Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Paisagens agrarias 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Paisagens agrarias 1

  • 229 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
229
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6

Actions

Shares
Downloads
6
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. AGRICULTURA PAISAGENS AGRÁRIAS/AGRÍCOLAS
  • 2. Agricultura Tradicional
  • 3. Agricultura Moderna
  • 4. TRADICIONAIS TÉCNICASAGRÍCOLAS MODERNAS
  • 5. Culturas agrícolas TRIGO MILHO
  • 6. Paisagem agrária da Região de Entre Douro e Minho Vale do Geraz-Póvoa de Lanhoso
  • 7. Paisagem agrária da Região de Entre Douro e Minho
  • 8. Freguesia de Arnoso–V.N. de Famalicão Paisagem agrária da Região de Entre Douro e Minho
  • 9. Paisagem Agrária de “bocage” ou “enclos”, isto é, de Campos fechados: -Minifúndios -irregulares -fechados Pormenores da paisagem agrária do Entre Douro e Minho: -ocupação intensiva do solo -policultura -minifúndios, irregulares, vedados por sebes vivas -abundância de recursos hídricos
  • 10. Aldeia de Brufe–Terras de Bouro (Barreira de Condensação) Paisagem agrária da Região de Entre Douro e Minho
  • 11. Paisagem agrária da Região de Entre Douro e Minho Peneda –Gerês /// Barreira de Condensação Campos fechados por muros de pedra Leiras em pousio Povoamento agrupado Isolamento geográfico na origem de práticas comunitá- rias
  • 12. Paisagem agrícola Transmontana -Olival
  • 13. Paisagem agrária –planalto de Bragança Campos em Pousio
  • 14. Criação de gado ovino e caprino –Trás-os-MontesEspécies animais de pequeno porte melhor adaptadas a áreas: -acidentadas -clima mais rigoroso –verão quente e seco e inverno frio e pouco chuvoso
  • 15. Criação de gado bovino –Raça autóctone Entre as montanhas e os planaltos , encontram-se os lameiros. Trata-se de pastagenspermanentesprincipal suportedapecuáriabovina de montanha, nomeadamentede raçasautóctones. A sua abundância correlaciona-se com a pluviosidade relativamente abundante, acima dos 700-800mm anuais.
  • 16. -proteger o solo da erosão -contribuir para -o ciclo da água -a regularização das bacias hidrográficas -reduzir a propagação dos incêndios florestais Os lameiros -culturas com um baixo nível de consumo de químicos e de um elevado valor paisagístico –têm ainda o papel fundamental de
  • 17. Solo preparado p sementeira de trigo ou centeio Paisagem agrícola transmontana –Norte Interior Encosta preparada para sementeira de cereal de sequeiro, trigo ou centeio Afolhamento
  • 18. Paisagens agrícolas transmontanas –Norte Interior 1 -Pecuária extensiva 2 -Mecanização ligeira –tractor 3 -Pousio e afolhamento 1 2 3
  • 19. Paisagem agrária transmontana –Norte InteriorPlanalto no Verão Planalto na Primavera Arado –técnica tradicional Policulturade subsistência
  • 20. Paisagem agrária do Norte Interior –Terra Fria Manada de vacas de raça mirandesa –raça autóctone –em pastagem. No planalto mirandês a precipitação anual ronda os 600-800 mm o que justifica a existência de lameiros de sequeiro. O centeio é o cereal dominante na região. Ao fundo, a cidade de Miranda do Douro.
  • 21. Na Região, a Raça Mirandesa subsiste em dois sistemas de exploração, o tradicional e o extensivo. O sistema tradicional é: característico de pequenas explorações com encabeçamentos baixos (menos de 10 vacas por exploração) praticado em cerca de dois terços das explorações Policultural(cereais e frutos secos) para satisfação das necessidades de autoconsumo e venda dos excedentes. A venda dos vitelos constitui muitas vezes a principal fonte de rendimento. O sistema extensivo é: utilizado pela maioria dos produtores que possuem efectivos superiores a 10 vacas. As vacas permanecem todo o ano em pastoreio, acompanhadas pelo touro (a alimentação é suplementada com feno ou outro tipo de forragens disponíveis apenas quando a condição corporal seja inferior a 2, numa escala de 5 pontos).
  • 22. Paisagem agrária do Nordeste Transmontano Jorge Delfim
  • 23. Paisagem agrária –Alto Douro Vinhateiro Fernando Peneiras
  • 24. Terra Quente Transmontana Amendoeiras
  • 25. Terra Quente Transmontana 1 -Olival moderno 2 -Fruto da oliveira 3 -Apanha manual da azeitona –“Varejo” 1 2 3
  • 26. Paisagem Agrária do Alto Douro
  • 27. Culturas agrícolas do Alto DouroFigosAmêndoasCastanhas Uvas Laranjas
  • 28. Paisagem Agrária da Beira Interior A plantação das cerejeiras (árvore) remonta aos finais do século XIX. Porém, é a partir de 1950 que se inicia o seu desenvolvimento económico, e hoje há mesmo quem lhe chame “ouro vermelho”. Sª da Estrela, em segundo plano
  • 29. O clima da Região da Beira Alta -invernos bastante frios e verões quentes e secos com alta luminosidade, é propício à produção de frutos de grande qualidade: maçãs, cerejas, pessegueiros, azeitonas, castanhas, uvas.
  • 30. Pomar de pessegueiros, Vinha, Souto
  • 31. Paisagem Agrária da Beira Interior –Cova da Beira Cova da Beira –um extenso vale correspondente a uma estrutura geológica deprimida, situa- se a Sul da Sª da Estrela, uma montanha de fractura e falha.
  • 32. Paisagem Agrária da Beira Interior Alcongosta-a "capital" da "Cereja do Fundão“–na meia encosta da Sª da Gardunha
  • 33. Paisagem Agrária da Beira Interior População envelhecidaDespovoamentoRecurso a técnicas ancestraisCriação de gado ovinoPastoreio -regime extensivoPorém, há exemplos de renovação, como é o caso do regadio na Cova da Beira