Aula 1.1 classificação dos tratores agrícolas

18,550 views

Published on

Autor Prof. Frederico

4 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
18,550
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
679
Comments
4
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 1.1 classificação dos tratores agrícolas

  1. 1. MECANIZAÇÃO AGRÍCOLAAula - Classificação dos tratoresFrederico Fonseca da Silva
  2. 2. • Classificação dos tratores: (basicamente dois critérios)• 1. De acordo com o tipo de rodado;• 2. De acordo com a conformação geral do chassi.
  3. 3. 1. De acordo com o tipo de rodado (predominante para uso agrícola)Tratores de rodas (de duas, três ou de quatro rodas): os de 2 rodas possuem um par de rabiças; os de 4 rodas são aqueles que possuem 2 rodas motrizes na parte posterior e 2 rodas movidas na frente (Figuras a seguir).
  4. 4. De duas Rodas: motocultivador ou trator de rabiçasAgricultor caminha atrás do implemento;Montado com diferentes implementos;Executa mesmas tarefas realizadas por tratores maiores;
  5. 5. DE TRÊS RODASDesenvolvido para trabalhos de cultivo em linhas:
  6. 6. De quatro rodas (2 RM) - Tipo mais comum de tratorNestes tratores as duas Rodas Motrizes têm diâmetro bastante superior àsrodas dianteiras que tem apenas a função de direção. Podem apresentartração dianteira auxiliar (TDA) e neste caso, tanto as rodas traseiras quanto asdianteiras apresentam garras, mas o diâmetro da rodas traseiras é maior que odiâmetro das rodas dianteiras
  7. 7. DE QUATRO RODAS - 4 x 4 (4 RM)Tração é sempre exercida pelos dois eixos - Quatro rodas de mesmo øDirecionamento articulação do chassi, rodas dianteiras ou pelas quatrorodas
  8. 8. Nestes tratores (slide anterior) as rodas motrizes podem apresentar o mesmo diâmetro ou as posteriores serem maiores. Quando as rodas são diferentes é necessário que a transmissão permita obter um sincronismo no movimento das rodas; a distribuição de massas nos eixos destes tratores é mais equitativa que nos tratores de rodas iguais, em que ± 2/3 recaem no eixo dianteiro e ± 1/3 no traseiro. Nestes tratores a direção é geralmente assegurada pelo eixo dianteiro, podendo, no entanto, todas as rodas serem de direção ou o trator ser articulado
  9. 9. TRATORES DE QUATRO RODAS MOTRIZES.As vantagens dos tratores de 4RM em relação aos de duas destacam-se: maior coeficiente de aderência; necessitarem menos 30 a 35% de massa, para desenvolverem a mesma força de tração.
  10. 10. TRATORES DE QUATRO RODAS MOTRIZES.Como principais desvantagens tem-se: preço de aquisição mais elevado; maior perda de potência a nível da transmissão, o que faz com que, para dois tratores cujos motores têm as mesmas características, o trator de tração simples tenha mais potência; maior raio de giro; custos de manutenção e consumo específico mais elevados.
  11. 11. Tratores de semi-esteiras (conjugados esteiras e rodas): existe anecessidade de adaptar-se, de cada lado do trator – entre a roda frontal e atraseira - , uma roda guia da semi-esteira.
  12. 12. Tratores de esteiras: Estes tratores possuem como órgãos de propulsão duas sapatas,metálicas ou de borracha, montadas em duas rodas, uma das quais motoras,funcionando a outra como reguladora da tensão da esteira, que se designa por rodaguia.
  13. 13. 2. De acordo com a conformação do chassia) tratores Industrial: para fins industriais como algumas etapas de produção agrícola; Para movimentação de terra e desmatamento (?).b) Devido as suas relações de transmissão e peso é pouco adequado para trabalho agrícola. Barra de tração é o único órgão de acoplamento
  14. 14. b) Tratores florestais: (restringe ao abate e retirada de madeira das florestal artificiais). cortador-abatedor: equipado com munck operação de carregamento e transporte (carregadores -transportadores e transportadores: equipados com munck processador: visa retirada das partes indesejáveis do tronco e corta-os em pedaços.
  15. 15. TRATORES FLORESTAIS Devido às condições de trabalho impostas pelo setor, um trator florestal deve ser uma máquina de grande massa, capaz de transitar em terrenos de grande declive, solos de consistência muito variada e com muitos obstáculos, e desenvolver grande força de tração, necessitando portanto, de grande disponibilidade de potência. Além disso, o trator florestal deve possuir boa aderência, estabilidade e manobrabilidade e oferecer comodidade e segurança para o operador (ergonomia).
  16. 16. TRATORES FLORESTAISOs tratores de esteiras apresentam a maioria destas condições mas, devido aos aspectos econômicos e à sua reduzida polivalência, têm sido substituídos por tratores florestais de quatro rodas motrizes iguais, geralmente articulados.
  17. 17. c) Tratores agrícolas: Utilitário com tração nas 4 rodas (4X4): surgiram como uma tentativa de se aumentar o rendimento da conversão da potencia do motor em potencia na barra-de-tração. Transportador de implementos, com motor traseiro: e um amplo chassi frontal para abrigar os mais variados tipos de implementos. Transportado de maquinas, com chassi deslocado: e rodas motrizes frontais.
  18. 18. Recapitulando (rapidamente) funções e componentes
  19. 19. FUNÇÃO DAS PRINCIPAIS PARTES CONSTITUINTESMotor do trator: é a fonte de potencia mecânica do trator. O combustível é queimado no interior do cilindro. A pressão originada dessa expansão é recebida pela cabeça de um êmbolo, contido no interior de um cilindro e conectado através de uma biela, à árvore de manivelas, transformando- se em movimento de rotação por meio do mecanismo biela-manivela.
  20. 20. Nos motores diesel o ar é succionado, através de um filtro, para o interior dos cilindros, cuja parte superior denomina-se câmara de combustão.O volante do motor é uma massa metálica, cilíndrica, montada numa das extremidades da árvore de manivelas e que permite a continuidade do movimento rotativo.
  21. 21. Embreagem: tem por função efetuara conexão entre o volante do motor e a árvore primaria da caixa de mudança de marchas.
  22. 22. Caixa de mudança de marchas: nos tratores agrícolas a velocidade de deslocamento é controlada, principalmente pela caixa de mudança de marchas e, secundariamente , pelo acelerador do motor. Essa caixa serve para determinar a velocidade de deslocamento do trator e aumentar o conjugado de força desenvolvido pelo motor, o que se ganha em velocidade, perde-se em força, e o que se ganha em força, perde-se em velocidade.
  23. 23. Diferencial e transmissão final: São os órgãos que transmitem o movimento do motor, modificado pela caixa de mudanças de marchas, para as rodas motrizes do trator. O diferencial consta de um pinhão e de uma coroa que, além de produzirem uma redução de velocidade, permitem uma mudança de direção de 90º na árvore de transmissão de movimento. No interior da coroa localiza-se o diferencial.

×