• Save
Discurso Dr. Sérgio Pitaki - Posse Diretoria Nacional da Sobrames 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Discurso Dr. Sérgio Pitaki - Posse Diretoria Nacional da Sobrames 2013

on

  • 497 views

Posse da Nova Diretoria Nacional da Sobrames proferido em 04 de Março de 2013, na Associação Médica do Paraná.

Posse da Nova Diretoria Nacional da Sobrames proferido em 04 de Março de 2013, na Associação Médica do Paraná.

Statistics

Views

Total Views
497
Views on SlideShare
497
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Discurso Dr. Sérgio Pitaki - Posse Diretoria Nacional da Sobrames 2013 Discurso Dr. Sérgio Pitaki - Posse Diretoria Nacional da Sobrames 2013 Document Transcript

  • Senhoras e senhores, autoridades, meus amigos, A palavra estética vem do grego “aesthesis” e significa "faculdade de sentir","compreensãopelossentidos" oupercepção. A obra de arte é individual, concreta e sensível, é perceptívelaosnossossentidos. Étambémumainterpretaçãosimbólica do mundo, umaatribuição de sentidoao real e uma formade organizaçãoquetransforma a experiêncianumacompreensãopelossentidos. Acredito que a percepção do Belo e do Feio não exista intrinsecamente no objeto mas noobservador. Essa é uma teoria defendida por David Hume, no Século XVII, ou seja, gosto não sediscute. Outros filósofos debruçaram-se sobre o mesmo tema, como Kant e Hegel, porémdesde que a arte desvinculou-se e rompeu com a ideia de ser “cópia do real” houve umamagnífica abertura para o desenvolvimento e progresso das artes. O entendimento do que é Belo ou Feio depende de variáveis tão vastas em tempo elugar, que uma visão estreita, miópica, poderia enxergar somente o que a circunda na própriacicatriz umbilical. O crítico de artes deve ser mais intransigente, mas abrangente e ensinar ou pelomenosdirecionaro caminho pelo qual a história e experiências anteriores, puderamidentificar ecertificar além “do Belo e do Feio”, o que é bom e o que é ruim. A literatura não é diferente. Acredito que ela contenha na sua história o canto daverdade, originalidade e ainda mais a faculdade de traduzir aquilo que foi o desenvolvimentohumano desde priscas eras. Na relação estética da arte, mais intensamente na literatura, faz-se mais importanteconhecer do que preferir. Aprimorar o gosto. Aprofundar nas páginas e páginas, contos econtos, versos e trovas. Nas questões de gostos e preferências as artes plásticas permitem perceber ou sentirsem antecedentes culturais ou de conhecimento, que é o prazer pelo prazer. Como experiência pessoal, lembro do momento de estupefação, falta de ar e extremaemoção quando me deparei com a escultura de Gustav Vigeland, em Oslo na Noruega. No finaldo parque Vigeland, encontra-se um monolito de 14 metros de altura com 121 figuras humanasamontoadas, retratando a ressurreição do homem ou a briga pela sobrevivência, atranscendência ou a repetição cíclica da vida. Maravilhoso. Em outra oportunidade no Museo Rainha Sofia em Madrid, com a mesma intensidade,fiquei sem ar e perdi o chão quandosemaviso nenhum, vio painel “Guernica”, de Pablo Picasso.Com seus mais de 3 metros de largura, senti em mim naquele momento a injustiça da guerra eo sofrimento humano. É a arte em si e por si, que nos move.
  • Assim, intensamente belo, é um soneto de Emiliano Perneta , do prólogo de seu livro de1911, chamado “Ilusão”, que escolhi para ler nesse momento: “Estrelasqueluzisnaabóbadainfinita, Inquietamente, assim, como um olharquefascina, Vendo-vospalpitar, meucoraçãopalpita, Mordido de paixãoporessaluzdivina... Largos céusideais, regiãodiamantina, Miríficoesplendor, ó perolaesquisita, Quanta cobiçavã, quenunca se imagina, Quanto furor enfim o ânimo me excita! É o impossível, pois, queeuamounicamente, Anévoaquefugiu, a forma evanescente, A sombraque se foitalqualumavisão... Eporissotambém, porisso é queeusuponho Que a vida, emsuma, é um grande e extravaganteSonho, E a Belezanão é maisdoqueumaIlusão!” Queridos amigos, a semântica do discurso é minimamenteinvasiva, assimcomo amedicinaatual, nãochegaaoâmago do que é viver esofrer, viver esonhar, viver e morrer. É umpalimpsesto, um quadroreutilizavel, no qual se apagam as sensações e experiências e renovam-se de tempos em tempos.Essa é a arte moderna e também a poesia. Somosúnicos esomostodos, um. “Porquenãoesperoretornar Porquenãoespero Porquenãoesperoretornar Aesteinvejando-lhe o dom e àquele o seuprojeto Nãomais me empenho no empenho de taiscoisas (Porqueabriria a velhaáguiasuaasas?) Porquelamentariaeu, afinal, O esvaidopoder do reino trivial?”
  • Lendoessetrecho de um poema, dentro da minhaprópriainsipiência,talvezequivocadamentesupusesseser“Drummond”.Masé de fato Thomas Stearns Eliot. Originale de grandeinfluênciaemváriasgerações de poetas. AffonsoSant’Annaescreveunaapresentação do livro “Poesia” de T.S.Elliot,puplicadopelaEditora Nova Fronteira: “CamõescitavaVirgílioquecitavaHomero”.Mesmoele,Eliot, “poetaparapoetas” utilizou o estofopoético de escolparafundamentarseutrabalho eaindacomimportantesinfluências, comoporexemplodo seu amigo, poeta e critico Ezra Pound(cujolivrohá tempos habitameucriado-mudo, edo qualaindatenhoesperançasdereceberalgumainfluência!!). Mas: “No fundo, no fundo, Bemlá no fundo, A gentegostaria De vernossosproblemas Resolvidospordecreto. A partirdesta data, Aquelamágoasemremédio É consideradanula E sobreela – silêncioperpétuo” EsseparanaensePaulo Leminski! Foigrande e polêmico. Queridos amigos, apósesseprelúdio,enalteçoduasfigurasilustresquedevemserlouvadasnestemomento esemosquaiseunãoestariarecebendo o cargo de Presidente,quetanto me honra e dignifica,sãoeles: EuricoBrancoRibeiro, médicoparanaense de Guarapuava, de 29 de março de 1092,radicadoem São Paulo,idealizadore fundadorde nossasociedade e um dos seuspilares,atuandocomoseudefensorferrenhodesde o início. EGláucioBandeira,tambémmédicorenomadoe escritorparanaense, nossoprimeiropresidente. EletambémpresidiuoCentro de Letrasdo Paraná emduasGestõesem 1948 e 1956. A história da SociedadeBrasileira de MédicosEscritorsteveinícioem 23 de abril de1965.Somos, portanto, umaegrégora de quase48 anos.
  • Atualmentecentenas de médicosbrasileirosdedicam-se à literatura, pertencem eestãoconectadosaessaentidadeassociativa, sem fins lucrativos. São 23 regionaisestaduais e uma no Distrito Federal.Foramrealizadosdezenas decongressos e jornadas.Em Curitiba,tivemos o prazer de recebersobramistas de todos opaísemtrêsoportunidades, CongressosNacionaisem 1984 e 2012 e Jornadaem 1992.Inesquecíveis. Helena Kolodyfoiumapoetisaparanaense. No últimoanocomemoramos o centenário deseunascimento. Houvehomenagensjustas e sincerasde todotipoemtodoo Estado do Paraná. Recorro a um dos seuspoemasparahomenagearossobramistasparanaensesfalecidosnesses últimostrêsanos, ApolônioZardo, Ary de Christan, Domingos de Carvalho, MárioPilotto,MoisésPaciornik, Ruy Noronha de Miranda, Sebastião Vicente de Castro e recentemente oquerido amigo parauaraSérgioPandolfo, queparticipouativamente do Congressoem Curitiba edas recentesatividades da Academia Brasileira de MédicosEscritores. “A morteespreita, emsilêncio, o vivo jogo dos homens, notabuleiro do tempo. Estende, àsvezes, de repente, A longa mãofeita de sombra E tira um peão do tabuleiro.” Mas as batalhasnãocessam: “Quandonissoiam, descobriramtrintaouquarentamoinhos de vento, quehánaquele campo.Assimque D. Quixote osviu, dissepara o escudeiro:- A aventuravaiencaminhandoosnossosnegóciosmelhor do queo soubemosdesejar; porque,vêali, amigo Sancho Pança, onde se descobremtrintaoumaisdesaforadosgigantes, comquempensofazerbatalha e tirar-lhes a todos as vidas..” “Cavaleiro de TristeFigura”, “Exército de um CavaleiroSó”vaicomseuRocinantee seufielamigo e escudeiro Sancho Pança. É a guerrapelossonhos e pelosideaisquevivemos elutamos.Nosidentificamos à sua saga, emproteger e salvarDulcinéia, sejaelaqual for,umdesideratoouumaaspiração. A Sobrames, Senhoras e Senhores, é um sonho de muitos.Um ideal. Umcaminho a
  • serpercorrido, comoimaginado e sonhadoporEuricoBrancoRibeiro, GláucioBandeira e outroshipocráticosescritores, que se tornaramarautos da cultura no seumeio e aguerridosdefensoresda literatura. Agradeço o apoio fundamental para o sucesso do XXIV Congresso da SobramesaquiemCuritiba, no ultimo mês de Outubro, da AssociaçãoMédica do Paraná através do seupresidenteo sobramistaJoão Carlos Baracho e da Academia Paranaense de Medicinaatravés doseupresidente o sobramistaHélioGerminiani. Agradeço a confiançadepositadanavotaçãomaciça, unânime, nesta nova Diretoria,AlípioBordalo de Belém do Pará, Luiz Gonzaga Barreto de Recife, Hélio Moreira de Goiania,Marco AurélioBaggio de Belo Horizonte e Sonia Maria Braga, MárcioFabianoBastos, PauloMaurícioPiá de Andrade, Roberto Carneiro,todosde Curitiba. São amigos, companheiros, agoracomdenominaçãoestaturária de vice-presidentes, secretários e tesoureiros.SomenteNominaburocrática. O que vale é o esforço, entusiasmo, alegria edeterminaçãonaatitude e responsabilidadecom as quaisagora abraçamos. Agradeçoosmembros da DiretoriaGestão 2011-2012 quevieramparaessasolenidade, MarcoAurélioBaggio, JosemarAlvarenga e José Carlos Serufo, mineiros de bomestofo e dealtadensidadeliterária, queengrandecem a Sobrames. Agradeço a presença da presidente da Academia Brasileira de MédicosEscritores,tambémsobramista, JuçaraViegasValverde.
  • Olho pelas minhas janelas abertas, Apreciando outras no Brasil inteiro. E assim, me vejam descobertas Virtudes algumas que me façam faceiro. Vejo muitos caminhos tortos Traçados sem muito conceito. Percorrem-se quaisquer portos Com muito fogo no peito. Enxergo tudo muito de perto Mapas, detalhes e trajetos Numa viagem de rumocerto. Imagino um destino perfeito. Mas rotas com caminhos corretos Não se conhecem de nenhum jeito. Creio que esse meu poema traduz o começo de uma gestão de âmbito nacional.Destino perfeito, mas rotas e caminhos corretos são desconhecidos. Há que se trilhar, com coragem e determinação. A cada um de vocês, agradeçoa presença.Engalanaramesseinefávelmomento. Muito obrigado!