Apostila Contabilidade Custos Em
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Apostila Contabilidade Custos Em

on

  • 14,673 views

 

Statistics

Views

Total Views
14,673
Views on SlideShare
14,624
Embed Views
49

Actions

Likes
4
Downloads
678
Comments
1

1 Embed 49

http://www.slideshare.net 49

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apostila Contabilidade Custos Em Presentation Transcript

  • 1. Contabilidade de Custos
  • 2. Eliseu Martins Welington Rocha Contabilidade de Custos Manual do Professor 6a Edição (Compatível com a 9 edição do livro-texto) a SÃO PAULO EDITORA ATLAS S.A. – 2003
  • 3. © 1977 by EDITORA ATLAS S.A. 1. ed. 1978; 2. ed. 1980; 3. ed. 1987; 4. ed. 1990; 5. ed. 1996; 6. ed. 2003 Composição: Formato Serviços de Editoração S/C Ltda. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP Brasil) , Martins, Eliseu, 1945- Contabilidade de custos: manual do professor / Eliseu Martins; Welington Rocha. — 6. ed. — São Paulo : Atlas, 2003. Bibliografia. 1. Contabilidade de custos 2. Contabilidade de custos – Problemas, exercí- cios etc. I. Título. 90-0204 CDD-657.42076 -657.42076 Índices para catálogo sistemático: 1. Contabilidade de custos 657.42 2. Custos : Contabilidade 657.42 3. Exercícios : Contabilidade de custos 657.42076 4. Problemas : Contabilidade de custos 657.42076 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS – É proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma ou por qualquer meio. A violação dos direitos de autor (Lei no 9.610/98) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal. Depósito legal na Biblioteca Nacional conforme Decreto no 1.825, de 20 de dezembro de 1907. Impresso no Brasil/Printed in Brazil
  • 4. Sumário Prefácio à 6a edição, 7 1 A Contabilidade de Custos, a Contabilidade Financeira e a Contabilidade Gerencial, 9 2 Terminologia Contábil Básica, 11 3 Princípios Contábeis Aplicados a Custos, 14 4 Algumas Classificações e Nomenclaturas de Custos, 16 5 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (I), 25 6 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (II) – Departamentalização, 37 7 Critério de Rateio dos Custos Indiretos, 51 8 Custeio Baseado em Atividades (ABC) – Abordagem Inicial, 57 9 Aplicação de Custos Indiretos de Produção, 68 10 Materiais Diretos, 73 11 Mão-de-obra Direta, 81 12 Problemas Especiais da Produção por Ordem: Custeio de Ordens e de Encomendas, 86 13 Problemas Especiais da Produção Contínua: Custeio por Processo, 93 14 Produção Conjunta e Problemas Fiscais na Avaliação de Estoques Industriais, 103 15 Custo Fixo, Lucro e Margem de Contribuição, 107 16 Margem de Contribuição e Limitações na Capacidade de Produção, 117 17 Custeio Variável, 124 18 Margem de Contribuição, Custos Fixos Identificados e Retorno sobre o Investimento, 137 19 Fixação do Preço de Venda e Decisão sobre Compra ou Produção, 156 20 Custos Imputados e Custos Perdidos, 165
  • 5. 21 Alguns Problemas Especiais: Custos de Reposição e Mão-de-obra Direta como Custo Variável, 170 22 Relação Custo/Volume/Lucro – Considerações Iniciais, 176 23 Considerações Adicionais sobre Custo/Volume/Lucro, 186 24 Custeio Baseado em Atividades (ABC) – Abordagem Gerencial e Gestão Estratégica de Custos, 196 25 Controle, Custos Controláveis e Custos Estimados, 203 26 Custo-padrão, 207 27 Análise das Variações de Materiais e Mão-de-obra, 210 28 Análise das Variações de Custos Indiretos, 217 29 Contabilização do Custo-padrão – o Problema da Inflação, 222 30 Implantação de Sistemas de Custos, 230 6
  • 6. Prefácio à 6a Edição Este Manual do Professor traz as soluções completas de todos os exercícios pro- postos no livro-texto e no de exercícios; em alguns casos são oferecidas sugestões de questões adicionais, isto é, que não constam do Livro de Exercícios. Oferece ainda um problema extra por capítulo (com a solução), para ser utiliza- do a critério do professor como exercício em sala, para casa ou mesmo como prova. Além disso, como a maior novidade é a informatização, os professores terão aces- so, por meio da Internet, a slides em powerpoint e exemplo ilustrativo da matéria trata- da em cada capítulo. O objetivo é que esse material seja utilizado como apoio em suas aulas. A partir desta edição, o Prof. Welington Rocha, a quem muito agradeço por sua co- laboração ao longo de já vários anos, passa a figurar como co-autor deste manual. Eliseu Martins
  • 7. 1 A Contabilidade de Custos, a Contabilidade Financeira e a Contabilidade Gerencial SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO F, V, V, F, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 1.1 1. Alternativa correta: D 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: B 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: C SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 1.2 1. Alternativa correta: D 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: C 4. Alternativa correta: B SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 1.3 F, V, V, F, F SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 1.4 V, F, F, V, V
  • 8. EXERCÍCIO EXTRA Assinalar Falso (F) ou Verdadeiro (V): ( ) Após a Revolução Industrial, no século XVIII, a Contabilidade adaptou às empresas industriais os mesmos conceitos utilizados nas comerciais. ( ) A Auditoria Independente criou princípios contábeis totalmente diferentes daqueles utilizados na Contabilidade. ( ) O custo de um produto é composto pelo custo dos fatores utilizados, consu- midos ou transformados para sua obtenção. ( ) A forma de valoração de estoques desenvolvida pela Contabilidade de Cus- tos foi abandonada, já que feria os Princípios Fundamentais de Contabilida- de. ( ) Devido ao crescimento das empresas e mercados, a Contabilidade de Custos passou a ser vista como uma importante forma de auxílio em questões gerenciais. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA V, F, V, F, V 10
  • 9. 2 Terminologia Contábil Básica SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO I C ou D C C ou D D I C ou D D D CeD C I P P C P D RR D – SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 2.1 F, F, F, V, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 2.2 F, F, F, V, V
  • 10. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 2.3 I C C ou D C C ou D I C ou D C D C C ou D C, D ou P D D C ou D C CeD D P P SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 2.4 I C ou D C ou D C ou D D I C ou D D D CeD C I P P C P D D C ou D C 12
  • 11. EXERCÍCIO EXTRA Classificar os itens a seguir em Investimento (I), Custo (C), Despesa (D) ou Perda (P), seguindo a terminologia contábil ortodoxa (“contabilês”): ( ) Compra de matéria-prima, em uma metalúrgica ( ) Consumo de energia elétrica, numa metalúrgica ( ) Mão-de-obra ( ) Consumo de combustível em veículos ( ) Conta mensal de telefone ( ) Aquisição de equipamentos ( ) Depreciação do equipamento central, em uma empresa de telefonia ( ) Tempo ocioso (remunerado) ( ) Consumo de materiais diversos na Administração ( ) Pessoal da Contabilidade (salário) ( ) Honorário da Administração ( ) Honorário do Diretor Técnico, em uma empresa de telefonia ( ) Depreciação do prédio da Sede da Empresa ( ) Deterioração do estoque de materiais por enchente ( ) Tempo do pessoal em greve prolongada (remunerado) ( ) Sucata no processo produtivo (desperdício no processo industrial) ( ) Lote de material danificado acidentalmente em uma operação industrial ( ) Gastos com desenvolvimento de novos produtos (P&D) ( ) Gastos com treinamento e desenvolvimento de funcionários ( ) Orelhões depredados, em uma empresa de telefonia SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA I C ou D C ou D D C ou D I C C, D ou P D D D C D P P C P D D C 13
  • 12. 3 Princípios Contábeis Aplicados a Custos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO V, F, V, F, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 3.1 1. Alternativa correta: B 2. Alternativa correta: B 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: D 5. Alternativa correta: E SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 3.2 1. Alternativa correta: B 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: A SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 3.3 1. Alternativa correta: D 2. Alternativa correta: B 3. Alternativa correta: C 4. Alternativa correta: A 5. Alternativa correta: E
  • 13. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 3.4 F, F, V, V, F EXERCÍCIO EXTRA Assinalar Falso (F) ou Verdadeiro (V), à luz dos Princípios Fundamentais de Con- tabilidade: ( ) O registro dos encargos financeiros deve ser tratado na Contabilidade como despesa, não como custo. ( ) O Custeio por Absorção deriva da aplicação dos Princípios de Contabilidade Geralmente Aceitos. ( ) Os encargos financeiros são custos de produção, já que podem ser identifi- cados com financiamento de matérias-primas ou outros fatores de produção. ( ) Gastos relacionados ao processo de produção são despesas. ( ) Em períodos de alta inflação deve-se, nas compras a prazo, separar o que é valor efetivo de compra do que é encargo financeiro embutido pelo prazo negociado. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA V, V, F, F, V 15
  • 14. 4 Algumas Classificações e Nomenclaturas de Custos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Custo de produção do mês (em $): MATERIAL DIRETO (MAT.) Estoque Inicial de Matéria-Prima 120.000 (+) Compras de Matéria-Prima 500.000 (–) Devolução de 20% das Compras (100.000) Custo do Material Direto Disponível 520.000 (–) Estoque Final de Matéria-Prima 0 Custo do Material Direto Consumido 520.000 DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DE PRODUÇÃO DO MÊS Material Direto Disponível 520.000 (–) Estoque Final de Materiais Diretos 0 Material Direto Consumido 520.000 (+) Mão-de-Obra Direta 600.000 (+) Custos Indiretos de Produção 400.000 CUSTO DE PRODUÇÃO DO MÊS 1.520.000 b) Custo da produção acabada no mês (em $): DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 180.000 (+) Custo da Produção do Período 1.520.000 Custo Total de Produção 1.700.000 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração 0 CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA NO MÊS 1.700.000
  • 15. c) Custo da produção vendida no mês (em $): DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS Estoque Inicial de Produtos Acabados 0 (+) Custo da Produção Acabada no Período 1.700.000 Custo dos Produtos Acabados Disponíveis 1.700.000 (–) Estoque Final de Produtos Acabados (200.000) CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS NO MÊS 1.500.000 DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS Estoque Inicial de Materiais Diretos 120.000 (+) Compras de Materiais Diretos 500.000 (–) Devolução de 20% da Compra de Matéria-Prima (100.000) Material Direto Disponível 120.000 (–) Estoque Final de Materiais Diretos 0 Material Direto Consumido 520.000 (+) Mão-de-Obra Direta 600.000 (+) Custos Indiretos de Produção 400.000 CUSTO DA PRODUÇÃO DO PERÍODO (CPP) 1.520.000 (+) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 180.000 Custo Total de Produção 1.700.000 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração 0 CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA (CPA) 1.700.000 (+) Estoque Inicial de Produtos Acabados 0 Custo dos Produtos Disponíveis 1.700.000 (–) Estoque Final de Produtos Acabados (200.000) CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS (CPV) 1.500.000 17
  • 16. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 4.1 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Receita Bruta = Receita Líquida 2.400 Estoque Inicial de Matéria-Prima 300 (+) Compras de Matéria-Prima 720 Matéria-Prima Disponível 1.020 Estoque Final de Matéria-Prima (420) Matéria-Prima Consumida 600 Mão-de-Obra Direta 600 Custos Indiretos de Produção 480 CUSTO DE PRODUÇÃO DO PERÍODO 1.680 Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 240 Estoque Final de Produtos em Elaboração (300) CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA 1.620 Estoque Inicial de Produtos Acabados 360 Produtos Acabados Disponíveis para Venda 1.980 Estoque Final de Produtos Acabados (198) CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS 1.782 (1.782) LUCRO BRUTO 618 (–) Despesas Administrativas (120) Despesas Comerciais (150) LUCRO ANTES DAS DESPESAS FINANCEIRAS 348 (–) Despesas Financeiras (70) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) 278 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 4.2 a) Estoque final dos produtos acabados (em $): CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO (CIP) Supervisão Geral da Fábrica 17.000 Depreciação dos Equipamentos 10.000 Aluguel do Galpão 2.400 Energia Elétrica 5.600 CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO 35.000 18
  • 17. DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS Material Direto Consumido 28.000 (+) Mão-de-Obra Direta 21.000 (+) Custos Indiretos de Produção 35.000 CUSTO DA PRODUÇÃO DO PERÍODO (CPP) 84.000 (+) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 0 Custo Total de Produção 84.000 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração 0 CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA (CPA) 84.000 (+) Estoque Inicial de Produtos Acabados 0 Custo dos Produtos Disponíveis 84.000 (–) Estoque Final de Produtos Acabados (6.000) CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS (CPV) 78.000 Custo dos Produtos Disponíveis $ 84.000 EFPAC = = = $ 6,00/un. Volume Produzido 14.000 un. EFPAC = $ 6,00/un. × 1.000 un. = $ 6.000 b) Lucro antes do imposto de renda (em $): Receita = $ 9,50/un.× 13.000 unidades vendidas = $ 123.500 Comissões = $ 0,75/un.× 13.000 unidades vendidas = $ 9.750 Frete = $ 0,15/un.× 13.000 unidades vendidas = $ 1.950 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS RECEITA LÍQUIDA 123.500 (–) Custo dos Produtos Vendidos (78.000) LUCRO BRUTO 45.500 (–) Despesas Administrativas (8.000) Comissão sobre Vendas (9.750) Frete para Entregar Produtos Vendidos (1.950) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) 25.800 19
  • 18. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 4.3 CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO (CIP) Aluguel da Fábrica 3.000 (+) Supervisão da Fábrica 9.000 Custos Indiretos de Produção 12.000 DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DE PRODUÇÃO DO MÊS Material Direto Consumido 36.000 (+) Mão-de-Obra Direta 24.000 (+) Custos Indiretos de Produção 12.000 CUSTO DE PRODUÇÃO DO MÊS 72.000 DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 0 (+) Custo da Produção do Período 72.000 Custo Total de Produção 72.000 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração 0 CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA NO MÊS 72.000 a) Demonstração de resultados (em $): DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS RECEITA BRUTA = RECEITA LÍQUIDA 0 (–) Custo dos Produtos Vendidos 0 LUCRO BRUTO 0 (–) Despesas Administrativas (8.000) Despesas Comerciais 0 LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) (8.000) b) Balanço patrimonial (em $): BALANÇO PATRIMONIAL Do período de 2-1-X1 a 31-1-X1 ATIVO PASSIVO + PL Circulante Patrimônio Líquido Caixa 20.000 Capital 100.000 Estoque Prejuízo Acumulado (8.000) Produtos Acabados 72.000 92.000 92.000 TOTAL (ATIVO) 92.000 TOTAL (P + PL) 92.000 20
  • 19. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 4.4 a) Custo de produção do mês (em $): MATERIAL DIRETO (MAT.) Estoque Inicial de Matéria-Prima 5.000 (+) Compras de Matéria-Prima 12.000 Custo do Material Direto Disponível 17.000 (–) Estoque Final de Matéria-Prima (7.000) Custo do Material Direto Consumido 10.000 DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DE PRODUÇÃO DO MÊS Material Direto Disponível 17.000 (–) Estoque Final de Materiais Diretos (7.000) Material Direto Consumido 10.000 (+) Mão-de-Obra Direta 10.000 (+) Custos Indiretos de Produção 8.000 CUSTO DE PRODUÇÃO DO MÊS 28.000 b) Custo da produção acabada no mês (em $): DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 4.000 (+) Custo da Produção do Período 28.000 Custo Total de Produção 32.000 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração (5.000) CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA NO MÊS 27.000 c) Estoque final de produtos acabados (em $): Estoque Inicial de Produtos Acabados 6.000 (+) Custo da Produção Acabada no Período 27.000 Custo dos Produtos Acabados Disponíveis 33.000 EFPAC = 20% dos Produtos Acabados Disponíveis = 20% de 33.000 = 6.600 21
  • 20. d) Custo da produção vendida no mês (em $): DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS Estoque Inicial de Materiais Diretos 5.000 (+) Compras de Materiais Diretos 12.000 Material Direto Disponível 17.000 (–) Estoque Final de Materiais Diretos (7.000) Material Direto Consumido 10.000 (+) Mão-de-Obra Direta 10.000 (+) Custos Indiretos de Produção 8.000 CUSTO DA PRODUÇÃO DO PERÍODO (CPP) 28.000 (+) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 4.000 Custo Total de Produção 32.000 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração (5.000) CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA (CPA) 27.000 (+) Estoque Inicial de Produtos Acabados 6.000 Custo dos Produtos Disponíveis 33.000 (–) Estoque Final de Produtos Acabados (6.600) CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS (CPV) 26.400 e) Lucro bruto (em $): DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS RECEITA BRUTA = RECEITA LÍQUIDA 40.000 (–) Custo dos Produtos Vendidos (26.400) LUCRO BRUTO 13.600 f) Lucro antes do imposto de renda (em $): DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS RECEITA BRUTA = RECEITA LÍQUIDA 40.000 (–) Custo dos Produtos Vendidos (26.400) LUCRO BRUTO 13.600 (–) Despesas Administrativas (2.000) Despesas Comerciais (2.500) LUCRO ANTES DAS DESPESAS FINANCEIRAS 9.100 (–) Despesas Financeiras (1.500) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) 7.600 22
  • 21. EXERCÍCIO EXTRA Dos livros da empresa Cosmopolitec foram extraídos os seguintes dados, relati- vos ao período findo em 31 de dezembro de 20X0 (em $): Inventários 1o jan. 31 dez. Matérias-Primas 340 710 Produtos em Processo 8.200 400 Produtos Acabados 4.560 4.180 Eventos Receita Líquida de Vendas 32.000 Compra de Matérias-Primas 9.000 Frete sobre Compras de Matéria-Prima 45 Mão-de-Obra Direta 6.200 Mão-de-Obra Indireta 5.000 Depreciação Equipamentos de Produção 2.925 Diversos Custos de Produção 2.004 Salários do Pessoal de Vendas e Marketing 2.800 Fretes sobre Vendas de Produtos Acabados 190 Diversas Despesas de Vendas e Marketing 1.150 Diversas Despesas de Administração Geral 870 Salários do Pessoal da Administração Geral 2.500 Havia 600 unidades no inventário de produtos acabados em 1o jan. e 500 em 31 dez. Considerando-se o preço unitário de venda de $ 8, PEDE-SE PARA CALCULAR: a) o Custo dos Produtos Vendidos (CPV); b) o Custo Unitário dos Produtos Acabados no Período; e c) o Lucro (ou prejuízo) Antes do Imposto de Renda (LAIR). 23
  • 22. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Custo da produção vendida no mês (em $): DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS Estoque Inicial de Matéria-Prima 340 (+) Compras de Matéria-Prima 9.000 Frete sobre a Compra de Matéria-Prima 45 Custo do Material Direto Disponível 9.385 (–) Estoque Final de Matéria-Prima (710) Custo do Material Direto Consumido 8.675 (+) Mão-de-Obra Direta 6.200 (+) Custos Indiretos de Produção 9.929 CUSTO DA PRODUÇÃO DO PERÍODO (CPP) 24.804 (+) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 8.200 Custo Total de Produção 33.004 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração (400) CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA (CPA) 32.604 (+) Estoque Inicial de Produtos Acabados 4.560 Custo dos Produtos Disponíveis 37.164 (–) Estoque Final de Produtos Acabados (4.180) CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS (CPV) 32.984 b) Custo unitário dos produtos acabados: Produção Acabada e Vendida: $ 32.000/$ 8/un. = 4.000 un. (–) Estoque Inicial dos Produtos Acabados: (600) (+) Estoque Final dos Produtos Acabados: 500 Produção do Período (em unidades) 3.900 $ 32.604 Custo Unitário dos Produtos Acabados: = $ 8,36/un. 3.900 un. c) Lucro antes do imposto de renda (em $): DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS RECEITA BRUTA = RECEITA LÍQUIDA 32.000 (–) Custo dos Produtos Vendidos (32.984) LUCRO BRUTO (984) (–) Despesas Administrativas: Salários do Pessoal (2.500) Diversas Despesas (870) (3.370) (–) Despesas de Vendas: Salários do Pessoal (2.800) Diversas Despesas (1.150) Frete para Entregar Produtos (190) (4.140) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) (8.494) 24
  • 23. 5 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (I) SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO I. Matéria-Prima: Volume de Custo Produtos Produção Unitário Total Sabão em Pó 12.000 kg $ 2/kg $ 24.000 Sabão Líquido 8.000 kg $ 2/kg $ 16.000 20.000 kg $ 40.000 II. Mão-de-Obra Direta (inclui encargos sociais) no período: Volume de Custo Produtos Produção Unitário Total Sabão em Pó 6.000 h $ 5/kg $ 30.000 Sabão Líquido 3.000 h $ 5/kg $ 15.000 9.000 h $ 45.000 III. Depreciação: Vida útil do equipamento: 400.000 kg de matéria-prima processada Valor de aquisição: $ 320.000 Depreciação por kg de matéria-prima processada: $ 0,8/kg Volume de Custo Produtos Produção Unitário Total Sabão em Pó 12.000 kg $ 0,8/kg $ 9.600 Sabão Líquido 8.000 kg $ 0,8/kg $ 6.400 20.000 kg $ 16.000
  • 24. IV. Base de Rateio por Tempo (h) ou Custo ($) de MOD: l Custo Indireto de Produção: $ 24.000 Produtos MOD % $ Sabão em Pó (18 min/cx × 20.000 cx)/60 min = 6.000 h 66,67% 16.000 Sabão Líquido (11,25 min/cx × 16.000 cx)/60 min = 3.000 h 33,33% 8.000 9.000 h 100% 24.000 a) Custo total de cada produto (em $/un.): Sabão Sabão em pó líquido Total CUSTOS DIRETOS 63.600 37.400 101.000 Matéria-Prima 24.000 16.000 40.000 Mão-de-Obra Direta 30.000 15.000 45.000 Depreciação 9.600 6.400 16.000 CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO (CIP) 16.000 8.000 24.000 CUSTO TOTAL $ 79.600 $ 45.400 $ 125.000 b) Custo unitário de cada produto (em $): Sabão em pó Sabão líquido Custo Total $ 79.600 $ 45.400 Volume 20.000 caixas 16.000 frascos CUSTO UNITÁRIO $ 3,98/cx $ 2,8375/frasco SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 5.1 V, F, F, V, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 5.2 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: E 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: C 6. Alternativa correta: C 26
  • 25. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 5.3 I. Base de Rateio por Tempo (h) ou Custo ($) de MOD: l Supervisão Geral da Fábrica: $ 2.880.000 Produtos MOD % $ X 1,0 hh/un. × 50.000 un. = 50.000 hh 31,25 900.000 Y 2,0 hh/un. × 30.000 un. = 60.000 hh 37,50 1.080.000 Z 2,5 hh/un. × 20.000 un. = 50.000 hh 31,25 900.000 160.000 hh 100% 2.880.000 l Aluguel da Fábrica: $ 600.000 Produtos MOD % $ X 1,0 hh/un. × 50.000 un. = 50.000 hh 31,25 187.500 Y 2,0 hh/un. × 30.000 un. = 60.000 hh 37,50 225.000 Z 2,5 hh/un. × 20.000 un. = 50.000 hh 31,25 187.500 160.000 hh 100% 600.000 II. Base de Rateio por Tempo (h) ou Custo ($) de Máquinas: l Consumo de Lubrificantes nos Equipamentos de Produção: $ 350.000 Produtos Máquinas % $ X 0,60 hm/un. × 50.000 un. = 30.000 hm 20 70.000 Y 1,50 hm/un. × 30.000 un. = 45.000 hm 30 105.000 Z 3,75 hm/un. × 20.000 un. = 75.000 hm 50 175.000 150.000 hm 100% 350.000 l Manutenção Preventiva de Máquinas Comuns de Produção: $ 500.000 Produtos Máquinas % $ X 0,60 hm/un. × 50.000 un. = 30.000 hm 20 100.000 Y 1,50 hm/un. × 30.000 un. = 45.000 hm 30 150.000 Z 3,75 hm/un. × 20.000 un. = 75.000 hm 50 250.000 150.000 hm 100% 500.000 l Depreciação de Equipamentos de Produção: $ 300.000 Produtos Máquinas % $ X 0,60 hm/un. × 50.000 un. = 30.000 hm 20 60.000 Y 1,50 hm/un. × 30.000 un. = 45.000 hm 30 90.000 Z 3,75 hm/un. × 20.000 un. = 75.000 hm 50 150.000 150.000 hm 100% 300.000 27
  • 26. l Seguro dos Equipamentos de Produção: $ 340.000 Produtos Máquinas % $ X 0,60 hm/un. × 50.000 un. = 30.000 hm 20 68.000 Y 1,50 hm/un. × 30.000 un. = 45.000 hm 30 102.000 Z 3,75 hm/un. × 20.000 un. = 75.000 hm 50 170.000 150.000 hm 100% 340.000 III. Consumo de Matéria-Prima: $ 7.000.000 Produtos Volume de produção % $ X 50.000 un. 50 3.500.000 Y 30.000 un. 30 2.100.000 Z 20.000 un. 20 1.400.000 100.000 un. 100% 7.000.000 IV. Base de Rateio por Tempo (h) ou Custo ($) de MAT: l Supervisão do Almoxarifado de Matéria-Prima: $ 1.440.000 Produtos Matéria-prima % $ X 3.500.000 50 720.000 Y 2.100.000 30 432.000 Z 1.400.000 20 288.000 7.000.000 100% 1.440.000 V. Mão-de-Obra Direta (inclui encargos sociais) no período: $ 6.000.000 Produtos MOD % $ X 1,0 hh/un. × 50.000 un. = 50.000 hh 31,25 1.875.000 Y 2,0 hh/un. × 30.000 un. = 60.000 hh 37,50 2.250.000 Z 2,5 hh/un. × 20.000 un. = 50.000 hh 31,25 1.875.000 160.000 hh 100% 6.000.000 VI. Energia elétrica consumida na produção: $ 790.000 Produtos Máquinas % $ X 0,60 hm/un. × 50.000 un. = 30.000 hm 20 158.000 Y 1,50 hm/un. × 30.000 un. = 45.000 hm 30 237.000 Z 3,75 hm/un. × 20.000 un. = 75.000 hm 50 395.000 150.000 hm 100% 790.000 28
  • 27. VII. Vendas: $ 25.100.000 Produtos Preço ($/un.) Volume de vendas (un.) Receita ($) X 270 40.000 10.800.000 Y 350 18.000 6.300.000 Z 500 16.000 8.000.000 25.100.000 1. a) Custo Total de cada Produto (em $): X Y Z CUSTOS DIRETOS 5.533.000 4.587.000 3.670.000 Matéria-Prima 3.500.000 2.100.000 1.400.000 Mão-de-Obra Direta 1.875.000 2.250.000 1.875.000 Energia Elétrica 158.000 237.000 395.000 CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO (CIP) 2.105.500 2.184.000 2.120.500 Consumo de Lubrificantes 70.000 105.000 175.000 Supervisão Geral da Fábrica 900.000 1.080.000 900.000 Aluguel da Fábrica 187.500 225.000 187.500 Manutenção Preventiva 100.000 150.000 250.000 Supervisão do Almoxarifado 720.000 432.000 288.000 Depreciação de Equipamentos 60.000 90.000 150.000 Seguro dos Equipamentos 68.000 102.000 170.000 CUSTO TOTAL $ 7.638.500 $ 6.771.000 $ 5.790.500 b) Custo Unitário de cada Produto (em $): X Y Z Custo Total $ 7.638.500 $ 6.771.000 $ 5.790.500 Volume 50.000 30.000 20.000 CUSTO UNITÁRIO $ 152,77/un. $ 225,70/un. $ 289,525/un. c) Custo dos Produtos Vendidos (CPV) (em $): d) Estoque Final dos Produtos Acabados (em $): X Y Z Total Custo dos Produtos Vendidos (CPV) 6.110.800 4.062.600 4.632.400 14.805.800 Estoque Final dos Produtos Acabados 1.527.700 2.708.400 1.158.100 5.394.200 29
  • 28. 2. a) Custo Direto Total de cada Produto (em $): Custos diretos X Y Z Matéria-Prima 3.500.000 2.100.000 1.400.000 Mão-de-Obra Direta 1.875.000 2.250.000 1.875.000 Energia Elétrica 158.000 237.000 395.000 TOTAL $ 5.533.000 $ 4.587.000 $ 3.670.000 b) Mapa de Rateio dos Custos Indiretos de Produção (em $): Custos indiretos de produção X Y Z Consumo de Lubrificantes 70.000 105.000 175.000 Supervisão Geral da Fábrica 900.000 1.080.000 900.000 Aluguel da Fábrica 187.500 225.000 187.500 Manutenção Preventiva 100.000 150.000 250.000 Supervisão do Almoxarifado 720.000 432.000 288.000 Depreciação de Equipamentos 60.000 90.000 150.000 Seguro dos Equipamentos 68.000 102.000 170.000 TOTAL $ 2.105.500 $ 2.184.000 $ 2.120.500 c) Demonstração de Resultados do Período: Demonstração de Resultados (em $) X Y Z Total Vendas Líquidas 10.800.000 6.300.000 8.000.000 25.100.000 (–) CPV (6.110.800) (4.062.600) (4.632.400) (14.805.800) LUCRO BRUTO 4.689.200 2.237.400 3.367.600 10.294.200 Despesas: Comerciais (5.060.000) Administrativas Gerais (3.040.000) LUCRO ANTES DAS DF 2.194.200 Financeiras (200.000) LUCRO ANTES DO IR 1.994.200 Provisão para IR (30%) (598.260) LUCRO LÍQUIDO 1.395.940 30
  • 29. d) Balanço patrimonial do período: Balanço Patrimonial (em $) ATIVO PASSIVO + PL Circulante Circulante Caixa 460.000 Empréstimos 3.520.000 Bancos 1.000.000 IR a Pagar 598.260 Clientes 6.060.000 4.118.260 Estoques: Produtos Acabados 5.394.200 Matéria-Prima 5.000.000 17.914.200 Permanente Patrimônio Líquido Imobilizado Capital Social 15.000.000 Equipamentos 2.000.000 Lucros Acumulados 1.395.940 (–) Depr. Acum. (300.000) 16.395.940 1.700.000 Veículos 1.000.000 (–) Depr. Acum. (100.000) 900.000 TOTAL (ATIVO) 20.514.200 TOTAL (P + PL) 20.514.200 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 5.4 Base de Rateio por Tempo (h) ou Custo ($) de MOD: l Custos Indiretos de Produção: $ 500.000 Produtos MOD % $ A $ 10/un. × 12.000 un. = $ 120.000 83,33 416.650 B $ 6/un. × 4.000 un. = $ 24.000 16,67 83.350 $ 144.000 100% 500.000 31
  • 30. EXERCÍCIO EXTRA A Cia. Porto Primavera iniciou suas atividades no dia 2-1-X1. Em 31-12-X1 seu primeiro balancete de verificação era constituído pelas seguintes contas (em $): 1 Caixa 1.200 2 Clientes 4.800 3 Estoque de matéria-prima 4.000 4 Equipamentos de produção 1.600 5 Depreciação acumulada de equipamentos de produção 240 6 Empréstimos de curto prazo obtidos com encargos pré-fixados 2.800 7 Capital social 10.040 8 Consumo de matéria-prima 5.400 9 Mão-de-obra direta (inclui encargos sociais) no período 4.800 10 Energia elétrica consumida na produção 630 11 Supervisão geral da produção 2.300 12 Manutenção preventiva de máquinas comuns de produção 400 13 Depreciação de equipamentos de produção 240 14 Despesas comerciais e administrativas da empresa no período 4.050 15 Despesas financeiras no período 160 16 Vendas de produtos acabados (PAC) 16.500 O tempo de produção requerido por unidade de produto é o seguinte: Produtos Tempo de MOD Tempo de Máquina Televisores 1,8 hh 1,25 hm Vídeos 2,4 hh 3,75 hm Com relação aos custos diretos sabe-se que: l a matéria-prima é a mesma para todos os produtos, e o consumo se faz na mes- ma proporção: 1 kg de MP para cada unidade de produto acabado; l as habilidades e os salários dos operários são aproximadamente iguais para todos os produtos; e l o consumo de energia elétrica é o mesmo em termos de kWh; por isso seu custo é diretamente proporcional ao tempo de utilização das máquinas. Outros dados relativos ao ano de X1: Preço médio Volume de produção Volume de vendas Produtos de venda/un. (em unidades) (em unidades) Televisores $ 300 50 35 Vídeos $ 400 25 15 32
  • 31. Pede-se: 1. Calcular: a) o custo total de cada produto; b) o custo unitário de cada produto; c) o Custo dos Produtos Vendidos no período; e d) o valor do Estoque Final de Produtos Acabados. 2. Elaborar: a) um quadro demonstrando o custo direto total por produto; b) Mapa de Rateio dos Custos Indiretos de Produção (CIP) dos elementos de custos aos produtos; c) a Demonstração de Resultados do período, considerando 30% de Impos- to de Renda sobre o lucro; e d) o Balanço Patrimonial de 31-12-X1. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA I. Base de rateio por tempo (h) ou custo ($) de MOD: l Supervisão geral da fábrica: $ 2.300 Custo Produtos MOD % $ Unidades ($/un.) Televisores 1,8 hh/un. × 50 un. = 90 hh 60% 1.380 50 un. 27,6 Vídeos 2,4 hh/un. × 25 un. = 60 hh 40% 920 25 un. 36,8 150 hh 100% 2.300 ou $ 2.300/150 hh = $ 15,33/hh II. Base de rateio por tempo (h) ou custo ($) de máquinas: l Manutenção preventiva de máquinas comuns de produção: 400 Custo Produtos Máquina % $ Unidades ($/un.) Televisores 1,25 hm/un. × 50 un. = 62,50 hm 40% 160 50 un. 3,20 Vídeos 3,75 hm/un. × 25 un. = 93,75 hm 60% 240 25 un. 9,60 156,25 hm 100% 400 ou $ 400/156,25 hm = $ 2,56/hm 33
  • 32. l Depreciação de equipamentos de produção: 240 Custo Produtos Máquina % $ Unidades ($/un.) Televisores 1,25 hm/un. × 50 un. = 62,50 hm 40% 96 50 un. 1,92 Vídeos 3,75 hm/un. × 25 un. = 93,75 hm 60% 144 25 un. 5,76 156,25 hm 100% 240 ou $ 240/156,25 hm = $ 1,536/hm III. Consumo de matéria-prima: $ 5.400 Custo Produtos Volume de Produção % $ Unidades ($/un.) Televisores 50 un. 67% 3.600 50 un. 72 Vídeos 25 un. 33% 1.800 25 un. 72 75 un. 100% 5.400 IV. Mão-de-obra direta (inclui encargos sociais) no período: $ 4.800 Custo Produtos MOD % $ Unidades ($/un.) Televisores 1,8 hh × 50 un. = 90 60% 2.880 50 un. 57,6 Vídeos 2,4 hh × 25 un. = 60 40% 1.920 25 un. 76,8 150 100% 4.800 V. Energia elétrica consumida na produção: $ 630 Custo Produtos Máquina % $ Unidades ($/un.) Televisores 1,25 hm/un. × 50 un. = 62,50 hm 40% 252 50 un. 5,04 Vídeos 3,75 hm/un. × 25 un. = 93,75 hm 60% 378 25 un. 15,12 156,25 hm 100% 630 VI. Vendas: $ 16.500 Produtos Preço ($/un.) Volume de vendas (un.) Receita ($) Televisores 300 35 un. 10.500 Vídeos 400 15 un. 6.000 16.500 34
  • 33. 1. a) Custo total de cada produto (em $/un.): Televisores Vídeos Total CUSTOS DIRETOS 6.732 4.098 10.830 MAT 3.600 1.800 5.400 MOD 2.880 1.920 4.800 EE 252 378 630 CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO (CIP) 1.636 1.304 2.940 Supervisão geral da fábrica 1.380 920 2.300 Manutenção preventiva 160 240 400 Depreciação de equipamentos 96 144 240 CUSTO TOTAL $ 8.368 $ 5.402 $ 13.770 b) Custo unitário de cada produto (em $): Dados: Volume de Produção (un.) Volume de Vendas (un.) Televisores 50 35 Vídeos 25 15 Televisores Vídeos Custo Unitário $ 167,36/un. $ 216,08/un. c) Custo dos produtos vendidos (CPV) (em $): d) Estoque final dos produtos acabados (em $): Televisores Vídeos Total Custo dos Produtos Vendidos (CPV) 5.857,60 3.241,20 9.098,80 Estoque Final dos Produtos Acabados 2.510,40 2.160,80 4.671,20 2. a) Custo direto total de cada produto (em $): Custos diretos Televisores Vídeos Total Matéria-prima 3.600 1.800 5.400 Mão-de-obra direta 2.880 1.920 4.800 Energia elétrica 252 378 630 TOTAL $ 6.732 $ 4.098 10.830 35
  • 34. b) Mapa de rateio dos custos indiretos de produção (em $): Custos indiretos de produção Televisores Vídeos Total Supervisão geral da fábrica 1.380 920 2.300 Manutenção preventiva 160 240 400 Depreciação de equipamentos 96 144 240 TOTAL $ 1.636 $ 1.304 $ 2.940 c) Demonstração de resultados do período: Demonstração de Resultados (em $) Televisores Vídeos Total Vendas Líquidas 10.500,00 6.000,00 16.500,00 (–) CPV (5.857,60) (3.241,20) (9.098,80) LUCRO BRUTO 4.642,40 2.758,80 7.401,20 Despesas: Comerciais e Administrativas (4.050,00) Financeiras (160,00) LUCRO ANTES DO IR 3.191,20 Provisão para IR (30%) (957,36) LUCRO LÍQUIDO 2.233,84 d) Balanço patrimonial do período: Estoque de Produtos Acabados: Televisores $ 167,36/un. × 15 un. = $ 2.510,40 Vídeos $ 216,08/un. × 10 un. = $ 2.160,80 Balanço Patrimonial (em $) Ativo Passivo + PL Circulante Circulante Caixa 1.200,00 Empréstimos 2.800,00 Clientes 4.800,00 IR a pagar 957,36 Estoques: 3.757,36 Produtos Acabados 4.671,20 Matéria-prima 4.000,00 14.671,20 Permanente Patrimônio Líquido Imobilizado Capital Social 10.040,00 Equipamentos 1.600,00 Lucros Acumulados 2.233,84 (–) Depr. acum. (240,00) 12.273,84 1.360,00 TOTAL (ATIVO) 16.031,20 TOTAL (P + PL) 16.031,20 36
  • 35. 6 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (II) – Departamentalização SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO 1. a) Custo total de cada departamento de produção (em $): Custos Almoxa- Adm. geral indiretos Estamparia Furação Montagem rifado Manutenção da produção Total Mat. indireto 159 57 46 90 112 336 800 Energia elétrica 2.400 432 1.340 240 240 148 4.800 MO indireta 532 672 390 140 170 896 2.800 Aluguel – – – – – 3.200 3.200 TOTAL 3.091 1161 1.776 470 522 4.580 11.600 Rateio da adm. geral 1.603 1.374 687 458 458 (4.580) – Soma 4.694 2.535 2.463 928 980 – 11.600 Rateio da manutenção 392 343 245 – (980) – – Soma 5.086 2.878 2.708 928 – – 11.600 Rateio do almoxarifado 464 232 232 (928) – – – Soma 5.550 3.110 2.940 – – – 11.600 Fechaduras 2.220 1.244 2.940 – – – 6.404 Dobradiças 3.330 1.866 – – – – 5.196 TOTAL 5.550 3.110 2.940 – – – 11.600 b) Custo total de cada produto (em $): Mão-de-obra Custos indiretos Material direta de produção Total Fechaduras 5.568 4.032 6.404 16.004 Dobradiças 8.352 6.048 5.196 19.596 TOTAL 13.920 10.080 11.600 35.600
  • 36. c) Custo unitário de cada produto: Fechaduras: $ 16.000/4.000 un. = $ 4,00/un. Dobradiças: $ 19.596/12.000 un. = $ 1,633/un. 2. Contabilização dos custos. a) Critério simples: Custos de produção Estoque de dobradiças Estoque de fechaduras 13.920 (a) 19.596 (a) 16.004 10.080 3.200 4.800 800 2.800 35.600 35.600 (a) b) Critério complexo: Aluguel Energia elétrica Materiais indiretos 3.200 3.200 (a) 4.800 4.800 (b) 800 800 (c) MO indireta Material (dobr.) MO direta (dobr.) 2.800 2.800 (d) 8.352 8.352 (h) 6.048 6.048 (i) Material (fech.) MO direta (fech.) 5.568 5.568 (j) 4.032 4.032 (k) Adm. geral Manutenção Almoxarifado (a) 3.200 (b) 240 (b) 240 (b) 148 (c) 112 (c) 90 (c) 336 (d) 170 (d) 140 (d) 896 (e) 458 (e) 458 4.580 4.580 (e) 980 980 (f) 928 928 (g) Montagem Furação Estamparia (b) 1.340 (b) 432 (b) 2.400 (c) 46 (c) 57 (c) 159 (d) 390 (d) 672 (d) 532 (e) 687 (e) 1.374 (e) 1.603 (f) 245 (f) 343 (f) 392 (g) 232 (g) 232 (g) 464 2.940 2.940 (l) 3.110 3.110 (m) 5.550 5.550 (n) 38
  • 37. Estoque de dobradiças Estoque de fechaduras (h) 8.352 (j) 5.568 (i) 6.048 (k) 4.032 (m) 1.866 (l) 2.940 (n) 3.330 (m) 1.244 (n) 2.220 19.596 16.004 Contabilização pelo critério complexo a) Apropriação dos custos diretos aos produtos Material – dobradiças MOD – dobradiças 8.352 8.352 (a) 6.048 6.048 (b) Material – fechaduras MOD – fechaduras 5.568 5.568 (c) 4.032 4.032 (d) Estoque de dobradiças Estoque de fechaduras (a) 8.352 (c) 5.568 (b) 6.048 (d) 4.032 b) Rateio dos custos dos elementos de custos aos departamentos Aluguel Energia elétrica 3.200 3.200 (e) 4.800 4.800 (f) Material indireto MO indireta 800 800 (g) 2.800 2.800 (h) Adm. geral Manutenção Almoxarifado (e) 3.200 (f) 240 (f) 240 (f) 148 (g) 112 (g) 90 (g) 336 (h) 170 (h) 140 (h) 896 39
  • 38. Montagem Furação Estamparia (f) 1.340 (f) 432 (f) 2.400 (g) 46 (g) 57 (g) 159 (h) 390 (h) 672 (h) 532 c) Distribuição dos custos da administração geral da produção Adm. geral Manutenção Almoxarifado (e) 3.200 (f) 240 (f) 240 (f) 148 (g) 112 (g) 90 (g) 336 (h) 170 (h) 140 (h) 896 (i) 458 (i) 458 4.580 4.580 (i) Montagem Furação Estamparia (f) 1.340 (f) 432 (f) 2.400 (g) 46 (g) 57 (g) 159 (h) 390 (h) 672 (h) 532 (i) 687 (i) 1.374 (i) 1.603 d) Distribuição dos custos de manutenção Adm. geral Manutenção Almoxarifado (e) 3.200 (f) 240 (f) 240 (f) 148 (g) 112 (g) 90 (g) 336 (h) 170 (h) 140 (h) 896 (i) 458 (i) 458 4.580 4.580 (i) 980 980 (j) Montagem Furação Estamparia (f) 1.340 (f) 432 (f) 2.400 (g) 46 (g) 57 (g) 159 (h) 390 (h) 672 (h) 532 (i) 687 (i) 1.374 (i) 1.603 (j) 245 (j) 343 (j) 392 40
  • 39. e) Distribuição dos custos do almoxarifado Adm. geral Manutenção Almoxarifado (e) 3.200 (f) 240 (f) 240 (f) 148 (g) 112 (g) 90 (g) 336 (h) 170 (h) 140 (h) 896 (i) 458 (i) 458 4.580 4.580 (i) 980 980 (j) 928 928 (k) Montagem Furação Estamparia (f) 1.340 (f) 432 (f) 2.400 (g) 46 (g) 57 (g) 159 (h) 390 (h) 672 (h) 532 (i) 687 (i) 1.374 (i) 1.603 (j) 245 (j) 343 (j) 392 (k) 232 (k) 232 (k) 464 f) Rateio dos custos dos departamentos de produção aos produtos Montagem Furação Estamparia (f) 1.340 (f) 432 (f) 2.400 (g) 46 (g) 57 (g) 159 (h) 390 (h) 672 (h) 532 (i) 687 (i) 1.374 (i) 1.603 (j) 245 (j) 343 (j) 392 (k) 232 (k) 232 (k) 464 2.940 2.940 (l) 3.110 3.110 (m) 5.550 5.550 (n) Estoque de dobradiças Estoque de fechaduras (a) 8.352 (c) 5.568 (b) 6.048 (d) 4.032 (m) 1.866 (l) 2.940 (n) 3.330 (m) 1.244 (n) 2.220 19.596 16.004 41
  • 40. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 6.1 1. Alternativa correta: A 2. Alternativa correta: E 3. Alternativa correta: C 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: C SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 6.2 Mapa de apropriação de custos Custos Administração indiretos Pasteurização Embalagem Manutenção da produção Total Aluguel 3.740 3.247 578 935 8.500 Material 3.120 1.560 260 260 5.200 Energia elétrica 3.650 3.066 365 219 7.300 Depreciação 2.832 1.416 236 236 4.720 Outros 3.960 1.980 330 330 6.600 Total 17.302 11.269 1.769 1.980 32.320 Distrib. adm. 792 792 396 (1980) – Soma 18.094 12.061 2.165 – 32.320 Distrib. manut. 1.732 433 (2.165) – – Total 19.826 12.494 – – 32.320 Genoveva 14.869,5 9.370,5 – – 24.240 Genoveva Super 4.956,5 3.123,5 – – 8.080 Total 19.826 12.494 – – 32.320 1. a) Custo total de cada produto Custos Custos indiretos Custo diretos de produção total Genoveva 87.800 24.240 112.040 Genoveva Super 50.400 8.080 58.480 Total 138.200 32.320 170.520 b) Custo unitário de cada produto Custo Custo total Volume unitário Genoveva 112.040 448.160,00 0,250 Genoveva Super 58.480 146.935,80 0,398 Total 170.520 595.095,80 – 42
  • 41. c) Custo apurado com base no custo direto Custo direto Pasteurização Embalagem Genoveva 87.800 12.595,68 7.937,58 Genoveva Super 50.400 7.230,32 4.556,42 138.200 19.826,00 12.494,00 2. a) Apropriação dos custos utilizando o critério simples: Custos de produção Genoveva Genoveva Super 87.800 (a) 112.040 (a) 58.480 50.400 8.500 5.200 7.300 4.720 6.600 170.520 170.520 (a) b) Apropriação dos custos utilizando o critério complexo: a) Custos diretos aos produtos: Custos diretos 138.200 87.800 (a) 50.400 (b) Genoveva Genoveva Super (a) 87.800 (b) 50.400 b) Distribuição dos custos dos elementos de custos aos departamentos: Aluguel Materiais Energia elétrica 8.500 8.500 (c) 5.200 5.200 (d) 7.300 7.300 (e) Depreciação Outros 4.720 4.720 (f) 6.600 6.600 (g) 43
  • 42. Manutenção Adm. da fábrica (c) 578 (c) 935 (d) 260 (d) 260 (e) 365 (e) 219 (f) 236 (f) 236 (g) 330 (g) 330 Pasteurização Embalagem (c) 3.740 (c) 3.247 (d) 3.120 (d) 1.560 (e) 3.650 (e) 3.066 (f) 2.832 (f) 1.416 (g) 3.960 (g) 1.980 c) Distribuição dos custos da administração da fábrica Adm. da fábrica Manutenção (c) 935 (c) 578 (d) 260 (d) 260 (e) 219 (e) 365 (f) 236 (f) 236 (g) 330 (g) 330 (h) 396 1.980 1.980 (h) Pasteurização Embalagem (c) 3.740 (c) 3.247 (d) 3.120 (d) 1.560 (e) 3.650 (e) 3.066 (f) 2.832 (f) 1.416 (g) 3.960 (g) 1.980 (h) 792 (h) 792 d) Distribuição dos custos de manutenção Adm. da fábrica Manutenção (c) 935 (c) 578 (d) 260 (d) 260 (e) 219 (e) 365 (f) 236 (f) 236 (g) 330 (g) 330 (h) 396 1.980 1.980 (h) 2.165 2.165 (i) 44
  • 43. Pasteurização Embalagem (c) 3.740 (c) 3.247 (d) 3.120 (d) 1.560 (e) 3.650 (e) 3.066 (f) 2.832 (f) 1.416 (g) 3.960 (g) 1.980 (h) 792 (h) 792 (i) 1.732 (i) 433 19.826 12.494 e) Custos dos departamentos de produção aos produtos Pasteurização Embalagem (c) 3.740 (c) 3.247 (d) 3.120 (d) 1.560 (e) 3.650 (e) 3.066 (f) 2.832 (f) 1.416 (g) 3.960 (g) 1.980 (h) 792 (h) 792 (i) 1.732 (i) 433 19.862 19.862 (j) 12.494 12.494 (k) Genoveva Genoveva Super (a) 87.800 (b) 50.400 (j) 14.869,5 (j) 4.956,5 (k) 9.370,5 (k) 3.123,5 112.040 58.480 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 6.3 a) Custo dos produtos vendidos, segundo o critério usual da empresa (sem departamentalização) (em $): Custos indiretos de produção de cada poste Postes no MOD Proporção CIP 0 $ 90.000 40% $ 80.000 1 $ 81.000 36% $ 72.000 2 $ 54.000 24% $ 48.000 TOTAL $ 225.000 100% $ 200.000 45
  • 44. Custos unitários dos postes (em $/un.) Postes no MAT MOD CIP Total 0 350 90 80 520 1 250 81 72 403 2 175 54 48 277 Custo dos produtos vendidos Custo unitário Unidades Postes no ($/un.) vendidas (un.) CPV ($) 0 520 1.000 520.000 1 403 1.000 403.000 2 277 0 -0- TOTAL 923.000 b) Valor de custo do estoque remanescente, segundo o critério usual da empresa (em $): Custo unitário Estoque Estoque Postes no ($/un.) remanescente (un.) remanescente ($) 0 520 -0- -0- 1 403 -0- -0- 2 277 1.000 277.000 c) Custo dos produtos vendidos e estoque final, rateando os custos indiretos atra- vés de centros de custos (em $): Centros Máquina Máquina Serviços aux. e de custos pequena grande adm. da produção Total Custos identificados 37.500 75.000 87.500 200.000 Rateio dos custos dos serv. aux. e adm. da produção* 52.500 35.000 (87.500) 0 90.000 110.000 0 200.000 * MOD na máquina pequena: 1.000 × $ 81 + 1.000 × $ 54 = $ 135.000 ⇒ 60 % MOD na máquina grande: 1.000 × $ 90 = $ 90.000 ⇒ 40 % $ 225.000 ⇒ 100 % 46
  • 45. Apropriação dos custos da máquina pequena aos produtos, com base na MOD (em $) Rateio dos CIP da MOD Proporção máquina pequena Poste no 1 81.000 60% 54.000 Poste no 2 54.000 40% 36.000 135.000 100% 90.000 Custos unitários de cada poste (em $ /un.) Postes no MAT MOD CIP Total 0 350 90 110 550 1 250 81 54 385 2 175 54 36 265 Custo dos produtos vendidos (em $) Custo unitário Unidades Postes no ($/un.) vendidas (un.) CPV ($) 0 550 1.000 550.000 1 385 1.000 385.000 2 265 0 -0- TOTAL 935.000 Estoque final (em $) Custo unitário Estoque Estoque Postes no ($/un.) final (un.) final ($) 0 550 -0- -0- 1 385 -0- -0- 2 265 1.000 265.000 47
  • 46. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 6.4 Mapa de apropriação de custos Gerência geral Custos da produção Manutenção Montagem Acabamento Total 1.050 1.110 9.300 7.140 18.600 Rateio da administração (1.050) 210 420 420 – Soma – 1.320 9.720 7.560 18.600 Rateio da manutenção (1.320) 990 330 – Total – 10.710 7.890 18.600 Produto A 8.568 6.312 14.880 Produto B 2.142 1.578 3.720 Total 10.710 7.890 18.600 EXERCÍCIO EXTRA A empresa Swissa produz chocolates em dois tipos: Bombons e Barras. O ambiente produtivo em si e suas atividades de apoio ocorrem em quatro depar- tamentos: Confeitaria, Embalagem, Administração da Produção e Manutenção. Sua estrutura de custos em determinado período foi a seguinte (em $): 1) Custos diretos referente aos produtos Matéria-prima Mão-de-obra direta Bombons 8.000 5.000 Barras 4.000 3.000 2) Custos Indiretos de Produção (CIP – comuns aos dois produtos) Aluguel 6.000 Material 3.600 Energia elétrica 5.100 Depreciação 3.900 Outros dados coletados no período Administração Confeitaria Embalagem da produção Manutenção Área (m2) 880 760 140 220 Consumo de energia (kWh) 3.000 2.520 300 180 Horas de MO 24.000 12.000 2.000 2.000 48
  • 47. Os CIP são alocados inicialmente aos departamentos e, depois, destes aos produ- tos. As bases de rateio são as seguintes: l o aluguel é distribuído aos departamentos de acordo com suas respectivas áreas; l o consumo de energia elétrica é medido por departamento; l a base de rateio utilizada para depreciação e material indireto é o número de horas de mão-de-obra utilizadas em cada departamento; l os custos do departamento de administração da produção são os primeiros a serem distribuídos aos demais, e a base é o número de funcionários, a saber: Departamentos No de funcionários Confeitaria 8 Embalagem 8 Manutenção 4 l conforme tem-se observado em períodos anteriores – e espera-se que se man- tenha – cabe ao departamento de Embalagem 1/4 do total dos custos de ma- nutenção; o restante pertence, integralmente, ao de Confeitaria; l a distribuição dos custos dos departamentos de produção aos produtos é feita em função do volume de chocolate produzido. Pede-se para calcular: a) o custo total de cada produto; e b) o custo unitário de cada produto, sabendo que as quantidades (em kg) de produtos acabados foram: Bombons: 4.000 e Barras: 1.000 Mapa de rateio dos custos indiretos Custos Adm. da indiretos Confeitaria Embalagem Manutenção produção Total Aluguel Material Energia elétrica Depreciação Total Rateio adm. – Soma – Rateio manutenção – – Total – – Bombons – – Barras – – Total – – 49
  • 48. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA Mapa de rateio dos custos indiretos Custos Adm. da indiretos Confeitaria Embalagem Manutenção produção Total Aluguel 2.640 2.280 660 420 6.000 Material 2.160 1.080 180 180 3.600 Energia elétrica 2.550 2.142 153 255 5.100 Depreciação 2.340 1.170 195 195 3.900 Total 9.690 6.672 1.188 1.050 18.600 Rateio adm. 420 420 210 (1.050) – Soma 10.110 7.092 1.398 – 18.600 Rateio manutenção 1.048,5 349,5 (1.398) – – Total 11.158,5 7.441,5 – – 18.600 Bombons 8.926,8 5.953,2 – – 14.880 Barras 2.231,7 1.488,3 – – 3.720 Total 11.158,5 7.441,5 – – 18.600 a) Custo total de cada produto (em $): Custos Custos indiretos Custo diretos de produção total Bombons 13.000 14.880 27.880 Barras 7.000 3.720 10.720 Total 20.000 18.600 38.600 b) Custo unitário de cada produto Custo total Volume Custo unitário Produtos (em $) (un.) (em $/un.) Bombons 27.880 4.000 6,97 Barras 10.720 1.000 10,72 50
  • 49. 7 Critério de Rateio dos Custos Indiretos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Custo da caldeiraria rateado para cada departamento. Custos Fixos: rateados de acordo com a capacidade de cada departamento. Custos Variáveis: rateados de acordo com o consumo efetivo. Departamentos Custos Forjaria Térmico Zincagem Total Fixos (em $) 9.000 4.500 1.500 15.000 Variáveis (em $) 30.937,50 14.062,50 -0- 45.000 Total 39.937,50 18.562,50 1.500 60.000 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 7.1 1. Alternativa correta: E 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: B SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 7.2 Custo do departamento de informática a ser rateado para cada departamento (em $) Custos Fixos: rateados de acordo com o potencial de utilização. Custos Variáveis: rateados de acordo com a utilização efetiva.
  • 50. Departamentos Custos Total RH Contabilidade MKT Fixos Salários e encargos sociais 6.600 8.000 5.400 20.000 Depreciação do equipamento 3.300 4.000 2.700 10.000 Variáveis Disquetes 1.000 875 625 2.500 Papel para impressão 1.600 1.400 1.000 4.000 Tinta para impressão 800 700 500 2.000 Total 13.300 14.975 10.225 38.500 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 7.3 a) Custos indiretos de produção dos botões de 4 furos, pelo critério de propor- cionalidade ao custo de MOD: Produtos Total Botões 4 furos Botões 2 furos Mão-de-obra direta (em $) 10.500 4.500 15.000 Proporção 70% 30% 100% Custos indiretos (em $) 21.000 9.000 30.000 b) Custos indiretos de produção dos botões de 2 furos, pelo critério de propor- cionalidade ao custo de MP: Produtos Total Botões 4 furos Botões 2 furos Matéria-prima (em $) 4.000 6.000 10.000 Proporção 40% 60% 100% Custos indiretos (em $) 12.000 18.000 30.000 c) Custos indiretos de produção dos botões de 4 furos, pelo critério de tempo de produção: Produtos Total Botões 4 furos Botões 2 furos Tempo de produção (em h) 7.800 5.200 13.000 Proporção 60% 40% 100% Custos indiretos (em $) 18.000 12.000 30.000 52
  • 51. d) Custos indiretos de produção dos botões de 2 furos, pelo critério do custo di- reto: Produtos Total Botões 4 furos Botões 2 furos Custo direto (em $): Mão-de-obra direta 10.500 4.500 15.000 Matéria-prima 4.000 6.000 10.000 Custo direto total (em $) 14.500 10.500 25.000 Proporção 58% 42% 100% Custos indiretos (em $) 17.400 12.600 30.000 Sugestão de pergunta adicional: l Se o custo fosse tomado como base para fixação de preços de venda, o que poderia acontecer? Tomando-se o custo como base para fixação de preços de venda, ter-se-ia, con- forme o critério de rateio, preços de venda diferentes. Por exemplo: para os botões de 2 furos, o preço de rateio à base de matéria-prima consumida seria 46,15% maior que o fixado com rateio à base da mão-de-obra direta. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 7.4 V, V, F, F, F EXERCÍCIO EXTRA A empresa Postes Reis produz postes de cimento em três tamanhos: no 0, no 1 e no 2. O número 0, devido ao tamanho e ao tratamento de sua estrutura, é feito em uma máquina grande. Os números 1 e 2, por serem de menor porte, são produzidos em uma máquina pequena. Os custos diretos unitários, em determinado período, foram os seguintes (em $): Poste no Material Mão-de-obra 0 350 90 1 250 81 2 175 54 Os custos indiretos (supervisão, depreciação e manutenção) foram de $ 200.000 no mesmo período, sendo que: l $ 37.500 são específicos da máquina pequena; l $ 75.000 são específicos da grande; l $ 87.500 referem-se a serviços auxiliares e da administração da produção (su- pervisão geral). 53
  • 52. A empresa produziu 1.000 postes de cada tamanho no período, e costuma ratear o valor total dos custos indiretos diretamente aos produtos (sem departamentalização), à base do custo de mão-de-obra direta. Considerando-se que foram vendidas 800 unidades de cada poste produzido du- rante o período, e sabendo-se que não havia estoques iniciais, PEDE-SE PARA CALCU- LAR: a) a diferença no resultado da empresa entre a maneira como ela vem procedendo e o correto; e b) idem, no estoque final. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA I. Maneira como vem procedendo Custos indiretos de produção de cada poste Postes no MOD Proporção CIP 0 $ 90.000 40% $ 80.000 1 $ 81.000 36% $ 72.000 2 $ 54.000 24% $ 48.000 Total $ 225.000 100% $ 200.000 Custos unitários dos postes (em $/un.) Postes no Material Mão-de-obra CIP Total 0 350 90 80 520 1 250 81 72 403 2 175 54 48 277 Custo dos produtos vendidos Custo Unidades Postes no unitário ($/un.) vendidas (un.) CPV ($) 0 520 800 416.000 1 403 800 322.400 2 277 800 221.600 Total 960.000 Custo do estoque remanescente Custo Estoque Estoque Postes no unitário ($/un.) remanescente (un.) remanescente ($) 0 520 200 104.000 1 403 200 80.600 2 277 200 55.400 Total 240.000 54
  • 53. II. O correto Mapa de apropriação aos centros de custos Máquina Máquina Serviços aux. e Centros de custos pequena grande adm. da produção Total Custos identificados 37.500 75.000 87.500 200.000 Rateio dos custos dos serv. aux. e adm. da produção* 52.500 35.000 (87.500) 0 Total 90.000 110.000 0 200.000 * MOD na máquina pequena: 1.000 × $ 81 + 1.000 × $ 54 = $ 135.000 ⇒ 60% MOD na máquina grande: 1.000 × $ 90 = $ 90.000 ⇒ 40% $ 225.000 ⇒ 100% Apropriação dos custos da máquina pequena aos produtos com base na MOD (em $) Rateio dos CIP da Postes no MOD Proporção máquina pequena 1 81.000 60% 54.000 2 54.000 40% 36.000 Total 135.000 100% 90.000 Custos unitários de cada poste (em $/un.) Postes no MAT MOD CIP Total 0 350 90 110 550 1 250 81 54 385 2 175 54 36 265 Unidades produzidas e vendidas (em unidades) Postes no Produção Vendas Estoques 0 1.000 800 200 1 1.000 800 200 2 1.000 800 200 a) Demonstração da diferença no custo dos produtos vendidos (CPV) e no resul- tado da empresa entre a maneira como ela vem procedendo e o correto (em $): Demonstração de resultados Postes n o Custo Diferença no Empresa Correto resultado 0 416.000 440.000 +24.000 1 322.400 308.000 –14.400 2 221.600 212.000 –9.600 Total 960.000 960.000 -0- 55
  • 54. b) Demonstração da diferença no valor do estoque final da empresa entre a ma- neira como ela vem procedendo e o correto (em $): Demonstração de resultados Postes no Custo Diferença no Empresa Correto resultado 0 104.000 110.000 +6.000 1 80.600 77.000 –3.600 2 55.400 53.000 –2.400 Total 240.000 240.000 -0- Sugestão de pergunta adicional: Por que não há diferença no CPV, no valor do estoque e no resultado global da empresa? 56
  • 55. 8 Custeio Baseado em Atividades (ABC) – Abordagem Inicial SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Custos indiretos de produção rateados à base de MOD: MOD do Produto A: $ 10/un. × 12.000 un. = $ 120.000 MOD do Produto B: $ 5/un. × 4.490 un. = $ 22.450 $ 142.450 Taxa CIP = $ 500.000 / $ 142.450 = $ 3,51 por $ 1,00 de MOD Produto A ⇒ CIP/un. = $ 35,10/un. ⇒ CIP = $ 421.200 Produto B ⇒ CIP/un. = $ 17,55/un. ⇒ CIP = $ 78.800 TOTAL $ 500.000 b) Custos indiretos de produção rateados à base de material direto: MAT do Produto A: $ 20/un. × 12.000 un. = $ 240.000 MAT do Produto B: $ 27,95/un. × 4.490 un. = $ 125.496 $ 365.496 Taxa CIP = $ 500.000 / $ 365.496 = $ 1,368 por $ 1,00 de MAT Produto A ⇒ CIP/un. = $ 27,36/un. ⇒ CIP = $ 328.320 Produto B ⇒ CIP/un. = $ 38,236/un. ⇒ CIP = $ 171.680 TOTAL $ 500.000 c) Custos indiretos de produção rateados pelo ABC: Atividades Direcionador utilizado Inspecionar material No de lotes inspecionados e armazenados Armazenar material No de lotes inspecionados e armazenados Controlar estoques No de lotes inspecionados e armazenados Processar produtos No de horas-máquina de processamento Controlar processos Dedicação do tempo dos engenheiros
  • 56. Proporções para alocação dos CIP Atividades Produto A Produto B Inspecionar material 30% 70% Armazenar material 30% 70% Controlar estoques 30% 70% Processar produtos 40% 60% Controlar processos 25% 75% Alocação dos CIP aos produtos (em $) Atividades Produto A Produto B Total Inspecionar material 18.000 42.000 60.000 Armazenar material 15.000 35.000 50.000 Controlar estoques 12.000 28.000 40.000 Processar produtos 60.000 90.000 150.000 Controlar processos 50.000 150.000 200.000 Total 155.000 345.000 500.000 d) Margem bruta e lucro d1) CIP à base no custo de MOD Produtos (em $) Total A B Receita líquida 960.000 426.550 1.386.550 Custos diretos Material 240.000 100.127 340.127 Mão-de-obra 120.000 22.450 142.450 Custos indiretos 421.200 78.800 500.000 Lucro bruto 178.800 225.173 403.973 Margem bruta 18,63% 52,79% 29,14% d2) CIP à base no custo de MAT Produtos (em $) Total A B Receita líquida 960.000 426.550 1.386.550 Custos diretos Material 240.000 100.127 340.127 Mão-de-obra 120.000 22.450 142.450 Custos indiretos 328.320 171.680 500.000 Lucro bruto 271.680 132.293 403.973 Margem bruta 28,30% 31,01% 29,14% 58
  • 57. d3) CIP pelo ABC Produtos (em $) Total A B Receita líquida 960.000 426.550 1.386.550 Custos diretos Material 240.000 100.127 340.127 Mão-de-obra 120.000 22.450 142.450 Custos indiretos Inspecionar material 18.000 42.000 60.000 Armazenar material 15.000 35.000 50.000 Controlar estoques 12.000 28.000 40.000 Processar produtos 60.000 90.000 150.000 Controlar processos 50.000 150.000 200.000 Lucro bruto 445.000 (41.027) 403.973 Margem bruta 46,35% (9,62%) 29,14% SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 8.1 1. Alternativa correta: E 2. Alternativa correta: A 3. Alternativa correta: B 4. Alternativa correta: A 5. Alternativa correta: D SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 8.2 Atividades Projetar Elaborar Total novos fichas Treinar Custos produtos técnicas funcionários Salários: Gerente 42.000 – 18.000 60.000 Engenheiros 60.000 24.000 36.000 120.000 Estagiários – 12.000 – 12.000 Secretária (1) 7.800 600 3.600 12.000 Subtotal 109.800 36.600 57.600 204.000 Depreciação 10.200 6.800 17.000 34.000 Viagens 20.000 – – 20.000 Aluguel 4.000 1.000 5.000 10.000 Outros (2) 3.768 1.256 1.976 7.000 Total 147.768 45.656 81.576 275.000 59
  • 58. (1) Salário da secretária: Projetar novos Elaborar fichas Treinar produtos técnicas funcionários $ 9.000 para gerência 6.300 – 2.700 $ 3.000 para engenheiros 1.500 600 900 7.800 600 3.600 (2) Outros custos: Normalmente são custos de atividades de apoio ao próprio departamento. Foram alocadas às atividades-fins com base no custo do salário (53,83%, 17,94% e 28,23%, para cada atividade respectivamente) por ser a mão-de-obra o principal fator de pro- dução do departamento. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 8.3 a) Custos indiretos de produção rateados à base de MOD: MOD do Requeijão: $ 6/un. × 6.000 un. = $ 36.000 MOD do Queijo: $ 3/un. × 3.000 un. = $ 9.000 TOTAL $ 45.000 Taxa CIP = $ 54.000 / $ 45.000 = $ 1,20 por $ 1,00 de MOD Requeijão ⇒ CIP/un. = $ 7,20/un. ⇒ CIP = $ 43.200 Queijo ⇒ CIP/un. = $ 3,60/un. ⇒ CIP = $ 10.800 TOTAL $ 54.000 b) Custos indiretos de produção à base de matéria-prima: MAT do Requeijão: $ 12/un. × 6.000 un. = $ 72.000 MAT do Queijo: $ 18/un. × 3.000 un. = $ 54.000 TOTAL $126.000 Taxa CIP = $ 54.000 / $ 126.000 = $ 0,429 por $ 1,00 de MAT Requeijão ⇒ CIP/un. = $ 5,143/un. ⇒ CIP = $ 30.857,14 Queijo ⇒ CIP/un. = $ 7,714/un. ⇒ CIP = $ 23.142,86 TOTAL $ 54.000,00 c) Custos indiretos de produção rateados pelo ABC: Atividades Direcionador utilizado Inspecionar matéria-prima No de lotes inspecionados e armazenados Armazenar matéria-prima No de lotes inspecionados e armazenados Controlar estoques No de lotes inspecionados e armazenados Processar produtos No de horas-máquina de processamento Controlar processos Dedicação do tempo dos engenheiros 60
  • 59. Proporções para alocação dos CIP Atividades Requeijão cremoso Queijo parmesão Inspecionar matéria-prima 20% 80% Armazenar matéria-prima 20% 80% Controlar estoques 20% 80% Processar produtos 40% 60% Controlar processos 25% 75% Alocação dos CIP aos produtos (em $) Atividades Requeijão Queijo Total Inspecionar matéria-prima 1.600 6.400 8.000 Armazenar matéria-prima 1.200 4.800 6.000 Controlar estoques 1.000 4.000 5.000 Processar produtos 6.000 9.000 15.000 Controlar processos 5.000 15.000 20.000 Total 14.800 39.200 54.000 d) Valor e percentual de lucro bruto de cada produto: d1) CIP com base no custo de MOD (em $): Produtos Total Requeijão Queijo Receita líquida 180.000 123.000 303.000 Custos diretos Matéria-prima 72.000 54.000 126.000 Mão-de-obra 36.000 9.000 45.000 Custos indiretos 43.200 10.800 54.000 Lucro bruto 28.800 49.200 78.000 Margem bruta 16% 40% 26% d2) CIP com base no custo de MAT (em $): Produtos Total Requeijão Queijo Receita líquida 180.000 123.000 303.000 Custos diretos Matéria-prima 72.000 54.000 126.000 Mão-de-obra 36.000 9.000 45.000 Custos indiretos 30.960 23.220 54.180 Lucro bruto 41.040 36.780 77.820 Margem bruta 22,80% 29,90% 25,68% 61
  • 60. d3) CIP pelo ABC (em $): Produtos Total Requeijão Queijo Receita líquida 180.000 123.000 303.000 Custos diretos Matéria-prima 72.000 54.000 126.000 Mão-de-obra 36.000 9.000 45.000 Custos indiretos Inspecionar matéria-prima 1.600 6.400 8.000 Armazenar matéria-prima 1.200 4.800 6.000 Controlar estoques 1.000 4.000 5.000 Processar produtos 6.000 9.000 15.000 Controlar processos 5.000 15.000 20.000 Lucro bruto 57.200 20.800 78.000 Margem bruta 31,78% 16,91% 25,74% SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 8.4 a) Custos indiretos rateados à base do custo direto: Serviço A Serviço B Total Custos diretos (em $) 455.000 245.000 700.000 Proporção 65% 35% 100% Custos indiretos (em $) 325.000 175.000 500.000 b) Custos indiretos rateados à base do custo de MOD: MOD do Serviço A = $ 200.000 MOD do Serviço B = $ 120.000 Total $ 320.000 Taxa Custos Indiretos = $ 500.000 / $ 320.000 = $ 1,5625 por $ 1,00 de MOD Serviço A ⇒ Custos indiretos = $ 312.500 Serviço B ⇒ Custos indiretos = $ 187.500 Total $ 500.000 62
  • 61. c) Custos indiretos rateados pelo ABC: Escolha dos direcionadores para as atividades Atividades Direcionadores Realizar manutenção preventiva No de horas de manutenção preventiva Realizar manutenção corretiva No de defeitos detectados e corrigidos Supervisionar serviços Tempo dedicado pelos supervisores Controlar a qualidade dos No de pontos de inspeção de controle de serviços qualidade Proporções Serviços Atividades A B Realizar manutenção preventiva 1/6 5/6 Realizar manutenção corretiva 1/5 4/5 Supervisionar serviços 25% 75% Controlar a qualidade dos serviços 20% 80% Alocação dos custos das atividades aos serviços (em $) Serviços Atividades Total A B Realizar manutenção preventiva 25.000 125.000 150.000 Realizar manutenção corretiva 36.000 144.000 180.000 Supervisionar serviços 17.500 52.500 70.000 Controlar a qualidade dos serviços 20.000 80.000 100.000 Total 98.500 401.500 500.000 d) Margem bruta e lucro: d1) CIP com base no custo direto: Serviços (em $) Total A B Receita líquida 790.715 994.620 1.785.335 Custos diretos Depreciação de veículos 0 80.000 80.000 Salários e encargos sociais 200.000 120.000 320.000 Depreciação da planta básica 100.000 0 100.000 Material para reparos 0 45.000 45.000 Energia elétrica 155.000 0 155.000 Custos indiretos 325.000 175.000 500.000 Lucro bruto 10.715 574.620 585.335 Margem bruta 1,36% 57,77% 32,79% 63
  • 62. d2) CIP com base no custo de MOD: Serviços (em $) Total A B Receita líquida 790.715 994.620 1.785.335 Custos diretos Depreciação de veículos 0 80.000 80.000 Salários e encargos sociais 200.000 120.000 320.000 Depreciação da planta básica 100.000 0 100.000 Material para reparos 0 45.000 45.000 Energia elétrica 155.000 0 155.000 Custos indiretos 312.500 187.500 500.000 Lucro bruto 23.215 562.120 585.335 Margem bruta 2,94% 56,52% 32,79% d3) CIP pelo ABC: Serviços (em $) Total A B Receita líquida 790.715 994.620 1.785.335 Custos diretos Depreciação de veículos 0 80.000 80.000 Salários e encargos sociais 200.000 120.000 320.000 Depreciação da planta básica 100.000 0 100.000 Material para reparos 0 45.000 45.000 Energia elétrica 155.000 0 155.000 455.000 245.000 700.000 Custos indiretos Realizar manutenção preventiva 25.000 125.000 150.000 Realizar manutenção corretiva 36.000 144.000 180.000 Supervisionar serviços 17.500 52.500 70.000 Controlar a qualidade dos serviços 20.000 80.000 100.000 98.500 401.500 500.000 Custo total 553.500 646.500 1.200.000 Lucro bruto 237.215 348.120 585.335 Margem bruta 30% 35% 32,79% 64
  • 63. EXERCÍCIO EXTRA A empresa Rede Services dedica-se à prestação de dois serviços, na área de informática: l Montagem e manutenção de homepages (páginas na Internet): Serviço A: Re- ceita Líquida no período = $ 860.965 l Instalação e manutenção de rede interna em empresas (Intranet): Serviço B: Receita Líquida no período = $ 1.262.273 Em determinado período, foram registrados os seguintes custos diretos: Serviço A Serviço B Depreciação de veículos -0- 20.000 Salários e encargos sociais do pessoal 100.000 130.000 Depreciação de equipamentos de processamento de dados 80.000 15.000 Softwares e hardwares utilizados 45.000 380.000 Energia elétrica 170.000 -0- Os Custos Indiretos, comuns aos dois serviços, foram de $ 500.000 para o mesmo período. Por meio de entrevistas, análise de dados na contabilidade etc., verificou-se que os custos indiretos referiam-se às seguintes atividades: Atividade $ Treinar e aperfeiçoar pessoal 150.000 Realizar manutenção preventiva 110.000 Realizar manutenção corretiva 80.000 Supervisionar Serviços 70.000 Controlar a qualidade dos serviços 90.000 Total 500.000 Lista de possíveis direcionadores de custos: Serviço A Serviço B No de horas de manutenção preventiva 200 1.400 No de horas de manutenção corretiva 80 320 Tempo dedicado pelos supervisores 15% 85% N de horas de treinamento o 100 300 No de pontos de inspeção de controle de qualidade 2 8 Quantidade de homepages montadas 80 -0- Quantidade de redes instaladas -0- 15 Pede-se para calcular: a) O valor dos custos indiretos, por tipo de serviço, segundo o rateio com base no custo direto. 65
  • 64. b) Idem, segundo o Custeio Baseado em Atividades (ABC). c) A margem bruta de lucro, em porcentagem, por tipo de serviço, e no total, segundo o Custeio Baseado em Atividades (ABC). SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Custos indiretos à base do custo direto: Serviço A Serviço B Total Custos diretos (em $) 395.000 545.000 940.000 Proporção 42,02% 57,98% 100% Custos indiretos (em $) 210.100 289.900 500.000 b) Custos indiretos pelo ABC: Escolha dos direcionadores para as atividades: Atividades Direcionadores Treinar e aperfeiçoar pessoal No de horas de treinamento Realizar manutenção preventiva No de horas de manutenção preventiva Realizar manutenção corretiva No de horas de manutenção corretiva Supervisionar serviços Tempo dedicado pelos supervisores Controlar a qualidade dos serviços No de pontos de inspeção de controle de qualidade Proporções: Serviços Atividades A B Treinar e aperfeiçoar pessoal 25% 75% Realizar manutenção preventiva 12,50% 87,50% Realizar manutenção corretiva 20% 80% Supervisionar serviços 15% 85% Controlar a qualidade dos serviços 20% 80% Alocação dos custos das atividades aos serviços (em $): Serviços Atividades A B Total Treinar e aperfeiçoar pessoal 37.500 112.500 150.000 Realizar manutenção preventiva 13.750 96.250 110.000 Realizar manutenção corretiva 16.000 64.000 80.000 Supervisionar serviços 10.500 59.500 70.000 Controlar a qualidade dos serviços 18.000 72.000 90.000 Total 95.750 404.250 500.000 66
  • 65. c) Margem bruta de lucro: Serviços Total A B Receita líquida 860.965 1.262.273 2.123.238 Custos diretos Depreciação de veículos – 20.000 20.000 Salários e encargos sociais 100.000 130.000 230.000 Depreciação de equipamentos 80.000 15.000 95.000 Softwares e hardwares utilizados 45.000 380.000 425.000 Energia elétrica 170.000 – 170.000 Custos indiretos Treinar e aperfeiçoar pessoal 37.500 112.500 150.000 Realizar manutenção preventiva 13.750 96.250 110.000 Realizar manutenção corretiva 16.000 64.000 80.000 Supervisionar serviços 10.500 59.500 70.000 Controlar a qualidade dos serviços 18.000 72.000 90.000 Lucro bruto 370.215 313.023 683.238 Margem bruta 43% (a) 25% (b) 32% Margem bruta (MB) = Lucro bruto / Receita (a) MBA = 370.215/860.965= 43% (b) MBB = 313.023/1.262.273= 25% 67
  • 66. 9 Aplicação de Custos Indiretos de Produção SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Taxa predeterminada de custos indiretos de produção, por tonelada: Custos Indiretos de Produção Orçados (exceto manutenção) 5.754.000 Custos Indiretos de Produção Orçados (manutenção) 2.466.000 TOTAL 8.220.000 $ 8.220.000 Taxa Orçada = = $ 2,50/t 3.288.000 t b) Taxa real de custos indiretos de produção, por tonelada: Custos Indiretos de Produção (exceto manutenção) 5.920.300 Custos Indiretos de Produção (manutenção) 2.507.470 TOTAL 8.427.770 $ 8.427.770 Taxa Real = = $ 2,69/t 3.133.000 t c) Variação total de custos indiretos de produção (em $): CIP Aplicados = $ 2,50/t × 3.133.000 t = $ 7.832.500 Custos Indiretos de Produção Real Incorridos = $ 8.427.770 Assim, a Variação Total de CIP = CIP Real Incorrido – CIP Aplicado = = $ 8.427.770 – $ 7.832.500 = = $ 595.270 d) Variação total de custos indiretos de produção (em %): Orçado para Real para Variação 3.288.000 t 3.133.000 t 3.133.000 t (em $) (em %) Total $ 8.220.000 $ 7.832.500 $ 8.427.770 $ 595.270 7,6 (D) Unidade $ 2,50/t $ 2,50/t $ 2,69/t $ 0,19/t 7,6 (D)
  • 67. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 9.1 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: A 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: E 5. Alternativa correta: D SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 9.2 a) Taxa de aplicação de custos indiretos de produção utilizada: $ 3.900.000 + $ 5.500.000 Taxa Orçada = = $ 587,50/h 16.000 h b) Taxa que seria prevista, se já se estimassem 19.000 h: $ 5.500.000 Custos Variáveis = = $ 343,75/h 16.000 h $ 3.900.000 Custos Fixos = ≅ $ 205,26/h 19.000 h Taxa que seria utilizada = $ 343,75/h + $ 205,26/h = $ 549,01/h c) Valor dos custos indiretos de produção aplicados: CIP Aplicados = 19.000 h × $ 587,50/h = $ 11.162.500 d) Variação de volume: l Custos Indiretos de Produção Aplicados: $ 11.162.500 l CIP que deveriam ter sido aplicados (19.000 h × $ 549,01): $ 10.431.190 VARIAÇÃO DE VOLUME $ 731.310 (F) e) Variação de custo: l CIP orçado para 16.000 h: $ 9.400.000 l CIP ajustado para 19.000 h: $ 10.431.190 l CIP real: $ 11.800.000 VARIAÇÃO DE CUSTO = CIP real – CIP ajustado para 19.000 h = = $ 11.800.000 – $ 10.431.190 = $ 1.368.810 (D) f) Variação total de custos indiretos de produção (em $): Variação de custo: $ 1.368.810 (D) Variação de volume: $ 731.310 (F) VARIAÇÃO TOTAL $ 637.500 (D) 69
  • 68. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 9.3 a) Custo médio estimado, por cópia: $ 2.020 + $ 14.480 $ 16.500 Custos Fixos = = = $ 0,11/cópia 150.000 cópias 150.000 cópias Custos Variáveis: $ 0,60/cópia CUSTO MÉDIO ESTIMADO $ 0,71/cópia b) Custo por cópia que teria estimado para 180.000 cópias: $ 2.020 + $ 14.480 $ 16.500 Custos Fixos = = = $ 0,092/cópia 180.000 cópias 180.000 cópias 30.000 × $ 0,75 Custos Fixos adicionais das 30.000 cópias = = $ 0,125/cópia 180.000 cópias Custos Variáveis: $ 0,600/cópia CUSTO TOTAL $ 0,817/cópia c) Variação de volume: l CF Apropriados (180.000 cópias × $ 0,11/cópia): $ 19.800 l CIP que deveriam ter sido aplicados (180.000 cópias × $ 0,0917/cópia): $ 16.506 VARIAÇÃO DE VOLUME $ 3.294 (F) d) Variação de custo: l Custo orçado ajustado ao volume real: Fixos: $ 16.500 Variáveis: (180.000 cópias × $ 0,60/cópia) + (30.000 cópias × $ 0,75/cópia) $ 130.500 $ 147.000 l CIP real: $ 116.160 + $ 22.500 + $ 14.480 $ 153.140 VARIAÇÃO DE CUSTO = CIP real – CIP previsto para 180.000 cópias = = $ 153.140 – $ 147.000 = $ 6.140 (D) e) Variação total de custos indiretos de produção (em $): Variação de Volume: $ 3.294 (F) Variação de Custo: $ 6.140 (D) VARIAÇÃO TOTAL $ 2.846 (D) 70
  • 69. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 9.4 a) Taxa horária de aplicação de custos utilizada: $ 1.032.000 Taxa Orçada = = $ 129/h 8.000 h b) Valor dos custos aplicados: Custos Aplicados = 10.000 h × $ 129/h = $ 1.290.000 c) Variação de custo: Custo Real Incorrido: $ 1.150.000 Custos Aplicados: $ 1.290.000 VARIAÇÃO DE CUSTO = Custo Real – Custos Aplicados = = $ 1.150.000 – $ 1.290.000 = $ 140.000 (F) EXERCÍCIO EXTRA Assinalar a alternativa correta: 1. Para que se tenha uma taxa de aplicação de custos indiretos, é necessário es- timar: a) Preço de venda e volume de produção. b) Receita total e custo indireto do período. c) Volume de produção e custos indiretos. d) Mão-de-obra direta e volume de produção. e) Preço de venda e mão-de-obra indireta. 2. Para formular uma boa taxa de aplicação de custos indiretos é necessário se- parar: a) Receita bruta e despesa. b) Custos fixos e variáveis. c) Custos fixos e indiretos. d) Receita e custos diretos. e) Custo e despesa diretos. 3. Considere as estimativas e definições a seguir: I – Do volume de atividade. II – Do rateio dos custos indiretos. III – Dos custos fixos. IV – Dos custos variáveis. V – Do critério de apropriação dos custos indiretos aos produtos. A seqüência correta para elaboração da taxa predeterminada de custos indi- retos é: a) I, II, III, IV e V. b) I, II, V, III e IV. 71
  • 70. c) I, III, IV, V e II. d) I, II, IV, III e V. e) I, V, IV, II e III. 4. O saldo da conta de variação de CIP, no fim do período, deve ser: a) Extinto. b) Mantido. c) Equilibrado. d) Ativado. e) Estimado. 5. No final do período contábil, o saldo da conta de variações de CIP deve ser distribuído a: a) Resultado e provisão. b) Resultado e estoques. c) Variação de CIP no PL. d) Resultado e conta caixa. e) Estoques e imobilizado. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Alternativa correta: C b) Alternativa correta: B c) Alternativa correta: C d) Alternativa correta: A e) Alternativa correta: B 72
  • 71. 10 Materiais Diretos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Matéria-prima: 1 arruela grande Com 300 g de matéria-prima produz 1 arruela pequena Peso da grande = 2 vezes o peso da pequena Para produzir uma grande e uma pequena perde-se material correspondente ao peso da pequena, ou seja: Sobra = peso da pequena Se o peso da grande = peso da pequena + sobra, então o material gasto para produzir uma grande, uma pequena e a sobra é igual ao material necessário para pro- duzir duas grandes. 1 grande: 300 g/2 = 150 g Em 300g, obtém-se 1 pequena: 150 g/2 = 75 g sobra = peso da pequena: 75 g Se com 300 g se produz uma arruela de cada tipo, então o total de arruelas pro- duzidas de cada tipo: 72.000 kg/0,3 kg = 240.000. As sobras da matéria-prima são de 240.000 × 0,075 kg = 18.000 kg, e elas são vendidas por $ 3,00/kg. Logo, são um subproduto a reduzir o custo da matéria-prima utilizada. Custo da matéria-prima consumida no período: (72.000 kg × $ 12/kg) – (18.000 kg × $ 3,00/kg) = $ 810.000 Custo/kg de matéria-prima contida nas arruelas: $ 810.000 $ 810.000 = = $ 15/kg (240.000 × 0,15 kg) + (240.000 × 0,075 kg) (36.000 kg + 18.000 kg) Arruela grande: (0,15 kg × $ 15/kg) × 50 un. = $ 112,50 Arruela pequena: (0,075 kg × $ 15/kg) × 50 un. = $ 56,25
  • 72. b) Niquelagem: Arruela grande: (0,15 kg × $ 10/kg) × 50 un. = $ 75,00 Arruela pequena: (0,075 kg × $ 10/kg) × 50 un. = $ 37,50 c) Mão-de-obra direta: O custo da mão-de-obra direta é igual para os dois tamanhos, já que a prensa, uma vez acionada pelo operário, estampa as duas ao mesmo tempo. $ 360.000 Mão-de-obra direta = = $ 0,75 480.000 Arruela grande: $ 0,75/un. × 50 un. = $ 37,50 Arruela pequena: $ 0,75/un. × 50 un. = $ 37,50 d) Depreciação: O custo de depreciação é igual para os dois tamanhos, já que a prensa, uma vez acionada, estampa as duas ao mesmo tempo. $ 480.000 480.000 arruelas Depreciação: × = $ 48/h × 400 h = $ 19.200 10.000 h 1.200 arruelas/h $ 19.200 Depreciação = = $ 0,04 480.000 Arruela grande: $ 0,04/un. × 50 un. = $ 2 Arruela pequena: $ 0,04/un. × 50 un. = $ 2 e) Total: Caixa com 50 arruelas grandes: $ 112,50 + $ 75 + $ 37,50 + $ 2 + $ 2 = $ 229 Caixa com 50 arruelas pequenas: $ 56,25 + $ 37,50 + $ 37,50 + $ 2 + $ 1,50 = $ 134,75 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 10.1 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: C 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: C SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 10.2 Cálculo do custo da matéria-prima: Matéria-prima = $ 160.000 – $ 10.000 = $ 150.000 $ 150.000 Custo por tonelada = 30.000 kg = $ 5/kg 74
  • 73. Custo da matéria-prima no período = $ 5/kg × 600 kg = $ 3.000 Custo da terra comprada = $ 240/caminhão × 10 caminhões = $ 2.400 TOTAL $ 5.400 No entanto, 7 tijolos de 6 furos consomem matéria-prima equivalente a 5 tijolos de 2 furos. Logo, SEIS DOIS DOIS SEIS 4.200 X 5 7 7 5 X 4.200 X = 3.000 tijolos Portanto, 4.200 tijolos de seis furos consomem material equivalente a 3.000 de dois furos. Logo, a matéria-prima total consumida para produzir 4.200 de seis furos e 2.400 de dois equivale à consumida para 5.400 de dois furos (3.000 + 2.400). a) Custo de matéria-prima para tijolos de dois furos: Matéria-prima para 2.400 un. de 2 furos: $ 5.400 Custo unitário de MP = = $ 1,00/un. 5.400 un. Custo de MP para tijolos de dois furos = $ 1,00/un. × 2.400 un. = $ 2.400 b) Custo de matéria-prima para tijolos de seis furos: Matéria-prima para 4.200 un. de seis furos: $ 5.400 Custo unitário de MP = = $ 1,00/un. 5.400 un. Custo de MP para tijolos de seis furos = $ 1,00/un. × 4.200 un. = $ 4.200 c) Custo de mão-de-obra direta para tijolos de dois furos: É gasto o mesmo tempo para os dois tipos. $ 26.400 Custo unitário de MOD = = $ 4,00/un. (4.200 + 2.400) un. Custo de MOD para tijolos de dois furos = $ 4,00/un. × 2.400 un. = $ 9.600 d) Custo de mão-de-obra direta para tijolos de seis furos: É gasto o mesmo tempo para os dois tipos. $ 26.400 Custo unitário de MOD = = $ 4,00/un. (4.200 + 2.400) un. Custo de MOD para tijolos de seis furos = $ 4,00/un. × 4.200 un. = $ 16.800 75
  • 74. e) Custos diretos de depreciação dos tijolos de dois furos: $ 18.000 Depreciação específica para dois furos: = $ 75/mês 240 meses (Custo Direto) f) Custos diretos de depreciação dos tijolos de seis furos: $ 42.000 Depreciação específica para seis furos: = $ 175/mês 240 meses (Custo Direto) g) Custos indiretos de produção para tijolos de dois furos rateando à base de matéria-prima: Equipamentos utilizados na produção: $ 180.000 (–) relativo ao equipamento para seis furos: ($ 42.000) relativo ao equipamento para dois furos: ($ 18.000) Equipamentos comuns à produção toda $ 120.000 Depreciando os $ 120.000 à base de matéria-prima consumida, obtém-se: $ 120.000 Depreciação por mês = = $ 500/mês 240 meses Como o volume de produção daquele mês foi o equivalente a 5.400 un. de tijolos de dois furos, para o de dois furos, obtém-se: 500 5.400 un. X 2.400 un. X = $ 222,22 E para o de 6 furos: 500 5.400 un. Y 3.000 un. Y = $ 277,77 Custo de depreciação total do de dois furos: $ 222,22 + $ 75 = $ 297,22 h) Custos indiretos de produção para tijolos de seis furos, rateando à base de matéria-prima: Custo de depreciação total do de seis furos: $ 277,77 + $ 175 = $ 452,77 i) Custo de produção de cada tipo de tijolo por milheiro: Tijolos 2 furos 6 furos Matéria-prima 2.400,00 3.000,00 Mão-de-obra Direta 9.600,00 16.800,00 Custos Indiretos de Produção: Depreciação Específica 75,00 175,00 Depreciação Comum 222,22 277,77 CUSTO TOTAL 12.297,22 20.252,77 76
  • 75. DOIS FUROS: a produção processada foi de 2.400 tijolos, mas, descontando- se os 5% de perdas, chega-se a um volume de 2.400 × 95% = 2.280 tijolos. $ 12.297,22 Logo, o custo de 1 milheiro = = $ 5.393,52/milheiro 2,28 milheiros SEIS FUROS: a produção processada foi de 4.200 tijolos, mas, descontando- se os 5% de perdas, chega-se a um volume de 4.200 × 95% = 3.990 tijolos. $ 20.252,77 Logo, o custo de 1 milheiro = = $ 5.075,88/milheiro 3,99 milheiros SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 10.3 Ueps Entradas Saídas Saldos Dia Qtde. Preço/un. Total Qtde. Preço/un. Total Qtde. Preço/un. Total 4 90 1,10 99,00 90 1,10 99 11 20 1,10 22,00 70 1,10 77 42 1,32 55,44 70 1,10 77,00 14 42 1,32 55,44 112 132,44 18 1,32 23,76 70 1,10 77,00 17 24 1,32 31,68 94 108,68 60 1,28 76,80 70 1,10 77,00 24 24 1,32 31,68 60 1,28 76,80 154 185,48 29 54 1,28 69,12 70 1,10 77,00 24 1,32 31,68 6 1,28 7,68 100 116,36 TOTAL 192 231,24 92 114,88 100 116,36 Custo total = $ 4.135,12 + $ 114,88 = $ 4.250,00 Receita X (–) Custos 4.250 Lucro Bruto 3.950 X – 3.950 = 4.250 X = $ 8.200 77
  • 76. a) Primeiro a entrar, primeiro a sair (Peps): Entradas Saídas Saldos Dia Qtde. Preço/un. Total Qtde. Preço/un. Total Qtde. Preço/un. Total 4 90 1,10 99 90 1,10 99 11 20 1,10 22 70 1,10 77 42 1,32 55,44 70 1,10 77,00 14 42 1,32 55,44 112 132,44 18 1,10 19,80 52 1,10 57,20 17 42 1,32 55,44 94 112,64 60 1,28 76,8 52 1,10 57,20 24 42 1,32 55,44 60 1,28 76,80 154 189,44 52 1,10 57,20 40 1,32 52,80 29 2 1,32 2,64 60 1,28 76,80 54 59,84 100 129,60 Total 192 231,24 92 101,64 100 129,60 Custo total = $ 4.135,12 + $ 101,64 = $ 4.236,76 Receita 8.200,00 (–) Custos 4.236,76 Lucro Bruto 3.963,24 b) Custo médio ponderado móvel: Entradas Saídas Saldos Dia Qtde. Preço/un. Total Qtde. Preço/un. Total Qtde. Preço/un. Total 4 90 1,10 99,00 90 1,10 99,00 11 20 1,10 22,00 70 1,10 77,00 14 42 1,32 55,44 112 1,18 132,44 17 18 1,18 21,24 94 1,18 111,20 24 60 1,28 76,80 154 1,22 188,00 29 54 1,22 65,88 100 1,22 122,12 Total 192 231,24 92 109,12 100 122,12 Custo total = $ 4.135,12 + $ 109,12 = $ 4.244,24 Receita 8.200,00 (–) Custos 4.244,24 Lucro Bruto 3.955,76 78
  • 77. c) Custo médio ponderado fixo: Compras: 90 dúzias: $ 99,00 42 dúzias: $ 55,44 60 dúzias: $ 76,80 192 dúzias: $ 231,24 $ 231,24 Custo Médio = = $ 1,20/dúzia 192 dz Consumo: Custo Médio = $ 1,20/dz × 92 dz = $ 110,40 Custo total = $ 4.135,12 + $ 110,40 = $ 4.245,52 Receita 8.200,00 (–) Custos 4.245,42 Lucro Bruto 3.954,48 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 10.4 a) Custo do material transferido para a fundição: 0,82 × $ 80.000 = $ 65.600 b) Peso do material transferido para a usinagem: 0,95 × 16.000 kg = 15.200 kg c) Peso do material que sobra na usinagem: 5% de 15.200 kg = 760 kg d) Receita da venda das sobras: $ 2 × 760 kg = $ 1.520 Logo, o valor de custo do material consumido: $ 65.000 – $ 1.520 = $ 64.080 EXERCÍCIO EXTRA Em meados de determinado mês, a empresa Filomena adquire matéria-prima para sua produção de mesas e cadeiras por $ 100.000, com pagamento previsto para 60 dias. A taxa de juros está em 1,8% a.m. no mês da compra, e estima-se que nos três meses seguintes esteja ao redor de 2,0% a.m. 79
  • 78. Considerando-se que a Contabilidade Financeira e a de Custos trabalhem com o conceito de valor presente, PEDE-SE PARA CALCULAR o custo de aquisição a ser con- siderado na entrada do estoque. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA VF VP = (1 + i)n 100.000 VP = (1,018) × 1,02 × (1,02)0,5 0,5 100.000 100.000 VP = = 1,0090 × 1,02 × 1,0100 1,0395 VP = $ 96.200 VP = Valor Presente VF = Valor Futuro i = taxa de juros na forma decimal n = número de períodos Logo, o valor de custo a ser considerado é $ 96.200. 80
  • 79. 11 Mão-de-obra Direta SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Dias à disposição da empresa Número total de dias do ano 365 (–) Domingos (48) (–) Sábados (48) (–) Férias (30) (–) Faltas abonadas e Feriados (15) Dias à disposição da empresa 224 Número de horas de trabalho por dia: 44 h/5 dias = 8,8 h a) Custo total do funcionário para a empresa, por ano (em $): Salário: 224 dias × 8,8 h × $ 5/h 9.856,00 Repousos semanais, faltas e feriados: 111 dias × 7,333 h × $ 5/h 4.070,00 13o Salário: 30 dias × 7,333 h × $ 5/h 1.100,00 Férias: 30 dias × 7,333 h × $ 5/h 1.100,00 Adicional Constitucional de Férias 366,67 16.492,67 (+) Contribuições Sociais (36,8%) 6.069,30 Custo total anual 22.561,97 b) Número médio de horas que o funcionário fica à disposição da empresa, por ano: Número de horas de trabalho por ano: 8,8 h/dias × 224 dias = 1.971,20 h c) Custo médio de horas que o funcionário fica à disposição da empresa, por ano: $ 22.561,97 Custo médio = ≅ $ 11,95/h 1.971,20 h
  • 80. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 11.1 1. Alternativa correta: D 2. Alternativa correta: E 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: D 5. Alternativa correta: C SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 11.2 Dias à disposição da empresa Número total de dias do ano 365 (–) Repousos semanais (48) (–) Férias (30) (–) Feriados (12) (–) Faltas abonadas (3) Dias à disposição da empresa 272 Número de horas de trabalho por dia: 42 h/6 dias = 7 h a) Custo total do funcionário para a empresa, por ano (em $): Salário: 272 dias × 7 h × $ 5/h 9.520,00 Repousos semanais, feriados e faltas: 63 dias × 7 h × $ 5/h 2.205,00 13o Salário: 30 dias × 7 h × $ 5/h 1.050,00 Férias: 30 dias × 7 h × $ 5/h 1.050,00 Adicional Constitucional de Férias 350,00 14.175,00 (+) Contribuições Sociais (36%) 5.130,00 CUSTO TOTAL ANUAL 19.278,00 b) Número médio de horas que o funcionário fica à disposição da empresa, por ano: Número de horas de trabalho por ano: 7 h/dia × 272 dias = 1.904 h c) Custo médio de horas que o funcionário fica à disposição da empresa, por ano: $ 19.278 Custo médio = ≅ $ 10,13/h 1.904 h 82
  • 81. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 11.3 a) Custo total, por ano, da funcionária: Meses $ a) Salário 11,33 17.000 b) Férias 2/3 (descanso) 0,67 1.000 c) Abono Pecuniário das Férias 1/3 ($) 0,33 500 d) 13 Salário o 1,00 1.500 e) Adicional Constitucional de Férias (1/3 do b) 0,22 333 f) Adicional Constitucional de Férias (1/3 do c) 0,11 167 Subtotal 20.500 g) Contribuição Social 35% sobre (a + b + d + e) 6.942 CUSTO TOTAL ANUAL 27.442 b) Custo total, por ano, do funcionário: Meses $ a) Salário 11,33 22.667 b) Férias 2/3 (descanso) 0,67 1.333 c) Abono Pecuniário das Férias 1/3 ($) 0,33 667 d) 13o Salário 1,00 2.000 e) Adicional Constitucional de Férias (1/3 do b) 0,22 444 f) Adicional Constitucional de Férias (1/3 do c) 0,11 222 Subtotal 27.333 g) Contribuição Social 35% sobre (a + b + d + e) 9.255 CUSTO TOTAL ANUAL 36.588 c) Custo dos encargos, em porcentagem: Custo dos encargos b + c + d + e + f + g $ 10.442 = = × 100 = 61,42% da funcionária a $ 17.000 Custo dos encargos b + c + d + e + f + g $ 13.921 = = × 100 = 61,42% do funcionário a $ 22.667 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 11.4 a) Salários (em $): 1o trimestre: 90 dias × 7,3333 h = 660 h × $ 10/h = $ 6.600,00 2o trimestre: 91 dias × 7,3333 h = 667,33 h × $ 11/h = $ 7.340,63 3o trimestre: 92 dias × 7,3333 h = 674,66 h × $ 12/h = $ 8.095,96 4o trimestre: 92 dias × 7,3333 h = 674,66 h × $ 13/h = $ 8.770,63 TOTAL 2.676,65 h $ 30.807,22 83
  • 82. b) Outras verbas a pagar: 13o salário: 220 h × $ 13/h = $ 2.860,00 Férias: 220 h × $ 14/h = $ 3.080,00 Adicional Constitucional $ 1.026,67 TOTAL $ 6.966,67 c) Contribuições sociais: 36,8% sobre (a + b) = $ 13.900,79 d) Custo total: Custo total: a + b + c = $ 51.674,68 e) Estimativa de tempo à disposição da empresa: 365 dias – 52 dias – 12 dias = 301 dias × 7,333 h ≅ 2.207,32 h f) Custo por hora médio: d/e = $ 51.674,68/2.207,32 h = $ 23,4106/h g) Salário por hora médio: Salário/h médio = $ 30.807,22/2.676,65 h ≅ $ 11,51/h (Ver os cálculos na alínea a) h) Na média do ano, o custo médio é $ 23,4106/h e o salário médio, $ 11,51/h; mas, como o salário varia de $ 10 a $ 13, é necessário fazer (regra de três): 23,4106 11,51 X 10,00 X = $ 20,3394 Logo, obter-se-á: Trimestres Salário-hora ($/h) Custo-hora ($/h) 1o 10 20,3394 2 o 11 22,3733 3 o 12 24,4072 4o 13 26,4412 Prova do acerto 1o Tri 2o Tri 3o Tri 4o Tri Total Número total de dias 90 91 92 92 365 (–) Domingos (13) (13) (13) (13) (52) (–) Feriados (3) (3) (3) (3) (12) Dias à disposição da empresa 74 75 76 76 301 Número de horas à disposição 542,66 550 557,33 557,33 2.207,32 Custo-hora (em $) 20,3394 22,3733 24,4072 26,4412 – Valor da MOD apropriada 11.037,46 12.305,26 13.602,88 14.736,50 51.682,10 que é o mesmo custo total anual (ver alínea d), cqd. (A pequena diferença, de apenas $ 7,42, deve-se aos arredondamentos.) 84
  • 83. Sr. Professor: Observe que o custo/hora de um funcionário em seu primeiro ano de trabalho na empresa geralmente é menor que nos anos seguintes. Isso ocorre porque no primeiro ano geralmente não há férias (ele ainda está ad- quirindo esse direito); a partir do segundo ano, o número de dias trabalhados é me- nor. Pode ocorrer exceção quando há férias coletivas no decorrer do primeiro ano de trabalho. EXERCÍCIO EXTRA Assinalar Falso (F) ou Verdadeiro (V): ( ) Mão-de-obra direta é a relativa ao pessoal que trabalha diretamente sobre os bens ou serviços em produção. ( ) Se há estimativas ou divisões proporcionais para alocação aos produtos, em termos contábeis, obtém-se a mão-de-obra como custo direto. ( ) Custo de mão-de-obra direta é o valor total da Folha de Salários relativa à mão-de-obra direta. ( ) Só deve ser considerado como custo de mão-de-obra direta dos produtos a parte relativa ao tempo realmente utilizado em sua produção. ( ) Há uma tendência, cada vez mais forte, à redução da proporção de mão-de- obra direta no custo total dos produtos. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA V, F, F, V, V 85
  • 84. 12 Problemas Especiais da Produção por Ordem: Custeio de Ordens e de Encomendas SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Custo de conversão, segregado por período (em $): 1o Período 2o Período Total Mão-de-obra 50.000 72.800 122.800 Custos Indiretos 100.000 145.600 245.600 TOTAL 150.000 218.400 368.400 40,72% 59,28% b) Parcela da receita proporcional ao material empregado: No primeiro período $ 72.000 + 10% = $ 79.200 60% No segundo $ 48.000 + 10% = $ 52.800 40% TOTAL $ 132.000 100% c) Resultado global da encomenda (em $): Receita 540.000 Material (120.000) Mão-de-obra (122.800) Indiretos (245.600) LUCRO 51.600 Obs.: esse lucro será reconhecido da seguinte forma: l $ 12.000 com base no MAT l $ 39.600 com base no custo de conversão
  • 85. d) Lucro bruto do primeiro período: Receita: Proporcional ao Material $ 79.200 Proporcional ao Custo de Conversão $ 166.138 (40,72% de 540.000 – 132.000) RECEITA TOTAL $ 245.338 Custos: Material $ 72.000 Mão-de-Obra $ 50.000 Indiretos $ 100.000 CUSTO TOTAL ($ 222.000) LUCRO BRUTO $ 23.338 e) Lucro bruto do segundo período: Receita: Proporcional ao Material $ 52.800 Proporcional ao Custo de Conversão $ 241.862 (59,28% de 540.000 – 132.000) RECEITA TOTAL $ 294.662 Custos: Material $ 48.000 Mão-de-Obra $ 72.800 Indiretos $ 145.600 CUSTO TOTAL ($ 266.400) LUCRO BRUTO $ 28.262 Sr. Professor: Como atividade adicional, pode pedir aos alunos que registrem toda a operação em razonetes. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 12.1 1. Alternativa correta: A 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: B 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: C 87
  • 86. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 12.2 a) Custo da etapa completada no primeiro ano: Em um ano foram executados 500 km de pavimentação → 25% da obra Logo, o custo desta etapa do serviço é de: 25% de $ 10.000.000 = $ 2.500.000 b) Valor do lucro bruto do primeiro ano: Receita = 25% de $ 15.000.000 = $ 3.750.000 (–) Custo ($ 2.500.000) LUCRO BRUTO DO 1 ANOo $ 1.250.000 c) Custo da etapa do serviço prestado no segundo ano: Taxa do Custo do 2o ano: 70% – 25% do primeiro ano = 45% em rela- ção ao total da obra. Porém, em relação ao saldo dos 75% a serem executa- dos nos dois últimos anos, esta etapa representa 60% = (45/75). Custo previsto 10.000.000 (–) Custo completo no 1o ano (2.500.000) SALDO 7.500.000 Aumento de 10% 750.000 8.250.000 Logo, o custo da etapa do serviço prestado no segundo ano é de: 60% de $ 8.250.000 = $ 4.950.000 d) Valor do lucro bruto do segundo ano: Receita: 70% de $ 15.000.000 = $ 10.500.000 Receita do 2o ano = $ 10.500.000 – $ 3.750.000 = $ 6.750.000 (–) Custo da etapa do serviço prestado no 2o ano ($ 4.950.000) LUCRO BRUTO DO 2o ANO $ 1.800.000 e) Custo da etapa do serviço prestado no terceiro ano: Custo Aplicado: 30% do total da obra. Porém, em relação ao saldo dos 75% dos dois últimos anos (em que houve o aumento de custos) esta etapa representa 40% = (30/75) Logo, o custo da etapa do serviço prestado no terceiro ano é de 40% de $ 8.250.000 = $ 3.300.000. Outra forma de chegar a esse valor é reconhecer que esses 30% realiza- dos no terceiro ano correspondem a 100% do saldo. Então: Saldo total: $ 8.250.000 do saldo com aumento (–) Parcela já apropriada no segundo ano: ($ 4.950.000) $ 3.300.000 88
  • 87. f) Resultado bruto da empreitada (em $ mil): Receita: $ 15.000 (–) Custo: 1o ano 2.500 2 ano o 8.250 ($ 10.750) LUCRO BRUTO $ 4.250 Que corresponde à soma do lucro bruto apropriado em cada um dos três anos: $ 1.250 + $ 1.800 + $ 1.200 = $ 4.250 Sr. Professor: Como atividade extra, pode solicitar aos alunos que registrem em razonetes toda a operação, ano a ano. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 12.3 Produtos Custos Grandes Médias Pequenas Matéria-prima $ 30/un. $ 25/un. $ 18/un. Energia Elétrica $ 2/hm $ 2/hm $ 2/hm Mão-de-obra Direta $ 10/hmod $ 10/hmod $ 10/hmod Outros Custos Variáveis $ 8/hm $ 8/hm $ 8/hm Custos Fixos $ 18.000 Grandes Médias Pequenas Total Volume (un.) 165 95 98 358 Horas MOD 231 95 98 424 Proporção (hmod) 54,48% 22,41% 23,11% 100% Horas MAQ 297 133 98 528 Proporção (hmaq) 56,25% 25,19% 18,56% 100% a) Custo da encomenda das grandes, à base de horas-máquina: Para 165 unidades: l Matéria-prima ($ 30/un. × 165 un.): $ 4.950,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 231 hmod): $ 2.310,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 297 hmaq): $ 594,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 297 hmaq): $ 2.376,00 l Custos Fixos (56,25% de $ 18.000): $ 10.125,00 CUSTO DA ENCOMENDA $ 20.355,00 89
  • 88. b) Custo da encomenda das médias, à base de horas-máquina: Para 95 unidades: l Matéria-prima ($ 25/un. × 95 un.): $ 2.375,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 95 hmod): $ 950,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 133 hmaq): $ 266,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 133 hmaq): $ 1.064,00 l Custos Fixos (25,19% de $ 18.000): $ 4.534,20 CUSTO DA ENCOMENDA $ 9.189,20 c) Custo da encomenda das pequenas, à base de horas-máquina: Para 98 unidades: l Matéria-prima ($ 18/un. × 98 un.): $ 1.764,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 98 hmod): $ 980,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 98 hmaq): $ 196,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 98 hmaq): $ 784,00 l Custos Fixos (18,56% de $ 18.000): $ 3.340,80 CUSTO DA ENCOMENDA $ 7.064,80 d) Custo da encomenda das grandes, à base de horas MOD: Para 165 unidades: l Matéria-prima ($ 30/un. × 165 un.): $ 4.950,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 231 hmod): $ 2.310,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 297 hmaq): $ 594,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 297 hmaq): $ 2.376,00 l Custos Fixos (54,48% de $ 18.000): $ 9.806,40 CUSTO DA ENCOMENDA $ 20.036,40 e) Custo da encomenda das médias, à base de horas MOD: Para 95 unidades: l Matéria-prima ($ 25/un. × 95 un.): $ 2.375,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 95 hmod): $ 950,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 133 hmaq): $ 266,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 133 hmaq): $ 1.064,00 l Custos Fixos (22,41% de $ 18.000): $ 4.033,80 CUSTO DA ENCOMENDA $ 8.688,80 f) Custo da encomenda das pequenas, à base de horas MOD: Para 98 unidades: l Matéria-prima ($ 18/un. × 98 un.): $ 1.764,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 98 hmod): $ 980,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 98 hmaq): $ 196,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 98 hmaq): $ 784,00 l Custos Fixos (23,11% de $ 18.000): $ 4.159,80 CUSTO DA ENCOMENDA $ 7.883,80 90
  • 89. Sr. Professor: Sugestão de pergunta extra sobre este exercício: “Qual deverá ser o tratamento contábil das 11 unidades que sobrarem no estoque caso não haja perdas no processo produtivo?” SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 12.4 Material Mão-de-obra Ordem no Acaba- Acaba- Total 1.431 Corte Costura mento Corte Costura mento 01/02 500 100 70 300 200 100 1.270 Fev. – – 50 – – 25 75 28/02 500 100 120 300 200 125 1.345 Material Mão-de-obra Ordem no Acaba- Acaba- Total 1.432 Corte Costura mento Corte Costura mento 01/02 700 50 – 200 30 – 980 Fev. – 70 80 – 15 50 215 28/02 700 120 80 200 45 50 1.195 Material Mão-de-obra Ordem no Acaba- Acaba- Total 1.433 Corte Costura mento Corte Costura mento 01/02 300 – – 150 – – 450 Fev. – 200 120 – 36 75 431 28/02 300 200 120 150 36 75 881 Material Mão-de-obra Ordem no Acaba- Acaba- Total 1.434 Corte Costura mento Corte Costura mento 01/02 – – – – – – – Fev. 1.000 400 200 150 159 37,50 1.946,50 28/02 1.000 400 200 150 159 37,50 1.946,50 Material Mão-de-obra Ordem no Acaba- Acaba- Total 1.435 Corte Costura mento Corte Costura mento 01/02 – – – – – – – Fev. 800 250 – 100 30 – 1.180 28/02 800 250 – 100 30 – 1.180 91
  • 90. a) Valor de custo dos estoques de produtos em processamento em 28/02: Ordem no 1.435: $ 1.180 b) O valor de custo dos estoques de produtos acabados em 28/02: Ordem no 1.433: $ 881,00 Ordem no 1.434: $ 1.946,50 $ 2.827,50 EXERCÍCIO EXTRA Assinalar Falso (F) ou Verdadeiro (V): ( ) A contabilização de custos na Produção por Ordem só pode ser feita de forma analítica, ou seja, acompanhado-se todos os passos do processo produtivo. ( ) O critério de apropriação de resultados proporcionalmente à execução só pode ser utilizado em casos de obras ou encomendas contratadas com receita glo- bal definida. ( ) Em períodos de alta inflação, o correto é que todos os valores de custos e receitas estejam a valor presente e traduzidos para a mesma moeda. ( ) Quando ocorrem contratos de longo prazo, deve-se fazer a apropriação do resultado apenas no final de sua execução. ( ) No caso de obras públicas, o fisco brasileiro aceita que as empresas paguem o imposto de renda na proporção dos recebimentos e não na da execução dos serviços contratados. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA F, V, V, F, V 92
  • 91. 13 Problemas Especiais da Produção Contínua: Custeio por Processo SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO I. Pelo PEPS: JANEIRO Volume de produção: Unidades iniciadas e terminadas: 760 un. + semi-acabadas: 40 un. × 50%: 20 un. 780 un. a) Custo unitário: $ 1.950 Custo unitário: = $ 2,50/un. 780 un. b) Custo da produção acabada: Custo da produção acabada: $ 2,50/un. × 760 un. = $ 1.900 c) Custo do estoque final de produtos em elaboração: EFPP = $ 2,50/un. × (40 un. × 50%) = $ 50 FEVEREIRO Volume de produção (un.): Unidades iniciadas em janeiro e terminadas em fevereiro: 40 × 50% = 20 + iniciadas e terminadas no mês de fevereiro: 860 – 40 = 820 iniciadas em fevereiro e não terminadas: 80 × 50% = 40 880 un. a) Custo unitário: $ 2.640 Custo unitário: = $ 3,00/un. 880 un.
  • 92. b) Custo da produção acabada: (40 un. × 50% × $ 2,50/un.) + (40 un. × 50% × $ 3,00/un.) = $ 110 + (860 un. – 40 un.) × $ 3,00/un. $ 2.460 TOTAL $ 2.570 c) Custo do estoque final de produtos semi-acabados: EFPP = $ 3,00/un. × (80 un. × 50%) = $ 120 II. PELO CUSTO MÉDIO JANEIRO Volume de produção: Unidades iniciadas e terminadas: 760 un. + semi-acabadas: 40 un. × 50%: 20 un. 780 un. a) Custo unitário: $ 1.950 Custo unitário: = $ 2,50/un. 780 un. b) Custo da produção acabada: Custo da produção acabada: $ 2,50/un. × 760 un. = $ 1.900 c) Custo do estoque final de produtos semi-acabados: EFPP = $ 2,50/un. × (40 un. × 50%) = $ 50 FEVEREIRO Unidades em processamento trazidas de janeiro: 40 + iniciadas e terminadas no mês de fevereiro: 860 – 40 = 820 iniciadas em fevereiro e não terminadas: 80 × 50% = 40 900 un. Custos ($): EIPP = $ 2,50/un. × (40 un. × 50%) = $ 50 Total do mês de fevereiro: $ 2.640 $ 2.690 un. a) Custo médio unitário: $ 2.690 Custo unitário: = $ 2,99/un. 900 un. b) Custo da produção acabada: Custo da produção acabada: 860 un. × $ 2,99/un. = $ 2.571,40 c) Custo do estoque final de produtos semi-acabados: EFPP = $ 2,99/un. × (80 un. × 50%) = $ 119,60/un. 94
  • 93. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 13.1 1. Alternativa correta: D 2. F, V, V, F, V 3. C, O, C SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 13.2 a) Custo unitário: Matéria-prima: Custo: $ 9.500 Volume de Produção: 10.000 kg – (10.000 kg × 5%) = 9.500 kg $ 9.500 Custo unitárioMP: 9.500 kg = $ 1,00/kg Mão-de-Obra Direta: Custo: $ 7.200 Volume de Produção Unidades iniciadas e acabadas no mês: 8.000 kg + iniciadas e não terminadas (1.500 kg × 2/3): 1.000 kg 9.000 kg $ 7.200 Custo unitárioMOD: = $ 0,80/kg 9.000 kg Custos Indiretos de Produção: Custo: $ 4.500 Volume de Produção: 9.000 kg $ 4.500 Custo unitárioCIP: = $ 0,50/kg 9.000 kg Logo, Custo Unitário da Produção: $ 1,00/kg + $ 0,80/kg + $ 0,50/kg = $ 2,30/kg b) Custo do estoque final de produtos acabados: EFPAC = $ 2,30/kg × 8.000 kg = $ 18.400 c) Custo das unidades em processamento: Matéria-prima: 1.500 kg × $ 1,00/kg = $ 1.500 Mão-de-obra Direta: (1.500 kg × 2/3) × $ 0,80/kg = $ 800 Custos Indiretos de Produção: (1.500 kg × 2/3) × $ 0,50/kg = $ 500 TOTAL DO EFPP $ 2.800 95
  • 94. Conciliação: Somando-se o valor do estoque final de produtos acabados ($ 18.400) com o de produtos em elaboração ($ 2.800) chega-se a $ 21.200, que é o Custo Total de Produ- ção do mês: MP + MOD + CIP. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 13.3 JANEIRO a) Custo unitário: Matéria-prima: Custo: $ 100.000 Volume de Produção: 10.000 un. $ 100.000 Custo unitárioMP: = $ 10,00/un. 10.000 un. Mão-de-obra Direta: Custo: $ 46.000 Volume de Produção Unidades iniciadas e acabadas no mês: 9.000 un. + iniciadas e não terminadas (1.000 un. × 20%): 200 un. 9.200 un. $ 46.000 Custo unitárioMOD: = $ 5,00/un. 9.200 un. Custos Indiretos de Produção: Custo: $ 73.600 Volume de Produção: 9.200 un. $ 73.600 Custo unitárioCIP: = $ 8,00/un. 9.200 un. Logo, Custo Unitário Total: $ 10,00/un. + $ 5,00/un. + $ 8,00/un. = $ 23,00/un. b) Custo da produção acabada: CPA = $ 23,00/un. × 9.000 un. = $ 207.000 c) Custo dos produtos vendidos: CPV = $ 23,00/un. × 9.000 un. = $ 207.000 d) Custo do estoque final de produtos acabados: EFPAC = 0 96
  • 95. e) Custo do estoque final de produtos em elaboração: Matéria-prima: 1.000 un. × $ 10,00/un. = $ 10.000 Mão-de-obra Direta: (1.000 un. × 20%) × $ 5,00/un. = $ 1.000 Custos Indiretos de Produção: (1.000 un. × 20%) × $ 8,00/un. = $ 1.600 TOTAL DO EFPP $ 12.600 FEVEREIRO a) Custo unitário: Matéria-prima: Custo: $ 110.000 Volume de Produção: 10.000 un. $ 110.000 Custo unitárioMP: = $ 11,00/un. 10.000 un. Mão-de-obra Direta: Custo: $ 51.700 Volume de Produção Unidades iniciadas em JAN. e acabadas em FEV. (1.000 un. × 80%): 800 un. + iniciadas e terminadas no mês de Fevereiro (9.000 un. – 1.000 un.): 8.000 un. iniciadas em FEV. e não terminadas (2.000 un. × 30%): 600 un. 9.400 un. $ 51.700 Custo unitárioMOD: = $ 5,50/un. 9.400 un. Custos Indiretos de Produção: Custo: $ 82.720 Volume de Produção: 9.400 un. $ 82.720 Custo unitárioCIP: = $ 8,80/un. 9.400 un. Logo, Custo Unitário Total das 800 unidades iniciadas e terminadas em fevereiro: $ 11,00/un. + $ 5,50/un. + $ 8,80/un. = $ 25,30/un. b) Custo da produção acabada: Custo unitário das 1.000 unidades iniciadas em janeiro e terminadas em fevereiro: 97
  • 96. Matéria-prima: 1.000 un. × $ 10,00/un. = $ 10.000 Mão-de-obra Direta: 200 un. × $ 5,00/un. = $ 1.000 800 un. × $ 5,50/un. = $ 4.400 $ 5.400 Custo Indireto de Produção: 200 un. × $ 8,00/un. = $ 1.600 800 un. × $ 8,80/un. = $ 7.040 $ 8.640 TOTAL $ 24.040 $ 24.040 Custo unitário total = = $ 24,04/un. 1.000 un. CPA: (9.000 un. – 1.000 un.) × $ 25,30/un. = $ 202.400 + 1.000 un. × $ 24,04 = $ 24.040 $ 226.440 c) Custo dos produtos vendidos: CPV = $ 24,04/un. × 1.000 un. = $ 24.040 $ 25,30/un. × 5.000 un. = $ 126.500 $ 150.540 d) Custo do estoque final de produtos acabados: EFPAC = 3.000 un. × $ 25,30/un. = $ 75.900 e) Custo do estoque final de produtos em elaboração: Matéria-prima: 2.000 un. × $ 11,00/un. = $ 22.000 Mão-de-obra Direta: (2.000 un. × 30%) × $ 5,50/un. = $ 3.300 Custos Indiretos de Produção: (2.000 un. × 30%) × $ 8,80/un. = $ 5.280 TOTAL DO EFPP $ 30.580 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 13.4 a) Custo unitário de novembro: Custo: $ 2.310.000 Volume de Produção: Unidades iniciadas e acabadas no mês: 760.000 un. + iniciadas e não terminadas (40.000 un. × 25%): 10.000 un. 770.000 un. $ 2.310.000 Custo unitário: = $ 3,00/un. 770.000 un. b) Custo unitário de dezembro: Custo: $ 2.403.000 Volume de Produção: Unidades iniciadas em NOV. e acabadas em DEZ. (4.000 un. × 75%): 30.000 un. 98
  • 97. + iniciadas e terminadas no mês (860.000 un. – 40.000 un.): 820.000 un. iniciadas em DEZ. e não terminadas (80.000 un. × 50%): 40.000 un. 890.000 un. $ 2.403.000 Custo unitário: = $ 2,70/un. 890.000 un. c) Custo do estoque final de produtos em elaboração em 30 de novembro: EFPP = (40.000 un. × 25%) × $ 3,00/un. = $ 30.000 d) Custo do estoque final de produtos em elaboração em 31 de dezembro: EFPP = (80.000 un. × 50%) × $ 2,70/un. = $ 108.000 EXERCÍCIO EXTRA A Cia. Dolover manufatura um único produto, de um só tamanho e modelo, que vende a $ 80,00 por unidade – preço líquido de tributos. Os dados abaixo (em $) refe- rem-se ao período de 1o de janeiro a 31 de dezembro de 20X0: Do balancete Receita Líquida 320.000 Compra de matérias-primas 90.000 Frete sobre compras de matéria-prima 4.500 Mão-de-obra Direta 62.000 Supervisão da produção 5.000 Depreciação dos Equipamentos da Produção 21.350 Diversos Custos de Produção 18.000 Aluguel do Galpão Industrial 5.000 Descontos Financeiros Obtidos no pagamento de compras a prazo 8.400 Salários e Encargos Sociais do Pessoal da área de Vendas 28.000 Despesas Fixas do Departamento de Vendas 20.000 Frete para entregar produtos vendidos 18.600 Gastos com Propaganda e Promoções 11.380 Salários e Encargos Sociais do Pessoal da Administração Geral 24.790 Diversas Despesas de Administração 8.700 Do Inventário Inicial Final Matérias-primas 3.420 7.130 Produtos em processo 8.159 4.002 Produtos acabados 4.584 42.205 Sabendo-se que havia 120 unidades no estoque de produtos acabados em 1o de janeiro e 998 em 31 de dezembro, PEDE-SE: 99
  • 98. 1. Utilizando os critérios Peps, Ueps e Custo Médio, demonstrar: a) o custo unitário dos produtos acabados no período; b) o valor do estoque final dos produtos acabados; e c) o valor do custo dos produtos vendidos (CPV). 2. Utilizando o critério Peps, elaborar as demonstrações contábeis evidenciando: a) o Custo de Produção do Período (CPP); b) o Custo da Produção Acabada no período (CPA); c) o Custo dos Produtos Vendidos (CPV); e d) o Resultado do período. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO Salário do Supervisor da Produção 5.000 (+) Depreciação de equipamentos 21.350 Diversos Custos de Produção 18.000 Aluguel da Produção 5.000 CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO DO MÊS 49.350 DEMONSTRAÇÃO DO CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS Estoque Inicial de matéria-prima 3.420 (+) Compras de matéria-prima 90.000 (–) Frete sobre compras de matéria-prima 4.500 Custo do Material Direto Disponível 97.920 (–) Estoque Final de matéria-prima (7.130) Custo do Material Direto Consumido 90.790 (+) Mão-de-Obra Direta 62.000 (+) Custos Indiretos de Produção 49.350 CUSTO DA PRODUÇÃO DO PERÍODO (CPP) 202.140 (+) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 8.159 Custo Total de Produção 210.299 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração (4.002) CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA (CPA) 206.297 PEPS $ 4.584 EIPAC = = $ 38,20/un. 120 un. Volume de Produção: Unidades acabadas e vendidas no mês: 4.000 un. (+) Estoque Final dos Produtos Acabados: 998 un. (–) Estoque Inicial dos Produtos Acabados: (120 un.) 4.878 un. 100
  • 99. a) Custo unitário dos produtos acabados: $ 206.297 Custo unitário da Produção Acabada = = $ 42,29/un. 4.878 un. b) Estoque final dos produtos acabados: Estoque Final dos Produtos Acabados = 998 un. × $ 42,29/un. = $ 42.205,42 c) Custo dos produtos vendidos: CPV: 120 un. × $ 38,20/un. = $ 4.584,00 (4.878 – 998) un. × $ 42,29/un. = $ 164.085,20 $ 168.669,20 CUSTO MÉDIO: a) Custo médio unitário dos produtos acabados: $ 206.297 + $ 4.584 Custo médio unitário = = $ 42,19/un. 4.878 un. + 120 un. b) Estoque final dos produtos acabados: Estoque Final dos Produtos Acabados = 998 un. × $ 42,19/un. = $ 42.105,62 c) Custo dos produtos vendidos: CPV: 4.000 un. × $ 42,19/un. = $ 168.760 UEPS $ 4.584 EIPAC = = $ 38,20/un. 120 un. Volume de Produção: Unidades acabadas e vendidas no mês: 4.000 un. (+) Estoque Final dos Produtos Acabados: 998 un. (–) Estoque Inicial dos Produtos Acabados: (120 un.) 4.878 un. a) Custo unitário dos produtos acabados: $ 206.297 Custo unitário da Produção Acabada = = $ 42,29/un. 4.878 un. b) Estoque final dos produtos acabados: EFPAC : 878 un. × $ 42,29/un. = $ 37.130,62 + 120 un. × $ 38,20/un. = $ 4.584,00 $ 41.714,62 c) Custo dos produtos vendidos: CPV: 4.000 un. × $ 42,29/un. = $ 169.160 101
  • 100. 2. Demonstração de resultados (em $): DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Receita Bruta = Receita Líquida 320.000 Estoque Inicial de matéria-prima 3.420 (+) Compras de matéria-prima 90.000 (+) Frete sobre as compras 4.500 Custo do Material Direto Disponível 97.920 (–) Estoque Final de matéria-prima (7.130) Custo do Material Direto Consumido 90.790 (+) Mão-de-Obra Direta 62.000 (+) Custos Indiretos de Produção 49.350 CUSTO DA PRODUÇÃO DO PERÍODO (CPP) 202.140 (+) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração 8.159 Custo Total de Produção 210.299 (–) Estoque Final de Produtos em Elaboração (4.002) CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA (CPA) 206.297 (+) Estoque Inicial de Produtos Acabados 4.584 Custo dos Produtos Disponíveis 210.881 (–) Estoque Final de Produtos Acabados (42.205) CUSTOS DOS PRODUTOS VENDIDOS (CPV) 168.676 (168.676) LUCRO BRUTO 151.324 (–) Despesas Administrativas (33.490) Despesas Comerciais (77.980) LUCRO ANTES DAS DESPESAS FINANCEIRAS 39.854 (–) Descontos Financeiros Obtidos (8.400) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) 31.454 102
  • 101. 14 Produção Conjunta e Problemas Fiscais na Avaliação de Estoques Industriais SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Valor de custo do estoque final de produtos acabados: Custo Total de Produção (em $): Matéria-prima 50.000 kg × $ 3,00/kg 150.000 Mão-de-obra 25.000 Outros 12.500 TOTAL $ 187.500 Receita que seria auferida se houvesse vendido toda a produção (em $): Receita com Quirera 30.000 kg × $ 5,00/kg 150.000 Receita com Fubá 15.000 kg × $ 6,80/kg 102.000 Receita com Germe 5.000 kg × $ 9,60/kg 48.000 TOTAL $ 300.000 $ 48.000 Participação do Germe na Receita Total = = 16% $ 300.000 Custo de 5.000 kg de Germe = 16% × $ 187.500 = $ 30.000 $ 30.000 Assim, o Custo do EFPAC (Germe) = × 1.200 kg = $ 7.200 5.000 kg b) Custo dos produtos vendidos (CPV): CPV = $ 187.500 – $ 7.200 = $ 180.300 c) Lucro bruto de cada produto (em $): e d) Margem bruta de cada produto (em %): Quirera Fubá Germe Total Receita 150.000 102.000 36.480 288.480 (–) CPV (93.750) (63.750) (22.800) (180.300) LUCRO BRUTO $ 56.250 $ 38.250 $ 13.680 $ 108.180 MARGEM BRUTA 37,50% 37,50% 37,50% 37,50%
  • 102. e) Margem bruta de cada produto pelo critério do volume (em %): Pelo critério do volume, o custo atribuído à produção de Germe será: $ 187.500 (5.000 kg/50.000 kg) = $ 18.750 $ 18.750 e o EFPAC (Germe) = × 1.200 kg = $ 4.500 5.000 kg CPV (Germe) = $ 18.750 – $ 4.500 = $ 14.250 Quirera Fubá Germe Total Receita 150.000 102.000 36.480 288.480 (–) CPV (112.500) (56.250) (14.250) (183.000) LUCRO BRUTO $ 37.500 $ 45.750 $ 22.230 $ 105.480 MARGEM BRUTA 25% 45% 61% 36,56% SUGESTÃO DE PERGUNTA ADICIONAL: l A escolha do critério produz impacto financeiro na empresa? Sim, porém a diferença de um período é compensada no período seguinte. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 14.1 1. Alternativa correta: B 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: D SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 14.2 Valor dos custos conjuntos (em $): Matéria-prima 75.000 Mão-de-obra 25.000 Outros 50.000 TOTAL $ 150.000 Receita relativa à produção toda (em $): Produtos Volume (un.) Receita ($) A 12.000 120.000 B 6.000 75.000 C 2.000 55.000 20.000 un. $ 250.000 104
  • 103. Custos dos produtos: Pelo preço de Pelo Produtos mercado volume A 72.000 90.000 B 45.000 45.000 C 33.000 15.000 $ 150.000 $ 150.000 a) Valor do custo dos produtos vendidos (em $): Pelo preço de Pelo Produtos mercado volume A 60.000 1 75.000 2 B 37.500 37.500 C 24.750 11.250 122.250 123.750 b) Lucro bruto de cada produto (em $): A B C Total Receita 100.000 62.500 41.250 203.750 (–) CPV (75.000) (37.500) (11.250) (123.750) LUCRO BRUTO $ 25.000 $ 25.000 $ 30.000 $ 80.000 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 14.3 Valor dos custos conjuntos: $ 5.500 + $ 4.500 = $ 10.000 Receita: Queijo: 3.750 kg × $ 5,00/kg = $ 18.750 Manteiga: 5.000 kg × $ 2,50/kg = $ 12.500 Estimativa de preço de mercado (caso houvesse) dos produtos semi-acabados: Q $ 18.750 – $ 3.000 = $ 15.750 (60%) M $ 12.500 – $ 2.000 = $ 10.500 (40%) $ 26.250 1 CPV pelo Preço de Mercado = $ 72.000/12.000 un. × 10.000 un. = $ 60.000. 2 CPV pelo Volume = $ 90.000/12.000 un. × 10.000 un. = $ 75.000. 105
  • 104. Distribuição dos custos conjuntos: Q $ 10.000 × 60% = $ 6.000 M $ 10.000 × 40% = $ 4.000 Logo, o valor de custo de cada produto (conjuntos + específicos) é de: Q $ 9.000 ($ 2,40/kg) M $ 6.000 ($ 1,20/kg) SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 14.4 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: D 5. Alternativa correta: C EXERCÍCIO EXTRA Assinalar Falso (F) ou Verdadeiro (V): ( ) A produção conjunta é característica exclusiva da produção contínua. ( ) A sucata tem como características valor firme de mercado e condições nor- mais de comercialização. ( ) Os subprodutos são decorrência normal do processo produtivo. ( ) Os co-produtos são os próprios produtos principais, já que vêm do mesmo material. ( ) A sucata, quando é vendida, deve ter sua receita registrada em Outras Re- ceitas Operacionais. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA F, F, V, V, V 106
  • 105. 15 Custo Fixo, Lucro e Margem de Contribuição SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Lucro da empresa, para cada alternativa (em $): Demonstração de Resultados (Aceitando Carrinhos de Chá) Receita Líquida 110.000 (–) Custos: Variáveis 30.000 Fixos 28.800 (58.800) LUCRO BRUTO 51.200 (–) Comissões (10.000) (–) Frete (5.000) Custos fixos da 4a semana (ociosidade) (9.600) Despesas fixas (16.800) LUCRO DA EMPRESA NO PERÍODO $ 9.800 Demonstração de Resultados (Aceitando Estantes) Receita Líquida 154.000 (–) Custos: Variáveis 55.000 Fixos 38.400 (93.400) LUCRO BRUTO 60.600 (–) Despesas Variáveis 22.550 Fixas 16.800 (39.350) LUCRO DA EMPRESA NO PERÍODO $ 21.250
  • 106. b) Lucro operacional projetado (em $): Demonstração de Resultados (Aceitando Carrinhos de Chá) Receita Líquida 110.000 (–) Custos: Variáveis 30.000 Fixos 28.800 (58.800) LUCRO BRUTO 51.200 (–) Despesas Variáveis 15.000 Fixas 12.600 (27.600) LUCRO OPERACIONAL DA ENCOMENDA $ 23.600 Demonstração de Resultados (Aceitando Estantes) Receita Líquida 154.000 (–) Custos: Variáveis 55.000 Fixos 38.400 (93.400) LUCRO BRUTO 60.600 (–) Despesas Variáveis 22.550 Fixas 16.800 (39.350) LUCRO OPERACIONAL DA ENCOMENDA $ 21.250 c) Margem de contribuição unitária (em $/un.): Carrinhos Estantes Preço de Venda 550 1.400 (–) Custos e Despesas Variáveis Material (150) (500) Comissão (50) (150) Frete (25) (55) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 325/un. $ 695/un. d) Margem de contribuição total (em $): Carrinhos Estantes Receita Total 1) 110.000 2) 154.000 (–) Custos e Despesas Variáveis Material 3) 30.000 4) 55.000 Comissões 5) 10.000 6) 16.500 Frete 7) 5.000 8) 6.050 MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 65.000 $ 76.450 108
  • 107. RECEITA TOTAL 1) 200 un. × $ 550/un. = $ 110.000 2) 110 un. × $ 1.400/un.= $ 154.000 CUSTO VARIÁVEL 3) 200 un. × $ 150/un. = $ 30.000 4) 110 un. × $ 500/un. = $ 55.000 DESPESAS VARIÁVEIS COMISSÃO: 5) 200 un. × $ 50/un. = $ 10.000 6) 110 un. × $ 150/un. = $ 16.500 FRETE: 7) 200 un. × $ 25/un. = $ 5.000 8) 110 un. × $ 55/un. = $ 6.050 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 15.1 F, F, V, F, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 15.2 Horas de MOD Quantidade Total de horas por unidade produzida de MOD Enceradeira 0,75 2.000 un. 1.500 h Aspirador 1,225 2.000 un. 2.450 h 3.950 h Custos Indiretos Totais $ 296.250 Custo indireto/hora MOD = = n º de horas trabalhadas 3.950 h = $ 75/ hora MOD CUSTOS INDIRETOS (FIXOS) UNITÁRIOS: $ 75/h × 1.500 h – Enceradeiras = = $ 56,25/un. 2.000 un. ou Enceradeiras = $ 75/h × 0,75 h/un. = $ 56,25/un. $ 75/h × 2.450 h – Aspiradores = = $ 91,875/un. 2.000 un. 109
  • 108. CUSTO UNITÁRIO TOTAL: Enceradeiras Aspiradores Matéria-prima $ 30,00 $ 40,000 Material de embalagem $ 12,00 $ 18,000 Mão-de-obra direta $ 35,00 $ 60,000 Custos indiretos (fixos) $ 56,25 $ 91,875 $ 133,25 $ 209,875 a) Lucro bruto unitário (em $/un.): Enceradeiras Aspiradores Preço de Venda 190,00 260,000 (–) Custo Unitário (133,25) (209,875) LUCRO UNITÁRIO $ 56,75/un. $ 50,125/un. b) Lucro bruto total (em $): Receita Líquida: Enceradeiras: $ 190/un. × 2.000 un. = $ 380.000 Aspiradores: $ 260/un. × 2.000 un. = $ 520.000 $ 900.000 Enceradeiras Aspiradores Total Receita Líquida 380.000 520.000 900.000 (–) Custos: Diretos (154.000) (236.000) (390.000) Indiretos (112.500) (183.750) (296.250) (–) Despesas 0 0 0 LUCRO BRUTO TOTAL $ 113.500 $ 100.250 $ 213.750 c) Margem de contribuição unitária (em $/un.): Enceradeiras Aspiradores Preço de Venda unitário 190 260 (–) Custo Variável unitário: Matéria-prima (30) (40) Material de embalagem (12) (18) Mão-de-obra direta (35) (60) (–) Despesa Variável unitária 0 0 MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $113/un. $142/un. 110
  • 109. d) Margem de contribuição total (em $): Enceradeiras Aspiradores Total Receita Líquida 380.000 520.000 900.000 (–) Custo Variável (154.000) (236.000) (390.000) (–) Despesa Variável 0 0 0 MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 226.000 $ 284.000 $ 510.000 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 15.3 a) Custo de cada um dos cursos (em $): Mecânica Elétrica Material, impressos, xerox, lanches etc. 750 750 Remuneração dos professores 3.600 2.400 Custos Comuns 6.000 4.000 CUSTO TOTAL $ 10.350 $ 7.150 b) Lucro por curso (em $): Mecânica Elétrica Receita Bruta 18.750 15.000 (–) Imposto sobre Serviços (ISS) (375) (300) Receita Líquida 18.375 14.700 (–) Custo Total (10.350) (7.150) LUCRO POR CURSO $ 8.025 $ 7.550 c) Margem de contribuição por aluno (em $): Mecânica Elétrica Preço do Curso 750 600 (–) Imposto sobre Serviços (ISS) (15) (12) Custos Variáveis (30) (30) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR CURSO $ 705 $ 558 111
  • 110. d) Margem de contribuição por curso (em $): Mecânica Elétrica Receita Bruta 18.750 15.000 (–) Imposto sobre Serviços (ISS) (375) (300) Receita Líquida 18.375 14.700 (–) Custos Variáveis (4.350) 1 (3.150) 2 MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR CURSO $ 14.025 $ 11.550 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 15.4 a) Lucro bruto por unidade (vendendo só no Brasil, porém sem repassar o custo de ociosidade para o produto) (em $): Demonstração de Resultados Preço de Venda 10.000 Impostos (900) Material Direto (4.000) Mão-de-obra Direta (2.500) Custos Fixos (1.250) LUCRO BRUTO UNITÁRIO $ 1.350 b) Lucro operacional total antes do IR da empresa (vendendo só no Brasil) (em $ mil): Demonstração de Resultados Receita Bruta 240.000 Impostos (21.600) Receita Líquida 218.400 Material Direto (96.000) Mão-de-obra Direta (60.000) Custos Fixos (45.000) LUCRO BRUTO 17.400 Comissões (2.400) Desp. Adm. Vendas (9.000) LUCRO OPERACIONAL ANTES DO IR $ 6.000 1 Custos Variáveis: ($ 30/aluno × 25 alunos) + ($ 60/h × 60 h) = $ 750 + $ 3.600 = $ 4.350. 2 Custos Variáveis: ($ 30/aluno × 25 alunos) + ($ 60/h × 40 h) = $ 750 + $ 2.400 = $ 3.150. Obs.: A remuneração dos professores é custo variável em relação ao número de turmas, mas fixo em relação ao número de alunos de cada turma. Nesta última perspectiva, é uma espécie de Custo Fixo Identifcado (ver Capítulo 18). 112
  • 111. c) Lucro bruto por unidade (encomenda da Venezuela) (em $): Demonstração de Resultados Preço de Venda 7.500 Material Direto (4.000) Mão-de-obra Direta (2.500) Custos Fixos (1.250) LUCRO BRUTO POR UNIDADE (250) d) Lucro operacional total antes do IR da empresa (em $ mil): Brasil Venezuela Total Receita Bruta 240.000 90.000 330.000 Impostos (21.600) – (21.600) Receita Líquida 218.400 90.000 308.400 Material Direto (96.000) (48.000) (144.000) Mão-de-obra Direta (60.000) (30.000) (90.000) Custos Fixos (30.000) (15.000) (45.000) LUCRO BRUTO 32.400 (3.000) 29.400 Frete e Seguro – (3.000) (3.000) Desp. Adm. e Vendas (6.000) (3.000) (9.000) Comissões (2.400) (1.800) (4.200) LUCRO OPERACIONAL ANTES DO IR 24.000 (10.800) 13.200 e1) Margem de contribuição unitária (vendendo só no Brasil) (em $/un.): Demonstração de Resultados Preço de Venda 10.000 Custos e Despesas Variáveis: Impostos (900) Material Direto (4.000) Mão-de-obra Direta (2.500) Comissões (100) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 2.500/un. e2) Margem de contribuição total (vendendo só no Brasil) (em $ mil): Demonstração de Resultados Receita Bruta 240.000 Impostos (21.600) Receita Líquida 218.400 Custos e Despesas Variáveis: Material Direto (96.000) Mão-de-obra Direta (60.000) Comissões (2.400) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 60.000 113
  • 112. f1) Margem de contribuição unitária (vendendo para a Venezuela) (em $/un.): Demonstração de Resultados Preço de Venda unitário 7.500 Custos e Despesas Variáveis: Material Direto (4.000) Mão-de-obra Direta (2.500) Frete e seguro (250) Comissões (150) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 600/un. f2) Margem de contribuição total (vendendo para a Venezuela) (em $ mil): Demonstração de Resultados Receita Líquida 90.000 Custos e Despesas Variáveis: Material Direto (48.000) Mão-de-obra Direta (30.000) Frete e seguro (3.000) Comissões (1.800) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 7.200 EXERCÍCIO EXTRA A empresa Plim Net, prestadora de serviços na área de informática, vem atenden- do, em média, a 5 (cinco) empresas-clientes por mês, no Brasil. A execução de cada serviço prestado exige 600 horas-homem de trabalho, e o preço médio cobrado é de $ 12.000. A empresa tem capacidade prática (pessoal, equipamento etc.) para trabalhar até 3.600 horas-homem por mês, mas devido à baixa demanda vem trabalhando, em mé- dia, 3.000 horas, e possui a seguinte estrutura-padrão de gastos: l Material direto (disquetes, CDs, papéis etc.) ........................... $ 500/serviço l Salários e encargos sociais ....................................................... $ 30.000/mês l Amortização do custo do direito de uso de software utilizado para a prestação dos serviços ..................................................... $ 2.520/mês l Despesas administrativas ........................................................... $ 4.320/mês l Comissões sobre a receita bruta: dez por cento ...................................... 10% l Impostos sobre a receita bruta: quinze por cento ................................... 15% Da Argentina recebe a seguinte proposta de uma empresa: Desenvolver um programa, com tempo estimado de 600 horas, ao preço de $ 10.000. 114
  • 113. Caso a proposta seja aceita, haverá isenção de impostos, mas o percentual de co- missão sobre o preço de venda bruto dobra, e ainda haverá gastos com viagens e esta- das no valor de $ 4.500 para realizar o serviço. PEDE-SE PARA CALCULAR: a) O Lucro Operacional atual da empresa, por mês, atuando só no mercado interno. b) A Margem de Contribuição unitária (MC/un.) do serviço prestado no Brasil. c) O Lucro Operacional da encomenda proposta pela Argentina, caso seja aceita. d) A Margem de Contribuição projetada da encomenda proposta pela Argentina. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Lucro operacional (vendendo só no Brasil) (em $): Demonstração de Resultados Receita Bruta 60.000 (–) Impostos (9.000) Receita Líquida 51.000 (–) Material Direto (2.500) Salários (30.000) Amortização (2.520) LUCRO BRUTO 15.980 (–) Despesas Administrativas (4.320) Comissões (6.000) LUCRO OPERACIONAL ANTES DO IR $ 5.660 b) Margem de contribuição unitária (vendendo só no Brasil) (em $): Demonstração de Resultados Preço de Venda 12.000 (–) Impostos (1.800) Receita Líquida 10.200 (–) Custos e Despesas Variáveis Material Direto (500) Comissões (1.200) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 8.500/un. 115
  • 114. c) Lucro operacional (da encomenda proposta) (em $): Demonstração de Resultados Receita Líquida 10.000 (–) Material Direto (500) Salários (5.000) Viagens e estadas (4.500) Amortização (420) PREJUÍZO BRUTO (420) (–) Despesas Administrativas (720) Comissões (2.000) PREJUÍZO OPERACIONAL ANTES DO IR ($ 3.140) d) Margem de contribuição unitária (da encomenda proposta) (em $/un.): Demonstração de Resultados Preço de Venda 10.000 (–) Custos e Despesas Variáveis Material Direto (500) Viagens e estadas (4.500) Comissões (2.000) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 3.000/un. 116
  • 115. 16 Margem de Contribuição e Limitações na Capacidade de Produção SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Margem de contribuição unitária (em $/un.): Enceradeiras Aspiradores Preço de Venda 120 80 (–) Custos e Despesas Variáveis Matéria-prima (16) (8) Mão-de-obra Direta (50) (30) Comissões (6) (4) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 48/un. $ 38/un. b) Margem de contribuição total (em $): Enceradeiras Aspiradores Receita Bruta = Receita Líquida 12.000 8.000 (–) Custos e Despesas Variáveis Matéria-prima (1.600) (800) Mão-de-obra Direta (5.000) (3.000) Comissões (600) (400) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 4.800 $ 3.800 c) Melhor mix de produção: MC/un. Matéria- Matéria-Prima (fator A Prima Produtos MC/un. (fator limitante) limitante) fabricar disponível Enceradeiras 48 2 kg 24 50 un. 100 kg Aspiradores 38 1 kg 38 100 un. 100 kg 200 kg
  • 116. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 16.1 1. Alternativa correta: E. 2. Alternativa correta: D. 3. Alternativa correta: C. 4. Alternativa correta: D. 5. Alternativa correta: A. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 16.2 a) Resultado de cada produto (em $): A B Receita Bruta = Receita Líquida 12.000 8.000 (–) Custos e Despesas Variáveis Matéria-prima (1.600) (800) Mão-de-obra Direta (5.000) (4.000) Comissões (600) (400) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 4.800 $ 2.800 b) Resultado mensal máximo da empresa (em $): A B Total Receita Bruta = Receita Líquida 12.000 8.000 20.000 (–) Custos e Despesas Variáveis Matéria-prima (1.600) (800) (2.400) Mão-de-obra Direta (5.000) (4.000) (9.000) Comissões (600) (400) (1.000) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 4.800 $ 2.800 $ 7.600 (–) Custos e Despesas Fixos ($ 4.000) LUCRO OPERACIONAL DA EMPRESA $ 3.600 c) Resultado máximo (restrição de matéria-prima): MC/un. Matéria- Matéria-Prima (fator A Prima Produtos MC/un. (fator limitante) limitante) fabricar disponível A 48 4 kg 12 40 un. 160 kg B 28 2 kg 14 100 un. 200 kg 360 kg 118
  • 117. MCT (A) = 40 un. × $ 48/un. = $ 1.920 MCT (B) = 100 un. × $ 28/un. = $ 2.800 MCT $ 4.720 (–) CDF ($ 4.000) LUCRO $ 720 d) Combinação e resultado ótimos (restrição de MOD): MC/un. Matéria- Mão-de-obra (fator A Prima Produtos MC/un. (fator limitante) limitante) fabricar disponível A 48 2,5 h 19,20 100 un. 250 hh B 28 2h 14 75 un. 150 hh 400 hh MCT (A) = 100 un. × $ 48/un. = $ 4.800 MCT (B) = 75 un. × $ 28/un. = $ 2.100 MCT $ 6.900 (–) CDF ($ 4.000) LUCRO $ 2.900 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 16.3 Margem de contribuição por curso (em $): Mecânica Elétrica Receita Bruta 18.750 15.000 (–) Imposto sobre Serviços (ISS) (375) (300) Receita Líquida 18.375 14.700 (–) Custos Variáveis: (4.350) 1 (3.150) 2 Material: impressos, xerox, lanches etc. (750) (750) Salário dos instrutores (3.600) (2.400) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR CURSO $ 14.025 $ 11.550 Portanto, naquela situação, o curso que deve ser oferecido a fim de maximizar o lucro é o de mecânica (alternativa c). Sugestão de perguntas adicionais: ü Qual será o valor do lucro se apenas o curso de mecânica for oferecido? Valor do lucro se apenas o curso de mecânica for oferecido: $ 4.025. 1 Custos variáveis: ($ 30/aluno × 25 alunos) + ($ 60/h × 60 h) = $ 750 + $ 3.600 = $ 4.350. 2 Custos variáveis: ($ 30/aluno × 25 alunos) + ($ 60/h × 40 h) = $ 750 + $ 2.400 = $ 3.150. 119
  • 118. ü Qual será o valor do lucro se apenas o curso de eletricidade for oferecido? Valor do lucro se apenas o curso de eletricidade for oferecido: $ 1.550. ü Elaborar uma Demonstração de Resultados da situação normal, com os dois cursos sendo oferecidos, com uma única turma para cada um. Demonstração de Resultados (em $) Mecânica Eletricidade Total Receita Bruta 18.750 15.000 33.750 (–) Imposto sobre Serviços (ISS) (375) (300) (675) Receita Líquida 18.375 14.700 33.075 (–) Custos Variáveis: Material: impressos, xerox etc. (750) (750) (1.500) Salário dos instrutores (3.600) (2.400) (6.000) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR CURSO 14.025 11.550 25.575 (–) Custos Fixos: (10.000) Lucro Operacional 15.575 Assim, a Margem de Contribuição por hora do Curso de: l Mecânica: $ 14.025/60 h = $ 233,75/h l Eletricidade: $ 11.500/80 h = $ 288,75/h Verifica-se que a Margem de Contribuição por hora do Curso de Eletricidade é maior que a de Mecânica. Portanto, a escola decide oferecer Curso de Eletricidade. No entanto, como a escola tem disponibilidade de 80 horas de treinamento e o Curso de Eletricidade é de 40 horas, e sabendo que não há limitação de mercado, po- dem-se fazer duas turmas do Curso de Eletricidade. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 16.4 a) Margem de contribuição unitária (em $): Botas Sapatos Preço de Venda 100,00 80,00 (–) Custos Variáveis Material (40,00) (30,00) Mão-de-obra Direta (11,55) (8,25) Outros (21,50) (21,50) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 26,95/un. $ 20,25/un. 120
  • 119. b) Margem de contribuição total (em $): Botas Sapatos Receita Bruta = Receita Líquida 500.000 320.000 (–) Custos Variáveis Material (200.000) (120.000) Mão-de-obra Direta (57.750) (33.000) Outros (107.500) (86.000) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 134.750 $ 81.000 c) Lucro bruto unitário (em $): Botas Sapatos Tempo de MOD por mês 10.500 h 6.000 h Proporções 63,64% 36,36% Custos Fixos por produto $ 21.000 $ 12.000 Volume de produção 5.000 un. 4.000 un. Custos Fixos por unidade $ 4,20/un. $ 3,00/un. Botas Sapatos Preço de Venda 100,00 80,00 (–) Custos Variáveis: Material (40,00) (30,00) Mão-de-obra Direta (11,55) (8,25) Outros (21,50) (21,50) Margem de Contribuição Unitária $ 26,95/un. $ 20,25/un. (–) Custos Fixos (4,20) (3,00) LUCRO BRUTO UNITÁRIO $ 22,75/un. $ 17,25/un. d) Margem de contribuição/hMOD: No de horas de MOD MC/un. Produtos MC/un. (fator limitante) (fator limitante) Botas 26,95 2,1 12,83 Sapatos 20,25 1,5 13,50 EXERCÍCIO EXTRA A Cia. Volksford produz apenas dois modelos de automóveis, sendo um com duas portas e outro com quatro, e em ambos utiliza o mesmo tipo de maçaneta. 121
  • 120. O mercado adquire no máximo 100 veículos de cada modelo por período, e o valor total dos custos e despesas fixos é de $ 1.460.000. As despesas variáveis são de 5% (cinco por cento) do preço de venda (PV), para qualquer modelo. Outros dados: Produtos Preço de venda Custos variáveis Carro 2 portas $ 20.000/un. $ 11.000/un. Carro 4 portas $ 22.000/un. $ 11.700/un. Considerando-se: a) que a empresa utiliza o Custeio Variável em suas decisões; b) que o único objetivo da empresa é maximizar o resultado econômico de curto prazo; e c) que todas as demais variáveis são irrelevantes, Pede-se para calcular: a) a Margem de Contribuição unitária (MC/un.) de cada modelo; b) a Margem de Contribuição Total (MCT) de cada modelo, considerando o vo- lume máximo de venda; c) o resultado (o lucro ou prejuízo) da empresa com os volumes máximos; d) a quantidade de cada modelo que deve ser produzida e vendida para que a Volksford maximize seu resultado no caso de haver, em determinado perío- do, apenas 400 maçanetas disponíveis; e e) o resultado (lucro ou prejuízo) da empresa com o mix de produção indicado no item anterior (alínea d). SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Margem de contribuição unitária (em $/un.): Carro 2 Carro 4 portas portas Preço de Venda 20.000 22.000 (–) Custos Variáveis (11.000) (11.700) Despesas Variáveis (1.000) (1.100) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA $ 8.000/un. $ 9.200/un. b) Margem de contribuição total (em $): Carro 2 Carro 4 portas portas MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL $ 800.000 $ 920.000 122
  • 121. c) Lucro da empresa (em $): Carro 2 Carro 4 portas portas Total Receita Bruta = Receita Líquida 2.000.000 2.200.000 4.200.000 (–) Custos Variáveis (1.100.000) (1.170.000) (2.270.000) Despesas Variáveis (100.000) (110.000) (210.000) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO 800.000 920.000 1.720.000 (–) Custos e Despesas Fixos (1.460.000) LUCRO DA EMPRESA $ 260.000 d) Melhor mix de produção: MC/un. Maçanetas (fator A Maçanetas Produtos MC/un. (fator limitante) limitante) fabricar disponíveis 2 portas 8.000 2 4.000 100 un. 200 4 portas 9.200 4 2.300 50 un. 200 400 e) Resultado máximo da empresa: MCT (A): 100 un. × $ 8.000/un. = $ 800.000 MCT (B): 50 un. × $ 9.200/un. = $ 460.000 MCT $ 1.260.000 (–) CDF ($ 1.460.000) PREJUÍZO ($ 200.000) 123
  • 122. 17 Custeio Variável SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO EI = 0  23.000 un. vendidas  26.000 un. concluídas  3.000 un. estoques Produção de 30.000 un. 4.000 un. (50% processadas) = 2.000 un. Esforço de produção equivalente a 26.000 + (0,5 × 4.000) = 28.000 un. Demonstração de Resultados (Custeio por Absorção) Receita Bruta (23.000 un. × $ 250/un.) 5.750.000 (–) Tributos (20% da Receita Bruta) (1.150.000) Receita Líquida 4.600.000 Material Consumido (28.000 un. × $ 130/un.) 3.640.000 MOD e Outros 840.000 Custos de Produção do Período (CPP) 1 4.480.000 EIPP 0 EFPP (4.000 un. × 0,50) × $ 160/un. (320.000) Custo da Produção Acabada (CPA) 4.160.000 EIPA 0 EFPA (3.000 un. × $ 160/un.) (480.000) Custo dos Produtos Vendidos (CPV) 3.680.000 (3.680.000) LUCRO BRUTO 920.000 (–) Comissões (5% da Receita Bruta) (287.500) Despesas Fixas (172.500) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA 460.000 (–) Imposto de Renda (30%) (138.000) LUCRO LÍQUIDO 322.000 1 Custo médio de produção = $ 4.480.000/28.000 un. = $ 160/un.
  • 123. Demonstração de Resultados – Custeio Variável Receita Bruta 5.750.000 (–) Tributos (1.150.000) Receita Líquida 4.600.000 (–) Custos Variáveis Material Consumido1 3.640.000 EIPP 0 EFPP (4.000 un. × 0,50) × $ 130/un. (260.000) CPA 3.380.000 EIPA 0 EFPA (3.000 un. × $ 130/un.) (390.000) CVPV 2.990.000 (2.990.000) (–) Despesas Variáveis: Comissões (287.500) Margem de Contribuição 1.322.500 (–) Custos Fixos 840.000 Despesas Fixas 172.500 (1.012.500) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA 310.000 (–) IR (30%)2 (138.000) LUCRO LÍQUIDO 172.000 Absorção Variável Diferença a) Estoque Final de Produtos em Elaboração $ 320.000 $ 260.000 $ 60.000 b) Estoque Final de Produtos Acabados $ 480.000 $ 390.000 $ 90.000 c) Lucro Antes do Imposto de Renda (LAIR) $ 460.000 $ 310.000 $ 150.000 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 17.1 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: E 5. Alternativa correta: A 1 Custo médio de produção = $ 3.640.000/28.000 un. = $ 130/un. 2 Sobre o lucro de $ 460.000 apurado pelo Custeio por Absorção, que é o exigido pela legisla- ção tributária. 125
  • 124. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 17.2 Demonstração de Resultados pelo Custeio por Absorção (em $ mil) Outubro Novembro Dezembro Total Receita Líquida 4.200 4.200 8.400 16.800 Custo dos Produtos Vendidos (CPV) 3.500 6 2.600 6.700 12.800 Estoque Inicial PAC 0 500 7 3.500 0 Custo do Período (CPP) 4.000 1 5.600 3.200 12.800 Fixos 2.400 2 2.400 2.400 7.200 Variáveis 1.600 3 3.200 800 5.600 Custo da Produção Acabada (CPA) 4.000 4 5.600 3.200 12.800 Estoque Final PAC 500 5 3.500 8 0 0 LUCRO BRUTO 700 1.600 1.700 4.000 Despesas: Com Vendas (50) (50) (50) (150) Administrativas (300) (300) (300) (900) Comissões (210) (210) (420) (840) LUCRO OPERACIONAL 140 1.040 930 2.110 Demonstração de Resultados pelo Custeio Variável (em $ mil) Outubro Novembro Dezembro Total Receita Líquida 4.200 4.200 8.400 16.800 Despesa Variável: Comissões (210) (210) (420) (840) Custo Variável dos Produtos Vendidos (CVPV) (1.400) (1.400) (2.800) (5.600) Estoque Inicial PAC 0 200 2.000 0 Custo do Período (CPP) Variáveis 1.600 3.200 800 5.600 Custo da Produção Acabada (CPA) 1.600 3.200 800 5.600 Estoque Final PAC 200 2.000 0 0 Margem de Contribuição 2.590 2.590 5.180 10.360 Custos Fixos (2.400) (2.400) (2.400) (7.200) Despesas Fixas (350) (350) (350) (1.050) Lucro Operacional (160) (160) 2.430 2.110 1 CPP = CPP Fixos + CPP Variáveis = $ 2.400.000 + $ 1.600.000 = $ 4.000.000. 2 CPP Fixos = salário e encargos dos operários + depreciação + aluguel + custos diversos = $ 2.400.000. 3 CPP Variáveis = $ 200/un. × 8.000 un. = $ 1.600.000. 4 CPA = CPP. 5 EF de PAC = CPP/volume de produção × unidades em estoque de PAC = ($ 4.000.000/8.000 un.) × 1.000 un. = = $ 500.000. 6 CPV = EIPAC + CPA – EFPAC= 0 + $ 4.000.000 – $ 500.000 = $ 3.500.000. 7 EIPAC-NOVEMBRO = EFPAC-OUTUBRO. 8 EFPAC-NOVEMBRO = ($ 5.600/16.000 un.) × 10.000 un. = $ 3.500. 126
  • 125. a) Diferença, em cada mês, entre os lucros apurados: Lucros Absorção Variável Diferença Outubro 140 (160) 300 Novembro 1.040 (160) 1.200 Dezembro 930 2.430 (1.500) Total 2.110 2.110 0 b) Diferença, em cada mês, entre os estoques finais de produtos acabados: Lucros Absorção Variável Diferença Outubro 500 200 300 Novembro 3.500 2.000 1.500 Dezembro 0 0 0 Total 4.000 2.200 1.800 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 17.3 MARÇO Demonstração de Resultados (Custeio por Absorção) Receita Bruta (9.000 un. × $ 45/un.) 405.000 Tributos (20% da Receita Bruta) (81.000) Receita Líquida 324.000 CPP = CPA Material Direto 180.000 MOD 60.000 MOI 25.000 Depreciação 5.000 CPP = CPA 270.000 Estoque Final (67.500) 1 CPV 202.500 (202.500) LUCRO BRUTO 121.500 Comissões (15% da Receita Bruta) (60.750) Despesas Administrativas (30.000) LUCRO DA EMPRESA NO PERÍODO 30.750 1 Custo unitário = $ 270.000/12.000 un. = $ 22,50/un.; EF = $ 22,50/un. × 3.000 un. = $ 67.500. 127
  • 126. ABRIL Demonstração de Resultados (Custeio por Absorção) Receita Bruta (9.000 un. × $ 45/un.) 405.000 Tributos (20% da Receita Bruta) (81.000) Receita Líquida 324.000 EI = 3.000 un. × $ 21/un. 67.500 Material Direto 90.000 MOD 24.000 MOI 10.000 Depreciação 2.000 CPV 193.500 (193.500) LUCRO BRUTO 130.500 Comissões (15% da Receita Bruta) (60.750) Despesas Administrativas (30.000) LUCRO DA EMPRESA NO PERÍODO 39.750 $ 193.500 − $ 67.500 $ 189.000 EF = × 9.000 un. = $ 189.000 → = $ 21/un. $ 6.000/un. 9.000 un. MARÇO Demonstração de Resultados (Custeio Variável) Receita Bruta (9.000 un. × $ 45/un.) 405.000 Tributos (20%) (81.000) Receita Líquida 324.000 Custos variáveis dos produtos vendidos (CVPV) Material Direto (135.000) Despesas variáveis: Comissões (15% × 405.000) (60.750) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO 128.250 CF (MOD, MOI, Depreciação) (90.000) DF (Despesas Administrativas) (30.000) LUCRO DA EMPRESA NO PERÍODO 8.250 EF = $ 135.000 / 9.000 un. × 3.000 un. = $ 45.000 ABRIL Demonstração de Resultados (Custeio Variável) Receita Bruta (9.000 un. × $ 45/un.) 405.000 Tributos (20%) (81.000) Receita Líquida 324.000 Custos variáveis dos produtos vendidos (CVPV) EI (3.000 un. × $ 15/un.) 45.000 Material Direto 90.000 (135.000) Despesas variáveis Comissões (15% × 405.000) (60.750) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO 128.250 CF (MOD, MOI, Depreciação) (90.000) DF (Despesas Administrativas) (30.000) LUCRO DA EMPRESA NO PERÍODO 8.250 128
  • 127. $ 135.000 − $ 45.000 EF = × (15.000 – 6.000) un. = $ 135.000 $ 6.000/un. a) Diferença, em cada mês, entre os lucros apurados: Lucros Absorção Variável Diferença Março $ 30.750 $ 8.250 $ 22.500 Abril $ 39.750 $ 8.250 $ 31.500 b) Diferença, em cada mês, entre os estoques finais: Estoques finais Absorção Variável Diferença Março $ 67.500 $ 45.000 $ 22.500 Abril $ 189.000 $ 135.000 $ 54.000 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 17.4 1. Vendas: $ 25.100.000 (ver item 24 do balancete e item 1 dos outros dados) Produtos Preço ($/un.) Volume de vendas (un.) Receita ($) X 270 40.000 un. 10.800.000 Y 350 18.000 un. 6.300.000 Z 500 16.000 un. 8.000.000 74.000 un. 25.100.000 2. Consumo de Matéria-prima: $ 7.000.000 Produtos Volume de produção (un.) % $ Unidade Custo ($/un.) X 50.000 un. 50% 3.500.000 50.000 un. 70 Y 30.000 un. 30% 2.100.000 30.000 un. 70 Z 20.000 un. 20% 1.400.000 20.000 un. 70 100.000 un. 100% 7.000.000 3. Mão-de-obra Direta (inclui encargos sociais) no período: $ 6.000.000 Produtos MOD % $ Unidade Custo ($/un.) X 1,0 hh/un. × 50.000 un. = 50.000 hh 31,25% 1.875.000 50.000 un. 37,50 Y 2,0 hh/un. × 30.000 un. = 60.000 hh 37,50% 2.250.000 30.000 un. 75,00 Z 2,5 hh/un. × 20.000 un. = 50.000 hh 31,25% 1.875.000 20.000 un. 93,75 160.000 hh 100% 6.000.000 129
  • 128. 4. Energia Elétrica consumida na produção: $ 790.000 Produtos Máquina % $ Unidade Custo ($/un.) X 0,60 hm/un. × 50.000 un. = 30.000 hm 20% 158.000 50.000 un. 3,16 Y 1,50 hm/un. × 30.000 un. = 45.000 hm 30% 237.000 30.000 un. 7,90 Z 3,75 hm/un. × 20.000 un. = 75.000 hm 50% 395.000 20.000 un. 19,75 150.000 hm 100% 790.000 5. Base de Rateio por Tempo (h) ou Custo ($) de MOD: l Supervisão geral da fábrica: $ 2.880.000 (ver item 6 dos dados do problema) Produtos MOD % $ Unidade Custo ($/un.) X 1,0 hh/un. × 50.000 un. = 50.000 hh 31,25% 900.000 50.000 un. 18 Y 2,0 hh/un. × 30.000 un. = 60.000 hh 37,50% 1.080.000 30.000 un. 36 Z 2,5 hh/un. × 20.000 un. = 50.000 hh 31,25% 900.000 20.000 un. 45 160.000 hh 100% 2.880.000 ou $ 2.880.000/160.000 hh = $ 18/hh l Aluguel geral da fábrica: $ 600.000. Por se tratar de custo fixo estrutural, gerencialmente, não deveria ser rateado; porém, pelo Custeio por Absorção, o rateio é obrigatório e será feito à base de MOD por falta de outra mais lógica. Outra razão para ratear um custo fixo estrutural (aluguel), neste exercí- cio, é o objetivo de se comparar os resultados entre o Absorção e o Variável. Também seria possível, gerencialmente, alocar aos produtos apenas os cus- tos fixos operacionais, tratando os estruturais como se fossem despesas do pe- ríodo (um critério intermediário entre o Absorção e o Variável). Produtos MOD % $ Unidade Custo ($/un.) X 1,0 hh/un. × 50.000 un. = 50.000 hh 31,25% 187.500 50.000 un. 3,75 Y 2,0 hh/un. × 30.000 un. = 60.000 hh 37,50% 225.000 30.000 un. 7,50 Z 2,5 hh/un. × 20.000 un. = 50.000 hh 31,25% 187.500 20.000 un. 9,375 160.000 hh 100% 600.000 ou $ 600.000/160.000 hh = $ 3,75/hh 6. Base de Rateio por Tempo (h) de Máquina. Alguns desses custos, em certas condições, podem ser identificados diretamente com os produtos, sem rateio. Neste caso, porém, estamos considerando todos fixos e indiretos. Consumo de lubrificantes nos equipamentos de produção 350.000 Manutenção preventiva de máquinas comuns de produção 500.000 Depreciação de equipamentos de produção 300.000 Seguro dos equipamentos de fábrica 340.000 $ 1.490.000 130
  • 129. Produtos Máquina % $ Unidade Custo ($/un.) X 0,60 hm/un. × 50.000 un. = 30.000 hm 20% 298.000 50.000 un. 5,96 Y 1,50 hm/un. × 30.000 un. = 45.000 hm 30% 447.000 30.000 un. 14,90 Z 3,75 hm/un. × 20.000 un. = 75.000 hm 50% 745.000 20.000 un. 37,25 150.000 hm 100% 1.490.000 ou $ 1.490.000/150.000 hm = $ 9,93/hm 7. Base de Rateio pela Quantidade (kg) ou Custo ($) de Matéria-prima: Supervisão do almoxarifado de matéria-prima: 1.440.000 Produtos Matéria-prima % $ Unidade Custo ($/un.) X 1 kg/un. × 50.000 un. = 50.000 kg 50% 720.000 50.000 un. 14,40 Y 1 kg/un. × 30.000 un. = 30.000 kg 30% 432.000 30.000 un. 14,40 Z 1 kg/un. × 20.000 un. = 20.000 kg 20% 288.000 20.000 un. 14,40 100.000 kg 100% 1.440.000 ou $ 1.440.000/100.000 kg = $ 14,40/kg I. Pelo Custeio por Absorção Custos unitários X Y Z MAT 70,00 70,00 70,00 MOD 37,50 75,00 93,75 EE 3,16 7,90 19,75 CUSTO DIRETO 110,66 152,90 183,50 + CUSTOS INDIRETOS 42,11 72,80 106,025 Supervisão 18,00 36,00 45,00 Aluguel 3,75 7,50 9,375 Lubrif./Manut./Depr./Seguro 5,96 14,90 37,250 Supervisão do almoxarifado 14,40 14,40 14,400 CUSTO TOTAL 152,77 225,70 289,525 131
  • 130. Demonstração de Resultados (em $ mil) X Y Z Total Vendas 10.800,00 6.300,00 8.000,00 25.100,00 (–) CPV (6.110,80) (4.062,60) (4.632,40) (14.805,80) LUCRO BRUTO 4.689,20 2.237,40 3.367,60 10.294,20 Despesas: Comerciais (5.060,00) Administrativas (3.040,00) LUCRO OPERACIONAL ADF 2.194,20 Financeiras (200,00) LUCRO OPERACIONAL A. IR 1.994,20 Provisão para IR (30%) (598,26) LUCRO LÍQUIDO 1.395,94 Demonstração do cálculo do Custo dos Produtos Vendidos (CPV) e do Estoque dos Produtos Acabados (PAC): X Y Z Total Volume de Produção 50.000 un. 30.000 un. 20.000 un. 100.000 un. Custo dos Produtos Vendidos (CPV): Unidades Vendidas 40.000 un. 18.000 un. 16.000 un. 74.000 un. Custo unitário $ 152,77/un. $ 225,70/un. $ 289,525/un. CPV $ 6.110.800 $ 4.062.600 $ 4.632.400 $ 14.805.800 Estoque dos Produtos Acabados (PAC): Unidades em Estoque 10.000 un. 12.000 un. 4.000 un. 26.000 un. Custo unitário $ 152,77/un. $ 225,70/un. $ 289,525/un. EFPAC $ 1.527.700 $ 2.708.400 $ 1.158.100 $ 5.394.200 Balanço Patrimonial (em $ mil) Ativo Passivo + PL Circulante Circulante Caixa 460,00 Empréstimos 3.520,00 Bancos 1.000,00 Provisão para IR 598,26 Clientes 6.060,00 4.118,26 Estoques: Produtos Acabados 5.394,20 Matéria-prima 5.000,00 17.914,20 Permanente Patrimônio Líquido Imobilizado Capital Social 15.000,00 Equipamentos 2.000,00 Lucros Acumulados 1.395,94 (–) Depr. Acum. (300,00) 16.395,94 1.700,00 Veículos 1.000,00 (–) Depr. Acum. (100,00) 900,00 2.600,00 TOTAL (ATIVO) 20.514,20 TOTAL (P + PL) 20.514,20 132
  • 131. II. Pelo Custeio Variável: Custos variáveis: X Y Z 11. Matéria-prima 70,00 70,00 70,00 18. Energia Elétrica 3,16 7,90 19,75 $ 73,16/un. $ 77,90/un. $ 89,75/un. CUSTOS FIXOS: 12. Mão-de-obra direta (inclui encargos sociais) no período 6.000 13. Supervisão geral da fábrica 2.880 14. Aluguel da fábrica 600 15. Consumo de lubrificantes nos equipamentos de produção 350 16. Manutenção preventiva de máquinas comuns de produção 500 17. Supervisão do almoxarifado de matéria-prima 1.440 19. Depreciação de equipamentos de produção 300 20. Seguro dos equipamentos de fábrica 340 12.410 X Y Z Total Volume de Produção 50.000 un. 30.000 un. 20.000 un. 100.000 un. Custo Direto Vendido (CDV): Unidades Vendidas 40.000 un. 18.000 un. 16.000 un. 74.000 un. Custo unitário $ 73,16/un. $ 77,90/un. $ 89,75/un. CVPV $ 2.926.400 $ 1.402.200 $ 1.436.000 $ 5.764.600 Estoque dos Produtos Acabados (PAC): Unidades em Estoque 10.000 un. 12.000 un. 4.000 un. 26.000 un. Custo unitário $ 73,16/un. $ 77,90/un. $ 89,75/un. EFPAC $ 731.600 $ 934.800 $ 359.000 $ 2.025.400 Demonstração de Resultados (em $ mil) X Y Z Total Vendas 10.800,00 6.300,00 8.000,00 25.100,00 (–) CDV (2.926,40) (1.402,20) (1.436,00) (5.764,60) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO 7.873,60 4.897,80 6.564,00 19.335,40 (–) Custos e Despesas Fixos: Custos Fixos (12.410,00) Despesas Fixas (8.100,00) LUCRO OPERACIONAL ADF (1.174,60) (–) Despesas Financeiras (200,00) LUCRO OPERACIONAL AIR (1.374,60) Provisão para IR (30%) (598,26)1 LUCRO LÍQUIDO (1.972,86) 1 Calculado com base no lucro apurado pelo Custeio por Absorção, pois é o exigido pela le- gislação tributária. 133
  • 132. Absorção Variável Diferença a) Lucro Líquido $ 1.395.940 ($ 1.972.860) $ 3.368.800 b) Estoque Final $ 5.394.200 $ 2.025.400 $ 3.368.800 A diferença entre os estoques finais segundo os critérios de Custeio por Absorção e Custeio Variável está nos custos fixos contidos no Estoque Final do Custeio por Ab- sorção, demonstrada na tabela a seguir: X Y Z Total Unidades em Estoque 10.000 un. 12.000 un. 4.000 un. 26.000 un. Custo Fixo unitário $ 79,61/un. $ 147,80/un. $ 199,775/un. Custo Fixo contido no EFPAC $ 796.100 $ 1.773.600 $ 799.100 $ 3.368.800 Balanço Patrimonial (em $ mil) ATIVO PASSIVO + PL Circulante Circulante Caixa 460,00 Empréstimos 3.520,00 Bancos 1.000,00 Provisão para IR 598,26 Clientes 6.060,00 4.118,26 Estoques: Produtos Acabados 2.025,40 Matéria-prima 5.000,00 14.545,40 Permanente Patrimônio Líquido Imobilizado Capital Social 15.000,00 Equipamentos 2.000,00 Lucros Acumulados (1.972,86) (–) Depr. Acum. (300,00) 13.027,14 1.700,00 Veículos 1.000,00 (–) Depr. Acum. (100,00) 900,00 2.600,00 TOTAL (ATIVO) 17.145,40 TOTAL (P + PL) 17.145,40 EXERCÍCIO EXTRA A empresa Mood’s Hair produz um único produto (xampu de camomila), que é vendido, em média, por $ 9,50 cada unidade (preço líquido de tributos). Em determinado período, em que não houve estoques iniciais, produziu integral- mente 14.000 (quatorze mil) unidades, vendeu 13.000 (treze mil) e incorreu nos se- guintes custos e despesas (em $): 134
  • 133. Supervisão geral da fábrica ................................................................. 17.000 Depreciação dos equipamentos de fábrica .......................................... 10.000 Aluguel do galpão industrial ................................................................. 2.400 Administração geral da empresa ........................................................... 8.000 Material Direto ................................................................... 2,00 por unidade Mão-de-Obra Direta ............................................................ 1,50 por unidade Energia Elétrica consumida na produção ............................ 0,40 por unidade Comissão sobre vendas ....................................................... 0,75 por unidade Frete para entregar produtos vendidos ............................... 0,15 por unidade Pede-se para calcular o resultado do período, utilizando: a) o Custeio por Absorção; e b) o Custeio Variável. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Resultado utilizando o custeio por absorção (em $): Receita = $ 9,50/un. × 13.000 unidades vendidas = $ 123.500. Comissões = $ 0,75/un. × 13.000 unidades vendidas = $ 9.750. Frete = $ 0,15/un. × 13.000 unidades vendidas = $ 1.950. Custos Variáveis = Material + MOD + Energia Elétrica = = $ 26.000 + $ 19.500 + $ 5.200 = $ 50.700. Custos Fixos = Supervisão + Depreciação + Aluguel = = $ 17.000 + $ 10.000 + $ 2.400 = $ 29.400. Custo Fixo por unidade = $ 29.400/14.000 un. = $ 2,10/un. Custo Fixo para 13.000 unidades vendidas = $ 2,10/un. × 13.000 un. = $ 27.300. Assim, CPV = Custos Variáveis + Custos Fixos = $ 50.700 + $ 27.300 = $ 78.000 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS (em $) RECEITA LÍQUIDA 123.500 (–) Custo dos Produtos Vendidos (78.000) LUCRO BRUTO 45.500 (–) Despesas Administrativas (8.000) (–) Frete para entregar produtos vendidos (1.950) (–) Comissão sobre vendas (9.750) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) 25.800 135
  • 134. b) Resultado utilizando o custeio variável: Receita = $ 9,50/un. × 13.000 unidades vendidas = $ 123.500. Comissões = $ 0,75/un. × 13.000 unidades vendidas = $ 9.750. Frete = $ 0,15/un. × 13.000 unidades vendidas = $ 1.950. Custos Variáveis = Material + MOD + Energia Elétrica = = $ 26.000 + $ 19.500 + $ 5.200 = $ 50.700. DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS RECEITA LÍQUIDA 123.500 (–) Custos Variáveis (50.700) (–) Comissão sobre vendas (9.750) (–) Frete para entregar produtos vendidos (1.950) Margem de Contribuição Total 61.100 (–) Custos Fixos (29.400) (–) Despesas Administrativas (8.000) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) 23.700 Diferença entre os dois resultados: $ 25.800 – $ 23.700 = $ 2.100. Demonstração da Diferença: CF/un. = $ 2,10/un. × 1.000 un. em estoque = $ 2.100. Esse valor corresponde ao Custo Fixo mantido em estoque pelo Custeio por Ab- sorção, porém debitado ao resultado do período pelo Variável. 136
  • 135. 18 Margem de Contribuição, Custos Fixos Identificados e Retorno sobre o Investimento SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Margem de contribuição total de cada linha de produto: Demonstração de Resultados (em $) p/ automóveis p/ caminhões p/ motos Total Receita 20.000 38.000 34.000 92.000 (–) CDV (15.000) (31.300) (25.600) (71.900) MCT 5.000 6.700 8.400 20.100 b) Margem de contribuição total de cada filial: Demonstração de Resultados (em $) Centro Norte Leste Total Receita 24.000 28.000 40.000 92.000 (–) CDV (17.100) (22.800) (32.000) (71.900) MCT 6.900 5.200 8.000 20.100 137
  • 136. c) Lucratividade de cada filial: FILIAL CENTRO Demonstração de Resultados (em $) p/ automóveis p/ caminhões p/ motos Total Receita 10.000 8.000 6.000 24.000 (–) CDV (7.000) (6.500) (3.600) (17.100) MCT 3.000 1.500 2.400 6.900 (–) Depreciação (125) (–) Desp. Fixas (4.000) MARGEM DIRETA 2.775 FILIAL NORTE Demonstração de Resultados (em $) p/ automóveis p/ caminhões p/ motos Total Receita 6.000 14.000 8.000 28.000 (–) CDV (4.800) (12.000) (6.000) (22.800) MCT 1.200 2.000 2.000 5.200 (–) Depreciação (90) (–) Desp. fixas (6.000) MARGEM DIRETA (890) FILIAL LESTE Demonstração de Resultados (em $) p/ automóveis p/ caminhões p/ motos Total Receita 4.000 16.000 20.000 40.000 (–) CDV (3.200) (12.800) (16.000) (32.000) MCT 800 3.200 4.000 8.000 (–) Depreciação (60) (–) Desp. fixas (5.400) MARGEM DIRETA 2.540 CENTRO Margem Direta $ 2.775 × 100% = × 100% = 11,56% Receita $ 24.000 138
  • 137. NORTE Margem Direta ($ 890) × 100% = × 100% = ( 3,18%) Receita $ 28.000 LESTE Margem Direta $ 2.540 × 100% = × 100% = 6,35% Receita $ 40.000 d) Rentabilidade de cada filial: CENTRO Margem Direta $ 2.775 × 100% = × 100% = 111% Investimentos $ 2.500 NORTE Margem Direta ($ 890) × 100% = × 100% = ( 49%) Investimentos $ 1.800 LESTE Margem Direta $ 2.540 × 100% = × 100% = 212% Investimentos $ 1.200 e) Rentabilidade da empresa: Demonstração de Resultados (em $) Filial Escritório Total Centro Norte Leste Receita Líquida 24.000 28.000 40.000 0 92.000 (–) CDV (17.100) (22.800) (32.000) 0 (71.900) MCT 6.900 5.200 8.000 0 20.100 (–) Depreciação (125) (90) (60) (75) (350) (–) Despesas Fixas (4.000) (6.000) (5.400) (2.200) (17.600) MARGEM DIRETA 2.775 (890) 2.540 (2.275) 2.150 $ 2.150 Rentabilidade: × 100% = 30,71% (1.500 + 2.500 + 1.800 + 1.200) un. 139
  • 138. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 18.1 Demonstração de Resultados (em $) Bolsas Luvas Total Receita Bruta 92.000 91.000 183.000 Tributos (11.960) (11.830) (23.790) Receita Líquida 80.040 79.170 159.210 Custos Variáveis (22.800) (18.200) (41.000) Despesas Variáveis: Comissões (9.200) (9.100) (18.300) Margem de Contribuição 48.040 51.870 99.910 Custos Diretos Fixos (10.400) (20.800) (31.200) Margem Direta 37.640 31.070 68.710 Custos Fixos Estruturais (30.000) Despesas Administrativas e de Vendas (16.750) LUCRO OPERACIONAL 21.960 a) Margem de contribuição unitária: a1) Das bolsas: MC/un. = $ 48.040/1.000 un. = $ 48,04/un. a2) Das luvas: MC/un. = $ 51.870/1.300 un. = $ 39,90/un. b) Margem de contribuição total: b1) Das bolsas: MCT = $ 48.040 b2) Das luvas: MCT = $ 51.870 c) Margem direta total: c1) Das bolsas: MDT = $ 37.640 c2) Das luvas: MDT = $ 31.070 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 18.2 (em $) Espremedores Moedores Receita Total 5.000 7x (–) CDV (3.500) (4,50x) MCT 1.500 2,50x (–) CDFIDENTIFICADOS (600) MARGEM DIRETA 900 140
  • 139. Em conjunto com os moedores, é preciso cobrir: CDFIDENTIFICADOS 800 CDFCOMUNS 1.500 Lucro (8% capital) 400 $ 2.700 (–) Margem Direta (900) $ 1.800 Assim, 1.800 = MCTmoedores 1.800 = 2,50x x = 720 un. Demonstração de Resultados (em $) Espremedores Moedores Total Receita Total 5.000 5.040 10.040 CDV (3.500) (3.240) (6.740) MCT 1.500 1.800 3.300 CDFIDENTIFICADOS (600) (800) (1.400) MARGEM DIRETA 900 1.000 1.900 CDFCOMUNS (1.500) LUCRO OPERACIONAL 400 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 18.3 1. a) Custo fixo departamental de cada produto: Produtos (un.) Custo Pára- Fixo por Departamentos Rodas Pára-lamas choques Grades Total unidade Pintura 20.000 20.000 40.000 un. $ 55/un. Niquelação 10.000 10.000 20.000 un. $ 150/un. Estamparia 20.000 20.000 10.000 10.000 60.000 un. $ 25/un. Usinagem 20.000 20.000 10.000 10.000 60.000 un. $ 15/un. Montagem 20.000 20.000 10.000 10.000 60.000 un. $ 26,67/un. 141
  • 140. b) Custo total de cada produto (em $): Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Custos variáveis: 3.000.000 4.000.000 1.500.000 3.000.000 11.500.000 Custos fixos: Pintura 1.100.000 1.100.000 2.200.000 Niquelação 1.500.000 1.500.000 3.000.000 Estamparia 500.000 500.000 250.000 250.000 1.500.000 Usinagem 300.000 300.000 150.000 150.000 900.000 Montagem 533.333 533.333 266.667 266.667 1.600.000 Total 5.433.333 6.433.333 3.666.667 5.166.667 20.700.000 c) Margem de contribuição de cada produto (em $): Demonstração de Resultados (em $) Produtos Rodas Pára-lamas Pára-choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 (–) CDV (3.000.000) (4.000.000) (1.500.000) (3.000.000) MCT 2.600.000 5.600.000 2.500.000 2.000.000 d) Lucro bruto de cada produto (em $): Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CDV (3.000.000) (4.000.000) (1.500.000) (3.000.000) (11.500.000) MCT 2.600.000 5.600.000 2.500.000 2.000.000 12.700.000 (–) CF (2.433.333) (2.433.333) (2.166.667) (2.166.667) (9.200.000) LUCRO BRUTO 166.667 3.166.667 333.333 (166.667) 3.500.000 142
  • 141. e) Margem direta por família de produto (em $): Demonstração de Resultados (em $) Produtos Rodas Pára-lamas Pára-choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 (–) CDV (3.000.000) (4.000.000) (1.500.000) (3.000.000) MCT 2.600.000 5.600.000 2.500.000 2.000.000 MCTPOR FAMÍLIA 8.200.000 4.500.000 (–) CFCOMUNS (2.200.000) (3.000.000) MARGEM DIRETA 6.000.000 1.500.000 2. a) Demonstrações de resultados: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára- Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (3.000.000) (4.000.000) (1.500.000) (3.000.000) (11.500.000) MCT 2.600.000 5.600.000 2.500.000 2.000.000 12.700.000 MCTPOR FAMÍLIA 8.200.000 4.500.000 12.700.000 (–) CFIDENTIFICADOS (2.200.000) (3.000.000) (5.200.000) MARGEM DIRETA 6.000.000 1.500.000 7.500.000 (–) CFCOMUNS (4.000.000) (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 2.700.000 CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Rodas Pára-lamas choques Grades Total Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CDV (3.000.000) (4.000.000) (1.500.000) (3.000.000) (11.500.000) MCT 2.600.000 5.600.000 2.500.000 2.000.000 12.700.000 (–) Custos Fixos (9.200.000) (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 2.700.000 143
  • 142. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára- Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (5.433.333) (6.433.333) (3.666.667) (5.166.667) (20.700.000) LUCRO BRUTO 166.667 3.166.667 333.333 (166.667) 3.500.000 (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 2.700.000 2. b1) Demonstrações de resultados não produzindo rodas: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára-lamas Pára-choques Grades Receita 9.600.000 4.000.000 5.000.000 18.600.000 (–) CPV (4.000.000) (1.500.000) (3.000.000) (8.500.000) MCT 5.600.000 2.500.000 2.000.000 10.100.000 MCTPOR FAMÍLIA 5.600.000 4.500.000 10.100.000 (–) CFIDENTIFICADOS (2.200.000) (3.000.000) (5.200.000) MARGEM DIRETA 3.400.000 1.500.000 4.900.000 (–) CFCOMUNS (4.000.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 100.000 CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára-lamas Pára-choques Grades Receita 9.600.000 4.000.000 5.000.000 18.600.000 (–) CDV (4.000.000) (1.500.000) (3.000.000) (8.500.000) MCT 5.600.000 2.500.000 2.000.000 10.100.000 (–) Custos Fixos (9.200.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 100.000 144
  • 143. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára-lamas Pára-choques Grades Receita 9.600.000 4.000.000 5.000.000 18.600.000 (–) CPV (8.200.000) (4.000.000) (5.500.000) (17.700.000) LUCRO BRUTO 1.400.000 0 (500.000) 900.000 (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 100.000 2. b2) Demonstrações de resultados não produzindo grades: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Rodas Pára-lamas Pára-choques Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 19.200.000 (–) CPV (3.000.000) (4.000.000) (1.500.000) (8.500.000) MCT 2.600.000 5.600.000 2.500.000 10.700.000 MCTPOR FAMÍLIA 8.200.000 2.500.000 10.700.000 (–) CFIDENTIFICADOS (2.200.000) (3.000.000) (5.200.000) MARGEM DIRETA 6.000.000 (500.000) 5.500.000 (–) Outros CF (4.000.000) (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 700.000 CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Rodas Pára-lamas Pára-choques Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 19.200.000 (–) CDV (3.000.000) (4.000.000) (1.500.000) (8.500.000) MCT 2.600.000 5.600.000 2.500.000 10.700.000 (–) Custos Fixos (9.200.000) (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 700.000 145
  • 144. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Rodas Pára-lamas Pára-choques Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 19.200.000 (–) CPV (5.700.000) (6.700.000) (5.300.000) (17.700.000) LUCRO BRUTO (100.000) 2.900.000 (1.300.000) 1.500.000 (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 700.000 2. b3) Demonstrações de resultados não produzindo rodas nem grades: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára-lamas Pára-choques Receita 9.600.000 4.000.000 13.600.000 (–) CPV (4.000.000) (1.500.000) (5.500.000) MCT 5.600.000 2.500.000 8.100.000 (–) CFIDENTIFICADOS (2.200.000) (3.000.000) (5.200.000) MARGEM DIRETA 3.400.000 (500.000) 2.900.000 (–) CFCOMUNS (4.000.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL (1.900.000) CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára-lamas Pára-choques Receita 9.600.000 4.000.000 13.600.000 (–) CDV (4.000.000) (1.500.000) (5.500.000) MCT 5.600.000 2.500.000 8.100.000 (–) Custos Fixos (9.200.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL (1.900.000) 146
  • 145. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára-lamas Pára-choques Receita 9.600.000 4.000.000 13.600.000 (–) CPV (8.866.667) (5.833.333) (14.700.000) LUCRO BRUTO 733.333 (1.833.333) (1.100.000) (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL (1.900.000) 2. c1) Demonstrações de resultados terceirizando a fase de pintura: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára- Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (4.400.000) (5.400.000) (1.500.000) (3.000.000) (13.300.000) MCT 1.200.000 4.200.000 2.500.000 2.000.000 9.900.000 MCTPOR FAMÍLIA 5.400.000 4.500.000 9.900.000 (–) CFIDENTIFICADOS 0 (3.000.000) (3.000.000) MARGEM DIRETA 5.400.000 1.500.000 6.900.000 (–) CFCOMUNS (4.000.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 2.100.000 CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CDV (4.400.000) (5.400.000) (1.500.000) (3.000.000) (14.300.000) MCT 1.200.000 4.200.000 2.500.000 2.000.000 9.900.000 (–) Custos Fixos (7.000.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 2.100.000 147
  • 146. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (5.733.333) (6.733.333) (3.666.667) (5.166.667) (21.300.000) LUCRO BRUTO (133.333) 2.866.667 333.333 (166.667) 2.900.000 (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 2.100.000 2. c2) Demonstrações de resultados terceirizando a fase de niquelação: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (3.000.000) (4.000.000) (2.500.000) (4.000.000) (13.500.000) MCT 2.600.000 5.600.000 1.500.000 1.000.000 10.700.000 MCTPOR FAMÍLIA 8.200.000 2.500.000 10.700.000 (–) CFIDENTIFICADOS (2.200.000) 0 (2.200.000) MARGEM DIRETA 6.000.000 2.500.000 8.500.000 (–) CFCOMUNS (4.000.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 3.700.000 CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CDV (3.000.000) (4.000.000) (2.500.000) (4.000.000) (13.500.000) MCT 2.600.000 5.600.000 1.500.000 1.000.000 10.700.000 (–) Custos Fixos (6.200.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 3.700.000 148
  • 147. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára- Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (5.433.333) (6.433.333) (3.166.667) (4.666.667) (19.700.000) LUCRO BRUTO 166.667 3.166.667 833.333 333.333 4.500.000 (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 3.700.000 2. c3) Demonstrações de resultados terceirizando a fase de pintura e niquelação: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Total Pára- Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (4.400.000) (5.400.000) (2.500.000) (4.000.000) (16.300.000) MCT 1.200.000 4.200.000 1.500.000 1.000.000 7.900.000 MCTPOR FAMÍLIA 5.400.000 2.500.000 7.900.000 (–) CFIDENTIFICADOS 0 0 0 MARGEM DIRETA 5.400.000 2.500.000 7.900.000 (–) CFCOMUNS (4.000.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 3.100.000 CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CDV (4.400.000) (5.400.000) (2.500.000) (4.000.000) (16.300.000) MCT 1.200.000 4.200.000 1.500.000 1.000.000 7.900.000 (–) Custos Fixos (4.000.000) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 3.100.000 149
  • 148. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Produtos Pára- Total Rodas Pára-lamas choques Grades Receita 5.600.000 9.600.000 4.000.000 5.000.000 24.200.000 (–) CPV (5.733.333) (6.733.333) (3.166.667) (4.666.667) (20.300.000) LUCRO BRUTO (133.333) 2.866.667 833.333 333.333 3.900.000 (–) Despesas Fixas (800.000) LUCRO OPERACIONAL 3.100.000 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 18.4 1. a) Custo fixo departamental de cada categoria: Categorias (apto.) Custo Departa- Single Single Double Double Fixo mentos standard luxo standard luxo Total mensal Cozinha – 20 – 20 40 un. $ 300/un. Limpeza 30 20 30 20 100 un. $ 80/un. Serv. quarto 30 20 30 20 100 un. $ 80/un. Lazer 30 20 30 20 100 un. $ 50/un. b) Custo mensal total de cada categoria (em $): Categorias Single Single Double Double Total standard luxo standard luxo Custos variáveis: 9.000 10.800 18.000 15.000 52.800 Custos fixos: Cozinha – 6.000 – 6.000 12.000 Limpeza 2.400 1.600 2.400 1.600 8.000 Serv. quarto 2.400 1.600 2.400 1.600 8.000 Lazer 1.500 1.000 1.500 1.000 5.000 Total 15.300 21.000 24.300 25.200 85.800 150
  • 149. c) Margem de contribuição de cada categoria (em $): Demonstração de Resultados (em $) Categorias Single Single Double Double standard luxo standard luxo Receita 27.000 27.000 45.000 45.000 (–) CDV (9.000) (10.800) (18.000) (15.000) MCT 18.000 16.200 27.000 30.000 d) Lucro bruto de cada categoria (em $): Demonstração de Resultados (em $) Categorias Single Single Double Double Total standard luxo standard luxo Receita 27.000 27.000 45.000 45.000 144.000 (–) CDV (9.000) (10.800) (18.000) (15.000) (52.800) MCT 18.000 16.200 27.000 30.000 91.200 (–) CF (6.300) (10.200) (6.300) (10.200) (33.000) LUCRO BRUTO 11.700 6.000 20.700 19.800 58.200 e) Margem direta de cada família de categorias (em $): Demonstração de Resultados (em $) Categorias Standard Luxo Single Double Single Double Receita 27.000 45.000 27.000 45.000 (–) CDV (9.000) (18.000) (10.800) (15.000) MCT 18.000 27.000 16.200 30.000 MCTPOR FAMÍLIA 45.000 46.200 (–) CFIDENTIFICADOS 0 (12.000) MARGEM DIRETA 45.000 34.200 151
  • 150. 2. a) Demonstrações de resultados: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Categorias Standard Luxo Total Single Double Single Double Receita 27.000 45.000 27.000 45.000 144.000 (–) CDV (9.000) (18.000) (10.800) (15.000) (52.800) MCT 18.000 27.000 16.200 30.000 91.200 MCTPOR FAMÍLIA 45.000 46.200 91.200 (–) CFIDENTIFICADOS 0 (12.000) (12.000) MARGEM DIRETA 45.000 34.200 79.200 (–) CFCOMUNS (21.000) (–) Despesas Fixas (20.000) LUCRO OPERACIONAL 38.200 CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Categorias Single Single Double Double Total standard luxo standard luxo Receita 27.000 27.000 45.000 45.000 144.000 (–) CDV (9.000) (10.800) (18.000) (15.000) (52.800) MCT 18.000 16.200 27.000 30.000 91.200 (–) Custos Fixos (33.000) (–) Despesas Fixas (20.000) LUCRO OPERACIONAL 38.200 152
  • 151. CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Categorias Single Single Double Double Total standard luxo standard luxo Receita 27.000 27.000 45.000 45.000 144.000 (–) CPV (15.300) (21.000) (24.300) (25.200) (85.800) LUCRO BRUTO 11.700 6.000 20.700 19.800 58.200 (–) Despesas Fixas (20.000) LUCRO OPERACIONAL 38.200 2. b) Demonstrações de resultados não considerando double luxo: CUSTEIO DIRETO Demonstração de Resultados (em $) Categorias Standard Luxo Total Single Double Single Receita 27.000 45.000 27.000 99.000 (–) CDV (9.000) (18.000) (10.800) (37.800) MCT 18.000 27.000 16.200 61.200 MCTPOR FAMÍLIA 45.000 16.200 61.200 (–) CFIDENTIFICADOS 0 (12.000) (12.000) MARGEM DIRETA 45.000 4.200 49.200 (–) CFCOMUNS (21.000) Despesas Fixas (20.000) LUCRO OPERACIONAL 8.200 153
  • 152. CUSTEIO VARIÁVEL Demonstração de Resultados (em $) Categorias Standard Luxo Total Single Double Single Receita 27.000 45.000 27.000 99.000 (–) CDV (9.000) (18.000) (10.800) (37.800) MCT 18.000 27.000 16.200 61.200 (–) Custos Fixos (33.000) (–) Despesas Fixas (20.000) LUCRO OPERACIONAL 8.200 CUSTEIO POR ABSORÇÃO Demonstração de Resultados (em $) Categorias Standard Luxo Total Single Double Single Receita 27.000 45.000 27.000 99.000 (–) CPV (16.875) (28.050) (25.875) (70.800) LUCRO BRUTO 10.125 16.950 1.125 28.200 (–) Despesas Fixas (20.000) LUCRO OPERACIONAL 8.200 EXERCÍCIO EXTRA A empresa Mogno produz mesas e cadeiras, cujos preços de venda são, em mé- dia, $ 92 e $ 70, respectivamente, e sobre esses preços incidem tributos no total de 15% e comissões de 13%. O volume de produção e de vendas de mesas é de 1.000 unidades, e o de cadeiras 1.300. Sua estrutura de custos é a seguinte (em $): Mesas Cadeiras Custos variáveis por unidade $ 22,80 $ 14,00 Custos diretos fixos por período $ 10.400 $ 20.800 Os custos fixos estruturais – comuns aos dois produtos – são de $ 30.000 por pe- ríodo, e as despesas fixas de administração e vendas, $ 17.750. 154
  • 153. Pede-se para calcular: a) O valor da Margem de Contribuição Total (MCT) de cada produto. b) O valor da Margem Direta Total (MDT) de cada produto. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA (em $) Mesas Cadeiras Total Receita Bruta 92.000 91.000 183.000 (–) Tributos (13.800) (13.650) (27.450) Receita Líquida 78.200 77.350 155.550 (–) Custos Variáveis (22.800) (18.200) (41.000) (–) Despesas Variáveis: Comissões (11.960) (11.830) (23.790) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO TOTAL 43.440 47.320 90.760 (–) Custos Fixos Diretos (10.400) (20.800) (31.200) MARGEM DIRETA 33.040 26.520 59.560 a) Margem de contribuição total de cada produto: MESAS: $ 43.440 CADEIRAS: $ 47.320 b) Margem direta total de cada produto: MESAS: $ 33.040 CADEIRAS: $ 26.520 155
  • 154. 19 Fixação do Preço de Venda e Decisão sobre Compra ou Produção SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Produtos Custos Grandes Médias Pequenas Matéria-prima $ 30/un. $ 25/un. $ 18/un. Energia Elétrica $ 2/hm $ 2/hm $ 2/hm Mão-de-obra Direta $ 10/hmod $ 10/hmod $ 10/hmod Outros Custos Variáveis $ 8/hm $ 8/hm $ 8/hm Custos Fixos $ 18.000 Grandes Médias Pequenas Total Volume (un.) 165 95 98 358 Horas MOD 231 95 98 424 Proporção (homd) 54,48% 22,41% 23,11% 100% Horas MAQ 297 133 98 528 Proporção (hmaq) 56,25% 25,19% 18,56% 100% a) Custo da encomenda das grandes, à base de horas-máquina: Para 165 unidades: l Matéria-prima ($ 30/un. × 165 un.): $ 4.950,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 231 hmod): $ 2.310,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 297 hmaq): $ 594,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 297 hmaq): $ 2.376,00 l Custos Fixos (56,25% de $ 18.000): $ 10.125,00 CUSTO DA ENCOMENDA $ 20.355,00 Considerando-se, porém, a estimativa de perda de cinco unidades, obtém-se: Custo unitário: $ 20.355/160 un. = $ 127,22/un.
  • 155. Logo, o preço de venda da encomenda das grandes é de: $ 127,22/0,65 = $ 195,72/un. b) Preço de venda da encomenda das médias, à base de horas-máquina: Para 95 unidades: l Matéria-prima ($ 25/un. × 95 un.): $ 2.375,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 95 hmod): $ 950,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 133 hmaq): $ 266,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 133 hmaq): $ 1.064,00 l Custos Fixos (25,19% de $ 18.000): $ 4.534,20 CUSTO DA ENCOMENDA $ 9.189,20 Considerando-se, porém, a estimativa de perda de três unidades, obtém-se: Custo unitário: $ 9.189,20/92 un. = $ 99,88/un. Logo, o preço de venda da encomenda das médias é de: $ 99,88/0,65 = $ 153,67/un. c) Preço de venda da encomenda das pequenas, à base de horas-máquina: Para 98 unidades: l Matéria-prima ($ 18/un. × 98 un.): $ 1.764,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 98 hmod): $ 980,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 98 hmaq): $ 196,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 98 hmaq): $ 784,00 l Custos Fixos (18,56% de $ 18.000): $ 3.340,80 CUSTO DA ENCOMENDA $ 7.064,80 Considerando-se, porém, a estimativa de perda de três unidades, obtém-se: Custo unitário: $ 7.064,80/95 un. = $ 74,37/un. Logo, o preço de venda da encomenda das pequenas é de: $ 74,37/0,65 = $ 114,41/un. d) Preço de venda da encomenda das grandes, à base de horas MOD: Para 165 unidades: l Matéria-prima ($ 30/un. × 165 un.): $ 4.950,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 231 hmod): $ 2.310,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 297 hmaq): $ 594,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 297 hmaq): $ 2.376,00 l Custos Fixos (54,48% de $ 18.000): $ 9.806,40 CUSTO DA ENCOMENDA $ 20.036,40 Considerando-se, porém, a estimativa de perda de cinco unidades, obtém-se: Custo unitário: $ 20.036,40/160 un. = $ 125,23/un. 157
  • 156. Logo, o preço de venda da encomenda das grandes é de: $ 125,23/0,65 = $ 192,66/un. e) Preço de venda da encomenda das médias, à base de horas MOD: Para 95 unidades: l Matéria-prima ($ 25/un. × 95 un.): $ 2.375,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 95 hmod): $ 950,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 133 hmaq): $ 266,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 133 hmaq): $ 1.064,00 l Custos Fixos (22,41% de $ 18.000): $ 4.033,80 CUSTO DA ENCOMENDA $ 8.688,80 Considerando-se, porém, a estimativa de perda de três unidades, obtém-se: Custo unitário: $ 8.688,80/92 un. = $ 94,44/un. Logo, o preço de venda da encomenda das médias é de: $ 94,44/0,65 = $ 145,29/un. f) Preço de venda da encomenda das pequenas, à base de horas MOD: Para 98 unidades: l Matéria-prima ($ 18/un. × 98 un.): $ 1.764,00 l Mão-de-obra Direta ($ 10/hmod × 98 hmod): $ 980,00 l Energia Elétrica ($ 2/hmaq × 98 hmaq): $ 196,00 l Outros Custos ($ 8/hmaq × 98 hmaq): $ 784,00 l Custos Fixos (23,11% de $ 18.000): $ 4.159,80 CUSTO DA ENCOMENDA $ 7.883,80 Considerando-se, porém, a estimativa de perda de três unidades, obtém-se: Custo unitário: $ 7.883,80/95 un. = $ 82,98/un. Logo, o preço de venda da encomenda das pequenas é de: $ 82,98/0,65 = $ 127,66/un. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 19.1 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: A 3. Alternativa correta: B 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: E 158
  • 157. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 19.2 a) Lucro atual (em $ mil): Receita Bruta 3.500 Tributos (350) Receita líquida 3.150 Custos Variáveis (800) Margem de Contribuição 2.350 Depreciação (1.150) Outros Custos Fixos (600) Administração Geral (240) Lucro 360 b) Lucro operando com 12.000.000 pulsos (em $ mil): Receita Bruta 3.600 Tributos (360) Receita líquida 3.240 Custos Variáveis (960) Margem de Contribuição 2.280 Depreciação (1.150) Outros Custos Fixos (600) Administração Geral (240) Lucro 290 c) Lucro operando com 15.000.000 pulsos (em $ mil): Receita Bruta 4.125,00 Tributos (412,50) Receita líquida 3.712,50 Custos Variáveis (1.200,00) Margem de Contribuição 2.512,50 Depreciação (1.150,00) Outros Custos Fixos (690,00) Administração Geral (240,00) Depreciação (novos equipamentos) (19,00)1 Lucro 413,50 1 Depreciação dos equipamentos novos: $ 1.200.000 – $ 60.000 = $ 1.140.000 × 20% = $ 228.000. $ 228.000/12 meses = $ 19.000 a.m. 159
  • 158. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 19.3 a) Resultado da empresa: Demonstração de Resultados (em $ mil) Receita Líquida 11.880 Matéria-prima (5.940) Embalagem (1.512) Comissões (1.188) Margem de Contribuição 3.240 Custos Fixos: Mão-de-obra Direta (300) Supervisão da Fábrica (100) Depreciação da Máquinas de Produção (900) Despesas de Administração Geral (200) LUCRO OPERACIONAL ANTES DO IR $ 1.740 b) Valor máximo da margem de contribuição total que a empresa pode obter nas instalações atuais (em $): PV DV/un.1 CV/un.2 MC/un. Volume MCT 200 20 138 42 60.000 2.520.000 220 22 138 60 54.000 3.240.000 240 24 138 78 48.000 3.744.000 260 26 138 96 42.000 4.032.000 280 28 138 114 36.000 4.104.000 300 30 138 132 30.000 3.960.000 c) Margem de contribuição total ao preço de $ 300: A Margem de Contribuição Total se praticar o preço de $ 300 é de $ 3.960.000 d) Valor de custo da ociosidade ao praticar o preço de $ 300: Capacidade prática da empresa: 58.000 un. Quantidade vendida a preço de $ 300: 30.000 un. OCIOSIDADE EM QUANTIDADE 28.000 un. Custos Fixos, por período: Mão-de-Obra Direta $ 300.000 Supervisão da Fábrica $ 100.000 Depreciação de Máquinas $ 900.000 CUSTO FIXO TOTAL $ 1.300.000 1 Despesas Variáveis = comissão. 2 Custos Variáveis = matéria-prima + embalagem. 160
  • 159. Custo Fixo por unidade: $ 1.300.000/58.000 un. = $ 22,41/un. Logo, o valor do custo da ociosidade é de $ 22,41/un. × 28.000 un. = $ 627.480 e) Resultado no ponto ótimo de trabalho (preço de $ 280, volume de 36.000 un.): Demonstração de Resultados (em $ mil) Receita Líquida 10.080 Matéria-prima (3.960) Embalagem (1.008) Comissões (1.008) Margem de Contribuição 4.104 Custos Fixos: Mão-de-obra Direta (300) Supervisão da Fábrica (100) Depreciação da Máquinas de Produção (900) Despesas de Administração Geral (200) LUCRO OPERACIONAL ANTES DO IR $ 2.604 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 19.4 a) Lucro atual (em $): Receita Bruta 270.000 Tributos (16.200) Receita Líquida 253.800 Custos Variáveis (36.000) Margem de Contribuição 217.800 Custos Fixos (150.000) Lucro 67.800 b) Lucro com mensalidade de $ 540 (em $): Receita Bruta 324.000 Tributos (19.440) Receita Líquida 304.560 Custos Variáveis (48.000) Margem de Contribuição 256.560 Custos Fixos (150.000) Lucro 106.560 161
  • 160. c) Lucro com mensalidade de $ 500 (em $): Receita Bruta 350.000 Tributos (21.000) Receita Líquida 329.000 Custos Variáveis (56.000) Margem de Contribuição 273.000 Custos Fixos (150.000) Acréscimo demais Custos Fixos (22.500) 1 Depreciação (novas instalações) (11.500) 2 Lucro 89.000 SUGESTÕES DE PERGUNTAS ADICIONAIS: l Considerando-se 1% ao mês como sendo o custo de oportunidade do capital, pergunta-se: vale a pena o novo investimento? Lucro na situação original: $ 67.800 + Custo de oportunidade de capital a ser investido (1% de $ 3.000.000) $ 30.000 Lucro mínimo a partir do qual vale a pena investir $ 97.800 Como o Lucro com a mensalidade de $ 500 (conforme alínea c) é de $ 89.000, não vale a pena o novo investimento. l Qual dos três valores de mensalidade deve o Colégio adotar para maximizar o seu lucro? O Colégio deve adotar a mensalidade no valor de $ 540 para maximizar seu lu- cro. EXERCÍCIO EXTRA A Panificadora Industrial Luanda, acompanhando e registrando o movimento de vendas, verificou que, quando cobra $ 3,00/kg por determinado produto, vende um total de 2.400 kg por mês, e quando cobra $ 3,20, vende 2.100 kg. Cada quilo produ- zido lhe causa um acréscimo imediato de custo variável de $ 1,60/kg (dos quais 50% é farinha de trigo); além disso há, também, $ 1.200 mensais de custos fixos diretos (iden- tificados). Desconsiderando a incidência de tributos sobre a receita, PEDE-SE PARA CALCU- LAR: a) O valor do lucro mensal, quando pratica o preço de $ 3,00. b) Idem, cobrando $ 3,20. 1 Acréscimo demais Custos Fixos: $ 150.000 × 15% = $ 22.500/mês. 2 Depreciação de instalações: $ 3.000.000 – $ 240.000 = $ 2.760.000 × 5% = $ 138.000. $ 138.000/12 = $ 11.500 a.m. 162
  • 161. c) O lucro mensal caso a farinha de trigo tenha aumento de 30% e o preço de venda seja $ 3,00. d) Idem, ao preço de $ 3,20. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Lucro mensal, ao preço de $ 3,00 (em $): Receita Líquida 7.200 Custos Variáveis (3.840) Margem de Contribuição 3.360 Custos Fixos (1.200) Lucro 2.160 b) Lucro mensal, ao preço de $ 3,20 (em $): Receita Líquida 6.720 Custos Variáveis (3.360) Margem de Contribuição 3.360 Custos Fixos (1.200) Lucro 2.160 c) Lucro mensal caso a matéria-prima tenha aumento de 30%, ao preço de $ 3,00 (em $): Receita Líquida 7.200 Custos Variáveis (4.416) Margem de Contribuição 2.784 Custos Fixos (1.200) Lucro 1.584 Custos Variáveis: Farinha de trigo: 50% de $ 1,60 = $ 0,80/kg Aumento de 30% de farinha de trigo: $ 0,80 × 1,30 = $ 1,04/kg Custo Variável unitário: $ 0,80 + $ 1,04 = $ 1,84/kg Custo Variável total: $ 1,84/kg × 2.400 kg = $ 4.416 d) Lucro mensal caso a matéria-prima tenha aumento de 30%, ao preço de $ 3,20 (em $): Receita Líquida 6.720 Custos Variáveis (3.864) Margem de Contribuição 2.856 Custos Fixos (1.200) Lucro 1.656 163
  • 162. Custos Variáveis: Farinha de trigo: 50% de $ 1,60 = $ 0,80/kg Aumento de 30% de farinha de trigo: $ 0,80 × 1,30 = $ 1,04/kg Custo Variável unitário: $ 0,80 + $ 1,04 = $ 1,84/kg Custo Variável total: $ 1,84/kg × 2.100 kg = $ 3.864 164
  • 163. 20 Custos Imputados e Custos Perdidos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Demonstração de Resultados (em $) Receita Bruta 160.000 Despesas Variáveis de Vendas (6.300) Receita Líquida 153.700 Custos Variáveis (75.600) Margem de Contribuição 78.100 Custos Fixos, exceto Depreciação 16.680 Depreciação dos Equipamentos 3.000 (19.680) Lucro Bruto 58.420 Despesas Fixas de Vendas 9.270 Despesas Administrativas 8.200 (17.470) Lucro Operacional antes das Desp. Financeiras 40.950 Correção Monetária dos Empréstimos (8%) 6.400 Juros sobre Empréstimos e Financiamentos 5.184 (11.584) Lucro Operacional Depois das Desp. Financeiras 29.366 Correção Monetária sobre o Ativo Imobilizado 4.560 1 Correção Monetária sobre o Capital Próprio (3.200)2 Juros sobre o Capital Próprio Corrigido (6%) (2.592) (1.232) LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (LAIR) 28.134 Observações: l O aluguel imputado sobre imóveis próprios foi desprezado para não haver duplicidade, pois já se está computando uma remuneração sobre o capital pró- prio. l Os efeitos da inflação foram computados por meio da correção monetária so- bre o patrimônio líquido (Capital Próprio) e sobre o Ativo Permanente (Imo- 1 Correção Monetária sobre o Ativo Imobilizado: 8% sobre ($ 60.000 – $ 3.000) = $ 4.560. 2 Correção Monetária sobre o Capital Próprio: 8% sobre $ 40.000 = $ 3.200.
  • 164. bilizado); o mais correto seria aplicar a Correção Monetária Integral, mas não há dados suficientes para isso. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 20.1 1. Alternativa correta: D 2. Alternativa correta: C 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: C SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 20.2 a) Preço de $ 300: O custo econômico da ociosidade é o custo de oportunidade, isto é, o quanto se deixa de ganhar na melhor alternativa desprezada. Ao preço de $ 300 a empresa venderia 30.000 amortecedores e deixaria de pro- duzir e vender 28.000; os cursos de ação possíveis são: l praticar o preço de $ 300: Vendas: 30.000 un. → MCT = $ 3.960.000 l praticar o preço de $ 200: Vendas: 58.000 un. → MCT = $ 2.436.000 Logo, o custo econômico da ociosidade, medido pela Margem de Contribuição Total (MCT) que seria obtida à plena capacidade, é de $ 2.436.000; menor, portanto, que a Margem de Contribuição Total (MCT) com ociosidade. Conclui-se, portanto, que é mais vantajoso operar com ociosidade, praticando o preço de $ 300 e produzindo 30.000 unidades por período. b) Preço de $ 200: Não há custo da ociosidade ao praticar o preço de $ 200. O máximo de quantida- de que a empresa consegue vender é sua capacidade prática de produção, que é de 58.000 unidades. c) Preço de $ 260: Ao preço de $ 260 a empresa venderia 42.000 amortecedores e deixaria de pro- duzir e vender 16.000; os cursos de ação possíveis são: l praticar o preço de $ 260: Vendas: 42.000 un. → MCT = $ 4.032.000 l praticar o preço de $ 200: Vendas: 58.000 un. → MCT = $ 2.436.000 166
  • 165. Logo, o custo econômico da ociosidade, medido pela Margem de Contribuição Total (MCT) que seria obtida à plena capacidade, é de $ 2.436.000; menor, portanto, que a Margem de Contribuição Total (MCT) com ociosidade. Conclui-se, portanto, que é mais vantajoso operar com ociosidade, praticando o preço de $ 260 e produzindo 30.000 unidades por período. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 20.3 Demonstração de Resultados (em $) RECEITA BRUTA = RECEITA LÍQUIDA 0 Custo dos Produtos Vendidos 0 LUCRO BRUTO 0 Despesas Administrativas (8.000) Lucro Contábil (8.000) Custo de Oportunidade (6% sobre o capital) (6.000) Lucro Econômico (14.000) SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 20.4 Demonstração de Resultados (em $) Receita Bruta 12.000 Impostos (1.440) Receita Líquida 10.560 Material (custo corrigido) (6.528) Mão-de-obra (idem) (3.672) Lucro Contábil, ao custo corrigido 360 Custo de Oportunidade (51) Lucro Econômico, ao custo corrigido 309 Custo de Oportunidade: Capital inicial $ 10.000 Correção Monetária (2%) $ 200 Capital Inicial Corrigido $ 10.200 Remuneração Mínima Desejada (0,5%): $ 51 EXERCÍCIO EXTRA Suponha que o Diretor Financeiro da empresa XYZ tem uma disponibilidade fi- nanceira de $ 130.000. Ele possui duas únicas alternativas para aplicá-la: 1a) comprar um imóvel, com a finalidade de alugar por $ 1.500 mensais; e 2a) aplicar em Letras de Câmbio, com rendimento estimado de 8,5% ao ano. 167
  • 166. A decisão foi tomada pela primeira alternativa. Após passar o primeiro ano, o Diretor constatou a ocorrência dos seguintes dados reais: 1. Valor de mercado do imóvel no fim do primeiro ano: $ 142.900; 2. O valor do aluguel foi de $ 1.500 mensais; 3. As Letras de Câmbio renderam 9,6%; e 4. A inflação do período foi de 8%. Desconsiderando a diferença de risco entre as alternativas e o efeito de tributos, PEDE-SE PARA CALCULAR: a) O valor do patrimônio possuído no final do ano, sabendo que os aluguéis fo- ram recebidos no final de cada mês e aplicados à mesma taxa das Letras de Câmbio. b) O rendimento real obtido na aplicação em imóvel. c) O valor do patrimônio que teria no final do ano caso tivesse feito a aplicação em Letras de Câmbio. d) O custo de oportunidade em valor monetário ($). e) O resultado econômico da decisão do diretor (em $). SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA a) Valor do patrimônio no final do ano (em $): Valor do imóvel 142.900,00 Aluguel + aplicação 18.647,401 VALOR DO PATRIMÔNIO 161.547,40 b) Rendimento real obtido na aplicação (em $): Valor do imóvel no final do ano: 142.900,00 + Aluguéis recebidos ($ 1.500/mês × 12 meses) 18.000,00 Rendimento pela aplicação financeira dos aluguéis 647,40 TOTAL NO FINAL DO ANO 161.547,40 (–) Investimento Inicial corrigido pela inflação (140.400,00) RENDIMENTO REAL OBTIDO 21.147,40 → 15,06% c) Valor do patrimônio que teria no final do ano com aplicação em letras de câm- bio (em $): 1 Utilizando calculadora financeira: i = 9,6% a.a. = 0,7668% a.m. PMT = 1.500 n = 11 FV = $ 17.147,40 No final do ano: $ 17.147,40 + $ 1.500,00 = $ 18.647,40. 168
  • 167. Valor da aplicação 130.000 Valor da Taxa de LC (9,6% de $ 130.000) 12.480 VALOR DO PATRIMÔNIO 142.480 d) Custo de oportunidade (calculado a posteriori): É o quanto a empresa deixou de ganhar na alternativa desprezada, ou seja, o rendimento das Letras de Câmbio = $ 12.480 (desconsiderando-se o risco). e) Resultado econômico: Resultado Econômico = rendimento obtido – custo de oportunidade = = $ 21.147,40 – $ 12.480,00 = $ 8.667,40 169
  • 168. 21 Alguns Problemas Especiais: Custos de Reposição e Mão-de- obra Direta como Custo Variável SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO 1. Alternativa correta: D 2. Alternativa correta: B 3. Alternativa correta: D 4. V, V, F, F, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 21.1 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: A 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: C SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 21.2 Demonstração de resultados (em $) Custo Custo histórico Custo de histórico corrigido reposição Receita Bruta 12.000 12.000 12.000 Impostos e Comissões (1.440) (1.440) (1.440) Receita Líquida 10.560 10.560 10.560 Custos de Produção: (10.500) Material (6.400) (6.528) Mão-de-obra (3.600) (3.672) Lucro Contábil 560 360 60 Custo de Oportunidade (51) (51) (51) Lucro Econômico 509 309 9
  • 169. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 21.3 a) Preço de venda médio unitário para cada mês: Custo Histórico: Março Abril Maio Matéria-prima 14.400 15.600 18.000 Mão-de-obra Direta 8.000 8.000 9.000 Custos Indiretos de Produção 2.000 2.336 2.336 CUSTO TOTAL 24.400 25.936 29.336 Despesas Administrativas 7.600 7.600 8.000 32.000 33.536 37.336 Impostos 21% 21% 21% Comissões 5% 5% 5% Março: $ 32.000 Receita Bruta: = $ 50.000 0,64 $ 50.000 Preço de Venda = = $ 2,50/un. 20.000 un. Abril: $ 33.536 Receita Bruta: = $ 52.400 0,64 $ 52.400 Preço de Venda = = $ 2,62/un. 20.000 un. Maio: $ 37.336 Receita Bruta: = $ 58.337,50 0,64 $ 58.337,50 Preço de Venda = = $ 2,92/un. 20.000 un. 171
  • 170. Resultados projetados para cada mês: Demonstração de resultados (em $) Custo histórico Custo de reposição Março Abril Maio Março Abril Receita Bruta 50.000 52.400 58.337,50 50.000 52.400 Impostos (10.500) (11.004) (12.250,88) (10.500) (11.004) Receita Líquida 39.500 41.396 46.086,62 39.500 41.396 CPV: (24.400) (25.936) (29.336) . (25.936) (29.336) Material 14.400 15.600 18.000 Mão-de-obra 8.000 8.000 9.000 Custos Indiretos de Prod. 2.000 2.336 2.336 Lucro Bruto 15.100 15.460 16.750,62 13.564 12.060 Despesas Administrativas (7.600) (7.600) (8.000,00) (7.600) (7.600) Comissões (2.500) (2.620) (2.916,88) (2.500) (2.620) Lucro Operacional antes IR 5.000 5.240 5.833,74 3.464 1.840 Imposto de Renda (30%) (1.500) (1.572) (1.750,12) (1.500) (1.572) Lucro Contábil 3.500 3.668 4.083,62 1.964 268 Custo de Oportunidade (2.400)1 (2.400) (2.400,00) (2.400) (2.400) Lucro Econômico 1.100 1.268 1.683,62 (436) (2.132) SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 21.4 a) Lucro de abril por unidade, com base nos custos históricos: Matéria-prima ($ 9,60/l × 12.000l) 115.200 Frascos de embalagem ($ 2,70/fr × 20.000 fr) 54.000 Mão-de-obra Direta 113.000 Material Secundário 6.000 Aluguel do galpão da produção 9.400 Outros Custos Indiretos de Produção 10.000 Custo Total 307.600 $ Custo Total $ 307.600 Custo unitário = = = $ 15,38/un. Volume 20.000 un. Lucro de abril por unidade = $ 18,00 – $ 15,38 = $ 2,62/un. b) Lucro bruto provável de maio, por unidade, ao custo histórico: I. Custo médio ponderado fixo de matéria-prima: 10.500 l × $ 9,60/l = $ 100.800 5.000 l × $ 11,46/l = $ 57.300 15.500 l $ 158.100 1 Custo de Oportunidade = 6% sobre $ 40.000 = $ 2.400. 172
  • 171. $ 158.100 Custo unitário = = $ 10,20/l 15.500 l II. Custo médio ponderado fixo de frascos de embalagem: 1.000 fr × $ 2,70/fr = $ 2.700 19.000 fr × $ 3,10/fr = $ 58.900 (comprando só do necessário à 20.000 fr $ 61.600 produção) $ 61.600 Custo unitário = = $ 3,08/fr 20.000 fr Matéria-prima ($ 10,20/l × 12.000 l) 122.400 Frascos de embalagem ($ 3,08/fr × 20.000 fr) 61.600 Mão-de-obra Direta 113.000 Material Secundário 6.000 Aluguel do galpão da produção 12.900 Outros Custos Indiretos de Produção 11.200 Custo Total 327.100 $ Custos Totais $ 327.100 Custo unitário = = = $ 16,355/un. Volume 20.000 un. Lucro bruto de maio por unidade = $ 18,00 – $ 16,355 = $ 1,645/un. c) Lucro bruto unitário de maio, com base no custo de reposição: Matéria-prima ($ 11,46/l × 12.000 l) 137.520 Frascos de embalagem ($ 3,10/fr × 20.000 fr) 62.000 Mão-de-Obra Direta 113.000 Materiais Secundários 6.000 Aluguel do galpão da produção 12.900 Outros Custos Indiretos de Produção 11.200 Custo Total 342.620 $ Custo Total $ 342.620 Custo unitário = = = $ 17,131/un. Volume 20.000 un. Lucro de abril por unidade = $ 18,00 – $ 17,131 = $ 0,869/un. d) Margens de contribuição unitária e total de maio, a custo histórico: Demonstração de resultado por unidade Preço de Venda 18,00 Matéria-prima (6,12) Frascos de embalagem (3,08) Mão-de-obra Direta (5,65) Material Secundário (0,30) Margem de Contribuição Unitária 2,85 173
  • 172. Logo, a Margem de Contribuição Total é $ 2,85/un. × 20.000 un. = $ 57.000. e) Margem de contribuição unitária e total de maio, ao custo de reposição: Demonstração de resultado por unidade Preço de Venda 18,000 Matéria-prima (6,876) Frascos de embalagem (3,100) Mão-de-obra Direta (5,650) Materiais Secundários (0,300) Margem de Contribuição Unitária 2,074 Logo, a Margem de Contribuição Total é $ 2,074/un. × 20.000 un. = $ 41.480. EXERCÍCIO EXTRA Duas empresas, Maricota e Mariquita, foram constituídas em 1o-1-X1 com o capi- tal de $ 100.000 cada uma, totalmente subscrito e integralizado em moeda corrente. Na própria data de sua constituição, a Maricota investe todo o capital inicial na compra de uma unidade do produto Microtec, que é vendido a vista em 20-1-X1, por $ 120.000. Essa quantia é totalmente reinvestida na reposição do estoque, o qual conti- nuava no ativo em 31-1-X1. A Mariquita também investe todo o seu capital inicial, $ 100.000, na compra do produto Microtec em 1o-1-X1, o qual continuava em estoque em 31-1-X1 (nada ven- deu em janeiro). Sabendo que o preço de mercado para compra do produto Microtec aumentou 20% durante o mês de janeiro, e desconsiderando os efeitos tributários, PEDE-SE PARA CALCULAR: a) O lucro de Janeiro da Maricota ao custo histórico. b) Idem, da Mariquita. c) O lucro de Janeiro da Maricota ao custo de reposição. d) Idem, da Mariquita. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA Demonstração de Resultado em 31-1-X1 Custo histórico Custo de reposição Maricota Mariquita Maricota Mariquita Receita 120.000 0 120.000 0 Custo do Produto Vendido (100.000) 0 (120.000) 0 Lucro Contábil 20.000 0 0 0 174
  • 173. Por que o valor do lucro e do patrimônio é diferente se o capital físico das duas empresas é o mesmo no fim do mês? Elaborar Balanço e Demonstração de Resultados de Janeiro, das duas empresas tanto a custo histórico como de reposição. Balanço Patrimonial da Maricota em 31-1-X1 Ativo Passivo + PL Circulante Patrimônio Líquido Estoque 120.000 Capital 100.000 Lucros Acumulados 20.000 TOTAL (ATIVO) 120.000 TOTAL (P + PL) 120.000 Balanço Patrimonial da Mariquita em 31-1-X1 (ao Custo Histórico) Ativo Passivo + PL Circulante Patrimônio Líquido Estoque 100.000 Capital 100.000 TOTAL (ATIVO) 100.000 TOTAL (P + PL) 100.000 Balanço Patrimonial da Mariquita em 31-1-X1 (ao Custo de Reposição) Ativo Passivo + PL Circulante Patrimônio Líquido Estoque 120.000 Capital 100.000 Ganho de Estocagem 20.000 TOTAL (ATIVO) 120.000 TOTAL (P + PL) 120.000 175
  • 174. 22 Relação Custo/Volume/Lucro – Considerações Iniciais SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Preço de Venda Líquido $ 3,50 (–) Custos e Despesas Variáveis ($ 1,50) Margem de Contribuição Unitária $ 2,00 (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 50.000 PEC(q) = = = 25.000 pct MC/pct $ 2,00/pct a) Margem de segurança (%): Volume Atual − PECq Margem de Segurança = × 100 Volume Atual 31.250 − 25.000 MSO (%) = × 100 = 20% 31.250 Margem de Segurança em unidades = 6.250 b) Novo ponto de equilíbrio contábil: Custos e Despesas Fixos atuais = $ 50.000 Novo CDF = $ 50.000 × 1,2 = $ 60.000 (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 60.000 PEC(q) = = MC/pct $ 2,00/pct = 30.000 pct Logo, aumentaria 30.000 pct – 25.000 pct = 5.000 pct. → 20% de aumento em relação ao atual PEC, que é de 25.000 pct. Observar que é exatamente o mesmo percentual de aumento dos Custos e Des- pesas Fixos (20%) (não por coincidência...). Ver item 22.7 do livro-texto. c) Novo ponto de equilíbrio contábil: Custos e Despesas Variáveis atuais = $ 1,50/pct Novo CDV = $ 1,50 × 1,2 = $ 1,80/pct
  • 175. Preço de Venda $ 3,50 (–) Custos e Despesas Variáveis ($ 1,80) Margem de Contribuição Unitária $ 1,70 (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 50.000 PEC(q) = = ≅ 29.412 pct MC/pct $ 1,70/pct Logo, aumentaria 29.412 un. – 25.000 un. = 4.412 un. → 17,65% Observar que é um percentual inferior ao do acréscimo nos Custos e Despesas Variáveis, mas que isso nem sempre ocorre; ver item 22.8 do livro-texto. d) Aumento do lucro (%): Lucro atual: 6.250 un. × $ 2,00/un. = $ 12.500  Aumento de 50%  Aumento: (50% de 6.250 un.) × $ 2,00/un. = $ 6.250  no lucro 50% de 6.250 un. = 3.125 un. Esse aumento de 3.125 un. representa 10% do volume atual (31.250 un.). e) Redução do lucro (%): Lucro atual: 6.250 un. × $ 2,00/un. = $ 12.500  Redução de 50%  no lucro Redução: (50% de 6.250 un.) × $ 2,00/un. = $ 6.250  50% de 6.250 un. = 3.125 un. Redução de 10% em relação ao atual volume. f) Grau de alavancagem operacional: Porcentagem de variação no lucro 50% GAO = = = 5 vezes Porcentagem de variação no volume 10% ou MC/un. = $ 2,00/un. MCT = $ 2,00/un. × 31.250 u = $ 62.500 Lucro = MCT – CDF = $ 62.500 – $ 50.000 = $ 12.500 MCT 62.500 GAO = = = 5 vezes Lucro 12.500 ou Margem de Segurança = 20% 1 1 GAO = = = 5 vezes MSO 0,2 g) Percentual de aumento do volume atual: 40% GAO = = 5 vezes x x = 8% (porcentagem de acréscimo no volume) Aumento no volume: 31.250 pct × 1,08 = 33.750 pct 177
  • 176. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 22.1 Preço de Venda Bruto $ 200 (–) Impostos ($ 30) Preço de Venda Líquido $ 170 (–) Custos Variáveis ($ 37) Margem de Contribuição Unitária $ 133 ⇒ 66,5% do PV bruto a) Ponto de equilíbrio contábil (q): Custos e Despesas Fixos $ 66.500 PEC(q) = = = 500 un. MC/un. $ 133/un. b) Ponto de equilíbrio contábil ($): Custos e Despesas Fixos $ 66.500 PEC($) = = Margem de Contribuição em % 0,665 = $ 100.000 c1) Ponto de equilíbrio econômico (q): Quantidade = q Receita Bruta = $ 200q Lucro desejado = 30% de $ 200q = $ 60q Impostos = $ 30q Custos Variáveis = $ 37q Custos e Despesas Fixos = $ 66.500 CDF + LD PEE(q) = MC/un. 66.500 + 0,3 RB q= 133 133q = 66.500 + 0,3PVq 133q = 66.500 + 60q 73q = 66.500 q ≅ 911 un. c2) Ponto de equilíbrio econômico ($): PEE($) = 911 un. × $ 200/un. = $ 182.200 Demonstração de Resultados ($) Receita Bruta (911 un. × $ 200/un.) 182.200 Impostos (27.330) Receita Líquida 154.870 Custos Variáveis (33.707) Margem de Contribuição Total 121.163 Custos e Despesas Fixas (66.500) Lucro 54.663 178
  • 177. $ 54.663 = 30%, cqd $ 182.200 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 22.2 Preço da diária por apartamento $ 150 (–) Custos Variáveis ($ 90) Despesas Variáveis ($ 15) ⇒ 10% de 150 $/apto. Margem de Contribuição Unitária $ 45 ⇒ 30% do PV a) Ponto de equilíbrio contábil (q): Custos e Despesas Fixos $ 540.000 PEC(q) = = MC/un. $ 45/apto. = 12.000 diárias b) Ponto de equilíbrio contábil ($): Custos e Despesas Fixos $ 540.000 PEC($) = = = $ 1.800.000 Margem de Contribuição em % 0,30 c1) Ponto de equilíbrio econômico (q): Quantidade = q Receita Líquida = $ 150q Lucro desejado = 20% de $ 150q = $ 30q Custos e Despesas Variáveis = $ 105q Custos e Despesas Fixos = $ 540.000 CDF + LD PEE(q) = MC/un. 540.000 + 0,2 RT q= 45 45q = 540.000 + 0,2PVq 45q = 540.000 + 30q 15q = 540.000 q = 36.000 diárias. c2) Ponto de equilíbrio econômico ($): PEE($) = $ 150/diária × 36.000 diárias = = $ 5.400.000 179
  • 178. Demonstração de Resultados ($ mil) Receita Líquida 5.400 Custos Variáveis (3.240) Despesas Variáveis (540) Margem de Contribuição Total 1.620 Custos e Despesas Fixas (540) Lucro 1.080 $ 1.080 = 20%, cqd $ 5.400 d) Margem de segurança (%): Por ano: 365 dias × 100 apartamentos = 36.500 diárias Volume atual: 80% de 36.500 = 29.200 diárias Volume Atual − PEC( q) Margem de Segurança = × 100 Volume Atual 29.200 − 12.000 MSO (%) = × 100 ≅ 60% 29.200 e) Capacidade teórica do hotel: 365 dias × 100 apartamentos = 36.500 diárias/ano, correspondentes a uma receita de $ 5.475.000. f) Percentual da taxa de ocupação (%): PEC(q) = 12.000 diárias 12.000 Logo, × 100 ≅ 33% 36.500 g) Percentual da taxa de ocupação (%): PEE(q) = 36.000 diárias 36.000 Logo, × 100 ≅ 98,6% 36.500 h) Lucro operacional do hotel, antes do Imposto de Renda: Demonstração de Resultados ($ mil) Receita Líquida (29.200 diárias × $ 150/diária) 4.380 Custos Variáveis (2.628) Despesas Variáveis (438) Margem de Contribuição Total 1.314 Custos e Despesas Fixas (540) LUCRO OPERACIONAL ANTES DO IR 774 180
  • 179. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 22.3 Preço de Venda bruto $ 555,00 (–) Impostos ($ 55,50) Preço de Venda líquido $ 499,50 (–) Custos Variáveis ($ 299,50) Margem de Contribuição Unitária $ 200 ⇒ 40,04% do PV líquido a1) Ponto de equilíbrio contábil (q): Custos e Despesas Fixos $ 1.600.000 + $ 400.000 PEC(q) = = = 10.000 un. MC/un. $ 200/un. a2) Ponto de equilíbrio contábil ($): Custos e Despesas Fixos $ 2.000.000 PEC($) = = ≅ $ 4.995.005 Margem de Contribuição em % 0,4004 ou PEC($) = 10.000 un. × $ 499,50/un. = $ 4.995.000 b1) Ponto de equilíbrio financeiro (q): Custos Fixos − Depreciação + Despesas Fixas + Dívida PEF(q) = Margem de Contribuição Unitária $ 1.600.000 − $ 320.000 + $ 400.000 + $ 600.000 = $ 200/un. = 11.400 un. b2) Ponto de equilíbrio financeiro ($): Custos Fixos − Depreciação + Despesas Fixas + Dívida PEF($) = Margem de Contribuição Unitária $ 1.600.000 − $ 320.000 + $ 400.000 + $ 600.000 = 0,4004 ≅ $ 5.694.306 ou PEF($) = 11.400 un. × $ 499,50/un. = $ 5.694.300 c) Ponto de equilíbrio econômico (q): Lucro desejado = 10% × $ 12.000.000 = $ 1.200.000/período. $ 1.200.000 Lucro desejado antes do IR = = $ 1.500.000. 0,8 Custo Fixo + Despesa Fixa + Lucro Desejado PEF(q) = Margem de Contribuição Unitária $ 1.600.000 + $ 400.000 + $ 1.500.000 = = 17.500 un. $ 200/un. 181
  • 180. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 22.4 Preço de Consultoria $ 250,00/h (–) Custos Variáveis ($ 100,00/h) Despesas Variáveis ($ 62,50/h) ⇒ 25% de 250 $/h Margem de Contribuição $ 87,50/h ⇒ 35% do PV (Custos Fixos + Despesas Fixas) (300.000 + 50.000) PEC(q) = = = 4.000 h MC/h 87,50 a) Margem de segurança (%): Volume Atual − PEC(q) Margem de Segurança = × 100 Volume Atual 5.000 − 4.000 MSO(%) = × 100 = 20% 5.000 b) Lucro contábil mensal ($): CDF + LD PEE(q) = MC/h 350.000 + 0,05 × PV × q q= 87,5 87,5q = 350.000 + 0,05 × 250 × q 87,5q = 350.000 + 12,5 q 75 q = 350.000 q = 4.666,7 h Receita Total: $ 250/h × 4.666,7 h = $ 1.166.666,67 Lucro Contábil Mensal: (4.666,7 h – 4.000 h) × $ 87,50/h = $ 58.336,25 c) Ponto de equilíbrio financeiro (h): CDF − CDFND + Amortizações PEF(q) = MC/h 350.000 − 120.000 PEF(q) = = 2.628,6 h 87,50 d) Novo ponto de equilíbrio contábil (h): Novo Preço de Consultoria = $ 200/un. MC/h = 200 – (100 + 0,25 × 200) MC/h = $ 50/h 350.000 PEC(q) = = 7.000 h 50 Observação: Para uma redução de 20% no preço dos honorários, o ponto de equilíbrio subiu 75%, ao passar de 4.000 h para 7.000 h. 182
  • 181. EXERCÍCIO EXTRA A Empresa AWR apresenta a seguinte estrutura de preço, custos e despesas: l Preço de Venda por unidade, líquido de tributos .................................. $ 500 l Despesas Variáveis de venda: dez por cento do preço de venda ............. 10% l Custo Variável por unidade ................................................................... $ 200 l Custos Fixos por período ............................................................... $ 400.000 l Despesas Fixas por período ............................................................ $ 100.000 Pede-se para calcular: a) o Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC), em unidades físicas (q); b) o Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC), em valor monetário ($) relativo à recei- ta líquida; c) o Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE), em unidades físicas (q), consideran- do-se que o lucro desejado pelos acionistas é de 10% da receita total; d) o Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF), em unidades físicas (q) e monetárias ($), considerando-se que 40% dos custos e despesas fixos são sunk costs; e) o Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC), em unidades físicas e monetárias, se a empresa decidir reduzir o preço de venda em 20%; f) a Margem de Segurança Operacional, quando a empresa vende 5.000 unida- des; g) o Grau de Alavancagem Operacional no nível em que a empresa esteja produ- zindo e vendendo 2.500 unidades por período; e h) o lucro operacional, de acordo com os Princípios Fundamentais de Contabili- dade, quando a empresa produz 4.000 unidades e vende 3.500, sem que haja estoques iniciais. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA Preço de Venda $ 500 (–) Custos Variáveis ($ 200) Despesas Variáveis ($ 50) ⇒ 10% de 500 $/un. Margem de Contribuição unitária $ 250 ⇒ 50% de PV a) Ponto de equilíbrio contábil (q): (Custos Fixos + Despesas Fixas) (400.000 + 100.000) PEC( q) = = MC/un. 250 = 2.000 un. b) Ponto de equilíbrio contábil ($): Custos e Despesas Fixos $ 500.000 PEC($) = = = $ 1.000.000 Margem de Contribuição em % 0,50 183
  • 182. c) Ponto de equilíbrio econômico (q): CDF + LD PEE(q) = MC/un. 500.000 + 0,10 × PV × q q= 250 250q = 500.000 + 0,10 × 500 × q 250q = 500.000 + 50 q 200q = 500.000 q = 2.500 un. d1) Ponto de equilíbrio financeiro (q): CDF − CDFND + Amortizações PEF( q ) = MC/h 500.000 − 200.000 PEF( q ) = = 1.200 un. 250 d2) Ponto de equilíbrio financeiro ($): 500.000 − 200.000 PEF($) = = $ 600.000 0,50 e1) Ponto de equilíbrio contábil (q): Novo Preço de Venda = $ 400/un. Preço de Venda $ 400 (–) Custos Variáveis ($ 200) Despesas Variáveis ($ 40) ⇒ 10% de 400 $/un. Margem de Contribuição unitária $ 160 ⇒ 40% (Custos Fixos + Despesas Fixas) (400.000 + 100.000) PEC( q) = = MC/un. 160 = 3.125 un. e2) Ponto de equilíbrio contábil ($): Custos e Despesas Fixos $ 500.000 PEC($) = = = $ 1.250.000 Margem de Contribuição em % 0,40 f) Margem de segurança: Volume Atual − PEC(q) Margem de Segurança = × 100 Volume Atual 5.000 − 2.000 MSO (%) = × 100 = 60% 5.000 184
  • 183. g) Grau de alavancagem operacional: MC/un. = $ 250/un. MCT = $ 250/un. × 2.500 un. = $ 625.000 Lucro = MCT – CDF = $ 625.000 – ($ 400.000 + $ 100.000) = $ 125.000 MCT 625.000 GAO = = = 5 vezes Lucro 125.000 ou Volume Atual − PEC(q) Nova Margem de Segurança = × 100 Volume Atual 2.500 − 2.000 MSO (%) = × 100 = 20% 2.500 1 1 GAO = = = 5 vezes MSO 0,2 ou Porcentagem de variação no lucro 125% GAO = = = 5 vezes Porcentagem de variação no volume 25% h) LUCRO: Receita Líquida = 3.500 un. × $ 500/un. = $ 1.750.000  400.000 + 80.000  Estoque Final = 500 un.   = $ 150.000  4.000 un.  Demonstração de Resultados (em $) Receita Bruta = Receita Líquida 1.750.000 (–) Custos Fixos 400.000 Custos Variáveis 800.000 Estoque Final (150.000) (1.050.000) Lucro Bruto 700.000 (–) Despesas Fixas (100.000) Despesas Variáveis (175.000) LUCRO OPERACIONAL 425.000 185
  • 184. 23 Considerações Adicionais sobre Custo/Volume/Lucro SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a1) Ponto de equilíbrio contábil (q) para a cascata: Preço de Venda $ 1,00 (–) Custos e Despesas Variáveis ($ 0,25) Margem de Contribuição unitária $ 0,75 ⇒ 75% do PV (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 30.000 PEC(q) = = = 40.000 garrafas MC/un. $ 0,75/un. a2) Ponto de equilíbrio contábil ($) para a cascata: Custos e Despesas Fixos $ 30.000 PEC($) = = Margem de Contribuição em % 0,75 = $ 40.000 b1) Ponto de equilíbrio contábil (q) para a cachoeira: Preço de Venda $ 1,00 (–) Custos e Despesas Variáveis ($ 0,35) Margem de Contribuição unitária $ 0,65 ⇒ 65% do PV (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 26.000 PEC(q) = = = 40.000 garrafas MC/un. $ 0,65/un. b2) Ponto de equilíbrio contábil ($) para a cachoeira: Custos e Despesas Fixos $ 26.000 PEC($) = Margem de Contribuição em % = 0,65 = $ 40.000 c1) Variação no ponto de equilíbrio contábil (%) para a cascata: Novo preço: $ 1,00 + 0,25 × 1,00 = $ 1,25/garrafa $ 30.000 PEC(q) = = 30.000 garrafas ($ 1,25 − $ 0,25)
  • 185. PECNOVO − PEC 30.000 − 40.000 ∆ %PEC = = = −0,25 = −25% (queda) PEC 40.000 c2) Ponto de equilíbrio contábil (%) para a cachoeira: Novo preço: $ 1,00 + 0,25 × 1,00 = $ 1,25/garrafa $ 26.000 PEC(q) = = 28.889 garrafas ($ 1,25 − $ 0,35) PECNOVO − PEC 28.889 − 40.000 ∆ %PEC = = = −0,278 = −27,8% (queda) PEC 40.000 d1) Taxa de retorno sobre o investimento para a cascata: 200.000 garrafas × 50% = 100.000 garrafas I. Lucro Atual = MC/un. (Volume atual – PEC(q)) = 0,75 (100.000 – 40.000) = $ 45.000 II. Taxa de Retorno sobre o Investimento atual Lucro $ 45.000 Tx. RSI = = Capital investido $ 4.000.000 = 0,01125 = 1,125% III. Novo Lucro (com aumento de 25% no Preço de Venda) Novo Lucro = MC/un. (Volume atual – PEC(q)) = 1,00 (100.000 – 30.000) = $ 70.000 IV. Nova Taxa de Retorno sobre Investimento $ 70.000 nTx. RSI = = 0,0175 = 1,75% $ 4.000.000 V. Variação da Taxa de Retorno sobre Investimento ∆%RSI = (1,75/1,125) – 1 ≅ 55,6% d2) Taxa de retorno sobre o investimento para a cachoeira: 200.000 garrafas × 50% = 100.000 garrafas I. Lucro Atual = MC/un. (Volume atual – PEC(q)) = 0,65 (100.000 – 40.000) = $ 39.000 II. Taxa de Retorno sobre o Investimento atual $ 39.000 Tx. RSI = = 0,0156 = 1,56% $ 2.500.000 187
  • 186. III. Novo Lucro (com aumento de 25% no Preço de Venda) Novo Lucro = MC/un. (Volume atual – PEC(q)) = 0,90 (100.000 – 28.889) = $ 64.000 IV. Nova Taxa de Retorno sobre Investimento $ 64.000 nTx RSI = = 0,0256 = 2,56% $ 2.500.000 V. Variação da Taxa de Retorno sobre Investimento ∆%RSI = (2,56/1,56) – 1 ≅ 64,1% Cascata Cachoeira Investimento $ 4.000.000 $ 2.500.000 Lucro Antes $ 45.000 $ 39.000 Tx. RSI antes 1,125% 1,56% Lucro Depois $ 70.000 $ 64.000 Tx. RSI depois 1,75% 2,56% SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 23.1 Enceradeiras Aspiradores Preço de Venda bruto 120 80 Custos e Despesas Variáveis: Matéria-prima (16) (8) Mão-de-obra Direta (50) (30) Comissões (6) (4) Margem de Contribuição Unitária $ 48/un. $ 38/un. Custos e Despesas Fixos $ 5.000 a) Ponto de equilíbrio contábil de cada produto (q): MCTENCERADEIRAS = 48q MCTASPIRADORES = 38q MCT 86q → MC/un. média = 86q/2 = $ 43/un. (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 5.000 PEC(q) = = = 116,28 un. MC/un. $ 43/un. PECENCERADEIRAS(q) = 50% 116,28 un. = 58,14 un. → 59 un. PECASPIRADORES(q) = 50% 116,28 un. = 58,14 un. → 59 un. 188
  • 187. b) Ponto de equilíbrio contábil de cada produto ($): PECENCERADEIRAS($) = 59 un. × $ 120/un. = $ 7.080 PECASPIRADORES($) = 59 un. × $ 80/un. = $ 4.720 c) Ponto de equilíbrio contábil da empresa ($): PEC($) = $ 7.080 + $ 4.720 = $ 11.800 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 23.2 A B Preço de Venda 70 85 (–) Custos Variáveis (30) (30) Margem de Contribuição Unitária $ 40/un. $ 55/un. Volume de produção 4.000 un. 12.000 un. Proporção 25% 75% Margem de Contribuição Total $ 160.000 $ 660.000 Custos Fixos $ 500.000 Despesas Fixas $ 89.375 a) Ponto de equilíbrio contábil (q): MCTA = $ 160.000 MCTB = $ 660.000 MCT $ 820.000 → MC/un. média = $ 820.000/16.000 un. = $ 51,25/un. (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 589.375 PEC(q) = = = 11.500 un. MC/un. $ 51,25/un. Distribuição do PEC(q) entre os produtos (utilizando a mesma proporção do mix atual): PECA(q) = 25% 11.500 un. = 2.875 un. PECB(q) = 75% 11.500 un. = 8.625 un. b) Ponto de equilíbrio contábil ($): PECA($) = 2.875 un. × $ 70/un. = $ 201.250 PECB($) = 8.625 un. × $ 85/un. = $ 733.125 189
  • 188. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 23.3 Standard Simples Duplo Preço da diária por apartamento 150 200 (–) Custos e Despesas Variáveis (80) (110) Margem de Contribuição unitária $ 70/apto. $ 90/apto. Percentual do Preço de Venda 46,67% 45% Custos e Despesas Fixos identificados $ 182.000 $ 378.000 Custos e Despesas Fixos comuns $ 119.000 a1) Ponto de equilíbrio contábil (q) da categoria simples: (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 182.000 PEC(q) = = MC/un. $ 70/apto. = 2.600 diárias Custos e Despesas Fixos $ 182.000 PEC($) = = Margem de Contribuição em % 0,4667 ≅ $ 390.000 a2) Ponto de equilíbrio contábil (q) da categoria duplo: (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 378.000 PEC(q) = = MC/un. $ 90/apto. = 4.200 diárias Custos e Despesas Fixos $ 378.000 PEC($) = = = $ 840.000 Margem de Contribuição em % 0,45 b) Quantidade de apartamentos standard simples (q): MCDUPLO $ 90/apto. = MCSIMPLES $ 70/apto. = 1,286 diária do Simples para cada diária do apto. Duplo c) Considerando-se que 100% dos custos e despesas fixos sejam elimináveis com a decisão, tem-se: c1) PEC(q) pela opção só pela categoria simples: (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 182.000 + $ 119.000 PEC(q) = = MC/un. $ 70/apto. = 4.300 diárias c2) Ponto de equilíbrio contábil (q) da categoria duplo: (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 378.000 + $ 119.000 PEC(q) = = MC/un. $ 90/apto. ≅ 5.522 diárias 190
  • 189. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 23.4 a) Ponto de equilíbrio contábil: X Y Z Preço de Venda 270 350 500 Matéria-prima 70 1 70 2 703 Energia Elétrica 3,164 7,905 19,756 MC/un. $ 196,84/un. $ 272,10/un. $ 410,25/un. Volume 50.000 un. 30.000 un. 20.000 un. MCT $ 9.842.000 $ 8.163.000 $ 8.205.000 $ 26.210.000 $ 26.210.000 MC/un. = = $ 262,10/un. 100.000 un. $ 20.710.000 PEC(q) = = 79.016 un. 262,10/un. Considerando-se o mesmo mix de produção e de vendas: “X” 39.508 un. ⇒ MCT = $ 7.776.755 “Y” 23.705 un. ⇒ MCT = $ 6.450.131 “Z” 15.803 un. ⇒ MCT = $ 6.483.181 79.016 un. $ 20.710.067 Assim, o Ponto de Equilíbrio Contábil, em valores monetários, é: “X” 39.508 un. ⇒ PEC($) = $ 10.668.160 “Y” 23.705 un. ⇒ PEC($) = $ 8.296.750 “Z” 15.803 un. ⇒ PEC($) = $ 7.901.500 79.016 un. $ 26.866.410 b) Ponto de equilíbrio financeiro: CF − Depr. Equip. + DF − Depr. Veículos + Empréstimos − Desp. Financ. PEF(q) = Margem de Contribuição Unitária $ 12.410 − $ 300 + $ 8.300 − $ 100 + $ 3.520 − $ 200 = = 90.156 un. 262,10 1 Matéria-prima (X) = (50% $ 7.000.000)/50.000 un. = $ 3.500.000/50.000 un. = $ 70/un. 2 Matéria-prima (Y) = (30% $ 7.000.000)/30.000 un. = $ 2.100.000/30.000 un. = $ 70/un. 3 Matéria-prima (Z) = (20% $ 7.000.000)/20.000 un. = $ 1.400.000/20.000 un. = $ 70/un. 4 Energia Elétrica (X) = (20% $ 790.000)/50.000 un. = $ 158.000/50.000 un. = $ 3,16/un. 5 Energia Elétrica (Y) = (30% $ 790.000)/30.000 un. = $ 237.000/30.000 un. = $ 7,90/un. 6 Energia Elétrica (Z) = (50% $ 790.000)/20.000 un. = $ 395.000/20.000 un. = $ 19,75/un. 191
  • 190. “X” 45.078 un. ⇒ MCT = $ 8.873.153,52 “Y” 27.046,8 un. ⇒ MCT = $ 7.359.434,28 “Z” 18.031,2 un. ⇒ MCT = $ 7.397.299,80 90.156 un. $ 23.629.887,60 Assim, o Ponto de Equilíbrio Financeiro, em valores monetários, é: “X” 45.078 un. ⇒ PEF($) = $ 12.171.060 “Y” 27.046,8 un. ⇒ PEF($) = $ 9.466.380 “Z” 18.031,2 un. ⇒ PEF($) = $ 9.015.600 90.156 un. $ 30.653.040 Se considerarmos que a empresa tem $ 1.460.000 de disponibilidades em Caixa e Bancos e ainda $ 6.060.000 de Contas a Receber de Clientes, então o PEF(q) poderá ser reduzido em: $ 7.520.000/$ 262,10 ≅ 28.691 unidades, no total. c) Ponto de equilíbrio econômico: Lucro desejado = 6% × $ 15.000 =$ 900 Custo Fixo + Despesa Fixa + Lucro desejado PEE(q) = Margem de Contribuição Unitária $ 12.410 + $ 8.300 + $ 900 = ≅ 82.450 un. 262,10 “X” 41.225 un. ⇒ MCT = $ 10.805.072,50 “Y” 24.735 un. ⇒ MCT = $ 6.483.043,50 “Z” 16.490 un. ⇒ MCT = $ 4.322.029,00 82.450 un. $ 21.610.145 Assim, o Ponto de Equilíbrio Econômico, em valores monetários, é: “X” 41.225 un. ⇒ PEE($) = $ 11.130.750 “Y” 24.735 un. ⇒ PEE($) = $ 8.657.250 “Z” 16.490 un. ⇒ PEE($) = $ 8.245.000 82.450 un. $ 28.033.000 d) Grau de alavancagem operacional: MC/uX = $ 196,84/un. → MCT = $ 9.842.000 MC/uY = $ 272,10/un. → MCT = $ 8.163.000 MC/uZ = $ 410,25/un. → MCT = $ 8.205.000 TOTAL $ 26.210.000 Lucro = MCT – CDF = $ 26.210.000 – $ 20.710.000 = $ 5.500.000 192
  • 191. MCT 26.210.000 GAO = = = 4,76 vezes Lucro 5.500.000 ou GAO (a partir dos atuais volumes): Se passar a operar a 100% da capacidade prática, os volumes passam a ser: 62.500 un. de X (+25%) ⇒ MCT (X) = $ 12.302.500 37.500 un. de Y (+25%) ⇒ MCT (Y) = $ 10.203.750 25.000 un. de Z (+25%) ⇒ MCT (Z) = $ 10.256.250 $ 32.762.500 CDF $ 20.710.000 L.O. $ 12.052.500 Lucro antes: $ 5.500.000   ∆% L = 119,14% Lucro novo: $ 12.052.500  Porcentagem de variação no lucro 119,14% GAO = = = 4,76 vezes Porcentagem de variação no volume 25% EXERCÍCIO EXTRA A Indústria de Eletrodomésticos Rei produz dois produtos: espremedores de la- ranja e liquidificadores, cujos preços de venda, líquidos de tributos, são, em média, $ 50 e $ 70 por unidade, respectivamente. Sua estrutura de custos e despesas é a seguinte (em $): Espremedores de laranja Liquidificadores Custos e despesas variáveis (CDV) por unidade 35 45 Custos e despesas fixos (CDF) identificados 72.000 118.000 Custos e despesas fixos (CDF) comuns 180.000 PEDE-SE PARA CALCULAR: a) o Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC) em unidades (q) dos dois produtos em conjunto, considerando quantidades iguais; b) o Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE) em unidades (q) de cada produto iso- ladamente, considerando-se apenas seus respectivos custos e despesas fixos identificados, e um lucro-meta de 30% dos CDF identificados; e c) a quantidade de liquidificadores que a empresa deve comercializar para que obtenha um lucro antes do imposto de renda (Lair) correspondente a 15% dos CDF comuns, caso o gestor responsável pela área de marketing garanta que a empresa consegue vender 10.000 espremedores. 193
  • 192. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA (em $) Espremedores Liquidificadores Preço de Venda 50 70 (–) Custos Variáveis (35) (45) Margem de Contribuição unitária 15 25 Custos e Despesas Fixos identificados 72.000 118.000 Custos e Despesas Fixos comuns 180.000 a) Ponto de equilíbrio contábil (q): MCTESPREMEDORES = 15q MCTLIQUIDIFICADORES = 25q MCT 40q → MC/un. média = 40q/2 = $ 20/un. (Custos Fixos + Despesas Fixas) $ 370.000 PEC(q) = = = 18.500 un. MC/un. $ 20/un. PECESPREMEDORES(q) = 50% 18.500 un. = 9.250 un. PECLIQUIDIFICADORES(q) = 50% 18.500 un. = 9.250 un. b1) Ponto de equilíbrio econômico (q) dos espremedores: CDFI + LD PEEESPREMEDORES(q) = MC/un. 72.000 + 0,30 × 72.000 q= 15 15q = 72.000 + 21.600 15q = 93.600 q = 6.240 un. b2) Ponto de equilíbrio econômico (q) dos liquidificadores: CDFI + LD PEELIQUIDIFICADORES(q) = MC/un. 118.000 + 0,30 × 118.000 q= 25 25q = 118.000 + 35.400 25q = 153.400 q = 6.136 un. Observar que estas quantidades não servem para o cálculo do lucro da empresa, pois não foram considerados os custos e despesas fixos comuns. 194
  • 193. c) Quantidade de liquidificadores: (em $) Espremedores Liquidificadores Receita de Venda 500.000 70y (–) Custos e Despesas Variáveis (350.000) (45y) Margem de Contribuição Total 150.000 25y (–) Custos e Despesas Fixos identificados (72.000) (118.000) Margem Direta 78.000 129.000 (C) Margem Direta Total 207.000 (B) (–) Custos e Despesas Fixos comuns (180.000) LUCRO OPERACIONAL OBJETIVADO 27.000 (A) (A) 15% dos CDFCOMUNS = 0,15 × $ 180.000 = $ 27.000 (B) Lucro Operacional + CDFCOMUNS = $ 27.000 + $ 180.000 = $ 207.000 (C) 78.000 + X = 207.000 → X = $ 129.000 Logo, 25y – 118.000 = 129.000 25y = 247.000 y = 9.880 un. 195
  • 194. 24 Custeio Baseado em Atividades (ABC) – Abordagem Gerencial e Gestão Estratégica de Custos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO a) Custos indiretos de produção rateados à base de MOD: MOD das Fritadeiras: $ 10/un. × 4.000 un. = $ 40.000 MOD das Batedeiras: $ 5/un. × 12.000 un. = $ 60.000 TOTAL $ 100.000 Taxa CIP = $ 500.000 / $ 100.000 = $ 5,00 por $ 1,00 de MOD Fritadeiras ⇒ CIP/un. = $ 50/un. ⇒ CIP = $ 200.000 Batedeiras ⇒ CIP/un. = $ 25/un. ⇒ CIP = $ 300.000 b) Custos indiretos de produção rateados à base de MAT: MAT das Fritadeiras: $ 20/un. × 4.000 un. = $ 80.000 MAT das Batedeiras: $ 25/un. × 12.000 un. = $ 300.000 TOTAL $ 380.000 Taxa CIP = $ 500.000 / $ 380.000 = $ 1,3158 por $ 1,00 de MAT Fritadeiras ⇒ CIP/un. = $ 26,316/un. ⇒ CIP = $ 105.264 Batedeiras ⇒ CIP/un. = $ 32,895/un. ⇒ CIP = $ 394.740 c) Overhead rateado pelo ABC: Atividades Direcionador utilizado Inspecionar material No de lotes inspecionados Armazenar material No de lotes armazenados Controlar estoques No de lotes inspecionados e armazenados Processar produtos No de horas-máquina por unidade Controlar processos Dedicação do tempo dos engenheiros Emitir faturas No de faturas emitidas Receber duplicatas No de duplicatas recebidas Despachar produtos No de embarques Pagar fornecedores No de cheques emitidos
  • 195. Proporções para alocação do overhead: Atividades Fritadeira Batedeira Inspecionar material 33,33% 66,67% Emitir faturas 40% 60% Armazenar material 33,33% 66,67% Receber duplicatas 40% 60% Controlar estoques 33,33% 66,67% Despachar produtos 40% 60% Pagar fornecedores 33,33% 66,67% Processar produtos 7,69% 92,31% Controlar processos 25% 75% Alocação dos overheads de produção aos produtos (em $): Atividades Fritadeira Batedeira Total Inspecionar material 20.000 40.000 60.000 Armazenar material 16.665 33.335 50.000 Controlar estoques 13.332 26.668 40.000 Processar produtos 11.535 138.465 150.000 Controlar processos 50.000 150.000 200.000 CUSTO TOTAL 111.532 388.468 500.000 CUSTO UNITÁRIO $ 27,883/un. $ 32,372/un. Alocação dos demais overheads aos produtos (em $): Atividades Fritadeira Batedeira Total Emitir faturas 6.000 9.000 15.000 Receber duplicatas 12.000 18.000 30.000 Despachar produtos 14.000 21.000 35.000 Pagar fornecedores 3.250 6.500 9.750 TOTAL 35.250 54.500 89.750 d) Valor e percentual de lucro bruto de cada produto: d1) CIP com Base no custo de MOD (em $): Produtos Total Fritadeira Batedeira Receita Líquida 320.000 1.140.000 1.460.000 Custos Diretos: Matéria-prima 80.000 300.000 380.000 Mão-de-obra 40.000 60.000 100.000 Custos Indiretos 200.000 300.000 500.000 Lucro Bruto 0 480.000 480.000 197
  • 196. d2) CIP com base no custo de MAT (em $): Produtos Total Fritadeira Batedeira Receita Líquida 320.000 1.140.000 1.460.000 Custos Diretos: Matéria-prima 80.000 300.000 380.000 Mão-de-obra 40.000 60.000 100.000 Custos Indiretos 105.264 394.740 500.004 Lucro Bruto 94.736 382.260 479.996 d3) Overhead pelo ABC (em $): Produtos Fritadeira Batedeira Total Receita 320.000 1.140.000 1.460.000 Custos Diretos: Matéria-prima 80.000 300.000 380.000 Mão-de-obra 40.000 60.000 100.000 Overheads: Inspecionar material 20.000 40.000 60.000 Emitir faturas 6.000 9.000 15.000 Armazenar material 16.665 33.335 50.000 Receber duplicatas 12.000 18.000 30.000 Controlar estoques 13.332 26.668 40.000 Despachar produtos 14.000 21.000 35.000 Pagar fornecedores 3.250 6.500 9.750 Processar produtos 11.535 138.465 150.000 Controlar processos 50.000 150.000 200.000 Lucro operac. antes IR 53.218 337.032 390.250 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 24.1 1. Alternativa correta: A 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: D 5. Alternativa correta: B 198
  • 197. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 24.2 a) Custos indiretos rateados com base no custo direto: Standard Luxo Total Simples Duplo Simples Duplo Custos Diretos (em $) 54.750 438.000 87.600 229.950 810.300 Proporção 6,76% 54,05% 10,81% 28,38% 100% Custos Indiretos (em $) 40.878,38 327.027,03 65.405,41 171.689,19 605.000 b) Margem bruta de lucro: Standard Luxo Total Simples Duplo Simples Duplo Receita Líquida 273.750,00 1.460.000,00 657.000,00 1.314.000,00 3.704.750,00 Custos: Diretos (54.750,00) (438.000,00) (87.600,00) (229.950,00) (810.300,00) Indiretos (40.878,38) (327.027,03) (65.405,41) (171.689,19) (605.000,00) Lucro Bruto 178.121,62 694.972,97 503.994,59 912.360,81 2.289.450,00 Margem Bruta 65,07% 47,60% 76,71% 69,43% 61,80% c) Custos indiretos pelo ABC: Escolha dos direcionadores para as atividades: Atividades Direcionadores Inspecionar Apartamentos Tempo gasto por inspeção (horas) Recepcionar Hóspedes No de hóspedes Requisitar Materiais No de requisições Lavar Roupa (Enxoval) Quilogramas de lavagem Proporções para alocação dos CIP: Standard Luxo Atividades Simples Duplo Simples Duplo Inspecionar Apartamentos 8,82% 44,12% 14,71% 32,35% Recepcionar Hóspedes 7,20% 58,00% 8,60% 26,20% Requisitar Materiais 9,86% 59,58% 9,44% 21,13% Lavar Roupa (Enxoval) 8,47% 62,71% 6,78% 22,03% 199
  • 198. Alocação dos Custos das Atividades por categoria (em $): Standard Luxo Total Atividades Simples Duplo Simples Duplo Inspecionar Apartamentos 13.058,82 21.764,71 47.882,35 65.294,12 148.000 Recepcionar Hóspedes 11.016,00 13.158,00 40.086,00 88.740,00 153.000 Requisitar Materiais 13.309,86 12.739,44 28.521,13 80.429,58 135.000 Lavar Roupa (Enxoval) 14.322,03 11.457,63 37.237,29 105.983,05 169.000 Total 51.706,71 59.119,78 153.726,77 340.446,75 605.000 d) Margem bruta de lucro: Standard Luxo Total Simples Duplo Simples Duplo Receita Líquida 273.750,00 1.460.000,00 657.000,00 1.314.000,00 3.704.750 Custos Diretos (54.750,00) (438.000,00) (87.600,00) (229.950,00) (810.300) Custos Indiretos: Inspecionar Apart. (13.058,82) (65.294,12) (21.764,71) (47.882,35) (148.000) Recepcionar Hóspedes (11.016,00) (88.740,00) (13.158,00) (40.086,00) (153.000) Requisitar Materiais (13.309,86) (80.429,58) (12.739,44) (28.521,13) (135.000) Lavar Roupa (Enxoval) (14.322,03) (105.983,05) (11.457,63) (37.237,29) (169.000) Lucro Bruto 167.293,29 681.553,25 510.280,22 930.323,23 2.289.450 Margem Bruta 61,11% 46,68% 77,67% 70,80% 61,80% e) Lucro operacional do hotel, antes do imposto de renda: Demonstração de Resultados (em $) Standard Luxo Total Simples Duplo Simples Duplo Receita Líquida 273.750 1.460.000 657.000 1.314.000 3.704.750 Custos Diretos (54.750) (438.000) (87.600) (229.950) (810.300) Margem Direta 219.000 1.022.000 569.400 1.084.050 2.894.450 Custos das Atividades: Inspecionar Apart. (13.058,82) (65.294,12) (21.764,71) (47.882,35) (148.000) Recepcionar Hóspedes (11.016,00) (88.740,00) (13.158,00) (40.086,00) (153.000) Requisitar Materiais (13.309,86) (80.429,58) (12.739,44) (28.521,13) (135.000) Lavar Roupa (Enxoval) (14.322,03) (105.983,05) (11.457,63) (37.237,29) (169.000) Lucro Bruto 167.293,29 681.553,25 510.280,22 930.323,23 2.289.450 Custos Estruturais Fixos (1.852.500) Lucro operac. A.I.R. 436.950 200
  • 199. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 24.3 1. Alternativa correta: A 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: E 5. Alternativa correta: E SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 24.4 V, F, F, V, F EXERCÍCIO EXTRA Assinalar a alternativa correta: 1. Além de custear produtos, unidades organizacionais, clientes etc., o Custeio Baseado em Atividades (ABC) também gera informações gerenciais para: a) Elaborar demonstrações contábeis para usuários externos. b) Aperfeiçoar processos e avaliar desempenhos das pessoas. c) Apurar a margem de contribuição unitária de cada produto. d) Mensurar custo de materiais diretos por unidade produzida. e) Atender aos Princípios Fundamentais de Contabilidade – PFC. 2. Uma empresa de produção bastante diversificada costuma ratear seu expres- sivo custo de overhead aos produtos com base em uma única taxa de alocação por hora de mão-de-obra direta (VBC), para apurar a lucratividade dos pro- dutos. Os relatórios indicam que os produtos de alto volume apresentam mar- gens de lucro negativas. Considerando-se o que normalmente ocorre nessa situação e supondo que os volumes de produção dos demais produtos permaneçam constantes, se os de alto volume reportados como deficitários forem eliminados, então o custo total de overhead deverá: a) Permanecer constante. b) Crescer na mesma proporção da queda do volume. c) Crescer em proporção maior que a queda do volume. d) Diminuir em proporção menor que a queda do volume. e) Diminuir na mesma proporção da queda do volume. 3. Um direcionador de custos de segundo estágio deve expressar correlação po- sitiva entre o montante de um custo e o: a) Volume de produção da atividade. b) Período de tempo de produção. c) Objeto de custeio considerado. d) Custo de transformação no período. e) Intervalo de volume de atividade. 201
  • 200. 4. O fator que explica o comportamento do custo de uma atividade é denominado: a) Objeto de custeio. b) Recurso consumido. c) Variável dependente. d) Variável independente. e) Direcionador de custos. 5. Em termos de análise de regressão, o direcionador de custos de uma ativida- de é uma variável: a) Neutra. b) Aleatória. c) Randômica. d) Dependente. e) Independente. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA 1. Alternativa correta: B 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: E 5. Alternativa correta: E 202
  • 201. 25 Controle, Custos Controláveis e Custos Estimados SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Previsão p/ 200.000 un. Real p/ 160.000 un. Total Por unid. Total Por unid. Matéria-prima 320.000 1,60 256.000 1,60 Material de Consumo Direto 180.000 0,90 176.000 1,10 Energia Elétrica 100.000 0,50 75.200 0,47 Mão-de-obra Direta 450.000 2,250 350.080 2,188 Mão-de-obra Indireta 110.000 0,550 89.920 0,562 Depreciação de Equipamentos 75.000 0,375 75.000 0,469 Consertos e Manutenção 65.000 0,325 70.080 0,438 Material Indireto 135.000 0,675 140.000 0,875 Outros Custos Indiretos 66.000 0,33 66.000 0,4125 TOTAL 1.501.000 7,505 1.298.280 8,1145 Variação (em $) Variação (em %) Total F/D Por unid. F/D Total F/D Por unid. F/D Matéria-prima 64.000 F 0 – 20 F 0 – Material de Consumo Direto 4.000 F 0,200 D 2,22 F 22,2 D Energia Elétrica 24.800 F 0,030 F 24,80 F 6 F Mão-de-obra Direta 99.920 F 0,062 F 22,20 F 2,76 F Mão-de-obra Indireta 20.080 F 0,012 D 18,26 F 2,18 D Depreciação de Equipamentos 0 – 0,094 D 0 – 25,07 D Consertos e Manutenção 5.080 D 0,113 D 7,82 D 34,77 D Material Indireto 5.000 D 0,200 D 3,70 D 29,63 D Outros Custos Indiretos 0 – 0,0825 D 0 – 25 D TOTAL 202.720 F 0,6095 D – F – D
  • 202. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 25.1 1. Alternativa correta: E 2. Alternativa correta: A 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: E SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 25.2 a) Valor dos custos controláveis pelo Departamento de Purificação: Março Abril Custos Controláveis: (em $) Material Direto 2.000 2.650 Mão-de-Obra Direta 1.200 1.630 Mão-de-Obra Indireta 312 234 Material 140 140 Energia Elétrica 98 120 TOTAL 3.750 4.774 b) Valor dos custos não controláveis: Março Abril Custos Não Controláveis: (em $) Recebidos da Torrefação 9.760 12.700 Depreciação 814 870 Manutenção 340 35 Administração da Produção 264 264 Manutenção Rateada 418 106 Almoxarifado 86 110 Controle de Qualidade 90 115 TOTAL 11.772 14.200 Observação: Esta classificação dos custos em controláveis e não controlá- veis não é absoluta nem indiscutível. Foram admitidos os pres- supostos e as condições discutidas no livro-texto. 204
  • 203. c) Variação para todos os elementos de custos: Março Abril Variação Variação (em $) (em $) (em %) Custos Diretos: Recebidos da Torrefação 9.760 12.700 2.940 30,12 Material Direto 2.000 2.650 650 32,50 Mão-de-obra Direta 1.200 1.630 430 35,83 Custos Indiretos Identificados com o Depto.: Depreciação 814 870 56 6,88 Mão-de-obra Indireta 312 234 –78 –25 Material 140 140 0 0 Manutenção 340 35 –305 –89,71 Energia Elétrica 98 120 22 22,45 Custos Indiretos Recebidos por Rateio: Administração da Produção 264 264 0 0 Manutenção 418 106 –312 –74,64 Almoxarifado 86 110 24 27,91 Controle de Qualidade 90 115 25 27,78 TOTAL 15.522 18.974 3.452 22,24 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 25.3 V, F, F, F, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 25.4 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: E 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: A 5. Alternativa correta: B EXERCÍCIOS EXTRAS 1. Controlar, do ponto de vista gerencial, significa: a) Conhecer a origem e o valor de todas as receitas e despesas. b) Conhecer a origem e o valor de todos os gastos realizados. c) Comparar o que é com o que deveria ser e avaliar os desvios. d) Registrar e acompanhar o saldo de Bancos, Contas a Receber etc. e) Identificar, classificar e registrar os eventos que estão ocorrendo. 205
  • 204. 2. Assinalar a alternativa correta: a) Planejamento é mais importante que controle, pois sem o primeiro não existe o segundo. b) Execução é mais importante que planejamento, pois de nada adianta pla- nejar se não executar. c) Planejamento é mais importante que execução, pois sem o primeiro a efi- cácia da segunda fica comprometida. d) Planejamento e controle são como faces de uma mesma moeda: indisso- ciáveis. e) Controle é mais importante que planejamento, pois sem o primeiro o se- gundo não tem sentido. 3. A maneira mais correta de controlar os custos incorridos em determinado período é comparar seu valor com: a) O volume de produção do mesmo período. b) Os custos do período imediatamente anterior. c) Os custos acumulados até o período anterior. d) A receita projetada para aquele mesmo período. e) Os custos projetados para aquele mesmo período. 4. Um bom sistema de controle de custos deve ser focado, primeiramente, em: a) Produtos. b) Processos. c) Departamentos. d) Células de produção. e) Atividades. 5. A fase mais importante do processo de controle é: a) Comparar o que foi com o que deveria ter sido. b) Apurar e identificar as eventuais divergências. c) Implementar as medidas corretivas necessárias. d) Preparar o orçamento com base no custo-padrão. e) Tomar ciência do que foi realizado na empresa. SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS EXTRAS 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: E 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: C 206
  • 205. 26 Custo-padrão SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO 1. Alternativa correta: E 2. Alternativa correta: E 3. Alternativa correta: A 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: B SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 26.1 1. Alternativa correta: A 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: E 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: C (Com ajustes e ressalvas, não integralmente) SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 26.2 V, F, F, V, F SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 26.3 F, F, V, V, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 26.4 F, F, V, F, F
  • 206. EXERCÍCIO EXTRA Assinalar a alternativa correta: 1. A mais eficaz forma de se planejar e controlar custos é a partir da institucio- nalização do custo: a) Menor. b) Direto. c) Padrão. d) Maior. e) Variável. 2. O custo-padrão ideal pode ser um objetivo da empresa para o: a) Curto prazo. b) Longo prazo. c) Orçamento. d) Próximo ano. e) Médio prazo. 3. O valor que a empresa fixa como meta para o próximo período, levando em conta as deficiências no processo, é o custo-padrão: a) Plurianual. b) Descontado. c) Regular. d) Corrente. e) Básico. 4. O grande objetivo do custo-padrão é o de fixar: a) Limitador de capacidade. b) Alocação do lucro. c) Custo indireto fixo total. d) Lucro por produção. e) Base de comparação. 5. Observe as sentenças abaixo: I – O uso do custo-padrão ideal é fortemente recomendável. II – O custo-padrão corrente considera algumas ineficiências da empresa. III – O custo-padrão ideal é levado com base nos fatores de produção que a empresa realmente tem. IV – O custo-padrão corrente é meta de curto e médio prazos. Estão corretas as sentenças: a) II e IV b) II e III c) I e IV d) I e III e) III e IV 208
  • 207. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: B 3. Alternativa correta: D 4. Alternativa correta: E 5. Alternativa correta: A 209
  • 208. 27 Análise das Variações de Materiais e Mão-de-obra SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Matéria-prima Mão-de-obra direta Quantidade padrão (QP): 2,5 kg/un. Tempo de MOD padrão (EP): 2 h/un. Preço padrão (PP): $ 40/kg Taxa de MOD padrão (TP): $ 60/un. Custo-padrão (CP): $ 100/un. Custo-padrão (CP): $ 120/un. Quantidade Real (QR): 2,6 kg/un. Tempo de MOD Real (ER): 2,1 h/un. Preço real (PR): $ 39,50/kg Taxa de MOD real (TR): $ 59/h Custo real (CR): $ 102,70/un. Custo real (CR): $ 123,90/un. 1. Variação de eficiência no uso da matéria-prima: Variação de Consumo de MP = PP (QR – QP) = 40 (2,6 – 2,5) = $ 4/un. (D) 2. Variação de preço na compra da matéria-prima: Variação de Preço da MP = QP (PR – PP) = 2,5 (39,50 – 40) = $ 1,25/un. (F) 3. Variação mista no custo da matéria-prima: Variação Mista de MP = (QR – QP) × (PR – PP) = (2,6 – 2,5) × (39,50 – 40) = $ 0,05/un. (F) 4. Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de Eficiência (MOD) = TP (ER – EP) = 60 (2,1 – 2) =$ 6/un. (D)
  • 209. 5. Variação de preço da MOD: Variação de preço da MOD = EP (TR – TP) = 2 (59 – 60) = $ 2/un. (F) 6. Variação mista no custo do material: Variação mista de MOD = (ER – EP) × (TR – TP) = (2,1 – 2) × (59 – 60) = $ 0,10/un. (F) Variações Elementos Custo- Custo padrão Real Total Quantidade Preço Mista de custo ($/un.) ($/un.) $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D Matéria-prima 100 102,70 2,70 D 4 D 1,25 F 0,05 F Mão-de-obra direta 120 123,90 3,90 D 6 D 2 F 0,10 F Total 220 226,60 6,60 D 10 D 3,25 F 0,15 F SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 27.1 1. Alternativa correta: E 2. Alternativa correta: A 3. Alternativa correta: C 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: A SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 27.2 Material MOD Quantidade Padrão (QP): 35 g/un. Tempo de MOD Padrão (EP): 12 min/un. Preço Padrão (PP): $ 0,06/g Taxa de MOD Padrão (TP): $ 0,12/min Custo-padrão (CP): $ 2,1/un. Custo-padrão (CP): $ 1,44/un. Quantidade Real (QR): 36 g/un. Tempo de MOD Real (ER): 9 min/un. Preço Real (PR): $ 0,08/g Taxa de MOD Real (TR): $ 0,12/min Custo Real (CR): $ 2,88/un. Custo Real (CR): $ 1,08/un. a) Variação de eficiência no uso do material: Variação de Consumo do MAT = PP (QR – QP) = 0,06 (36 – 35) = $ 0,06/un. (D) 211
  • 210. b) Variação de preço na compra do material: Variação de Preço do MAT = QP (PR – PP) = 35 (0,08 – 0,06) = $ 0,70/un. (D) c) Variação mista no custo do material: Variação Mista do MAT = (QR – QP) × (PR – PP) = (36 – 35) × (0,08 – 0,06) = $ 0,02/un. (D) d) Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de Eficiência (MOD) = TP (ER – EP) = 0,12 (9 – 12) =$ 0,36/un. (F) e) Variação de preço da MOD: Variação de Preço da MOD = EP (TR – TP) = 12 (0,12 – 0,12) =0 f) Variação mista no custo do material: Variação Mista de MOD = (ER – EP) × (TR – TP) = (9 – 12) × (0,12 – 0,12) =0 Variações Elementos Custo- Custo padrão Real Total Quantidade Preço Mista de custo ($/un.) ($/un.) $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D Material 2,10 2,88 0,78 D 0,06 D 0,70 D 0,02 D Mão-de-obra Direta 1,44 1,08 0,36 F 0,36 F 0 – 0 – TOTAL 3,54 3,96 0,42 D 0,30 F 0,70 D 0,02 D SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 27.3 Matéria-prima MOD Quantidade Padrão (QP): 1 kg/un. Tempo de MOD Padrão (EP): 1 h/un. Preço Padrão (PP): $ 1/kg Taxa de MOD Padrão (TP): $ 3/h Custo-padrão (CP): $ 1/un. Custo-padrão (CP): $ 3/un. Quantidade Real (QR): 1,125 kg/un. Tempo de MOD Real (ER): 1,0625 h/un. Preço Real (PR): $ 1,10/kg Taxa de MOD Real (TR): $ 3,05/h Custo Real (CR): $ 1,2375/un. Custo Real (CR): $ 3,240625/un. 212
  • 211. a) Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de eficiência (MOD) = TP (ER – EP) = 3 (1,0625 – 1) = 3 (0,0625) = $ 0,1875/un. (D) b) Variação de preço da MOD: Variação de Preço da MOD = EP (TR – TP) = 1 (3,05 – 3) = $ 0,05/un. (D) c) Variação de eficiência no uso da matéria-prima: Variação de eficiência de MP = PP (QR – QP) = 1 (1,125 – 1) = $ 0,125/un. (D) d) Variação de preço na compra da matéria-prima: Variação de Preço da MP = QP (PR – PP) = 1 (1,10 – 1) = $ 0,10/un. (D) e) Variação mista no custo da matéria-prima: Variação Mista de MP = (QR – QP) × (PR – PP) = (1,125 – 1) × (1,10 – 1) = $ 0,0125/un. (D) Variações Elementos Custo- Custo padrão Real Total Quantidade Preço Mista de custo ($/un.) ($/un.) $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D Matéria-prima 1 1,2375 0,2375 D 0,1250 D 0,10 D 0,0125 D Mão-de-obra Direta 3 3,2406 0,2406 D 0,1875 D 0,05 D 0,0031 D Total 4 4,4781 0,4781 D 0,3125 D 0,15 D 0,0156 D SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 27.4 Material MOD Quantidade Padrão (QP): 100 m/un. Tempo de MOD Padrão (EP): 12 h/un. Preço Padrão (PP): $ 1/m Taxa de MOD Padrão (TP): $ 35/h Custo-padrão (CP): $ 100/un. Custo-padrão (CP): $ 420/un. Quantidade Real (QR): 120 m/un. Tempo de MOD Real (ER): 9 h/un. Preço Real (PR): $ 1,20/kg Taxa de MOD Real (TR): $ 35/h Custo Real (CR): $ 144/un. Custo Real (CR): $ 315/un. 213
  • 212. a) Variação de eficiência no uso do material: Variação de Eficiência do MAT = PP (QR – QP) = 1 (120 – 100) = $ 20/un. (D) b) Variação de preço do material: Variação de Preço do MAT = QP (PR – PP) = 100 (1,20 – 1,00) = $ 20/un. (D) c) Variação mista no custo do material: Variação Mista do MAT = (QR – QP) × (PR – PP) = (120 – 100) × (1,20 – 1,00) = $ 4/un. (D) d) Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de Eficiência (MOD) = TP (ER – EP) = 35 (9 – 12) = $ 105/un. (F) e) Variação de preço da MOD: Variação de Preço da MOD = EP (TR – TP) = 12 (35 – 35) =0 f) Variação mista no custo da MOD: Variação Mista de MOD = (ER – EP) × (TR – TP) = (9 – 12) × (35 – 35) =0 Variações Elementos Custo- Custo padrão Real Total Quantidade Preço Mista de custo ($/un.) ($/un.) $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D Material 100 144 44 D 20 D 20 D 4 D Mão-de-obra Direta 420 315 105 F 105 F 0 – 0 – Total 520 459 61 F 85 F 20 D 4 D 214
  • 213. EXERCÍCIO EXTRA A Embalax é uma empresa produtora de caixas de papelão. Para sua linha de embalagens para liquidificadores, foram estabelecidos os seguintes padrões de custos diretos por unidade: Quantidade Preço Papelão 0,5 m2 $ 4/m2 Fita Colante 0,5 m $ 0,20/m Mão-de-obra Direta 3 min $ 10/h Em certo período foram produzidas 230.000 caixas, com os seguintes custos reais: Quantidade Preço Papelão 129.950 m2 $ 4,20/m2 Fita Colante 125.005 m $ 0,18/m Mão-de-obra Direta 14.375 h $ 12/h Pede-se para calcular: a) O custo-padrão unitário da embalagem. b) O custo-padrão da produção total do período. c) O custo real de cada unidade de embalagem. d) O custo real das 230.000 caixas produzidas. e) A variação de eficiência no uso do papelão. f) A variação de preço do papelão. g) A variação de eficiência no uso de fita. h) A variação de preço da fita. i) A variação de preço (taxa) da mão-de-obra direta. j) A variação de eficiência no uso da mão-de-obra direta. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA Papelão Fita Adesiva MOD QP: 0,5 m /un. 2 QP: 0,5 m/un. EP: 3 min PP: $ 4/m2 PP: $ 0,20/m TP: $ 10/h CP: $ 2/un. CP: $ 0,10/un. CP: $ 0,5/un. QR: 0,565 m2/un.1 QR: 0,5435 m/un.2 ER: 0,0625h/un.3 PR: $ 4,20/m2 PR: $ 0,18/m TR: $ 12/h CR: $ 2,373/un. CR: $ 0,0978/un. CR: $ 0,75/un. 1 129.950 m2 /230.000 un. = 0,565 m2. 2 125.005 m/230.000 un. = 0,5435 m. 3 14.375 h/230.000 un. = 0,0625 h. 215
  • 214. a) Custo-padrão unitário: CP = $ 2/un. + $ 0,10/un. + $ 0,5/un. = $ 2,60/un. b) Custo-padrão da produção total: Custo-padrão total = $ 2,60/un. × 230.000 un. = $ 598.000 c) Custo real unitário: CR = $ 2,373/un. + $ 0,09783/un. + $ 0,75/un. = $ 3,2208/un. d) Custo real da produção total: Custo real total = $ 3,2208/un. × 230.000 un. = $ 740.790,90 e) Variação de eficiência no uso do papelão: Variação de eficiência de papelão = PP (QR – QP) = 4 (0,565 – 0,5) = $ 0,26/un. (D) f) Variação de preço na compra do papelão: Variação de Preço do papelão = QP (PR – PP) = 0,5 (4,20 – 4) = $ 0,10/un. (D) g) Variação de eficiência no uso da fita: Variação de eficiência da fita = PP (QR – QP) = 0,20 (0,5435 – 0,5) = $ 0,0087/un. (D) h) Variação de preço na compra da fita: Variação de Preço da fita = QP (PR – PP) = 0,5 (0,18 – 0,20) = $ 0,01/un. (F) i) Variação de preço da MOD: Variação de Preço da MOD = EP (TR – TP) = 0,05 (12 – 10) = $ 0,10/un. (D) j) Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de eficiência (MOD) = TP (ER – EP) = 10 (0,0625 – 0,05) = $ 0,125/un. (D) 216
  • 215. 28 Análise das Variações de Custos Indiretos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Custos Indiretos Custo-padrão: $ 0,05/página Custo Real: $ 0,048/página a) Custo-padrão de custos indiretos: Custo-padrão = $ 0,02/página + ($ 300.000/10.000.000 páginas) = = $ 0,02 + $ 0,03 = $ 0,05/página. b) Variação de volume no CIP: Custo-padrão dos Custos Indiretos Ajustado ao nível de 11.000.000 páginas: ($ 0,02/pag. × 11.000.000 pag.) + $ 300.000 $ 520.000 CP = = = 11.000.000 pag. 11.000.000 pag. = $ 0,04727/pag. Custo-padrão ao nível de 10.000.000 páginas: $ 0,05/pag. Logo, a variação de volume no CIP: $ 0,05 – $ 0,04727 = $ 0,00273/pag. (F) c) Variação de custo do CIP: Variação de Custo do CIP = CR – CP = 0,048 – 0,04727 = $ 0,00073/pag. (D) SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 28.1 1. Alternativa correta: A 2. Alternativa correta: B 3. Alternativa correta: C 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: B
  • 216. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 28.2 a) Variação de volume da 5a semana: Padrão Real Volume de Produção (un.) 5.000 4.850 Custos Indiretos ($) 10.000.000 10.225.000 Custos Indiretos por unidade ($/un.) 2.000 2.018 Variação de Volume dos CIP = CI/un. Padrão – CI Padrão ao Volume Real = 2.000 – 2.018 = $ 18/un. (D) b) Variação de custo da 8a semana: Padrão Real Custos Indiretos ($) 10.000.000 9.590.000 Variação de Custo dos CIP = CI Padrão – CI Real = $ 10.000.000 – $ 9.590.000 = $ 410.000 (F) c) Variação de volume da 11a semana: Padrão Real Volume de Produção (un.) 5.000 5.020 Custos Indiretos ($) 10.000.000 9.995.000 Custos Indiretos por unidade ($/un.) 2.000 1.991 Variação de Volume dos CIP = CI/un. Padrão – CI Padrão ao Volume Real = 2.000 – 1.991 = $ 9/un. (F) d) Variação de custo da 12a semana: Padrão Real Custos Indiretos ($) 10.000.000 10.100.000 Variação de Custo dos CIP = CI Padrão – CI Real = $ 10.000.000 – $ 10.100.000 = $ 100.000 (D) 218
  • 217. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 28.3 Custos Indiretos Fixos de Produção (CIP) Custo-Padrão: $ 30/un.1 Custo Real: $ 30/un.2 a) Variação de volume no CIP: Custo-padrão dos Custos Indiretos ao nível de produção real de 230.000 un.: $ 6.000.000 CP = = $ 26,09/un. 230.000 un. Custo-padrão ao nível de produção padrão de 200.000 un.: $ 30/un. Logo, a variação de volume no CIP: $ 30 – $ 26,09 = $ 3,91/un. (F) b) Variação de custo do CIP: Variação de Custo do CIP = CR – CP = 6.900.000 – 6.000.000 = $ 900.000 (D) EXERCÍCIO No 28.4 Custos Indiretos de Produção Custo-Padrão: $ 80/un. Custo Real: $ 85/un. VARIAÇÃO DE CIP: Custo Indireto Padrão (40.000 unidades): $ 80/un. CIP Variável: $ 25/hmod × 2 hmod/un. × 40.000 un. = $ 2.000.000 CIP Fixo: $ 1.200.000 CUSTOS INDIRETOS TOTAIS $ 3.200.000 CIP Total $ 3.200.000 CIP/un. = = = $ 80/un. Volume 40.000 un. Custo Indireto Padrão (42.000 unidades), sem ineficiência: $ 78,57/un. CIP Variável: $ 25/hmod × 2 hmod/un. × 42.000 un. = $ 2.100.000 CIP Fixo: $ 1.200.000 CUSTOS INDIRETOS TOTAIS $ 3.300.000 CIP Total $ 3.200.000 CIP/un. = = = $ 78,57/un. Volume 42.000 un. 1 $ 6.000.000/200.000 un. = $ 30/un. 2 $ 6.900.000/230.000 un. = $ 30/un. 219
  • 218. Custo Indireto Padrão (42.000 unidades), com ineficiência: $ 81,07/un. CIP Variável: $ 25/hmod × 2,1 hmod/un. × 42.000 un. = $ 2.205.000 CIP Fixo: $ 1.200.000 CUSTOS INDIRETOS TOTAIS $ 3.405.000 CIP Total $ 3.405.000 CIP/un. = = = $ 81,07/un. Volume 42.000 un. a) Variação de eficiência no CIP: CIP Padrão com eficiência – CIP Padrão sem ineficiência = $ 81,07/un. – $ 78,57/un. = $ 2,50/un. (D) ou Sabendo-se que: o Tempo de MOD padrão é de 2,0 horas/un.; e o Tempo de MOD real é de 2,1 horas/un., verificamos que houve ineficiência de 0,1 hmod/un. Como os Custos Indiretos de Produção (CIP) Variáveis são incorridos propor- cionalmente à MOD, $ 25/hmod, a variação de eficiência no CIP é: 0,1 h/un. × $ 25/h = $ 2,50/un. (D) b) Variação de volume no CIP: CIP Padrão – CIP Padrão sem ineficiência = $ 80/un. – $ 78,57/un. = $ 1,43/un. (F) c) Variação total do CIP: (42.000 un. × $ 80/un.) – $ 3.570.000 = = $ 3.360.000 – $ 3.570.000 = = $ 210.000 (D) Variações Elemento Custo- Custo padrão Real Total Quantidade Preço de custo ($) ($) $ F/D $ F/D $ F/D Custos Indiretos de Produção (CIP) 80 85 5 D 1,43 F 2,50 D 220
  • 219. EXERCÍCIO EXTRA Assinalar Falso (F) ou Verdadeiro (V): ( ) O fundamental da análise das variações de custos é a localização da razão das diferenças. ( ) A variação de volume ocorre devido ao uso de diferentes fatores de produ- ção. ( ) A variação de eficiência só existe no Custeio por Absorção. ( ) As variações de custos indiretos podem ser analisadas por unidade e no to- tal. ( ) A variação de volume origina-se na produção real diferente, em quantidade, da produção padrão. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA V, F, F, V, V 221
  • 220. 29 Contabilização do Custo-padrão – o Problema da Inflação SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO Material MOD Quantidade Padrão (QP): 100m/un. Tempo de MOD Padrão (EP): 12h/un. Preço Padrão (PP): $ 1,00/m Taxa de MOD Padrão (TP): $ 35/h Custo-padrão (CP): $ 100/un. Custo-padrão (CP): $ 420/un. Preço Padrão Corrigido: $ 1,08/m Taxa de MOD Padrão Corrigido: $ 37,80/h Custo-padrão Corrigido (CPC): $ 108/un. Custo-padrão Corrigido (CPC): $ 453,60/un. Quantidade Real (QR): 120m/un. Tempo de MOD Real (ER): 9h/un. Preço Real (PR): $ 1,20/m Taxa de MOD Real (TR): $ 35/h Custo Real (CR): $ 144/un. Custo Real (CR): $ 315/un. a) Variação de eficiência no uso do material: Variação de Eficiência de MAT = PPc (QR – QP) = 1,08 (120 – 100) = $ 21,60/un. (D) b) Variação de preço do material: Variação de Preço da MAT = QP (PR – PPc) = 100 (1,20 – 1,08) = $ 12/un. (D) c) Variação mista no custo do material: Variação Mista de MAT = (QR – QP) × (PR – PPc) = (120 – 100) × (1,20 – 1,08) = $ 2,40/un. (D) d) Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de Eficiência da MOD = TPc (ER – EP) = 37,80 (9 – 12) = $ 113,40/un. (F)
  • 221. e) Variação de preço da MOD: Variação de Preço da MOD = EP (TR – TPc) = 12 (35 – 37,80) = $ 33,60/h (F) f) Variação mista no custo da MOD: Variação Mista de MOD = (ER – EP) × (TR – TPc) = (9 – 12) × (35 – 37,80) = $ 8,40/un. (F) Variações Elementos Custo- Custo padrãoc Real Total Quantidade Preço Mista de custo ($/un.) ($/un.) $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D Material 108 144 36 D 21,60 D 12 D 2,40 D Mão-de-obra 453,60 315 138,60 F 113,40 F 33,60 F 8,40 F Total 561,60 459 102,60 F 91,80 F 21,60 F 6 F SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 29.1 1. Alternativa correta: D 2. Alternativa correta: B 3. Alternativa correta: E 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: D SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 29.2 Volume-padrão: 50.000 un. Iniciadas: 50.000 un. → 45.000 un. terminadas → 40.000 vendidas a) Custo-padrão unitário: Material Direto: 5 kg/un. × $ 20/kg = $ 100/un. Mão-de-obra Direta: 6h/un. × $ 25/h = $ 150/un. Custos Indiretos: Variáveis: $ 8/h × 6 h/un. = $ 48/un. Fixos: $ 600.000/50.000 un. = $ 12/un. $ 60/un. CUSTO-PADRÃO UNITÁRIO $ 310/un. b) Custo real total do material direto consumido: MAT = 255 t × $ 18.000/t = $ 4.590.000 c) Custo-padrão dos produtos acabados: PAC = 45.000 un. × $ 310/un. = $ 13.950.000 223
  • 222. d) Custo-padrão dos produtos vendidos: CPV = 40.000 un. × $ 310/un. = $ 12.400.000 2. a) Custo real total unitário: Unidades em processamento: 100% acabadas em termos de material direto 60% acabadas em termos de mão-de-obra direta 60% acabadas em termos de custos indiretos Unidades equivalentes de produção acabada: Material Direto: 50.000 un. Mão-de-obra Direta: 45.000 un. + (0,6 × 5.000 un.) = 48.000 un. Custos Indiretos de Produção: 45.000 un. + (0,6 × 5.000 un.) = 48.000 un. Custo Real: MAT: $ 4.590.000/50.000 un. = $ 91,80/un. MOD: $ 7.800.000/48.000 un. = $ 162,50/un. CIP: $ 2.496.000/48.000 un. = $ 52,00/un. CUSTO REAL UNITÁRIO $ 306,30/un. b) Custo real dos produtos acabados: PAC = 5.000 un. × $ 306,30/un. = $ 1.531.500 c) Custo real dos produtos vendidos: CPV = 40.000 un. × $ 306,30/un. = $ 12.252.000 d) Valor real do estoque de produtos em elaboração: Custo unitário real de produtos em elaboração: 100% × $ 91,80/un. = $ 91,80/un. 60% × $ 162,50/un. = $ 97,50/un. 60% × $ 52,00/un. = $ 31,20/un. $ 220,50/un. Logo, o valor real do Estoque de Produtos em Elaboração: 5.000 un. × $ 220,50/un. = $ 1.102.500 SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 29.3 Matéria-prima MOD Quantidade Padrão (QP): 45 kg/cx Tempo de MOD Padrão (EP): 12 h/cx Preço Padrão (PP): $ 7,50/kg Taxa de MOD Padrão (TP): $ 15/h Custo-padrão (CP): $ 337,50/cx Custo-padrão (CP): $ 180/cx Preço Padrão Corrigido: $ 8,40/kg Taxa de MOD Padrão Corrigido: $ 16,80/h Custo-padrão Corrigido (CPC): $ 378/cx Custo-padrão Corrigido (CPC): $ 201,60/cx 224
  • 223. Quantidade Real (QR): 44,5 kg/cx Tempo de MOD Real (ER): 13 h/cx Preço Real (PR): $ 8,40/kg Taxa de MOD Real (TR): $ 16/h Custo Real (CR): $ 373,80/cx Custo Real (CR): $ 208/cx a) Variação de eficiência no uso da matéria-prima: Variação de Eficiência de MP = PPc (QR – QP) = 8,40 (44,5 – 45) = $ 4,20/un. (F) b) Variação de preço da matéria-prima: Variação de Preço da MP = QP (PR – PPc) = 45 (8,40 – 8,40) =0 c) Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de Eficiência (MOD) = TPc (ER – EP) = 16,80 (13 – 12) = $ 16,80/un. (D) d) Variação de preço (taxa) da MOD: Variação de Preço da MOD = EP (TR – TPc) = 12 (16 – 16,80) = $ 9,60/un. (F) e) Variação de custos indiretos: Variação de custos indiretos = 140 – 120 = $ 20/un. (D) Variações Elementos Custo- Custo padrãoc Real Total Quantidade Preço de custo ($/un.) ($/un.) $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D Material 378,00 373,80 4,20 F 4,20 F 0 – Mão-de-obra Direta 201,60 208,00 6,40 D 16,80 D 9,60 F Total 579,60 581,80 2,20 D 12,60 D 9,60 F SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 29.4 Material MOD Quantidade Padrão (QP): 60 kg/un. Tempo de MOD Padrão (EP): 180h/un. Preço Padrão (PP): $ 90/kg Taxa de MOD Padrão (TP): $ 20/h Custo-padrão (CP): $ 5.400/un. Custo-padrão (CP): $ 3.600/un. Preço Padrão Corrigido: $ 91,80/kg Taxa de MOD Padrão Corrigido: $ 20,40/h Custo-padrão Corrigido(CPC):$ 5.508/un. Custo-padrão Corrigido (CPC): $ 3.672/un. 225
  • 224. Quantidade Real (QR): 64 kg/un. Tempo de MOD Real (ER): 180 h/un. Preço Real (PR): $ 100/kg Taxa de MOD Real (TR): $ 20/h Custo Real (CR): $ 6.400/un. Custo Real (CR): $ 3.600/un. a) Variação de eficiência no uso do material: Variação de Eficiência do MAT = PPc (QR – QP) = 91,80 (64 – 60) = $ 367,20/un. (D) b) Variação de preço do material: Variação de Preço do MAT = QP (PR – PPc) = 60 (100 – 91,80) = $ 492/un. (D) c) Variação mista no custo do material: Variação Mista do MAT = (QR – QP) × (PR – PPc) = (64 – 60) × (100 – 91,80) = $ 32,80/un. (D) d) Variação de eficiência no uso da MOD: Variação de Eficiência (MOD) = TPc (ER – EP) = 20,40 (180 – 180) =0 e) Variação de preço da MOD: Variação de Preço da MOD = EP (TR – TPc) = 180 (20 – 20,40) = $ 72/h (F) f) Variação mista no custo da MOD: Variação Mista de MOD = (ER – EP) × (TR – TPc) = (180 – 180) × (20 – 20,40) =0 Variações Elementos Custo- Custo padrãoc Real Total Quantidade Preço Mista de custo ($/un.) ($/un.) $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D $/un. F/D Material 5.508 6.400 892 D 367,20 D 492 D 32,80 D Mão-de-obra Direta 3.672 3.600 72 F 0 – 72 F 0 – Total 9.180 10.000 820 D 367,20 D 420 D 32,80 D 226
  • 225. EXERCÍCIO EXTRA A empresa Chuvisco, recém-criada, produz guarda-chuvas em náilon. A empresa considera como volume padrão 50.000 unidades por mês. Após o primeiro mês, verifi- cou-se que a produção realmente elaborada foi de 60.000 unidades, das quais 45.000 foram vendidas a $ 30 cada uma. Sua estrutura de custos é a seguinte: Padrão Real Material Direto $ 13,50/un. ver quadro abaixo Mão-de-obra Direta $ 6,00/un. $ 336.000 Custos Indiretos $ 5,50/un. $ 306.000 Para o Material Direto, os valores reais são: Estoque Inicial 0 Compras no mês 70.000 un., num total de $ 980.000 Estoque Final 10.000 un. Pede-se para calcular: a) o valor real do estoque final de material direto. b) o custo-padrão do estoque final de produtos acabados. c) o custo-padrão dos produtos vendidos (CPV). d) a variação de preço do estoque de material direto. e) a variação de preço do material direto consumido. f) a variação de custo na mão-de-obra. g) a variação de custos indiretos. h) a variação total de custo. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA Volume-padrão: 50.000 un. por mês Produção elaborada: 60.000 un. → 45.000 un. vendidas a $ 30/un. Custo-padrão unitário = $ 13,5/un. + $ 6/un. + $ 5,5/un. = $ 25/un. Custo-padrão Total = $ 25/un. × 50.000 un. = $ 1.250.000 227
  • 226. REAL Material Direto Contas a pagar (1) 980.000 840.000 (4) (5) 1.350.000 980.000 (1) 336.000 (2) 140.000 306.000 (3) 272.000 Produtos em elaboração Vendas (2) 336.000 1.350.000 (5) (3) 306.000 (4) 840.000 1.482.000 1. Compra de Material Direto: $ 980.000 2. Custo Real de MOD: $ 336.000 3. Custos Indiretos Reais: $ 306.000 4. Custo do Material Consumido: $ 980.000/70.000 un. = $ 14/un. $ 14/un. × 60.000 un. = $ 840.000 5. Receita Líquida do Período: $ 30/un. × 45.000 un. = $ 1.350.000 PADRÃO Material Direto (Estoque) Material Direto Consumido Contas a pagar (Real) (I) 945.000 810.000 (II) (II) 810.000 810.000 (VI) (XI) 1.350.000 980.000 (I) 336.000 (IV) 135.000 306.000 (V) 272.000 Variação MAT (Estoque) Variação MAT Consumido Mão-de-obra Direta (I) 35.000 30.000 (III) (III) 30.000 30.000 (XII) (IV) 360.000 360.000 (VII) 5.000 Variação de MOD Custos Indiretos Variação de Custos Indiretos (XIII) 24.000 24.000 (IV) (V) 330.000 330.000 (VIII) (XIV) 24.000 24.000 (V) 228
  • 227. Produtos em Elaboração Produtos Acabados Variação total de Custo (VI) 810.000 (IX) 1.500.000 1.125.000 (X) (XII) 30.000 24.000 (XIII) (VII) 360.000 24.000 (XIV) 375.000 (VIII) 330.000 18.000 1.500.000 1.500.000 (IX) Vendas Custo dos Produtos Vendidos 1.350.000 (XI) (X) 1.125.000 (I) $ 13,5/un. × 70.000 un. = $ 945.000 (I) $ 980.000 – $ 945.000 = $ 35.000 (Variação de Estoque do Material Direto) (II) $ 13,5/un. × 60.000 un. = $ 810.000 (III) $ 840.000 – $ 810.000 = $ 30.000 (Variação do Material Direto Consumido) (IV) $ 6/un. × 60.000 un. = $ 360.000 (IV) $ 360.000 – $ 336.000 = $ 24.000 (Variação de custo na Mão-de-obra Direta) (V) $ 5,5/un. × 60.000 un. = $ 330.000 (V) $ 330.000 – $ 306.000 = $ 24.000 (Variação de Custos Indiretos) (X) $ 25/un. × 45.000 un. = $ 1.125.000 (XI) $ 30/un. × 45.000 un. = $ 1.350.000 a) O valor real do estoque final de material direto: $ 140.000 b) O custo-padrão do estoque final de produtos acabados: $ 375.000 c) O custo-padrão dos produtos vendidos (CPV): $ 1.125.000 d) A variação de preço do estoque de material direto: $ 35.000 (D) e) A variação de preço do material direto consumido: $ 30.000 (D) f) A variação de custo na mão-de-obra direta: $ 24.000 (F) g) A variação de custos indiretos: $ 24.000 (F) h) A variação total de custo: $ 18.000 (F) 229
  • 228. 30 Implantação de Sistemas de Custos SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO PROPOSTO 1. Alternativa correta: A 2. Alternativa correta: E 3. V, V, V, F e F SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 30.1 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: B 3. Alternativa correta: C 4. Alternativa correta: B 5. Alternativa correta: A SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 30.2 1. Alternativa correta: C 2. Alternativa correta: D 3. Alternativa correta: B 4. Alternativa correta: C 5. Alternativa correta: A SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 30.3 V, F, V, F, V SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO No 30.4 F, V, F, V, F
  • 229. EXERCÍCIO EXTRA Assinalar S para a definição de Sistema, SI para Sistema de Informações, SIG para Sistema de Informações Gerenciais e SC para Sistema de Custos. ( ) Sistema que tem por objetivo fornecer informações necessárias para decisões. ( ) Conjunto de elementos e procedimentos com o objetivo de coletar e organi- zar dados, gerando informações. ( ) Responsável por processar informações de gastos, levando em conta as ca- racterísticas da empresa, e fornecer dados que irão auxiliar no planejamen- to, execução e controle dos custos de um produto ou serviço, bem como sua qualidade. ( ) Conjunto de elementos e procedimentos (subseqüentes ou não) cuja execu- ção visa atingir determinado objetivo. SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO EXTRA SIG, SI, SC, S 231