2ºestudo de história - 7º ano – março - 1º trimestre – 2013

  • 382 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
382
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 2ºEstudo de História Luiza Collet – 7º ano – Prof.º Marco Aurélio – Março - 1º Trimestre – 2013 2. O Feudalismo A Idade Média na Europa foi basicamente o Império Bizantino, Feudalismo e expansão do Islamismo. A DESCENTRALIZAÇÃO DO PODER REAL (p. 26) Idade média -> séculos V ao XV -Invasão dos bárbaros no Ocidente e suas organizações -Império Bizantino -> Roma Oriental Confrontos no Ocidente Fusão de costumes e valores (como o latim que se misturou com outros idiomas) Fortalecimento das autoridades dos chefes militares => poder dos reis dependia deles.  Reinos – pouco estáveis por conta das frequentes guerras. – rei precisava de guerreiros leais. Formação dos feudos – pedaços de terras dos reinos que o rei doava ao guerreiro em troca de sua lealdade: Relações feudo-vassálicas ou relações de suserania e vassalagem Prova de lealdade -> “doação” de parte do reino (feudo). - Os servos (moradores, plebeus) da região do reino doada (feudo) pagavam impostos não ao rei, mas para a tropa do guerreiro que fez esse juramento de lealdade.  Reino “protegido” = quem doava a terra = suserano  Guerreiro leal (que protege o reino) = recebia terras chamadas feudos = vassalos -De tanto que os reinos foram divididos nesses pedaços de terras, os reinos tornaram-se numerosos feudos.
  • 2. Igreja -> lutou pela conversão dos reis e depois de seus povos.  Papa – respeitado pela Europa Ocidental. – às vezes, apenas ele conseguia acabar com brigas.  Confirmação de lealdade dos vassalos – através da Igreja  Único traço de união entre os povos era a Igreja  Reis buscavam o apoio da Igreja para conselhos, fazer juramentos diante dela, etc.  Igreja abençoava guerreiros antes da guerra e coroava reis REPRESENTAÇÃO DAS RELAÇÕES FEUDO-VASSÁLICAS O senhor feudal Y doa suas terras em troca de aliança (lealdade), aos senhores feudais A, Z e X. Portanto: SUSERANO = senhor feudal Y VASSALOS = senhores feudais A, Z e X O senhor feudal Z faz uma aliança de lealdade (fidelidade) com o senhor feudal B. Portanto: SUSERANO = senhor feudal Z VASSALO = senhor feudal B Pode-se concluir que o senhor feudal Y é o suserano dos suseranos, senhor dos senhores, pois ele é suserano do senhor B, que por sua vez é suserano do senhor feudal Z.
  • 3. CONCLUSÕES: -O vassalo também podia conceder uma parte de seu feudo a outros guerreiros, tornando-se suserano de outros vassalos. -De tantas doações dos reinos, o reino acabou dividido em numerosos feudos. -O poder do “suserano dos suseranos”, ficou enfraquecido com essa descentralização, pois cada feudo tornou-se um domínio independente.