Your SlideShare is downloading. ×
GAAF
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

GAAF

563
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
563
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. GABINETE DE APOIO AO ALUNO E À FAMÍLIA
    g.a.a.f.
    «Desabafo»
  • 2. I. Apresentação do Projecto
    • É um projecto de Mediação Escolar/Social que foi criado no âmbito do Plano de Acção do Projecto Educativo.
    • 3. O principal objectivo é ajudar as crianças/jovens e as famílias na procura da resolução dos seus problemas quotidianos e estabelecer estratégias de intervenção de combate à exclusão social e contribua para o sucesso educativo dos alunos.
    É um projecto de Mediação Escolar/Social que foi criado no âmbito do Plano de Acção do Projecto Educativo.
    O principal objectivo é ajudar as crianças/jovens e as famílias na procura da resolução dos seus problemas quotidianos e estabelecer estratégias de intervenção de combate à exclusão social e contribua para o sucesso educativo dos alunos.
    Funcionará na Escola como um serviço de apoio aos alunos e às suas famílias, disponibilizado em várias vertentes que contribuem para o desenvolvimento integral da criança/jovem e sua integração sócio-profissional. Neste âmbito, inserem-se o Serviço de Psicologia e Orientação; a Tutoria; e o Apoio e Intervenção com a família.
  • 4. I. Apresentação do Projecto
    • É um espaço de exteriorização de conflito/afectos/emoções pessoais, relacionais, emocionais e familiares.
    • 5. É um espaço que garante a total confidencialidade aos alunos e às suas famílias.
    • 6. Presta, ainda, apoio ao pessoal Docente e Não docente, bem como à restante comunidade escolar e educativa.
    Como ponto de chegada pretende-se um processo de desenvolvimento pleno e harmonioso da personalidade de todos os sujeitos, incentivando a formação de cidadãos livres, responsáveis, autónomos e solidários, tendo sempre presente a missão da Escola: «Educar cidadãos para o sucesso, responsáveis e activos no exercício da sua cidadania, envolvendo toda a comunidade».
  • 7. II. Objectivos
    GERAIS:
    Prevenir situações limites/roturas;
    Identificar situações/problemas dentro e fora da escola e na comunidade envolvente;
    Proporcionar encaminhamento quando solicitado;
    Promover o bem-estar pessoal dos alunos;
    Ajudar o aluno a «encontrar-se»;
    Contribuir para a resolução de problemas dos alunos e das suas famílias;
    Levar o aluno a valorizar a escola;
    Favorecer a auto-estima;
    Promover o desenvolvimento integral dos alunos, contribuindo para o seu crescimento harmonioso e global;
    Promover o sucesso educativo dos alunos;
    Fomentar uma relação de interacção entre os diversos agentes educativos, nomeadamente família-escola-comunidade.
  • 8. II. Objectivos
    ESPECÍFICOS:
    Diminuir e prevenir as situações de absentismo, abandono e insucesso;
    Promover o desenvolvimento pessoal e social dos alunos;
    Apoiar os alunos e famílias nas suas problemáticas;
    Fomentar o envolvimento parental no percurso escolar do aluno;
    Fomentar a participação activa da comunidade educativa, incentivando o estabelecimento de uma relação de proximidade comunicativa e dialógica entre os diversos agentes da comunidade educativa;
    Fomentar a articulação entre os serviços da comunidade escolar;
    • Melhorar a imagem da escola junto da comunidade local.
  • III. Intervenção
    COMPETÊNCIAS:
    Acompanhar directamente alunos e famílias sinalizadas, em estreita articulação com os técnicos do Agrupamento, assim como outros técnicos externos quando necessário;
    Prestar apoio psicológico e/ou sócio-educativo a alunos/grupos de alunos em que tal seja necessário;
    Articular com os Docentes, estabelecendo estratégias adequadas às características dos alunos;
    Mediar a relação escola-família, promovendo a sua aproximação, comunicação e interacção;
    Desenvolver actividades de incentivo à participação e envolvimento dos pais/encarregados de educação no processo educativo dos seus educandos;
    Fomentar o envolvimento da comunidade local na vida escolar e no sucesso educativo das crianças/jovens;
    Articular directamente com o serviço do SPO da Escola, Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, Instituto da Juventude do Porto e com outras instituições parceiras cuja actuação se situa no âmbito do apoio psico-social;
    Desenvolver a sua actuação em articulação com os agentes da comunidade escolar e educativa.
  • 9. III. Intervenção
    METODOLOGIAS:
    Abordagem individual/em grupo, formal e/ou informal, com o objectivo de estabelecer uma relação de proximidade empática com os alunos;
    Trabalho concertado com serviços de apoio especializado existentes na escola, SPO;
    Trabalho em parceria com Instituições da Comunidade Escolar e Educativa
    Apoio aos alunos e famílias a definirem projectos de vida;
    Sensibilizar os alunos e suas famílias para a importância da escola na construção de um projecto de vida;
    Apoiar alunos e famílias na resolução dos problemas utilizando os seus próprios recursos e os recursos existentes na comunidade de forma a promover autonomia e uma verdadeira inserção social;
    Mediação Sócio-educativa.
  • 10. III. Intervenção
    ESTRATÉGIAS:
    Encaminhamento para entidades de Apoio Social;
    Trabalho em parceria com entidades de Apoio Social;
    Encaminhamento Técnico-Profissional;
    Atendimento ao aluno e sua própria família;
    Acompanhamento individual e/ou em grupo dos alunos;
    Trabalho directamente articulado com Titulares/Directores de turma e professores;
    Reunião com Associações de Pais;
    Reunião com delegados e subdelegados de turma;
    Reunião com Parceiros;
    Trabalho articulado com restantes serviços da escola (Equipa Directiva/ Coordenadora/ Colaboradoras do Projecto da Educação para a Saúde e Educação Sexual, Psicóloga da Escola – Dr.ª Rosa Campos, Educação Especial/Serviço de Acção Social Escolar…);
    Acções de sensibilização aos pais acerca de determinadas temáticas;
    Consultadoria a Pais, Professores e Assistentes Operacionais.
  • 11. III. Intervenção
    RECURSOS HUMANOS/PARCERIAS:
    Coordenadora/ Colaboradoras do Projecto de Saúde e Educação Sexual
    Psicóloga da Escola
    Titulares/Directores de Turma
    Enfermeiros Estagiários da Universidade Católica do Porto
    Instituto da Juventude do Porto
    Centro de Saúde de Paços de Ferreira (profissionais de saúde)
    Associação de Pais
    Comissão de Protecção de Crianças e Jovens
    Assistente Social (pedir parceria à Câmara Municipal)
  • 12. III. Intervenção
    RECURSOS MATERIAIS:
    Pequeno gabinete
    Computador com ligação à internet
    Folhas para registo de atendimento
    Caixa de mensagens (dúvidas, medos, violências sofridas, bullying…)
    Telefone disponível para pedido de ajuda e contacto com o Instituto da Juventude por parte dos jovens
    Criação de um email para dar resposta às dúvidas dos jovens
  • 13. III. Intervenção
    DINÂMICA:
    Pretende-se que o Gabinete esteja aberto pelo menos três dias por semana em horário a definir posteriormente;
    Uma reunião mensal para análise de dados.
    AVALIAÇÃO DO PROJECTO:
    Gráficos de atendimento
    * Análise da frequência (sexo e idade)
    * Tipo de Problemática atendida (pessoal/familiar/escolar)
    * Encaminhamento
  • 14. IV. Fluxograma
  • 15. V. Funcionamento
    O G.A.A.F. está sediado na escola sede do Agrupamento, sem prejuízo de afectar a realização de deslocações a todas as Escolas Básicas de 1º Ciclo e Jardins de Infância que integram o Agrupamento, nos casos em que tal seja necessário.
    Funcionará pelo menos três dias por semana, em horário ainda a definir, contando com a presença da equipa multidisciplinar do Agrupamento.
    Por último, sempre que se justifique uma articulação directa com outras instituições da comunidade, esta poderá ocorrer em local externo ao Agrupamento.

×