• Save
Tiradentes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Tiradentes

on

  • 2,397 views

Roteiro turístico para Tiradentes

Roteiro turístico para Tiradentes

Statistics

Views

Total Views
2,397
Views on SlideShare
2,397
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Tiradentes Tiradentes Document Transcript

  • Rota de carro para Tiradentes - MG 326 km – aprox. 4 horas 6 minutos R. Alzira Brandão - Tijuca Rio de Janeiro - RJ, 20520-070 1. Siga na direção sul na R. Alzira Brandão em direção à R. Conde de Bonfim 250 m 2. Vire à esquerda na R. Conde de Bonfim 450 m 3. Continue para R. Haddock Lobo 1,3 km 4. Vire à esquerda na Av. Paulo de Frontin 800 m 5. Continue para Av. Francisco Bicalho 1,4 km 6. Continue para Vevd. da Perimetral 1,0 km 7. Curva suave à esquerda na Ac. p/ Av Brasil 300 m 8. Continue para Av. Brasil-pista Central 750 m 9. Curva suave à direita na Ac. p/ Av Brasil - Pista Lateral 350 m 10. Pegue a rampa de acesso a Ln. Vermelha/Via Pres. João Goulart 270 m 11. Curva suave à esquerda na Ln. Vermelha/Via Pres. João Goulart 11,3 km 12. Pegue a saída em direção a Rod. Washington Luiz - Pista Lateral 210 m 13. Mantenha-se à direita na bifurcação para continuar em direção à Rod. 750 m Washington Luiz - Pista Lateral e pegue a Rod. Washington Luiz - Pista Lateral 14. Pegue a Rod. Washington Luiz 115 km Estrada com pedágio em alguns trechos 15. Vire à esquerda para permanecer na Rod. Washington Luiz 400 m 16. Vire à direita para permanecer na Rod. Washington Luiz 8,3 km 17. Vire à direita na BR-040 2,5 km 18. Vire à direita para permanecer na BR-040 127 km Estrada com pedágio em alguns trechos 19. Vire à esquerda na Rod. Contorno de Barbacena 3,3 km 20. Vire à esquerda na R. Caetés 52 m 21. Pegue a primeira à direita em BR-285 450 m 22. Curva acentuada à esquerda na Av. Pref. Simão Tamm Bias Fortes 56 m 23. Vire à direita na R. Cel. Teodoro Gomes de Araújo 750 m 24. Na rotatória, pegue a 1ª saída para a Estr. p/ São João Del Rei E Barroso 2,2 km 25. Estr. p/ São João Del Rei E Barroso faz uma curva suave à direita e se torna 42,0 km BR-265 26. Curva suave à direita na Ac. p/ BR-265/Av. Gov. Israel Pinheiro 4,4 km Continue na Av. Gov. Israel Pinheiro 27. Continue em frente na R. Antônio Teixeira Carvalho 280 m 28. Curva suave à direita na Praça Berço da Liberdade
  • Do Rio de Janeiro seguir pela BR040 até Barbacena (270 quilômetros), passando por Petrópolis e Juiz de Fora. Em Barbacena pegar a BR265 até a entrada de Tiradentes (53 quilômetros). POSTO GNV: Posto Miranda BANDEIRA BRANCA Rua Henrique Diniz, 45 - Grogotó Barbacena - Minas Gerais Posto Cabana BANDEIRA BRANCA Rodovia BR-040 - Km 699 - Caiçaras Barbacena - Minas Gerais POUSADA ACONCHEGO DAS ABELHAS Rua Manoel Morais Baptista Júnior, 253 Bairro Parque das Abelhas Fones: (32)3355-1457/(32)9931-6345 Igrejas: • Matriz de Santo Antonio • Igreja São Francisco de Paula • Igreja do Rosário dos Pretos • Igreja Nossa Senhora das Mercês. Maria Fumaça: Custo: R$ 30,00 (Ida e Volta) e R$18,00 (Ida) Partidas: 13h e 17h (Tiradentes) 10h e 15h (São João) Pontos Turísticos: Balneário de águas santas O Balneário de Águas Santas é um espaço que possui uma infraestutura completa (restaurante, banheiros e bar) para quem gosta de se divertir com tranquilidade e segurança, em piscinas que possuem água natural, corrente, com temperatura de 27,5 º C, sem presença de cloro. Fundado em setembro de 1976 e pertencente à Codemig (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais), o Balneário oferece uma série de serviços relacionados à promoção da saúde, entre eles, massoterapia e hidroginástica. O local conta com estacionamento e é cobrada entrada para utilização da área de piscinas. O principal acesso ao local é feito pelo bairro de Águas Santas, que pertence a Tiradentes, porém é separado do restante da cidade pela Serra de São José. A Codemig e o IEF (Instituto Estadual de Florestas) estão com projetos em andamento para a criação da Casa das Águas e da Casa de Visitação de Geodiversidade – e também da Casa de Visitação da Biodiversidade. Bosque e Poço da Matriz
  • O famoso Chafariz de São José de Botas não era o único reservatório de água da cidade de Tiradentes. Localizado atrás da Matriz de Santo Antônio, o Poço da Matriz também era utilizado na coleta de água e foi restaurado em 1992 pela Sociedade dos Amigos de Tiradentes. Dica: trata-se de uma construção comum, em local sem clara sinalização de acesso. Caso o visitante se interesse em conhecer o local, pode ser útil pedir orientações a moradores sobre como chegar ao Poço. Bosque Mãe D'água No sopé da Serra de São José, o Bosque da Mãe D'Água guarda a nascente que abastece o Chafariz de São José. Apresenta trechos de vegetação remanescente da Mata Atlântica, que podem ser apreciados junto ao antigo aqueduto de pedra, construído, provavelmente, no século XVIII. Cachoeira do Bom Despacho O visitante que chega a Tiradentes pela Estrada Real (vindo da cidade de Santa Cruz de Minas) pode avistar a Cachoeira do Bom Despacho sem sair do automóvel. Localizada a aproximadamente 5 minutos de carro, a cachoeira chama a atenção dos turistas pela beleza e pela facilidade de acesso. É possível estacionar o veículo bem próximo ao local e aproveitar as águas que descem da Serra de São José. A área conta com uma pequena represa que dispõe de águas tranquilas para crianças, por exemplo. Mas também há opção para quem preferir ouvir o encontro das águas com as pedras e nadar nos pequenos poços que formados pela cachoeira. O local conta, ainda, com a presença do primeiro marco da Estrada Real, inaugurado em abril de 2003. Dica: trata-se de um local de fácil acesso e que tem estrutura para que crianças, jovens e adultos possam ter um contato mais próximo com a natureza. Cachoeira do Carteiro Passando por uma calçada do século XVIII, com uma caminhada de aproximadamente uma hora chega-se ao alto da Serra de São José, encontra-se no caminho a cruz de onde foi morto o carteiro que trazia uma mensagem importante, Diz a lenda que quem por ali passar deve jogar uma pedra na cruz, posteriormente encontramos pequenas piscinas naturais. Mangue Fazendo uma deliciosa caminhada de trinta minutos, encontramos várias piscinas naturais com águas cristalinas no final da rua Frei Veloso do Bairro do Pacu, localizada mais propriamente entre o morro de Santa Luzia e a Serra de São José. Turístico Histórico de Tiradentes O ouro descoberto por João Siqueira Afonso, em 1702, no local denominado “Ponta do Morro” atraiu um grande número de pessoas que, interessadas na exploração, ergueram uma capela e formaram um arraial que ficou conhecido com Santo Antônio da Ponta do Morro. Tiradentes foi uma das cidades que mais teve ouro de superfície no Brasil, e graças a esta abundância, o arraial se desenvolveu, sendo elevado em 1718, à categoria de Vila de São José del Rei, ganhando a configuração arquitetônica que permanece até hoje. A decadência do metal não impede a Coroa Portuguesa de lançar a derrama, exigindo o pagamento compulsório de impostos atrasados do quinto do ouro. Esta atitude opressora da metrópole faz nascer um sentimento revolucionário, que ficou conhecido como Inconfidência Mineira. Em 06 de dezembro de 1889, com a valorização da figura do alferes, o governo republicano, decide trocar o nome da cidade para Tiradentes , homenageando o filho ilustre, nascido em 1746 na fazenda do Pombal, à margem direita do rio das mortes e em 1938, não só a cidade, mas todo seu entorno paisagístico é tombado pelo IPHAN, e hoje, Tiradentes se orgulha de sua vocação turística, sendo considerada um dos pólos turísticos mais importantes do Brasil. View slide
  • Bosque e Poço da Matriz O famoso Chafariz de São José de Botas não era o único reservatório de água da cidade de Tiradentes. Localizado atrás da Matriz de Santo Antônio, o Poço da Matriz também era utilizado na coleta de água e foi restaurado em 1992 pela Sociedade dos Amigos de Tiradentes. Dica: trata-se de uma construção comum, em local sem clara sinalização de acesso. Caso o visitante se interesse em conhecer o local, pode ser útil pedir orientações a moradores sobre como chegar ao Poço. Cadeia Pública (Antiga) Na rua direita em frente a capela do Rosário se encontra a capela púplica. A casa original, de 1730 foi devastada por um incêndio em 1829, sendo recontruída em 1835. Possui 17 janelas de cantaria protegidas por pesadas grandes. Abriga hoje o museu Arte Sacra. Câmara Municipal A Câmara Municipal de Tiradentes é datada de 1717 e chama a atenção pela ampla varanda na frente da construção. A proximidade com a Matriz de Santo Antônio, maior e mais famosa igreja de Tiradentes, indica que política e religião ocupavam posição de destaque no cotidiano da cidade. A atual casa paroquial localiza-se bem próximo à Casa da Câmara, além de uma das Capelas dos Passos – em funcionamento principalmente durante a Semana Santa – e de um busto em homenagem a Joaquim José da Silva Xavier, também na Praça da Câmara. Entre 1825 e 1840, a cadeia da cidade sofreu um incêndio e uma prisão improvisada foi instalada no porão da Câmara Municipal. Dica: o visitante atento poderá visualizar um pouco da estrutura dessa prisão quando descer a Rua da Câmara e avistar o porão, bem como as pesadas e robustas estruturas de ferro utilizadas para deter os presos. Centro Cultural Yves Alves A charmosa casa no número 168 da Rua Direita pode não chamar a atenção imediata, mas a sede do Centro Cultural Yves Alves é um espaço que respira cultura. Fundado em janeiro de 1998, o centro foi construído para ser palco de variados eventos culturais em Tiradentes, como espetáculos de dança, oficinas diversas, cinema, apresentações musicais, palestras, seminários, debates e workshops, entre outros. A estrutura do centro cultural inclui auditório com capacidade para mais de 110 pessoas (além de camarote e ar condicionado), sala de imprensa, cafeteria, sala de reuniões e sala de projeção de filmes. Apesar do intenso patrimônio cultural, Tiradentes não possuía muitos espaços destinados especificamente a apresentações culturais. O estabelecimento da iniciativa, viabilizada pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, contou com a participação da Prefeitura Municipal, da Sociedade dos Amigos de Tiradentes e da Fundação Roberto Marinho. Chafariz de São José A grandiosidade do Chafariz de São José de Botas impressiona os visitantes de Tiradentes. Datada de 1749, a construção se destaca por ter similaridade com uma fachada de igreja. A água abastecia os habitantes e os animais da cidade, além de ser utilizada para lavagem de roupas. Tudo isso era feito no mesmo local? Sim, pois a construção possuía três pontos de reserva de água. A primeira, que caía das três fontes, era reservada ao consumo humano. Havia também dois tanques laterais: um era utilizado para abastecimento de animais e o outro por escravos que se encontravam no local para lavar roupas. Com elementos barrocos e trabalhado em quartzito, o Chafariz apresenta uma imagem de São José de Botas, padroeiro dos bandeirantes e desbravadores. A bela cruz esculpida em pedra e o brasão com as armas de Portugal também são atrações. Só resta uma dúvida: de onde vem a água que abastece o chafariz? De uma fonte localizada no Bosque Mãe D'Água, cuja entrada fica bem perto do Chafariz de São José. Um antigo aqueduto de pedra filtra a água que é levada até a imponente construção. View slide
  • Dica: aproveite o passeio para também visitar o Bosque Mãe D'Água, amplo espaço arborizado que possui um calçamento construído por escravos de aproximadamente 1 km. O acesso é gratuito, porém a entrada ocorre por um portão controlado por zelador. Largo das Forras O Largo das Forras é mais do que a principal praça de Tiradentes. Para os habitantes da cidade, trata-se de um ponto de encontro em que é possível jogar cartas, ver apresentações culturais ou simplesmente conversar. Para os visitantes, é um local que concentra grande quantidade de pousadas, restaurantes, lojas de artesanato e serviços de informação aos turistas. Já ouviu falar dos famosos passeios nas charretes coloridas de Tiradentes? O Largo é um dos pontos em que elas podem ser encontradas. Dica: converse com os charreteiros para saber quais personalidades já realizaram esses passeios. Localizada em um imponente casarão do século XVIII, a Secretaria de Cultura e Turismo (no mesmo prédio da Prefeitura Municipal) fornece informações relevantes sobre atrações turísticas, hospedagem e alimentação. O Largo também tem a presença da Capela do Bom Jesus da Pobreza, datada do século XVIII, além de uma pequena Capela dos Passos, em atividade principalmente na Semana Santa. Largo do Sol O Largo do Sol é um espaço amplo e arborizado que fica próximo à Rua Direita e à Matriz de Santo Antônio. Os principais atrativos do local são a Igreja de São João Evangelista, que era frequentada por negros alforriados e foi concluída somente no século XIX, além do Museu Padre Toledo, considerado o local onde ocorreu a primeira reunião dos participantes da Inconfidência Mineira. O Largo também conta com uma estátua em homenagem a Joaquim José da Silva Xavier (alferes Tiradentes), inaugurada em 2002. Curiosidade: vale a pena conferir a escultura, que contém os prováveis trajes e a imagem de como teria sido Tiradentes, distinta daquela encontrada frequentemente nos livros didáticos de História. Maria Fumaça O barulho dela pode ser ouvido de longe e é uma marca registrada de Tiradentes. O passeio de Maria Fumaça reserva encantos a crianças, jovens e adultos, que se revezam entre os sentimentos de surpresa e admiração. A viagem de Tiradentes a São João del Rei, que dura pouco mais de 30 minutos, fica na lembrança dos visitantes, que podem avistar de um dos nove vagões cenas típicas do interior de Minas Gerais e o imponente Rio das Mortes. A Maria Fumaça foi inaugurada em 1881 pelo então Imperador Dom Pedro II. O turista atento perceberá o apito típico da locomotiva de vários pontos da cidade. Uma curiosidade é ver como os funcionários da rodovia viram a locomotiva. É possível conferir essa curiosa operação na própria estação ferroviária. A locomotiva que faz o transporte de passageiros foi produzida nos Estados Unidos pela Baldwin Locomotiv Works. Dica: a cidade de São João del Rei conta com o interessante Museu Ferroviário, que funciona na Estação Ferroviária da Estrada de Ferro Oeste de Minas e apresenta equipamentos, painéis ilustrativos e fotografias que contam um pouquinho da história dessa imperdível atração turística.
  • Ponte das Forras A Ponte das Forras liga o Largos das Forras ao Largo das Mercês, no certo histórico de Tiradentes. A charmosa construção de pedra, datada do século XVIII, passa sobre o Ribeiro Santo Antônio, afluente do Rio das Mortes, importante curso d'água da região. É possível que o nome da ponte e do largo faça referência à grande quantidade de escravas alforriadas que transitavam pelo local. Próximo à ponte, partem passeios em pequenos cavalos, ideal para transportar crianças com segurança. Prefeitura de Tiradentes Localizada no Largo das Forras a prefeitura oferece informações importantes para os turistas através da secretaria do turismo. O sobrado que hoje abriga a Prefeitura Municipal chama a atenção pelo seu porte. É a única edificação de três pavimentos do centro histórico de Tiradentes. Sobrado Aimorés e Sobrado Ramalho O encontro da Rua Direita com a Rua da Câmara apresenta ao visitante de Tiradentes dois locais destacados pela grandiosidade das construções: o Sobrado Ramalho e o Sobrado Aimorés. A imponência de ambos em meio às casas de apenas um andar chama a atenção de quem observa a arquitetura da cidade. As duas construções são datadas do século XVIII e atualmente concentram atividades de instituições importantes para moradores e turistas. O Sobrado Ramalho, residência da tradicional família que fundou a Orquestra e Banda Ramalho em 1860, abriga, além de uma coordenação do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), as sedes da Sociedade dos Amigos de Tiradentes e do Instituto Histórico e Geográfico de Tiradentes. Já no Sobrado Aimorés funciona o Centro de Cultura e Patrimônio, Memória e Cidadania de Tiradentes. Fundado em 1996, o Instituto Cultural Biblioteca do Ó recepciona moradores de Tiradentes e visitantes interessados em conhecer e frequentar um local voltado à cultura, com exposição de pinturas e obras de artes plásticas, além de uma grande quantidade de livros – à venda e também para empréstimo. O espaço, localizado no Largo do Ó, também conta com várias exposições, entre elas, sobre a memória da litografia em Minas Gerais. Mas, afinal, o que é litografia? Trata-se de uma técnica de impressão em pedra desenvolvida na Alemanha, no século XVIII. A exposição apresenta belas imagens desse trabalho que soma arte com técnica e fascina os visitantes. O Instituto Cultural é aberto a visitações e possui uma ampla variedade de livros sobre temas diversos. Bosque Mãe D'água No sopé da Serra de São José, o Bosque da Mãe D'Água guarda a nascente que abastece o Chafariz de São José. Apresenta trechos de vegetação remanescente da Mata Atlântica, que podem ser apreciados junto ao antigo aqueduto de pedra, construído, provavelmente, no século XVIII. Ecoturismo e turismo de aventura em Tiradentes As opções de passeios na serra de São José são todas de nível educacional, atingindo a vários setores: escolas, empresas e grupos de reabilitação de saúde, onde são aperfeiçoados conhecimentos em geografia,
  • geologia, história e meio ambiente, além de aprimorar no ser humano aptidões como senso de companheirismo, espírito de liderança e raciocínio rápido. Neste cenário que é área de proteção ambiental estadual, reserva da biosfera pela UNESCO e, atualmente, implantada como refúgio da vida silvestre de libélulas, possui em seu terreno ótimas opções de trekking, caminhadas de pequena, média e longa duração, podendo até pernoitar em algumas de suas travessias. Por possuir solo frágil, devido à sua formação basicamente de arenito, faz com que esportes como mountain-bike sejam praticados somente em áreas como as Trilhas dos Macacos, onde o terreno é mais compacto, evitando um possível impacto em sua área. Possui áreas que podem ser feita a prática de rappel; a escalada em rocha, principalmente em seus paredões, não é permitido pois o tipo de rocha é podre (formação de quartzito com arenito) mas há boas opções de bouders – escaladas sem equipamentos (livre). As opções de cavalgadas, além de resgatar o estilo de vida dos tropeiros no sec. XVIII, são ótimos passeios: pode-se visitar as fazendas da região, cavalgar à margem do rio das Mortes, pelas trilhas da serra de São José e o tradicional roteiro da Estrada Real. Além da Serra de São José o ecoturismo pode ser práticado na Gruta Casa da Pedra, localizada à margem esquerda do rio das Mortes, entre Tiradentes e São João del-Rei, na BR-265. A Casa da Pedra é uma gruta de formação calcária, proporcionando a apreciação de estalactites e estalagmites, com visita monitorada, de aproximadamente 40min. de duração, com material de espeléo (cambureteiras) para a iluminação do local, possue também 5 vias de rappel. Roteiro 1 – Mangue Roteiro de aproximadamente 3h de duração e nível de dificuldade baixo, conhecendo-se o local das primeiras explorações de ouro da região. Tem como atrativos principais as piscinas naturais, a cachoeira do Mangue, o calçamento dos escravos e o mundéu de decantação, que era utilizado para a lavagem do ouro. A partir do Mangue, pode-se chegar ao balneário Águas Santas e até ao topo da serra São José. Retorno à cidade pela trilha inicial ou pela cachoeira Bom Despacho, alcançando o trecho da Estrada Real entre Tiradentes e São João del-Rei. Roteiro 2 – Travessia Roteiro de aproximadamente 5h de duração e nível de dificuldade médio-alto, sendo abordado todo o contexto histórico e natural da serra de São José, conhecendo-se seus principais atrativos: Calçada dos Escravos, Cachoeira do Carteiro e o Mirante principal, a 1258 metros de altitude. Retorno à cidade pela parte baixa da serra, onde se encontra o mangue. Roteiro 3 – Calçada dos Escravos Roteiro de aproximadamente 4h de duração e nível de dificuldade médio. No período das explorações do ouro e da busca de vias de acesso menos árduas, eram construídos os calçamentos de pedra, facilitando assim o transporte de alimentos e escoamento das riquezas. Estas construções oferecem hoje, excelentes opções de caminhadas, acesso ao topo do paredão da Serra e ás piscinas naturais. População: 6.859 habitantes DDD:(31) CEP: 36325-000 Agencias Bancárias: - não consta Telefonia Celular: -não consta Vocação Turística: -Turismo Cultural -Ecoturismo Atrativos: - Igrejas - Centro histórico - Cachoeira - Gruta - Passeio de Trem - Mostra de Cinema - Festival Gastronomico Esportes de Aventura: -CAVALGADAS -OFF ROAD -Rapel -Canoagem
  • Geografia: Clima: Altitudes: 927 metros Topografia: Montanhosa Vegetação: GPS (centro): 21° 6'30.26"S 44°10'2.23"O Rodovias de Acesso: BR-040 - BR-265 - BR-383 Cidades Vizinhas: Prados, Barroso, Dores de Campos, São João del-Rei, Santa Cruz de Minas, Coronel Xavier Chaves Circuito Regional (Cidades e Vilarejos) Tiradentes Bichinho Resende Costa São João Del Rei Prados Santa Cruz de Minas Coronel Xavier Chaves Gruta Casa da Pedra Acesso pelo km 250 da BR-265 para São João del Rei PasseioGruta Casa da Pedra acesso pelo km 250 da BR-265 p/ São João del Rei, 7 km tel: (32) 8813-9894 Horário: sáb/dom 10h/16h30 A gruta de superfície, iluminada e com formações calcárias, tem 400 m de extensão e cinco salões. A visita guiada dura 30 minutos (R$ 5 por pessoa para grupos acima de três ou taxa mínima de R$ 20). O rapel no paredão de 12 m custa R$ 15. Balneário Águas Santas No sopé da Serra de São José, do outro lado da cidade existe o Balneário de Águas Santas com grande piscina de água radioativa, excelentes duchas, play ground, campos de futebol, lago e outros locais para diversão. A temperatura da água é de 28ºC. O Balneário existe desde meados do século XIX e era inicialmente explorado pela Câmara e Prefeitura, tendo sido doada ao estado em 1958. O acesso ao Balneário se faz tomando rodovia São João del Rei – BR 040. No local há restaurantes e bares e uma capela de Nossa Senhora da Saúde, construída no início do século XX. SÃO JOÃO DEL REY
  • Alambique do Engenho Boa vista - Sec. XVIII É produzida por descendentes diretos de Tiradentes, há seis gerações. Sua receita é um segredo familiar. A qualidade é fantástica. Tem gosto apurado, cheiro requintado e a aparência notável. É proveniente do Engenho Boa Vista, de Rubens Resende Chaves. Hoje produz nos mesmos moldes de produção há mais de 150 anos sendo considerado por muitos, o engenho mais antigo ainda em funcionamento no Brasil, além de fazendas tradicionais. Insanidade imaginar que o mártir Tiradentes teria desejado, pouco antes da forca, molhar a guela com um trago de cachaça? Talvez não. Motivos ideológicos fariam dessa atitude o último ato de resistência à dominação portuguesa, já que a aguardente era símbolo dos ideais de liberdade dos inconfidentes. As causas sentimentais ligariam o pedido às lembranças que Tiradentes tinha do alambique da Fazenda Boa Vista, a 9 km de onde nascera. Mesmo depois de dois séculos, é difícil entrar nesse Engenho e não apostar que a suposição seja verdadeira. Produzida da mesma forma desde o século XVIII, Boa Vista é seu nome. No comando está Rúbens Chaves, descendente da tia do mátir. As pinturas rupestres encontradas na Serra do Lenheiro As pinturas rupestres encontradas na Serra do Lenheiro, segundo estudiosos devem ter sido pintadas por tribos nômades de humanos a cerca de 6 a 9 mil anos atrás. Homens que viviam em cavernas e se imagina, abrigavam-se na Serra para caçar onde tinham boa visão de caça e possíveis inimigos como outras tribos. Inscrições (pinturas) rupestres são traços e outros sinais pintados ou gravados nas rochas do mundo inteiro, inclusive no Brasil, de autores desconhecidos. Vale dizer, pinturas e desenhos de formas diversas, simétricas ou não. Muitas são semelhantes à símbolos alfabéticos, outras são figuras zoomórficas ou antropomórficas, em formas, estilos e atitudes diferentes. A sua importância, ou uma das principais, é servir de testemunho da passagem ou permanência de grupos humanos no local ou região em que hoje são encontradas. Serve para explicar o complexo ou o traço cultural do grupo que as executaram e talvez a época da permanência do grupo executante. Carrancas O município de Carrancas está localizado na região sul do estado de Minas Gerais. Circundada por quatro serras em forma de ferradura, a própria posição geográfica, determinou seu crescimento e o rumo de sua história. A área de Carrancas é 50% montanhosa, destacando-se 4 principais serras responsáveis pelos inúmeros mananciais que abastecem a cabeceira do rio Grande e que ao longo de milhões de anos foram modelando todo o terreno, criando inúmeras grutas, cânions e cachoeiras. São elas: Serra das Chapadas das Perdizes; Serra do Moleque; Serra das Bicas e Serra de Carrancas. A cidade também está situada em uma faixa de transição entre o cerrado e a mata atlântica onde há predomínio de campos rupestres,
  • matas de galeria e campos naturais com predominância de gramíneas e ciperáceas. O sistema fluvial da cidade faz parte da Bacia do Alto Rio Grande. Suas terras são banhada pelos rios, Capivari, Pitangueiras , Ribeirão de Carrancas e Represa dos Camargos, além do Rio Grande represado em sua cabeceira. Seus leitos oferecem inúmeras quedas d’água, corredeiras, poços e piscinas naturais ainda preservados da ação humana Casa da Pedra Conheça a Casa da Pedra em São João Del Rei, local que há cerca de 1,6 bilhões de anos existe, esculpido na época em que a região era totalmente mar, afirma-se essa tese pois as rochas calcárias da gruta foram formadas por sedimentos marinhos ricos em carbonato de cálcio, areia carbonática e algas.Hoje visitada por amantes do ecoturismo e esportes radicais como rappel, que se deslumbram com a beleza e tranquilidade do local, rico em natureza preservada. Escultura Facial feita em Pedra Natural Certa ocasião, durante o período da escravidão, um escravo se apaixonou por esta linda mulher, como este romance seria impossível de se realizar, este escravo apaixonado esculpiu o rosto desta jovem e após esta homenagem se suicidou. Dando origem a mais uma lenda da Serra do Lenheiro de São João del Rei. Vale a pena conferir e muito bonito a escultura na pedra. A escultura do rosto feminino existente em uma pedra na Serra do Lenheiro, Diz a lenda que era uma linda mulher a qual era filha do dono da fazenda existente no local. Trekking Serra do Lenheiro Caminhada guiada até as Pinturas Rupestres (traços, desenhos e outros sinais pintados ou gravados nas rochas), aprox. 40 min. (subida e descida). A Lazer & Aventura passará informações básicas sobre as Pinturas Rupestres encontradas na Serra do Lenheiro. Trilha dos Inconfidentes O ouro era achado em todo canto de Minas, em maior ou menor quantidade. Vilas foram se formando pelo caminho. Pelas estradas percorriam as riquezas, as mercadorias, homens e a mais valiosa bagagem: ideais. Coronel Xavier Chaves, Resende Costa, Prados, Bichinho e Tiradentes integram este Circuito Turístico, traduzem tradição e poesia, preservando expressiva parcela da história de Minas e do Brasil. Berço do herói da Inconfidência Mineira, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Em todo o Circuito há diversas manifestações culturais – pintura, escultura, música e culinária. O artesanato preserva a identidade e tradição de um povo que transforma o utilitário em verdadeiras obras de arte.