Dia Mundial do Meio Ambiente - Portal Luis Nassif                                                                         ...
Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 1 of 7



                   ...
Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 2 of 7



  Até o lançamento ...
Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 3 of 7



  Anauá (Rorainópol...
Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 4 of 7



  toras é destinado...
Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 5 of 7



  No caso do post a...
Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 6 of 7



  . A propósito do ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Discussões sobre Desmatamento

1,570

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,570
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Discussões sobre Desmatamento"

  1. 1. Dia Mundial do Meio Ambiente - Portal Luis Nassif Page 1 of 2 Pesquisar rede social Procurar Registre-se Acessar Principal Minha página Membros Temáticos Fórum Grupos Fotos Vídeos Blogs 2010 Dossiês Todas as mensagens do blog Meu blog Adicionar um Post ao Blog Dia Mundial do Meio Ambiente Postado por joão carmo vendramim em 5 junho 2009 às 0:30 Exibir blog de joão carmo vendramim Hoje, 04 de junho, vigésimo aniversário do covarde massacre dos estudantes chineses na Praça da Paz Celestial. No dia 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. No canal quot;Globo Newsquot; assiti, no dia 04 de junho, entrevista com pesquisador do quot;Greenpeacequot; que Recentemente publicou resultados de pesquisas sobre o desmatamento na Amazônia. A conclusão é que 80% do desmatamento da Amazônia se deve a expansão do negócio da pecuária concentrado em três grandes frigoríficos com participação do BNDES. Isso mesmo, o próprio governo tem na mão esquerda o discurso de proteção ambiental, mas na direita exerce de fato aquilo que condena, ou seja, ratifica o desmatamento e, por conseguinte, o incremento também do efeito estuja (flátulo CH4 do boi). Hoje mesmo, 04 de junho, os jornais estampam o embate do Min.Carlos Minc e Min.Transporte e Agropecuária onde estes querem quot;a cabeçaquot; deste por conta da defesa da agricultura familiar que responderia por 80% da comida que chega aos nossos pratos diariamente. O Brasil ganharia muito mais com a defesa da floresta em pé. Mas isso depende de vontade política. De maneira prática, os supermercados (grandes marcas como Walmart, Carrefour, por exemplo) se mobilizam para exigir quot;selo de garantiaquot; dos grandes frigorificos para não receber carne da zona desmatada da Amazônia. Adoção da mesma medida existente contra trabalho escravo e de crianças e uso de defensivos agrícolas proibidos. É um bom começo. Outro microcomeço estaria com o cidadão. Por exemplo, reduzir o consumo de carne. Reduzir idas frequentes a churrascarias. Essa parte é fácil para mim: abandonei radicalmente o consumo de carne vermelha há três anos atrás. Bons resultados grandes podem ser a somatória de pequenos gestos, não é? Mudar maneiras de pensar, comportamentos, mesmo acreditando que a espécie humana está, irremediavelmente, condenada a extinção. Compartilhar < Post Anterior Adicione um comentário Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários! Entrar nesta rede social Bem-vindo a Portal Luis Nassif Registre-se ou acesse http://blogln.ning.com/profiles/blogs/dia-mundial-do-meio-ambiente 5/6/2009
  2. 2. Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 1 of 7 Faça sua busca Assine E-mail SAC Canais Luis Nassif 03/06/2009 - 08:44 A redução do desmatamento na Amazônia Segundo o Ministro Carlos Minc, do Meio Ambiente, a queda no desmatamento da Amazônia - embora o tempo não tenha permitido ao INPE um levantamento mais amplo - se deve a “um brutal aumento das ações de combate ao desmatamento”. Segundo dados parciais do INPE, houve queda de 97%. Exagero minquiano. Em todos os anos anteriores, funciona assim: 1. O mercado mundial de soja melhora, aumenta o desmatamento. LUIS NASSIF Introdutor do jornalismo de 2. O mercado mundial de soja, reduz o desmatamento serviços e do jornalismo eletrônico no país. Vencedor do Alem disso, a medição se dá apenas em cima de áreas não cobertas por nuvens. No ano passado, as nuvens Prêmio de Melhor Jornalista de cobriam de 46% (em maio) a 19% (em julho) dos céus. Este ano, de 73% (em abril) a 88% (em março). Economia da Imprensa Escrita do site Comunique-se em 2003, Finalmente, como a tabela não apresenta a série histórica anterior a 12 meses (tentei encontrar no site do 2005 e 2008, em eleição direta INPE, mas os dados são pouco didáticos), fica-se sem saber como funciona o fator sazonalidade. da categoria. Prêmio iBest de Melhor Blog de Política, em eleição popular e da Academia Fazendo o cálculo proporcional, houve queda no desmate. Mas o que se deve à queda no mercado mundial de iBest. soja e o que se deve à ação de fiscalização? Para enviar emails a Luís Nassif Vamos ver o que nossos leitores especialistas têm a dizer. clique aqui. BUSCA buscar CRÔNICA Por Alexandre Leite ECONOMIA Nassif, se vc pegar a série histórica do Prodes (e não do Deter que é muito impreciso), vai perceber que a lógica do mercado de commodities e desmatamento se rompeu há dois anos; A maior queda nos dados do INPE se deu ÚLTIMOS POSTS no período ago/2007 e ago/2008; Painel internacional O caso Nova Escola Fora de Pauta Os dados demonstram muito claramente que as ações do ministério, de Marina e mantida por Minc; deram A retomada lenta da economia resultados no desmatamento. O ex-ministro de FHC, Sarney Filho é o primeiro a reconhecer, é um grande As lições da BBC aliado. E o Deter é um grande responsável por essa queda. Trivial de Vitor Araújo O banco comunitário de São Paulo No Deter, monitoramente mensal,, vc percebe, que os dados em tempo de seca são altos, pq compensam os Do estresse das coberturas continuadas dados baixos em tempos de chuva e muita nebulosidade. Nesse ano a nebulosidade está maior que em outros Dos poetas do Portal anos. A função do Deter é apontar tendência e principalmente, agilizar ações, as os seus dados são A educação em São Paulo, segundo imprecisos. o The Economist http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/03/a-reducao-do-desmatamento-na-amazo... 5/6/2009
  3. 3. Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 2 of 7 Até o lançamento do Deter, em 2004, o gestor ambiental podia demorar mais de um ano para perceber o A morte de Kung Fu desmatamento de uma área. O desmatamento ocorrido em agosto, só era anunciado em outubro do ano O vôo por “envelope” O Blog da Petrobras seguinte. Hoje é praticamente em tempo real. Painel internacional Gilmar se lixa para a opinião pública O Deter é como uma foto instantânea de baixa resolução; o Prodes, uma de longo prazo em alta resolução. Vc precisa rever sua má vontade com o Minc. CALENDÁRIO Junho 2009 Por Régis Paiva S T Q Q S S D Prezado Nassif: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Quem divulga dados de desmatamento nesta época para os locais ao sul do rio Amazonas é, no mínimo, 15 16 17 18 19 20 21 ingênuo. 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Com o final das chuvas (com a chegada do frio aqui na região Norte-AC), vão-se as águas e começam os « Mai trabalho de limpeza da terra, onde a derrubada da capoeira nos locais de mata é o primeiro passo. O segundo, depois de feita a cama com as árvores menores, é a derrubada da mata. Assim, somente para os Clique aqui para ler os textos meses de agosto e setembro teremos uma visão da real posição do desmatamento deste ano agrícola. De antigos de Luis Nassif. mais a mais, é nesta segunda época que se dá o preparo do solo para o plantio, sendo este o influenciado pelos humores do mercado internacional da soja. É por causa do fator clima que o índice de nebulosidade está tão alto: estamos no final do período chuvoso. E Direito de alguém imagina um trator ou alguém se deslocando debaixo de altos índices de pluviosidade???? Resposta Se foi atacado pela mídia e não teve Assim, qualquer posição atual não reflete ao desmate deste ano. Você conhece de estatística e sabe que uma direito de resposta, clique aqui para amostra com ‘escuridão’ da ordem mínima de 63% até 73% (com picos acima de 80%) não permitem ‘clarear’ colocar a sua versão. nada. Enviado por: luisnassif - Categoria(s): Meio Ambiente Tags relacionadas: Carlos Minc, desmatamento Comentar Permalink Compartilhe ARQUIVOS junho 2009 25 comentários para quot;A redução do desmatamento na Amazôniaquot; maio 2009 abril 2009 março 2009 03/06/2009 - 09:05 fevereiro 2009 Enviado por: Marcelo Menezes janeiro 2009 dezembro 2008 Não sei como a imprensa e o resto pensante do Brasil,ainda tolera estes artistas de picadeiro cirsence! agosto 2007 Está na hora de levar as coisas mais à sério,o maior desmatador do Brasil nos últimos levantamentos,foi o próprio INCRA e seus julho 2007 assentados!!!! Eles foram multados? junho 2007 A imprensa não fala mais sobre isso! maio 2007 E de tempos em tempos,vem o Palhaço Minc fazer espetáculo amplamente coberto pel aimprensa! abril 2007 Pouca vergonha março 2007 fevereiro 2007 janeiro 2007 03/06/2009 - 09:37 dezembro 2006 Enviado por: claudio novembro 2006 outubro 2006 O PSDB/DEM + UDR estao fazendo um campanha para derrubar o Ministro, que esta incomodando os Latifundiarios do Brasil e eles vao conseguir, porque o Minc sai po pau, nao leva desaforo para casa? Nao sei se ele esta fazendo um bom trabalho, mas setembro 2006 ele vai até o povo(isto é louvavel). Mas o que mais gostei, foi seu discurso no caminhaom desceu a lenha no Congresso, foi lindo. agosto 2006 Temos que apoia-lo e enviar e-mail, o que vc acha NASSIF ? julho 2006 junho 2006 maio 2006 03/06/2009 - 09:40 setembro 2005 Enviado por: M.Flores 0 Mais do que reduzir o desmatamento ,tem que se recuperar a floresta ,apesar de que o homen dificilmente vai trocar a produção pela preservação ,e sem querer ser catrastrofista .acho que já é tarde demais ,a situação do nosso planeta é irreversivél ,estamos seguindo a passo largos para nos tornarmos Marte de hoje,árido ,ácido ,tórrido ,totalmente sem vida.e que CATEGORIAS deus nos proteja. CULTURA Arquitetura Artes Gráficas 03/06/2009 - 09:59 Cinema Enviado por: Rodrigo Costumes Crônica Fotografia http://blogdaamazonia.blog.terra.com.br/ Poesia Regional Do ponto de vista fundiário, em março de 2009, a maioria (67%) do desmatamento ocorreu em áreas privadas ou em diversos Televisão estágios de posse e devolutas. O restante do desmatamento ocorreu em Assentamentos de Reforma Agrária (30%), Unidades de Conservação (2%) e Terras Indígenas (1%). DIPLOMACIA Em abril de 2009, a grande maioria (75%) do desmatamento ocorreu em áreas privadas ou em diversos estágios de posse, 14% em Assentamentos de Reforma Agrária, 10% em Unidades de Conservação e somente 0,3% em Terras Indígenas. ECONOMIA Em Assentamentos de Reforma Agrária, o desmatamento totalizou cerca de 17 quilômetros quadrados tanto em março como em Agricultura abril de 2009. Em março, os Assentamentos mais afetados pelo desmatamento foram Samauma (Mucajaí, Roraima), Anauá Cabeção (Rorainópolis, Roraima) e Tapurah (Itanhagá, Mato Grosso) . Por sua vez, em abril, os Assentamentos mais desmatados foram Coluna Econômica http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/03/a-reducao-do-desmatamento-na-amazo... 5/6/2009
  4. 4. Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 3 of 7 Anauá (Rorainópolis, Roraima), Integração (São Luiz, Roraima) e Mercedes Bens I e II (Ipiranga do Norte, Mato Grosso). Crise Energia Logística Matemática Financeira 03/06/2009 - 10:01 Negócios Enviado por: Rodrigo Novo Modelo http://blogdaamazonia.blog.terra.com.br/ ESPORTES Vinte e duas ONGs encaminharam nesta terça-feira ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma carta aberta em que solicitam a Xadrez atenção dele para a situação de 750 famílias de ribeirinhos que vivem em três áreas propostas para a criação das reservas extrativistas Baixo Rio Branco-Jauaperi (Roraima e no Amazonas), Renascer e Montanha Mangabal (Pará). FORA DE PAUTA As famílias estão desde o começo dos anos 2000 lutando pela criação das reservas extrativistas. Os processos de criação delas estão parados na Casa Civil desde o início de 2007, o que tem acirrado os conflitos e ampliado a degradação dessas áreas, consideradas de alta prioridade para a conservação ambiental. GESTÃO Cidades - Em um contexto de crise econômica, climática e ambiental, o Brasil tem, mais uma vez, a oportunidade e a responsabilidade de Corrupção mostrar sua liderança com propostas consistentes de conservação do meio ambiente e de valorização da cultura das populações locais. Repensar a maneira como geramos riquezas e mudar o modelo como usufruímos da natureza é construir um futuro melhor para todos - afirma a carta. GESTÃO PÚBLICA Licitação 03/06/2009 - 10:13 Enviado por: Romanelli HISTÓRIA Brasileira Vocês sabem o que Katia falou ? Nããããoooo, não falo de Katia Flavia JUSTIÇA …falo de katia Abreu, aquela senadora que foi contra a CPMF (nosso melhor imposto) ..aquela pertence ao DEMO …aquela que falou que os índios (e não a União) são donos de 93% do Estado de RR …aquela RURALISTA defensora da vaca da mãe do MEIO AMBIENTE fazendeiro ..a que acha que vacina contra aftosa é prioridade do Estado, e não um bolsa família POIS é, ela pediu a CABEÇA do ministro ? MÍDIA Blogs Será que é uma manobra diversionista ..aonde a senadora fala uma coisa e quer outra (isso se dermos razão a quem diz que MINC esta comprometido com os ruralistas) …ou será que IM, que é verdade ? Que a senadora quer mesmo outro ministro no lugar ? MÚSICA Choro …se sim, então eu sou MINC desde que nasci Erudita Brasileira Erudita Internacional Jazz http://cbn.globoradio.globo.com/home/2009/06/02/SENADORA-DA-BANCADA-RURALISTA-PEDE-A-DEMISSAO-DE-MINC.htm MPB Pop e pra quem não se lembra Rádios virtuais Violão http://www.youtube.com/watch?v=kgkckgmOOm8 POLÍTICA Eleições 03/06/2009 - 10:13 Internacional Enviado por: Antonio Rodrigues Movimentos Sociais Novo Mundo Já vou logo dizendo que não sou “especialista” em desmatamento. Alias que triste especialidade. Mas como cidadão brasileiro estou começando a traduzir melhor o discurso de nossos políticos nessa questão. Na verdade são grandes malabaristas em números e afirmações. São “especialistas” em fazer um enorme carnaval porque em determinado mês foram derrubadas POLÍTICAS SOCIAIS “apenas” 982 mil árvores, enquanto no mesmo período do ano anterior esse numero era de 1 milhão. Educação Fome Habitação E ficamos todos nos fazendo parte desse jogo do faz de conta, enquanto as nossas florestas vão diminuindo dia a dia, causando Previdência com isso uma serie de graves consequencias. Saneamento Saúde Como políticos são hábeis também para nos colocar como inevitável a escolha entre desenvolvimento ou preservação. Alias o Segurança problema é totalmente inverso: desenvolvimento sem preservação ambiental não é progresso, mas atraso. Terceiro Setor A outra chantagem colocada é que seremos obrigados a escolher entre a floresta ou a comida. O problema é igualmente inverso: a agricultura sem a preservação de rios e florestas sofre pela alteração dos ciclos de chuvas, pela abundância ou falta de agua. RELIGIÃO O que acontece é que esse tipo de “agricultor” que não se preocupa com o equilíbrio natural vai existindo deixando um rastro de destruição. Sai do sul e na medida que sua forma predatoria de produção vai enfraquecendo a terra ele vai subindo para o norte onde há mais espaço para destruir. SEM CATEGORIA Já estamos passando da hora de pararmos esse jogo do faz de conta. Temos que decidir. Vamos continuar nesse caminho destrutivo ou criar uma nova forma mais moderna de desenvolvimento ? Talvez a única forma de um governo ter o suficiente poder para efetivamente parar esse processo de destruição, seja através de um plebiscito. Ainda veremos isso acontecer. Espero TECNOLOGIA que não seja tarde demais. C&T Ciência Defesa Internet 03/06/2009 - 10:25 Software Enviado por: Ernesto Universidade A cobertura de nuvens refere-se a toda a amazônia, mas as áreas desmatadas referem-se principalmente a região conhecida como “arco do desmatamento”. Essa área desmatada avança em direção ao sul do Pará e sul do Amazonas. No norte do Amazonas o desmatamente é quase Zero. Acho que a análise sobre desmatameanto deveria se concentrar na região do “Arco do desmatamento”. Além disso imagens de radar penetram através das nuvens e deveriam ser utilizadas em conjunto com as imagens de satélite para que o resultado foi muito melhor. As imagens do RADARSAT são bem mais caras mas utilizá-las apenas na região do “arco do desmatamento” seria TAGS viável e os resultados seriam muito mais precisos. Banco Central câmbio China crise Tanbém é verdade que o campeão de desmatamento no Brasil é o INCRA. Daniel Dantas Gaza Gilmar Gilmar Mendes guerra Israel José Serra juros Lula Mídia Obama 03/06/2009 - 10:26 Protógenes São Paulo Enviado por: Diogo Siqueira Satiagraha STF Veja Ficarei nos “achismos”. Tem início o desmate em maio, e junto com ele, a retirada das toras com valor de mercado. O dinheiro da comercialização das http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/03/a-reducao-do-desmatamento-na-amazo... 5/6/2009
  5. 5. Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 4 of 7 toras é destinado à compra de insumos e preparo do solo. Chegado o início de outubro, inicia-se o plantio. Bingo? 03/06/2009 - 11:03 Enviado por: PIRANGA Luis Nassif Pelo menos em Rondônia o desmatamento esta relacional com o mercado nacional e internacional da carne bovina. Aqui ainda tem pouca soja, mas já hà uma propaganda de radio para a agricultura familiar plantar cana de açúcar. O setor de madeira dos piratas das florestas também influencia muito nas frentes do arco do desmatamento, pois são os madeireiros que abrem o caminho para a pecuária. Acredito no esforço do ministro Minc, muito melhor do que Marina Silva; mas ouve uma medida dele ontem que vai desabonar suas vitórias, foi de negociar A Floresta Nacional de Bom Futuro, beneficiando 80% dos invasores que são fazendeiro latifundiário com propriedades em outras regiões, entre eles deputados estaduais, federais, vereadores, policiais. É parte da chantagem do governo do motor serra em troca do licenciamento “na marra” pela hidrelétrica de Jirau. é a chantagem de uma destruição por outra. Mas voltando a diminuição do desmatamento, há que se dar um pequeno esforço da fiscalização do governo federal, mas ainda LINKS pequeno! RELACIONADOS A Comunidade do Blog Blog do Mello 03/06/2009 - 11:33 Comunidade de Gestão Enviado por: Alexandre Leite Comunidade Verso e Prosa Leandro Fortes Nassif, se vc pegar a série histórica do Prodes (e não do Deter que é muito impreciso), vai perceber que a lógica do mercado de Luiz Carlos Azenha commodities e desmatamento se rompeu há dois anos; A maior queda nos dados do INPE se deu no período ago/2007 e O Biscoito Fino e a Massa ago/2008; O Caso de Veja Os dados demonstram muito claramente que as ações do ministério, de Marina e mantida por Minc; deram resultados no desmatamento. O ex-ministro de FHC, Sarney Filho é o primeiro a reconhecer, é um grande aliado. E o Deter é um grande responsável por essa queda. LUIS NASSIF INDICA A Comunidade do Blog No Deter, monitoramente mensal,, vc percebe, que os dados em tempo de seca são altos, pq compensam os dados baixos em Blog do Mello tempos de chuva e muita nebulosidade. Nesse ano a nebulosidade está maior que em outros anos. A função do Deter é apontar Comunidade de Gestão tendência e principalmente, agilizar ações, as os seus dados são imprecisos. Comunidade Verso e Prosa Até o lançamento do Deter, em 2004, o gestor ambiental podia demorar mais de um ano para perceber o desmatamento de uma Leandro Fortes área. O desmatamento ocorrido em agosto, só era anunciado em outubro do ano seguinte. Hoje é praticamente em tempo real. Luiz Carlos Azenha O Biscoito Fino e a Massa O Deter é como uma foto instantânea de baixa resolução; o Prodes, uma de longo prazo em alta resolução. O Caso de Veja Vc precisa rever sua má vontade com o Minc. 03/06/2009 - 11:34 Enviado por: André M. Nassif, Tens que levar em conta também, o grande volume de chuvas em áreas onde tradicionalmente o desmatamento é muito maior! As chuvas ajudam evitar a propagação de queimadas, que são os principais destruidores das matas. 03/06/2009 - 11:35 Enviado por: Fabio Diria que a redução do desmatamento no relatório se deve a um “brutal aumento da presença de nuvens” nas fotos de satélite do INPE… 03/06/2009 - 11:48 Enviado por: DeSola Se não conseguem nem segurar o que restou da mata atlântica, imagina segurar o desmatamento na Amazonia. Ou o Governo engaja-se pra valer com uma política austera sobre o assunto ou vamos ficar nesse bate-boca chato do Minc com a bancada ruralista. creio que a partir do momento que tiraram a Marina Silva de campo deram sinal verde pros ruralistas. O Minc quando grita deseja apenas suas “contapartes”, de preferência que envolva ajuda financeira `as “entidades ambientais”. 03/06/2009 - 11:48 Enviado por: LUCA Bom dia Nassif Acho ainda que a nossa consciencia ambiental, o desmatamento como a real situação do Amazonas são coisas que a gente escuta, discute e até entende a importancia, mas ainda não viraram prioridade, costume cotidiano e atitude pela maioria de nos. O preço a pagar é altissimo e nos o estamos financiando com vencimentos e juros cada vez mais altos a serem pagos pelos nossos filhos e gerações a vir. O que acho importante é que se fale disso sempre, todo dia em cada blog em cada jornal e tv para que se torne debatido e sentido como as patralhas do Gilmar, da economia, da politica do governo, da safadeza do Dantas, do apedrejamento do Protogenes enfim debate cotidiano. Um abraço. 03/06/2009 - 12:39 Enviado por: Clever Mendes de Oliveira Luis Nassif, Você fez um post com o título “O performático do meio ambiente” de 31/05/2009 às 11:01 em que você critica o Carlos Minc em razão de seguinte notícia no Estadão “Multa do Ibama fica nove meses na gaveta após infrator ajudar Minc”. Enviei um comentário em 01/06/2009 às 00:11 para criticá-lo por não haver dado ao Carlos Minc o direito de resposta. Há uma outra crítica possível para o título que você deu ao post de então e que eu não fiz. A defesa do ambiente requer fiscalização. A fiscalização é mais atuante se ela for visível (desde que ela não seja corrupta). E a performance gera visibilidade. Assim se Carlos Minc for um performático que produz ele trará melhores resultados do que se ele não for performático ainda que produza. Gostava mais da Marina Silva do que gosto do Carlos Minc, como afirmei no comentário que enviei para o outro post. E penso que gosto mais da Marina Silva porque tenho mais a personalidade dela do que a do Carlos Minc. Na área, entretanto, de fiscalização ambiental a personalidade de Carlos Minc pode trazer mais benefícios do que a personalidade de Marina Silva traria. http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/03/a-reducao-do-desmatamento-na-amazo... 5/6/2009
  6. 6. Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 5 of 7 No caso do post acima “A redução do desmatamento na Amazônia”, não há que se falar em oportunidade de defesa de Carlos Minc, pois você está desconstruindo as alegações dele. Penso, entretanto, que há um aspecto importante que está sendo omitido. Tanto quanto o preço das commodities no mercado internacional, um fator preponderante no desmatamento é a taxa de câmbio. Quanto mais desvalorizada for a nossa moeda, mais que se depreda o ambiente na Amazônia. Serra Pelada cresceu com a máxidesvalorização de março de 1983. Os que, como eu, defendem uma moeda desvalorizada - desvalorizada ao ponto de se permitir a tributação de produtos primários e semielaborados (O que vai requer mais fiscalização contra o garimpo clandestino) e desvalorizada ao ponto de se exigir um juro mais alto para impor o sacrifício necessário para que se possa ter o excedente para as exportações (Excedente que vai permitir o crescimento puxado pelo mercado externo) - têm que reconhecer que desvalorizar a moeda é tarefa muito mais inglória do que parece. Mesmo no seu caso, que não é um defensor tão intransigente como eu da maxidesvaliorização, pois apenas defende que o juro seja mais baixo para não valorizar a moeda, mas trabalha com a concepção desenvolvimentista do crescimento puxado pelo mercado interno e, portanto, com menos excedente para as exportações, deve-se apontar para o efeito do câmbio nas exportações. Informar sobre isso é dever do jornalista que deseja que a população brasileira tenha a consciência mais plena possível do tamanho dos nossos problemas. E serve também para que os outros possam ver melhor de que lado cada um está. Clever Mendes de Oliveira BH, 03/06/2009 03/06/2009 - 14:09 Enviado por: Mauro Palhaço não seria uma boa denominação para quem baixa o nível do debate, por desespero ou interesses escusos, chamando os outros de Palhaço? 03/06/2009 - 14:18 Enviado por: Nival Júnior Lugar de escravocrata (e é isso que os ruralistas são) é na vala. 03/06/2009 - 14:48 Enviado por: Régis Paiva Prezado Nassif: Quem divulga dados de desmatamento nesta época para os locais ao sul do rio Amazonas é, no mínimo, ingênuo. Com o final das chuvas (com a chegada do frio aqui na região Norte-AC), vão-se as águas e começam os trabalho de limpeza da terra, onde a derrubada da capoeira nos locais de mata é o primeiro passo. O segundo, depois de feita a cama com as árvores menores, é a derrubada da mata. Assim, somente para os meses de agosto e setembro teremos uma visão da real posição do desmatamento deste ano agrícola. De mais a mais, é nesta segunda época que se dá o preparo do solo para o plantio, sendo este o influenciado pelos humores do mercado internacional da soja. É por causa do fator clima que o índice de nebulosidade está tão alto: estamos no final do período chuvoso. E alguém imagina um trator ou alguém se deslocando debaixo de altos índices de pluviosidade???? Assim, qualquer posição atual não reflete ao desmate deste ano. Você conhece de estatística e sabe que uma amostra com ‘escuridão’ da ordem mínima de 63% até 73% (com picos acima de 80%) não permitem ‘clarear’ nada. 03/06/2009 - 17:18 Enviado por: Alexandre Leite Régis, o anúncio mensal (trimestral nessa época) dos dados do Deter são realmente, no mínimo, inadequados. Não refletem qualquer realidade, pois os efeitos sazonais são gigantescos O ministro Minc chegou a sugerir o anúncio trimestral, mas foi atacado pela imprensa, sugerindo que ele estaria tentando esconder dados ruins. Repare que há 5 anos, esses dados não existiam. 03/06/2009 - 17:41 Enviado por: Alexandre Leite Ao que parece a MP-458 que versa sobre a regularização de terras da Amazônia Legal deverá ser aprovada no Senado sem modificações, mantendo o texto aprovado na Câmara; A relatora gostaria de mudar (para pior na minha opinião), a base do governo gostaria de mudar (para melhor na minha opinião), mas não há tempo. Se o texto for modificado, volta à Câmara e a MP perderá o prazo. O texto aprovado na Câmara tem problemas, mas sem sombra de dúvida, no principal, é um avanço no marco regulatório da região. 03/06/2009 - 18:26 Enviado por: NOELY Ós grandes devastadores da floresta Amazônica,também são os pecuaristas.Agora quem comprar carne dessas regiões vão se multados e o gado apreendido. Entre os compradores estão o grupo Carrefour,Wall Mart,Pão de Açucar!, que compram da Bertin, uma das maiores destribuidora de carne do Brasil.Agora,vão ter que responder pelo agravante fato de comercializar carne bovina vindo de terras proibidas,assim colaborando com o desmatamento da Amazônia,e sabe -se que a fazenda Espirito Santo é nada mais nada menos da irmã de Daniel Dantas!! me parece que ele está em todas. 03/06/2009 - 20:16 Enviado por: Alex VERSÃO KATIA & TASSO: “BETTER DEAD THAN RED” “Better dead than red” – foi uma palavra de ordem que os anticomunistas americanos usaram no macartismo e na Guerra Fria: “melhor morto do que vermelho”, ou “comunista bom é comunista morto”. Topo http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/03/a-reducao-do-desmatamento-na-amazo... 5/6/2009
  7. 7. Luis Nassif - Sobre economia, política e notícias do Brasil e do Mundo » A redução d... Page 6 of 7 . A propósito do Ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, os senadores Tasso Jereissati e Katia Abreu ofereceram agora ao Brasil uma versão de jagunço para a famosa frase: “ambientalista bom é ambientalista morto”; ou “melhor morto do que ambientalista”. . O ex-presidente do PSDB, Tasso Jereissati, disse o seguinte, da tribuna do Senado Federal da República: “V. Exª (Kátia Abreu) disse uma frase muito importante: “Se dez Mincs desaparecessem da Terra hoje, nenhuma falta…” Não estou querendo que eles desapareçam, até porque eles são engraçados, são divertidos, apenas que não falem bobagem. Mas, se desaparecessem, não fariam a menor falta a nenhum brasileiro.” . Antes a senadora Katia Abreu, do PFL e presidente da Confederação Nacional da Agricultura, tinha dito: “Eu quero dizer a esse ecoxiita profissional, alienado da economia nacional, que o Brasil e o Governo podem viver sem o senhor, Ministro. O Brasil sem o senhor não sentirá nenhuma falta. Mas o Brasil sentirá muita falta se os produtores rurais perderem a sua posição. Com a ausência de V. Exª no Ministério, o Brasil não alterará uma vírgula, porque o senhor não conhece o que é trabalho, o senhor não conhece o que é produção, o senhor só trabalhou e conseguiu até hoje acumular um pequeno patrimônio político para ser Deputado Estadual. “ Veja aqui os discursos de ambos. . Ou seja, a Oposição resolveu partir para a ameaça de morte. . O Ministro Carlos Minc deveria pedir proteção à Polícia Federal. Paulo Henrique Amorim Em tempo: uma amiga navegante me contou que o Arthur Xexéo na CBN, hoje de manhã, disse que isso que a Kátia e o Tasso fizeram é coisa de ruralista: contratam jagunço e mandam matar. A mesma amiga navegante gostaria de ver o presidente Lula, nesse momento em que sofre ameaça de morte, dar total apoio a Minc e mandar a Polícia Federal protegê-lo. FONTE: http://www.paulohenriqueamorim.com.br/?p=11669 03/06/2009 - 20:30 Enviado por: Alexandre Leite Voltando a MP-458 que versa sobre a regularização de terras da Amazônia Legal. A oposição resolveu acatar integralmente o texto aprovado na Câmara. A base aliada, ao contrário, está tentando, via emendas, fazer com que o texto original do governo seja restaurado. A minha aposta é que a base aliada perca; “A medida original determinava que somente pessoas físicas poderiam ser beneficiadas pela regularização da ocupação de terras situadas em áreas da União. A Câmara dos Deputados estendeu esse benefício a pessoas jurídicas. A MP do governo previa que as transferências de posse somente poderiam dar-se depois de dez anos da regulamentação. O PLV 09/2009 permite que pessoas jurídicas possam transferir essas propriedades em três anos, enquanto mantém o prazo de dez anos para os pequenos proprietários.” 03/06/2009 - 22:57 Enviado por: Alexandre Leite Voltando a MP-458 que versa sobre a regularização de terras da Amazônia Legal. Como era esperado, os únicos dois destaques que foram votados, por acordo, foram derrotados por 23X21 e 1 abstenção. Nos dois destaques a senadora tentava retirar mudanças feitas na Câmara. Em seus destaques de votação em separado, Marina Silva propunha que os grandes beneficiários da regularização fundiária na Amazônia fossem impedidos de vender as terras em até 10 anos (ficou 10 anos para os pequenos e 3 anos para os grandes) e que fosse vedado o uso de prepostos para a ocupação da terra. Há de se destacar tb o quorum de uma matéria desta importância. Somente 45 de suas excelências numa quarta-feira. De qualquer forma, é preciso destacar que o texto aprovado é um enorme avanço para a região. Poderia ter ficado melhor, mas pior que a situação atual, é impossível. Deixe um comentário Autor: * E-mail: * Url: Comentário: * Enviar « A questão dos precatórios Uma visão sobre os presidenciáveis » http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/06/03/a-reducao-do-desmatamento-na-amazo... 5/6/2009

×