Oriente  ..
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Oriente ..

on

  • 3,580 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,580
Views on SlideShare
3,576
Embed Views
4

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

1 Embed 4

http://www.slideshare.net 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Oriente  .. Oriente .. Presentation Transcript

  • ORIENTE MÉDIO
    • Sudoeste da Ásia, “ponte de ligação” entre esse continente, a Europa e a África;
    • Formado por 16 países e a Palestina;
    • População de 277.117.000 hab.
    • Com exceção de Israel, onde a maioria da população segue o judaísmo, os povos do Oriente Médio professam o islamismo (religião muçulmana); a cidade santa do islamismo é Meca, na Arábia Saudita (cinco vezes por dia, milhões de fiéis, de todas as partes do mundo, ajoelham-se e oram com o rosto voltado para Meca);
    • Na maioria dos países, o árabe é a língua falada;
    • Formas de governo:
      • Monarquia constitucional – regime político em que o soberano (monarca, emir, etc.) tem seus poderes definidos pela Constituição e pelo Parlamento (Kuwait e Jordânia);
      • Monarquia absolutista – corresponde àquela em que o poder político atribuído ao monarca não sofre restrição ou limitação de qualquer ordem, a vontade do monarca impera ( Arábia Saudita, Catar, Omã e Barein);
      • República presidencialista e parlamentarista – forma de governo em que a Constituição e a organização política são exercitadas durante tempo limitado por uma ou mais pessoas eleitas diretamente pelo Parlamento ou pelo povo (Turquia, Líbano, Síria, Iraque, Iêmen, Israel, Afeganistão e Chipre);
      • Regime teocrático – forma de governo baseada na teocracia, em que a autoridade política é exercida por um chefe religioso ou por uma casta sacerdotal (Irã);
      • Federação de emirados – é o caso dos Emirados Árabes Unidos, onde sete emirados formaram uma federação, que é administrada por um Conselho Supremo (formado por sete emires) e por um governo federal, presidido por um dos sete emires; não há partidos políticos, apenas um Conselho Nacional Federal com 40 membros indicados pelo emirados.
    • Climas predominantes: desértico e semi-árido (desertos da Arábia, Síria e Irã);
    • Outros climas: mediterrâneo (sul da Turquia, litorais da Síria, do Líbano e de Israel), frio e frio de alta montanha (leste da Turquia e do Afeganistão);
    • Os climas e as altitudes de relevo condicionam a vida humana, a ocupação do território e a prática da agricultura e da pecuária;
  • PETRÓLEO
    • 2/3 das reservas mundiais de petróleo restantes na atualidade localizam-se no Oriente Médio;
    • Os depósitos concentram-se, principalmente, no Golfo Pérsico, onde se localizam também os principais portos de escoamento do produto e de onde partem oleodutos que atravessam os desertos até atingirem os mares Vermelho e Mediterrâneo;
    • Devido à sua importância estratégica, geopolítica e econômica no cenário mundial, os países da Europa Ocidental, os EUA, a China e o Japão, maiores consumidores de petróleo, dependem do fornecimento da região e fazem de tudo para manter alianças com os países do Oriente Médio e assegurar suas fontes de abastecimento;
    • Nos últimos anos, assiste-se a uma corrida para estabelecer alianças militares com países produtores de petróleo , principalmente dos EUA (com a Arábia Saudita e Kuwait) e da China (com o Irã e o Sudão, na África), como forma de garantir suprimentos vitais de petróleo;
  • POUCAS ÁREAS FAVORÁVEIS Á AGRICULTURA
    • A região é marcada por uma grande limitação, imposta pela natureza, para o desenvolvimento da agricultura; mesmo com as áreas irrigadas, onde são plantados principalmente cereais e legumes, os países do Oriente Médio dependem , em maior ou menor grau, da importação de alimentos;
    • A Arábia Saudita, por exemplo, importa 90% dos alimentos de que necessita;
    • Em grande parte do território desenvolve-se a criação nômade de gado (ovinos, caprinos e camelos), onde predominam as estepes ralas, fato que leva o pastoreiro a se deslocar constantemente em busca de alimento;
  • ÁGUA, FONTE DE TENSÃO PERMANENTE NA REGIÃO
    • Os países da Península Arábica, além de Jordânia, Síria, Israel e Cisjordânia (Palestina), enfrentam o problema de escassez de água; apesar da utilização de água obtida a partir da água salgada nas usinas de dessalinização, a Arábia Saudita e os pequenos países do Golfo Pérsico são importadores de água potável (água mineral engarrafada);
    • A Turquia, desde 1980, elaborou um projeto (Projeto da Grande Anatólia) para transformar o sudeste do país numa área de produção agrícola e de geração de energia elétrica, construindo barragens, canais de irrigação e hidrelétricas no curso, principalmente, do rio Eufrates;
    • A Síria (que depende largamente das águas do Rio Eufrates) e o Iraque (que tem toda a vida humana relacionada a esse rio e ao Rio Tigre), sentiram a diminuição do volume de água no trecho que atravessa seus territórios, gerando protestos, contatos diplomáticos e ameaças, porém a Turquia continuou com a execução do projeto;
    • Outro foco de tensão provocado pela disputa por água no Oriente Médio, e ainda mais grave, é o que envolve a Bacia do Rio Jordão, que abrange terras da Síria, do Líbano, da Jordânia, da Cisjordânia e de Israel;
    • A questão da água leva também a compreender por que Israel resiste em deixar os territórios por ele ocupados na Cisjordânia (Palestina) durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Mais de 60% da água utilizada por Israel, principalmente para a irrigação agrícola, é daí retirada do subsolo por meio de poços. Possuindo o controle da água m(substância vital), Israel a distribui segundo suas conveniências;
    • Aos palestinos são destinados apenas 14% dos recursos hídricos. Essa situação levou muitos palestinos da Cisjordânia a abandonar a agricultura e migrar para as cidades .