2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula              6º an...
2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula                   ...
2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula               Ero...
2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula                   ...
2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula         Voçoroca –...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

2º estudo de geografia (processos exógenos) 6º ano – 3º trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula

3,364 views
2,926 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,364
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2º estudo de geografia (processos exógenos) 6º ano – 3º trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula

  1. 1. 2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula 6º ano – 3º Trimestre – Outubro - 2012 – Prof.ª Ana PaulaTema: Processos exógenos (erosivos) Processos endógenos -> processos que ocorrem de dentro (do interior) para fora (seu exterior) da Terra, os processos endógenos são o vulcanismo e o tectonismo. Processos exógenos-> processos que ocorrem de fora (do exterior) da Terra para dentro (seu interior), os processos exógenos são os processos erosivos. OS PROCESSOS EXÓGENOS-É importante saber que os processos exógenos são fatores que alteram orelevo do exterior da Terra para o seu interior. De acordo com o tipo deerosão, o relevo é modificado de forma diferente. Mas o que é relevo? Relevo = diferentes formas da superfície terrestre.
  2. 2. 2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula Erosão = intemperismo + transporte de sedimentos. A erosão pode acontecer a partir da água (de rios, mares, chuva) ou do vento ou de gelo, neve (água). Denominamos os tipos de erosão:  Erosão eólica (do vento) – a ação dos ventos que carrega os sedimentos, intemperiza as rochas, principalmente na parte de baixo delas, pois é onde se encontram os sedimentos do solo e consequentemente o relevo modificado. Outra forma é a partir da ação dos ventos nas dunas, que “puxam, arrastam” os semimentos para outro lugar, ou seja, carregam (transportam) os sedimentos e os depositam em outros lugares.Rebaixamento do relevo Normalmente, a erosão eólica ocorre no deserto, onde há pouca umidade.na parte de baixo Dunas Vento “perfura” uma rocha  Conclusão: a erosão eólica rebaixa o relevo, erguendo os sedimentos que vão bater e esculpir as rochas. Também leva e muda de lugar os sedimentos das dunas e desertos, entre outros.  Erosão marinha – impacto das águas do mar nas rochas litorâneas. O mar “bate” nas rochas (sedimentares ou ígneas) e elas ficam “retinhas” essas rochas são chamadas de falésias. Falésias Costão Rochoso  Conclusão: a erosão marinha “esculpe” as falésias e forma os costões rochosos. O desgaste dos costões rochosos muitas vezes formam também falésias. A erosão marinha causa efeitos mais fortes que a eólica, pois além de carregar os sedimentos, ela tem água. “Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”.
  3. 3. 2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula  Erosão fluvial – os rios desgastam as rochas (ígneas ou metamórficas) e as moldam em forma de V. É como se fosse uma “serra” cortando o relevo. A erosão fluvial forma vales em V, cânions e planícies. Já que o rio “corta” o vale ele forma assim as planícies; criando também os rios de planície onde se formam meandros como o rio Amazonas. Vales em VCURIOSIDADE - COMO SE FORMAM OS CANIONS?Cânion ou Canyon, que significa "canhão", é um termo usado em geologia para designar um vale profundocom paredes abruptas em forma de penhascos, geralmente escavado por um rio. São tambem chamadosde "garganta".Alguns exemplos de cânions são: o Grande Canyon, o Itaimbezinho, e a Garganta do Diabo no Rio Iguaçu.A maior parte dos canyons originam-se por um longo e lento processo de erosão fluvial e eólica.Diferentes camadas rochosas pouco consolidadas a partir de um planalto, são erodidas lentamente porum curso de água, criando um vale.As paredes se formam quando camadas de rochas resistentes à erosão são encontradas, de modo que aágua continua escavando um vale para baixo, não afetando a rocha dura.Na Cidade dos Canyons, Praia Grande - SC, temos diversos canyons, que formam a divisa com o estado doRio Grande do  Ao todo são sete canyons: Itaimbezinho, Malacara, Fortaleza, Índios Coroados, Sul.Faxinalzinho, Churriado, Leão e Molha Côco. A parte superior destes canyons, os campos de cima daserra, pertencem a Cambará do Sul - SC, mas, a apenas um metro abaixo da superfície, onde iniciam osparedões, já pertence a Praia Grande - SC. Além disso, do próprio centro da cidade e possível avistarcanyons como o Malacara, Índios Coroadas e Molha-Côco.  Conclusão: a erosão fluvial é causada pelo intemperismo e pelo transporte de sedimentos pela água dos rios. Forma vales em V, planícies e cânions. Dependendo da velocidade da água, os sedimentos podem ser transportados ou depositados. No alto, eles são transportados (alta velocidade), embaixo, são depositados (baixa velocidade).
  4. 4. 2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula COMO SE FORMAM OS RIOS? 1. A água cai em forma de chuva e infiltra nos lençóis freáticos. 2. Os lençóis freáticos ficam cheios de água e transborda (=vertem), formando a nascente de um rio. Por essa razão, a maioria das nascentes de rios formam-se em vertentes. Isso nos rios permanentes. - São as partes mais altas do relevo as responsáveis por abastecer os lençóis freáticos.  Erosão glacial – intemperismo (físico) + transporte de sedimentos através de grandes quantidades de neve ou gelo (avalanches, por exemplo). Formam vales em U e fiordes. Fiordes noruegueses Conclusão: a erosão glacial forma vales em U e fiordes a partir do intemperismo e o transporte de sedimentos (com grandes quantidades de neve ou gelo).  Erosão pluvial – intemperismo + transporte de sedimentos a partir da chuva; deixa o relevo com formas arredondadas se esta erosão ocorrer em áreas com vegetação.
  5. 5. 2º Estudo de geografia (processos exógenos) - 6º ano – 3º Trimestre - Outubro – 2012 – Prof.ª Ana Paula Voçoroca – quando o homem desmata e tira a serra pilheira por ter um uso inadequado do solo, a água das chuvas + sedimentos caem com uma alta velocidade e força (enxurradas) fazem com que o relevo adquira formas chamadas voçorocas, ravinas e sulco. Quanto maior o declínio, maior a velocidade, o que aumenta a erosão. As raízes das plantas seguram o solo e se não estiverem lá, ocorrem movimentos de massa, e todo o solo cai. CONCLUSÃO GERAL Portanto, a erosão é um processo natural de desagregação, transporte edeposição de materiais de rochas e solos que vem agindo sobre a superfícieterrestre desde os seus princípios. Para que o processo erosivo de desagregação eremoção de partículas do solo ou fragmentos de rocha ocorra é necessário a açãocombinada da gravidade com a água, vento gelo ou organismos. Contudo, a ação humana sobre o meio ambiente contribui exageradamentepara a aceleração do processo, trazendo consequências, como a perda de solosférteis, a poluição da água, o assoreamento dos cursos d’água e reservatórios e adegradação e redução da produtividade global dos ecossistemas terrestres eaquáticos. BOM ESTUDO!!

×