Texto 54   entenda a crise na grécia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Texto 54 entenda a crise na grécia

on

  • 529 views

 

Statistics

Views

Total Views
529
Slideshare-icon Views on SlideShare
529
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Texto 54   entenda a crise na grécia Texto 54 entenda a crise na grécia Document Transcript

    • PS TEXTO 54 GEOGRAFIA - 2012 COLÉGIO SANTA MARIA PAMPULHA Entenda a crise da dívida da Grécia longo prazo. Por isso, os líderes europeus já estão discutindo novas soluções, como pedir aos bancos privados que aceitem um prejuízo maior ainda, ou sugerindo que bancos centrais (inclusive o Banco Central Europeu) perdoem parte da dívida grega que possuem em títulos. Outra opção é reduzir a taxa de juros cobrada no pacote de resgate ou reinvestir o lucro dos empréstimos para aumentar os recursos àPaís precisa de um novo pacote de resgate para disposição.pagar dívidas que vencem em março O que são as medidas de austeridade exigidasOs políticos gregos aprovaram uma nova série da Grécia?de medidas de austeridade necessárias paraobter um pacote de resgate para a economia Líderes europeus têm se mantido céticos quantodo país. à habilidade da Grécia em implementar cortes deAs medidas eram exigidas pela "troika" – o grupo gastos orçamentários. Então, na mais recentede negociadores internacionais formados pelo rodada de negociações, exigiram que oFundo Monetário Internacional (FMI), Banco Parlamento grego aprovasse medidas queCentral Europeu (BCE) e União Europeia. pudessem ser tomadas de forma rápida.Na madrugada de terça-feira foi anunciado que o A Grécia foi pressionada a aceitar cortes deacordo permitirá que o governo grego tenha gastos mais profundos, relativos a 1,5% do seuacesso a 130 bilhões de euros em empréstimos e PIB, além de cortes previdenciários e depermitir uma redução de 100 bilhões de euros na empregos, altamente impopulares entre osdívida que o país tem com bancos privados. cidadãos gregos.No dia 20 de março, a Grécia precisa pagar uma A "troika" também quer que a Grécia torne suaparcela de 14,5 bilhões de euros. economia mais competitiva, eliminandoEntenda, abaixo, como a Grécia chegou nessa os custos burocráticos e flexibilizando leissituação e quais as medidas em curso para tentar trabalhistas. Também pressionou Atenas a reduzirrecuperar o país. o salário mínimo, diminuir o número de funcionários públicos, efetuar cortes no valor dasQuem está pagando o resgate da Grécia? aposentadorias e a recapitalizar os bancos gregos.Em tese, os governos europeus não estãopagando nada, já que o pacote de 130 bilhões de Mas a Grécia já não tinha implementadoeuros vem na forma de um empréstimo. medidas de austeridade?O dinheiro será emprestado a uma baixa taxa dejuros, mas ainda acima do custo de tomada de Sim, a Grécia já tinha acordado medidas deempréstimos de países como Alemanha e França. contenção de despesas e aumentos de impostosAo contrário dos governos europeus, os credores que elevarão a arrecadação em 3,38 bilhões deprivados – como bancos europeus – vão perder euros em 2013.bastante dinheiro.Pelo acordo, eles vão ter que aceitar uma reduçãoentre 50% e 70% do dinheiro que emprestarampara a Grécia no passado.O problema é que a economia grega está emestado tão frágil que mesmo esta redução nasdívidas não será suficiente para diminuir otamanho da dívida grega para que ela possa serpaga no
    • Grécia aprovou medidas de austeridade, depoisde já ter implementado duros cortesNo setor público, já haviam sido feitos cortes desalários e de bônus. Cerca de 30 mil funcionáriospúblicos devem ser suspensos, e as pensões queultrapassarem o teto de 1000 euros sofrerãocortes de 20%.O governo grego também havia previsto obter 50bilhões de euros até 2020 com a privatização deativos estatais - como portos, aeroportos e minas-, mas revisou esse número para baixo por contada piora recente do cenário econômico. Muitos criticam medidas de austeridade, dizendo que ela empurrará a Grécia a uma recessão maiorAs medidas vão funcionar? O país também poderia ser forçado a deixar a zona do euro.Essa é a questão de 130 bilhões de euros. Oobjetivo dos cortes orçamentários é reduzir o Por que a Grécia está tão mal?deficit grego de 160% de seu PIB para 120% até2020. A Grécia tem gastado mais do que arrecadaApesar das medidas de austeridade aplicadas até desde antes de entrar na zona do euro. Após ao momento, o governo grego continua gastando adoção da moeda comum, os gastos públicosmais do que sua receita em impostos. cresceram ainda mais, e os salários doPara alguns economistas e para os sindicatos funcionalismo praticamente dobraram.gregos, o plano em curso atualmente está fadado E ao mesmo tempo em que o dinheiro saíaao fracasso. Eles argumentam que, ao facilmente dos cofres estatais, pouco recursosempobrecer a população, as medidas de entravam, já que a evasão fiscal é amplamenteausteridade vão simplesmente encolher ainda praticada na Grécia.mais a economia do país, reduzir a arrecadação Assim, o país encontrava-se muito mal preparadode impostos e aumentar o deficit. para lidar com a crise financeira global queJá líderes da UE dizem que a Grécia não tem estourou em 2008.escolha - que os gastos estatais precisam cair Atenas recebeu 110 bilhões de euros em pacotesmesmo que isso signifique danos de curto prazo à de resgate financeiro, em maio de 2010, paraeconomia. enfrentar a crise. Depois, em julho de 2011,Também argumentam que as medidas, como estabeleceu-se que o país receberia mais 109cortes de salários, farão com que aumente a bilhões. Mas as quantias foram consideradascompetitividade grega e atrairão novos negócios insuficientes.ao país. Em outubro de 2011, a zona do euro conseguiu convencer os bancos a "cortar" 50% de seusO que acontece se o plano fracassar? títulos gregos, além de acordar previamente um pacote de mais 130 bilhões de euros. Os bancosNesse caso, a Grécia não terá como pagar seus deixariam de receber a metade do valorcredores. Bancos e detentores dos títulos gregos emprestado originalmente à Grécia ao adquiriremperderiam - mas uma grande parcela do dinheiro títulos gregos.já foi, de qualquer forma, eliminado da dívida. Desde então, a situação grega se deteriorouO maior risco pode estar nos mercados, já que os ainda mais, e o acordo agora em debate envolveinvestidores podem perder confiança na uma redução ainda maior na dívida grega porhabilidade da zona do euro em lidar com países parte dos bancos.endividados.A Grécia, em si, não conseguiria mais obter Por que a crise não foi resolvida com osdinheiro emprestado em lugar algum, ficando pacotes de resgate prévios?impossibilitada de pagar o que deve a seuspróprios bancos. Isso poderia gerar pânico entre Apesar de o caso da Grécia ser o mais grave, elecorrentistas e possíveis quebras de bancos. é um indicativo de problemas que têm afetado outros países da zona do euro na última década, como altos deficits e crises imobiliárias. Com a crise, ficou muito mais difícil pagar esses deficits. E os altos níveis salariais desses países os deixa sem competitividade perante outros países. E, por estarem na zona do euro, não têm a opção de desvalorizar sua moeda para deixar suas exportações mais competitivas.
    • Esses países estão, agora, tendo que levaradiante cortes de gastos dolorosos e aumento deimpostos para colocar suas contas em dia.Mas alguns analistas creem que medidas dessetipo acabam por empurrar os países a umarecessão e, em consequência, a uma diminuiçãoda receita obtida com impostos.Enquanto isso, a UE tenta estabelecer medidaspara o caso de mais algum país mostrar-seinsolvente. Em outubro, o bloco entrou em acordoquanto ao Fundo Europeu de EstabilidadeFinanceira, com 1 trilhão de euros para enfrentarfuturas crises de dívida soberanas. O dinheiro,porém, ainda não foi levantado. Saída da Grécia não significaria o fim do euro, dizem líderes europeusRepresentantes europeus declararam nestaterça-feira que uma eventual saída da Gréciada zona do euro não significaria o fim damoeda comum."O euro viverá mais do que todos nós", afirmouJean-Claude Juncker, líder dos ministros dasFinanças da zona do euro, acrescentando não terdúvidas de que a Grécia continuará na moedacomum, desde que cumpra suas obrigações comos demais países-membros.E a vice-presidente da Comissão Europeia, NeelieKroes, disse ao jornal holandês Volkskrant que"sempre é dito que, se deixarmos um país sair (doeuro), toda a estrutura entraria em colapso. Issonão é verdade".Ainda assim, o chefe de Kroes, José ManuelDurão Barroso, que preside a Comissão Europeia,insistiu em que os demais países ainda "querem aGrécia na zona do euro".As declarações foram feitas em meio à crescentepressão sobre o governo de Atenas para aceitaras duras reformas exigidas pelos credores dopaís.União Europeia, FMI e o Banco Central Europeuexigem que os gregos cortem mais gastospúblicos e implementem reformas trabalhistascomo precondições para um novo pacote deresgate.BBC - BRASIL