Métodos de Treino
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Prof. obrigado por partilhar esta base de dados que nos vai ajudar a ser mais treinadores. Receba um abraço
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
3,969
On Slideshare
1,951
From Embeds
2,018
Number of Embeds
28

Actions

Shares
Downloads
144
Comments
1
Likes
3

Embeds 2,018

http://comotreinarfutebol.blogspot.pt 1,083
http://comotreinarfutebol.blogspot.com.br 324
http://www.comotreinarfutebol.blogspot.pt 207
http://comotreinarfutebol.blogspot.com.es 130
http://comotreinarfutebol.blogspot.com 126
http://comotreinarfutebol.blogspot.de 67
http://comotreinarfutebol.blogspot.it 14
http://comotreinarfutebol.blogspot.fr 10
http://comotreinarfutebol.blogspot.gr 9
http://comotreinarfutebol.blogspot.mx 7
http://www.comotreinarfutebol.blogspot.com.br 5
http://comotreinarfutebol.blogspot.com.ar 4
http://comotreinarfutebol.blogspot.hu 3
http://comotreinarfutebol.blogspot.ru 3
http://comotreinarfutebol.blogspot.com.au 3
http://comotreinarfutebol.blogspot.ro 3
https://www.google.pt 2
http://comotreinarfutebol.blogspot.ch 2
http://comotreinarfutebol.blogspot.co.uk 2
http://comotreinarfutebol.blogspot.co.at 2
http://comotreinarfutebol.blogspot.se 2
http://comotreinarfutebol.blogspot.kr 2
http://feedly.com 2
http://comotreinarfutebol.blogspot.jp 2
http://comotreinarfutebol.blogspot.in 1
http://comotreinarfutebol.blogspot.fi 1
http://www.linkedin.com 1
http://comotreinarfutebol.blogspot.no 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1ª QUESTÃO O QUE É QUE DEVEMOS TREINAR?
  • 2. O QUE É QUE DEVEMOS TREINAR? Serão os aspectos FÍSICOS do Futebolista? Serão os aspectos TÉCNICOS do Futebolista? Serão os aspectos TÁCTICOS do Futebolista?
  • 3. O QUE É QUE DEVEMOS TREINAR? Será a CONJUGAÇÃO de todos estes aspectos?
  • 4. O QUE É QUE DEVEMOS TREINAR? No nosso entender não é nenhuma destas quatro propostas
  • 5. O QUE É QUE DEVEMOS TREINAR? Do nosso ponto de vista é a ORGANIZAÇÃO DE JOGO
  • 6. Organização dos diferentes momentos de jogo pode assumir várias dimensões : • Colectiva • Inter - Sectorial • Sectorial • Grupal • Individual
  • 7. PRINCÍPIOS DE JOGO Consideramos Padrões de comportamento táctico, colectivos, inter-sectoriais, sectoriais, grupais e individuais, que se pretende que a equipa e os jogadores evidenciem nos diferentes momentos do jogo.
  • 8. O JOGO… remate passe Progressão finta duelo competitividade Contenção Cobertura defensiva superação Cobertura ofensiva salto travagem corrida Mobilidade (ou Espaço) Equilíbrio (ou Concentração)
  • 9.  “É sabido que a água (H2O) é um meio essencial para apagar o fogo, no entanto, se separarmos as suas componentes, hidrogénio (H) e oxigénio (O), qualquer uma destas ao invés de apagar o fogo, incandesce-o ainda mais”.
  • 10. Evolução das práticas de treino no futebol Os processos de análise e de estudo do futebol são, por vezes, pouco adequados porque se afastam muito da essência da própria modalidade; Não se apoiam naquilo que é específico e, pelo contrário dividem em partes, aspectos que pretendem identificar com mais pormenor, não conservando o que é essencial na relação entre essas partes;
  • 11. Duas formas distintas e antagónicas de entender o treino: PERIODIZAÇÃO CONVENCIONAL • Claramente analítica. Os aspectos “físicos” são os orientadores de todo o processo. • Importa que desde o início a equipa tenha como finalidade estar “bem fisicamente”.”.
  • 12. Futebol como um todo Repartir para analisar Treino em separado Treino em unidade realidade
  • 13. Dinâmica das cargas – persegue o Modelo de Matveiév • No início de época, grande volume e baixa intensidade. Duas semanas antes da competição, aumento da intensidade e diminuição do volume. • Procura “picos de forma”. Nas paragens de campeonato, “carrega baterias”.
  • 14. Periodização “Convencional” Requisita como imprescindível o Período Preparatório (fundamental) como base sólida para toda a época desportiva do futebol. As componentes volume e intensidade, aparecem aqui numa dimensão Universal, abstracta.
  • 15. Periodização “Convencional” Transporta a noção de que não é possível manter a "forma" durante toda a época competitiva. Originando a procura de "picos de forma", com base nos efeitos retardados das cargas.
  • 16. Recuperação • A recuperação é mais uma componente como as outras, é abordada analiticamente. • Como treinas duas horas, tens que descansar. • Recuperar bem, para treinar muito...
  • 17. A organização e a ordem de um sistema ou de um todo, transcende aquilo que é “oferecido” pelas partes isoladamente
  • 18. Entendimento do Jogo • O mais importante no futebol é perceber de futebol. • É imprescindível entender o jogo para perceber que existem diferentes “futebóis”, diferentes jogos e formas de jogar.
  • 19. Início… • Os jogadores devido ao seu passado possuem conflitos de ideias. • O treino é um meio para harmonizar as ideias do treinador no sentido de jogar de acordo com os princípios estabelecidos.
  • 20. Periodização Táctica: A componente táctica aparece como núcleo central de preparação, estando subjugada a esta, todas as outras componentes.
  • 21. Então os aspectos físicos, técnicos psicológicos e estratégicos não são importantes?! • Importantíssimos todos eles. O aspecto táctico aparece como regulador e orientador de todo o trabalho, mas não retira importância a nenhum dos outros.
  • 22. Periodização Táctica A maneira de como queres que a tua equipa jogue impõe uma coordenatividade muito própria, estando subjugada à dimensão táctica as restantes dimensões, técnica, física e psicológica.
  • 23. A importância do período preparatório. “O que se vai fazer lá, seja o que for, nunca vai ser responsável por aquilo que se vai passar três, quatro, cinco meses depois” Frade (1993)
  • 24. Então o Período Preparatório não é importante?! • Muito importante. Mas mais importante se torna no sentido de saber, o que vais trabalhar. • O pressuposto inicial é decisivo: - Colocar a equipa a jogar como nós queremos. Esta deve ser a nossa preocupação central
  • 25. Periodização Táctica: Põe ênfase na assimilação de uma determinada forma de jogar, exponenciando princípios do seu modelo de jogo nos quatro momentos.
  • 26. Princípios de Jogo • Existem quatro momentos no jogo: Ataque; defesa, transição para ataque e transição para defesa. • O treinador deverá definir claramente, princípios e sub-princípios para cada momento. E a forma com estes se devem articular.
  • 27. Treino… • Deverá fundamentar-se na exacerbação dos princípios e sub-princípios definidos pelo modelo de jogo concebido, utilizando exercícios específicos como meio para o alcançar.
  • 28. Periodização Táctica: Procura-se distribuir e organizar princípios, sub-princípios e subprincípios dos sub-princípios ao longo do microciclo semanal e consequentemente ao longo do ano.
  • 29. Reduzir sem empobrecer… • Podemos reduzir em número, espaço e tempo os nossos exercícios. • No entanto nunca devemos deixar de “visionar” a nossa forma de jogar, relembrando que treinamos princípios não exercícios. • O treino deve ter sempre sentido.
  • 30. Periodização Táctica – Noção de Especificidade O princípio da Especificidade é quem dirige a Periodização Táctica. “Só se poderá chamar especificidade à Especificidade, se houver uma permanente e constante relação entre as componentes psicocognitivas, táctico-técnicas, “físicas” e coordenativas, em correlação permanente com o modelo de jogo adoptado e respectivos princípios que lhe dão corpo”. Oliveira (1991)
  • 31. Fracções de máxima intensidade • A qualidade das acções no futebol está ligada à intensidade das mesmas. • Pretendemos uma adaptação do organismo a um padrão idêntico à competição. • Desde o primeiro dia treinamos em fracções de máxima intensidade de acordo com os princípios da nossa forma de jogar.
  • 32. Periodização Táctica Impõe-se uma inversão no binómio VolumeIntensidade, a Intensidade é quem "comanda", o Volume, é o somatório de fracções de máxima intensidade (Volume da qualidade) de acordo com o Modelo de Jogo concebido.
  • 33. Periodização Táctica Esta periodização reclama o Princípio da Estabilização, de forma a permitir os Patamares de Rendibilidade.
  • 34. Periodização Táctica Faz sentido falar em forma desportiva colectiva. Esta, está ligada ao jogar (bem) de acordo com o Modelo de Jogo concebido, a referência que serve como indicador é "jogar melhor”.
  • 35. Periodização Táctica • A Estabilização da Forma Desportiva consegue-se com base na estruturação de um determinado microciclo, onde nós procuramos uma lógica. • A estrutura lógica do microciclo deve manterse, o que leva a uma estabilização de rendimento.
  • 36. A recuperação aqui faz parte integrante do treino Recuperas porque tens que recuperar (entre os exercícios e unidades de treino), para que estejas apto a exercitar fracções de máxima intensidade de acordo com a forma de jogar da equipa
  • 37. 2ª QUESTÃO COMO É QUE DEVEMOS TREINAR?
  • 38. Tarefas fundamentais do treinador Planear – Realizar - Avaliar Definir objectivos Planear e realizar a sua acção nos vários níveis em que ela se desenrola Avaliar os resultados do trabalho realizado Reformular, se necessário, a sua acção se existirem diferenças entre o esperado e o obtido
  • 39. Tarefas fundamentais dos jogadores Ambição – Disponibilidade - Mentalidade Ambiciosos nos seus objectivos Disponíveis para as tarefas com espírito de superação Treinar para melhorar e não para manter Mentalidade competitiva positiva. Jogar para ganhar SEMPRE.
  • 40. Características dos exercícios Devem conter a essência da “matéria” a treinar Devem evoluir em termos de complexidade Devem ter um grau adequado de dificuldade Devem ser interessantes e motivantes para os atletas
  • 41. Características dos exercícios Devem contemplar situações de oposição Devem contemplar a indivisibilidade dos factores de rendimento Devem conter finalização Devem contemplar o carácter de continuidade/reversibilidade característico do Futebol
  • 42. Utilização dos jogos reduzidos Mais facil se torna fazer a leitura do jogo e darlhe significado Mais facil é identificar e escolher os comportamentos adequados e mais visiveis os erros realizados Maior é a possibilidade e oportunidade da capacidade pela densidade motora Mais frequentes são as situações de escolha o que exige uma atitude reflexiva permanente e elevado nível de concentração Promove a multifuncionalidade e implementa uma permanente mudança de atitude mental
  • 43. Temas Relação com bola Estruturação do espaço Comunicação na acção
  • 44. Relação com bola Exercitação da visão periférica Exercitação da proprioceptividade Dominio das trajectórias Equilibrio e dominio dos apoios Dominio das habilidades ( sempre em contextos abertos e com complexidade e dificuldade crescente)
  • 45. Estruturação do espaço Ofensivo Ocupação e criação racional do espaço de jogo (mobilidade e imprevisibilidade) Aumentar o espaço de jogo (espaço) Jogar em profundiade e/ou largura Defensivo Ocupação e redução do espaço de jogo Ocupação racional das diferentes zonas do terreno de jogo Jogar perto ou longe da bola
  • 46. Comunicação na acção Ofensiva Criar e utilizar linhas e espaços de progressão Facultar linhas de passe e esbater a concentração sobre o portador da bola Criar superioridade numérica Defensiva Fechar linhas de progressão e linhas de passe Promover a entreajuda Pressionar mais ou menos o adversário Conquistar a posse da bola
  • 47. Variaveis de evolução complexidade Numero de jogadores : efectivo + ou – reduzido; igualdade ou desigualdade numerica; utilização de jokers temas Balizas (nº, dimensão, posição) Espaço de jogo (comprimento, largura, zonas interditas, zonas obrigatórias, etc) Regras ( condicionar nº de toques, banir fora de jogo, limitar tempo de ataque, etc) Bola (forma, dimensão, peso, numero)