1º estudo de gramática 7º ano - setembro e outubro

  • 777 views
Uploaded on

 

More in: Education , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
777
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
23
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Luiza Collet – 7º ano - 2013 – 3º Trimestre – Setembro, Outubro e Novembro – Prof.ª Vanessa Luiza Collet– 7º ano - 2013 – 3º Trimestre – Setembro, Outubro e Novembro – Prof.ª Vanessa Conteúdo: Advérbios, Morfossintaxe e Sintaxe ADVÉRBIOS 1 Conceito Advérbio = modificador do sentido do verbo, adjetivo ou do próprio advérbio (circunstância).. Ex.: Você, Juliana, anda lentamente (modo de como ela anda). Classificação Os advérbios são classificados de acordo com a circunstância(valor semântico) que indicam, por exemplo: Modo: bem, mal, devagar, depressa, assim, melhor, pior e quase todos os terminados em “mente”: educadamente, raramente, estranhamente. Negação: não, nunca, tampouco. Afirmação: sim, certamente, realmente, deveras, indubitavelmente. Dúvida: talvez, porventura, acaso, provavelmente. Intensidade: muito, pouco, bastante, mais, menos, tão, demais, demasiado, quão, quanto, tanto. Lugar: aqui, ali, lá, à escola, a cá, acolá. Tempo: ontem, hoje, amanhã, já, agora, sempre, jamais, breve, tarde, outrora. Interrogativos: (onde, por que, como e quando.) empregados em frases interrogativas diretas e indiretas. -Vale lembrar que dependendo do contexto, o advérbio pode adquirir um diferente valor semântico.
  • 2. Luiza Collet – 7º ano - 2013 – 3º Trimestre – Setembro, Outubro e Novembro – Prof.ª Vanessa Locução Adverbial Locuções adverbiais – duas ou mais palavras que tenham valor de um advérbio. As locuções também podem ser classificadas de acordo com a circunstância que indicam. Geralmente são acompanhadas de preposições. Ex.: Certa vez, brinquei de bola. Coloquei à venda. Locuções adverbiais femininas geralmente levam acento grave, mas as masculinas não. Ex.: Joana foi à praia. Andei a cavalo. 2 Lembre-se! Diferenciando advérbios e adjetivos Os advérbios, ao modificarem adjetivos e outros advérbios, tem geralmente valor semântico de intensidade. Ao modificarem verbos, os advérbios adquirem diversos valores semânticos. Meio ≠ meia Meio – um pouco, mais ou menos; advérbio (portanto não varia) de modo ou intensidade. Ex.: Eu fiquei meio impressionado. (É o mesmo que dizer “mais ou menos” impressionado, “um pouco” impressionado). Meia – metade (numeral – variável). -Usa-se meia onde couber a palavra metade. Para não ter erro é só fazer essa substituição. Ex.: Tenho uma hora e meia para fazer isso. (“...uma hora e metade...”). Mal ≠ mau Mal – que não é bom para a nossa saúde ou, quando alguém não se comportou de maneira adequada; advérbio (invariável); antônimo de bem. Ex.: Ela está passando mal. Mau – expressar malvadeza e crueldade ou referência a algo de qualidade ruim ou inferior; adjetivo (variável); antônimo de bom. Ex.: Você não é mau, só está muito estressado.
  • 3. Luiza Collet – 7º ano - 2013 – 3º Trimestre – Setembro, Outubro e Novembro – Prof.ª Vanessa CONCLUSÃO: Para diferenciar adjetivos dos advérbios, lembre-se que os adjetivos variam dependendo do substantivo, como nas frases “Juliana é má” e “Tiago é mau”, os advérbios não, como é possível observar nas frases “Carlos está meio estranho” e “Fabiana está meio estranha”. MORFOSSINTAXE 3 É a escolha e seleção das palavras de forma que gerem sentido. Uma combinação (sintaxe – estudo das relações das palavras na frase). As palavras podem ser classificadas em relação morfológica (classe gramatical) ou em relação sintática (função específica que assumem em determinada frase). -Dependendo de sua posição, uma palavra tem uma diferente função sintática (de objeto ou sujeito). Função sintática = posição que a palavra exerce na frase. Conceitos Frase – enunciado de sentido mínimo para a comunicação entre as pessoas. A frase pode ou não conter verbo, pode ser nominal (núcleo substantivo) ou verbal (núcleo verbo). Ex.: Ela é legal! (nominal); Que bom! (nominal); Você se superou (verbal). Oração = frase verbal, frase que apresenta sintagma verbal. Cada oração possui um sujeito. É um enunciado ou parte dele que se organiza em torno de um verbo.
  • 4. Luiza Collet – 7º ano - 2013 – 3º Trimestre – Setembro, Outubro e Novembro – Prof.ª Vanessa Termos essenciais da oração/ frase:  Sujeito – sobre quem se diz algo (núcleo um substantivo, pronome pessoal ou palavra que tenha valor de substantivo).  Predicado – o que é dito sobre o sujeito (núcleo um verbo, ou locução verbal, ou um nome). Ordens da frase -Direta: sujeito + predicado 4 -Indireta: predicado + sujeito ou predicado + sujeito + predicado. Ex.: Classificação do sujeito -Sujeito simples – formado por um núcleo. -Sujeito composto – formado por mais de um núcleo. -Sujeito desinencial (oculto)– sujeito está escondido no verbo (desinência). Ex.: Fiquei triste. (sujeito oculto – eu) DICA! Se você não sabe o sujeito de uma frase como essa... “Existem músculos no corpo humano” ...lembre-se sempre que o verbo é nosso “guia”, ele é quem está falando do sujeito. O verbo da frase é “existem”, ele está se referindo a quem? Quem existe? Os “músculos”. Portanto conseguimos identificar o sujeito.
  • 5. Luiza Collet – 7º ano - 2013 – 3º Trimestre – Setembro, Outubro e Novembro – Prof.ª Vanessa Classificação do predicado -Predicado verbal – tem como núcleo o verbo. Ex.: Ele canta. - Predicado nominal – núcleo de adjetivo, ou seja, um “atributo” é dado ao sujeito; geralmente apresenta verbo de ligação (ser, estar, permanecer, ficar, andar, continuar). Ex.: 5 Predicativo do sujeito – indica características, qualidades ou estados que se atribuem ao sujeito. É geralmente um adjetivo ou uma palavra com valor de adjetivo que se refere ao sujeito.Cada predicativo tem seu sujeito. Verbo de ligação – elemento que serve para unir o sujeito ao predicativo do sujeito. Adjunto adverbial – função sintática do advérbio. É o termo que indica as circunstâncias em que se dá a ação verbal. Ex.: Classificação dos Períodos - Período simples: um verbo ou uma locução verbal. -Período composto: dois ou mais verbos. Ex.: Ana andou rápido. – Período simples Ana saiu e andou rápido. – Período composto José gostou e Paula amou a ideia. – Período composto
  • 6. Luiza Collet – 7º ano - 2013 – 3º Trimestre – Setembro, Outubro e Novembro – Prof.ª Vanessa Sintagma = unidade de palavras. Pode ser sintagma nominal, verbal ou preposicional/ adverbal. Ex.: 6 Adjunto Adverbial (Termo sintático de advérbio e locução adverbial) -Indica circunstâncias da ação verbal e modifica o verbo. Enriquece e direciona o texto, além de ampliar o contexto. -Sempre que o adjunto adverbial começa uma oração (frase), é necessário o uso da vírgula (com algumas exceções). Ex.: Na manhã de ontem, fiquei feliz. Ontem, comi sanduíche. (A vírgula não é obrigatória nesse caso). Adjunto Adnominal São os determinantes → palavras que acompanham o substantivo. Essas palavras determinam, especificam ,indeterminam ou qualificam o substantivo. Determinantes: adjetivo, artigo, numeral, pronomes adjetivos e locução adjetiva. Ex.: -Diferente do predicativo do sujeito, o adjunto adnominal qualifica o substantivo de forma permanente. Claro que podemos ter algumas exceções, como o verbo ser, que indica permanência. O adjunto adnominal pode fazer parte de qualquer função sintática (sujeito ou predicado), ao contrário do predicativo do sujeito, que sempre tem função de predicado. BOM ESTUDO!