Encontro de Escolas TEIP                Micro-Redes                      Évora, 4.2.2013
Estratégias que promovem a aprendizagem               Cultura de escola A importância do trabalho partilhado – reflexão e...
 A motivação da equipa e o reconhecimento do trabalho          Cultura de escolarealizado; É fundamental gerir, eficazme...
Cultura de escola Separação dos alunos por grupos de homogeneidaderelativa a português e matemática – atender aosdiferent...
Cultura de escola• As lideranças intermédias;• O sentido de escuta e o diálogo;                                           ...
Cultura de escola- “Há sempre alguns alunos que não aprendem comoos outros... São alunos que precisam de percursosdiferenc...
Cultura de escolaJosé Verdasca, Professor da Universidade de Évora,salienta que é fundamental que a escola tenha acapacida...
Professor Verdasca referiu ainda que:                                                                       Cultura de esc...
O professor faz a diferença! – Vitor Alaiz, Professor da UCP                                                              ...
Cultura de escolaO Professor Vitor Alaiz também ressaltou que:A avaliação - uma forma de repensar a escola;              ...
Alexandre Martins, Professor da ESE de Portalegre,                  Cultura de escolareforça que o Programa TEIP é um desa...
Cultura de escola Professor Fernando Reis, Diretor-Geral da Educação, focou osseguintes aspetos:I.    Intervir nos primeir...
Site institucionalhttp://www.dgidc.min-edu.pt/teip/Blog - Rede Escolas TEIPhttp://programateip.blogspot.pt/Facebook – Prog...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Teip 8º encontro micro redes

896 views
754 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
896
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
392
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Teip 8º encontro micro redes

  1. 1. Encontro de Escolas TEIP Micro-Redes Évora, 4.2.2013
  2. 2. Estratégias que promovem a aprendizagem Cultura de escola A importância do trabalho partilhado – reflexão entrepares: Alunos  O perfil do professor; Professores  A continuidade pedagógica - apropriação de um projeto de escola e de dinâmicas de trabalho Assistentes operacionais colaborativo; Família O envolvimento/ implicação de todos os parceiros em prolda melhoria: direção, professores, alunos, pais, comunidade,autarquias; Comunidade Évora, 4.2.2013
  3. 3.  A motivação da equipa e o reconhecimento do trabalho Cultura de escolarealizado; É fundamental gerir, eficazmente, os recursos que a escolapossui – princípio do máximo efeito. Alunos Professores  Trabalhar em assessoria pode fomentar a reflexão/ partilha e melhoria de práticas; Assistentes operacionais Nas assessorias, o par pedagógico pode ser determinante nas dinâmicas de trabalho em sala de aula – a afinidade e a complementaridade entre os Família docentes;  A aprendizagem/ formação entre pares em contexto de trabalho; Comunidade  Os técnicos de intervenção social Évora, 4.2.2013
  4. 4. Cultura de escola Separação dos alunos por grupos de homogeneidaderelativa a português e matemática – atender aosdiferentes ritmos de trabalho – pedagogia diferenciadae mais individualizada; Alunos Professores Tutorias.Um exemplo: tutorias feitas por alunos mais velhos – deforma voluntária apadrinham um colega mais novo, Assistentes operacionaisajudando-o no percurso escolar; Família Uma melhoria sustentada implica uma intervençãoprecoce , ao nível do 1º ciclo – é um investimento, sãoos alicerces; Comunidade Évora, 4.2.2013
  5. 5. Cultura de escola• As lideranças intermédias;• O sentido de escuta e o diálogo; Alunos• A articulação vertical e horizontal; Professores• A avaliação – aferir e reforçar os melhores processos; Assistentes operacionaisÉ fundamental avaliar/monitorizar os processos.A autorregulação na procura de outras linhas de ação. Família A escola tem se de apropriar do projeto que está noterreno – há um caminho a percorrer. Comunidade Évora, 4.2.2013
  6. 6. Cultura de escola- “Há sempre alguns alunos que não aprendem comoos outros... São alunos que precisam de percursosdiferenciados” Alunos...contudo.... Professores- “Aprendem! É preciso é que tenham condições paraaprenderem...” Assistentes operacionaisMas com apoio direcionado, indo ao encontro das dificuldadesde cada aluno é possível levar TODOS a aprender MAIS. Família“…agarrar o aluno, logo,...fazer-lhe crer que é capaz...pois,destaforma, os alunos e os pais investem, desenvolvem expectativas Comunidadepositivas – há outras oportunidades de aprendizagem.” Évora, 4.2.2013
  7. 7. Cultura de escolaJosé Verdasca, Professor da Universidade de Évora,salienta que é fundamental que a escola tenha acapacidade de comprometer todos os atores, fazer odiagnóstico de aptidões e consiga atingir a qualidade e Alunosa universalidade – Como? ProfessoresI. Diferenciação curricular;II.Flexibilidade plurianual - a lógica de ciclo;III. Diversidade pedagógica; Assistentes operacionaisIV.O investimento educativo nos primeiros anos é determinante para a aprendizagem;V. Negociar, compromentar e envolver. Família Comunidade PROGRESSÃO SUSTENTADA Évora, 4.2.2013
  8. 8. Professor Verdasca referiu ainda que: Cultura de escola• O centro do processo é o aluno;• Há estudos que apontam que a repetência tem um efeitopedagógico nulo ; Alunos• Os ritmos de aprendizagem dos alunos são diferentes: não Professoresaprendemos todos da mesma maneira nem no mesmo tempo;• É necessário a elaboração de percursos diferentes, ajustados àrealidade das turmas e dos alunos; Assistentes operacionais• Criação de compromisso e da responsabilidade partilhada; Família• É necessário um olhar preventivo logo no arranque do percursoescolar; Comunidade Professor Verdasca Évora, 4.2.2013
  9. 9. O professor faz a diferença! – Vitor Alaiz, Professor da UCP Cultura de escolaEsclareceu que é importante fomentar a informalidadenas dinâmicas de trabalho versus a colegialidade forçada; Alunos É necessário criar mecanismos eficazes e menos Professoresburocráticos; Assistentes operacionais Os professores têm de assumir a sua responsabilidadena aprendizagem dos alunos – ver as metas como fator de Famíliamelhoria; Comunidade É essencial que se encontre uma colegialidade autêntica– uma mentalidade coletiva e de grupo que secomprometa com a aprendizagem dos alunos. Vitor Alaiz Évora, 4.2.2013
  10. 10. Cultura de escolaO Professor Vitor Alaiz também ressaltou que:A avaliação - uma forma de repensar a escola; Alunos Dar conhecimento à comunidade dos resultados da Professoresavaliação faz com que os professores assumam a suaparte de responsabilidade; Assistentes operacionais FamíliaResponsabilidade partilhada ao nível dos conselhos deturma e de departamento que contribuem para amelhoria da prática docente. Comunidade Vitor Alaiz Évora, 4.2.2013
  11. 11. Alexandre Martins, Professor da ESE de Portalegre, Cultura de escolareforça que o Programa TEIP é um desafiofundamental, assim como, a capacidade de cooperaçãoentre docentes, onde salienta o trabalho em parceriade sala de aula Alunos ProfessoresAvaliação e monitorização partilhada – os atoresdevem ser capazes de aferir os processos “menosconseguidos” e encetar estratégias promotoras do Assistentes operacionaissucesso dos alunos. FamíliaTorna-se ainda relevante convocar os recursos dacomunidade para o cumprimento das metas. Comunidade Professor Alexandre Martins Évora, 4.2.2013
  12. 12. Cultura de escola Professor Fernando Reis, Diretor-Geral da Educação, focou osseguintes aspetos:I. Intervir nos primeiros anos de escolaridade é crucial; AlunosII. Encontrar as estratégias mais adequadas para colmatar as dificuldades logo que sejam detetadas; ProfessoresIII. “A escola aberta” – mudança de paradigma que fomenta o trabalho colaborativo e a melhoria. Assistentes operacionaisIV. Destacou que há muitas situações em que a escola tem de encontrar a melhor solução. Frisou que a escola possui alguma margem de manobra (autonomia) para agir e deve Família utilizá-la – tem de gerir os recursos e fazer as opções que se constituam nas melhores oportunidades de aprendizagem para os seus alunos – identificar as necessidades, redefinir Comunidade opções e encontrar caminhos promotores do sucesso; Professor Fernando Reis Évora, 4.2.2013
  13. 13. Site institucionalhttp://www.dgidc.min-edu.pt/teip/Blog - Rede Escolas TEIPhttp://programateip.blogspot.pt/Facebook – Programa TEIP Escolas Évora, 4.2.2013

×