caravaggio moderno na tentativa de reproduzir o que vê, fora da pauta naturalista. (1571 - 1610) - evidenciado em David (1605), por exemplo - e o de Diego Alguns artistas do século XX ligam-se particularmente ao género, como Velázquez (1599 - 1660), que projecta figuras recorrendo às cores quentes Amedeo Modigliani (1884 - 1920), que produziu grande quantidade de e ao chiaroscuro caravaggiano. Velázquez realiza retratos ao longo de toda retratos, em geral, formas simplificadas e alongadas. a sua obra, sobretudo a partir de 1623, quando se torna pintor da corte de Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a arte pop retoma a figura e o Filipe IV. Aí, as influências de Ticiano revelam-se nas poses naturais e no retrato utilizando uma nova fórmula, com recurso a imagens publicitárias, despojamento de acessórios. Na Itália, realiza Juan de Pareja (1650), da banda desenhada e do cinema. Também no interior do chamado hiper- retrato de seu escravo mulato e Papa Inocêncio (1650), considerada uma realismo, foi produzida uma grande quantidade de retratos, fechando-se das obras-mestras do retrato mundial. aqui um ciclo histórico, cumulado pelo pós-modernismo, em que esta A sua obra mais famosa - Las Meninas (ca.1656) - mostra o pintor no categoria assume em definitivo um papel e um lugar preponderante entre estúdio retratando a família real. A arte barroca europeia encontra leitura as categorias da História da Arte particular nas telas de Peter Paul Rubens (1577 - 1640). O célebre Auto- retrato com a Mulher (1609), é revelador do estilo autoral do pintor, expressa na liberdade da pose, na tonalidade dourada que ilumina a tela e01
  • 19. Em sentido amplo, a Abstracção, também conhecida como Arte Abstracta ou Abstraccionismo, refere-se às formas de arte não regidas pela figuração e pela imitação do mundo. Em acepção específica, o termo liga-se às vanguardas europeias das décadas de 1910 e 1920, que recusam a representação ilusionista da natureza. A decomposição da figura, a simplificação da forma, os novos usos da cor, o descarte da perspectiva e das técnicas de modelagem e a rejeição dos jogos convencionais de sombra e luz, aparecem como traços recorrentes das diferentes orientações abrigadas sob esse rótulo. Inúmeros movimentos e artistas aderem à abstracção, que se torna, a partir da década de 1930, um dos eixos centrais da produção artística no século XX. É possível notar duas vertentes a organizar a ampla gama de direcções assumidas pela arte abstracta. A primeira, inclinada ao percurso da emoção, ao ritmo da cor e à expressão de impulsos individuais, encontra as suas matrizes no expressionismo e no fauvismo. A segunda, mais afinada com os fundamentos racionalistas das composições cubistas, o rigor matemático e a depuração da forma, aparece descrita como abstracção geométrica. As vanguardas russas geometria suprematista apresenta-se nos célebres exemplificam as duas vertentes: Wassili Kandinsky Quadrado Preto Suprematista (1914/1915) e Quadrado (1866 - 1944), representante da primeira, é Branco sobre Fundo Branco (1918). A obra de considerado pioneiro na realização de pinturas não- Malevitch tem impacto sobre o construtivismo de figurativas com Primeira Aquarela Abstrata (1910) e a Alexander Rodchenko (1891 - 1956) - Negro sobre série Improvisações (1909/1914). Este movimento de Negro (1918) - e o realismo dos irmãos A. Pevsner Kandinsky em direcção à abstracção inspira-se na (1886 - 1962) e N. Gabo (1890 - 1977). O neoplasticismo música e na defesa de uma orientação espiritual da de Piet Mondrian e Theo van Doesburg indica outra arte, apoiada na teosofia. Em torno de Kandinsky e tendência da abstração geométrica. O movimento Franz Mac (1880 - 1916) organiza-se, na Alemanha, o organiza-se em torno da revista De Stijl [O Estilo], Der Blaue Reiter [O Cavaleiro Azul], 1911, grupo no 1917, e tem o propósito de encontrar nova forma de qual participam August Macke (1887 - 1914) e Paul Klee expressão plástica, liberta de sugestões (1879 - 1940), e em que se aproximam as pesquisas representativas. As composições articulam-se com abstractas de Robert Delaunay (1885 - 1941) e o base em elementos mínimos: a linha recta, o simbolismo místico do checo radicado em Paris rectângulo e as cores primárias - azul, vermelha e Frantisek Kupka (1871 - 1957). amarela -, além da preta, branca e cinza. As ideias Kasimir Malevich (1878 - 1935) é um dos maiores estéticas defendidas em De Stijlreverberam nos grupos expoentes da arte abstracta geométrica. No auge do Cercle et Carré (1930) e Abstraction-Création (1931), suprematismo, 1915, defende uma arte comprometida na França, e no Circle (1937), na Inglaterra. com a pesquisa metódica da estrutura da imagem. A Depois da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a Europa e os Estados Unidos assistem a desdobramentos da pesquisa abstracta. O tachismo europeu, também associado à abstracção lírica, apresenta-se como tentativa de superação da forma pela ultrapassagem dos conteúdos realistas e dos formalismos geométricos. Os trabalhos de Hans Hartung (1904) e Pierre Soulages (1919) apoiam-se sobretudo no gesto, enquanto nas obras de Jean Fautrier (1898 - 1964) e Jean Dubuffet (1901 - 1985) - e nos trabalhos de Alberto Burri (1915) e Antoni Tàpies (1923) - a pesquisa incide preferencialmente sobre a matéria. Nos Estados Unidos, a abstracção ganha força com o expressionismo abstracto de Jackson Pollock (1912 - 1956) e Willem de Kooning (1904 - 1997) - que descarta tanto a noção de composição, cara à abstracção geométrica, quanto a abstracção lírica -, as grandes extensões de cor não modulada de Barnett Newman (1905 - 1970) e Mark Rotkho (1903 - 1970) e a pintura com cores planas e contornos marcados de Ellsworth Kelly (1923) e Kenneth Noland (1924). O minimalismo de Donald Judd (1928), Ronald Bladen (1918 - 1988) e Tony Smith (1912 - 1980) - tributário de uma vertente da arte abstracta norte-americana que remonta a Ad Reinhardt (1913 - 1967), Jasper Johns (1930) e Frank Stella (1936) - retoma as pesquisas geométricas na contramão da exuberância romântica do expressionismo abstracto. Toda a riqueza desta história, potencial deste conhecimento técnico da construção da forma e da cor, para além de toda a exploração emocional e espiritual que esta abordagem temática catalisa, faz desta tradição um conteúdo cuja pertinência é tida em especial conta no POP- Projecto Oficina de Pintura.01
  • 20. O termo aplica-se à pintura que representa fatos históricos, cenas corte de Felipe IV, comprometidos com a representação da mitológicas, literárias e da história religiosa. Na acepção mais estrita, invencibilidade do exército espanhol em suas campanhas militares. Nesse refere-se ao registo pictórico de eventos da história política. Batalhas, contexto, Francisco de Zurbarán (1598 - 1664) realiza A Defesa de Cádiz e cenas de guerra, personagens célebres, fatos e feitos de homens notáveis Diego Velázquez (1599 - 1660), A Rendição de Breda (1634-1635), ambas são descritos em telas de grandes dimensões. Realizadas, em geral, sob glorificando os triunfos do reinado de Felipe. Posteriormente, cenas encomenda, as pinturas históricas evidenciam um tipo de produção históricas têm lugar no interior da variada produção de Francisco José de plástica comprometida com a tematização da nação e da política. Se os Goya y Lucientes (1746 - 1828), por meio das dramáticas telas sobre a acontecimentos domésticos, o quotidiano e os personagens anónimos são ocupação francesa da Espanha (1808-1814), em que o pintor coloca a sua registados pela pintura de género, os grandes aptos e seus heróis são ênfase na revolta dos cidadãos de Madri contra os ocupantes narrados em tom elevado e estilo grandioso pela pintura histórica. O (Fuzilamento, 1808). Com esses trabalhos de Goya, a dimensão heróica e desafio pictórico colocado por essas telas reside na experimentação celebrativa da pintura histórica encontra sua primeira contestação. Mas é simultânea de diferentes géneros artísticos: das paisagens e naturezas- na série de 65 água-fortes, Os Desastres da Guerra (1810-1814), que o mortas (nos panos de fundo e elementos do cenário); dos retratos e cenas pintor revela sua visão realista dos acontecimentos: as cenas de de género (ensaiados na caracterização dos personagens e ambiências). pesadelos e as figuras macabras falam das atrocidades da guerra, pelas A realização de telas com grande número de elementos, por sua vez, incita quais são responsáveis franceses e espanhóis. A própria opção por uma os pintores a procurarem soluções inéditas em termos de composição. "técnica menor", a gravura - procedimento que Goya dignifica -, revela o A pintura histórica adquire prestígio nas academias de arte, alçada ao quanto a pintura histórica poderia estar comprometida com a apologia do primeiro plano na hierarquia académica a partir do século XVII, com a poder. criação da Real Academia de Pintura e Escultura em Paris, 1648. Verifica- A preocupação com o passado e com as origens, assim como a se aí um estreitamento das relações entre arte e poder político, e uma interferência no tempo presente, marcam a visão de mundo romântica. O associação mais nítida entre a instituição e uma doutrina particular. A impacto da Revolução Francesa e o mito napoleónico se reflectem nos paixão pela Antiguidade - revelada nos temas mitológicos e nos motivos temas históricos e nas cenas de batalhas, explorados pelos pintores. históricos - associada à clareza expressiva e à obediência às regras Théodore Géricault (1791 - 1824) retoma a história em telas como A definem o estilo que se converterá no eixo da doutrina académica. A Jangada da Medusa (1819). O quadro trata de um acontecimento pintura neoclássica, que tem como centro a França do século XVIII, contemporâneo (um naufrágio ocorrido em 1817), narrando, em tom explora fartamente os temas históricos. Diante da Revolução Francesa, o épico, o embate entre vida e morte, assim como as relações hostis entre o modelo clássico adquire sentido ético e moral. A busca de um ideal homem e a natureza. Eugène Delacroix (1798 - 1863) se detém sobre a estético da Antiguidade vem acompanhada de ideais de justiça e civismo, história política desde o início de sua carreira (O Massacre de Quios, como mostram as telas do pintor Jacques-Louis David (1748 - 1825). Os 1824, A Grécia Sobre as Ruínas de Missolongi, 1827). Mas é o célebre A retratos dos mártires da revolução realizados por ele atestam a face Liberdade Guia o Povo(1850) que evidencia o compromisso do pintor com engajada de sua pintura (A Morte de Lepetier, A Morte de Marat e A Morte a história de seu tempo; a tela registar a insurreição de 1830 contra o de Bara, 1793). David é também o pintor oficial de Napoleão, como mostra poder monárquico. A liberdade, representada pela figura feminina que a série sobre o imperador realizada entre 1802 e 1807, na qual se destaca ergue a bandeira da França sobre as barricadas, converte-se em alegoria a gigantescaCoroação de Napoleão (1805-1807). Antoine-Jean Gros (1771 da independência nacional. - 1835), seguidor da forma austera de David, inclina-se às cores e Esta tradição, tão investida pela sua importância máxima na carreira de vibrações dramáticas nas batalhas napoleónicas que executa - por cada autor, no contexto do POP transforma-se num pretexto e interface exemplo, A Batalha de Eylau (1808) -, o que faz dele um elemento central muito eficazes para veicular conhecimentos sobre os recursos técnicos no desenvolvimento do romantismo francês. mais elaborados, tanto na escala, composição, como em aspectos Na Espanha, pinturas históricas são realizadas a partir do século XVI por relacionados com cor, luz, iluminação e significação. diversos artistas. Cenas de batalhas são executadas pelos pintores da01
  • 21. Cursos disponiveis Etc, Etc-------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------- ŸArte e Desenvolvimento ----------------------------------------------------------- ŸPintura Etc, Etc-------------------------------------------------- ŸLaboratório de Artes ------------------------------------------------------------- ŸIlustração ----------------------------------------------------------- ŸBanda Desenhada Etc, Etc-------------------------------------------------- ŸAcademia de Desenho ------------------------------------------------------------- ŸEco Criatividade ----------------------------------------------------------- ŸFotografia e tratamento digital Etc, Etc-------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------- de Imagem ----------------------------------------------------------- ŸArts&Crafts Etc, Etc-------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------- ----------------------------------------------------------- Etc, Etc-------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------- ----------------------------------------------------------- Etc, Etc-------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------- ----------------------------------------------------------- Etc, Etc-------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------01
  • 22. Arte eDesenvolvimentoProfª. Inês Hassamo Nos dias que correm está mais que estabelecida (em documentos oficiais e mesmo no senso comum), a importância da colaboração de psicólogos nas mais diversas áreas de intervenção. Seja ao nível de grandes empresas, organizações de saúde e bem-estar, escolas e organismos de apoio escolar, no poder municipal e - Ponte entre os conteúdos programáticos propriamente organismos associados, museus e mesmo em projectos ditos e as actividades de expressão emocional e de ajuda humanitária, os psicólogos actuam de modo a artística através de actividades de grupo como método apoiar e a potenciar as intervenções já prestadas. estimulador da própria criatividade e da expressão sócio-emocional; Ao nível do contexto escolar propriamente dito, um - Validação psicológica dos métodos utilizados, psicólogo da educação é um forte aliado dos respondendo constantemente à questão “os métodos professores, directores, alunos e auxiliares da utilizados cumprem os objectivos propostos e as educação, sendo uma parte integrante da cultura de competências que se pretendem alcançar?” uma escola, sendo um elemento chave no apoio e - Cooperação e colaboração com o professor na promoção de processos de mudança, na busca de aplicação, adequação e revisão das actividades soluções perante diversos problemas (dentro ou fora da propostas; sala de aula) e também na promoção da inovação e - No processo de orientação vocacional para os alunos sustentabilidade da missão da própria escola. (Ainscow, do Ensino Secundário. Booth & Dyson, 2004). c) - Desenvolvimento de métodos objectivos capazes de Ora, sendo o Projecto Oficina de Pintura (POP) um avaliar a eficácia do projecto – o POP atingiu os projecto que visa a união entre a expressão artística e o objectivos a que se propôs? Qual o impacto no desenvolvimento emocional dos participantes em desenvolvimento artístico e emocional dos ambiente não formal, torna-se revelante a participação participantes? de um psicólogo da educação como membro activo da - Levantamento dos aspectos positivos e dos aspectos a equipa do próprio projecto. Ou seja, como membro melhorar no projecto; capaz de cooperar e colaborar no a) desenvolvimento, - Publicação científica e divulgação dos resultados na b) implementação e na c) avaliação do projecto nos atingidos, caso sejam autorizadas. seguintes aspectos: a) Assim, tendo em conta as potencialidades do POP e do - Adequação das actividades propostas e com os grupo de trabalho Professor-Psicólogo, torna-se então objectivos pedagógicos específicos; relevante a importância de uma equipa de trabalho - Adequação das actividades ao nível de multidisciplinar e dinâmica, focada nos mesmos desenvolvimento dos participantes; objectivos de trabalho e possuindo pontos de análise b) que convergem para uma visão holística das - Levantamento de necessidades de intervenção intervenções e do próprio projecto. psicológica de modo a analisar a adequação das A sinergia final poderá ser um projecto fundamentado actividades propostas; teoricamente, não só nos aspectos relativos ao Ensino e - Revisão constante das actividades e objectivos à Arte plástica, mas também no âmbito da Emoção e do propostos e a sua adequação junto dos participantes. Processo criativo (aspectos fortemente psicológicos) e - Desenvolvimento de actividades que promovam os na importância da Expressão artística em ambiente não- objectivos pedagógicos a atingir; formal na Aprendizagem. 01 Inês Hassamo
  • 23. Desenho Prof. Pedro Manso Esta actividade tem como objectivo desenvolver a prática do Desenho através de um conjunto bastante diversificado de exercícios. Serão trabalhadas as capacidades de observação, de concentração, de criatividade e de expressividade através de acções específicas em trabalhos funcionais recorrendo a diferentes modos de desenhar e ao uso de várias técnicas para ampliar as experiências e os aspectos mais dinâmicos do Desenho. Será realizado um portfolio individual, exposições e uma apresentação final.01
  • 24. Banda DesenhadaProf. Nuno Quaresma A banda desenhada enquanto abordagem à é a mensagem, residindo aqui a sua magia e comunicação através meios de visualização interesse no âmbito das actividades extra começa ancestralmente em 3000 a.C. por curriculares. A sua utilidade pedagógica no intermédio dos Egípcios, através do uso de âmbito do POP cobre diametralmente desde uma escrita pictográfica amplamente o reforço dos conteúdos curriculares conhecida - os hieróglifos - e até hoje ensinados durante o ano lectivo (História, mantem a sua pertinência, que vai desde a Filosofia, Geometria, Ciências) até ao dimensão lúdica, que faz deste registo uma universo espiritual, moral e cívico das agradável referência na infância ou até na Oficinas de S. José, passando idade adulta, até às utilizações associadas a simultaneamente por aspectos técnicos/ actividades profissionais, como o design, a artísticos como são a tecnologia dos comunicação social, institucional e materiais, preparação do local de trabalho, empresarial, a educação, o cinema, a moda, desenho, observação, métodos e suportes entre outros. digitais, assim como toda a cultura associada O seu sucesso reside essencialmente no ao género. facto de se ancorar firmemente no princípio A pintura e a ilustração, por serem duas da síntese visual e associação das imagens disciplinas técnicas e tecnológicas basilares num formato de sequência, com a finalidade e estruturantes, são assim utilizadas neste de fazer passar eficazmente uma ideia, âmbito para maximizar a aprendizagem dos acção, emoção ou enredo. conteúdos, saberes e tradições das Artes Quanto mais simples é o desenho, mais clara Visuais no contexto da Comunicação. 01
  • 25. Eco Criatividade e Responsabilidade Social Este é um projeto totalmente concebido para do Modernismo, tão importante para a uma intervenção positiva, cultural e social. consolidação do papel da Arte na vida e Desenhado para a educação de cada um dos identidade das Sociedades. talentos, individuais e coletivos, visa a POP é também o som obtido quando se abre construção da identidade e o um frasco hermeticamente fechado. desenvolvimento de um espírito Até as Pipocas (“Popcorn”) fazem, POP, empreendedor e atitude solidária. Todos os quando a água e o amido se transformam objetos desenhados no nosso contexto de numa massa superaquecida que vai oficina artística extra curricular, são empurrando a camada exterior do grão de projectados para a sustentabilidade, a milho, ao limite da sua resistência, até que a felicidade, a educação para a realidade e pressão no interior atinge um valor responsabilidade: civil, ecológica, social e incomportável, aflorando de forma quase espiritual. explosiva… dando a impressão de que o milho se transmuta espectacularmente naquela forma linda e deliciosa. O Sinal Marca escolhido para o POP (Mag) – Uma Arte que nos faz florir, aflorar, Projecto Oficina de Pintura, Manualidades, despontar de forma sublime e plena de Artes e Ofícios, das Oficinas de S. José, energia, para o Mundo exterior. Salesianos de Lisboa, (agora subsituido em As nossas actividades extracurriculares são definitivo pelo Sinal Marca ancestral do um pouco a súmula destas duas abordagens: Articentro) evoca precisamente o som, a por um lado a de um espírito modernista e fonética obtida quando é pronunciada a informado, e por outro uma arte jovem, sigla. deliciosa, capaz de ensinar, estruturar e dar POP reenvia-nos para a Arte, para o apogeu prazer.01