Your SlideShare is downloading. ×
Agricultura
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Agricultura

566
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
566
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. STC_6: Agricultura Modelos de Urbanismo e Mobilidade
  • 2. Atividade Agrícola
  • 3. AGRICULTURA • A atividade que tem por objetivo retirar do solo alimentos para consumo direto e matérias-primas para a indústria. • Além de alimentos para uso dos seres humanos e dos animais de estimação, a agricultura produz mercadorias tão diferentes como flores e plantas ornamentais, fertilizantes orgânicos, produtos químicos industriais, fibras (algodão) entre outros.
  • 4. Fatores condicionantes da agricultura: Que factores? Fatores Naturais Clima e presença de água Relevo Qualidade dos solos Fatores Humanos Estabilidade e politica social Desenvolv. científico e tecnológico
  • 5. Fatores Naturais • Clima, Relevo e Solo. • O clima é muito importante no desenvolvimento da agricultura, cada cultura necessita de condições climáticas (temperatura e humanidade) específicas para o seu desenvolvimento. Temperaturas excessivamente baixas ou elevadas e a escassez de precipitação dificultam ou impedem o desenvolvimento das culturas. Os climas temperados são os mais propícios para a prática da agricultura.
  • 6. • O relevo condiciona a atividade agrícola, uma vez que os terrenos com declives muito acentuados (áreas montanhosas) são difíceis de cultivar e impedem o uso de máquinas. • Por outro lado, à medida que altitude aumenta, a temperatura diminui, dificultando o desenvolvimento das espécies vegetais. Muitas vezes, para cultivar os terrenos em vertentes, o agricultor constrói socalcos. • As regiões mais apropriadas para a agricultura são as planícies, os planaltos de baixa altitude e os vales.
  • 7. • Socalcos: Patamares construídos nas vertentes das elevações. • A exposição das vertentes interfere no cultivo de produtos agrícolas, devido às diferenças de temperatura, de precipitação e aos ventos. • Nas vertentes soalheiras expostas aos raios solares e portanto, mais aquecidas predominam as culturas agrícolas mais exigentes em calor e luz. As vertentes úmbrias (sombrias) são menos propícias ao desenvolvimento de culturas agrícolas, devido à excessiva humidade.
  • 8. • O solo influencia o desenvolvimento das culturas agrícolas porque nem todos os solos são aptos para agricultura. • Nos países em desenvolvimento os fatores naturais condicionam fortemente a prática da agricultura porque estes países não dispõem de meios económicos e técnicos para controlar situações de seca ou de chuvas torrenciais. • Os países desenvolvidos superam alguns condicionalismos naturais através da aplicação de técnicas de irrigação, do cultivo em estufas e de estudos dos solos.
  • 9. • O- camada superior rica em matéria orgânica; • A- camada intermédia rica em argila; • B- Camada de rocha fragmentada; • C- camada constituída por rocha-mãe.
  • 10. Os solos são pobres porque a erosão é maior. Os solos não conseguem fixar o húmus (matéria orgânica decomposta que dá a fertilidade aos solos). • Porque é que nas áreas montanhosas os solos são pobres? Húmus
  • 11. Fatores Humanos • Desenvolvimento económico e tecnológico • A existência de recursos financeiros e económicos permite o investimento em máquinas e produtos químicos que aumentam a produtividade e o rendimento.
  • 12. • Estabilidade política e social • As culturas agrícolas respeitam um ciclo vegetativo, o qual apresenta um tempo predefinido. Por este motivo, é necessário que os agricultores permaneçam no mesmo local durante o ciclo vegetativo para realizar as tarefas de sementeira, manutenção, por ex. rega, e colheita.
  • 13. Tipos de Agricultura • As paisagens agrárias apresentam caraterísticas diferenciadas associadas a dois tipos fundamentais de práticas agrícolas: agricultura tradicional e a agricultura moderna.
  • 14. Agricultura Tradicional • Utiliza técnicas de cultivo rudimentares e faz-se com recurso a muita mão de obra e por vezes recorrendo ao auxílio de animais. Os campos são de pequenas dimensões- minifúndios e ocupados por várias culturas- policultura. • O objetivo é o autoconsumo ou subsistência do agregado familiar. A produtividade e o rendimento são baixos.
  • 15. Agricultura Moderna • Utiliza máquinas para a execução dos trabalhos agrícolas, recorre a poio científico para estudo do tipo de solos e para fazer a seleção de espécies e usa fertilizantes (adubos), pesticidas e inseticidas. • Pratica-se monocultura em latifúndio. O objetivo é o mercado e a produção de grandes quantidades para a indústria agro- alimentar. • A produtividade e o rendimento são elevados. • A forma como se origina diferentes sistemas de cultura que se caraterizam: • pela variedade das culturas; pelo aproveitamento do solo; pela necessidade de água.
  • 16. Diferentes formas de agricultura moderna • Na agricultura extensiva cerealífera comercial, existe nas planuras férteis da Europa, tendo alto desenvolvimento e racionalização dos sistemas de cultivo. A rotação de forragens no Verão, de cereais no Inverno e uma elevada mecanização permitem obter um rendimento elevado. Em algumas regiões planas, como a Austrália, Canadá e EUA, as paisagens apresentam-se monótonas e uniformes, com cloro domínio da monocultura, com grandes parcelas e especialização de culturas, para além de forte apoio técnico e científico e elevada mecanização.
  • 17. • A agricultura de plantação localiza-se nas regiões costeiras de países tropicais, que tenha um passado colonial. As empresas dos países industrializados criaram um tipo de monocultura especializada de produtos tropicais, tais como a borracha, a banana, o chá, o café e o tabaco. As plantações de paisagens monótonas e extensas empregam imensa mão-de-obra nativa. O solo é constantemente plantado e a fertilidade consegue-se com produtos químicos. • Enquanto na horticultura comercial existe as regiões de intenso regalo, com as regiões mediterrâneas onde os produtos abastecem os mercados. Com a modernização, tem- se transformado numa monocultura especializada de legumes, frutos e flores, com o uso de estufas, regas de aspersão e gota-a-gota e seleção de sementes e bolbos. A horticultura comercial surge também em pomares especializados, com a produção de maçãs, citrinos e pêssegos.
  • 18. Que contrastes na produção agrícola?
  • 19. Agricultura Biológica • a agricultura biológica é um sistema agrícola que procura fornecer-lhe a si, consumidor, alimentos frescos, saborosos e autênticos e ao mesmo tempo respeitar os ciclos de vida naturais. Princípios • Para alcançar isto, a agricultura biológica baseia-se numa série de objetivos e princípios, assim como em práticas comuns desenvolvidas para minimizar o impacto humano sobre o ambiente e assegurar que o sistema agrícola funciona da forma mais natural possível.
  • 20. As práticas tipicamente usadas em agricultura biológica incluem: • Limites muito restritos ao uso de antibióticos, aditivos alimentares, e outro tipo de produtos • Proibição absoluta do uso de organismos geneticamente modificados • Aproveitamento dos recursos locais, tais como o uso do estrume animal como fertilizante ou alimentar os animais com produtos da própria exploração • Escolha de espécies vegetais e animais resistentes a doenças e adaptadas às condições locais • Criação de animais em liberdade e ao ar livre, fornecendo-lhes alimentos produzidos segundo o modo de produção biológico • Utilização de práticas de produção animal apropriadas a cada espécie
  • 21. Na exploração agrícola • A exploração agrícola é onde o modo de produção biológico se inicia e onde são produzidos os produtos biológicos, frescos e de elevada qualidade que compra no supermercado, restaurante ou mercado. As explorações agrícolas biológicas não dependem apenas da natureza para a produção vegetal e animal – são também elas parte da natureza. Os agricultores biológicos estão empenhados em produzir alimentos a partir do meio ambiente que os rodeia, usando sistemas o mais próximo possível daqueles que ocorrem naturalmente. • Eles aplicam o conceito de uma agricultura em ciclo fechado. Por exemplo, o aumento da riqueza do solo conseguido através do uso de estrume e da reutilização dos resíduos das culturas, minimiza a erosão, assim como a perda de nutrientes e água. Além disso, o estrume e os alimentos para animais devem por princípio ser produzidos na mesma exploração agrícola em que são usados ou em explorações agrícolas vizinhas.
  • 22. • Os agricultores biológicos promovem a harmonia entre a natureza e os seres humanos através de práticas que, apesar de interventivas, têm um impacto reduzido. Estas incluem, por exemplo, o corte mecânico de espécies parasitas em vez da utilização de herbicidas.
  • 23. Respeito • Os agricultores biológicos reconhecem que a saúde dos solos e o respeito pelo ambiente são cruciais para a sobrevivência dos seres humanos e dos animais. Os agricultores biológicos respeitam o ambiente através: • Do uso responsável de energia e dos recursos naturais • Da manutenção da diversidade biológica • Da manutenção dos equilíbrios ecológicos regionais • Do melhoramento da fertilidade dos solos • Da manutenção da qualidade das águas • Os agricultores biológicos respeitam os animais através de: – Da promoção da saúde e bem-estar dos animais – Do respeito pelas necessidades comportamentais específicas dos animais
  • 24. • Práticas • Para alcançarem estes objetivos, os agricultores biológicos recorrem por um lado, a práticas agrícolas reconhecidas há décadas, tais como manter a saúde dos animais através de exercício regular e acesso livre a zonas de pastagens e por outro, a conhecimentos científicos contemporâneos, tais como a monitorização dos níveis de nutrientes no solo para garantir um crescimento otimizado das culturas. • As práticas de agricultura biológica também se apoiam numa combinação entre a estrita adesão aos requisitos legais para a utilização do logotipo e rotulagem de agricultura biológica a inovação de acordo com as circunstâncias particulares de cada exploração agrícola, baseada nos princípios subjacentes da agricultura biológica. • A fertilidade e a atividade biológica do solo devem ser mantidas e melhoradas por rotações plurianuais incluindo leguminosas e outras culturas de adubação verde, pela aplicação de estrume ou matéria orgânica, obtidos em modo de produção biológico.
  • 25. • Alimentos para animais • Os princípios da produção biológica também se aplicam aos alimentos consumidos pelos animais criados biologicamente. Atualmente, o regulamento de agricultura biológica determina que um mínimo de 85% dos alimentos fornecidos aos animais devem ser obtidos em modo de produção biológica. • A partir de 1 de Janeiro de 2008, os agricultores fornecem 100% de alimentos biológicos aos animais usados para produção de carne e leite. • Produtos • O resultado final destas práticas cuidadosas é a produção de alimentos frescos e saborosos, como por exemplo: • Frutos como morangos, maçãs e laranjas • Vegetais como tomates, cenouras e brócolos • Leite de vaca, cabra, búfalo e outros animais • Ovos de galinha, codorniz e outras aves • Carne de borrego, vaca, galinha e porco • Cereais como aveia, arroz, trigo e cevada
  • 26. Inspeção • Todos os agricultores que seguem uma produção biológica na UE são sujeitos a inspeções regulares das suas explorações - pelo menos uma vez por ano - para assegurar que cumprem os requisitos legais de modo a poderem comercializar os seus produtos como biológicos e utilizar os logótipos de produção biológica da UE ou dos Estados-Membros.
  • 27. Alimentos de Agricultura Biológica • A partir do momento em que os produtos de agricultura biológica deixam a exploração agrícola, podem passar por várias etapas antes de chegarem ao seu prato. Cada uma dessas etapas envolve um nível semelhante de cuidado, profissionalismo e adesão às normas do regulamento de agricultura biológica, tal como é exigido aos agricultores, para garantir de que o produto final é autêntico e merecedor da sua preferência
  • 28. Transformadores • Os transformadores de produtos de agricultura biológica, os vendedores e distribuidores, estão igualmente sensibilizados para os objetivos dos agricultores biológicos – nomeadamente a obtenção de alimentos frescos e autênticos, produzidos e preparados tendo em conta o respeito pela natureza e os seus sistemas. • Entre os princípios mais importantes para a transformação de produtos de agricultura biológica incluem-se: – Limitação rigorosa dos aditivos e auxiliares tecnológicos que podem ser utilizados – Limitação rigorosa de elementos químicos sintetizados que podem ser utilizados – Proibição do uso de organismos geneticamente modificados (OGM)
  • 29. Gama • Enquanto que o modo de produção biológico procura manter a agricultura em contato com as suas raízes tradicionais e minimizar as perturbações à ordem natural, a transformação de produtos de agricultura biológica reflete a variedade de sabores e preferências culinárias do consumidor moderno. • Por isso, além da alta qualidade de deliciosos frutos, vegetais e carnes, os produtos de agricultura biológica modernos incluem também: • Vinhos produzidos com uvas biológicas • Cerveja; Iogurtes; Bolos; Pastelaria; Pão • Cereais de pequeno-almoço; Biscoitos; Carnes frias; Sumos de fruta; Fruta e de vegetais enlatados • Refeições preparadas • Café; Chá • Aliás, como os agricultores biológicos tendem a selecionar espécies animais e vegetais menos conhecidas, com maior resistência a pragas e doenças e melhor adaptação às condições sazonais e locais, o sector de transformação de produtos de agricultura biológica tem, indiscutivelmente, uma gama mais alargada de produtos à sua disposição.
  • 30. Solo • O solo –é indiscutivelmente um dos mais importantes recursos naturais. Ele é essencial para a vida na terra porque nutre as plantas, que por sua vez fornecem alimento e oxigénio aos seres humanos e animais. Os agricultores biológicos respeitam o valor do solo ao monitorizarem atentamente o que nele aplicam, o que dele retiram e de que forma as suas atividades afetam a sua fertilidade e composição.
  • 31. Os agricultores que seguem uma agricultura biológica não procuram apenas manter o solo num estado saudável, fértil e natural; tentam também melhorar as suas condições através da adição dos nutrientes adequados, de melhoramentos ao nível da estrutura do solo e de uma gestão eficaz da água.
  • 32. Práticas • Práticas importantes usadas pelos agricultores biológicos para manterem e melhorarem a saúde do solo incluem: • Adoção de rotações de culturas longas e diversificadas para interrupção dos ciclos dos infestantes e pragas, para dar ao solo tempo para recuperação e para adição de nutrientes úteis. Plantas como o trevo, por exemplo, fixam azoto atmosférico no solo • Utilização de fertilizantes orgânicos à base de estrume – para melhoria da estrutura do solo e para prevenção da erosão • Restrição rigorosa ao uso de fertilizantes e pesticidas sintéticos – para evitar alterações a longo-prazo da consistência e a dependência química do solo • Fornecimento de pastagens mistas aos animais – permitir tempo de recuperação do solo e evitar a perda de nutrientes • Sementeira de culturas para adubação verde, que permitem a cobertura do solo após a colheita – para prevenção da erosão do solo e lixiviação de nutrientes
  • 33. • Cultivo • Sempre que possível, os agricultores biológicos empregam métodos mecânicos e físicos de cultivo, de forma a alcançar os melhores resultados no que respeita à saúde e estrutura do solo. Por outras palavras, os agricultores biológicos controlam os parasitas através do corte, em vez de usarem herbicidas. Isto ajuda a manter a biodiversidade quer à superfície quer no interior do próprio solo. • Vida do solo • Alguns estudos revelaram que a agricultura biológica leva a um aumento do número de organismos benéficos existentes no solo, que ajudam a promover o desenvolvimento mais saudável das plantas e animais. • Um estudo de 2002 intitulado Fertilidade do solo e biodiversidade na agricultura biológica concluiu que a agricultura biológica: • Duplica o número de besouros coprófagos no solo • Produz 50% mais minhocas • Produz 60% mais besouros • Duplica o número de aranhas
  • 34. Profissões Associadas á agricultura • Gestor Agrícola: profissões associadas: Gestor Agrário, Eng.ºAgrónomo, Diretor(a) de Exploração Agrícola, Empresário(a) Agrícola. • Director(a) de Produção Florestal: profissões associadas: Eng.º Florestal; Eng.º Técnico(a) Agrário-Produção Florestal; Eng.º Hortícola e Paisagista; Eng.º de recursos Florestais. • Técnico(a) Produção de Agrícola:profissões associadas: Feit or(a)Agrícola, Técnico(a) de Gestão Agrícola, Técnico de Pro dução Vegetal, Técnico Agro-Florestal, Agente Rural, Técnico de Pecuária. • Operador(a) Pecuário: profissões associadas:Tratador(a) de Animais,Pastor(a), Trabalhador(a) Avícola, Operador(a) de S ala de Ordenha,
  • 35. Pesticidas e fertilizantes • os pesticidas desempenham um papel muito importante na manutenção do bom estado sanitário das culturas. No entanto, são produtos tóxicos e perigosos que se usam para controlar os inimigos das culturas, (ratos, insetos entre outros), infestantes (ervas daninhas).Nos pesticidas estão incluídos muitos tipos de produtos – Inseticidas – que se destinam a combater insetos – Fungicidas – que combatem fungos – Herbicidas – cuja ação se exerce contra infestantes
  • 36. • Fertilizantes: são substâncias que se aplicam ao solo com o objetivo de melhorar a sua nutrição e obter melhores produções. Estas substâncias exercem uma ação sobre as plantas corrigindo os solos. Os adubos têm elementos nutritivos, fósforo, azoto, e potássio entre outros, atuam sobre as culturas de uma forma direta. • O azoto: é um componente essencial a vida participando na constituição das proteínas do ADN, da clorofila e de outras importantes moléculas orgânicas, representando o quarto elemento mais abundante nos tecidos vivos