Gerenciamento de riscos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Gerenciamento de riscos

on

  • 434 views

 

Statistics

Views

Total Views
434
Views on SlideShare
434
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
11
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gerenciamento de riscos Gerenciamento de riscos Presentation Transcript

  • Gerenciamento de Riscos
  • Introdução Crescimento industrial das últimas décadas Industrias maiores e mais complexas Acidentes industriais Investir na prevenção
  • Histórico Engenharia de Confiabilidade “Análise de Riscos” 70 - Fletcher e Douglas - “Controle Total de Perdas” 50 - Frank Bird - “Controle de Perdas” 30 - Henrich - acidente e lesão
  • Acidentes Flixborough - 1974 - ciclohexano - 28 mortos
  • Isocianato de Metila
  • Exxon Valdez - 1989 Óleo cru US$ 6 bilhões
  • Ilha Barnabé - 1999
  • NT Norma, Paranaguá - 2001 P36 Baia de Guanabara Cataguases
  • Conseqüências Mortes e lesões Perdas de equipamentos e instalações Paralisação do processo produtivo Multas e indenizações a terceiros Gastos com recuperação de áreas contaminadas Comprometimento de imagem ou até do negócio Sanções criminais a responsáveis
  • Programas Internacionais Transporte de substâncias perigosas - rodoviário, ferroviário, marítimo, aéreo, dutos Empresas - programas de prevenção de acidentes - de gerenciamento de riscos Estados - planos de emergência - uso do solo - informar acidentes - fiscalização - incentivo
  • Legislação Brasileira Lei federal 6938/81 - Política Nacional de Meio Ambiente Resolução CONAMA 01/86 - Estudo de Impacto Ambiental Lei Federal 7661/88 - Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro Lei Federal 9605/98 - Crimes Ambientais Decreto Federal 2870/98 - OPRC - 90 Resolução CONAMA 265/00 - Auditorias em Instalações de Petróleo e Derivados Lei Federal 9966/00 - Poluição por Óleo e outras Substâncias Nocivas Resolução CONAMA 293/01 - Plano de Emergência Individual Decreto Federal 4085/2001 - Convenção 174 da OIT
  • INTRODUÇÃO OHSAS 18001 - ISO 14001 São Normas Internacionais que especificam e dão as diretrizes para a utilização de um Sistema de Gestão. O Sistema de Gestão Integrada é um conjunto de procedimentos e de técnicas que asseguram o comprometimento das empresas com a contínua melhoria. O Sistema de Gestão Integrada da Cosipa atua nas áreas de: Administração de Pessoal, Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente.
  • SGI
  • MELHORIA CONTÍNUA Planejamento POLÍTICA INTEGRADA • análise crítica ATUAR PLANEJAR • • • • riscos / aspectos ambientais requisitos legais & outros objetivos & metas programa de gestão integrada • implementação & operação • • • • • • VERIFICAR verificação & ação corretiva monitoramento & medição não-conformidade e ações corretiva e preventiva registros auditoria do SGI EXECUTAR • estrutura & responsabilidade • treinamento, conscientização e competência • comunicação • documentação do sga • controle de documentos • controle operacional • preparação e atendim. a emergências
  • Estrutura do Programa Programa Metas Globais Metas de Processo Riscos / Aspectos Ambientais Significativos Riscos / Aspectos Ambientais
  • Estudo de Análise de Risco Objetivos Identificar acidentes potenciais dos tipos: Vazamento de substâncias tóxicas ou inflamável Incêndio Explosão Determinar as prováveis causas Estimar e avaliar as conseqüências Propor e implantar medidas de controle
  • Principais Etapas do Estudo Levantamento de Dados APP - Analise Preliminar de Perigo PGR - Programa de Gerenciamento de Risco PAE - Plano de Ação de Emergência
  • Análise Preliminar de Perigos grupo de pessoas - operação, da manutenção elétrica e mecânica, suporte técnico, meio ambiente e segurança. levantam risco. propõe medidas de controle.
  • Programa de Gerenciamento de Risco procedimentos operacionais. capacitação de recursos humanos. manutenção e garantia da integridade da unidade. gerenciamento de modificações. revisão de riscos do processo. investigação de incidentes. inspeção e auditoria. plano de ação de emergência.
  • Plano de Ação de Emergência cenários acidentais e abrangência. estrutura organizacional. procedimentos de emergência. sistemas de proteção. desligamento.
  • Simulados de Emergência Com a participação dos envolvidos Preparação. Treinamento. realização do simulado. análise crítica.
  • IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCO ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS CLASSIFICAÇÃO TRIVIAL TOLERÁVEL MODERADO SUBSTANCIAL INTOLERÁVEL DISPOSIÇÃO DE CONTROLE PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCO CONTROLE OPERACIONAL GERENCIAMENTO DA ROTINA ROTINA DE MANUTENÇÃO PLANO DE AÇÃO DE EMERGÊNCIA EMERGÊNCIA PLANO DE AÇÃO EMERGÊNCIA GERENCIAMENTO DA REDUÇÃO DE RISCO
  • PAM CUBATÃO + CORPO DE BOMBEIROS
  • PROJETOS DE TRABALHO • Projeto Integração Bombeiro + Indústria • Projeto Capacitação Bombeiro + Indústria
  • O porquê da Agenda 21 O Pólo Industrial de Cubatão crescimento de 20% Futuro do município planejado Desenvolvimento Sustentável (crescimento econômico, com justiça social e proteção ao meio ambiente)
  • A Agenda 21 A Agenda 21 local teve início com a Agenda 21 Global, compromisso assumido por 179 países na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Planeta (Rio-92). A Agenda 21 não está focada apenas em questões ambientais, o projeto prevê um estudo muito mais amplo das questões que envolvem o município. O objetivo é discutir os principais temas que tem influência na cidade e pensá-los sob a perspectiva dos próximos 15 anos, o que permite um planejamento estratégico do futuro.
  • DE CUBATÃO Foco no planejamento estratégico ENXERGAR e AMBIENTAIS REALIZAR ECONÔMICAS soluções SOCIAIS
  • Agenda 21 de Cubatão: um novo paradigma •Número de participantes •Profundidade no planejamento •Processo de comunicação e envolvimento da comunidade •Benefícios da Lei Rouanet
  • AGENDA 21 EM CUBATÃO COMUNIDADE
  • METODOLOGIA Diagnóstico COMO ESTÁ CUBATÃO? Pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades Cenários PARA ONDE VAI CUBATÃO? Inercial e desejável Plano Visão QUAL A CUBATÃO QUE SONHAMOS? O QUE FAZER EM CUBATÃO? Estratégias, metas, ações e projetos
  • OS 17 TEMAS DA AGENDA 21 - CUBATÃO A região metropolitana e o contexto de Cubatão Logística TOTAL: 282 projetos 17 PROJETOS 18 Urbanismo, sistema viário e mobilidade da população PROJETOS Indústria, comércio e serviços PROJETOS Turismo Habitação e ocupações desordenadas 13 17 PROJETOS 13 PROJETOS
  • OS 17 TEMAS DA AGENDA 21 - CUBATÃO Saneamento básico TOTAL: 282 projetos Qualidade do ar, das águas e riscos ambientais Unidades de conservação e áreas de proteção permanente Saúde Educação, educação ambiental e qualificação profissional 10 PROJETOS 10 PROJETOS 07 PROJETOS 40 PROJETOS 26 PROJETOS
  • OS 17 TEMAS DA AGENDA 21 - CUBATÃO Cultura 21 PROJETOS Esporte e lazer 26 PROJETOS TOTAL: 282 projetos Geração de renda 11 PROJETOS Assistência social 21 PROJETOS Segurança pública Administração pública 16 PROJETOS 16 PROJETOS
  • OS PROJETOS AGENDA 21 - PRAZOS LONGO MÉDIO 22 IMEDIATO 41 PRAZOS Imediato: Curto: Médio: Longo: 72 Total: CURTO 147 41 147 72 22 282
  • RESPONSABILIADADE NOS PROJETOS Polícia Judiciário 2% 1% Ter. Setor 3% Iniciativa Privada 3% Câmara Federal 2% 1% Estado 8% Município 81% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90%
  • PARCERIAS NOS PROJETOS Polícia 2% Judiciário 1% 14% Ter. Setor 28% Iniciativa Privada Câmara 1% Federal 7% 15% Estado 32% Município 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35%
  • RESULTADOS DA AGENDA 21 DE CUBATÃO CRIAÇÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DA AGENDA 21 Decreto nº 8977 de 31 de agosto de 2006. A primeira reunião ocorreu no dia 7/12.
  • Livro da Agenda 21 O verdadeiro Guia do Cidadão Cubatense É um documento legitimado por todos os setores da sociedade. Pode ser consultado pelos cidadãos, empresas, ONG, órgãos governamentais e ambientais. Representa uma mudança de paradigma de envolvimento e participação pública e popular. Por isso, é mais que um livro de projetos. É O PROJETO DE UMA CIDADE QUE SABE AONDE QUER CHEGAR.