• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Esquizofrenia
 

Esquizofrenia

on

  • 6,740 views

 

Statistics

Views

Total Views
6,740
Views on SlideShare
4,811
Embed Views
1,929

Actions

Likes
1
Downloads
134
Comments
2

10 Embeds 1,929

http://aprojecto-esquizofrenia.blogspot.com 1091
http://aprojecto-esquizofrenia.blogspot.com.br 636
http://aprojecto-esquizofrenia.blogspot.pt 192
http://www.slideshare.net 3
http://www.aprojecto-esquizofrenia.blogspot.com 2
http://aprojecto-esquizofrenia.blogspot.com.es 1
http://webcache.googleusercontent.com 1
http://translate.googleusercontent.com 1
http://htmledit.squarefree.com 1
http://aprojecto-esquizofrenia.blogspot.co.uk 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

12 of 2 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Esquizofrenia Esquizofrenia Presentation Transcript

    • Escola Secundária 2,3 Ciclos Professor Reynaldo dos Santos
      Esquizofrenia
      Mito ou Realidade ?
      Trabalho elaborado por:
      Catarina Portela
      Patrícia Henrique
      Rita Costa
      Vanessa do Carmo
      Área de Projecto
      Ano Lectivo 2009/2010
    • O que é a Esquizofrenia?
      Analisando a etimologia da palavra, esquizofrenia significa fragmentação da mente (frenia – mente e esquizo – fragmentada/dividida), dando-se uma ruptura no desenvolvimento do indivíduo, havendo a perda de contacto com a realidade e ausência de juízo crítico.
    • Causas da Esquizofrenia
      Teoria Genética: admite que vários genes podem estar envolvidos, contribuindo juntamente com os factores ambientais para o desabrochar da doença.
       
      Teoria Psicanalítica:remete para a fase oral do desenvolvimento psicológico, na qual a ausência de gratificação verbal ou da relação inicial entre mãe e bebé estimula a doença.
    •  
       
       
      Teoria Neurobiológica: defende que a esquizofrenia é principalmente motivada por alterações bioquímicas e estruturais do cérebro, em especial com uma disfunção na dopamina.
       
      Teoria Familiar:Insere o conceito “mãe esquizofrenogénica”, mães que têm atitudes possessivas e dominadoras com os seus filhos, um comportamento identificado como gerador de personalidades esquizofrénicas.
      Teoria dos Neurotransmissores:O facto de existir excesso de dopamina na via mesolímbica e um défice desta mesma substância na via mesocórtica conduz ao aparecimento deste distúrbio.
    • Tipos de Esquizofrenia
      Paranóide, é a forma que mais facilmente é identificada com a doença, predominando os sintomas positivos. O quadro clínico é dominado por um delírio paranóide relativamente bem organizado. Os doentes com esquizofrenia paranóide são desconfiados, reservados, podendo ter comportamentos agressivos.
      Desorganizada, em que os sintomas afectivos e as alterações do pensamento são predominantes. As ideias delirantes, embora presentes, não são organizadas. Nalguns doentes pode ocorrer uma irritabilidade marcada associada a comportamentos agressivos. Existe um contacto muito pobre com a realidade.
    • Catatónica, é caracterizada pelo predomínio de sintomas motores e por alterações da actividade, que podem ir desde um estado de cansaço e acinético até à excitação.
      Indiferenciada, apresenta habitualmente um desenvolvimento insidioso com um isolamento social marcado e uma diminuição no desempenho laboral e intelectual. Observa-se nestes doentes uma certa apatia e indiferença relativamente ao mundo exterior.
      Residual, nesta forma existe um predomínio de sintomas negativos, os doentes apresentam um isolamento social marcado por um embotamento afectivo e uma pobreza ao nível do conteúdo do pensamento.
      Hebefrénica, com incidência da adolescência, com o pior dos prognósticos em relação às demais variações da doença, e com grandes probabilidades de prejuízos cognitivos e sócio-comportamentais.
    • Sintomas da Esquizofrenia
      Confusão Mental
      Frequente negligência à higiene pessoal
      Alucinações
      Dizeres estranhos e comportamento bizarro
      Incapacidade de tomar decisões por si mesmo
      Raiva e Agressividade
      Nervosismo
      Isolamento em relação aos amigos, trabalho ou estudos
      Mudanças nos hábitos alimentares e de sono
    • Tratamento
      Medicação - os medicamentos principais para a esquizofrenia chamam-se antipsicóticos. Estes ajudam a aliviar os sintomas positivos da esquizofrenia, ajudando a corrigir o desequilíbrio bioquímico do cérebro que é um das causas dos sintomas.
      Hospitalização - A maioria das pessoas que se tornam
      esquizofrénicas necessita de ser hospitalizada durante o período de tempo em que os seus sintomas são particularmente graves. Estando a fazer uma medicação que se mostra eficaz, será possível serem tratados em centros de dia, em centros de reabilitação e noutros serviços de ambulatório.
      Psicoterapia – o aconselhamento individual e em grupo, e a informação sobre a doença podem fornecer apoio, desenvolvimento de competências não só para os doentes como para as suas famílias. Os vários técnicos do terreno ajudam os doentes a resolver eficazmente os problemas, certificam-se que os medicamentos estão a ser tomados da forma correcta e ajudam os doentes a lidar com os desafios da vida do quotidiano.