• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Revista Perfil Náutico ed 32
 

Revista Perfil Náutico ed 32

on

  • 1,110 views

Edição 32 Revista Perfil NÁutico

Edição 32 Revista Perfil NÁutico

Statistics

Views

Total Views
1,110
Views on SlideShare
1,110
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
9
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Revista Perfil Náutico ed 32 Revista Perfil Náutico ed 32 Document Transcript

    • MUNDO NÁUTICO: Linha IPS da Volvo Penta. Potência e tecnologia para seu barco R$ 14,00 · Ano 07 · nº 32 · 2012 · www.perfilnautico.com.br Da praticidade ao luxo VELEJAR Mais que um estilo de vida 6 veleiros de 30 a 55 pés Perfil Estaleiro Phoenix Boats. Por que vende tanto? Volvo Ocean Race Itajaí STOPOVER 2012 E MAIS! Escolha a embarcação que tem o seu perfil: Intermarine 65 Beneteau Flyer Gran Turismo 49 Triton 295 Pirelli Pzero 1100
    • Nova Intermarine 53. A nova dimensão do espaço e design. Dealers Oficiais sP Marine - www.spmarine.com.br angra dos reis, rJ: (24) 3361.2527 - Balneário camboriú, sc: (47) 3361.6139 curitiba, Pr: (41) 3233.3636 - Guarujá, sP: (13) 3305.1500 / 3305.1594 são Paulo, sP: (11) 3581.4646 - caraguatatuba, sP: (12) 3887.1786 salvador, Ba: (71) 3321.8653 interyachts - www.interyachts.com.br angra dos reis, rJ: (24) 3377.4785 - curitiba, Pr: (41) 9973.5462 florianópolis, sc: (48) 4141.2151 - Guarujá, sP: (13) 3354.5861 são Paulo, sP: (11) 3071.2252 - rio de Janeiro, rJ: (21) 3282.5225 NovA LiNhA iNtermAriNe www.intermarine.com.br
    • C M Y CM MY CY CMY K
    • Uma incrível aventura Todos a bordo do barco Perfil Náutico N os últimos dois meses enfrentei uma desafiadora e gratificante missão, assumir o comando do barco Perfil Náutico enquanto seu capitão estava em merecidas férias. Apesar de já ser uma tripulante desde o primeiro ano da revista, estar no timão de uma grande embarcação é de extrema responsabilidade. Como não se navega um barco desses sozinha, não chegaria ao destino sem a ajuda de uma competente tripulação. Agradeço quem esteve ao meu lado nos dias de mar agitado e que também agora aprecia a calmaria: a edição 32 da Perfil Náutico! Abordando a arte de velejar, produzimos duas matérias especiais sobre vela, escritas pelo jornalista Antonio Alonso Junior que divide sua experiência de tantos anos cobrindo. Em “Seis Veleiros e um Planeta”, entramos no agitado mundo da Volvo Ocean Race, a maior competição de volta ao mundo, que aporta em Itajaí em abril. Na matéria de capa, “Ao Sabor do Vento”, falamos dos diferentes tipos de velejadores e apresentamos seis veleiros: do mais luxuoso ao mais prático. Amanda Kasecker e Thaís Zago trazem o Perfil das novidades do mercado. Conheça a Intermarine 65, a Beneteau Flyer Gran Turismo 49, a Triton 295 e o bote Pirelli PZero 1100. Na seção Perfil Estaleiro fomos descobrir por que a Phoenix Boats é líder de vendas no país. Angelo Sfair nos mostra um empreendimento em Balneário Camboriú que une duas paixões: iate e golfe. Ainda em Santa Catarina fomos conhecer a região chamada Costa Verde & Mar que vai de Itajaí a Porto Belo, trazendo dicas para quem vai curtir a Itajaí Stopover da Volvo Ocean Race. Mergulhamos com Carol Schrappe e Kadu Pinheiro nas ilhas do sul da Colômbia e embarcamos no stand up paddle de Roberta Borsari em Galápagos para redescobrir as maravilhas desse arquipélago que encantou Darwin. Vela, motor, natureza, esporte e muito estilo você encontra nas próximas páginas da sua Perfil Náutico. Divirta-se! S www.sessamarine.com.br Editorial Conselho Diretor Aldo Alfredo Malucelli aldo@grupocanal.com.br Carlos Alberto Gomes carlos@grupocanal.com.br José “Juca” Kolling jose.juca@grupocanal.com.br Luiz Alfredo Malucelli luiz@grupocanal.com.br Depto. de Jornalismo Editora e Jornalista Responsável Rafaella Malucelli rafaella.malucelli@grupocanal.com.br DRT-PR 7146 Revisão João Batista Ribeiro Colaboram nesta Edição Amanda Kasecker, Angelo Sfair, Antonio Alonso Junior, Carolina Schrappe, Jorge Nasseh, Kadu Pinheiro, Luiz Alfredo Malucelli, Roberta Borsari e Thaís Zago Edição de Arte e Projeto Gráfico Eduardo Zuchowski É TEMPO DE VIVER Impressão e Acabamento Gráfica Capital Distribuição Exclusiva FC Comercial Distribuidora Ltda. Central de Publicidade Comercial (41) 3331-8300 comercial@perfilnautico.com.br José “Juca” Kolling (41) 8446-5341 jose.juca@grupocanal.com.br Rua Jorge Cury Brahim, 712, Pilarzinho, 82.110-040, Curitiba – PR. Fone (41) 3331-8300 Fax (41) 3331-8305 Revista Perfil Náutico Rádio Mix Curitiba - 91,3 MHz 91 Rock Web www.91rock.com.br Artigos assinados não representam necessariamente a opinião da revista. As imagens sem créditos foram fornecidas para divulgação. Revista Perfil Náutico, ano 7, n° 32, é uma publicação da Editora Canal/mid, divisão de mídia do Grupo CANAL/com.Todos os direitos reservados. Fale com a gente Redação redacao@perfilnautico.com.br Beijos, Rafaella Malucelli (ou Rafinha, se preferir!) Canal Técnico Envie sua pergunta para canaltecnico@perfilnautico.com.br Assinatura assinatura@perfilnautico.com.br Perfil Náutico na Internet www.perfilnautico.com.br C BO RG E S BOAT S : M A N AU S - w w w.cborge s.com.br - se s s a ma naus @ hotmail.com - ( 92 ) 8112 6 029 R EG AT TA YAC HT S : BA H I A | M I N AS G E R A I S | S ÃO PAU LO | R I O D E JA N E I RO - w w w.re gat tayachts.com.br - se s s a @ re gat tayachts.com.br - (11) 5538 3434 S C YAC HT S : PA R A N Á | S A NTA CATA R I N A | R I O G R A N D E D O S U L - w w w.scma r ine.com.br - scma r ine @ scma r ine.com.br - (48 ) 3222 0 052 V I LL A N ÁUTI CA : B R AS Í LI A | GO I ÁS - w w w.v illa nau tic a.com.br - ate ndime nto @ v illa nau tic a.com.br - ( 61) 3223 0201 ( 62 ) 3225 8576 SESSA MARINE BR ASIL - São José SC - brasil @ sessamarine.com 10  PERFILNÁUTICO LINHA YACHT C68 - C54 - FLY54 - C48 - FLY45 - C44 | LINHA CRUISER C40 - C36 | LINHA KEY LARGO KL36 - KL30 - KL28 Sole - KL27 PERFILNÁUTICO  11 
    • Índice Canal Leitor News Construtor Náutico Decor Estilo Esporte Planeta Água Gourmet Cultura Click 14 16 116 118 124 126 152 156 158 160 162 22 A arte de velejar e mais seis opções de veleiros de 30 a 55 pés Tudo sobre a maior regata de volta ao mundo que faz sua parada brasileira em Itajaí (SC) Itajaí StopOver Os detalhes sobre a construção da Race Village Costa Verde & Mar Dicas de turismo sobre a região que vai abrigar a Volvo Ocean Race Capa Ao sabor do vento Especial Volvo Ocean Race 44 34 38 M Y CM Perfil Estaleiro Phoenix Boats MY CY CMY K O maior do país em unidades fabricadas e vendidas Nesta Edição C 100 Intermarine 65 68 Perfil Marina Os 20 anos da Marlin Azul 110 Design e sofisticação da terceira maior embarcação do estaleiro Mundo Náutico Volvo IPS — a revolução dos sistemas de propulsão 112 Flyer Grand Turismo 49 76 Triton 295 84 92 Do luxo à tecnologia. A nova 49 da Beneteau inspirada nos carros italianos Expedição Galápagos De stand up paddle com Roberta Borsari 128 Mergulho Gorgona e Malpelo, as ilhas sul-colombianas 136 A novidade já é a mais vendida da Triton Residencial Marine Um empreendimento que une iate e golfe 150 Pirelli PZero 1100 12  PERFILNÁUTICO O incrível bote inflável cabinado da Pirelli Imagem de capa: veleiro Jenneau 57. Divulgação PERFILNÁUTICO  13 
    • Canal Esporte Canal do Leitor Consórcio O início do mercado dos consórcios náuticos é mais uma prova do bom momento do país. Vivemos em um tempo promissor e temos que aproveitar. | 38o | 4oo | 421 | 45o | 5oo | 56o | 62o | Cést La Vie! Linha Lagoon 2012 Lagoon: O número 1 no mundo em catamarãs, oferece 7 modelos com interior minuciosamente projetado pela Nauta Yachts Design (Itália). Projeto de casco por Van Peteghem e Lauriot Prévost. Conforto, performance e muita qualidade de vida no mar você encontra na Linha Lagoon no Brasil e em mais de 70 distribuidores ao redor do mundo. Rene Vicente Brito Capa Jangadeiros Muito bom ver o Clube dos Jangadeiros estampado na Perfil Náutico. Realmente lá é a casa da vela no Rio Grande do Sul. Medalhistas olímpicos saíram de lá e a geração que está por vir é ótima! Decidi comprar a última edição por causa da capa que me chamou muito a atenção. Show de bola! Parabéns, a Perfil está cada vez melhor! Marlon Kaminski Proa aberta Patagônia A matéria de capa está muito variada e com conteúdo muito abrangente. Sou proprietário de um desses modelos e fã de proa aberta. Tenho aproveitado muito o verão com a minha esposa. Josué de Almeida Lagoon 560 Renier Alfredo Welk Linda a viagem à fantástica região da Patagônia. Gostei muito das duas matérias e fiquei louco para fazer um cruzeiro e conhecer de perto as riquezas de lá. Amadeu Junior Mergulho Novo layout Mariana Ferreira dos Santos Joana Fagundes de Paiva As páginas da Perfil dedicadas ao mergulho são sempre deliciosas, mas nesta última edição vocês se superaram. Conheci Curaçau na minha lua de mel e posso afirmar que aquela ilha é mágica! Eu e meu marido gostamos muito da Perfil Náutico e confesso que levei um susto quando me deparei com esse novo layout. Muito bem pensado e caprichado. Está cada vez mais gostoso ler a revista. Fale Conosco Para falar com a Perfil Náutico, mande e-mail para: redação@perfilnautico.com.br ou canaltecnico@perfilnautico.com.br. As mensagens devem ser enviadas à redação e à equipe técnica com identificação do autor, endereço e telefone. Em virtude do espaço disponível, os textos podem ser resumidos ou editados. A revista reserva-se o direito de publicar ou não as colaborações. 14  PERFILNÁUTICO RIO BOAT SHOW 2012 Lagoon 560 Lançamento no Brasil durante o Rio Boat Show. 12-18 - Abril - 2012 Distribuidor exclusivo no Brasil Tel.(21) 3154.9999 www.sailingims.com.br PERFILNÁUTICO  15 
    • Canal News Canal Esporte Canal News Como uma bala rasgando o mar, o TNT46 Corsa da Metamarine chega a 85 nós e logo estará em águas brasileiras A ATC&ATS, que desde 2009 representa o Grupo Metameccanica, está trazendo para o Brasil todo o glamour e a esportividade do Estaleiro Metamarine. Os barcos serão produzidos na Itália, com a supervisão de Marco Pennesi, proprietário do Grupo. O estaleiro conta com os modelos TNT46 Corsa, TNT48 Replica e TNT48 Montecarlo, além do MPatrol – barco para fins militares e de patrulhamento que está em desenvolvimento. Os modelos da Metamarine são exclusivos e de produção limitada, com o acabamento luxuoso e sofisticado característico dos estaleiros italianos. Os barcos são os mais velozes do mercado, podendo atingir incríveis 85 nós autolimitados. O primeiro barco a chegar ao Brasil será o TNT48 Montecarlo. “A previsão é que o TNT48 chegue ainda no primeiro semestre deste ano”, explica Paolo Pascoli, consultor da ATC&ATS e representante exclusivo da Metamarine no Brasil. “O barco ficará em Balneário Camboriú, mas também será exposto em São Paulo, em uma loja de carros de luxo, mas ainda não sabemos ao certo as datas”, conclui. PowerBoats GP - © Roldan - Jeanneau Metamarine no Brasil Navegar é puro prazer. O Grupo Metameccanica também engloba a equipe esportiva Metamarine Corse. Criada em 2004, já coleciona três títulos mundiais de PowerBoats nas categorias Supersport e Evolution além de diversas conquistas em campeonatos italianos e europeus. j LANÇAMENTO : NC11 Já imaginou uma nova forma de aproveitar o prazer de estar no mar ? Desfrute de cada momento de liberdade. Viva sensações mais fortes e mais intensas. Compartilhe emoções. Navegue Jeanneau ! Holandesa é a mais jovem a realizar a volta ao mundo A jovem Laura Dekker (foto), que completou 16 anos durante o percurso, foi a velejadora mais jovem a completar sozinha a volta ao mundo. A holandesa iniciou a viagem em 20 de janeiro de 2011 e completou-a no dia 21 de janeiro deste ano. Laura nasceu a bordo de um barco, começou a velejar aos seis anos e estava decidida a realizar a volta ao mundo desde os 10 anos de idade. O Guinness World Records, porém, anunciou que não irá reconhecer a façanha para não incentivar outros jovens a realizar este perigoso feito. 16  PERFILNÁUTICO NOVIDADE : NC9 - NC11 www.jeanneau.com MD-BALLY MARDIESEL Iate Clube do Rio de Janeiro Tel. +55 (21) 2543 1131 jorgebally@md-bally.com.br www.md-bally.com.br LE’MON GROUP DO BRASIL Iate Clube de Santos Tel. +55 (11) 7308 7549 brasil@le-mon-group.com www.le-mon-group.com PERFILNÁUTICO  17 
    • Canal News Canal News Canal Esporte Beneteau leva o prêmio Yacht Trawler 2012 Novo 46 pés disponível em duas versões Bavaria Yachts lança o Vision 46 O 44 da Beneteau herdou o título de seus antecessores 52 e 34 O Swift Trawler 44, mostrado pela primeira vez no Festival de Cannes em 2010, foi premiado no Motor Boat of the Year Awards 2012 na categoria “Yacht Trawler”. A cerimônia foi realizada no dia 9 de janeiro, no Hotel Savoy, em Londres. O título é concedido por jornalistas das revistas Motor Boat & Yachting e Motor Boats Monthly e leva em conta o design e a qualidade. Vale ressaltar que os dois antecessores do Swift Trawler 44 (os Swift Trawler 52 e 34) também foram eleitos os barcos do ano (em 2009 e 2010) na mesma categoria. A Bavaria Yachts lançou, no Boat Show de Düsseldorf, na Alemanha, o veleiro Vision 46, disponível em versões com duas ou três cabines (ambas com a opção entre um ou dois banheiros). O barco foi projetado e desenvolvido com o foco em três aspectos: elegância, conforto e fácil navegação. As generosas janelas permitiram a criação de um grande salão que flui do interior para a área externa, formando uma única área de lazer e entretenimento. Desenhado pelo designer Mark Tucker, o Vision 46 aposta em linhas limpas e modernas, que proporcionam uma atmosfera elegante e dão um ar acolhedor para as áreas internas. j A Volta ao mundo mais rápida da história O capitão francês Loick Peyron e sua tripulação de 13 homens bateram o recorde mundial de circum-navegação a vela. A bordo do trimarã Banque Populaire, realizaram o percurso em 45 dias, 13 horas, 42 minutos e 53 segundos. A marca anterior, estabelecida em março de 2010, foi diminuída em 2 dias, 18 horas, 1 minuto e 59 segundos. Durante o percurso, o trimarã manteve uma velocidade média superior a 26 nós (48 km/h). O novo recorde foi estabelecido durante o Troféu Júlio Verne. 18  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  19 
    • Canal News Canal Esporte Endurance recebe prêmio na Europa O barco Endurance 30, do estaleiro Cranchi, recebeu o Prêmio Power Boat of the Year 2012 na categoria de 25 a 35 pés. O anúncio foi feito durante o Salão de Düsseldorf, na Alemanha, e o júri foi formado por representantes da Boote e de outras importantes revistas europeias do segmento náutico. No Brasil, a Endurance será lançada pela Cruiser Marine no segundo semestre de 2012 e promete ditar a moda no que se trata de power boats. SEU LUGAR AO MAR. Modelo da Cranchi ganhou de outras cinco fortes concorrentes Nautimax inaugura nova loja em Curitiba Atuante no mercado náutico de Curitiba e região desde 2008, a Nautimax mudou-se para uma nova sede. O novo espaço está em 20  PERFILNÁUTICO uma localização nobre da capital paranaense e tem uma área de 900 m² que permite oferecer aos clientes oficina de motores e montagem de embarcações, grande showroom com 500 m² e estacionamento. A Nautimax é uma loja autorizada da Volvo Penta na venda de peças, serviços e motores, além de ser revendedora dos eletrônicos Garmin e dos estaleiros Princess Yachts, Ventura Boats, Crunchi e Malibu. Dispondo dessa grande variedade de serviços, a loja pode fazer com facilidade a montagem de casco, motor e acessórios com um preço muito competitivo, além de oferecer um excelente atendimento pós-venda. S Cimitarra lança modelo 380HT Desde 1999 o estaleiro Cimitarra lança uma nova embarcação por ano e agora em 2012 a história não é diferente. A Cimitarra 380HT tem um design moderno, pé-direito de 2,30 metros, duas suítes e abriga até cinco pessoas para pernoite. O ponto forte da embarcação é a navegabilidade, sustentada por dois motores V6 de 225 HP que proporcionam um cruzeiro de 26 nós, velocidade máxima de 40 nós e consumo total de 40 L/hora. A Cimitarra será apresentada no Rio Boat Show, previsto para abril. ! new www.tritonboats.com.br PERFILNÁUTICO  21 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race Seis veleiros e um planeta A Volvo Ocean Race é a mais badalada regata de volta ao mundo. Em abril deste ano, a cidade catarinense de Itajaí receberá, pela primeira vez, seis dos veleiros mais rápidos do planeta. Ou pelo menos aqueles que resitirem até o fim Por Antonio Alonso Jr. • Fotos Volvo Ocean Race 22   PERFILNÁUTICO 22 PERFILNÁUTICO N o início de abril, a cidade catarinense de Itajaí vai assistir à chegada dos veleiros da lendária Volvo Ocean Race, a regata de volta ao mundo mais famosa deste planeta. Nesta edição 2011-2012, seis barcos de 70 pés com 11 tripulantes vão passar quase nove meses competindo apenas pela honra de levantar um dos troféus mais difíceis em disputa pelo homem. Não há prêmio em dinheiro, mas todas as equipes investem dezenas de milhões de dólares em projetos que não são apenas esportivos, mas também eficientes ferramentas de marketing de alcance global. A regata passa por dez cidades, entre elas Itajaí, em Santa Catarina. O percurso de 37 mil milhas náuticas começou em outubro em Alicante, na Espanha, e termina em Galway, na Irlanda, em julho. Na última edição 2008-2009, o Ericsson 4, barco comandado pelo brasileiro Torben Grael, ficou com o título. Neste ano, apenas um brasileiro está velejando, Joca Signorini, um dos timoneiros a bordo do barco espanhol Telefónica. Em terra, Horácio Carabelli é outro brasileiro fundamental na equipe espanhola. Como diretor técnico, ele foi o grande responsável pelo desenvolvimento do projeto que levou o Telefónica a começar a regata de forma arrasadora. Os seis veleiros participantes largaram de Alicante no dia 30 de outubro do ano passado para a volta ao mundo. Mas a ação mesmo começou um dia antes, j PERFILNÁUTICO  PERFILNÁUTICO  23   23
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race Veleiros riscam o mar rumo a nove meses de regata com uma regata curta, disputada perto do porto da cidade espanhola. Para aproximar a regata do público, a organização incluiu dez dessas regatas curtas no calendário, uma em cada parada. Elas valem apenas um quinto dos pontos de uma perna longa, mas são transmitidas ao vivo por TVs do mundo inteiro e são a menina dos olhos dos patrocinadores de uma regata que — assumidamente — trocou a antiga postura de aventureira apaixonada, para se transformar em um evento de marketing mundial movido pelos mais radicais monocascos de oceano do planeta. Ironicamente, os espanhóis assistiram ao vivo pela TV ao maior fracasso do veleiro Telefónica. Logo na regata costeira de estreia, em casa, eles terminaram em último. Um balde de água fria para um time que era considerado favorito. Mas a sorte muda de lado muito rápido nesta regata. No dia seguinte, menos de cinco horas depois da largada, o barco Abu Dhabi, vencedor da regata costeira, tinha um mastro quebrado e voltava para a terra. No mesmo dia, o Team Sanya bateu em um objeto flutuante não identificado e, com um rombo no casco, também abandonou a etapa entre Alicante e a Cidade do Cabo, na África do Sul. Num trecho que deveria durar um mês, dois competidores já estavam fora logo no primeiro dia. Mas azar mesmo teve a tripulação do Puma, que sofreu uma quebra de mastro depois de 15 desgastantes dias de trabalho duro e comida sem gosto. “Neste barco velejam os 11 homens mais tristes do planeta”, escreveu o comandante americano Ken Read depois da quebra. Eles estavam literalmente no meio do nada, sem combustível para chegar à Ilha de Tristão da Cunha, o vilarejo mais remoto do planeta, que fica no meio do caminho entre o Brasil e a África do Regata In-Port acirrada. Groupama trabalha duro enquanto Telefónica confirma liderança Sul. A operação de resgate foi gigantesca. Depois de receber combustível de um navio pesqueiro, o Puma demorou seis dias para chegar a Tristão da Cunha e duas semanas e meia para chegar à Cidade do Cabo, onde ainda precisava trocar o mastro por um novo. Com três competidores fora da etapa, os três veleiros remanescentes dispararam na tabela. Piratas no caminho O time Abu Dhabi quebrou na primeira perna, porém se recuperou em seguida, vencendo o trecho entre Abu Dabi e Sharjah 24  PERFILNÁUTICO A segunda etapa da Volvo Ocean Race, entre a Cidade do Cabo e Abu Dabi, no Oriente Médio, também teve quebras, mas foi marcada pela ameaça dos piratas. Só no ano passado, mais de 1.100 embarcações foram sequestradas na costa da Somália, desde veleiros de cruzeiristas a navios cargueiros gigantescos. A ameaça é tão séria que a ONU criou uma força internacional para patrulhar a região, mas nem assim conseguiram eliminar o problema. Por isso a organização da Volvo Ocean Race tomou uma medida inédita e radical: dividiu a etapa em duas. Na primeira, os veleiros saíram da Cidade do Cabo e foram até as Maldivas. Ali, foram embarcados em um navio com segurança armada e desembarcados no Porto j PERFILNÁUTICO  25 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race de Sharjah, na costa leste dos Emirados Árabes. Dali, os veleiros disputaram a segunda parte da etapa, um sprint de apenas 150 quilômetros, valendo 20% dos pontos totais da perna. O Telefónica venceu a primeira parte e o Groupama venceu a segunda. Na soma, os espanhóis levaram a melhor. Na saída para a terceira perna, entre Abu Dabi e Sanya, uma ilha chinesa com clima tropical, a operação antipirataria se repetiu. No trecho curto entre Abu Dabi e Sharjah, o Abu Dhabi venceu. No trecho longo, entre as Maldivas e Sanya, o Telefónica chegou a ficar em último, depois que a code zero — uma vela importante — rasgou e levou quatro dias para ser consertada. Mas os espanhóis retomaram a liderança e depois sobreviveram aos perigos do Estreito de Malaca, região de tráfego intenso de barcos pesqueiros, embarcações comerciais e com muito lixo na água. Na soma das duas partes desta etapa, o Telefónica venceu de novo e ampliou ainda mais sua liderança. Uma volta ao mundo diferente A primeira edição da Regata Volta ao Mundo aconteceu em 1973, ainda com o nome de Withbread Race. Só em 2001, a Volvo assumiu o patrocínio e o nome. Desde então, o trajeto era basicamente o mesmo: Europa, África do Sul, Oceania, América do Sul, EUA e Europa de novo. Mas, na edição passada, o dinheiro injetado por Índia, Singapura e China fez a regata mudar de percurso. O fim da longa perna entre a África e a Oceania, numa região de ventos muito fortes e favoráveis à quebra de recordes, foi criticado por amantes da aventura. Nesta edição, os árabes entraram no jogo, pela primeira vez, e levaram o percurso para Abu Dabi. Até o fechamento dessa edição, os veleiros haviam chegado à China e já seguiam para a Nova Zelândia e então vem a maior de todas as pernas, 6.700 milhas (12.400 km) até Itajaí, no litoral catarinense. Depois os veleiros ainda passam por Miami, Lisboa, Lorient e a regata termina em Galway, na Irlanda. SUPERBARCOS j Mar agitado e tempo oscilante são desafios constantes das tripulações Os veleiros sofreram mudanças da edição anterior para a atual Os veleiros usados na Volvo Ocean Race são as máquinas de regata mais velozes do planeta entre os monocascos. No mar aberto, até hoje apenas os supertrimarãs e catamarãs foram mais velozes que os Volvo 70. Na edição passada, o Ericsson 4, comandado por Torben Grael, estabeleceu um novo recorde de singradura para monocascos, percorrendo 596,6 milhas náuticas em 24 horas. Os seis veleiros são bastante parecidos, mas estão longe de serem iguais. Nesta regata, os projetistas precisam obedecer a uma fórmula geral. Ela determina, 26  PERFILNÁUTICO por exemplo, o peso máximo do bulbo de chumbo da quilha, mas não determina o formato desse bulbo, nem a distribuição do peso no casco e convés. Os projetistas também podem optar por cascos mais arredondados, ou com “chines” (quinas). Tudo isso tem uma diferença enorme no desempenho. Nas duas últimas edições, os barcos do projetista argentino Juan Kouyoumdjian dominaram a regata. Desta vez, ele assina três projetos: Telefónica, Puma e Groupama. A julgar pelos resultados até aqui, ele tem boas chances de repetir a dose. Essa edição mais equilibrada da Volvo Ocean Race. A maioria das equipes têm chances reais de vitória A mais equilibrada Esta é a Volvo Ocean Race mais equilibrada já disputada. Com exceção do Sanya, que corre com barco usado e orçamento reduzido, todas as outras equipes têm chances reais de vitória. Nas últimas duas edições, as equipes campeãs eram claramente superiores desde a primeira etapa. Desta vez, a única certeza é que muita água vai rolar sob os cascos desses seis barcos. Conheça cada uma das equipes nas próximas páginas. j PERFILNÁUTICO  27 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race Equipes À moda brasileira Em busca do tempo perdido Sob o comando de Horácio Carabelli, os espanhóis finalmente encontraram o caminho da vitória Os americanos começaram como favoritos, mas uma quebra no meio do oceano deixou a situação muito complicada para o Puma Team Telefónica Puma Ocean Racing Ponto forte: Horácio Carabelli Favoritos, seguem na liderança E m sua terceira participação, o Team Telefónica é o veterano da Volvo Ocean Race. Eles sempre começaram como favoritos, mas não é exagero dizer que a sorte nunca andou ao lado deles. Em 2006, com nome Movistar, afundou na travessia entre EUA e Europa e os velejadores tiveram de ser socorridos por outro concorrente. Em 2009, o Telefónica Azul bateu a quilha duas vezes em etapas decisivas (chegou a ficar horas encalhado na última delas). Agora, o cenário é bem diferente. Sob a batuta do diretor técnico brasileiro Horácio Carabelli foram três vitórias nas três primeiras etapas. O time tem ainda o único velejador brasileiro nesta regata, o carioca Joca Signorini, que é timoneiro e chefe de turno. Graças a um projeto bem montado, os espanhóis nunca estiveram tão bem no rumo da vitória 28  PERFILNÁUTICO Ponto forte: Experiência Nascido no Uruguai e naturalizado brasileiro há mais de 20 anos, Horácio Carabelli faz parte de uma família de velejadores e projetistas. Em 2004 foi chamado para fazer parte da equipe de apoio do Brasil 1, mas seu conhecimento do barco era tão grande, que ele acabou escalado para velejar. Na edição passada, mais uma vez foi tripulante de Torben Grael, dessa vez no Ericsson 4. Agora, ele é o diretor técnico de todo o projeto do Telefónica e está dando aos espanhóis sua melhor chance de vitória na Volvo Ocean Race. A equipe Puma estreou na edição passada, já cheia de moral. Chegaram a vir ao Brasil para treinar e quebraram um recorde de duas décadas da Regata Buenos Aires–Rio. Com uma preparação afiada e um barco bom, terminaram em segundo lugar na última Volvo Ocean Race. Nada é novidade para o time do sempre tranquilo comandante Ken Read. E só um time com a cabeça fria e com a experiência do Puma para reverter o quadro depois da quebra na primeira etapa. País: Espanha Nome do barco: Telefónica Comandante: Íker Martinez (ESP) Tripulação: 7 espanhóis, 2 australianos, 1 britânico, 1 brasileiro Projetista: Juan Kouyoumdjian Construtor: King Marine (ESP) Ano: 2011 Avaliação: Barco Tripulação Comandante Equipe/estrutura Avaliação geral 15 pontos O time é forte, mas precisa focar na recuperação O Puma começou esta regata com um objetivo: o título. A equipe reuniu um time de velejadores experientes, um patrocinador forte e o projetista mais badalado, o argentino Juan Kouyoumdjian. Com tudo isso, eles só não contavam com o imprevisível. Na primeira perna, após mais de 15 dias de regata, no meio do oceano, o mastro quebrou de uma vez, sem dar sinais de fadiga. Sem velas, sem combustível e sem nenhum porto por perto, eles levaram semanas até conseguir que um navio fosse buscá-los na remota Ilha de Tristão da Cunha. Os pontos perdidos na primeira perna estão fazendo falta, e a tarefa do Puma agora é fazer uma regata de recuperação, tentando aos poucos tirar a grande vantagem que os líderes abriram em relação a eles. j País: Estados Unidos Nome do barco: Mare Mostro Comandante: Ken Read (EUA) Tripulação: 3 americanos, 3 australianos, 3 neozelandeses, 1 alemão e 1 sul-africano Projetista: Juan Kouyoumdjian Construtor: New England Boat (EUA) Ano: 2011 Avaliação: Barco Tripulação Comandante Equipe/estrutura Avaliação geral 16 pontos PERFILNÁUTICO  29 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race Equipes Da cor do petróleo A revelação O primeiro participante árabe na Volvo Ocean Race veio com tanta moral que até fez a regata mudar de percurso Sem muito alarde, uma marca de calçados espanhola aliou-se à mais respeitada escola de oceano do mundo. E deu certo Team Abu Dhabi Camper/Team New Zealand Ponto forte: Petrodólares Azzam é a palavra árabe para “determinado”. E os árabes entraram nesta regatas determinados a fazer história, custe o que custar. Não importa que o país não tenha tradição nenhuma em regatas de oceano, os árabes contrataram um skipper britânico, um projetista neozelandês, um estaleiro italiano e, com tripulantes de seis países diferentes, são o time mais internacional desta regata. Investimento pesado e a primeira parada árabe da história da competição N enhuma equipe nesta regata dispõe de tantos recursos como o Team Abu Dhabi. Além de reunir uma equipe competitiva, os árabes conseguiram mudar a rota da Volvo Ocean Race, que nunca tinha passado pelo Oriente Médio. E não foi tarefa simples. Para fugir dos piratas que infestam a costa da Somália, os veleiros tiveram de pegar carona em um navio durante parte do percurso, numa operação que aumentou muito os custos da regata. Mas, além de um ótimo orçamento, o Team Abu Dhabi mostrou também coragem. Eles apostaram alto ao “ressucitar” o designer neozelandês Bruce Farr, que tinha sido deixado de lado depois da lavada que levou dos projetos do argentino Juan Kouyoumdjian nas duas últimas edições desta regata. O barco já provou que é bom, mas eles ainda estão pagando caro por uma quebra que tirou o Azzam da primeira etapa. 30  PERFILNÁUTICO Ponto forte: Tripulação O nome Team New Zealand é provavelmente a marca no cenário mundial da vela hoje. Uma história que remonta ao lendário Peter Blake. Vencedor da Regata Volta ao Mundo (quando ainda se chamava Whitbread), da America’s Cup e recordista da volta ao mundo a vela sem escalas, Peter Blake deixou um legado que ainda deve perdurar por algumas gerações. Nesta Volvo Ocean Race, por exemplo, todos os times têm velejadores neozelandeses a bordo, mas nenhum tem tantos quanto o Camper. Essa experiência e a defesa da tradição do nome Team New Zealand são os grandes trunfos do Camper. País: Emirados Árabes Nome do barco: Azzam Comandante: Ian Walker (GBR) Tripulação: 4 britânicos, 2 americanos, 2 neozelandeses, 1 australiano, 1 irlandês e 1 árabe Projetista: Bruce Farr Construtor: Persico S.p.A (Itália) Ano: 2011 O Avaliação: Barco Tripulação Comandante Equipe/estrutura Avaliação geral Com tripulação ícone se mantém regular e sem quebras 14 pontos projeto do Camper tinha tudo para ser apenas mais um estreante cumprindo tabela na Volvo Ocean Race. Mas esse quadro mudou radicalmente com a associação da marca com o Team New Zealand, uma escola de velejadores de oceano que fez história na America’s Cup e é respeitada até hoje em todo o mundo. O Camper passou muito bem pelo teste de resistência das primeiras provas, com uma regularidade valiosa nessa regata e — o mais importante — sem quebras. O projetista, Marcelo Botín, também é exclusivo do Camper. Uma aposta ousada, mas que deu certo. Até agora, graças a um projeto bem montado, o Camper tem sido a revelação da Volvo Ocean Race. j País: Nova Zelândia Nome do barco: Camper (ESP/NZL) Comandante: Chris Nicholson (AUS) Tripulação: 6 neozelandeses, 2 australianos, 1 sul-africano, 1 espanhol Projetista: Marcelino Botín Construtor: Cookson Boats (NZL) Ano: 2011 Avaliação: Barco Tripulação Comandante Equipe/estrutura Avaliação geral 14 pontos PERFILNÁUTICO  31 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race Equipes Por novas águas Não quebrar já é uma vitória Mestres na arte de navegar trimarãs gigantes, os franceses do Groupama aceitaram o desafio de recomeçar a bordo de um monocasco Com um barco usado, chineses só querem promover a cidade de Sanya. Se possível, sem fazer muito feio Groupama Sailing Team Team Sanya Ponto forte: Escola francesa Ponto forte: O comandante Mike Sanderson Diferentemente dos neozelandeses, que ficaram famosos nas regatas de curto e médio percurso, os franceses são fanáticos por longas travessias. Franck Cammas, o comandante do Groupama, já foi o mais rápido a dar a volta ao mundo a vela sem escalas e também já venceu a Transat, regata entre a França e o Brasil, sempre a bordo de multicascos. Sim, a experiência a bordo de monocascos ainda é novidade para eles, mas os franceses já mostraram que aprendem rápido. Especialmente quando o assunto é vela. Equipe recordista a bordo de trimarãs, quer fazer história também em um Volvo 70 G roupama 4 é o primeiro monocasco construído pelos franceses do Groupama. Mas engana-se quem pensa que eles são novatos. A equipe comandada por Franck Cammas é uma colecionadora de recordes oceânicos a bordo dos trimarãs mais rápidos do planeta. O próprio recorde da volta ao mundo sem escalas era do Groupama até o começo deste ano (foi batido por outra equipe francesa, a Banque Populaire). Com toda a moral que merecem, os franceses cometeram um erro tático na primeira etapa e acabaram ficando para trás. Agora, correm para recuperar o terreno perdido. Muita gente acredita que eles ainda têm várias cartas escondidas na manga para mostrar. 32  PERFILNÁUTICO País: França Nome do barco: Groupama 4 Comandante: Franck Cammas Tripulação: 6 franceses, 2 suecos, 1 neozelandês, 1 irlandês e 1 australiano Projetista: Juan Kouyoumdjian Construtor: Multiplast (França) Ano: 2011 Avaliação: Barco Tripulação Comandante Equipe/estrutura Avaliação geral 15 pontos Em 2006, o neozelandês Mike Sanderson deu uma lavada nos adversários a bordo do ABN Amro 1. Hoje, no comando do Sanya, sua missão é bem diferente: evitar as quebras e não fazer feio. Mas ele já mostrou que, se tiver a chance, vai tentar incomodar. Na segunda perna, chegou a liderar graças a uma tática arriscada, mas quebrou no caminho. Mesmo com bons velejadores a bordo, o foco é o marketing esportivo N ão é a primeira vez que um patrocinador de última hora decide resgatar um barco usado da edição anterior só para dar visibilidade a sua marca, mesmo sabendo que não tem chance nenhuma de vitória. O que a equipe chinesa Team Sanya fez de diferente foi chamar um skipper de primeira linha para comandar um barco de segunda mão. O barco comandado pelo neozelandês Sanderson é o antigo Telefónica Azul, construído em 2007 e usado na edição passada. Como qualquer projeto de carro que saiu de linha, o Sanya Lan tem um design ultrapassado em comparação com seus adversários, que são as mais modernas máquinas de regata do planeta. O barco chinês enfrenta outro problema: as quebras. Eles não terminaram nenhuma das duas primeiras etapas da competição. Já trocaram a mastreação e até a proa do barco, depois de uma batida. Definitivamente, este não será o ano do dragão. j País: China Nome do barco: Sanya Lan Comandante: Mike Sanderson (NZL) Tripulação: 7 neozelandeses, 1 noruegês, 1 belga, 1 chinês e 1 espanhol Projetista: Bruce Farr Construtor: King Marine/Hamble Yacht Ano: 2007 Avaliação: Barco Tripulação Comandante Equipe/estrutura Avaliação geral 10 pontos PERFILNÁUTICO  33 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race De Itajaí para o mundo M uito em breve os olhos do mundo náutico estarão voltados para a tranquila cidade portuária de Itajaí, em Santa Catarina. O município entrou para o mapa mundial da vela há dois anos, quando foi anunciada como parada sul-americana da regata. Para isso, Itajaí venceu uma disputa contra cidades de quatro países: Chile, Argentina, Uruguai e também do Brasil, justamente onde ela encontrou seus adversários mais fortes, como a capital do estado, Florianópolis, 34  PERFILNÁUTICO e concorrentes tradicionais, como São Sebastião, no litoral paulista, e a favoritíssima Rio de Janeiro. Com pouco mais de 170 mil habitantes, o tamanho da cidade não é visto como um problema pela organização da regata. “O sucesso da parada em Galway, na Irlanda, nos ensinou que cidades com população relativamente pequena também podem ter uma capacidade enorme de atrair espectadores”, contou o CEO da Volvo Ocean Race, o norueguês Knut Frostad. Itajaí é vizinha das cidades de Navegantes, Balneário Camboríú, Blumenau e tem acesso fácil a partir de diversas outras localidades catarinenses. Além disso, apesar de ter pouca tradição na vela, Itajaí tem uma inegável vocação náutica. A cidade, importante centro pesqueiro, desenvolveu-se às margens do Rio Itajaí-Açu, onde fica o segundo maior porto do país em movimento de contêineres. “A boa infraestrutura portuária e também de apoio às embarcações pesou na escolha”, completa João Luiz Demantova, do comitê organizador da regata. j ronaldo silva jr. Itajaí será a capital mundial da vela durante duas semanas em abril Obras em Itajaí já estão a todo vapor PERFILNÁUTICO  35 
    • Volvo Ocean Race A Race Village de Itajaí — área que vai concentrar as atividades do Stopover — será aberta no dia 3 de abril, quando devem chegar os primeiros barcos. Depois de duas semanas de manutenção, as equipes disputam a Regata Pro-Am, no dia 20, a Regata In-Port, no dia seguinte, e largam no dia 22 em direção a Miami. Em todos esses eventos, os Volvo 70, com 4,5 metros de calado, vão entrar e sair do Rio Itajaí-Açu graças ao profundo canal para o trânsito de navios. Na regata Pro-Am, que envolve convidados vips e velejadores profissionais, todo o percurso será dentro do rio, para que a população possa acompanhar de perto a disputa. No mar e em terra Em função da dureza do trecho entre a Nova Zelândia e o Brasil, a movimentação em terra será grande também nos boxes das equipes. Veleiros e velejadores chegarão por aqui precisando de manutenção e descanso. Por isso é importante contar com uma cidade que disponha de mão de obra qualificada e de acesso à ferramentas e materiais que possam ser necessários (embora as equipes tragam boa parte desse material consigo). Enquanto as equipes trabalham nos bastidores, a regata abre as portas para o público. “A programação na Race Village vai contar com shows musicais locais e nacionais, atividades infantis e ações ligadas à sustentabilidade”, explica João Luiz Demantova. Algumas equipes também devem montar galpões para receber a imprensa, amigos e clientes vips. A Puma, por exemplo, deve levar convidados para assistir à regata costeira e à largada de perto, a bordo de um hospitality boat com capacidade para centenas de pessoas. Feira náutica Uma das novidades que Itajaí está trazendo à regata é uma feira náutica. A Expo Náutica Brasil será uma vitrine não só de barcos, mas também de equipamentos, roupas e acessórios ligados ao iatismo. Durante a feira, será lançado também o Polo Náutico Catarinense. Uma das intenções do comitê organizador “A Estrutura que o Porto de Itajaí está edificando para ser a Race Village recebe investimentos de cerca de três milhões de reais.” João Luiz Demantova ronaldo silva jr. ESPECIAL O projeto para receber a regata é parte da revitalização da margem do Rio Itajaí-Açu Simulação 3D da Race Village Itajaí Stopover 36  PERFILNÁUTICO é justamente deixar um legado que sobreviva após a passagem da regata por aqui. “A estrutura que o Porto de Itajaí está edificando para ser a Race Village recebe investimentos de cerca de R$ 3 milhões e não será utilizada somente para a regata. Passará a ser mais uma área de lazer para a comunidade de Itajaí e, posteriormente, vai abrigar o Centro Comercial Portuário, como parte do projeto de revitalização da margem do Rio Itajaí-Açu”, explica João Demantova. Itajaí e Santa Catarina como um todo esperam ter uma excelente oportunidade de desenvolver negócios e impulsionar o turismo durante a regata. “Os municípios que sediaram paradas obtiveram significativos incrementos na economia local e regional”, fala João Demantova. “Exemplo disso ocorreu em Galway, na Irlanda, em 2009, onde o impacto econômico positivo foi de U$ 58,8 milhões”, anima-se o membro do comitê organizador, que vê muitas semelhanças entre as realidades de Galway e Itajaí. Além da área da Race Village, anexa ao Centreventos Itajaí, na margem direita do rio, a regata também poderá ser acompanhada de diversos outros pontos do município, a exemplo dos molhes sul e norte (em Itajaí e Navegantes, respectivamente), praias do Atalaia, Cabeçudas e Geremias. O Morro da Cruz, a 180 metros de altitude e com um mirante voltado para a foz do rio, deve ser um dos locais mais disputados da cidade nos dias de regata. j Marque na agenda Chegada: prevista para 4 de abril Regata Pro-Am: 20 de abril Regata costeira: 21 de abril Largada para Miami: 22 de abril PERFILNÁUTICO  37 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race Costa Verde & Mar Marcello sokal Um lugar fascinante, com praias belíssimas e muitos atrativos turísticos Por Thais Zago “Em todos os segmentos, fazemos tudo com a alma e o coração. Assim acolhemos todos os turistas, independentemente do seu interesse.” As palavras do governador João Raimundo Colombo confirmam a hospitalidade do povo catarinense e a diversidade de atrativos turísticos, motivos de sobra para quem estiver no evento aproveitar melhor a região. Para quem está viajando com a família, as praias indicadas para passar o dia são as que têm águas tranquilas para banho e estrutura de serviços e restaurantes, como Cabeçudas em Itajaí ou praia Central e Laranjeiras em Balneário Camboriú. Quem gosta de tranquilidade não pode deixar de visitar as praias de Taquaras e Taquarinhas em Balneário juan Pablo Carnevalle Praias para todos os gostos Marcello sokal O cenário escolhido para sediar a etapa da Volvo Ocean Race no Brasil não poderia ser melhor. Águas claras, areia branca, rios, montanhas, muito verde e o jeitinho açoriano facilmente percebido nas canoas coloridas, na arquitetura das cidades, na gastronomia e principalmente no sotaque das pessoas. Itajaí está localizada no coração de uma região conhecida como Costa Verde & Mar, centro-norte de Santa Catarina, que também abrange os municípios de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Camboriú, Ilhota, Itapema, Luís Alves, Navegantes, Penha e Porto Belo. São mais de 80 praias, diversos parques naturais e temáticos, grande concentração de lojas, agitado circuito de festas, boa infraestrutura náutica e portuária e requintadas opções de gastronomia e hospedagem. Lindas praias com diversas opções de lazer. Para quem gosta de agito e de relaxar joão Scharf O maior serviço de infraestrutura náutica está concentrado em Balneário Camboriú e Porto Belo, embora Bombinhas, Itapema e Piçarras possuam marinas e iates clubes Porto de Itajaí recebe vários navios cruzeiros de todo o mundo 38  PERFILNÁUTICO Camboriú, e as praias da Tainha e da Costeira de Zimbros em Bombinhas. Em contrapartida, quem procura badalação pode desfrutar do sol e do mar ouvindo boa música eletrônica em clubes de praia, como o Parador Beach Club no Estaleirinho (Balneário Camboriú) e o Rakenne na Praia Brava de Itajaí. As melhores opções para a prática de esportes náuticos estão em Porto Belo e Itapema. Bombinhas possui escolas de mergulho e operadoras especializadas com barcos e lanchas equipados e profissionais qualificados. Para os surfistas, as praias que têm as melhores condições de surfe são Atalaia e Praia Brava em Itajaí; Mariscal e Quatro Ilhas em Bombinhas; Praia Central em Navegantes. Parques naturais e temáticos Para os aventureiros, a região apresenta muitos parques naturais e opções de esporte ao ar livre. Um circuito de cicloturismo percorre os 11 municípios num total de 270 km, possibilitando pedaladas em áreas urbanas e rurais, com estradas sinuosas e paisagens à beira-mar. Em Porto Belo, o Condomínio Aeronáutico oferece amplo espaço de lazer, escola de pilotos e de paraquedismo. Na Praia Vermelha (Penha), no Morro do Careca (Balneário Camboriú) e em Bombinhas é possível praticar voo j PERFILNÁUTICO  39 
    • ESPECIAL Volvo Ocean Race Infraestrutura de primeira na Tedesco Marina. Para os baladeiros, a terceira maior casa de música eletrônica do mundo, a Green Valley livre, salto duplo de parapente e sobrevoar as praias da região. Camboriú, Luís Alves e Ilhota oferecem parques aquáticos e pesque-pagues com tobogãs, piscinas, quadras esportivas, paredões de escalada, tirolesas, passeios a cavalo, trilhas para prática de motocross e belas cachoeiras. Para passeios em família, uma boa pedida são os parques temáticos. Balneário Camboriú dispõe do único teleférico do mundo que interliga duas praias, o Parque Unipraias, um complexo de lazer em que é possível praticar arvorismo, observar paisagens, fazer compras e se aventurar no trenó de montanha, uma descida de 700 metros a 60 km/h. Em Penha está localizado o Beto Carrero World, o quinto maior parque temático do mundo, que possui zoológico com mais de 700 animais, parque de diversões com brinquedos para todas as idades e shows temáticos. 40  PERFILNÁUTICO Grande concentração de lojas Aqueles que gostam de fazer compras encontram na região um prato cheio! Ilhota concentra o maior número de lojas de moda praia e moda íntima de Santa Catarina. As marcas locais apresentam as últimas tendências da moda com excelente relação custo-benefício, pois o estado de Santa Catarina abriga um dos maiores polos têxteis do Brasil. Já o comércio de Balneário Camboriú é o mais diversificado da região, com mais de 5 mil lojas que oferecem produtos de grifes nacionais e internacionais, distribuídas no centro da cidade e nos shopping centers, funcionando inclusive aos sábados, domingos e feriados. Agitado circuito de festas Em Balnerário Camboriú a vida noturna é bastante agitada. Além de bares e boates para todos os estilos musicais, é lá onde fica a terceira maior casa de música O teleférico do Parque Unipraias permite um vista aérea única e liga a praia da Barra à de Laranjeiras em Balneário Camboriú A Costa Verde & Mar é composta por 80 praias que oferecem infraestrutura turística, além da hospitalidade catarinense eletrônica do mundo, a Green Valley. Estaleirinho e Praia Brava são palcos para festas em Beach Clubs que começam no fim da tarde e vão até o amanhecer, quando os baladeiros param para contemplar o nascer do sol em um dos mais belos cenários da região. Em Porto Belo, a badalação acontece em casas noturnas e bares com música ao vivo. Boa infraestrutura náutica e portuária Embora Bombinhas, Itapema e Piçarras ofereçam marinas, as maiores concentrações do serviço estão em Balneário Camboriú e Porto Belo. Em Balneário, as marinas estão localizadas na Barra Sul e ao longo do Rio Camboriú, com destaque para a Tedesco Marina Garden Plaza — com capacidade de abrigar até 500 embarcações, infraestrutura completa e equipamentos de alta tecnologia. Além de marinas, Porto Belo possui também um centro náutico e um iate clube. No setor de cruzeiros marítimos, Itajaí e Porto Belo investem sem cessar em infraestrutura e acolhimento, prova disso são os novos píeres turísticos inaugurados em 2011. Itajaí é uma das principais escalas das companhias e tem como diferencial a realização de embarque e desembarque de passageiros para a costa brasileira e Mercosul. Porto Belo destaca-se pela capacidade de atracar mais de um navio transatlântico por dia. j PERFILNÁUTICO  41 
    • Volvo Ocean Race Tacca neto ESPECIAL O hotel Infinity Blue e a bela vista do Bistro La Table Requintadas opções de gastronomia e hospedagem A Costa Verde & Mar possui uma gastronomia variada que atende a diferentes públicos, tendo como ponto forte uma infinidade de restaurantes à base de frutos do mar. Itajaí traz excelentes opções ao longo da Via Gastronômica, como o sofisticado restaurante de cozinha internacional Chez Raymond, na praia de Cabeçudas. Em Bombinhas, Itapema e Porto Belo, o destaque fica para restaurantes que oferecem petiscos como o bolinho de bacalhau e a casquinha de siri, comumente acompanhados de pirão de farinha de mandioca e frutos do mar. Balneário Camboriú, além de oferecer a maior variedade de restaurantes de frutos do mar e petiscos, fast foods, pizzarias e churrascarias, possui requintados restaurantes temáticos e de especialidades, como cafés, bistrôs, enotecas e fusion cuisine. Há também bares e restaurantes com música ao vivo por toda a orla. No quesito acomodação, a Costa Verde & Mar oferece excelentes opções em diferentes formatos, desde resorts e spas a hotéis, pousadas com boa infraestrutura à beira-mar em praias badaladas e acomodações menores em praias mais isoladas ou em refúgios naturais, opções para famílias com crianças, jovens interessados em badalação ou casais procurando mais privacidade. S Serviço O Aeroporto Internacional Victor Konder, em Navegantes, é o mais próximo da Costa Verde & Mar, localizado a 7 km de distância de Itajaí. Onde ficar: Infinity Blue Resort & Spa: www.infinityblue.com.br Parador Estaleiro Hotel: www.paradorestaleirohotel.com.br Onde comer: La Table: www.bistrolatable.com.br Chez Raymond: (47) 3348-7032 Atum ao molho de jabuticaba do La Table, único restaurante de comida contemporânea de Santa Catarina, segundo o Guia Quatro Rodas 2012 42  PERFILNÁUTICO INFORMAÇÕES: Costa Verde & Mar: www.costaverdemar.com.br Iate Clube Porto Belo: www.iateclubeportobelo.com.br Santa Catarina Turismo: www.santur.sc.gov.br Tedesco Marina: www.tedescomarina.com.br PERFILNÁUTICO  43 
    • CAPA Veleiros Ao sabor do vento Velejar é uma opção diferente e cheia de estilo para curtir o mar. Descubra o velejador que há dentro de você! Gilles MARTIN-RAGET Por Antonio Alonso Jr. 44   PERFILNÁUTICO 44 PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  PERFILNÁUTICO  45   45
    • P CAPA Veleiros aixão. Essa é explicação para milhares de navegantes deixarem de lado a praticidade e o conforto dos motores para navegar só com a força do vento, como se fazia há séculos. Esportistas, aventureiros, celebridades, reis, milionários e espíritos livres pelo mundo não deixam dúvida: veleiros são barcos movidos a vento e paixão. Nas próximas páginas, a Perfil Náutico apresenta um pouco desse mundo tão próximo e tão pouco compreendido. Ao longo de muitos séculos, os veleiros desempenharam o papel que hoje é de naves espaciais, aviões, navios e até das lanchas. Esse tempo passou, ficou a elegância e o charme de um estilo de vida que seduziu até Albert Einstein. Quem são eles? Navegar sem poluir, sem limite de autonomia, sem barulho ou cheiro de combustível queimando. Além de um esporte, é um estilo de vida. Ou melhor, vários. Sim, a vela também tem suas várias tribos. As duas mais fáceis de reconhecer são a dos cruzeiristas e a dos regatistas. Enquanto uns sonham em morar no barco e dar a volta ao mundo, os outros querem “apenas” ganhar a America’s Cup. A Meca dos cruzeiristas no Brasil é Angra dos Reis, mais especificamente a Marina Brachuy. É uma das poucas marinas no Brasil onde os veleiros ainda são Semana de Vela de Ilhabela é o ponto de encontro dos regatistas. Reúne 150 veleiros a cada edição mais numerosos que as lanchas. Muitos deles moram ou planejam morar em seus barcos. Viajar está sempre nos planos, mesmo que seja apenas no circuito AngraParaty. Quando saem de Angra, vão para longe: Fernando de Noronha, Caribe ou as milhares de ilhas tropicais de águas azul-turquesa do Pacífico. Já os regatistas se espalham por iate clubes de todo o país onde exista um calendário regular de competições. Mas no inverno todos se encontram na Semana de Vela de Ilhabela, no Yacht Clube de Ilhabela, litoral paulista. Os mais jovens costumam correr regatas de monotipos, barcos esportivos e que Barco-escola Mistralis. Expedições pelo Brasil ensinando qualidade de vida 46  PERFILNÁUTICO exigem excelente forma física. Os mais experientes disputam regatas de oceano, em barcos maiores e com tripulação, no qual o trabalho em equipe vale mais que o esforço físico. Porém, as fronteiras não são rígidas e as duas tribos se encontram em vários eventos. Os cruzeiristas adoram usar a Regata Recife-Noronha como uma boa desculpa para visitar Fernando de Noronha. “Mesmo que muitos fiquem com preguiça no caminho e liguem os motores, abandonando a competição para chegar logo e aproveitar a ilha”, conta Ricardo Amatucci, cruzeirista apaixonado. j Paixão é a explicação para que navegantes troquem a praticidade e o conforto dos motores pela força dos ventos PERFILNÁUTICO  47 
    • A velejadora CAPA Veleiros A os 10 anos, a paulista Mariana Peccicacco resolveu sair com o pai para ver como era velejar e não parou mais. Hoje, com 28, ela já velejou de Oceano, Optimist, 420, Snipe, Match Race e virou até professora de vela. As mulheres ainda são minoria na vela brasileira, por isso não faltam convites para ela participar de regatas. “Não dá para apontar uma coisa que me atrai na vela. É um conjunto. É o trabalho em equipe, que você leva para a vida toda, é o clima de amizade e as comemorações nos campeonatos e é também o contato com a natureza, só você, o barco e o vento.” Mariana acha que todo mundo deveria experimentar a vela pelo menos uma vez na vida e que todos podem aprender, até quem tem medo de água. “Eu não consigo imaginar outro esporte em que eu consiga competir ao lado do meu pai, que é um gordinho simpático, mas nada atlético”, brinca. j O que atrai Mariana é um conjunto que só a vela pode proporcionar: o trabalho em equipe, o clima de amizade e o contato com a natureza Alex Juk veleja na classe Snipe há 12 anos e acaba de se tornar campeão brasileiro da categoria O regatista O engenheiro paranaense Alex Juk, de 29 anos, aprendeu a velejar aos 11, no barco do pai. Aos 17 ele conheceu a classe Snipe, um dos monotipos mais populares do Brasil. Já se passaram 12 anos e ele continua na ativa. Acaba de se sagrar campeão brasileiro máster de Snipe. Alex não abandonou a vela de oceano, mas confessa que sua paixão são os monotipos. Como muitos velejadores, ele gosta de lanchas, mas acha que não dá para comparar. “A lancha é mais um meio de transporte, enquanto no veleiro eu curto o caminho.” Já na regata é diferente. “Uso cada velejada para aprimorar minha técnica em todos os tipos de vento. Nunca vou ser tão rápido quanto uma lancha, mas meu objetivo é ser mais rápido do que os adversários.” “A lancha é mais um meio de transporte, enquanto no veleiro eu curto o caminho.” Alex juk 48  PERFILNÁUTICO Mariana foi apresentada à vela pelo pai e hoje, além de competir, também dá aulas PERFILNÁUTICO  49 
    • CAPA Veleiros O Professor A os 66 anos, o campineiro Fábio Reis é uma referência para lancheiros e velejadores do Brasil. Físico de profissão, já foi diretor do Instituto de Física da Unicamp e hoje é autor de livros e cursos de navegação. Foi quando comprou um pequeno veleiro, de 23 pés, aos 32 anos, que ele se encantou. Logo dominou a complicada navegação pelas estrelas. Numa época em que não havia GPS, ele saía sozinho para mergulhar ou fazer caça submarina e, se fosse preciso, sabia refazer o caminho baseado nas estrelas ou no sol. Não demorou para aparecerem amigos querendo aprender o básico para fazer o curso de arrais ou até a navegação astronômica, para dar a volta ao mundo. “Eu gosto de velejar, mas com expectativa de chegar a algum lugar. Hoje estou em Angra. Se me chamarem para ir agora para Florianópolis, eu topo. Agora, sair e ficar dando voltinhas por aí, não é comigo.” Ultimamente ele anda fã dos catamarãs, pelo conforto que eles oferecem mesmo com o mar batido. Na época de Fábio Reis não existia GPS. Com o auxílio do Sol e das estrelas, o físico saía para mergulhar e caçar Cruzeiros pelo Brasil ao lado da esposa e da filha renderam dois livros e um DVD O Cruzeirista O paulista Ricardo Amatucci, 48 anos, começou a velejar procurando um esporte, mas encontrou muito mais do que isso e virou um cruzeirista tão inveterado que chegou a presidir e faz parte da Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro, a ABVC. “Um dia eu estava assistindo à TV com minha mulher e comentei como nós éramos ativos e estávamos nos tornando sedentários.” A sugestão de experimentar partiu da mulher, Diana, que comentou que o avô tinha O físico, que já escreveu livros e cursos de navegação, prefere hoje o conforto dos catamarãs 50  PERFILNÁUTICO velejado na Guarapiranga até os 85 anos e só parou depois que uma tempestade afundou seu veleiro. “Hoje já temos no currículo uma viagem até Santa Catarina e outra a Salvador em nosso 30 pés. Viajamos apenas nós três: ela, eu e nossa filha.” Toda essa aventura virou literatura. Nos livros “Uma Família pela Costa Sul” e “Uma Família pela Costa Leste” (também em DVD), Ricardo e Diana contam em detalhes como foi essa mudança em suas vidas. j Amatucci começou na vela para sair do sedentarismo, e se apaixonou pelo esporte. Foi presidente e hoje é membro atuante da ABVC PERFILNÁUTICO  51 
    • CAPA Veleiros O que é o quê em um veleiro O comprimento do casco na linha d’água está diretamente relacionado com a velocidade máxima do veleiro. Quanto maior, mais veloz. Cascos mais largos permitem um interior mais confortável e maior estabilidade, os cascos mais estreitos são mais velozes e instáveis. W Mastro A altura do mastro vai definir a área vélica que o veleiro pode suportar. Mastros muito altos precisam também de quilhas muito profundas e pesadas para contrabalancear a força lateral que o vento faz no barco. E Estais Eles “prendem” o mastro ao barco. Servem para equilibrar as forças exercidas pelas velas. Se um deles quebra, o mastro pode vir abaixo logo em seguida. R Quilha T Vela mestra ou grande Reponsável pela maior parte da propulsão. Y Vela de proa Um barco normalmente tem uma série de opções para usar como vela de proa, cada uma indicada para ventos de força e ângulos diferentes. Enquanto a vela mestra só é trocada em caso de avaria, a vela de proa pode ser trocada várias vezes em uma regata, dependendo das mudanças do vento. U Leme Deve ser forte o suficiente para suportar uma grande pressão da água. O Escotas Cada vela tem suas escotas, que são cabos usados para posicionar as velas de acordo com o desejo dos velejadores. P Adriças São os cabos usados para içar e baixar as velas. Normalmente correm por dentro ou junto ao mastro e não ficam aparentes no barco. { Burro É ele que mantém a retranca na horizontal e evita que sua ponta seja levantada pela pressão na vela mestra. W T Como o veleiro navega? Y E A favor do vento A situação mais fácil de entender é quando o vento simplesmente empurra a vela e, por consequência, o veleiro. Esse evento é o famoso “vento de popa” que, apesar da expressão popular, não é a melhor condição para o velejador. I O Os veleiros podem ter uma bolina (móvel) ou quilha fixa. Pense nela como um “trilho”. Ela não deixa o barco derivar lateralmente, como uma canoa faria, e nem tombar quando o vento atinge as velas lateralmente. P { Q R U 52  PERFILNÁUTICO E I Retranca Está ligada horizontalmente ao mastro e à parte inferior da vela, chamada esteira. É essencial no controle da vela mestra. Ao contrário do que muita gente pensa, velejar recreativamente não é difícil. Além das centenas de iate clubes espelhados pelo Brasil, há várias escolas especializadas em cursos de vela em represas, lagos e rios. Um curso básico padrão tem cerca de cinco aulas, entre teoria e prática, que já permitem fazer um barco simples velejar. O Rio Yacht Club, em Niterói, e o Yacht Club Santo Amaro (YCSA), em São Paulo, são dois dos mais vitoriosos clubes de vela do mundo todo. Em lugares como esses, encontram-se velejadores de vários níveis e entusiastas do esporte dispostos a trocar ideias sobre materiais, técnicas, manutenção e de regatas e passeios que você não pode perder na sua região. Alguns segredos, no entanto, você só vai aprender depois de muita tentativa e observação. Portanto, não há melhor escola de vela do que velejar. “Um dos segredos de uma velejada gostosa é a boa companhia. Se você está se divertindo entre amigos, até o tempo melhora.” A dica de Fábio Reis é baseada nas “roubadas” em que já entrou em viagens longas. “E o pior é que não dá para pular do barco e sair fora”, brinca. “A saída é velejar o melhor possível para chegar logo no destino.” João Amadeu Vieira Q Casco Quem pode? Contra o vento Embora alguns veleiros modernos consigam velejar em ângulos muito pequenos contra o vento, é impossível navegar diretamente contra o vento, mas é possível velejar nessa direção fazendo um zigue-zague com o vento atingindo as velas lateralmente ou “de través”. Por mais surpreendente que pareça, nessa situação alguns veleiros conseguem velejar mais rápido do que o vento. A quilha desempenha um papel fundamental nessa situação. Simplificando muito, podemos dizer que, sem ela, o vento lateral arrastaria o barco. Como ela impede esse arrasto lateral, a força do vento nas velas mais a força de resistência da quilha criam uma força resultante, que impulsiona o veleiro para a frente. Orça máxima é o ângulo mínimo que o veleiro consegue navegar contra o vento. A ARTE DE VELEJAR Por mais diferentes que sejam entre si, todos os veleiros são máquinas de transformar a força do vento em movimento. Para conseguir isso, eles podem ser extremamente simples, com apenas uma vela e um cabo para controlá-la, ou muito complexos, quando são necessários dezenas de tripulantes para fazê-los velejar. Na primeira vez que se vai a bordo de um veleiro, tem-se impressão de estar entre um amontoado de cordas, rodinhas e ferragens de vários tipos. É perfeitamente possível velejar um barco sem saber exatamente como ele se movimenta e quais forças atuam sobre ele. Mas saber como ele funciona vai permitir que se tire o melhor desempenho do veleiro. Existem coleções inteiras de livros sobre a arte de velejar. Agora, se você quer mesmo aprender, vai ter de trocar os livros por velas, por cabos e pelo timão. j Dica de Leitura Para sonhar: Sozinho ao Redor do Mundo, por Joshua Slocum O Longo Caminho, por Bernard Moitessier Aventuras no Mar — Andanças e Peripécias de um Velejador Boa-Praça, por Hélio Setti Jr.  Para aprender: Código da Vela, por Fábio Reis (www.escolanautica.com.br) Regulagem de Velas - Manual Ilustrado, por Ivar Dedekan Guia Prático de Manobra, por Erick Tabarly PERFILNÁUTICO  53 
    • CAPA Veleiros Seis veleiros de 30 a 55 pés Fizemos uma seleção de modernos veleiros que não deixam de lado o estilo clássico de velejar Por Angelo sfair 54  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  55 
    • CAPA Veleiros BENETEAU Sense 55 C om o Sense 55, lançado no Salão Náutico de Paris de 2011, o estaleiro francês Beneteau superou e deu origem a uma pequena revolução no mundo dos veleiros. O modelo alcançou um luxo antes exclusivo dos superiates, oferecendo uma série de atributos que também estão presentes nos luxuosos iates construídos pela Construction Navale Bourdeaux — subsidiária do grupo Beneteau. O conceito do Sense 55 resume-se em combinar a privacidade e o prazer de convivência. Os espaços interiores são independentes, mas todos sutilmente ligados. A suíte máster é grande e aberta, com um banheiro confortável, gabinete e vários armários. As outras duas cabines mantêm o nível de conforto e também apresentam chuveiros privados. O acabamento das áreas internas em madeira lacada com iluminação indireta dá um charme especial ao interior deste veleiro. As opções de personalização são grandes, desde a cor do casco aos estofamentos da mobília. O Sense 55 também é um barco que navega de forma eficiente e confortável. O casco tem uma rigidez excelente e uma vela equilibrada, o que garante O modelo alcançou um luxo antes exclusivos dos superiates. O conceito combina privacidade e o prazer da convivência a bordo velocidades surpreendentes. O cockpit pode ser fechado para garantir mais segurança e tem um grande painel de instrumentos no posto de comando. Os assentos do timoneiro podem ser levantados para liberar o acesso ao banheiro. Já os assentos da cabine de estibordo têm forma de “U” e proporcionam uma grande vista. O barco é equipado com um motor a diesel de 120 HP de potência. Também está incluso o sistema Dock & Go — que, além de trazer confiança e poder de manuseio, proporciona um conforto extra ao reduzir vibrações e deixar a viagem mais silenciosa.j O casco rígido e a vela equilibrada fazem o Sense 55 alcançar grandes velocidades Especificações técnicas Boca: 4,97 m Comprimento total: 17,20 m Linha d’água: 15,93 m Calado: 1,84 m – 2,35 m Área vélica: 152,5 m² O acabamento interno em madeira lacada realça o luxo e a beleza. A suíte principal é espaçosa e confortável 56  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  57 
    • CAPA Veleiros JEANNEAU Sun Odyssey 509 F abricando com o que há de mais novo em tecnologia de arquitetura naval, aliado ao desgin assinado pelo renomado projetista Philippe Briand, o Sun Odyssey 509 é a materialização do ideal Jeanneau. O veleiro é o carro-chefe da linha Sun Odyssey — que engloba os modelos 409 e 439 — e combina conforto, design e navegabilidade. Equipado com mastro de enrolar e um plano vélico de alta performance, o barco permite a utilização de uma grande variedade de velas, entre elas buja autocambante, genoa, code zero e outras. O layout pode ser escolhido entre cinco versões. As opções incluem modelos com três, quatro ou cinco cabines. Além do layout, ainda há outras opções de personalização como o plano vélico, a quilha e os tecidos utilizados na decoração. O interior é luxuoso e tem um excelente acabamento de marcenaria. A iluminação interna é boa graças ao generoso tamanho das janelas, e a iluminação artificial é toda feita com LED. Há vários armários, o que é essencial para quem pretende fazer cruzeiros com familiares e amigos. O modelo 509 é o carrochefe da linha Sun Odyssey. Um dos atrativos é a personalização: cinco opções de layout e grande variedade de velas O trabalho do designer Philippe Briand é o destaque do Sun Odyssey 509. O casco, moderno e equilibrado, combina uma linha d’água longa com um “chine” acentuado para melhor velocidade e conforto no mar. O convés é clean, seguro e ergonômico, com gaiutas e cabos embutidos. Há dois lemes e o cockpit é confortável, com uma grande mesa e espaço para iluminação, frigobar e para o 360 Docking – sistema operacional da Jeanneau que auxilia na hora de atracar o veleiro. j O design assinado por Philippe Briand combina desempenho e conforto a bordo Especificações técnicas Boca: 4,79 m Comprimento total: 15,38 m Linha d’água: 13,92 m Calado: 1,73 m – 2,28 m Deslocamento: 13.900 kg Área vélica: 134 m² O Sun Odyssey possui boa área de convivência no cockpit com mesa e espaço para frigobar. A cabine é iluminada por janelas amplas 58  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  59 
    • CAPA Veleiros DELphia yachts Delphia 47 E leito o “Barco Croata de 2009” e indicado para o prêmio “Iate Europeu de 2009/2010”, o Delphia 47 é um veleiro que garante alto desempenho e segurança em alto-mar. É um barco confortável, atraente, bem construído e está disponível em duas versões: a Owner, com três cabines másteres e chuveiro individual; e a Charter, com cinco cabines duplas, quatro delas acompanham chuveiros. O veleiro Delphia 47 tem um interior elegante e moderno. A marcenaria é trabalhada com capricho, as portas são de madeira maciça e o acabamento é feito de mogno envernizado, contrastando com os tons claros. A combinação destes aspectos com a luz natural que provém das amplas portas cria um ambiente aconchegante, luminoso e arejado. A cozinha em formato de “L” é equipada com bancadas de Corian, um fogão de quatro bocas e as pias são de aço inox. O salão é espaçoso, acolhedor e contém uma mesa de cartas de bom tamanho com assentos confortáveis, e tem a vantagem de não oferecer dificuldades para entrar ou sair quando o tempo está chuvoso. O Delphia 47 é reconhecido internacionalmente. Foi escolhido o “Barco Croata de 2009” e indicado para o “Iate Europeu 2009/10” O cockpit do Delphia 47 é muito espaçoso e contém dois lemes. Ao contrário de alguns veleiros de leme duplo, a navegação é bem suave e mal se pode sentir o atrito extra da segunda estação. O veleiro pode ser facilmente navegado por uma só pessoa graças ao enrolador de velas que permite ao tripulante diminuir a área vélica rapidamente quando o vento aumentar. O deque também tem uma grande área onde é possível permanecer várias pessoas ao mesmo tempo para tomar sol ou dar um mergulho. O Delphia 47 é um barco motorizado e vem equipado com um Volvo Penta de 57 cavalos. j O veleiro é de encher os olhos. Além de atraente, o barco tem construção sólida e esbanja conforto Especificações técnicas Boca: 4,48 m Comprimento total: 14,48 m Linha d’água: 14,07 m Calado: 1,80 m – 2,30 m Deslocamento: 13.300 kg Área vélica: 94 m² O 47 da Delphia Yachts está disponível em duas versões Owner e Charter, variando de três a cinco cabines 60  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  61 
    • CAPA Veleiros delta yachts Delta 41 O Delta 41 é um veleiro da Delta Yachts no qual podemos observar algumas das características marcantes do estaleiro gaúcho. Com design assinado por Nestor Volker, são perceptíveis o esmero e a sofisticação tanto no acabamento interno como na mastreação e na escolha das ferragens. O espaço interno é confortável, disponível em duas ou três cabines, e nas duas versões há dois banheiros com box separado. A iluminação interna é eficaz e moderna, a maioria das luminárias é de LED. Todo o interior é construído em cedro com compensados multilaminados e acabamentos em verniz semibrilho. Já as ferragens, dobradiças, trincos e pias são todos de aço inoxidável. O espaço do convés também é muito bem aproveitado. O cockpit é espaçoso e confortável, com quase quatro metros de boca, onde se encontram dois lemes construídos em fibra de vidro e poliéster. o 41 traz o dna marcante da delta yachts. sofisticação no interior e no exterior O Delta 41 é motorizado com um Yanmar 4JH com rabeta modelo SD-50 de 54 HP. O sistema é controlado por um comando lateral no cockpit e conta com alternador de 80 AH, isolamento térmico e acústico, hélice fixo de bronze com três pás, sistema de alimentação e anti-incêndio. j O Delta 41 foi desenhado por Nestor Volker e sua boca tem quase quatro metros. O veleiro é equipado com motor Yanmar de 54 HP Especificações técnicas Boca: 3,95 m Comprimento total: 12,60 m Linha d’água: 11,00 m Calado: 1,55 m – 1,95 m Deslocamento: 7.780 kg Área vélica: 78,38 m² Convés amplo e cockpit com dois lemes. O interior destaca-se pela iluminação toda em LED 62  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  63 
    • CAPA Veleiros bavaria yachts Cruiser 36 R esultado da aliança entre germânicos e norte-americanos, o Cruiser 36, da Bavaria Yachts, é um veleiro que navega muito bem. Construído para atender a todos os quesitos do Germanischer Lloyd Certification, é um barco robusto e com a borda muito alta, o que aumenta o seu volume interno e externo, além de passar a impressão de que ele é maior do que um 36 pés. O veleiro ainda apresenta uma extensa lista de itens opcionais, como sistema de enrolar a vela principal, água quente, guinchos elétricos e outros recursos. A boa navegabilidade não é surpresa, tendo em vista que o projeto foi arquitetado pela Farr Yachts Design. Internamente, o veleiro tem opções de layout com duas ou três cabines. O Cruiser 36 é espaçoso, tem um bom pé-direito e um salão com espaço muito bem aproveitado. A cozinha é bem localizada, repleta de gavetas e armários e está equipada com uma geladeira tipo “arca”, com grande capacidade de armazenamento. O aproveitamento dos espaços é uma das características marcantes desse barco. A mesa de O veleiro da Bavaria Yachts destaca-se pelas linhas robustas e sólidas. É o barco mais pesado da categoria jantar tem uma “asa” dobrável, permitindo que ela seja confortável quando está aberta e, quando fechada, otimiza a circulação interna. Os sofás são grandes o suficiente para permitir que um adulto durma tranquilamente. O mais destacável, porém, é a plataforma de popa — grande vantagem da linha Cruiser — que aumenta consideravelmente o espaço de circulação na área externa. Outro diferencial é o peso do veleiro, que é muito superior aos modelos de tamanho similar e comprova a qualidade da construção desse barco. j O veleiro tem as bordas muito altas, aumentando o seu volume interno e externo. A impressão é de que o veleiro tem mais de 36 pés Especificações técnicas Boca: 3,67 m Comprimento total: 11,30 m Linha d’água: 9,90 m Calado: 1,63 m – 1,95 m Deslocamento: 7.000 kg Área vélica: 69 m² Cruiser 36 foi projetado pela Farr Yachts. A navegabilidade é excelente e o espaço interno é espaçoso, com pé-direito alto 64  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  65 
    • CAPA Veleiros skipper Skipper 30 F abricado no Rio Grande do Sul, assim como seus antecessores 21 e 25, o veleiro Skipper 30 é resultado de um projeto construtivo de última geração, com linhas elegantes e qualidade impecável. O barco é extremamente seguro e está disponível em três versões de quilha para diferentes tipos de velejadas: longa (1,80 m), curta (1,55 m) e retrátil (1,00 m – 1,80 m). O grande diferencial do Skipper 30 é o fato de se ajustar perfeitamente para cruzeiros e regatas. Para as velejadas em família, o veleiro oferece todo o conforto necessário para um cruzeiro agradável. Há duas grandes cabines de casal — uma de proa e uma de popa —, e acomoda até mais duas pessoas na sala central para pernoite. Possui banheiro com um confortável pé-direito, água pressurizada em todo o sistema hidráulico, possibilidade de instalar água quente, cozinha completa (com fogão, forno e geladeira), vários armários e roupeiros. Nas regatas, o Skipper 30 destaca-se em todos os eventos de que participa. Segundo o estaleiro, o O Skipper 30 oferece todo o conforto necessário para um cruzeiro e é muito veloz, por esse motivo também procurado por regatistas veleiro é o barco de cruzeiro mais veloz do mercado, o que permite que em um dia ele possa estar velejando de cruzeiro com a família e no outro estar participando de competições. O barco pode perfeitamente ser conduzido por até uma pessoa, já que seus comandos são de fácil acesso. Outro diferencial do Skipper 30 é adernar menos contra os ventos, fato que também agrada às mulheres e às crianças. S O barco está disponível em três versões de quilha, uma para cada tipo de velejada: longa, curta e retrátil Especificações técnicas Boca: 3,20 m Comprimento total: 9,15 m Linha d’água: 8,00 m Calado: 1,00 m – 1,80 m Deslocamento: 3.100 kg Área vélica: 47,42 m Apesar do tamanho, o veleiro é espaçoso, possui duas cabines confortáveis e ainda pode acomodar pessoas na sala central 66  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  67 
    • PERFIL Intermarine 65 www.intermarine.com.br Um barco ` altura dos A seus sonhos Com quatro cabines, muito conforto e excelente performance, a nova Intermarine 65 enche os olhos dos apaixonados por barcos Por Amanda Kasecker 68  PERFILNÁUTICO L A 65 pés da Intermarine oferece duas luxuosas suítes e dois quartos de solteiro. Comporta 23 pessoas em passeio ançada em outubro de 2011, a nova Intermarine 65 é uma embarcação capaz de encher os olhos de qualquer apaixonado por barcos. Segundo o estaleiro, trata-se da única embarcação da categoria no mundo a oferecer quatro cabines, sem beliches. Com capacidade de levar 23 pessoas em passeio, a 65 é um barco ideal para quem gosta de receber amigos e família a bordo, mas também valoriza a privacidade. Ela acomoda 15 pessoas no flybridge e 16 pessoas no salão. Para o pernoite, comporta oito pessoas em duas luxuosas suítes e dois camarotes, além de cabine para dois tripulantes. O design do exterior e do interior fica por conta do estúdio Luiz de Basto Designs, profissional com mais de 30 anos de experiência no design de iates de luxo. Outro destaque da Intermarine 65 é a opção de decorar o interior com os luxuosos enxovais da grife italiana Missoni Home, que, em parceria com a Intermarine e com ambientação dos espaços de Karol de Paula, oferece seus produtos como um opcional para quem deseja ainda mais glamour a bordo. E não para por aí. Além de muito espaço, design original e interior sofisticado, a Intermarine 65 também é conhecida pela excelente performance, que pode chegar a 34 nós de velocidade máxima e a 30 PERFILNÁUTICO  69 
    • PERFIL Intermarine 65 nós de velocidade de cruzeiro. A nova linha de iates Intermarine, que vão de 42 a 85 pés, mostra a excelência do estaleiro na fabricação de embarcações de luxo nacionais. Além do estúdio Luiz de Basto Designs, foram fechadas parcerias com a BMW Group DesignworksUSA e com Fernando de Almeida Yacht Design. “Esta nova realidade nos deu liberdade de trazer o futuro para o presente”, diz Suzana Costa, CEO da Intermarine. “A linha inteiramente nova tem como referência o cliente e seu lazer; e especialmente o modo pelo qual os brasileiros usam seus barcos e o que esperam deles.” A Intermarine com seus iates de luxo seduz um público-alvo requintado, que viaja, consome os melhores produtos e ama o mar. Ao que tudo indica, após conhecer a 65, eles também passarão a amar esta embarcação, que promete estar à altura dos sonhos de qualquer um. Entre e sinta-se em casa A Intermarine 65 possui tantos diferenciais de design que fica difícil descrever todos. No quesito sofisticação, dois nomes ganham destaque. O estúdio Luiz de Basto Designs, que projetou o exterior e o interior do novo modelo e a grife italiana Missoni, que em parceria com a Intermarine colocou na embarcação seus requintados itens de decoração. O design do renomado Luiz de Basto explora grandes áreas envidraçadas que trazem muita luz natural ao interior do barco. O designer ainda mescla a suavidade das linhas orgânicas das amplas janelas a detalhes que expressam toda a força da embarcação, As cabines de solteiro possuem duas camas confortáveis O banheiro da máster se destaca pelo tamanho e privacidade. Na cabine de comando conforto e tecnologia, equipada com GPS, carta náutica 3D, display multifunção de 9”, entre outros como as esportivas entradas de ar em aço inox e a targa do flybridge. A decoração de Karol de Paula com produtos Missoni dá o um toque colorido a roupas de cama, almofadas, toalhas de mesa, jogos de banho e louças. Tudo ao alcance do cliente, que pode escolher quais desses detalhes quer adquirir junto com a sua 65. “Escolhemos as empresas que atenderam aos nossos padrões de modernidade, requinte, conforto e qualidade; são designers com trabalhos diferentes e premiados”, explica Suzana em relação à escolha dos parceiros da nova linha Intermarine. Internamente, o conforto fica por conta das quatro cabines da embarcação. Segundo o estaleiro, trata-se da única embarcação da categoria no mundo a oferecer quatro cabines, sem beliches. São duas suítes – uma máster e uma vip – e dois camarotes de hóspedes, que totalizam oito lugares para pernoite. j “Escolhemos empresas que atenderam nossos padrões de modernidade, requinte, conforto e qualidade, são designers com trabalhos diferentes e premiados.” 70  PERFILNÁUTICO O design de Luiz de Basto explora amplas janelas e portas envidraçadas para trazer mais luz natural aos ambientes internos PERFILNÁUTICO  71 
    • Intermarine 65 Especificações técnicas Boca: 5,20 m PERFIL Comprimento total (com PÚLPITO): 21,1 m Calado máximo: 1,60 m Altura acima da linha d´água: 4,99 m Deslocamento carregado: 38 t Velocidade máxima: 34 nós Velocidade de cruzeiro: 30 nós Tanque de combustível: 3.740 L Tanque de água: 1.000 L Motorização: 2 x 1.200 HP Capacidade máxima de passageiros: 23 Cabines: 4 + 1 Leitos: 8 + 2 O colorido dos produtos Missoni dão um toque especial às áreas externas da Intermarine 65: são dois solários e um grande flybridge Plataforma submergível favorece o banho de mar A suíte máster ocupa toda a largura da embarcação, tem cama queen size, grandes janelas e um banheiro especial, com vaso sanitário em uma área isolada e boxe separado e fechado. A suíte vip fica na proa, possui cama de casal, amplas janelas com vista para o mar e banheiro com box fechado. Os dois camarotes possuem duas camas de solteiro cada. Para os marinheiros, a cabine tem acesso pela popa, acomoda dois tripulantes e possui banheiro privativo. O salão da nova 65 divide-se em sala de estar, sala de jantar, cozinha (com vista para o mar) e posto de comando. As amplas janelas tornam o ambiente iluminado e proporcionam perfeita integração com o oceano. A 65 conta com um grande flybridge, dois solários, um confortável sofá e mesa para refeições. Outro solário para três pessoas pode ser desfrutado na proa. Na plataforma da popa, uma prática churrasqueira mostra como a embarcação foi pensada para o uso do brasileiro. E, para que não falte lugar para ninguém, a praça de popa também conta com um confortável sofá, mesa para refeições, cooler e diversos compartimentos para armazenagem. A churrasqueira na praça de popa dá um toque bem brasileiro à embarcação 72  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  73 
    • PERFIL Intermarine 65 A 65 é a terceira maior embarcação da nova linha Intermarine, lançada no ano passado e composta por seis modelos de 42 a 85 pés C M Y Praia particular a bordo Além de ter amplo espaço interno e conforto acima do comum, a Intermarine reservou para os amantes de barco alguns diferenciais de performance e tecnologia. A 65 vem equipada com dois motores de 1.200 HP cada, que levam a embarcação a 34 nós de velocidade máxima e a 30 nós de velocidade de cruzeiro. O comprimento também chama a atenção. Com 21,1 metros, atualmente a 65 é a terceira maior embarcação da Intermarine. Ela ainda tem altura acima da linha d’água de 4,99 metros. Além disso, a 65 tem praticamente uma praia particular a bordo. Sua plataforma de popa, que possui dois metros de comprimento, é equipada com passarela de desembarque, lift hidráulico, que a leva abaixo do nível da água deixando acessível para os tripulantes se refrescarem ou para que o bote ou o jet ski sejam içados com facilidade. São dois motores de 1.200 HP cada que fazem o barco chegar a 34 nós de velocidade máxima 74  PERFILNÁUTICO Nova fase, nova linha CM Foi em 2011 que o estaleiro Intermarine lançou os primeiros barcos de sua linha completamente nova de lanchas e iates. Nesta nova fase, a Intermarine tem como parceiros renomados estúdios internacionais de design que projetam as novas embarcações sob suas especificações. A 65 faz parte desta leva, que ainda conta com outros seis modelos: Intermarine 42, Intermarine 53, Intermarine 55, Intermarine 60, Intermarine 75 e Intermarine 85. Essas embarcações são fabricadas nas instalações da Intermarine, que ocupam 50 mil m² na região metropolitana de São Paulo. Quem quiser adquirir a 65 tem duas opções: os representantes Interyachts e SP Marine, que mantêm escritórios em 17 locais das regiões Sul, Sudeste e Nordeste. A assistência técnica está disponível em todo o país. De acordo com a CEO da Intermarine, a nova linha tem sido bem aceita. “É um tempo de desafios e oportunidades, e nós estamos superando com competência e inovação”, afirma Suzana Costa. “A aceitação do mercado está sendo total com nossa nova linha.” S MY CY CMY K Serviço Intermarine: www.intermarine.com.br; Interyachts: www.interyachts.com.br; SP Marine: www.spmarine.com.br PERFILNÁUTICO  75 
    • PERFIL Flyer Grand Turismo 49 ww w .benet eau.com .b r A francesa com alma italiana O estaleiro francês Beneteau apresenta a Flyer Grand Turismo 49, inspirada na paixão italiana por carros de luxo Por Amanda Kasecker · Fotos Jérôme ké Lagopian O centenário estaleiro francês Beneteau a cada lançamento mostra que vanguarda é um dos seus grandes diferenciais há 120 anos. Prova disso é a Flyer Grand Turismo 49, inspirada no mundo italiano de carros de luxo e alta performance, que surpreende em todos os sentidos. Desenhada pelo renomado designer italiano P. Andreani, mentor de marcas como Maserati e motos Guzzi, o novo modelo da linha de lanchas day cruisers da Beneteau vem substituir sua precedente, a Monte Carlo 47, e promete ser uma das lanchas de melhor desempenho em navegação, conforto e elegância. Com motorização Volvo IPS 600, radar digital, piloto automático e VHF AIS, a Grand Turismo 49 conta ainda com móveis de acabamento italiano exclusivo, cabines espaçosas, plataforma hidráulica submergível e até uma garagem para botes motorizados. Esta requintada embarcação foi lançada no Brasil no final de 2011, logo após sua apresentação mundial na feira de Cannes, na França, no mesmo ano. O diretorcomercial da Beneteau, Márcio Evangelista, conta que a produção do estaleiro está ajustada para atender com rapidez os pedidos dos apaixonados por essa novidade, que, a julgar pela apresentação desta luxuosa lancha, deverão ser muitos. j 76  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  77 
    • PERFIL Flyer Grand Turismo 49 Novo padrão: luxo, conforto e praticidade A nova Flyer Grand Turismo 49 estabelece um novo padrão de luxo, conforto e praticidade. Através de seus designers, o estaleiro lança anualmente cores de tecidos e madeiras com tendências mundiais. E assim foi com a novidade da Beneteau. Em parceria com uma empresa Todo o interior possui janelas panorâmicas com vista ao nível do mar italiana, o estaleiro desenvolveu um acabamento de móveis exclusivo, chamado de sistema Alpi, que padroniza os cortes e as cores das madeiras. Os tecidos utilizados na lancha também são importados e únicos. “O couro Alcântara é proveniente de uma tecnologia alemã e é utilizado somente em requintados ambientes das embarcações”, conta Evangelista. Além do sofisticado design de interior, o conforto também é uma das prioridades desse modelo. O espaço interno conta com um pé-direito médio de dois metros, o que torna tranquila a integração na navegação. Para garantir um bom descanso, a Grand Turismo vem com três cabines, sendo duas suítes com camas king size, iluminação de LED e banheiro com box individual. Para a terceira cabine há a opção de transformá-la em sala ou em um terceiro quarto com cama de casal, aumentando ainda mais a capacidade de pernoite da lancha. Todo o interior possui janelas panorâmicas que aumentam a iluminação natural e oferecem vista ao nível do mar. Além disso, a cabine máster possui a mesma largura da boca (4,3 m) com duas janelas panorâmicas enormes na linha d’água. A praticidade fica por conta dos dois espaços gourmets na lancha. O interno tem a acabamento luminosidade das amplas italiano em madeira vidraças no teto da embarcação com espaço para todo tipo de j 78  PERFILNÁUTICO Sofisticação e tecnologia. Na suíte máster espaço e luz natural. Sistema de som Bose e iluminação LED em todos os ambientes, na cabine de comando um painel comparável aos de aeronaves O pé-direito de dois metros permite convivência confortável nos ambientes que contam com farta iluminação natural PERFILNÁUTICO  79 
    • Flyer Grand Turismo 49 Especificações técnicas Altura: 5,10 m Calado: 0,70 m Deslocamento: 12.500 kg Motor: 2 x 435 CV (IPS 600) Combustível: 1.300 L Capacidade de água doce: 640 L Potência total: 2 x 435 HP Motorização máxima: 2 x 435 HP Capacidade: de 14 a 16 passageiros Boca 4,3 m PERFIL Comprimento total (com a popa): 15,60 m A Flyer Gran Turismo é feita sob encomenda e personalizada de acordo com o gosto de cada cliente equipamentos eletrodomésticos, utensílios e lixeira com separação de detritos orgânicos e recicláveis. O espaço gourmet externo fica localizado na popa do barco e conta com grill, geladeira e pia. “Esses espaços chamam a atenção pela quantidade de utilidades disponíveis, como a geladeira de 270 litros integrada com um freezer” , destaca Evangelista. Outra surpresa é reservada no espaço abaixo da escada de acesso para as cabines: uma completa préinstalação para colocar uma máquina de lavar roupa. Já na popa, a Grand Turismo 49 conta com uma ampla plataforma submergível e ainda uma garagem com abertura automática para guardar um bote motorizado. Desempenho e Tecnologia Mesmo com todo o luxo e potência, a performance do lançamento da Beneteau consegue ser econômica. O design do casco foi desenvolvido para obter o melhor resultado no desempenho do sistema IPS 600, que ainda proporciona navegação confortável e aprovada pela Volvo. No comando, o painel com acabamento em couro e tinta antirreflexiva vem equipado com duas telas E120W multifuncionais, touch screen, com joystick, radar digital, piloto automático e VHF AIS, um moderno sistema de segurança. “Trata-se de um sistema de segurança e localização similar aos utilizados nas aeronaves, que através do Design do casco permite melhor performance do sistema IPS 600 da Volvo o que resulta em economia 80  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  81 
    • PERFIL Flyer Grand Turismo 49 C Plataforma de popa hidráulica e submergível garante diversão a bordo M Y CM GPS e satélites pode obter informações de outras embarcações próximas, seus rumos e localizações”, explica Márcio Evangelista, ressaltando ainda que os comandos estão disponíveis tanto no comando principal como no flybridge. A 49 ainda vem equipada com plataforma de popa hidráulica, mesas elétricas no cockpit e salão e sistema exclusivo Bose independente em todos ambientes, que proporciona fidelidade no som e na imagem em toda a embarcação. MY CY CMY K A sua Grand Turismo exclusiva Para adquirir essa lancha, é necessário se programar. “Esta é uma embarcação vendida sob encomenda para atender o perfil de cada cliente em suas necessidades e expectativas”, informa Evangelista. Para isso o estaleiro possui uma programação de produção, pois desta forma o proprietário pode personalizar seu barco escolhendo alguns itens como cor do casco, tecidos dos estofamentos e alguns opcionais eletrônicos. A Beneteau é hoje uma das líderes mundiais em pleasure boats. Em 2011, o estaleiro francês teve mais de oito mil unidades vendidas no mundo. No Brasil, segundo Evangelista, a projeção é otimista. “A Beneteau cresce diariamente em número de unidades vendidas no país. Estimamos comercializar oito unidades da Flyer Grand Turismo 49 apenas neste ano.” S Garagem com comando automático tem espaço para bote motorizado 82  PERFILNÁUTICO Serviço Beneteau: www.beneteau.com.br (21) 2443 1010 PERFILNÁUTICO  83 
    • PERFIL TRITON 295 www.tritonboats.com.br A novidade que conquistou os mares Mais espaçosa interna e externamente, a nova Triton foi criada para levar a família com conforto e segurança ao alto-mar Por Thais Zago 84  PERFILNÁUTICO A Com mais espaço no convés e no solário, a 295 já é a mais vendida da Triton nova Triton 295 é a lancha de passeio da Way Brasil que mais vende desde outubro de 2011, quando foi lançada no São Paulo Boat Show. O aumento de espaço no convés e no solário de popa, o melhoramento do casco, os acabamentos mais requintados e a possibilidade de utilizar um ou dois motores ao mesmo tempo são alguns dos pontos fortes do barco. O projeto, assinado pelo próprio dono do estaleiro, José Maria Cechelero Junior, é uma melhoria da extinta Triton 280, trazendo toda a qualidade, a segurança e o conforto já conhecidos das embarcações Way Brasil. A linha de lanchas de passeio Triton é o carro-chefe do estaleiro paranaense Way Brasil, conhecido por suas embarcações robustas, com amplo espaço interno, bem projetadas interiormente e com um design inovador. Em 2005, a linha recebeu o certificado de qualidade europeu e hoje é exportada para vários países, como Noruega, Holanda e Espanha. Em 2011, “a necessidade de atender os clientes com uma nova disposição de solário, que fez muito sucesso na Triton 275, motivou a criação da Triton 295”, declarou o proprietário do estaleiro, José Maria Cechelero Junior. Com características de um barco para a família, “oferece duas camas de casal, com uma cabine de j PERFILNÁUTICO  85 
    • PERFIL TRITON 295 Para o novo modelo, a parte traseira foi remodelada e teve seus espaços sociais ampliados meia-nau muito confortável para um barco deste porte”, conta. “Além do novo solário que é muito espaçoso, aumentamos o casco — o que produziu uma melhora no desempenho do barco, tanto no planeio mais rápido quanto na velocidade final e na economia de combustível. Toda a parte traseira foi remodelada, deixando-o mais harmonioso e o solário com um design mais bonito.” Desde o seu lançamento em outubro do ano passado, a Triton 295 é a mais vendida da linha. “Mesmo antes do lançamento oficial, o estaleiro já tinha 14 pedidos. No São Paulo Boat Show, vendeu 12 unidades. E, desde então, mais 33 (até o final de janeiro de 2012).” Segundo o empresário, a excelente aceitação da nova Triton não é por acaso: “É o melhor custo-benefício da categoria. Nela temos um padrão de qualidade muito alto, comparado às melhores marcas importadas, com um preço justo e competitivo. Além disso, o estaleiro Way Brasil preza por uma boa relação com seus clientes, permitindo um nível de personalização muito alto.” Mais espaçosa e equipada As ampliações dos espaços sociais são algumas das melhorias presentes na nova Triton 295. A cabine de proa acomoda até quatro pessoas no pernoite. Além da cama de casal, há um sofá em “U” para quatro pessoas, que — rebaixando a mesa de centro — pode ser convertido em cama de casal. A proa também é equipada com j “Aumentamos o casco, o que produziu uma melhora no desempenho do barco.” 86  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  87 
    • PERFIL TRITON 295 Especificações técnicas Comprimento total: 9 m PESO (casco): 2.100 kg Capacidade: 10/04 pessoas Boca: 2,75 m MOTORIZAÇÃO: 1 ou 2 motores Gasolina: 1x 260 HP a 380 HP 2x 220 HP a 260 HP Diesel: 1x 270 HP a 350 HP 2x 170 HP a 220 HP COMBUSTÍVEL / ÁGUA DOCE: 235 L / 115 L cama de casal é revestida com tecido, já o estofamento do sofá é em corvin antimofo ou tecido camurça, conforme escolha do cliente. Na cabine de comando, destaque para os detalhes de madeira e o para-brisa de alumínio e vidro temperado. Tanto no interior como no exterior do barco, as lâmpadas utilizadas são de LED, garantindo baixo consumo de energia, alta durabilidade e elegância na iluminação. Da mesma forma, todas as ferragens são de aço inoxidável 316, um material nobre, altamente sofisticado e mais resistente. O barco tem uma laminação especial feita em gel coat — material de melhor qualidade e durabilidade que protege a superfície contra a ação das j Na cabine de comando, o painel possui detalhes de madeira e o banco do comandante é duplo banheiro fechado que possui sanitário com descarga elétrica de série, ducha higiênica e armário. Há também na proa espaço para micro-ondas e armário com pia. A praça de popa tem capacidade para até cinco pessoas. O solário rebatível incorporado permite a utilização do mesmo assento por duas pessoas deitadas ou até quatro sentadas. Possui mesa de centro com apoio para copos e pia com armário. Na cabine de comando, o banco do comandante é duplo e comporta ao lado uma charmosa chaise longue. A lancha vem equipada com sistema de som e caixas marinizadas. No entanto, a escolha de todos os acessórios complementares como, por exemplo, aparelho de som, geladeira, cooler, forno elétrico, micro-ondas, tipos de capota, entre outros é feita de acordo com o gosto do cliente. Qualidade no acabamento A qualidade dos materiais utilizados e o requinte dos mobiliários escolhidos dão um toque especial ao acabamento da Triton 295. Na cabine de proa, destaque para os acabamentos de madeira utilizados na escada, na mesa de centro e na bancada próxima à pia. O tampo da pia é feito de magicstone, um material importado mais resistente à umidade e à maresia, e a cuba agora é de inox. A Melhoramentos realizados no casco fazem com que a Triton 295 apresente uma navegação confortável e segura 88  PERFILNÁUTICO O espaço gourmet e uma charmosa chaise longue compõem a praça de popa para até cinco pessoas PERFILNÁUTICO  89 
    • PERFIL TRITON 295 O cliente pode escolher a cor da faixa do casco e também entre usar um ou dois motores C M Y intempéries e do meio ambiente, além de dar às peças um acabamento liso, brilhante e colorido. O layout externo tem design moderno, com a possibilidade de o cliente escolher a cor da faixa, do casco ou mesmo do barco inteiro, conforme sua vontade, dentro das cores disponíveis. CM MY CY CMY K navegação confortável e segura Ao adquirir essa lancha, o proprietário tem a possibilidade de escolha entre utilizar um motor ou dois ao mesmo tempo, aumentando assim a performance do barco. Melhoramentos realizados no casco fazem com que a Triton 295 apresente uma navegação confortável e segura, com melhor desempenho do que sua antecessora, a Triton 280. “Estabilizadores laterais decorrentes do próprio design do casco dão um maior conforto quando o barco está parado e uma maior estabilidade em curvas”, declara José Maria Cechelero Junior. S Revendas Cabine de proa com acabamento de madeira e tampo da pia em magicstone 90  PERFILNÁUTICO As revendas Triton estão presentes em todo o Brasil. Para encontrar a mais próxima de você é só acessar o site da empresa: www.tritonboats.com.br. PERFILNÁUTICO  91 
    • PERFIL PIRELLI PZero 1100 www.toolsandtoys.com.br O SUPER bote A Pirelli traz ao Brasil um superbote, que se diferencia pelo design e pela tecnologia de ponta Por Amanda Kasecker A mplo solário para quatro pessoas, minibar, geladeira grande, armários espaçosos e ocultos, banheiro com chuveiro e cama de casal. Essas características poderiam lembrar uma lancha de mais de 26 pés, mas na verdade trata-se do mais novo lançamento da Pirelli no Brasil: o superbote PZero 1100. Nascido da inspiração do modelo mais consagrado da marca, o Pirelli PZero P1400 de 1.327 HP, vencedor do Red Dot Design Award, um dos mais tradicionais prêmios de design do mundo, o 1100 foi lançado na Europa em abril de 2011 e chegou ao Brasil em novembro do mesmo ano. O barco, que veio como a principal aposta da Pirelli, tem 871 HP de potência máxima (a diesel ou gasolina), velocidade que pode chegar a 50 nós e capacidade para até 14 passageiros. O resultado é uma mistura de funcionalidade com muita tecnologia. Com mais de 57 anos navegando no mundo náutico, a Pirelli tem história. O primeiro barco pneumático da marca foi lançado em 1955, batizado de Nautilus. Era o protótipo de um bote salva-vidas, que deu origem ao primeiro superbote de fato da marca, cujo nome era Laros. Nos dias de hoje, essas lanchas de alta velocidade, conhecidas como gommone na Itália, fazem parte do portfólio de produtos da grife Pirelli PZero, que também produz roupas e acessórios de luxo. j 92  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  93 
    • PERFIL PIRELLI PZero 1100 Com a novidade, a Pirelli pretende atrair um público-alvo de empresários e donos de empresas que já possuem uma embarcação de 50 pés ou mais e que pretendem adquirir um bote moderno em estilo, design e tecnologia para passeios com amigos e família. “As pessoas que vêm conhecer os botes ficam encantadas, tanto pelo acabamento quanto pelo design e pela potência”, conta Nelson Waisbich, diretor-geral uma característica marcante é o amplo solário e a cabine com banheiro e cama de casal da Tools & Toys, que comercializa o PZero no Brasil. A expectativa é de vender inicialmente de 10 a 15 unidades neste ano. Esportiva e prática Uma das características mais marcantes do Pirelli 1100 é o grande sofá branco com almofadas vermelhas, formando um amplo solário para quatro pessoas. O fabricante garante que ele foi feito com material exclusivo para não esquentar com o sol. O barco também vem equipado com minibar, pia e uma geladeira grande, além de ter sido projetado para ocultar armários espaçosos. Possui ainda um banheiro com pia, chuveiro (água quente opcional), um pequeno armário e, como se tudo isso não bastasse para um bote, há uma cama de casal na proa. O PZero tem capacidade para até 14 passageiros Segundo Waisbich, o fato de o modelo possuir uma cabine é um dos diferenciais que mais têm surpreendido os consumidores: “A cabine proporciona mais conforto. O cliente tem a opção de descansar, sair do sol. É bastante atrativo.” O design exterior também chama a atenção, com suas Almofadas linhas esportivas e cores não esquentam no sol vibrantes — além, é claro, do desempenho. j 94  PERFILNÁUTICO Esportividade com tecnologia de ponta podem ser observadas no moderno painel de comando e no aproveitamento dos espaços O Pirelli PZero 1100 tem capacidade para 14 passageiros e é a grande aposta da Pirelli para este ano PERFILNÁUTICO  95 
    • PERFIL PIRELLI PZero 1100 Especificações técnicas ,37 ): 11 B oca total (com a popa m Largura interior: 2,37 m Deslocamento: 3.000 kg Diâmetro dos tubos: 64 / 65 cm Compartimentos de ar: 6 tanque de combustível: 750 L tanque de água: 160 L Capacidade: 14 passageiros 3, 54 m Comprimento Os tubulões laterais dão mais segurança e capacidade de carga Velocidade e estabilidade A linha de superbotes PZero diferencia-se pela atenção ao design e à tecnologia de ponta, combinados com funcionalidade. Com 871 HP de potência máxima (a diesel ou gasolina), sua velocidade pode chegar a 50 nós ou 93 km/h. “É uma velocidade maior do que a de muitos barcos”, acrescenta o diretor-geral da Tools & Toys. Uma coisa que poucos imaginam é que apesar de ser um bote, o 1100 é feito com casco em fibra de vidro, assim como as lanchas. Outra vantagem é que os tubulões cheios de ar, que o tornam insubmergível, dão mais segurança e uma capacidade de carga muito maior do que uma lancha do mesmo tamanho. Segundo Waisbich, os tubulões tendem a gerar maior estabilidade durante as curvas. A família dos superbotes Outros dois modelos da Pirelli também chegaram ao Brasil em 2011. Eles são menores do que o 1100, mas oferecem igual tecnologia e conforto. O Pirelli PZero P660 tem capacidade para até 14 passageiros e potência máxima de 225 HP, com motor de popa e velocidade máxima de 45 nós. Oferece conforto e velocidade, além de ser um barco muito versátil graças ao convés de design simples e limpo. É ideal para praticar atividades esportivas. O toldo pode ser aberto em poucos segundos e ainda há a possibilidade de instalar um aparelho de som com quatro alto-falantes. O modelo Pirelli PZero P880 Sport tem dois motores a gasolina de 220 HP cada, ou um a gasolina de 320 HP ou ainda um a diesel de 320 HP de centro-rabeta, j “Uma coisa que poucos imaginam é que apesar de ser um bote, é feito com casco em fibra de vidro.” 96  PERFILNÁUTICO A potência máxima do P1100 chega a 871 HP e a velocidade a 50 nós PERFILNÁUTICO  97 
    • PERFIL PIRELLI PZero 1100 C M O amplo solário oferece ótima convivência social e um espaço gourmet com pia, geladeira e mesa Y CM MY com velocidade máxima de 54 nós. Oferece conforto para até 12 passageiros. Atrás do piloto, há uma ampla área em formato de “U” que pode ser configurada para diferentes usos, como uma área gourmet com pia, geladeira e mesa dobrável, por exemplo. Na popa, por ser equipado com motores de centro-rabeta, propicia um solário para duas pessoas tomarem banho de sol. Os superbotes PZero são fabricados no Brasil em parceria com a Ferrettigroup Uma curiosidade é que os números nos nomes dos botes indicam o tamanho do barco, em centímetros e não em pés, como normalmente é utilizado no meio náutico. Sendo assim, a PZero 660 tem 6,6 metros e a P880 8,8 metros. Há ainda o modelo P1400, mas que não será fabricado no Brasil, por enquanto. 98  PERFILNÁUTICO Made in Brazil CY CMY No mundo, a linha de superbotes PZero é fabricada e distribuída sob licença global de marca pela Tecnorib. Aqui no país, a Ferrettigroup Brasil é quem fabrica esses botes. Os modelos são feitos em parceria com a Pirelli e mantêm o acabamento da Ferretti. O casco é feito na fábrica da Ferrettigroup, em Vargem Grande Paulista (SP), onde trabalham cerca de 620 funcionários. Os componentes do seu interior, equipamentos, motorização e eletrônicos serão todos montados em São Paulo, incluindo os infláveis que serão fornecidos pela Tecnorib. O estaleiro da Ferretti é o único com autorização para a fabricação de barcos Pirelli em solo brasileiro. A nova sede inaugurada em 2010 é a maior fábrica de barcos da América Latina, com 145 mil m2 de terreno, 42 mil m2 de área coberta e capacidade para produzir 120 embarcações por ano. S K Serviço A comercialização dos PZero é exclusividade da loja Tools & Toys, localizada no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo. Tools & Toys: Shopping Cidade Jardim Av. Magalhães de Castro, 12.000 – São Paulo Tel: (11) 3552-4000 / www.toolsandtoys.com.br PERFILNÁUTICO  99 
    • PERFIL Phoenix Boats www.phoenixboats.com.br O estaleiro líder em vendas do Brasil Phoenix Boats: o maior do país em unidades fabricadas e vendidas Por Thais Zago H á 32 anos presente no mercado náutico brasileiro, o estaleiro Phoenix Boats dedica-se à fabricação de embarcações voltadas para o perfil do consumidor nacional, incluindo em sua linha de produção barcos para uso profissional, lanchas de proa aberta e cabinadas. O estaleiro está localizado em Alagoas, na cidade de Maceió, numa área de aproximadamente 40 mil metros quadrados e conta com mais de 400 funcionários, processos eficientes de gestão, linhas de montagem em escala e altíssima tecnologia. Tudo isso, aliado a uma ampla rede de concessionários no Brasil e na Europa, posiciona o grupo como o maior do país em unidades fabricadas e vendidas, com renome nacional e participação no mercado internacional. Como tudo começou A Phoenix Boats foi fundada em 1980 por Edvan Melo de Morais, que iniciou as atividades fabricando barcos de pesca e móveis para piscina em fibra de vidro. Alguns anos depois, o foco ficou exclusivamente na fabricação de barcos de uso profissional, como pesqueiros, lagosteiros e barcos para plataforma de petróleo, tudo em fibra. Avaliando considerações de clientes e a demanda existente por barcos de passeio, a Phoenix decidiu entrar nesse mercado, porém isso só foi efetivado após o falecimento do fundador, em 1997. j 100  PERFILNÁUTICO Phoenix 360 Platinum PERFILNÁUTICO  101 
    • PERFIL Phoenix Boats Sob o comando dos filhos, Edward e Edvan Jucá de Morais, a Phoenix tornou-se uma indústria moderna de lanchas de passeio. Estabeleceu parcerias com os melhores fornecedores, resolveu problemas logísticos, informatizou processos, treinou funcionários e investiu em projetos e na conquista de uma rede sólida de concessionários. O primeiro grande lançamento dessa nova fase foi a Phoenix 230 Plus, que trouxe um conceito de personalização diferente de tudo o que existia na época: cores à escolha do cliente, itens de conforto e segurança, design agressivo e esportivo. Ela chamou a atenção por ser uma embarcação que tornou mais acessível o prazer de navegar. A linha Phoenix 230 mudou a dinâmica de grande parte da indústria náutica nacional e permanece até hoje como o carrochefe do grupo. Segundo os irmãos Jucá, hoje a Phoenix Boats é uma empresa altamente capitalizada. “Os maiores players do mercado brasileiro revendem as lanchas Phoenix. Empresas grandes tendem a se entender melhor com outras empresas igualmente grandes.” O segredo do sucesso Os irmãos Edward e Edvan não abrem mão de se envolver diretamente em duas áreas que consideram vitais para a empresa: a construção dos barcos e o relacionamento com os clientes. Os projetos, desde a ideia inicial, são discutidos entre eles e criados a partir da observação do mercado e dos movimentos da indústria náutica como um todo. Edward Jucá de Morais participa ativamente do design do projeto e dos testes, que passam por um processo internacional. O pré-projeto é enviado para um estúdio de design italiano que gera os moldes; esses moldes são produzidos na Itália ou na Espanha, dependendo do perfil do barco, e quando chegam Projetos criados e acompanhados de perto pelos proprietários ao Brasil dão origem ao barco de número zero. Esse barco retorna para a Itália, onde passa por testes de navegação em túnel de vento e recebe eventuais ajustes. São realizados novos testes para então entrar na linha de produção da Phoenix. É aí que entra Edvan Jucá de Morais Júnior, que acompanha de perto os processos de laminação, infusão, secagem, retirada dos moldes, acabamento, etc. Segundo ele, fazer uma lancha é como fazer um bolo para um casamento: “Precisa de carinho, de atenção. O barco precisa ser bonito, as pessoas têm que ter orgulho do barco, mas, antes disso tudo, ele tem que ser seguro e eficiente. É uma máquina que não pode quebrar — como o bolo, que precisa ao mesmo tempo sair lindo nas fotos e ser absolutamente gostoso. Essa equação só se consegue estando perto, acompanhando quase que em tempo real a construção de cada casco, até a hora do embarque.” É por isso que vende tanto Área de 40 mil m² em Maceió (AL) 102  PERFILNÁUTICO Atender às necessidades do consumidor brasileiro fez com que a Phoenix Boats chegasse à liderança de vendas, como os proprietários ressaltam: “entenda o que o consumidor quer e entregue acima das expectativas, com honestidade e transparência”. Edward e Edvan no estande da Phoenix no Salão Náutico de Paris. Aumentar a presença em eventos internacionais faz parte dos planos A Phoenix Boats é o grupo nacional que mais vende nos salões náuticos do Rio de Janeiro e São Paulo É o grupo nacional que mais vende nos salões náuticos do Rio de Janeiro e de São Paulo desde 2004. Foi o primeiro estaleiro sul-americano a expor e vender embarcações no Salão Náutico de Paris, na edição de 2010, onde estavam presentes os maiores e mais tradicionais estaleiros do mundo. Além disso, possui uma rede de concessionários na Europa — um dos mercados mais exigentes quanto a segurança e garantia, para onde exporta as mesmas lanchas vendidas no Brasil. Não há dúvidas que o ponto forte da marca está no barco em si, na qualidade construtiva, nos projetos e nos materiais utilizados na fabricação do casco. Mas para chegar até aí a participação ativa dos proprietários, desde a concepção do projeto até o pós-venda, é fator determinante. Além disso, outros fatores contribuem efetivamente com o sucesso das vendas da Phoenix Boats, como a disponibilidade em concessionárias de 18 estados brasileiros, o que facilita a vida do proprietário no momento da compra ou da venda de seu barco seminovo para qualquer parte do Brasil; a excelente relação entre custo e benefício, bem como condições de pagamento acessíveis; e uma produção diária de até nove lanchas que leva ao consumidor produtos com preços imbatíveis: 15 a 25% menores que os concorrentes diretos. Para o futuro a Phoenix Boats investe no fortalecimento da rede de concessionários e no lançamento de novos modelos. “Queremos que qualquer comprador de lancha do país encontre na linha Phoenix um barco dentro das suas necessidades.” Além disso, está nos planos a ampliação da presença do estaleiro nos eventos internacionais.j PERFILNÁUTICO  103 
    • PERFIL Phoenix Boats Especificações técnicas Comprimento total: 7,3 m Largura total: 2,6 m Motor recomendado: 150 HP Calado do casco leve: 0,35 m Calado do casco carregado: 0,40 m Profundidade com motor: 1,35 m Motor mínimo e máximo: 115 HP – 225 HP Tipo do motor: Popa Peso aproximado da embarcação com motor: 1.000 kg Número máximo de pessoas: 10 Capacidade combustível: 150 L Capacidade de água: 40 L Categoria na Europa (CE): C Carga máxima categoria C: 1.000 kg O casco com step turbo garante melhor navegabilidade, além de segurança em mares agitados Phoenix 235 Platinum A mais pedida Esportiva e espaçosa, a lancha é sucesso há 10 anos A Phoenix 235 Platinum é fruto de um projeto que faz sucesso há dez anos no Brasil — a linha de embarcações de passeio de proa aberta Phoenix 230. Com a ampliação do suporte do motor e aprimoramentos internos, a lancha ganhou mais espaço e elevou o padrão de acabamento, tornando-se a mais vendida da família 230. Tem visual elegante, mas sem perder a esportividade, pode ser utilizada em represas ou em mar aberto, para um passeio em família ou para a prática de wakeboard, e pode ser rebocada para qualquer lugar por um carro 2.0. Trata-se de uma lancha que navega como poucas: o casco com step turbo desenvolvido em túnel de 104  PERFILNÁUTICO vento garante mais desempenho, maior aceleração e pequeno raio de giro nas manobras, o que oferece conforto e segurança, mesmo em águas mais agitadas. Possui diferenciais exclusivos, como a targa de aço inox, para-brisa de vidro temperado, detalhes de madeira no painel, bordas acolchoadas e faixa luxo em várias cores. E, mesmo sendo um barco líder absoluto de vendas, é difícil encontrar duas lanchas iguais, pois ela é totalmente personalizável. Quem busca um barco de luxo pode fazê-la preta com bancos caramelo, já quem quer esportividade pode encomendála vermelha com bancos e detalhes em amarelo. Versatilidade que agrada a todos os gostos e garante seu sucesso dentro e fora da água. j Com diversas opções de personalização é difícil encontrar duas 235 iguais por aí PERFILNÁUTICO  105 
    • PERFIL Phoenix Boats Phoenix 190 Plus: Ideal para passeios costeiros com a família Opções até 36 pés A Phoenix Boats possui três linhas de produção: uma para barcos pesqueiros e outras duas para lanchas de lazer — as de proa aberta e as cabinadas. A linha de maior sucesso é a 230, com destaque para a Phoenix 230 Plus e a Phoenix 235 Platinum, que são referências e líderes de vendas. O último lançamento do estaleiro foi a 290 Platinum Open. Pequena esportiva, 195 Platinum 106  PERFILNÁUTICO São cinco modelos de lanchas de proa aberta, divididas em duas linhas: a 190 e a 230. Phoenix 190 Plus: Ideal para passeios costeiros com a família. O casco step turbo garante mais velocidade e bom desempenho, com motorização a partir de 75 HP. Phoenix 195 Platinum: Derivada da 190 Plus, é uma lancha mais robusta e confortável, ideal para conciliar o passeio com os amigos e a prática de esportes radicais. Phoenix 230 Classic: Essa lancha agrada tanto a quem procura um primeiro barco quanto aos navegadores mais experientes. Destaque para o acabamento e o interior da embarcação. Phoenix 230 Plus: É o barco esportivo da linha 230, com destaque para novos itens de conforto e segurança, como banco em “U” na popa, espreguiçadeira na proa e laminação com camadas uniformes no casco. Oferece a motorização de centrorabeta a diesel, que permite maior aproveitamento do espaço interno e menor curso por milha percorrida. Phoenix 235 Platinum: Traz itens de conforto e acabamentos mais refinados, como a targa em aço inox e o volante de madeira. Lancha perfeita para a família que usa o barco nos fins de semana. 230 Classic e a 230 Plus destacam-se na categoria pelo amplo espaço de convivência PERFILNÁUTICO  107 
    • PERFIL Phoenix Boats Lançamento do estaleiro, a 290 Platinum Open une conforto com amigos durante o dia e com a família no pernoite Já as lanchas cabinadas são sete, divididas nas linhas 275, 290, 350 e 360: Phoenix 275 Platinum: Barco confortável com banheiro fechado, possibilita utilizar motores de centro ou popa, apresenta solário na popa com banco repartido e amplo espaço interno. Phoenix 290 Full: Indicada para cruzeiros de fins de semana com a família, apresenta amplo espaço no cockpit, facilidade no deslocamento de pessoas a bordo e conforto no pernoite. Phoenix 290 Platinum: Segue a 290 Full, mas com novo design na lateral do caso, targa incorporada e novos revestimentos na cabine e no cockpit, trazendo uma aparência mais sofisticada e esportiva. Phoenix 290 Platinum Open: Esse barco reúne infinitas possibilidades — um passeio diurno em família com segurança para levar as crianças na proa, um pernoite para um casal e uma criança, e um passeio com amigos a bordo. Destaque para revestimentos internos e acabamento diferenciado. Phoenix 350 Open: Possui as características dos melhores barcos de pesca em uma lancha espaçosa com capacidade para 15 pessoas, confortável e ideal para pescar, reunir a família e os amigos. Phoenix 360 Full: É um barco sofisticado e imponente, com desempenho digno de uma lancha esportiva e itens de conforto de um pequeno loft. O cockpit traz inovações como o solário de popa para quatro pessoas com banco rebatido. Capacidade de pernoite para cinco adultos. Phoenix 360 Platinum: Essa é uma lancha de alto padrão, a top de linha da família Phoenix. Alia as características da 360 Full com robustez, segurança, conforto e muito espaço. Pode ser utilizada sem a necessidade de marinheiro, proporcionando mais privacidade aos passageiros. S “Entenda o que o consumidor quer e entregue acima das expectativas, com honestidade e transparência.” 108  PERFILNÁUTICO www.barracudacomposites.com.br PERFILNÁUTICO  109 
    • Marina Marlin Azul Luiz Renato Debes e Marcelo Kalman Junior comemoram os 20 anos da marina Marina Marlin Azul Vinte anos de amizade e agora revitalizada Rafaella Malucelli · Fotos Milton Nitta D a vontade de dez amigos navegadores de desfrutar de um espaço mais exclusivo nasceu a Marina Marlin Azul, localizada na Baía de Paranaguá, cidade portuária do Paraná. Em dezembro de 2011 a marina completou 20 anos e quem agora está à frente é a segunda geração dos fundadores, com um objetivo muito claro: transferir a paixão para a nova geração que está vindo por aí. 110  PERFILNÁUTICO “Do Iate Clube de Paranaguá, dez amigos olharam o terreno e disseram — vamos fazer uma área para a gente”, conta Marcelo Kalman Junior, conselheiro da Marlin Azul e filho de um dos fundadores, o também Marcelo Kalman. O projeto foi desenvolvido e a marina finalizada dois anos depois, em 7 de dezembro de 1991. De lá para cá, manteve-se um local bastante familiar e com 20 sócios. “No início cada um tinha duas vagas, depois venderam uma e ficaram 20 sócios”, conta Marcelo. Espaços sociais valorizados pela nova diretoria. O objetivo é trazer a nova geração. A diretoria atual está empenhada em resgatar os valores do início da criação da marina. “É normal crescermos e nos afastarmos um pouco, porém queremos retomar a amizade entre as famílias dos associados. Estamos sempre procurando juntar as pessoas, nosso desafio é transformar as gerações.” Para isso o comodoro Luis Renato Debes está com um projeto de revitalização total dos ambientes. “No aniversário de 20 anos da Marina, inauguramos a área revitalizada da churrasqueira, deixamos mais confortável e intimista. Vamos também criar um bar chamado Marcelo Kalman, em homenagem ao sócio-fundador já falecido”, conta. Ele diz que o projeto de revitalização será para todas as áreas sociais da marina com o objetivo de motivar os sócios a aproveitarem a estrutura da Marlin Azul o ano todo, não apenas no verão. Um dos destaques da Marina Marlin Azul é sua localização, na Baía de Paranaguá. “A Marina possui uma estrutura privilegiada em um lugar único. Hoje entraves ambientais para construir na Baía são tão grandes que tornam empreendimentos por aqui inviáveis”, explica o comodoro. “As reformas vão deixar esse lugar mais especial e modernizar a Marlin Azul para quem vai assumir aqui no futuro e o primeiro passo é trazer a juventude”, finaliza Marcelo. A Marina Marlin Azul possui estrutura para abrigar 20 embarcações de até 53 pés, com oito vagas molhadas rotativas. Em destaque no calendário anual de eventos está o Campeonato de Pesca e a festa de fim de ano que coincide com a de aniversário da marina. Para conhecer melhor a Marlin Azul é só acessar www.merlinazul.org.br. S PERFILNÁUTICO  111 
    • Segundo Abreu, a evolução dos modelos IPS está atrelada à evolução do sistema EVC (Controle Eletrônico de Navegação), que engloba toda a parte de funcionamento eletrônico, assim como a otimização dos painéis e instrumentos, o que gera eficiência e diferencial perante a concorrência.  “A Volvo Penta investe constantemente na evolução do EVC para garantir mais conforto, segurança e eficiência  à navegação”, explica. Mundo Náutico O segredo O grande diferencial do sistema da Volvo Penta é a localização dos seus hélices. Instalado no fundo do casco, o aproveitamento do IPS é muito superior em comparação com os tradicionais sistemas de instalação de eixo e hélice. Isso porque, com o remanejamento da unidade de propulsão para a extremidade dianteira, o sistema alcança o aproveitamento integral da sua potência, já que o sopro do hélice fica totalmente paralelo com o fundo do motor, impulsionando o barco para onde o condutor deseja. O mais potente: IPS 1200 O aproveitamento ainda é intensificado graças à alta tecnologia de propulsão dupla desenvolvida pela Volvo. Sendo assim, o sistema de hélices contrarrotantes evita a perda de rotações existente nos modelos anteriores. Os hélices instalados no fundo do casco possibilitam o aproveitamento integral da sua potência A revolução do sistema Volvo IPS O maior avanço tecnológico dos sistemas de propulsão desde 1959 Angelo Sfair D esenvolvido pela Volvo Penta, o Inboard Performance System (IPS) foi um marco nos sistemas de propulsão. O IPS — que pode ser instalado em embarcações sport cruisers de 36 a 100 pés — aperfeiçoa todos os aspectos de seus antecessores, fazendo com que os barcos fiquem mais ágeis, velozes, limpos e até mesmo diminuindo o consumo de combustível. Além disso, o sistema da Volvo Penta proporciona mais conforto em virtude da sua facilidade em manobrar a embarcação e da diminuição dos ruídos. 112  PERFILNÁUTICO Agilidade O IPS 600 está presente na Flyer Gran Turismo 49 (pág. 76) Nos antigos sistemas de propulsão, a capacidade de manobrar o barco em baixa velocidade ficava extremamente limitada, já que o leme só pode controlar o sopro do hélice, pois a maior parte da força produzida impulsiona a embarcação para a frente e em linha reta. Dotado de suas unidades de propulsão orientáveis, o IPS permite uma possibilidade ampla de manobras jamais vista antes. No sistema da Volvo Penta, toda a potência do sopro do hélice é voltada para a direção que o comandante do barco deseja. Sendo assim, a embarcação torna-se j Modelos e especificações Lançada em 2004, a primeira versão do IPS é considerada o maior avanço tecnológico no segmento desde a rabeta Aquamatic, desenvolvida pela própria Volvo Penta na década de 50. Porém o projeto continuou em constante desenvolvimento e novas versões foram colocadas no mercado. “Em 2009 foi lançado o modelo IPS2, nas versões  IPS 800 e IPS 900; e em 2011, lançamos as versões IPS 1050 e 1200”, explica Felipe Abreu, responsável pelo segmento marítimo de lazer da Volvo Penta. “Esta evolução possibilita uma atuação em embarcações maiores.” Volvo Penta IPS Propshaft kW / HP Crankshaft kW / HP RPM Máx. Nº de cilindros Deslocamento por litro / cui IPS350 IPS400 IPS450 IPS500 IPS550G IPS600 IPS800 IPS900 IPS1050 IPS1200 182 / 248 212 / 289 230 / 314 259 / 352 280 / 376 307 / 418 417 / 567 487 / 662 556 / 756 626 / 850 191 / 260 221 / 300 243 / 330 272 / 370 298 / 400 320 / 435 441 / 600 515 / 700 588 / 800 662 / 900 3500 3500 3500 3500 4800 3500 2300 2350 2300 2300 4 4 6 6 V8 6 6 6 6 6 3.7 / 224 3.7 / 224 5.5 / 336 5.5 / 336 8.1 / 496 5.5 / 336 10.8 / 661 10.8 / 661 12.8 / 780 12.8 / 780 Fonte: Volvo Penta PERFILNÁUTICO  113 
    • Mundo Náutico Com duas unidades de propulsão orientáveis, o IPS permite uma ampla possibilidade de manobras antes impossíveis ágil, podendo fazer manobras rápidas mesmo em baixa velocidade — tanto para a frente como para trás. Já em altas velocidades, a principal preocupação é proporcionar prazer ao navegar. O condutor detém um maior controle do percurso e a trajetória mantém-se estável, mas responde com rapidez todos os comandos desejados, devido ao forte giro do sistema. Outra exclusividade do IPS é o controle joystick com o qual o condutor controla a direção desejada e o barco responde com precisão: para frente, para trás, para os lados e até mesmo girando sobre o próprio eixo. “As embarcações possuem menos ruído, menor vibração e consomem menos combustível.” Felipe Abreu Valorização Compromisso Verde O Sistema IPS, de fato, encarece o preço da embarcação. “O IPS agrega valor à embarcação, um barco equipado com este sistema vale mais do que os outros”, justifica Felipe Abreu. “Este efeito está totalmente atrelado à tecnologia aplicada, já que 114  PERFILNÁUTICO as embarcações ganham maior manobrabilidade, menos ruído, menor vibração e consomem menos combustível”, completa. De acordo com a Volvo Penta, o sistema IPS reduz em 30% o consumo de combustível. A preocupação com a sustentabilidade faz parte do Compromisso Verde da Volvo Penta — Green Commitment — que visa à redução do impacto ambiental gerado por seus produtos. S PERFILNÁUTICO  115 
    • arquivos do tipo IGES (Initial Graphic Exchange Specification), que são lidos por uma grande gama de programas sem que haja Os programas de computador permitem também desenhar partes do interior do barco curvaturas e até alterar todo o projeto aumentando algumas das dimensões principais. Com a modelagem do casco pronta, é possível gerar todos os cálculos de hidrostática, estabilidade, volume dos tanques, cálculo de performance e navegabilidade em diversas condições de mar. S Vários softwares de modelagem simulam superfícies 3D e são encontrados a preços acessíveis Desenhando as linhas do casco Parte 2 Técnicas antigas e modernas de construção Por Jorge Nasseh Embora muito da beleza da construção naval esteja na geração das linhas do casco por meio de virotes e bicos de pena sobre o papel vegetal, hoje este trabalho foi substituído pelo computador. Há 20 anos, para se desenhar um barco em escala e depois passar as cotas para as cavernas e montar um modelo, eram necessários pelo menos dois meses. Hoje, o desenho de geração 116  PERFILNÁUTICO das linhas do casco e o arquivo de corte podem ser gerados em menos de dez horas, por meio de sistemas e métodos computacionais. de base para o início do trabalho e podem-se fazer pequenos ajustes no desenho para chegar a uma nova forma. Há 20 anos eram necessários pelo menos dois meses para desenhar um barco em escala e montar um modelo As linhas do casco são geradas através de programas de modelagem de superfície tridimensional e podem ser ajustadas rapidamente. Alguns programas já fornecem arquivos Esses softwares geram, plotam e simulam superfícies em 3D e são comercializados com preços acessíveis. Os sistemas, além das linhas do casco, podem desenhar as partes do interior e preparar Os softwares geram superfícies que podem ser salvas em arquivos IGES e lidos por diversos programas Os programas também fornecem dados hidrostáticos, equilíbrio e estabilidade estática e dinâmica. Listam condições de carregamento e requisitos de segurança para diversas condições de operação, além de gerar uma maquete eletrônica e realizar testes imprescindíveis para o resultado final do projeto. Para a modelagem do casco, existem vários softwares que trabalham de maneira similar, gerando superfícies a partir de um polinômio matemático. Essas superfícies podem ser salvas em perda significante de informações. O processo de modelagem eletrônica de uma superfície ou de um casco começa a partir da determinação das linhas básicas, como comprimento, boca máxima, boca na linha d´água, perfil lateral, ângulo de entrada nas linhas d`água, ângulos na meia-nau e no espelho de popa e uma série de outras informações preliminares. Com estes dados é possível começar a desenhar planos e fazê-los se interceptarem. É possível corrigir inflexões, Jorge Nasseh PERFILNÁUTICO  117  Canal do Construtor Canal Esporte Canal do Construtor arquivos de corte em CNC para a fabricação de modelos. Banheiros, mobiliário, tampas e até mesmo cabines podem ser reproduzidas.
    • Exclusividade do sistema IPS Joystick Volvo IPS Plataforma submersível garante banho de mar a bordo Plataforma submersível A plataforma de popa da Intermarine 65 é um dos grandes destaques do modelo. Ela possui dois metros de comprimento e é equipada com passarela de desembarque e um lift hidráulico que a leva para debaixo do nível d’água. A tecnologia permite criar uma pequena praia particular, além de facilitar imensamente o desembarque de botes e jet skis. StructureScan O StructureScan é um dispositivo integrado ao GPS HDS/Sonar, da Lowrance, que garante uma visão subaquática detalhada e panorâmica em todas as direções. Nos modelos HDS-10 e HDS-8, 118  PERFILNÁUTICO Um dos grandes facilitadores do sistema de propulsão IPS (Inboard Performance System) da Volvo e que influencia diretamente no aperfeiçoamento da dirigibilidade é o joystick. “Presente em todos os modelos de IPS, o joystick é um grande diferencial e em muitos dos casos é o que faz o cliente decidir por este conjunto”, conta Felipe Abreu, responsável pelo segmento marítimo de lazer da Volvo Penta. Com essa ferramenta, o condutor controla a direção desejada de forma intuitiva e o barco responde com precisão: para a frente, para trás, para os lados e até mesmo girando sobre o próprio eixo. O barco movese exatamente de acordo com as intenções do condutor. O segredo por trás dos movimentos é o sistema com unidades de transmissão individualmente manobráveis. podem-se visualizar até quatro janelas enquanto nos modelos HDS-7 e HDS-5 o limite é de três janelas por visor. Para quem gosta de pescar, por exemplo, o StructureScan permite a identificação precisa dos peixes e cardumes economizando tempo e combustível. GPSMAP 62sc Equipado com tecnologia inédita no Brasil, o GPSMap 62sc transfere as imagens via satélite BirdsEye™, transformando-as em mapas digitais. O serviço é disponibilizado gratuitamente por meio da função Garmin Custom Maps. O aparelho vem com câmera digital de cinco megapixels e possibilita realizar referências geográficas de forma automática após tirar as fotos. O GPSMap 62sc tem tela de 2,6 polegadas com 65 mil cores e fácil visualização contra a luz solar. Máscara permite registrar tudo com as mãos livres A Explorer 5.0 MP da Liquid Image é uma máscara de mergulho com câmera embutida que pode registrar a sua aventura em fotos ou vídeos. O mergulhador não precisa levar uma câmera à prova d’água e fica com as mãos livres para explorar. A qualidade das fotos é 5 MP e a dos vídeos é 20 fps, e para registrar basta um simples clique no botão da própria máquina, que vem com 16 GB de memória. Tecnologia BirdsEye™ é o diferencial Aquecedores de água Boiler Os aquecedores da Isotemp são fabricados em aço inox, com material e solda de alta qualidade, e têm um design que permite a instalação tanto na horizontal quanto na vertical. A grande durabilidade do produto se deve ao fato do isolamento ser feito com espuma de poliuretano. Disponível em 115 V e 230 V, os aquecedores Boiler contam com duas linhas: a Slim (15 L, 20 L e 25 L de capacidade), e a linha Basic (30 L, 40 L, 50 L e 75 L de capacidade). PERFILNÁUTICO  119  Canal Náutico Canal Esporte Canal Náutico Máscara de mergulho com câmera
    • Em parceria com a fabricante japonesa Tohatsu Corporation, a Bombardier Recreational Products (BRP) lança a linha 2012 de motores Evinrude, com destaque para a atenção dada aos motores de menor potência. Os motores de popa lançados são de quatro tempos e a potência varia entre 3,5 e 15 HP. A BRP percebeu a necessidade do mercado e está apostando nos motores abaixo de 15 HP. Recentemente investiu US$ 15 milhões em novas instalações para o desenvolvimento de alta tecnologia da marca. Os motores são resultado da parceria da canadense Bombardier Recreational Produtcts com a japonesa Tohastsu Corporation “Nossas concessionárias e distribuidores do mundo todo estavam buscando uma gama maior e mais completa de motores Evinrude, e o contrato com a Tohatsu permitirá atender a essa necessidade”, afirma José Boisjoli, presidente e CEO da BRP. “Além disso, estamos confiantes de que este aumento em nossa oferta de produtos com potência abaixo de 15 HP proporcionará uma solução completa para atender às necessidades do consumidor.” 120  PERFILNÁUTICO Canal Náutico Canal Náutico Canal Náutico Canal Esporte BRP lança a nova linha dos motores Evinrude Linha é impermeável e foi desenvolvida exclusivamente para o uso náutico Interwood A linha Interwood da Interfloor, especializada em pisos de PVC, foi desenvolvida para o meio náutico e é imune a água, cupins, umidades e manchas. Por ser feita de PVC, é ideal para projetos naúticos por garantir durabilidade, qualidade e, principalmente, facilidade na limpeza e na manutenção. Resistente a  riscos, sua higienização é simples e prática. Além disso, é sustentável e reciclável. Na cartela de cores encontram-se 13 tons variantes de madeira. Botes infláveis Regatta Os botes infláveis da Regatta estão disponíveis em várias cores e modelos, com capacidade para até três pessoas. Os modelos podem ser encontrados com comprimento total entre 2 e 2,7 metros. Todos os botes, independente do modelo, são construídos em PVC. Os pisos variam entre ripas e fibra de vidro e os fundos variam entre chato e em V. Os modelos levam de 360 a 500 kg de carga e podem ser equipados com motores de até 10 HP. Construídos em PVC, botes podem carregar até 500kg PERFILNÁUTICO  121 
    • Canal Náutico Canal Esporte Garmin eTrex10 e Garmin eTrex30 Gelos através do processo spray Ice Maker Linha eTrex da Garmin volta para o mercado com um novo design A família de produtos Garmin eTrex, já conhecida no mercado náutico, foi totalmente redesenhada, mas sem perder as características que a consagraram. A facilidade de manuseio foi aperfeiçoada pela nova interface gráfica, que deixou ainda mais fácil seu manuseio e leitura. O eTrex10 é um modelo um pouco mais simples, com tela monocromática de 2,2 polegadas. Já o modelo eTrex30 reproduz até 65 mil cores, mostra o relevo do terreno, vem com altímetro barométrico e conectividade sem fio para compartilhamento de rotas e trilhas. A máquina de fazer gelo da Isotherm – marca referência em refrigeradores marinizados – é 100% automática e produz os gelos através do processo spray. O equipamento é conectado diretamente ao sistema pressurizador de água e enche rapidamente o recipiente de quatro litros com cubos de gelo totalmente transparentes. O Ice Maker está disponível nas versões 115 V e 230 V e sua capacidade de produção é 18 kg/dia. C M Y CM MY CY CMY K Geradores MASE O gerador IS 2.7, da MASE, conta com o exclusivo sistema de troca de calor Intercooler System. Com este sistema, apenas o trocador de calor utiliza água externa para resfriamento do equipamento. Também não há circulação de água externa no interior dos motores, o que aumenta o tempo de vida útil do equipamento. Sendo assim, o IS 2.7 é o gerador mais leve do mercado tem um excelente custobenefício. Os modelos têm potência de 2.2 kW a 100 kW. Os produtos dessa seção você encontra nos sites abaixo: www.evinrude.com/pt-BR; www.formulaimport.com.br; www.intermarine.com.br; www.interfloor.com.br; www.regatta.com.br; www.volvopenta.com.br; www.garmin.com.br 122  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  123 
    • Para conhecedores de moda, as peças da Missoni são facilmente reconhecidas por sua qualidade ímpar e pela incrível mistura de cores, tramas e estampas. Desde a criação da marca na Itália na década de 50, os modelos Missoni transpiram sofisticação, conforto e irreverência. Foi nos anos 80 que o seu colorido começou a fazer parte da decoração das casas. Na linha de barcos Intermarine você pode optar por decorar a sua embarcação com os produtos Missoni Home. www.missonihome.it Criatividade e estilo para seu barco Produtos com design que fazem toda a diferença Canal Decor Missoni Home A Bose é uma marca que preza pela exclusividade. Seus sistemas de som automotivos não são vendidos separadamente e só podem ser encontrados nos modelos mais luxuosos de marcas como Porshe, Ferrari, Cadillac e Mercedes-Benz. Em função da tecnologia exclusiva desenvolvida, a marca constrói equipamentos muito pequenos que são capazes de produzir uma qualidade de som inédita. Equipada com som Bose, a Flyer Gran Turismo 49, da Beneteau, promete uma excelente qualidade sonora a bordo. www.bose.com.br Canal Esporte Canal Decor BOSE Fibra Móveis Hoje cada vez mais se valorizam as áreas externas da casa, como varandas, piscinas e jardins. Chaises, aparadores e cadeiras dão um toque especial quando a intenção é renovar o ambiente. Peças de fibras – como as da Fibra Móveis – são as mais indicadas, já que resistem mais às intempéries do tempo. www.fibramoveis.com Gelo Gel Wine Cooler Para servir vinho ou espumante a bordo, o cooler de gel é uma capa que envolve a garrafa por inteiro conservando a bebida fria por mais tempo. Para acompanhar, copos e taças inquebráveis também são uma novidade. Feitos de policarbonato, não oferecem risco a bordo, mas também não deixam de ser sofisticados. Há taças e copos longos para água, uísque, champanhe ou cerveja resistentes e inquebráveis. Perfeitos para o espaço gourmet de embarcações. www.regatta.com.br Lâminados Alpi Fridge com estilo Os refrigeradores da marca Isotherm aliam inovação tecnológica e design sofisticado e prático. O modelo-padrão Standard Cruise 49 já é utilizado em milhares de embarcações ao redor do mundo. A unidade do compressor pode ser facilmente removida e instalada em qualquer espaço vertical a até 1,5 m de distância do refrigerador. A moldura de montagem está disponível como opcional. O Inox Cruise pode ser encontrado nas versões 42 ou 49 litros. www.formulaimport.com.br 124  PERFILNÁUTICO As lâminas da empresa italiana Alpi são filetes de madeira pré-composta que enobrecem e realçam qualquer ambiente. Elas substituem com estilo as madeiras nobres, com as vantagens de serem versáteis no tamanho, sem contar sua beleza e seu caráter ecológico. O acabamento da Alpi pode ser encontrado nos modelos da Beneteau. www.alpi.it PERFILNÁUTICO  125 
    • No mercado joalheiro desde 2009, a Ourominas Joias dispõe de uma linha completa que oferece alianças, anéis, brincos, pulseiras e gargantilhas. Destaque para a linha infantil com peças pequenas, simples e requintadas. Clath Store Na decoração de um ambiente, uma tela personalizada na parede pode ser o grande diferencial. A Clath Store oferece peças únicas que garantem exclusividade. As obras são da artista Thaís Ibañez, que neste ano estará expondo na França e em Los Angeles (EUA). A loja também dispõe de uma linha variada de decoração e de moda. Canal Estilo Canal Esporte Canal Estilo Ourominas Joias www.clathstore.com www.ourominasjoias.com.br Papaiz A nova linha de cadeados da Papaiz permite uma inspeção tranquila nas alfândegas internacionais. Os TSA Locks® chegam ao mercado em dois modelos diferentes, um operado por chave e o outro por segredo numérico. Os modelos estão disponíveis em várias cores e são os únicos cadeados TSA produzidos no Brasil. Para a casa, o corpo e a alma Novidades para todas as ocasiões www.papaiz.com.br Oliver Peoples Esbanjando estilo e tecnologia, os óculos da grife Oliver Peoples são famosos por vestirem o rosto de diversas celebridades de Hollywood. O acessório é uma sugestão para quem quer se prevenir do sol com estilo ou presentear com elegância. Os óculos são equipados com armação de titânio e lentes de policarbonato dégradé. www.ericgozlan.com.br BambooSK8 Salva-vidas para seu pet A Ativa lançou uma coleção de coletes salva-vidas para pets. O seu companheiro de mar, de piscina e, principalmente, de barco agora está protegido e também cheio de charme. Já está disponível uma linha exclusiva para os pets com design e cores para todos os gostos nos seguintes tamanhos: P (5 a 9 kg), M (9 a 12 kg), G (18 a 36 kg) e GG (acima 34 kg). www.regatta.com.br 126  PERFILNÁUTICO Utilizar o skate como lazer e até mesmo como meio de transporte já é, por si só, uma atitude de consciência ambiental. Agora, a Legends Skateboards torna essa atitude ainda mais sustentável. A nova linha BambooSK8 é fabricada com bambu de florestas renováveis. www.legendssk8.com.br PERFILNÁUTICO  127 
    • Turismo GALÁPAGOS Desvendando Galápagos Aventura a bordo de um SUP — stand up paddle em um dos lugares mais lindos do mundo Por Roberta Borsari • Fotos Fabio Paradise 128  PERFILNÁUTICO G alápagos é considerada por muitos um lugar especial, pela riqueza de sua fauna endêmica e por fazer parte da história marcada pela famosa visita de Darwin em 1835, que possibilitou a ele o desenvolvimento da teoria da seleção natural. Mas para mim o arquipélago é também um dos lugares mais bonitos do mundo, com suas praias paradisíacas com rochas negras de origem vulcânica, água cristalina e a enorme diversidade de animais compondo o cenário. Ter a oportunidade de passar a entrada do ano-novo explorando a ilha de stand up paddle pareceume muito tentador. Remar pelas águas cristalinas da Ilha de San Cristóbal com tartarugas, arraias, leõesmarinhos e diversas espécies de peixes seria rotina para mim. E testar as minhas habilidades nesse esporte que une surfe com remo em ondas rápidas com fundo de pedra seria um desafio! j PERFILNÁUTICO  129 
    • Turismo GALÁPAGOS A convivência entre diferentes espécies é harmônica. O perfeito equilíbrio natural O Parque Nacional de Galápagos – Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco – é referência mundial em preservação As incríveis fauna e flora responsáveis pela criação da teoria da seleção natural de Charles Darwin em 1859 130  PERFILNÁUTICO O arquipélago, localizado há 1.000 km da costa do Equador, é composto por 58 ilhas e ilhotas, mas apenas quatro são habitadas. San Cristóbal foi a ilha escolhida para ser a minha base, por ser o “pico” do surfe da região. O destino me foi sugerido pela primeira vez na Surf Travel de 2009 quando fui para lá para me tornar a primeira mulher a surfar em Galápagos de caiaque. Desta vez a proposta era curtir a ilha de stand up em todas as suas possibilidades! Seja nas remadas contemplativas, no surfe e nos treinamentos do projeto SUP Travessias. Tenho programada para 2012 uma série de travessias da costa para as ilhas do litoral paulista para promover a cultura, as atividades e as comunidades destes locais através da ótica do stand up. E nada melhor do que treinar e pedir a benção da mãe natureza em um lugar tão especial! Cheguei no dia 25 de dezembro para encontrar meu amigo, o fotógrafo e cinegrafista Fabio Paradise, para juntos mergulharmos nas aventuras de Galápagos. Nos dois primeiros dias não houve ondas e aproveitamos para fazer os passeios de mergulho e snorkel. Fiquei no tradicional hotel Micônia, localizado na rua principal bem na frente do píer, ou seja, toda a minha locomoção era feita por água com a minha prancha, fosse para surfar ou curtir uma praia. Mergulho, a fauna e a flora Meu primeiro passeio foi uma remada de 8 km até a Isla Lobos, uma espécie de maternidade dos leões e dos lobos-marinhos, onde é possível fazer snorkel ao lado dos filhotes deles, além de tartarugas e outros animais. Os lobinhos são curiosos, amigáveis e fazem com j PERFILNÁUTICO  131 
    • Turismo GALÁPAGOS que os visitantes vivenciem uma experiência única de interação durante o mergulho livre. Vale ressaltar que o Parque Nacional de Galápagos — declarado Patrimônio Natural da Humanidade, pela Unesco em 1978 — é referência mundial em preservação. Portanto os passeios devem ser feitos com operadoras e guias turísticos credenciados e seguir as regras de comportamento com os animais. O mergulho é uma das principais atrações da ilha e a famosa Isla León Dormido e é uma visita obrigatória para os amantes deste esporte. Um conjunto de rochas imponentes que formam uma grande fenda onde é possível atravessá-la nadando. Cardumes de tubarõesmartelo, galápagos e outras espécies são comuns no local, além das tartarugas, lobos e diversas espécies de peixes. O paredão coberto de vida marinha com corais e estrelas das mais variadas formas e cores impressionam pela beleza, e a adrenalina de nadar com as “feras do mar”. meu pé nas pedras (levei dois pontos), tomei uma série inteirinha na cabeça e, para fechar, recebi muitos elogios dos surfistas que estava na água naquela tarde. Foi um dia de surfe muito especial para mim! Os desafios do surfe Contato com a natureza Logo as ondas vieram e eu finalmente pude testar a minha habilidade no surfe. Tenho pouco tempo de prática no SUP, mas meu conhecimento com o kayaksurfe, minha dedicação dos últimos meses no litoral norte paulista e a viagem que fiz ao Peru onde surfei a esquerda mais longa do mundo de stand up, me encheram de confiança — pelo menos para entrar na água e tentar. Surfei num local chamado El Cañón e o dia foi incrível, isto por que eu superei meus limites. Peguei algumas ondas pequenas e outras maiores. Surfei a minha maior onda de SUP até o momento, com dois metros, cortei Depois de ser a primeira mulher a surfar em Galápagos de caiaque, Roberta tornou-se a primeira a surfar de SUP 132  PERFILNÁUTICO Os dias que se seguiram eram divididos entre remadas, surfe, caminhadas e os diversos passeios no parque. A Galapaguera é o centro de pesquisa e preservação das tartarugas-gigantes-de-galápagos. Elas fazem parte dos 18,2% de espécies endêmicas do total catalogado no arquipélago. As tartarugas impressionam pelo tamanho e pelo aspecto pré-histórico que trazem consigo. Mas elas não são os únicos animais endêmicos que chamam a atenção: os pássaros de pata azul e as iguanas marinhas, por exemplo, também são um show à parte. E fazer a observação de todos estes animais de stand up é perfeito! Em Galápagos a relação entre homem e animal é diferente, pois eles não fogem quando você se aproxima. É muito especial e por isso é tão importante respeitar as regras do parque para preservar este ecossistema tão equilibrado. j Um dos momentos mais emocionantes que tive foi durante uma remada, quando pude observar tubarões passando por baixo da prancha. Perdi a voz de tão emocionada A Isla Lobos é uma maternidade de leões e lobos-marinhos e morada também de tartarugas de aspecto pré-histórico PERFILNÁUTICO  133 
    • Turismo GALÁPAGOS Um dos momentos mais emocionantes que tive foi durante uma remada, quando pude observar diversos tubarões passando por baixo da prancha. Perdi a voz de tão emocionada, ou melhor, de tão adrenalizada que fiquei! Um dos treinos que fiz foi uma travessia de 20 quilômetros em que vi no percurso uma barbatana passando a cerca de dez metros de distância. Já não fiquei tão surpresa, mas mesmo sabendo que este é um ecossistema equilibrado remar próximo a um tubarão é sempre uma sensação desconfortável. A gastronomia é um atrativo à parte na ilha! Ceviches caprichados, frutos do mar para todos os gostos com preços acessíveis e sabores de dar água na boca. A recepção calorosa dos locais faz a diferença da viagem. A vila é agradável com diversos restaurantes, muitas lojinhas vendendo todo tipo de lembrança da ilha, operadoras de turismo e uma vista para um marzão azul rodeado de barcos de todos os portes. São muitos os atrativos de San Cristóbal: da linda praia de Tigueretas, passando pela visita ao vulcão com passeio de bicicleta até ao museu que conta a história da ilha e sua fauna. Um destino imperdível para amantes de ecoturismo, mergulho, surfe, praia e lugares maravilhosos! S Roberta Borsari é atleta paulistana com mais de 15 anos de experiência em expedições e competições de esportes ligados a remo. É TOP 10 mundial na modalidade kaiaksurfe. Em Galápagos a relação entre homem e animal é diferente, eles não fogem quando você se aproxima. É muito especial O principal é respeitar as regras do parque para preservar o ecossistema tão equilibrado de Galápagos 134  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  135 
    • Turismo Mergulho Gorgona e Malpelo As belezas submersas das ilhas colombianas localizadas no Pacífico Por Carol Schrappe • Fotos: Kadu Pinheiro 136  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  137 
    • A Turismo Mergulho s ilhas de Gorgona e Malpelo estão localizadas a aproximadamente 300 km da costa sul da Colômbia. Ambas localizadas no Oceano Pacífico, são laboratórios vivos, ideais para as pesquisas científicas e também para atividades relacionadas ao turismo de aventura, tanto terrestre como submarino, destacando-se o mergulho, a observação de fauna e flora e a fotografia. A vida submersa dessa região possui espécies que são encontradas apenas lá, com uma variedade incrível que chama a atenção de mergulhadores de todo o mundo. Partindo de São Paulo rumo a Bogotá, é necessário passar uma noite na capital colombiana e no dia seguinte embarcar em um voo doméstico até Guapi com escala em Cali. Após algumas horas de voo, aterrissamos em meio à selva, na pequena cidade portuária de Guapi. A população é bem diferente da que vimos em Bogotá. Em sua grande maioria de origem africana, o povo local é animado e gentil, mas a pobreza é latente. O aeroporto controlado por militares é minúsculo e intimidador, o calor e a umidade já se fazem presentes no instante do desembarque. Após as formalidades, fomos de taxi-motocicleta — uma espécie de triciclo adaptado que pode levar até três passageiros e suas bagagens amarradas na parte traseira — até a Aviatur, onde pegamos nosso barco para o primeiro paraíso: Gorgona. Foram duas horas de viagem. Peixe-papagaio colore o fundo do mar da ilha de Gorgona A vida submersa da região possui espécies que são encontradas apenas lá. Uma variedade incrível que atrai mergulhadores de todo o mundo Gorgona Um verdadeiro éden de biodiversidade, bem como um lugar de valor inestimável para a pesquisa científica. Localizada no Oceano Pacífico, traz uma triste lembrança de seu passado recente quando era uma prisão de segurança máxima na década de 1970 até meados de 1982. Em 1985 foi declarada parque estadual e hoje em dia a natureza se encarregou de quebrar e purificar o clima desolador da ilha. Em Gorgona encontramos espécies típicas da selva tropical, como macacos, serpentes e lagartos que estão por toda parte. A primeira recomendação é não andar sozinho pelas trilhas, seguir sempre as marcações, 138  PERFILNÁUTICO A biodiversidade tem enorme valor para a pesquisa científica. As illhas possuem centros de pesquisas internacionais usar botas de borracha (fornecidas pelo pessoal do parque) e carregar uma lanterna para se locomover dos alojamentos até as outras dependências durante a noite. A ilha possui uma estação de pesquisa permanente, possui também um dive center bem equipado com instrutores e guias bem preparados. Não é permitido acampar devido às cobras venenosas. O centro de visitantes Humantatay tem capacidade para 83 pessoas e disponibilidade de 16 quartos, o conforto é mínimo: camas rústicas, ventiladores e aquecimento solar, mas tudo muito bem cuidado e limpo. Telefones e internet somente na administração do Parque, a comunicação é via satélite e restrita. Com uma área de 24 km², é um importante ecossistema marinho e insular, rico em correntes de água doce. Ao sudoeste está a Lagoa Tunapuri, com cerca 5.000 m² de superfície. A ilha é uma reserva que inclui, além de Gorgona, três ilhotas e o setor marinho circundante. Foi descoberta por Diego de Almagro em 1527. Francisco Pizarro deu-lhe o nome de Gorgona pela grande quantidade de serpentes venenosas que abrigava. Em 1959 a Colômbia adquiriu direitos sobre a ilha e estabeleceu a colônia penal que funcionou até 1982, quando foi decidido proteger a ilha. Mergulho em La Tiburonera Mergulhamos em um ponto chamado La Tiburonera, repleto de tubarões galhas-brancas de recife. Durante todo o mergulho escutamos o canto das baleias jubarte, chegando a sentir suas vibrações embaixo da água, emocionante! As baleias podem ser avistadas durante agosto e setembro. Podem-se visualizar também grandes cardumes e uma vida submersa bem ativa, porém a visibilidade não é das melhores. Fortes correntes são constantes nesse ponto.j Tubarão-baleia PERFILNÁUTICO  139 
    • Turismo Mergulho O que fazer em Gorgona: s Visitar o Museu do Antigo Penal. s Caminhada à Praia Palmeiras: percurso de duas horas pelas praias Sulforadas, Piedra Redonda e Palmeiras. s Caminho de El Pan: percurso do povoado ao Centro Interativo e ao Museu Arqueológico. s Yundigua: é um aquário natural onde se pode praticar snorkeling ou mergulho. s El Planchón, El Viudo, Las Montañitas I e II, El Horno e La Tiburonera: são os principais pontos para praticar mergulho autônomo. Rumo a Malpelo Para ir a Malpelo pegamos carona a bordo do Nemo, um catamarã de 82 pés de comprimento e 32 de largura. Conhecemos nossos companheiros de viagem: quatro colombianos, uma húngara e um holandês, além da tripulação. Malpelo é uma ilha rochosa de origem vulcânica, considerada um santuário de fauna e flora, localizado a 506 km ao oeste de Buenaventura. As suas encostas nuas e salpicadas de branco pelas colônias de ninhos do pássaro piquero-mascarado-azul definem o aspecto da ilha, cujas águas circundantes abrigam abundantes e diversas espécies marinhas. As embarcações, tanto nacionais como estrangeiras, devem solicitar permissão à direção dos parques marinhos em Bogotá, para ir a Malpelo. Após 26 horas Em Malpelo pode-se avistar uma grande quantidade de espécies de tubarões que chegam a até 15 metros Os moradores das ilhas: tartarugas marinhas, barracudas e o solitário tubarão galha-branca 140  PERFILNÁUTICO de navegação, comendo e dormindo ao balanço do mar, avistamos Malpelo, uma rocha no meio do oceano, que lembra o rosto de um indígena deitado sobre o mar. Com uma nuvem pairando acima da ilha e raios de sol iluminando sua encosta, a visão foi mágica e especial. Nós nos equipamos, pois ainda restavam algumas horas de sol e pelo menos um mergulho teríamos de fazer. Bote na água, câmeras em punho e água. “El Arrecife”, cardumes de barracudas, garoupasmarmoradas, tubarões-martelo passando ao longe. Para um primeiro mergulho de fim de tarde estava ótimo! O dia seguinte foi marcado por grandes encontros: tubarões-baleia, silkys, tubarões-martelo, peixes de todos os tipos, correnteza moderada e água bem clara. Imperdível. A riqueza da região: peixes-borboleta entre garoupas e namorados. O curioso peixe-escorpião e mais uma espécie de tubarão, o martelo Por seu isolamento do continente, Malpelo apresenta espécies endêmicas como o caranguejo terrestre e o geko. É também a maior colônia de aves da espécie piquero-mascarado ou alcatraz de Malpelo. Destaca-se pela abundância de tubarões-martelo, tubarões silky, o tubarão-baleia, que pode chegar a quinze metros de comprimento, arraias-jamantas e arraias-chitas. Enormes cardumes de pargos, meros, chernes, atuns e barracudas são vistos em quase todos os mergulhos. Na ilha existe um posto avançado da marinha colombiana, o desembarque em terra não é possível. Demos uma volta de bote no entorno da ilha e j PERFILNÁUTICO  141 
    • Turismo Mergulho O polvo confunde-se com o fundo rochoso pudemos verificar a quantidade de aves que usam a ilha para fazer seus ninhos. Pequenas cavernas são outra atração e exigem habilidade do barqueiro para entrar e sair sem grandes problemas. Mergulhos imperdíveis em Malpelo: “La Catedral”, “Porta del Cielo”, “Parede del Fantasma”, “El Freezer”, “Vagamares”, “Parede del Náufrago”. E, se estiver disposto a correr um pouco de risco e seu grupo for de mergulhadores experientes, vale mergulhar em “Bajo del Monstro” a 60 metros de profundidade, onde pode-se encontrar o tubarão monstro de Malpelo ou o tubarão de seis guelras, que costuma frequentar águas ainda mais profundas, porém nesse ponto pode ser encontrado em águas mais “rasas”. Retornando a Bogotá Além de ser uma cidade muito bonita, possui uma gastronomia variada. Não deixe de conhecer o Quarteirão Rosa, local com diversos restaurantes, bares e pubs, onde o agito vai até tarde todos os dias da semana. Aproveitamos para visitar a “Fundación Malpelo Y Otros Ecosistemas Marinhos”. Lá conhecemos Stanislas Teillaud, um francês que é o atual coordenador de projetos da Fundação, uma entidade 142  PERFILNÁUTICO não governamental criada em 1999, com o intuito de preservar e pesquisar os ambientes marinhos da Colômbia. Eles possuem diversos projetos de pesquisa e monitoramento de tubarões em conjunto com os governos do Panamá, Equador e Costa Rica, fazendo um estudo sobre migração entre as ilhas Galápagos, Coiba, Malpelo, Gorgona e Cocos. Essas entre outras ações são realizadas pela Fundação em parceria com diversos órgãos mundiais na luta pela preservação do ambiente marinho e pela repressão à pesca ilegal de barbatanas de tubarão. S Carol Schrappe é instrutora de mergulho e proprietária da agência especializada em turismo de mergulho Acquanauta. www.acquanauta.com.br. Kadu Pinheiro é instrutor de mergulho e de fotografia subaquática. www.kadupinheiro.com. Serviço Parques Nacionais da Colômbia: www.parquesnacionales.gov.co Fundação Malpelo: www.fundacionmalpelo.org Quem leva Acquanauta Centro de Mergulho: www.acquanauta.com.br PERFILNÁUTICO  143 
    • Camboriú Yacht & Golf Reserva Camboriú Yacht & Golf Sua embarcação atracada no quintal de casa O sonho da maioria dos proprietários de lanchas e jet skis é poder navegar na hora que quiser. Localizado em um dos maiores polos náuticos do Brasil, o Condomínio Reserva Camboriú Yacht & Golf é um dos poucos lugares no país onde esse sonho pode se concretizar. Contando com atracadouros exclusivos para moradores, o empreendimento ainda oferece uma série de opções de lazer para toda a família, como um completíssimo campo de golfe. Tudo isso a cinco minutos da badalada praia de Camboriú em Santa Catarina. Balneário Camboriú Com um dos metros quadrados mais valorizados do país, Balneário Camboriú é um ótimo lugar para morar ou passar o verão. Eleito o melhor município em qualidade de vida do litoral catarinense, lá é possível aproveitar a agitada vida noturna da região, bem como desfrutar de momentos de descanso em lugares mais reservados e exclusivos, como é o local onde o Reserva Camboriú Yacht & Golf está localizado. Próximo ao condomínio, encontram-se inúmeros pontos turísticos. Entre eles estão o Cristo Luz, a Ilha das Cabras, o Parque Unipraias e o Parque Natural Raimundo Malta. Na Barra Sul, é possível pegar o Barco Pirata e fazer um passeio pelas praias de Balneário Camboriú. A Via Gastronômica também é uma ótima opção, com renomados restaurantes que trazem o melhor da gastronomia internacional. j Por Angelo Sfair Atracadouro exclusivo para pequenas e médias embarcações 144  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  145 
    • Camboriú Yacht & Golf Acessos A região dispõe de belas praias — como Praia Central, Laranjeiras, Estaleiro, Estaleirinho, Taquaras, Taquarinhas e Pinho — onde é possível navegar e praticar esportes. O acesso ao Condomínio pode ser feito por mar ou por terra. “Por mar, é pela Barra Sul, para quem tem seu atracadouro próprio ou vai usar o atracadouro comum do condomínio; uma das vantagens do empreendimento é proporcionar essa comodidade e segurança aos futuros moradores”, diz Ana Valéria Martins, gerente-comercial do Grupo Thá. “Por terra, o acesso pode ser direto por Camboriú ou pela estrada. Com a revitalização da Via Gastronômica, o empreendimento ficará próximo aos requintados restaurantes, o que o valorizará ainda mais.” Atracadouros exclusivos Localizado entre o Rio Camboriú e o Rio Pequeno, o Residencial Reserva Camboriú permite o acesso apenas de embarcações de pequeno e médio porte, já que no Rio Camboriú há uma ponte que impossibilita Pode-se optar por atracadouro de uso particular para usufruir de mais exclusividade A região oferece estrutura náutica, gastronômica e de diversão. As praias são belas e cheias de charme Paisagismo e decoração refinada valorizam áreas comuns 146  PERFILNÁUTICO a passagem de grandes embarcações. Essa construção torna o espaço ainda mais exclusivo para os moradores, que podem escolher entre atracadouros de uso comum e restrito. “O Reserva Camboriú é direcionado para pessoas que queiram ter uma vida diferenciada, que prezam pela exclusividade”, aponta Ana Valéria. Nos períodos de maré baixa, embarcações de até cinco metros de altura conseguem acesso a essa região. Já nos períodos de maré alta, o limite cai para quatro metros. O Rio Camboriú tem um calado médio de quatro metros, enquanto o do Rio Pequeno fica em torno de dois metros e meio. Os atracadouros dividem-se entre exclusivos e gerais. Ao todo são 10 exclusivos, que atendem a 33 lotes diferentes. Os demais lotes são atendidos pelo atracadouro comum. Ambos possuem depósito para a coleta de resíduos produzidos pelas embarcações. Infraestrutura náutica e marinas O estado de Santa Catarina é um dos polos com maior diversidade e qualidade em infraestrutura náutica. Na região de Balneário Camboriú, os destaques são a Marina do Iate Clube Camboriú e a Tedesco Marina — considerada como uma das mais modernas do Brasil. A Tedesco Marina fica às margens do Rio Camboriú e conta com uma área total de 33 mil metros quadrados. Fundada em 1957, passou recentemente por uma reforma e atende embarcações de até 32 pés. j PERFILNÁUTICO  147 
    • O Espaço Fitness dispõe de uma academia equipada com equipamentos de última geração e um personal trainer para auxiliar os treinos. O empreendimento também oferece serviços de spa e clube, como massagens, terapias e plano nutricional. Já o Espaço Gourmet tem uma excelente infraestrutura e é ideal para reunir família e amigos. Camboriú Yacht & Golf Turismo GALÁPAGOS Golfe Além dos esportes náuticos, o condomínio oferece inúmeras opções de práticas esportivas — como tênis, natação, caminhada e musculação —, mas o grande destaque é o campo de golfe. Sendo assim, o Residencial Camboriú Yacht & Golf torna-se um dos poucos empreendimentos do Brasil que alia a exclusividade do acesso náutico com um campo de golfe, um dos esportes mais exclusivos do mundo. “Os futuros moradores não querem apenas estar na praia, mas também estar em um local repleto de estrutura, contar com grandes diferenciais, como atracadouros, campo de golfe, piscina e quadra de tênis dentro do próprio empreendimento”, diz Ana Valéria. O Campo de Golfe Comandante Gentil é um Executive Course de seis buracos. Cada buraco possui três tees de saída, ou seja, em três voltas é possível jogar 18 buracos diferentes — exatamente como jogam os profissionais. Os buracos alternam-se entre par três e quatro, tanto de média como de longa distância. Os greens têm áreas que variam entre 300 e 500 metros quadrados. O terreno em que o Campo de Golfe Comandande Gentil está instalado é perfeito para a prática do esporte. Nele há rios, matas e bunkers de areia, além de uma privilegiada paisagem, o que dá ainda mais prazer para cada partida. O campo contém buracos bastante desafiadores para os golfistas mais experientes, mas pode perfeitamente ser utilizado por iniciantes. j Piscina ampla garante diversão em família O condomínio oferece o Espaço Esportivo com quadras de tênis, o Espaço Fitness, spa, estrutura para esportes aquáticos e campo de golfe Esportes Náuticos As águas catarinenses oferecem uma infinidade de opções de práticas esportivas. Através do Rio Camboriú — onde está localizado o empreendimento — é possível ter acesso ao mar de Balneário Camboriú. Esta região tem um grande potencial para a pesca esportiva, que também pode ser praticada em toda a costa catarinense. O jet ski também é uma ótima pedida para se divertir com toda a família. Também é possível praticar esqui aquático, windsurfe, iatismo e caiaque. 148  PERFILNÁUTICO Lazer para a família inteira A estrutura do Condomínio Residencial Camboriú Yacht & Golf também engloba um complexo que proporciona vários tipos de atividades. Há como praticar esportes, contemplar a natureza, espaços para convívio e até mesmo para descanso. Dentre os diversos complexos, há o Espaço Esportivo Atlântico, que oferece quadra de tênis com vestiários, piscinas externas e piscina coberta (com água aquecida), salão de festas, salão de jogos, churrasqueiras e saunas. Próximo à Via Gastronômica, não faltam opções de requintados restaurantes PERFILNÁUTICO  149 
    • Camboriú Yacht & Golf Lotes Os 171 lotes estão distribuídos em quatro ruas do Condomínio Reserva Camboriú. Outros três lotes estão reservados para futuros empreendimentos como edifícios comerciais, resorts ou shoppings. A área mínima dos lotes é de 643 m² e a área máxima é de 1.208 m². Todos os projetos arquitetônicos serão avaliados por uma equipe técnica para garantir a harmonia do condomínio. Os projetos ainda receberão dicas para as construções. Como a região é muito quente, serão indicados tetos altos, cores claras, “tetos verdes” (que protegem de altas temperaturas) e varandas com grandes janelas. O condomínio irá oferecer estrutura completa para internet, telefonia, TV por assinatura, tudo isso através de uma rede de fibra óptica de última geração com rede elétrica subterrânea. Os lotes serão interligados e contam com sistema de segurança. S A beleza na sua forma mais segura e confortável Conheça o Etna 25’. Lançamento oficial no São Paulo Boat Show O grande destaque é o campo de golfe que torna o empreendimento um dos únicos no país que alia acesso náutico e um campo “Executive Course” profissional. Além dos 171 lotes para moradia, há espaço para a construções comerciais como shoppings ou resorts 150  PERFILNÁUTICO www.gampernautica.com.br São Francisco do Sul | SC PERFILNÁUTICO  151 
    • Jet Waves 2012 começa em Salvador Medina: Comecei a surfar com 8 Gabriel Medina comemora a vitória no Quiksilver Pro France 2011 A temporada 2011 do ASP World Championship Tour (WCT), que terminou com o 11° título de Kelly Slater, também foi a temporada de estreia do jovem talento brasileiro Gabriel Medina. Natural de São Sebastião (SP), Medina foi o mais jovem brasileiro a ingressar no seleto grupo da ASP World Title — grupo que reúne os 36 melhores surfistas do planeta. Medina, porém, não sentiu a pressão e surpreendeu com um surfe explosivo e repleto de aéreos. Agora, iniciando sua segunda temporada no WCT, o jovem talento brasileiro quer chegar ainda mais longe. Confira a entrevista que Gabriel Medina cedeu com exclusividade para a Revista Perfil Náutico: Perfil Náutico: Como foi lidar com essa ascensão relâmpago na carreira? Gabriel Medina: Gosto de surfar, gosto de competir. As vitórias e a credibilidade me servem como incentivo. PN: Acreditava que poderia vencer etapas no seu ano de estreia no Circuito Mundial? Medina: Sempre acredito em mim. Respeito meus adversários, mas todo campeonato que eu entro é para ganhar. ou 9 anos e em um ano já estava competindo. Aprendi muito, treinei muito e com 13 anos as vitórias começaram a vir. Meu ídolo sempre foi o Mick Fanning e no Brasil sempre me inspirei no Mineiro (Adriano de Souza). PN: Você já venceu baterias contra atletas consagrados, como o melhor do mundo Kelly Slater. Sente-se preparado para disputar o título do WCT? Medina: Estou preparado assim como todos os atletas da elite também estão. PN: Em uma recente entrevista, Kelly Slater ressaltou que, por causa da chegada de novos atletas no WCT, novas manobras estão sendo colocadas em prática e o critério dos juízes pode estar mudando. Como você avalia essa nova geração que está buscando seu espaço no Circuito Mundial? Medina: Os garotos da nova geração possuem um surfe bem explosivo. Gostam de dar aéreos e os juízes estão valorizando. Também temos “Os garotos da nova geração possuem um surfe bem explosivo. Também temos pontos para evoluir, mas isso vai acontecer naturalmente.” PN: Desde muito cedo você está acostumado com as vitórias. Como você começou no esporte e quais são seus ídolos? outros pontos para evoluir, mas isso vai acontecer naturalmente, pois a cada etapa vamos ganhar mais experiência. Calendário 2012 WCT Bells Beach, Victoria, Austrália – 3 a 14 de abril; Rio de Janeiro, Brasil – 9 a 20 de maio; Tavarua/Namotu, Fiji – 3 a 15 de junho; Jeffreys Bay, África do Sul – 11 a 21 de julho; Teahupoo,Taiarapu, Polinésia Francesa – 16 a 27 de agosto; Trestles, Califórnia, Estados Unidos – 16 a 22 de setembro; South West Coast, França – 28 de setembro a 8 de outubro; Peniche, Portugal – 10 a 21 de outubro; Santa Cruz, Califórnia, Estados Unidos – 2 a 12 de novembro; Banzai Pipeline, Oahu, Havaí – 8 a 20 de dezembro. 152  PERFILNÁUTICO Brasil recebe o Extreme Sailing Series no fim de 2012 A Praia de Armação, na Bahia, será o palco da estreia do Jet Waves 2012. As atividades na praia turística de Salvador começam no dia 23 de março, com o treino oficial, e se estendem pelo fim de semana (24 e 25), quando acontece a competição. Alguns dos principais brasileiros na competição são Tiago Geitens, Bruno Jacob e Alessander Lenzi, o maior campeão mundial das modalidades Freestyle Profissional e Free Rider. j Extreme Sailing Series 2012 Depois de uma grande temporada em 2011, quando os italianos do Luna Rossa se sagraram campeões, o Extreme Sailing Series entra em sua sexta edição. A novidade para este ano é a etapa brasileira, programada para novembro e dezembro, ainda sem local definido. Até o momento sete equipes estão confirmadas: Alinghi (Sui), GAC Pindar (Gbr), Groupe Edmond de Rothschild (Fra), Oman Air (Oma), Red Bull Sailing Team (Aut), The Wave, Muscat (Oma), ZouLou (Fra). Calendário 2012: Qingdao, China (17 a 20 de abril); Istambul, Turquia (7 a 10 de junho); Porto, Portugal (5 a 8 de julho); Cardiff, Inglaterra (24 a 27 de agosto); Trapani, Itália (13 a16 de setembro); Nice, França (18 a 21 de outubro); Brasil (29 de novembro a 2 de dezembro). Alessander Lenzi é uma das atrações Classe Soto 40 cria Campeonato Europeu em 2012 O encontro europeu anual de veleiros Soto 40, realizado em Valência, na Espanha, revelou boas novidades para a classe. Foi decidida, de forma unânime, a criação do Campeonato Europeu de Soto 40. A competição irá incluir regatas já existentes, como a Copa del Rey Audi Mapfre. O calendário do Campeonato Europeu de Soto 40 tem as seguintes datas: Troféu Conde de Godo – 24 a 27 de maio, Barcelona; Sardinia Cup – 11 a 16 de junho, Porto Cervo; Copa del Rey – 18 a 21 de julho, Palma de Maiorca; Copa Sotogrande – 10 a 13 de agosto, Sotogrande; Soto 40 European Championship Finals – 19 a 22 de setembro, Valência. PERFILNÁUTICO  153  Canal Esporte Canal Canal Esporte Esporte Gabriel Medina - destaque brasileiro no mundial de surfe
    • Canal Esporte Canal Esporte Canal Esporte Canal Esporte Apenas a classe 470 feminina não definiu seus representantes Semana Brasileira de Vela A Semana Brasileira de Vela, disputada em Búzios, Rio de Janeiro, definiu os primeiros representantes do Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Seis das dez vagas que estarão em Londres foram definidas e, das classes que disputaram a Semana Brasileira de Vela, apenas a 470 Feminina não definiu suas representantes. O Troféu Princesa Sofia, que será disputado no mês de abril em Palma de Maiorca, na Espanha, definirá qual será a dupla de 470 que defenderá o Brasil em Londres. A equipe olímpica brasileira até o momento é formada por: Robert Scheidt e Bruno Prada (Star), Ricardo Winick “Bimba” (RS:X Masculino), Adriana Kostiw (Laser Radial), Bruno Fontes (Laser) e Jorge Zarif (Finn). C M Y CM MY CY CMY K Hang Loose Pro Contest 2012 O novo campeão do Hang Loose Pro Contest de Fernando de Noronha (PE) é o surfista paulista Miguel Pupo, de 20 anos. Pupo enfrentou o catarinense Jean da Silva na final e, com a vitória, evitou o bicampeonato do seu adversário. O paulista foi o primeiro a tirar uma nota 10 nos tubos da Cacimba do Padre e também estabeleceu um novo recorde de pontuação, somou 19,77 pontos. Com a final do Hang Loose Pro Contest, Miguel Pupo e Jean da Silva lideram o Ranking Mundial unificado Miguel Pupo é mais um talento da da ASP, que classifica dez nova geração brasileira surfistas para o WCT 2013. S 154  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  155 
    • Você também pode ajudar a melhorar a condição da água no mundo. Fique alerta! Por Angelo Sfair Tartaruga-de-couro: são esperadas 120 desovas neste ano Projeto Tamar bate recorde no Espírito Santo Chegando ao fim da temporada de desova, que na costa brasileira vai de setembro a março, as bases do Espírito Santo do Projeto Tamar registraram um recorde de ninhos de tartarugade-couro. Ao todo já são 17 fêmeas diferentes marcadas, além de cinco que estão desovando em Guriri e Itaúnas. São esperadas 120 desovas até o fim da temporada, o que significa um aumento de 400% em relação à temporada passada, quando apenas 29 desovas foram registradas. No dia 22 de março comemora-se o Dia Mundial da Água. Celebrada desde 1993, a data tem como objetivo levantar discussões sobre esse bem tão precioso para o planeta. O tema oficial deste ano é “Água e Segurança Alimentar”. As discussões serão baseadas no fato de que 70% do total de água do planeta é utilizado na agricultura e agropecuária. A escassez de água já afeta todos os continentes e mais de 40% das pessoas em nosso planeta. A seca causou mais mortes durante o último século do que qualquer outro desastre natural. Em 2025 condições de estresse hídrico. A falta de água limita a capacidade dos agricultores para produzir alimento suficiente para comer ou ganhar a vida. O sul da Ásia, o leste da Ásia e do Oriente Médio, Em 2025 estima-se que 1,8 bilhão de pessoas estarão vivendo em países ou regiões com escassez absoluta de água estima-se que 1,8 bilhão de pessoas estarão vivendo em países ou regiões com escassez absoluta de água e que dois terços da população do mundo poderá estar vivendo sob por exemplo, já estão perto de seus limites de recursos, e sua população ainda está crescendo. Saiba mais sobre a campanha no site: www.diamundialdaagua.net. Oceanos A situação dos oceanos também é crítica. Consequência do efeito estufa, o aumento da temperatura dos oceanos acarreta uma série de problemas, como o derretimento das calotas polares. A temperatura mais alta também influencia no pH da água, deixando-a mais ácida. Segundo a pesquisa mais recente da Universidade de Plymouth, no Reino Unido, essa acidez pode extinguir 30% das espécies marinhas até o fim do século. Outro fator que assusta são as chamadas zonas mortas — áreas com nível crítico de oxigênio, em decorrência da ­ poluição. As tais zonas sufocam a vida marinha e geram transtornos em toda a cadeia alimentar. O número dessas áreas tem dobrado a cada década desde 1960. Atualmente já foram registradas mais de 400 zonas mortas. Mochilas sustentáveis A Lexon, marca francesa assinada por René Adda, apresenta as linhas de bolsas Airline e Eggo. O grande diferencial, além do design arrojado, é a fabricação em microfibra 100% reciclada ou poliéster. Há modelos para viagens curtas e longas (preços variam entre R$ 129 e R$ 658), ambos com vários compartimentos e divisórias. A Lexon busca desenvolver produtos funcionais, inovadores e sofisticados, mas não deixa de se preocupar com o meio ambiente. No Brasil, a marca pode ser encontrada na loja Dreux, em São Paulo. 156  PERFILNÁUTICO Mochila de material 100% reciclado Centro de pesquisas na Noruega. Especialistas do Instituto Alemão de Pesquisa Marinha e do Centro de Pesquisa para Geociências Marinhas colaboram com o Greenpeace em pesquisas sobre a acidificação dos oceanos PERFILNÁUTICO  157  Canal Planeta Água Canal Esporte Canal Planeta Água Canal Planeta Água Dia mundial da água
    • Canal Gourmet oavgam N la e b Em Frango à Malu Ingredientes (porção para 4 pessoas) P P P P P P P Um frango inteiro Cebolas miúdas Bacon picadinho 200 g de manteiga Três dentes de alho moído Sal grosso de churrasco Pimenta-malagueta a gosto Como preparar Não separe o que a Itália tem de melhor. Massa Paganini sem azeite de oliva Paganini não é a mesma coisa. PORTO A PORTO 158  PERFILNÁUTICO (41) 3018-7393 Encha o frango com as cebolas, bacon, alho, metade da manteiga e uma colher de sopa de sal grosso. Costure bem. Unte o frango com o resto da manteiga e passe o sal grosso. Asse em fogo médio (no forno). No espeto, deixe por uma hora e meia sem furar. Espete o frango pelas coxas para não vazar o molho. Obs.: O nome do prato não é cabotinismo. Foi dado pelo publicitário João José Werzbitzki, quando atendia a conta da Batavo. O Frango à Malu fez parte do receituário da Batavo e teve milhões de cópias distribuídas pelo Brasil. S Luiz Alfredo Malucelli é escritor, cronista, jornalista e gourmet CASA FLORA (11) 3327-5199 PERFILNÁUTICO  159 
    • Canal Cultura Livro “Soltando as Amarras” Continuação do projeto “Velejando com Deus”, o livro “Soltando as Amarras”, de Márcio Fabrício Nunciaroni, conta as histórias vividas por ele e sua esposa, Daniela, que viajaram pela costa brasileira no barco “Bora Bora” levantando a bandeira da liberdade e da responsabilidade social. O casal idealizou o projeto “Velejando com Deus”, que tem como objetivo levar às comunidades ribeirinhas ações sociais e palavras de esperança. Márcio e Daniela Nunciaroni trocaram a casa pelo barco e conseguem manter o projeto com o auxílio de doações e com a venda dos livros “Velejando com Deus” e “Soltando as Amarras”. O livro pode ser adquirido na Livraria Náutica, um e-commerce voltado para a literatura de aventura, expedições no mar e mistérios da natureza. www.livrarianautica.com.br C M Y CM MY Documentário “Mar Me Quer” CY CMY K O documentário “Mar Me Quer”, dirigido e produzido pela jornalista Isabella Nicolas, irá fazer um panorama completo da vela no Brasil desde a chegada dos portugueses. História, esporte, medalhas, vela oceânica e vela de represa estão em pauta. Também serão abordados assuntos como a vela de subsistência no nordeste e a fundação dos primeiros clubes. As gravações foram feitas em cidades como Três Marias (MG), Salvador (BA), Recife (PE), Punta del Este (Uruguai) e Miami (EUA). Entre os entrevistados estão esportistas de destaque mundial e inúmeros fundadores e descendentes dos pioneiros do esporte no Brasil. O documentário da Book Films (que também produziu “Senhores do Vento”), terá sua pré-estreia no Festival do Rio, em setembro, e o lançamento comercial está previsto para janeiro de 2013. S 160  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  161 
    • Canal Esporte Canal Click A beleza do fundo do mar da ilha colombiana de Malpelo. A arraia-chita flutua no azul infinito e paira sobre as lentes do fotógrafo subaquático Kadu Pinheiro 162  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  163