Poluição de...

4,754 views
4,578 views

Published on

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,754
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
95
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Poluição de...

  1. 1. Poluição... ... do solo ... dos rios ... do ar ... do mar
  2. 2. 1ª Parte A Poluição do Solo
  3. 3. A Poluição do Solo O solo é um corpo vivo, de grande complexidade e muito dinâmico. Tem como componentes principais a fase sólida, a água e o ar. O solo deve ser encarado como uma interface entre o ar e a água, sendo imprescindível à produção de biomassa. Assim, o solo não é inerte, o mero local onde assentamos os pés, o simples suporte para habitações e outras infra-estruturas indispensáveis ao Homem, o seu “caixote do lixo” !. Sempre que lhe adicionamos qualquer substância estranha, estamos a poluir o solo e, directa ou indirectamente, a água e o ar.
  4. 4. Contaminação do Solo Figura 1
  5. 5. <ul><li>O uso da terra para centros </li></ul><ul><li>urbanos, para as actividades agrícolas, </li></ul><ul><li>pecuárias e industriais tem tido como </li></ul><ul><li>consequências, elevados níveis de </li></ul><ul><li>contaminação. </li></ul><ul><li>Assim, ao longo dos últimos anos, </li></ul><ul><li>têm sido detectados numerosos casos de </li></ul><ul><li>contaminação do solo em zonas, quer </li></ul><ul><li>urbanas, quer rurais. </li></ul>Contaminação do solo Figura 1
  6. 6. <ul><li>A contaminação do solo tem-se tornado uma das preocupações ambientais, uma vez </li></ul><ul><li>que, geralmente, a contaminação interfere no ambiente global da área afectada </li></ul><ul><li>podendo mesmo estar na origem de problemas de saúde pública. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Regra geral, a contaminação do solo torna-se um problema quando: </li></ul><ul><li>há uma fonte de contaminação; </li></ul><ul><li>há vias de transferência de poluentes que viabilizam o alargamento da </li></ul><ul><li>área contaminada; </li></ul><ul><li>3. há indivíduos e bens ameaçados por essa contaminação. </li></ul><ul><li>O problema pode ser resolvido por: </li></ul><ul><li>remoção dos indivíduos ou bens ameaçados; </li></ul><ul><li>remoção da fonte de poluição; </li></ul><ul><li>bloqueamento das vias de transferência. </li></ul>
  8. 8. Medidas de Recuperação do Solo Figura 2
  9. 9. Medidas de Recuperação do Solo <ul><li>Se o estudo dos solos contaminados é </li></ul><ul><li>recente, a investigação e desenvolvimento de </li></ul><ul><li>processos e tecnologias de tratamento é </li></ul><ul><li>ainda mais. </li></ul><ul><li>A abordagem das áreas contaminadas </li></ul><ul><li>considera, normalmente, três fases </li></ul><ul><li>fundamentais: </li></ul><ul><li>Identificação das áreas contaminadas; </li></ul><ul><li>Diagnóstico-avaliação das áreas contaminadas; </li></ul><ul><li>Tratamento das áreas contaminadas. </li></ul>Figura 2
  10. 10. <ul><li>Actualmente consideram-se três grandes grupos de métodos de </li></ul><ul><li>descontaminação de solo: </li></ul><ul><li>Descontaminação no local; </li></ul><ul><li>Descontaminação fora do local; </li></ul><ul><li>Isolamento da área contaminada. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Esta 3ª opção não se trata verdadeiramente de um processo de </li></ul><ul><li>descontaminação, mas sim de uma solução provisória para o problema. </li></ul><ul><li>O tratamento do solo como metodologia de recuperação de áreas </li></ul><ul><li>contaminadas é uma alternativa cada vez mais significativa relativamente à </li></ul><ul><li>sua deposição em aterros sanitários, devido essencialmente ao aumento dos </li></ul><ul><li>custos envolvidos . </li></ul>
  12. 12. Tecnologias de Tratamento <ul><li>A Figura 1 sistematiza os </li></ul><ul><li>métodos e técnicas disponíveis para </li></ul><ul><li>tratamento de solos contaminados. </li></ul><ul><li>As técnicas exigem a </li></ul><ul><li>extracção, por escavação, do solo </li></ul><ul><li>contaminado. </li></ul><ul><li>O solo extraído pode ser </li></ul><ul><li>tratado no local ou em estações de </li></ul><ul><li>tratamento, sendo depois reposto no </li></ul><ul><li>local de origem ou noutro para </li></ul><ul><li>outros fins, depois de descontami- </li></ul><ul><li>nado. </li></ul>Figura 1
  13. 13. Tecnologias de Tratamento <ul><li>Com a tecnologia disponível actualmente, uma parte dos solos </li></ul><ul><li>contaminados ainda não é problematicamente descontaminável, devido a </li></ul><ul><li>problemas de ordem vária como: </li></ul><ul><li>emissões gasosas de alto risco, </li></ul><ul><li>concentrações residuais inacreditavelmente elevadas ou produção de grandes quantidades de resíduos contaminados. </li></ul><ul><li>Isto é particularmente verdade para solos poluídos com hidrocarbonetos </li></ul><ul><li>aromáticos halogenados ou metais pesados, bem como solos </li></ul><ul><li>contendo elevada percentagem de finos. </li></ul><ul><li>Para além destes aspectos, algumas das técnicas utilizadas envolvem elevados </li></ul><ul><li>custos de tratamento. Dos diferentes métodos de descontaminação do solo, apenas os </li></ul><ul><li>biológicos e a incineração permitem a eliminação ambiental dos poluentes orgânicos, </li></ul><ul><li>através da sua mineralização. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>FIGURA 3 - Métodos e técnicas de tratamento de solos contaminados </li></ul>FIGURA 3
  15. 15. Tratamento Térmico <ul><li>As necessidades energéticas das técnicas térmicas são, normalmente, </li></ul><ul><li>bastante elevadas, são possíveis emissões de contaminantes perigosos. </li></ul><ul><li>Contudo, em determinados casos, podem ser utilizadas temperaturas </li></ul><ul><li>substancialmente baixas, levando a consumos de energia relativamente </li></ul><ul><li>diminutos. </li></ul><ul><li>O processo é ainda passível de minimizar outros tipos de poluição </li></ul><ul><li>ambiental, se as emissões gasosas libertadas forem tratadas. </li></ul><ul><li>As instalações para este método de tratamento podem ser semi-móveis, os </li></ul><ul><li>custos dependem, não só do processo em si, como também do teor de </li></ul><ul><li>humidade, tipo de solo e concentração de poluentes, bem como de medidas de </li></ul><ul><li>segurança, das regulamentações ambientais em vigor. </li></ul>
  16. 16. Tratamento Físico-Químico <ul><li>Dos processos físico-químicos, os métodos actualmente mais usados </li></ul><ul><li>baseiam-se na lavagem do solo. </li></ul><ul><li>Estes métodos fundamentam-se no princípio tecnológico da </li></ul><ul><li>transferência de um contaminante do solo para um aceitado de fase líquida </li></ul><ul><li>ou gasosa. </li></ul><ul><li>Os principais produtos a obter são: </li></ul><ul><li>o solo tratado; </li></ul><ul><li>os contaminantes concentrados. </li></ul><ul><li>O processo específico de tratamento depende dos tipos de contaminantes, </li></ul><ul><li>nomeadamente no que se refere ao tipo de ligação que estabelece com as partículas </li></ul><ul><li>do solo. </li></ul>
  17. 17. Tratamento Físico-Químico <ul><li>Geralmente a argila têm uma elevada afinidade para a maior parte das </li></ul><ul><li>substâncias contaminantes. </li></ul><ul><li>Assim, para separar os contaminantes do solo, há que remover as ligações </li></ul><ul><li>entre estes e partículas do solo, ou extrair as partículas do solo contaminadas. </li></ul><ul><li>A fase seguinte consiste na separação do fluido, enriquecido em </li></ul><ul><li>contaminantes das partículas de solos limpos. </li></ul><ul><li>Adicionalmente pode ser necessário considerar um circuito de exaustão e </li></ul><ul><li>tratamento do ar, se for provável a libertação de compostos voláteis. </li></ul><ul><li>A aplicação desta técnica pode não ser viável, especialmente quando a fracção </li></ul><ul><li>argila do solo é superior a 30%, devido à quantidade de resíduo contaminado </li></ul><ul><li>gerado. </li></ul>
  18. 18. Tratamento Biológico <ul><li>Os métodos biológicos baseiam-se no facto de que os microorganismos </li></ul><ul><li>têm possibilidades praticamente ilimitadas para metabolizar compostos </li></ul><ul><li>químicos. </li></ul><ul><li>Tanto o solo como as águas subterrâneas contêm elevado número de </li></ul><ul><li>microorganismos que, gradualmente, se vão adaptando às fontes de energia </li></ul><ul><li>e carbono disponíveis, quer sejam açucares facilmente metabolizáveis, quer </li></ul><ul><li>sejam compostos orgânicos complexos. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>No tratamento biológico, os microorganismos naturais, ou indígenas, </li></ul><ul><li>presentes na matriz, são estimulados para uma degradação controlada dos </li></ul><ul><li>contaminantes. </li></ul><ul><li>Em determinadas situações, pode ser necessário recorrer a </li></ul><ul><li>microorganismos específicos ou a microorganismos geneticamente </li></ul><ul><li>modificados, de modo a conseguir uma optimização da biodegradação. </li></ul><ul><li>Actualmente as principais técnicas biológicas de tratamento incluem: </li></ul><ul><li>“ Landfarming; </li></ul><ul><li>Comportassem; </li></ul><ul><li>Descontaminação no local; </li></ul><ul><li>Reactores biológicos; </li></ul><ul><li>Outras técnicas inovadoras. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Estas técnicas, à excepção do &quot;Landfarming&quot;, estão ainda numa fase de </li></ul><ul><li>desenvolvimento. </li></ul><ul><li>Recentemente, tem sido dada particular relevância aos métodos biológicos </li></ul><ul><li>de descontaminação de solos, tecnologia promissora que pode vir a ter um </li></ul><ul><li>papel de importância crescente na recuperação de áreas contaminadas pelas </li></ul><ul><li>actividades industriais e urbanas. </li></ul><ul><li>O tratamento biológico do solo diminui os riscos para a saúde pública, bem </li></ul><ul><li>como para o ecossistema e, ao contrário da incineração ou dos métodos </li></ul><ul><li>químicos, não interfere nas propriedades naturais do solo. </li></ul>
  21. 21. 2ª Parte Poluição do Ar
  22. 22. Poluição do Ar <ul><li>Fábricas como esta em Cúmbria, </li></ul><ul><li>Grã-Bretanha, liberam fumaça que </li></ul><ul><li>é transportada por longas distâncias </li></ul><ul><li>pelo vento. </li></ul>Figura 1
  23. 23. <ul><li>Por volta de 1661, cientistas da Grã-Bretanha descobriram que a poluição </li></ul><ul><li>industrial podia afectar a saúde das pessoas e as plantas das redondezas. </li></ul><ul><li>Com o crescimento industrial nos séculos 18 e 19, aumentaram os danos para </li></ul><ul><li>a saúde das pessoas e para o meio ambiente. </li></ul><ul><li>Entretanto, ninguém pensava que a poluição pudesse ser transportada para </li></ul><ul><li>muito longe. </li></ul><ul><li>Então, em 1881, um cientista norueguês descobriu um fenómeno que ele </li></ul><ul><li>chamou de precipitação suja, o qual ocorria na costa oeste da Noruega, onde não </li></ul><ul><li>havia indústria poluidora. </li></ul><ul><li>Ele suspeitou que viesse da Grã-Bretanha. Hoje os cientistas provam, sem </li></ul><ul><li>sombra de dúvida, que a poluição é conduzida pelo ar a grandes distâncias. </li></ul><ul><li>Se alguma prova adicional fosse necessária, seria fornecida pelo acidente na </li></ul><ul><li>usina nuclear de Chernobyl, que produziu chuva radioactiva em áreas da Europa </li></ul><ul><li>Oriental e Ocidental. </li></ul><ul><li>Os efeitos dessa chuva radioactiva sobre o ambiente podem perdurar por </li></ul><ul><li>dezenas de anos. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Os países escandinavos reconheceram que a chuva ácida era uma das </li></ul><ul><li>causas principais da acidificação de seus lagos. </li></ul><ul><li>Muita pesquisa tem sido desenvolvida para mostrar as relações </li></ul><ul><li>significativas entre as precipitações de bióxido de enxofre e os danos </li></ul><ul><li>ambientais. </li></ul><ul><li>Aceitando essa evidência, a maioria dos países concorda em reduzir </li></ul><ul><li>suas emissões. </li></ul><ul><li>Alguns, entretanto, mostram muita má vontade e afirmam que são </li></ul><ul><li>necessárias evidências mais contundentes para provar se o bióxido de </li></ul><ul><li>enxofre causa de fato um grande malefício ao meio ambiente. </li></ul>
  25. 25. A QUE DISTÂNCIA A POLUIÇÃO PODE SER TRANSPORTADA?
  26. 26. A QUE DISTÂNCIA A POLUIÇÃO PODE SER TRANSPORTADA? <ul><li>Se vós olhar para a fumaça que sai de uma chaminé, verá que em poucos dias do ano ela sobe verticalmente. </li></ul><ul><li>Na maior parte das vezes ela se inclina, porque o ar ao redor da chaminé está em movimento. </li></ul><ul><li>Mesmo quando parece haver apenas uma brisa próxima ao solo, nas camadas mais altas o vento pode ser bem mais forte. </li></ul>
  27. 27. <ul><li>A poluição que sai das chaminés </li></ul><ul><li>é levada pelo vento. </li></ul><ul><li>Uma parte dela pode permanecer </li></ul><ul><li>no ar durante uma semana ou mais, </li></ul><ul><li>antes de se depositar no solo. </li></ul><ul><li>Nesse período ela pode ter </li></ul><ul><li>viajado muitos quilómetros. Mesmo </li></ul><ul><li>um vento fraco de 16 km/h poderia </li></ul><ul><li>transporta-la para além de 1600 </li></ul><ul><li>km em cinco dias. </li></ul><ul><li>Quanto mais a poluição </li></ul><ul><li>permanece na atmosfera, mais a </li></ul><ul><li>sua composição química se altera, </li></ul><ul><li>transformando-se num complicado </li></ul><ul><li>coquetel de poluentes que prejudica </li></ul><ul><li>o meio ambiente. </li></ul><ul><li>  </li></ul>Figura 2
  28. 28. <ul><li>As árvores funcionam normalmente como um </li></ul><ul><li>depósito para o gás carbónico, após absorve-lo, devolvem </li></ul><ul><li>à natureza os resíduos de oxigénio. </li></ul><ul><li>Mas quando são derramadas e queimadas, o carbono </li></ul><ul><li>que contem, assim poluentes gases => Bióxido de Carbono </li></ul><ul><li>- combustão de petróleo e de carbono, de incêndios </li></ul><ul><li>florestais, Clorofluorcarbono - usado em aerossóis, pela </li></ul><ul><li>indústrias de plásticos e em aparelhos de ar-condicionados </li></ul><ul><li>e refrigeradores, Metano - produzido pela actividade </li></ul><ul><li>agrícola, principalmente em lavouras de arroz e na criação </li></ul><ul><li>de gado. Óxido Nitroso - de indústrias de fertilizantes </li></ul><ul><li>químicos, queima de madeira e de combustíveis fósseis. </li></ul><ul><li>Se os homens quiserem realmente salvar o planeta o </li></ul><ul><li>primeiro passo é encontrar fontes alternativas e abolir </li></ul><ul><li>totalmente o petróleo, o petróleo é o maior causador do </li></ul><ul><li>efeito estufa e poluição do mundo. </li></ul>Figura 3
  29. 29. 3ª Parte Poluição dos Rios
  30. 30. Os rios <ul><li>Os rios são fonte de vida. </li></ul><ul><li>Desde a Antiguidade, suas águas são </li></ul><ul><li>essenciais para que as pessoas possam viver, </li></ul><ul><li>bebendo, banhando-se, navegando, além de </li></ul><ul><li>outras utilidades. </li></ul><ul><li>Mais recentemente, até mesmo energia </li></ul><ul><li>eléctrica é produzida pela força das quedas </li></ul><ul><li>de água dos rios, iluminando as cidades. </li></ul><ul><li>Um rio sem poluição é aquele em que os </li></ul><ul><li>peixes e as plantas crescem naturalmente, </li></ul><ul><li>tem águas limpas e cristalinas. </li></ul><ul><li>Sua água serve para regar plantações, </li></ul><ul><li>tomar banhos e também para beber. </li></ul><ul><li>Para um rio ser assim, é preciso que não </li></ul><ul><li>se jogue lixo, nem esgoto directamente nele. </li></ul>Figura 1
  31. 31. <ul><li>A poluição da água é a introdução de materiais químicos, físicos e </li></ul><ul><li>biológicos que estragam a qualidade da água e afecta o organismo dos </li></ul><ul><li>seres vivos. </li></ul><ul><li>Esse processo vai desde simples saquinhos de papel até os mais </li></ul><ul><li>perigosos poluentes tóxicos, como os pesticidas, metais pesados e </li></ul><ul><li>detergentes. </li></ul><ul><li>A poluição mais comum é aquela causada pelo lixo que o homem joga nos rios. </li></ul><ul><li>O crescimento das cidades e de sua população aumentaram os problemas, </li></ul><ul><li>porque o tratamento de esgotos e de fossas não conseguiu acompanhar o ritmo de </li></ul><ul><li>crescimento urbano. </li></ul><ul><li>Produtos químicos e sujeira dos esgotos são jogados directamente nos rios ou </li></ul><ul><li>afectam os lençóis de água que formam as nascentes. </li></ul><ul><li>O excesso de sujeira funciona como um escudo para a luz do sol, afectando o </li></ul><ul><li>leito dos rios e seu ciclo biológico. </li></ul><ul><li>Ou seja, as plantas e animais que nele vivem passam a sofrer problemas. </li></ul>
  32. 32. Rios Poluídos Figura 2
  33. 33. A Poluição dos Rios, A Vida das Pessoas e da Natureza <ul><li>Por exemplo: o nitrogénio e o </li></ul><ul><li>fósforo são elementos essenciais </li></ul><ul><li>para a vida aquática, mas o excesso </li></ul><ul><li>desses elementos, provocado pela </li></ul><ul><li>poluição, podem causam um </li></ul><ul><li>crescimento acelerado na vegetação </li></ul><ul><li>aquática. </li></ul><ul><li>Com isso, sobra menos oxigénio, </li></ul><ul><li>podendo até mesmo matar os peixes </li></ul><ul><li>daquele rio ou lagoa. </li></ul>Figura 3
  34. 34. <ul><li>Talvez mais perigosa do que o </li></ul><ul><li>lixo dos esgotos é a poluição </li></ul><ul><li>química das indústrias, que jogam </li></ul><ul><li>toneladas e mais toneladas de </li></ul><ul><li>produtos químicos directamente </li></ul><ul><li>nos rios, sem qualquer processo de </li></ul><ul><li>filtragem. </li></ul><ul><li>A exploração de ouro nos rios </li></ul><ul><li>da Amazónia, por exemplo, usa o </li></ul><ul><li>mercúrio para separar o ouro de </li></ul><ul><li>outros materiais. </li></ul><ul><li>Esse mercúrio, depois de usado, </li></ul><ul><li>é jogado directamente nos rios, </li></ul><ul><li>matando grande quantidade de </li></ul><ul><li>peixes e plantas. </li></ul><ul><li>Com isso, nem os seres vivos </li></ul><ul><li>dos rios podem sobreviver, nem o </li></ul><ul><li>homem pode usar a água para </li></ul><ul><li>beber, tomar banho ou regar </li></ul><ul><li>plantações. </li></ul>Figura 4
  35. 35. 4ª Parte Poluição do Mar
  36. 36. Poluição do Mar <ul><li>Não existem mistérios acerca da poluição dos mares. </li></ul><ul><li>O pior problema, actualmente, é o enorme despejo de esgoto não - tratado e de </li></ul><ul><li>efluentes industriais, sem qualquer preocupação com as possíveis consequências. </li></ul><ul><li>Isso foi dito por Stjepan Kecknes, director do Centro de Programas de Actividades </li></ul><ul><li>Oceânicas e Costeiras do PNUMA - Programa das Nações Unidas para o Meio </li></ul><ul><li>Ambiente -, cuja tarefa é auxiliar na limpeza dos mares do nosso planeta. </li></ul><ul><li>Oitenta e cinco por cento dos 20 bilhões de toneladas de material poluente </li></ul><ul><li>despejados anualmente nos oceanos provêm dos continentes. </li></ul><ul><li>Noventa por cento desse material permanece na área costeira, criando sérios </li></ul><ul><li>problemas ambientais e de saúde. </li></ul><ul><li>Neste capítulo, veremos como os mares se tornam poluídos e quais os prejuízos que </li></ul><ul><li>isso acarreta. </li></ul>
  37. 37. <ul><li>Em todo o mundo, grande quantidade de esgoto doméstico é despejado no </li></ul><ul><li>mar, mas somente uma parte é previamente tratada. </li></ul><ul><li>O oxigénio e as bactérias do mar ajudam bastante a neutralizar o </li></ul><ul><li>esgoto, tornando-o inofensivo e permitindo que seja usado por animais e </li></ul><ul><li>plantas. </li></ul><ul><li>Afinal de contas, o mar está repleto de animais que produzem detritos </li></ul><ul><li>durante todo o tempo. </li></ul><ul><li>Contudo, a quantidade de resíduos que pode ser despejada nele é </li></ul><ul><li>limitada. </li></ul>
  38. 38. Resíduos de fertilizantes fosfatados no Togo, oeste da África, são bombeados directamente no mar. É um método barato de se livrar deles, mas quanto o mar poderá recebê-los antes de começar a sofrer danos?
  39. 39. Resíduos de fertilizantes fosfatados no Togo, oeste da África, são bombeados directamente no mar. É um método barato de se livrar deles, mas quanto o mar poderá recebê-los antes de começar a sofrer danos? <ul><li>O número de pessoas que vivem em cidades litorâneas está crescendo em todo o </li></ul><ul><li>nosso planeta, e mais esgoto é produzido sem que o mar possa processá-lo. </li></ul><ul><li>Tecnicamente, tratar os esgotos antes de lançá-los no mar não é um problema, </li></ul><ul><li>mas custa caro. </li></ul><ul><li>As nações em desenvolvimento, em particular, ressentem-se da falta de </li></ul><ul><li>recursos financeiros para construir estações de tratamento em número suficiente. </li></ul><ul><li>No Sudeste Asiático, onde essas estações são poucas, o problema é mais sério </li></ul><ul><li>ainda. </li></ul><ul><li>Mesmo as nações ricas frequentemente relutam em gastar dinheiro com estações </li></ul><ul><li>de tratamento e, assim, os esgotos acabam sendo lançados nas praias, o que não é </li></ul><ul><li>somente desagradável, mas constitui um grave risco para a saúde. </li></ul>
  40. 40. <ul><li>O gráfico mostra como os </li></ul><ul><li>resíduos agrícolas passam para os </li></ul><ul><li>regatos e rios, seguindo o seu </li></ul><ul><li>caminho até o mar. </li></ul>Figura 1
  41. 41. <ul><li>Muitas cidades do mundo são densamente povoadas e possuem indústrias </li></ul><ul><li>pesadas. </li></ul><ul><li>Uma grande quantidade de despejos industriais é lançada directamente </li></ul><ul><li>no mar ou chega até ele através dos rios nos quais é despejado. </li></ul><ul><li>Enquanto o esgoto doméstico é orgânico e pode ser reciclado pelo mar, </li></ul><ul><li>grande parte do esgoto industrial é inorgânica, não se decompondo </li></ul><ul><li>facilmente e permanecendo inalterada. </li></ul><ul><li>Gradualmente, esses dois tipos de esgotos se somam, causando cada vez </li></ul><ul><li>mais poluição. </li></ul><ul><li>Mais de 100 mil produtos químicos diferentes têm como destino final o </li></ul><ul><li>mar e, com frequência, ninguém sabe quais serão as consequências. </li></ul><ul><li>A maior parte permanece nas águas costeiras, porém, como o oceano é </li></ul><ul><li>um vasto sistema móvel, os compostos químicos vão lentamente se </li></ul><ul><li>espalhando por ele. </li></ul><ul><li>Ainda não se sabe como esses produtos afectam a vida marinha. </li></ul>
  42. 42. <ul><li>Nem todos os resíduos originam-se directamente das indústrias. </li></ul><ul><li>Muitos produtos químicos provêm das casas e são despejados no sistema de </li></ul><ul><li>esgoto. </li></ul><ul><li>As chuvas carregam o óleo, a graxa e outras sujeiras das estradas, veículos e </li></ul><ul><li>construções para os rios e deles para o mar. </li></ul><ul><li>Além disso, a chuva que cai no mar está contaminada com poluentes atmosféricos </li></ul><ul><li>oriundos das chaminés das fábricas, das unidades de aquecimento central e dos </li></ul><ul><li>escarpamentos dos veículos. </li></ul><ul><li>Quando o petróleo é derramado no oceano, forma uma mancha perigosa para os </li></ul><ul><li>animais que vêm à superfície, como pássaros, focas e baleias. </li></ul><ul><li>Os vazamentos de petróleo causam grande devastação no litoral. </li></ul><ul><li>Em 1980, 50 mil aves marinhas morreram no estreito de Skaggerak, entre a </li></ul><ul><li>Suécia e a Dinamarca, como resultado de um único vazamento de petróleo: quando elas </li></ul><ul><li>tentavam limpar suas penas com o bico para remover o óleo, envenenavam-se. </li></ul><ul><li>Poucas foram salvas e voltaram à sua vida natural. </li></ul><ul><li>Uma vez limpo o mar, as populações podem se reconstituir em poucos anos, porém </li></ul><ul><li>o sofrimento causado pela poluição é muito perturbador. </li></ul>
  43. 43. <ul><li>Lixo Radiactivo: O tratamento do lixo radioactivo necessita de uma atenção </li></ul><ul><li>especial, porque a radioactividade pode causar câncer e alterar o desenvolvimento dos </li></ul><ul><li>seres vivos. </li></ul><ul><li>Alguns desses resíduos precisam ser guardados com segurança por muitos e muitos </li></ul><ul><li>anos. </li></ul><ul><li>Antigamente, o mar era considerado o lugar ideal para se despejar um tipo de lixo, </li></ul><ul><li>pois se achava que ninguém poderia ser prejudicado. Hoje, porém, sabe-se que não é </li></ul><ul><li>assim. </li></ul><ul><li>O Mar da Irlanda foi afectado de modo diferente: a água contendo pequenas </li></ul><ul><li>quantidades de material radioactivo da usina de processamento nuclear de Sellafield </li></ul><ul><li>está sendo despejada por um tubo dentro desse mar, prática que o tornou o mais </li></ul><ul><li>radioactivo do mundo. </li></ul><ul><li>O governo irlandês está pressionando para que a usina seja fechada, pois, segundo </li></ul><ul><li>ele, o aumento dessa radiação no mar é a causa da elevação, acima do normal, dos </li></ul><ul><li>casos de câncer em algumas comunidades costeiras. </li></ul><ul><li>Mais recentemente, descobriu-se que grandes bolhas de ar que vêm à superfície </li></ul><ul><li>contêm plutônio oriundo de Sellafield. </li></ul><ul><li>Esse elemento passa do fundo do mar para a atmosfera, de onde pode ser impelido </li></ul><ul><li>para a terra. </li></ul>
  44. 44. O grupo ambientalista Greenpeace atormentou navios que jogavam lixo radioactivo no mar, em 1982. Isso gerou muita publicidade e fez com que esse despejo fosse proibido.
  45. 45. O grupo ambientalista Greenpeace atormentou navios que jogavam lixo radioactivo no mar, em 1982. Isso gerou muita publicidade e fez com que esse despejo fosse proibido. <ul><li>Os bifenóis policlorados são produtos químicos complexos usados na indústria </li></ul><ul><li>eléctrica. </li></ul><ul><li>Podem tornar-se extremamente perigosos se penetrarem na atmosfera, por isso </li></ul><ul><li>seu uso está sendo reduzido. </li></ul><ul><li>Contudo, eles atingiram o ambiente marinho e agora são encontrados no corpo de </li></ul><ul><li>muitos animais. </li></ul><ul><li>Cinco toneladas e meia de PCB, da aparelhagem eléctrica da plataforma de </li></ul><ul><li>perfuração Pires Alpha, podem estar agora no Mar do Norte, depois do terrível </li></ul><ul><li>acidente ocorrido em julho de 1988, que a destruiu. </li></ul><ul><li>Quando é absorvido por um animal, o PCB não é eliminado de seu corpo, </li></ul><ul><li>permanecendo nele. </li></ul><ul><li>A cada nível mais elevado na cadeia alimentar, este se torna mais concentrado. </li></ul>
  46. 46. <ul><li>Esse produto químico pode reduzir a resistência do corpo a doenças, diminuir a capacidade de aprendizagem das crianças, danificar o sistema nervoso central, causar câncer e afectar os fetos. </li></ul><ul><li>O Estado de Nova Iorque tem gasto 27 milhões de dólares para limpar 12 km que se estendem pelo Rio Hudson, onde começa a contaminação pelos PCB, devido aos riscos a que as pessoas estão sujeitas. </li></ul><ul><li>O plâncton é a base de muitas cadeias alimentares. </li></ul><ul><li>Se for atingido pela poluição, os efeitos poderão estender-se até o último elo dessas cadeias. </li></ul>
  47. 47. Isto é apenas um agulha em um palheiro que o homem jogo nos rios, nascentes e mares,  97% de todo o Planeta já esta contaminado, conseguiremos com certeza bater o Recorde em 100% de poluição total, viva a inteligência desse ser, que com certeza não originou deste planeta, se pertence-se a natureza deste planeta azul não o destruiria, observe bem a natureza não destrui ela própria. Acredito que o homem branco deve ter vindo de uma civilização talvez de um planeta já consumido e sem vida.
  48. 48. Fim !

×