Pedalando na cidade-versao_impressao_reduced

741 views
612 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
741
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
180
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pedalando na cidade-versao_impressao_reduced

  1. 1. CiclovidaPedalando na Cidade UFPR
  2. 2. José Carlos Assunção BelottoCICLOVIDAPedalando na Cidade1a ediçãoCuritibaProec/UFPR2013
  3. 3. Belotto, José Carlos AssunçãoCiclovida: pedalando na cidade / José Carlos Assunção Belotto. –Curitiba: Proec/UFPR, 2013.44 p. : il.; mapaISBN: 978-85-88924-12-31. Ciclistas. 2. Bicicletas. I. Título.CDD 796.6092ReitorZaki Akel SobrinhoVice-reitorRogério MulinariPró-Reitora de ExtensãoElenice Mara Matos NovakCoordenadora de ExtensãoNadia Giofatto GonçalvesCoordenador do ProgramaCiclovidaJose Carlos Assunção BelottoCoordenadora da AçãoManual do CiclovidaSilvana NakamoriConselho EditorialAldemir JunglosAna Elisa de Castro FreitasCristina de Araújo LimaEduardo HarderIara Picchioni ThielenJussara Julia AraújoKarin KässmayerKen Flávio Ono FonsecaLuis Henrique Cavalcanti FragomeniMarcelo Risso ErreraMarcia de Andrade PereiraMaria Luiza Marques DiasMario Messagi JuniorPedro Rodrigues Torres JuniorRaul OsieckiRicardo Mendes JuniorAntonio Matos MirandaDesign GráficoAna Carolina dos SantosBianca Teixeira de OliveiraHenrique Martins GodenyMarcelo de CostaPesquisa BicicletariasDalila LapusePermitida a reprodução desde que citada a fonte.
  4. 4. O objetivo do Programa Ciclovida é transformara Universidade Federal do Paraná (UFPR) em um núcleoirradiador de uma cultura de mobilidade urbana maissaudável e sustentável com ênfase no uso da bicicleta, ouseja, uma comunidade universitária em torno de 40.000pessoas, que pesquise, use e divulgue os benefícios daadoção da bicicleta como meio de transporte, lazer ouprática esportiva. Para isto conta com o envolvimento deTécnicos, Docentes e Alunos que desenvolvem uma sériede projetos e ações ligadas à pesquisa, ao ensino e aextensão, sediadas em diversos departamentos e setorescomo: Psicologia, Arquitetura e Urbanismo, EducaçãoFísica, Engenharias Ambiental, da Produção, Elétrica eCivil, Comunicação Social, Design, Direito, Setor Litoral eSetor de Educação Profissional e Tecnologia, a fim depromover uma nova cultura de mobilidade urbana.Saiba mais sobre o Ciclovida acessando: www.ciclovida.ufpr.br
  5. 5. A História da BicicletaDefiniçõesDicasSaúde do CiclistaComa Bem!Pedalando na CidadeConheça a BicicletaUsando a Bicicleta como Meio de TransporteSaúde da BicicletaEquipamentos de Segurança da BicicletaEquipamentos de Segurança do CiclistaLegislaçãoSimulador de Benefícios da BicicletaEspaços Cicloviários de CuritibaBicicletas por Bairro em CuritibaReferências581314161722242728293032333441
  6. 6. A História da Bicicleta 5
  7. 7. Em 1966 foi descoberto,por monges italianos, umdesenho de Leonardo da Vinci,elaborado provavelmente no anode 1490, que é considerado oprimeiro projeto de bicicleta.Nele já aparecem os elemen-tos básicos da bicicleta comose conhece na atualidade: duasrodas, sistema de direção,propulsão por corrente e selim.Mas naquele projetose pode verificar que o posicio-namento do eixo faria a bicicletadobrar ao meio, dificultando oequilíbrio.Em 12 de janeiro de 1818foi patentada a draisiana, umaprecursora da bicicleta, criadapelo barão alemão Karl von Drais,engenheiro agrônomo e florestal,considerado o inventor dabicicleta.Karl von Drais6 A História da Bicicleta
  8. 8. A História da Bicicleta 7A draisiana era umvelocípede de duas rodas com aqual von Drais percorreu 15kmem pouco mais de uma hora,no trajeto entre Mannheim eSchwetzingen, no dia 12 dejunho de 1817. Esta jornadaé um marco histórico para otransporte por tração humana.Os franceses tambémforam importates no desenvolvi-mento da bicicleta. Pierre Michauxrecebeu uma draisiana paraconserto evoluindo para criaçãodo velocípede. Pierre Lallementpatenteou o velocípede em 1866.Na última década do séc.XIX os biciclos com roda grandecedem espaço para bicicletas comduas rodas do mesmo tamanho e oproblema do equilíbrio foi resolvidopelo posicionamento do ciclistaentre as duas rodas.A bicicleta se torna ummeio popular de transporte pelasimplicidade, eficiência, conforto epor ser mais barata e segura que obiciclo.1818 1830 1860 18701885 1960 1970
  9. 9. 8 DefiniçõesPasseio compartilhado secaracteriza por ser as primeiraslinhas implantadas em Curitiba.Espaços compartilhados compedestres, com acabamentoasfáltico. Largura média: 1,5m.Ciclofaixa é uma faixa dasvias de tráfego, geralmente nomesmo sentido de direção dosautomóveis. Normalmente éseparada do trânsito de veícu-los automotores por pintura ouinstalação de refletivos, conheci-dos como olho de gato.Ciclovia é segregada fisica-mente do tráfego automóvel.Podem ser unidirecionais (umsó sentido) ou bidirecionais (doissentidos) e são, em regra geral,adjacentes às vias de circulaçãodo automóvel ou em corredoresverdes independentes da redeviária.INFRAESTRUTURA
  10. 10. Definições 9Paraciclo se caracteriza poruma estrutura na qual a bicicletaé presa.Bicicletário é um conjuntode paraciclos instalados em umambiente cercado com controlede acesso.Faixa compartilhada é oespaço compartilhado compedestres, com novo padrão desinalização e qualidade. Possuidesvio dos pontos de ônibus eindicação de entrada/saída deveículos. Largura média: 2,5m.Ciclorota se caracteriza pelocaminho, sinalizado ou não, querepresente uma rota para osciclistas. Sem definição ou umaseparação física, é um trajetomapeado para chegar a umdestino final.
  11. 11. 10 DefiniçõesUrbanaGeometria voltada para o con-forto e estabilidade, mantendo aposição do ciclista mais em pé.Urbana SimplesUma das mais utilizadas. Bici-cleta simples, sem marchas eboa para uso na cidade.Mountain BikeFabricadas para uso na terrae com grande resistência paraserem pedaladas em qualquercondição.SpeedBicicletas de corrida, específi-cas para uso no asfalto. Rodasleves e pneus finos com muitapressão.Roda FixaPopular atualmente. Trazidasdo velódromo para a cidade. Sãosimples, sem marchas, leves e ofreio é acionado pelo pedal.TIPOS DE BICICLETA
  12. 12. Definições 11InfantilQuadro e pneus com tamanhoreduzido. Muitas vezes sãousadas rodinhas de apoio.Podem estar ausentes pedivelase pedais.DobrávelConfortáveis e ágeis para usourbano. São leves, práticas, equando dobradas se tornamfáceis de carregar.ElétricaPode ser movida parcialmenteou totalmente com o auxílio demotor elétrico, alimentado porbaterias recarregáveis.TandemConduzida por mais de umapessoa. Por ter que suportarmais peso, seus componentessão mais robustos.BMXCriada com foco para a práticado esporte BMX. Indicada paracrianças iniciantes no ciclismo.
  13. 13. 12 DefiniçõesEstradaModalidade muito popular, reguladapela União do Ciclismo Internacionale disputada em duas fases: provaindividual contra o relógio e prova deestrada em si.Mountain BikeConhecido como ciclismo de mon-tanha, é dividido em: Downhill,Uphill, 4x, Freeride, Trial, Trip Trail(Maratona), Enduro de Regularidadee CrossCountry.PistaRealizadas em velódromos ou pis-tas oficiais de ciclismo conformeas normas internacionais. Nasseguintes modalidades: Velocidade,Perseguição, Pontos, Keirin e Madi-son.BMXConhecido como bicicross, são pro-vas em circuito fechado com váriasvoltas e obstáculos. Derivadas doBMX, também há as modalidades:Vertical e Freestyle.CICLISMO ESPORTIVO
  14. 14. Hidratação:beba água antes, durantee depois de realizar apedalada.Alimentação:não pedale sem se ali-mentar, pois você podese sentir mal e provocaracidentes, com danos paravocê e para os outros. Mastambém não exagere, ali-mente-se com moderação,procurando fracionar asrefeições de 3 em 3 horas,e escolha alimentos nu-tritivos com fácil digestão,como frutas e legumes.Alongamento:é muito importante antese depois de pedalar poisprotege seu corpo contradistensões. Isso auxilia emsua integridade física.Não exagere:respeite os limites do seucorpo.Regule a bicicleta:quando a bicicleta estáregulada pode evitardanos ao corpo comodores na coluna, músculose períneo.“Viver é como andar de bicicleta. É preciso estar em constante movimento.” - Albert Einstein13Dicas
  15. 15. Saúde do Ciclista14
  16. 16. Saúde do Ciclista 15Quando for pedalar,beba água antes de sair eleve uma garrafa cheia. Oconsumo de água faz nos-sos rins filtrarem melhoro sangue, proporcionandouma melhor fluidez doslíquidos entre as célu-las, o que facilita muito alimpeza do corpo duranteo exercício. Fazer qualquerexercício físico sem se hi-dratar pode causar danosà saúde.Pedalar com sedepode causar cansaçoexcessivo, dores de cabe-ça, desidratação, doresnas juntas, desmaios, edesmaiar pedalando pode,por motivos óbvios, trazerconseqüências sérias.Os seres humanostêm, em média, 75%do corpo compostopor água.
  17. 17. Coma Bem!16Nosso corpo está otempo todo gastando energia.Principalmente durante exercí-cios físicos.Devemos respeitara pirâmide alimentar e comeralimentos com mais energia, ouseja, alimentos ricos em car-boidratos. Assim teremos fontesde energia suficientes para su-prir nossas necessidades.O idealé comer de três em três horas.Nossa gordura começa a serqueimada só depois de uns 40minutos de exercício contínuo. Épreferível não comer logo antesde ir pedalar, pelo menos meiahora antes. Prefira alimentosricos em carboidratos como:pães, bananas, castanhas, mas-sas, sanduíches leves, barras decereal, açaí, etc.Alimentação é essencialpara prática de atividadefísica.
  18. 18. 17Pedalando na Cidade
  19. 19. 18 Pedalando na CidadePedale sempre no mesmo sentido dos carros, na faixa maislenta, a qual fica normalmente à direita. Se pedalar defronte aofluxo, o ciclista surpreende os motoristas, não havendo tempo dereação para escapar, e se bater, o choque será bem maior. Se houveruma batida de frente entre uma bicicleta a 20 Km/h e um carro a50 Km/h, seria como se fosse uma batida a 70 km/h. Porém, sehouver uma batida por trás, seria como uma batida a 30 km/h. Porisso, pedale sempre no mesmo fluxo do trânsito. Ao pedalar na faixada direita, imagine uma ciclovia com cerca de um metro de larguradesde a calçada. Mantenha-se nesta ciclovia imaginária pedalandona linha mais reta possível.Pedale, pelo menos, a uma distância de meio metro paradentro da via. A atitude de estar muito próximo ao meio fio pode fazercom que os automóveis aproveitem esta mesma faixa de tráfegoe passem muito rente de você, podendo esbarrar ou te assustarcausando uma queda.
  20. 20. Pedalando na Cidade 19Cuidado com as portas dos carros parados. Da mesma formaque o ciclista deve imaginar uma ciclovia à direita da via, quando hácarros enfileirados em baliza, imagine a mesma ciclovia do lado doscarros.Respeite para ser respeitado e lembre-se: no trânsito o maiordeve cuidar do menor; logo a prioridade é sempre do pedestre.Pare nos sinais vermelhos. Isso pois um carro pode vir rápidopara aproveitar o sinal amarelo e você pode errar o pé no pedalna hora que precisar fugir dele com pressa. Ou pode aparecer umpedestre atravessando a rua correndo, olhando apenas para o ladode onde ele espera vir o perigo. A sinalização deve ser respeitada portodos que fazem parte do trânsito.Virar à esquerda num cruzamento é uma das situações maistensas para o ciclista. Carros podem querer virar à direita ou seguirreto, o que impossibilita sua manobra para a esquerda. Ou aindapodem vir carros da outra pista. Isso exige muita atenção do ciclistadirecionada para todos os lados. Tome bastante cuidado em todas asmanobras.
  21. 21. 20 Pedalando na CidadeAo passar por faixas de recolhimento ou paradas de ônibus,mantenha uma linha reta. Assim você é previsível e não atrapalha ofluxo de carros que entrarão na faixa. Mas se você for virar à direita,entre na faixa de recolhimento.Se tiver que pedalar de mochila, use uma mochila pequena ebem presa ao corpo. De preferência daquelas que prendam na cintu-ra. E não carregue muito peso. Além de sobrecarregar os ombros eestimular a transpiração, você perde muito da sua mobilidade e umamochila solta e pesada pode tirar seu equilíbrio se ela escorregarpara o lado.Obrigação dos carros pelocódigo de trânsito:Ao ultrapassar o ciclista respeitara distância mínima 1,5m.
  22. 22. Pedalando na Cidade 21Sinalize para que os carros possam saber o que você vaifazer. Se você estiver à frente do carro e se quiser seguir em frente,sinalize para a esquerda e com a mão esquerda, que é a mão que oscarros vêem (o carro deve lhe dar preferência), e siga agradecendo.Se você sinalizar, o carro diminui. Se o carro estiver mais à sua frentee ele for virar para a direita, diminua e espere.Sinalize suas manobras sempre. Peça passagem, dê pas-sagem, sinalize que o motorista pode passar quando você parar,avise quando você precisar entrar na frente dele por causa de umcarro parado ou outro obstáculo e espere para ver se ele vai pararmesmo.O trânsito flui de acordo com as vias e o ciclistadeve circular nas vias respeitando esse fluxo. Se for sairou entrar no fluxo, nunca o atrapalhe.
  23. 23. Conheça a BicicletaSelimCanotedo SelimBlocagemdo SelimCâmbioTraseiroFreioTraseiroCâmbioDianteiroPedivPedalCoroaPinhãoPneu22
  24. 24. Conheça a Bicicleta 23oteSelimFreioDianteiroAlavancade FreioCaixa deDireçãoCubo -fica no centro darodaCabosGarfoRaioPedivelaPedalQuadroGuidãoMesa
  25. 25. Usando a Bicicleta como Meio de Transporte24Ritmo para pedalarPedale devagar para manter o funcionamento normal do corpo semsudorese exagerada. Faça paradas à sombra para descansar erecompor a energia e fique atento à hidratação: MUITA ÁGUA!TrajetoEstude as possibilidades de trajeto com antecedência, verificando aqueleque oferece os lugares mais planos. Subidas poderão representar umesforço adicional, mais tempo e mais sudorese. É preferível um trajetomais longo e mais plano. Importante também verificar a segurança parao trajeto escolhido. Prefira locais maismovimentados.Horário para pedalarEvite pedalar com o sol a pino, pois você se cansará mais. Se forinevitável, proteja-se com capacete, boné e protetor solar.Higiene pessoalTome banho antes de pedalar, principalmente porque você pode não terum chuveiro disponível depois. Para auxiliar na higiene após a pedaladause lenços umidecidos: não substituem um banho mas podem auxiliar ase manter higienizado.BagageiroAjuda a organizar os materiais que você tiver que carregar, alémde evitar perda de equilíbrio pelo deslocamento com volumespendurados. O uso de mochila faz você aumentar o suor nas costas.Logo, o bagageiro deixa você livre para conduzir com conforto e segu-rança a bicicleta.
  26. 26. Usando a Bicicleta como Meio de Transporte 25rteRoupasUse roupas leves sempre que possível. É recomendável carregaruma muda de roupa para você se sentir mais limpo assim que che-gar ao local de trabalho ou de estudo. Se não for possível trocar deroupa, procure proteger a barra da calça durante a pedalada. Vocêpode levar a roupa que o ambiente exigir embalada adequadamente.Você deve carregar um plástico para guardar as roupas usadas. Enão esqueça que carregar algo impermeável (pode ser uma capanão muito longa) para os dias de chuva pode ajudar a se manter secoe enfrentar o dia de trabalho. O calçado deve ser adequado para abicicleta.Segurança ao pedalarJamais ingerir bebidas alcoólicas antes de pedalar! A segurança notrânsito é incompatível com a ingestão de bebida alcoólica.Atenção na determinação do Código de Trânsito Brasileiro [CTB]:lugar de bicicleta é nos bordos da pista, no mesmo sentido dosveículos. Essa recomendação se baseia em princípios da física: sehouver colisão com veículos no mesmo sentido o impacto e o danoserão menores que numa colisão frontal (andando no sentidocontrário dos veículos).Leve consigo uma câmara reserva, sacador de pneus e bomba deencher pneus para o caso de o pneu furar. Isso evita que você tenhade empurrar a bicicleta até uma borracharia ou bicicletaria.Outra recomendação importantíssima: NUNCA dispute espaço comos veículos ou motos. MESMO QUE VOCÊ ESTEJA COM A RAZÃO. Hámuitos estudos científicos indicando que a maioria dos motoristassão MUITO individualistas, ou seja, mesmo que a legislação indiquea preferência para o ciclista, NEM todos os motoristas respeitamas regras, então NÃO SE ARRISQUE. Em caso de colisão você perdesempre!
  27. 27. Ajuste do selimUm ajuste correto permite que o corpo realize o exercício sem forçaras articulações e a musculatura, evitando dores. A recomendaçãoprática para que se acerte na altura do selim é ficar em pé, ao ladoda bicicleta e medir a partir da parte mais alta do osso da bacia,na lateral do corpo, calculando três dedos abaixo: essa altura seráconfortável.Ao pedalar, seus joelhos devem esticar de maneira como pode servisto na foto abaixo. Deve-se evitar esticar totalmente os joelhos.Usando a Bicicleta como Meio de Transporte 26As três primeiraslinhas são as coroas,no pedivela, e as seislinhas embaixo sãoas catracas. Aquiestão as posiçõescorretas na escolhadas marchas.LEVE >>> PESADA
  28. 28. Cuidar da bicicleta é tão importante quanto o cuidado com a própriaalimentação e hidratação. Uma boa regulagem periódica evita acidentes.A bicicleta deve ser mantida limpae bem regulada. Isso melhora odesempenho da pedalada e evitaacidentes além de prolongar a vidaútil da bicicleta e de seus compo-nentes.A lubrificação é importante maspermite a aderência de sujeira.Para limpar as partes da graxause querosene. Mas CUIDADO!Não deixe cair querosene nascatracas ou no cubo porque issopode provocar danos no cubo, jáque o querosene dissolve o óleo.A bicicleta deve ser submetidaperiodicamente a uma revisão.Isso permite aumentar a vida útilde peças e evitar desgaste dabicicleta, aumentando a segurançadurante a pedalada.Pastilhas de freio requerematenção especial porque sofremgrande desgaste. Quando aspastilhas estão gastas encostamna roda quando o freio é acio-nado provocando danos na roda.Portanto, as pastilhas devem sertrocadas assim que o desgaste forpercebido.Os freios devem ser reguladosperiodicamente para que evitar odesgaste desigual.Para obter um melhor desem-penho e cuidado com os câmbios,não use marchas muito pesadasno câmbio dianteiro (coroa maior)simultaneamente com marchasmuito leves no câmbio traseiro(catraca maior) e vice versa.>observar esquema da página 26<27Saúde da Bicicleta
  29. 29. 28 Equipamentos de Segurança da BicicletaAlém de ter uma boa regulagem, sua bicicleta deveser equipada com refletores. Brancos nas rodas e na frente,vermelho atrás e laranja nos pedais. Mantenha-os limpos. Sevocê costuma pedalar à noite, tenha um “pisca-pisca” paraque você seja visto pelos motoristas.O espelho retrovisor facilita suacondução no trânsito, evitandoter que olhar para trás a todomomento. Os modelos podem serpresos na bicicleta ou capacete.Como a bicicleta ésilenciosa, o uso dacampainha ajuda aavisar as pessoas dasua aproximação.O espelho retrovisor facilita suacondução no trânsito, evitando
  30. 30. Use capacete! Mesmo seestiver pedalando devagar, umaqueda pode fazer você bater acabeça.Use calçados presos aospés. Não pedale descalço ou dechinelos. A bicicleta é cheia departes pontiagudas, e seu pé podeescapar do pedal fazendo você semachucar.Pedale com roupas claras,chamativas e fosforescentes, paraque os motoristas vejam o ciclistapassando. Se preferir, há a opçãodo uso de colete ou faixa refletiva.Luvas protegerão suasmãos em caso de queda. Asfaltomolhado aumenta, em cinco vezes,as chances de derrapagem.Para os mais precavidosexiste a opção do uso de joelheirase cotoveleiras.Para evitar que a barra dacalça enrosque na corrente, useprendedores de calça ou dobre-as.Óculos ajudam a protegerseus olhos, evitando que poeira einsetos atrapalhem.29Equipamentos de Segurança do Ciclista
  31. 31. Legislação30Para seu conhecimento listamosa seguir alguns artigos do có-digo de trânsito brasileiro (CTB)que dizem respeito à bicicleta.Art. 24. Compete aos órgãos eentidades executivos de trânsitodos Municípios, no âmbito de suacircunscrição:I - cumprir e fazer cumprir a le-gislação e as normas de trânsito,no âmbito de suas atribuições;II - planejar, projetar, regula-mentar e operar o trânsito deveículos, de pedestres e deanimais, e promover o desen-volvimento da circulação e dasegurança de ciclistas;Art. 38. Antes de entrar à direitaou à esquerda, em outra via ouem lotes lindeiros, o condutordeverá:(...)Parágrafo único. Durante amanobra de mudança de di-reção, o condutor deverá cederpassagem aos pedestres e ciclis-tas, aos veículos que transitemem sentido contrário pela pistada via da qual vai sair, respeita-das as normas de preferência depassagem.Art. 58. Nas vias urbanas enas rurais de pista dupla, acirculação de bicicletas deveráocorrer,quando não houverciclovia, ciclofaixa, ou acosta-mento, ou quando não for pos-sível a utilização destes, nosbordos da pista de rolamento,no mesmo sentido de circulaçãoregulamentado para a via, compreferência sobre os veículosautomotores.Parágrafo único. A autoridade detrânsito com circunscrição sobrea via poderá autorizar a circu-lação de bicicletas no sentidocontrário ao fluxo dos veículosautomotores, desde que dotadodo trecho com ciclofaixa.DOS VEÍCULOSSeção IDisposições GeraisArt. 96. Os veículos classificam-se em:I - quanto à tração:
  32. 32. Legislação 31a) automotor;b) elétrico;c) de propulsão humana;d) de tração animal;e) reboque ou semi-reboque;II - quanto à espécie:a) de passageiros:1 - bicicleta;2 - ciclomotor;3 - motoneta;4 - motocicleta;5 - triciclo;6 - quadriciclo;7 - automóvel;8 - microônibus;9 - ônibus;10 - bonde;11 - reboque ou semi-reboque;12 - charrete;(Continua)Art. 105. São equipamentosobrigatórios dos veículos, entreoutros a serem estabelecidospelo CONTRAN:(...)VI - para as bicicletas, a cam-painha, sinalização noturnadianteira, traseira, lateral e nospedais, e espelho retrovisor dolado esquerdo.Art. 201. Deixar de guardar adistância lateral de um metro ecinqüenta centímetros ao passarou ultrapassar bicicleta:Infração - média;Penalidade - multa.Art. 220. Deixar de reduzir avelocidade do veículo de formacompatível com a segurançadotrânsito:(...)XIII - ao ultrapassar ciclista:Infração - grave;Penalidade - multa;Art. 255. Conduzir bicicleta empasseios onde não seja per-mitida a circulação desta, ou deforma agressiva.Infração - média;Penalidade - multa;Medida administrativa - remoçãoda bicicleta, mediante recibopara o pagamento da multa.
  33. 33. 32 Simulador de Benefícios da BicicletaFaça a sua simulação no site: www.ciclovida.ufpr.br/?page_id=504Através do simulador desenvolvido pelo Programa Ciclovida, você pode verificar asvantagens de trocar o carro ou o ônibus pela bicicleta. No exemplo abaixo, a pessoamora a 5 Km do seu trabalho e passa a utilizar a bicicleta 4 vezes por semana.
  34. 34. 33Espaços Cicloviários de Curitiba
  35. 35. Para facilitar sua vida quando sua bike estragar, listamosa seguir uma relação com todas as bicicletarias de Curitiba.ÁGUA VERDEBIKE LINESERVIÇOS E PEÇASPARA BICICLETASR. Silveira Peixoto- 86SHOW BIKE CO-MÉRCIO DE PEÇASE ACESSÓRIOSPARA BICICLETASR. Palmeiras - 255AHÚBBS BRASILR. Marechal Mallet- 501ALTO BOQUEIRÃOELEONAI CARVALHODA SILVA FRANCIS-COR. Eduardo Pinto daRocha - 542GENIVALDO ROCHADA SILVAR. Professora EdmeeNeal Algouver - 649MRJ BIKE PEÇAS EACESSÓRIOSR. Arthur AlbertoSchmeiske - 45PRO-BIKECOMÉRCIO DE PEÇASPARA BICICLETASR. Fernando Munhozde Souza - 68ALTO DA RUA XVBARON & BARONR. Itupava - 1356BACACHERIMAVETTI COMÉRCIODE BICICLETASAv. Prefeito ErastoGaertner - 1589PAULO QUINTELLADA SILVAR. Alvaro Botelho - 87WESTER FERNANDOBETTI BICICLETASR. LodovicoGeronazzo - 68BAIRRO ALTODEBORA GURESKIBICICLETASR. Dante Angelote- 494WESS COM PEÇASPARA BICICLETAR. Henrique Correia- 1814BARREIRINHAF.S. BARBOSABICICLETARIAAv. Anita Garibaldi- 3636IZAUILDA DOS SAN-TOS FERNENDESR. Charles Darwin- 478BATELBRYCHTA BIKESAv. Nossa SenhoraAparecida - 713BIGORRILHOJOSE RONALDOTRINDADER. Padre Anchieta- 2601KONA BIKES CO-MÉRCIO DE BICI-CLETAS E PEÇASAv. CândidoHartmann - 1377LUIZ FERNANDOBRYCHTAR. Jerônimo Durski- 71634 Bicicletarias por Bairro em Curitiba
  36. 36. Bicicletarias por Bairro em Curitiba 35BOA VISTAKLEMBA & COLERELTDAR. João Havro - 31MAURICIO CESARMOURA WERNECKR. Benvenuto Gusso- 689BIKE HOUSER. LodovicoGeronazzo - 68BOM RETIROC3 COMÉRCIOATACADISTA DEMERCADORIASEM GERALR. Ângelo Zeni - 452BIKE SULR. Tapajos - 1047,loja 8BOQUEIRÃOARILDO VIDALTEIXEIRAR. NapoleãoLaureano - 791DECONTOBICICLETASR. William Booth- 2487DEOMAR DA SILVALIMAR. Ten. Tito Teixeirade Castro - 227ELIEL RODRIGUESBETINR. Cel. Luiz José dosSantos - 2360J BABY COMÉRCIODE BICICLETAS ESERVIÇOSR. Des. Antônio dePaula - 3237MARIO CRISTÓVÃOHIURKOR. Prof. João S.Barcelos - 1590NEGO BIKE CASADAS BIKESR. Dr. Bley Zornig- 329PARACICLO COMÉR-CIO DE BICICLETASR. Prof. João S.Barcelos - 1590ROBERTOQUARTAROLLIR. AntônioSchiebel - 384VELO CITY CICLOPEÇASR. Maestro CarlosFrank - 2600BOTIATUVINHAOSNI RIBEIRODRISCHELAv. ManoelRibas - 7990ELIZA MERKLEDOFF SOTTAAv. ManoelRibas - 7420CAJURUFENIX IMPORTADORAE EXPORTADORAR. ReinaldoThá - 866CICLES LOURENÇOR. da Trindade - 1180ARILDO MACHADO DELIMAR. José Demeterco- 471E. DE A. VIEIRA -BICICLETARIAR. dos Ferroviários- 782J S LIMBERG E CIAR. dos Ferroviários‘- 782JAIRO NASCIMENTOJUNIORR. Sebastião MarcosLuiz - 116R.M.O. COMÉRCIO DEPEÇAS E ACESSÓRIOSPARA BICICLETASR. Filipinas - 385SERGIO ALVESBRASILEIROAv. Florianópolis - 169CAMPINA DOSIQUEIRAEDUARDO OLIVEIRAMOREIRAR. José Klisievicz - 39
  37. 37. 36 Bicicletarias por Bairro em CuritibaCAMPO COMPRIDOLEONIDIS DEOLIVEIRAR. Luiz Tramontin- 13NILSON JOSÉ DOLIVRAMENTOR. Eduardo Sprada- 4749CAPÃO DA IMBUIAEDIVALDOOTRAMARIOR. Paulo Kissula- 696FABIANO KUSMANR. Pres. AfonsoCamargo - 5207IBEMETAL - COMÉR-CIO E REPRESEN-TAÇÕES COMERCIAISR. Prof. BeneditoConceição - 866NAILOR RODRIGUESDOS SANTOSR. Paulo Kissula- 696SANDRO PEREIRAQUINTASR. Pres. AfonsoCamargo - 5255CAPÃO RASOEJK BICICLETASR. José Alcides deLima - 3251BICICLETARIASFILIAISR. Mal. AlthayrRoszanniy - 517CENTROBRONET DO BRASILR. BenjaminConstant - 229AGÊNCIA BICICLETAR. Barão do SerroAzul - 469COMÉRCIO DEBICICLETAS J JAv. João Gualberto- 130MONTAIN-TECHR. Des. Westphalen- 15EMILE CICLES-PORTE COMÉRCIODE PEÇASR. João Negrão - 331MIRATA DEOLIVEIRA LIMAR. João Negrão - 710BICICLETARIACULTURALR. Pres. Faria - 226CHAMPAGNATHUNGER BIKESAv. CândidoHartmann - 1118BIKE BROTHERSR. Padre Anchieta- 2639CIDADEINDUSTRIALCICLES CENTRALPEÇAS EACESSÓRIOSPARA BICICLETASR. Antônio deOliveira Santos - 25CICLES LIROMAR- COMÉRCIO DEPEÇAS E ACESSÓ-RIOS P/ BICICLETASR. Emilia Chopacz- 365JOSÉ ROBERTOKUTIANSKIR. Des. Cid Campelo- 121OLAIR FILLVOCK -COMÉRCIO DE BICI-CLETAS E PEÇASPARA MOTOSR. Des. Cid Campelo- 3916P. S. CARVALHO -BICICLETASR. Laura Gonçalvesdos Santos - 151R.L. DOS SANTOS &CIAR. São SidônioApolinário - 418
  38. 38. Bicicletarias por Bairro em Curitiba 37ROSENI SOUZA DEOLIVEIRA FERREIRAR. Prof. João Falarz- 720FANNYMARCELO LUISROSAR. Maestro FranciscoAntonello - 2119FAZENDINHAAGNALDO DEARAÚJOR. Arnaldo Thá - 847AR DOS SANTOSBICICLETASAv. FredericoLambertucci - 39CICLES BESTELCOMÉRCIO DEBICICLETASR. General Potiguara- 1730GUABIROTUBAJOSÉ APARECIDOMARIANO ARAÚJOR. Canal Belem- 4827PEDALE BIKESCOMÉRCIO DEBICICLETASR. GovernadorJorge Lacerda - 11HAUERCASA LARANJAR. Prof. João SoaresBarcelos - 1595CICLES BARCELOSR. Prof. João SoaresBarcelos - 1878D FABRISAv. Mal. FlorianoPeixoto - 5233RL BIKESR. Julio César Ribeirode Souza - 564HUGO LANGEE-LEEZE IMPOR-TAÇÃO E COMÉRCIODE BICICLETASELÉTRICASR. Humberto Carta- 96PAULO ANTÔNIORAMIRES JAMURR. Fernandes de Bar-ros - 1559PJ COMÉRCIO DEBIKESR. Fernandes deBarros - 1565BIKE PORTELLAR. Augusto Stresser- 1450MERCÊSJOSE LUIZ HUNGER& CIAAv. CândidoHartmann - 1118PEDRO LIOVALDOBITTENCOURTR. Visconde do RioBranco - 114S. BIKES - COMÉR-CIO DE BICICLETASPEÇAS E ACESSÓ-RIOS LTDAR. Jacarezinho - 231NOVO MUNDOCECÍLIA PALICEHIURKOR. Pedro Zagonel- 1578FLORIANO MUCHAU& CIAR. João Palomeque- 133ORLEANSRODOLFODOMINGOS NETOR. Prof. João Falarz- 451PAROLINP LINS &NASCIMENTOAv. Mal. FlorianoPeixoto - 2946
  39. 39. 38 Bicicletarias por Bairro em CuritibaPILARZINHOROGÉRIO DE JESUSDAMBRATER. Raposo Tavares- 488TECNOCICLESBICICLETASR. Raposo Tavares- 45PINHEIRINHOBIKE LANGNERCOMÉRCIO DEBICICLETASR. Rubem Berta - 186CICLES LANGNERR. Emanuel Voluz- 942PORTÃOCLEUSA BERNADETECORREAR. João Bettega - 536WORLD CICLESR. PinheiroGuimarães - 283ESPECIAL BIKECOMÉRCIO DEBICICLETASAv. RepúblicaArgentina - 3524KASPCHAK &KASPCHAKR. Curupaitis - 960LINDAMIR APARE-CIDA LANGNERAv. RepúblicaArgentina - 3524MULLER BIKESR. João Bettega- 1320WORLD CICLES CO-MÉRCIO E SERVIÇOSPARA BICICLETASR. Francisco Klemtz- 23REBOUÇASBIKE REGALCOMÉRCIO DEBICICLETASR. Nunes Machado- 472BIKEDUCALECOMÉRCIO DEBICICLETASR. João Negrão- 1821CICLES CENTERCOMÉRCIO DEBICICLETAS EACESSÓRIOSR. AlmiranteGonçalves - 2123BIKE CENTERCURITIBA COMÉR-CIO DE BICICLETASE MATERIAISESPORTIVOSR. Nunes Machado- 541BIKE SPORT SHOPCOMERCIO DEBICICLETAS EACESSÓ-RIOSR. Pres. GetúlioVargas - 1021COMÉRCIO DEBICICLETAS J JR. João Negrão- 1807DANIEL H BASTIA-NINI COMÉRCIO DEBICICLETAS PEÇASE SERVIÇOSR. Alferes Poli- 1234LP BYKE COMÉR-CIO E ACESSÓRIOSDE BICICLETASR. AlmiranteGonçalves - 2123PEDALIN RACINGTEAM LTDAR. João Negrão -2154SANTA CÂNDIDACICLE PAULOCOMÉRCIO EREPARAÇÃOR. Fernando deNoronha - 1620CICLESMENDONÇAR. Padre. JoãoWilinski - 590
  40. 40. SANTA FELICIDADEFLAVIA SUEMIMARQUES GOBARAR. Antônio Escorsin- 71CHILES’S BIKEBICICLETARIASR. Antônio Escorsin- 1379MARCELO EDUARDOAFORNALIR. Edson CamposMatesich - 368SANTA QUITÉRIAEDVALDO PIRESDA SILVAR. João AlencarGuimarães - 1467CICLE MARTINELLIPEÇAS EBICICLETASR. Curupaitis - 960SANTO INÁCIOBIKE BROTHERSCOMÉRCIO DEBICICLETASR. Batista Ganz -361SÃO BRAZCHILE S BIKEBICICLETARIAR. Antônio Escorsin- 1379SIDNEI EDUARDONOGUEIRAAv. Vereador ToaldoTúlio - 3855VGD IMPORTAÇÃO &EXPORTAÇÃOR. Angelo Massignan- 429SÃO FRANCISCOMARILENE LUCIROMEOR. Paula Gomes- 120HAIN & CIA LTDAR. Barão do CerroAzul - 469RENATO ROMEOR. Treze de Maio- 731RILDO RIBEIRO DOSSANTOSR. Mateus Leme- 463SÃO LOURENÇONEUSA TEREZINHABREYR. João Guariza- 638SEMINÁRIOLEOMAR RODRI-GUES DA SILVAAv. Vicente Machado- 3065PROBIKE COMÉRCIODE BICICLETASAv. Nossa Sra.Aparecida - 713SHOW BIKE CO-MÉRCIO DE PEÇASE ACESSÓRIOSPARA BICICLETASR. Prof. JoãoArgemiro Loyola - 20SHOW BIKE CO-MÉRCIO DE PEÇASE ACESSÉRIOSPARA BICICLETASAv. Iguaçu - 3900WINDBIKE DOBRASILAv. Nossa Sra.Aparecida - 381SÍTIO CERCADOCICLES OLIVEIRAR. São José dosPinhais - 259AMAURI DA SILVAR. Jussara - 2833ANESIO BARBOSAOFICINAR. Ibaití - 230BENEDITO PALICER. Ourizona - 2120BIKE CENTER MA-NIA BICICLETARIAR. Celeste TortatoGabardo - 1053Bicicletarias por Bairro em Curitiba 39
  41. 41. 40 Bicicletarias por Bairro em CuritibaCARLOS RODRIGOBONESSOR. Prof. Amália ElzaG. Dona - 233CICLES MALINOVSKIR. Celeste TortatoGabardo - 2215CICLES NINJAR. Prof. Amália ElzaG. Dona - 292CLEONICE KOTTIR. Izaac Ferreira daCruz - 3956CLEVERSON FER-NANDO DA CRUZBICICLETARIAR. Ourizona - 2578ELINEU DE SOUZACARNEIROR. São José dosPinhais - 1644ENIVALDO JOSÉRODRIGUESR. Marte - 313HIPER BIKE COMÉR-CIO DE BICICLETASR. São José dosPinhais - 1644JOAQUIM ANTONIODE PAIVAR. Tijucas do Sul- 403JOSE AMAURI DASILVAR. Nova Esperança- 1795LOURIVAL DOS SAN-TOS BICICLETARIAR. Eduardo Pinto daRocha - 2821TATUQUARAANA CAROLINERODRIGUESR. Enette Dubard- 858DALMA COMÉRCIODE PEÇAS PARABICICLETASR. Adriana Ceres Z.Bueno - 1300ELIZEU JOSÉ DESOUZAR. Albor Pimpão deAlmeida - 92SAMARA LÚCIA DEMOURA RIBEIROR. Ernesto GermanoFrancisco H. - 837UBERABAIBERIAN BIKECOMÉRCIO DEBICICLETASR. Cel. JoséCarvalho de Oliveira- 1924COMÉRCIO DEBICICLETA FARINAR. Eunice BettiniBartoszech - 1160EDENILSON DASILVA RAMOSR. José Hauer - 40IRMÃOS BETINR. Senador SalgadoFilho - 4421LINDALVA PEREIRASAGAIS - BIKER. Deputado TenórioCavalcanti - 572UMBARÁSIMONE C. D. DELARA - COMÉRCIODE BICICLETASR. Nicola Pellanda- 4820VILA SANDRAVILSON DAAPARECIDA DERAMOSR. João Dembinski- 4010XAXIMFRANCISCOLANGNERR. 1 de Maio - 828S JAHN & CIAR. Francisco Derosso- 2401CICLES JAHNR. Francisco Derosso- 2385
  42. 42. 41ReferênciasANTONIO, N. D.; MELO, G. K. Estudo da Infraestrutura Cicloviária deCuritiba. 101 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Cartográfica eAgrimensura) - Setor de Ciências da Terra, Universidade Federal doParaná, Curitiba, 2013.BELOTTO, J. C. A. Bicicleta: opção para uma mobilidade urbana maissaudável e sustentável. 179 f. Monografia - (Especialização na QuestãoSocial) Setor Litoral, Universidade Federal do Paraná, Matinhos, 2009.BELOTTO, J. C. A. Programa Ciclovida. UFPR/PROEC, 2008.BICICLETA LIVRE - UnB. Disponível em: http://www.bicicletalivre.unb.br/.Acesso em 22.02.2012.BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Transporte e daMobilidade Urbana. Coleção Bicicleta Brasil, Programa Brasileiro deMobilidade por Bicicleta, Caderno de Referência para Elaboração de Planode Mobilidade por Bicicleta nas Cidades. Brasília.BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Transporte e daMobilidade Urbana. PlanMob Construindo a Cidade Sustentável. Cadernode Referência para Elaboração de Plano de Mobilidade Urbana.BRASIL. Ministério dos Transportes. Empresa Brasileira de Planejamentode Transportes – GEIPOT. Planejamento Cicloviário: Diagnóstico nacional,Brasília maio de 2001.CARUSO R.C. O automóvel: O planejamento urbano e a crise das cidades.Florianópolis, 2010.CÓDIGO BRASILEIRO DE TRÂNSITO. Disponível em: <http://www.senado.gov.br/web/codigos/transito/httoc.htm>. Acesso em: 18.02.2013.ESCOLA DE BICICLETA. Disponível em: http://www.escoladebicicleta.com.br/. Acesso em 20.02.2013.IPUF, Manual do Ciclista de Florianópolis. Florianópolis, 2004.PROGRAMA CICLOVIDA. Disponível em: http://www.ciclovida.ufpr.br/.Acesso em 22.02.2013.
  43. 43. Agradecimentos:Aos fotógrafos Karla Keiko, Jaime Vasconcellos, Danilo Herek eDaniel Caron, que gentilmente contribuíram com seu trabalhonas fotografias do manualÀ Universidade Federal do Paraná, em especial à PROEC (PróReitoria de Extensão e Cultura), ao NPT (Núcleo de Psicologia doTrânsito) e ao pessoal da Imprensa UniversitáriaAos cicloativistas, em especial ao pessoal da UCB (União dosCiclistas do Brasil) e da Cicloiguaçu (Associação dos Ciclistas doAlto Iguaçu)À equipe do programa Ciclovida: docentes, técnicos e alunosbolsistas
  44. 44. Tipografia deste Manual: DIN e DINProPapéis em Couché 115g/m² e 180g/m²Impresso na Imprensa Universitária | UFPR13.500 exemplares
  45. 45. VAMOS PEDALAR!

×