1a Atividade Marcacao Erros Producoes Textuais

4,073 views

Published on

Published in: Business, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,073
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
129
Actions
Shares
0
Downloads
74
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1a Atividade Marcacao Erros Producoes Textuais

  1. 1. Corpus de Aprendiz Marcação de erros sistematização e princípios Profa.Tânia Shepherd Lucilene Fonseca LAEL, 2o Sem 2007
  2. 2. <ul><li>ATIVIDADE DE CLASSE: </li></ul><ul><li>Dissertação-Argumentativa </li></ul><ul><li>O aluno do 3o Ensino Médio - EJA necessita demonstrar, para a construir um texto, dissertativo-argumentativo, conhecimento dos mecanismos lingüísticos. Neste exercício, considero e analiso os erros: </li></ul><ul><ul><li>gramaticais <G> </li></ul></ul><ul><ul><li>lexicais <L> </li></ul></ul><ul><ul><li>ortográficos <O> </li></ul></ul><ul><ul><li>léxico-gramaticais <LG>  </li></ul></ul><ul><ul><li>inadequações <I>   </li></ul></ul><ul><ul><li>problemas de registro <IR>  </li></ul></ul><ul><li> (informalidade x formalidade) </li></ul><ul><ul><li>Informalidade: abreviações, vagueza, gíria, pontos de exclamação, aspas para indicar um uso conotativo de uma expressão, linguagem politicamente incorreta para uma argumentação. </li></ul></ul>
  3. 3. Produções Textuais de alunos 3o EM-EJA 1o. Caso autêntico No meu ponto de vista este filme foi um passo muito importante em direção ao Modernismo, pois o altor do mesmo, ao fazer este filme quebrou a censura e abalou a ética parnaciana e mostrou muito a realidade do cotidiano brasileiro vivido pelas duas classes (a formal e a não formal) ou seja o altor se preocupou em mostra os dois lados da moeda. - Analisando o filme nos podemos notar que a característica do altor e diferente dos literatos antigos que tornavam todas as histórias perfeitas sem nem um defeito, fugindo assim da completa realidade humana. - O altor foi bem sucedido quando permite na sua história o finado voltar ao mundo dos vivos como alma que só se revelava a sua ex-viuvá que ilusoriamente podia toca-lo e senti-lo, pois ai nos observamos que ela têm o completo equilibrio, sabendo lidar e de adequar ao estilo de cada marido. , Vivendo dessa forma com os “dois”, completamente diferentes um do outro., Nos mostrando de uma forma simples e de facíl compreensão: que podemos nos comportar de acordo com o ambiente que nós estamos relacionados ou seja : para o primeiro marido o comportamento que ele levava estava diacordo com o ambiente que ele vivia depravadamente, já para o segundo marido as pessoas do seu meio hambiente não estranhavam o comportamento pois era propício para as ocasiões que ele vivia. - Se nós trocasemos de lugar os perssonagens e colocase-mos o 1 o . Marido no lugar do 2 o . e o 2 o . no lugar do 1 o . , não havendo uma adaptação dos perssonagens no seu novo meio, alem dos diversos vechames que cada um poderia passar. - Dona Flor nos mostra atravez da convivência com seus “dois” maridos, um certo equíbrio entre o o formal e o não formal...
  4. 4. Erros marcados Produções Textuais de alunos 3o. EJA 1o. Caso autêntico: No meu ponto de vista este <G/IR> filme foi um passo muito importante em direção ao Modernismo, pois o altor <O> do mesmo, ao fazer este <G> filme quebrou a censura e abalou a ética parnaciana <O> e mostrou muito a realidade do cotidiano brasileiro vivido <G> pelas duas classes (a formal e a não formal) ou seja <IR> o altor <O> se preocupou em mostra <LG> os dois lados da moeda <I>. - <G/IR> Analisando o filme nos <G> podemos notar que a característica do altor <O> e <G> diferente dos literatos antigos que tornavam todas as histórias perfeitas sem nem um <LG> defeito, fugindo assim da completa realidade humana. - O altor <O> foi bem sucedido quando permite na sua história o finado voltar ao mundo dos vivos como alma que só se revelava a sua ex-viuvá <O> que ilusoriamente podia toca-lo <LG> e senti-lo, pois ai nos <LG> observamos que ela têm <LG> o completo equilíbrio <O>, sabendo lidar e de <G> adequar ao estilo de cada marido . ,<G> Vivendo dessa forma com os “dois”, completamente diferentes um do outro ., Nos <I/G> mostrando de uma forma simples e <G> de fac í l <O> compreensã o: <I> que podemos nos comportar de acordo com o ambiente que nós estamos relacionados ou seja : <IR> para o primeiro marido o comportamento que ele levava estava diacordo <LG> com o ambiente que ele vivia depravadamente , já <LG> para o segundo marido as pessoas do seu meio hambiente <O> não estranhavam o comportamento pois <G> era propício para as ocasiões que ele vivia. - Se nós trocasemos <O> de lugar os perssonagens <O> e colocase-mos <LG> o 1 o . Marido no lugar do 2 o . e o 2 o . no lugar do 1 o . , não havendo uma adaptação dos perssonagens <O> no seu novo meio, alem <O> dos diversos vechames <O> que cada um poderia passar. - Dona Flor nos mostra atravez <O> da convivência com seus “dois” <IR> maridos, um certo equ i brio <G> entre o o <LG> formal e o não formal...
  5. 5. Análise 5 2 9 14 7 1o Caso IR I LG O G Erros/Caso
  6. 6. Produções Textuais de alunos 3o. EJA 2o. Caso autêntico: O filme tem início com uma cena de carnaval onde se mostra um pouco do foclore brasileiro, o bumba meu boi, logo então tem, o casamento com todo seu ritual de promessas de amor, onde e quebrado logo depois da lua de mel, com cenas de sexo expondo totalmente a nudez, o vadinho mostra um pouco da realidade do mundo nas cenas de jogos, esse que é um viciado onde chega a pedir dinheiro ao padre com promessas de que se ganhar mandaria arruma a igreja, o mesmo entra em conflitos com a sua esposa chegando a brigar e tomar o dinheiro da mulher. 3o. Caso autêntico: Jorge Amado, se espirou na musica de Chico Boarque para fazer o filme. Dona Flor e Seus Dois Maridos. Na epoca de revolução modernista. Mostrando a realidade Brasileira da epoca. Mostra a sensura, desiqualdade social. São dois amos completamente diferentes, Mas de serta forma era uma barreira da Sociedade. O filme mostra um lado social pouco abrangente na epoca. As pessoas fazem suas criticas em cima da sociedade ou a favor dela.
  7. 7. Erros marcados Produções Textuais de alunos 3o. EJA 2o. Caso autêntico: O filme tem início com uma cena de carnaval onde <G> se mostra um pouco do foclore <O> brasileiro, o bumba meu boi <G>, logo então tem <I>, o casamento com todo seu ritual de promessas de amor <IR>, onde e <G> quebrado logo depois <I> da lua de mel <G>, com cenas de sexo expondo totalmente a nudez, o vadinho <O> mostra um pouco da realidade do mundo nas cenas de jogos, esse <G> que é um viciado onde chega <LG> a pedir dinheiro ao padre com promessas de que <G> se ganhar <G> mandaria arruma <G> a igreja, o mesmo entra em conflitos com a sua esposa chegando a brigar e tomar o dinheiro da mulher. 3o. Caso autêntico: Jorge Amado , se espirou <IR/LG> na musica <G> de Chico Boarque <O> para fazer o filme . <I/G> Dona Flor e Seus Dois Maridos. Na epoca <LG> de revolução modernista <IR> . Mostrando <LG> a realidade Brasileira da epoca <LG>. Mostra a sensura <O>, desiqualdade <O> social. São dois amos <O> completamente diferentes , Mas <LG> de serta <O> forma era uma barreira da So ciedade <O/IR>. O filme mostra um lado social pouco abrangente na <G> epoca. <IR/G> As pessoas fazem suas criticas <LG> em cima da sociedade ou a favor <IR> dela.
  8. 8. Análise 4 1 3 6 3 3o 1 2 1 1 9 2o IR I LG L G Erros/Casos

×