• Sul de Portugal
• Área ± 500.000 ha
• Limitado:
• De Este para Oeste:
 Norte →
 Sul e Oeste →
 Este →
 Sotavento → V...
• Serra 350.000 ha Predomina as Culturas Florestais
• Barrocal 80.000 ha Predomina os Frutos Secos
• Litoral 70.000 ha Pre...
• População Activa 44,8% população total;
• Ainda existe elevada taxa analfabetismo 18.37%;
• Sector Secundário e Terciári...
• Restante população dedica-se turismo (construção civil),
hotelaria;
• Terrenos + valorizados para a construção publica d...
Regiões Algarvias Litoral
Ocidental
Serra Barrocal Litoral Sul
Fonte: Vida Rural (14/1992)
Quercus faginea
Quercus suber
P...
Regiões
Algarvias
Litoral
Ocidental
Serra Barrocal Litoral Sul
Fonte: Vida Rural (14/1992)
400-600 600-1000 500-700 400-50...
• Pratica-se Silvo-pastorícia na zona da Serra Algarvia.
Aproveitando os recursos naturais;
• Principais Raças utilizadas:...
• Reúne os condições climáticas favoráveis:
 Baixa frequências de geadas;
 Temperatura média do mês mais frio nunca é
in...
• Como factores limitantes:
 Profundidade dos solos;
 Água para regar;
 Concorrência com Espanha;
 Mão de obra;
 Orga...
• Incremento apreciável nos últimos 40 anos  quadruplicou
a sua área (época 50-60);
• Esse↑ é devido:
 Às melhorias de c...
• No período 94 a 97 houve um incremento significativo da
superfície cultivada devido aos incentivos de investimento.
Evol...
• Actualmente verifica-se que área ocupada pela
Citricultura Algarvia é:
• O tipo de exploração é o minifúndio, com uma ár...
• Recorrem à Protecção Integrada existe actualmente
4 associações;
• Tem vindo a aumentar as áreas de Citrinos beneficiada...
O Produtor Algarvio escoa a sua produção
essencialmente através das seguintes vias:
• Venda directa por grosso e a retalho...
•Entrega a associação de produtores;
•Venda a supermercados ou a cadeias de supermercados.
• Caso os citrinos não tenham a...
Actividade é virada para o abastecimento dos centros de
consumo do país, pois região não consome tudo o que produz.
Sendo ...
As Estratégias perante o futuro:
• Formação Profissional a todos os níveis;
• Reforço das organizações de produtores;
• Au...
Em resumo:
• Entrada em funcionamento de novo perímetro
de rega na região;
• Dificuldades crescentes em termos de mão de o...
• Estabilização do consumo “per capita”;
• Aumento da procura de produtos com características de
especificidade;
• Crescen...
João Santana
Isabel Gonçalves
Mª Anjos Barreto
Quirino Santos
Sandra Santos
Trabalho efectuado por:
Obrigado pela presença
1228694024 diapositivos
1228694024 diapositivos
1228694024 diapositivos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

1228694024 diapositivos

154

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
154
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "1228694024 diapositivos"

  1. 1. • Sul de Portugal • Área ± 500.000 ha • Limitado: • De Este para Oeste:  Norte →  Sul e Oeste →  Este →  Sotavento → Vila Real de Santo António  Centro → S. Brás  Barlavento → Lagos Alentejo Oceano Atlântico Espanha
  2. 2. • Serra 350.000 ha Predomina as Culturas Florestais • Barrocal 80.000 ha Predomina os Frutos Secos • Litoral 70.000 ha Predomina os Hortícolas e os Citrinos
  3. 3. • População Activa 44,8% população total; • Ainda existe elevada taxa analfabetismo 18.37%; • Sector Secundário e Terciário mais desenvolvido à custa do Sector primário; • Falta de mão-de-obra na Agricultura  ↑ da mecanização;
  4. 4. • Restante população dedica-se turismo (construção civil), hotelaria; • Terrenos + valorizados para a construção publica do que para a Agricultura. • Somente 5.9% da população residente activa está ligada ao Sector primário;
  5. 5. Regiões Algarvias Litoral Ocidental Serra Barrocal Litoral Sul Fonte: Vida Rural (14/1992) Quercus faginea Quercus suber Pinus pinea Pinus pinaster Quercus suber Arbutus unedo Cistus Ceratonia siliqua Chamaerops humilis Pinus Ceratonia siliqua Chamaerops humilis Olea europeae Cultura cerealífera e aproveitamento florestal Aproveitamento florestal (medronho, mel) Pomar de sequeiro Hortas Agricultura intensiva de regadio   Vegetação Indicada Aproveitamento cultural
  6. 6. Regiões Algarvias Litoral Ocidental Serra Barrocal Litoral Sul Fonte: Vida Rural (14/1992) 400-600 600-1000 500-700 400-500 19-21 23-25 23-25 23-25 11-13 9-10 9-11 11-12 6-9 12-14 12-14 11-13 22-25 29-31 29-31 27-29 9-10 5-7 6-8 7-9 D/B C/D A/B A/B Sub-húmido seco Sub-húmido chuvoso e húmido Sub-húmido seco Semiárido Csb Csa Csa Csa Precipitação média anual (mm) Temperatura média do mês + quente (ºC) Temperatura média do mês + frio (ºC) Amplitude anual das temp médias mensais (ºC) Temperatura mínima média do + quente (ºC) Temperatura mínima média do + frio (ºC) Solos Classificação Thorntwaite Classificação Kôppen
  7. 7. • Pratica-se Silvo-pastorícia na zona da Serra Algarvia. Aproveitando os recursos naturais; • Principais Raças utilizadas: Ovinos --> Churra Algarvia (Carne e Lã) Caprinos --> Algarvia (Leite e Carne)
  8. 8. • Reúne os condições climáticas favoráveis:  Baixa frequências de geadas;  Temperatura média do mês mais frio nunca é inferior a 10ºC;  O nº de horas de luz que existe satisfaz as necessidade dos Citrinos (3100 horas/ano) ; • Os tipos de solos (A/B) são os + indicados para este tipo de cultura;
  9. 9. • Como factores limitantes:  Profundidade dos solos;  Água para regar;  Concorrência com Espanha;  Mão de obra;  Organização do sector;
  10. 10. • Incremento apreciável nos últimos 40 anos  quadruplicou a sua área (época 50-60); • Esse↑ é devido:  Às melhorias de condições de acesso aos mercados fora da região; • Na década de 80 verificou-se um novo e forte aumento:  Devido à introdução de tecnologias de captação de águas subterrâneas;  À entrada de funcionamento do perímetro de rega de Silves, Lagoa e Portimão;
  11. 11. • No período 94 a 97 houve um incremento significativo da superfície cultivada devido aos incentivos de investimento. Evolução da área instalação de citrinos no Algarve (1950-1999) 1560 5500 7850 14783 17859 0 5000 10000 15000 20000 1950 1970 1979 1989 1999 ano ha  ↑ do poder de compra em Portugal;  Aos apoios financeiras disponíveis;
  12. 12. • Actualmente verifica-se que área ocupada pela Citricultura Algarvia é: • O tipo de exploração é o minifúndio, com uma área +/- 2 ha; 70% da área total nacional 60% do laranjal 85% pomar de tangerineiras 40% de limoeiros
  13. 13. • Recorrem à Protecção Integrada existe actualmente 4 associações; • Tem vindo a aumentar as áreas de Citrinos beneficiadas pela protecção integrada; • Vantagens da Protecção Integrada:  ↑ do rendimento dos agricultores;  ↓ dos custos de produção;  - agressivo para o ambiente;  ↑ da formação técnica dos agricultores
  14. 14. O Produtor Algarvio escoa a sua produção essencialmente através das seguintes vias: • Venda directa por grosso e a retalho no mercado local; • Venda a comerciantes armazenistas ou angariadores locais (venda porta a porta); • Venda a comerciantes armazenistas (venda porta a porta); • Entrega à consignação a mandatários nos Mercados Abastecedores de Lisboa e Porto para venda à comissão;
  15. 15. •Entrega a associação de produtores; •Venda a supermercados ou a cadeias de supermercados. • Caso os citrinos não tenham as características próprias de nenhuma das categorias (Extra; I e II) são destinados à transformação.
  16. 16. Actividade é virada para o abastecimento dos centros de consumo do país, pois região não consome tudo o que produz. Sendo os principais locais de venda Braga, Coimbra, Setúbal, Leiria e Aveiro.
  17. 17. As Estratégias perante o futuro: • Formação Profissional a todos os níveis; • Reforço das organizações de produtores; • Aumento da produção e da produtividade, quer pela melhoria dos tecnologias de produção e pela utilização de variedades de melhor qualidade; • Utilização racional de Agro-químicos e uma melhoria do maneio do pomar.
  18. 18. Em resumo: • Entrada em funcionamento de novo perímetro de rega na região; • Dificuldades crescentes em termos de mão de obra; • Globalização dos mercados com as consequentes alterações do comportamento da procura, nomeadamente a sua crescente concentração, tendência para a redução dos preços ao produtor e redução do efeito da sazonalidade da produção;
  19. 19. • Estabilização do consumo “per capita”; • Aumento da procura de produtos com características de especificidade; • Crescente exigência dos consumidores quanto à qualidade do produto e à segurança alimentar; • Crescentes preocupações com o ambiente, que se Reflectirão num controlo cada vez mais apertado sobre as práticas e tecnologias ao longo de toda a fileira.
  20. 20. João Santana Isabel Gonçalves Mª Anjos Barreto Quirino Santos Sandra Santos Trabalho efectuado por: Obrigado pela presença
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×