• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Relevo
 

Relevo

on

  • 5,738 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,738
Views on SlideShare
2,701
Embed Views
3,037

Actions

Likes
0
Downloads
95
Comments
0

11 Embeds 3,037

http://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br 2843
http://prof-paulo-geografia.blogspot.com 73
http://prof-paulo-geografia.blogspot.pt 61
http://www.prof-paulo-geografia.blogspot.com.br 37
http://eja-geovera.blogspot.com.br 7
https://www.google.pt 6
http://prof-paulo-geografia.blogspot.jp 5
http://webcache.googleusercontent.com 2
http://prof-paulo-geografia.blogspot.de 1
http://prof-paulo-geografia.blogspot.com.au 1
http://prof-paulo-geografia.blogspot.ch 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Relevo Relevo Presentation Transcript

    • RELEVOhttp://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/ Prof. Paulo
    • Relevo Trata-se do conjunto das formas da crosta terrestre, manifestando-se desde o fundo dos oceanos até as terras emersas. Encontramos formas diversas de relevo: montanhas, planaltos, planícies, depressões, cordilheiras, morros, serras, inselbergs, vulcões, vales, escarpas, abismos, Cuestas, etc. O relevo é o resultante da ação de dois agentes:os internos e externos.
    • O Relevo e Seus Agentes A formação do relevo e a constante transformação de suas formas ocorrem devido à ação de:Agentes internos ou endógenos Agentes externos ou exógenosSão as forças internas do planeta, Existem agentes externos, nacausadas pelas pressão e altas superfície terrestre, que modificam otemperaturas das camadas mais relevo, não tão rapidamente como osprofundas. Geralmente essas vulcões ou terremotos, mas sua açãomanifestações são violentas e contínua transforma lenta erápidas, como é o caso dos ininterruptamente todas asterremotos e vulcões. Esses paisagens da Terra. A ação dosmovimentos são construtores e ventos, do intemperismo e da águamodificadores do relevo terrestre, sobre a crosta terrestre determinampodendo levar milhões de anos ou a erosão.apenas um dia.
    • Agentes Formadores do Relevo (Endógenos) São responsáveis pela formação do relevo. Os agentes Internos ou endógenos são processos estruturais que atuam do interior para o exterior do planeta : Tectonismo Vulcanismo Abalos sísmico
    • Os Agentes Internos (Endógenos)São processos que têm sua origem no interior da Terra,como o vulcanismo, o tectonismo e os abalossísmicos.Vulcanismo É a atividade pela qual os materiais vindos do manto atingem a superfície. Lavas, cinzas e gases.Através de fendas ou aberturas dacrosta terrestre.A acumulação e consolidação da lavaexpelida pelos vulcões podem dar origem amontanhas e ilhas. Vulcão Stromboli, na Itália.
    • Tectonismo: O movimento das placas tectônicas traz, em sua dinâmica, resultados que podem ser observados na superfície. Os terremotos, o vulcanismo, as rochas dobradas e falhadas são exemplos claros de que toda a crosta esteve e está em constante movimento. Esses movimentos são denominados tectônicos e são classificados em dois tipos: Orogênese (movimentos tectônicos no sentido horizontal) Epirogênese (movimentos tectônicos no sentido vertical)
    • Epirogênese é uma expressão criada por Gilbert, em1890, a denominação teve como objetivoprincipal designar o fenômeno geológicoque resulta em movimentos tectônicos nosentido vertical. Caso esse movimento sejapara cima, recebe o nome de soerguimentoe para baixo, subsidência.Orogêneseé um movimento tectônico que ocorre deforma horizontal, e pode ter duasconfigurações: convergente, quando duasplacas se chocam; e divergente, quandoduas placas se afastam. A primeiraprovoca o surgimento de dobramentos ecordilheiras e a segunda responde pelaformação das dorsais (cordilheirassubmarinas).
    • Abalos SísmicosTerremoto ou abalo sísmico é uma vibração da superfície terrestre produzida por forças naturais situadas no interior da crosta a profundidades variáveis. Podem ser também associados à ação humana quer direta ou indiretamente nas atividades de extração de minerais, água ou petróleo. Quando esses abalos ocorrem nos continentes são chamados de terremotos; já quando acontecem nos oceanos correspondem aos maremotos, que podem resultar na formação de ondas gigantescas denominadas tsunamis.
    • O tsunami destruiu a cobertura vegetal que havia no litoral sudoeste daTailândia (acima, fotos de satélite de 2003 e de 2004, três dias após asondas). O padrão de distribuição de sedimentos submarinos também foialterado. O depósito arenoso na ponta da praia, por exemplo, foi erodido.
    • Agentes Externos de Relevo (Exógenos)O relevo terrestre encontra-se em permanente evolução, pois os agentes externos trabalham contínua e incessantemente modelando a paisagem terrestre. Principais agentes externos:IntemperismoAntropicidade
    • IntemperismoÉ o conjunto de processos químicos e físicos, (ação da água, do vento, do calor, do frio e dos seres vivos) que provocam o desgaste e a decomposição das rochas. Podem ser físicos e químicos.
    •  Físico – A desintegração e a ruptura das rochas inicialmente em fendas, progredindo para partículas de tamanhos menores, sem, no entanto, haver mudanças na composição química. Exemplos de processos físicos de meteorização: congelamento da água, variação de temperatura, decomposição esferoidal, esfoliação, destruição orgânica.
    •  Químico – Realizam-se em presença da água e dependem da ação de decomposição da água juntamente com o CO2 dissolvido e, em alguns casos, ácidos orgânicos formados pela decomposição de resíduos de vegetais. Exemplos de processos químicos de intemperismo: oxidação dos solos ferrosos, maresia em áreas litorâneas.
    • Agentes Externos: Esculpidores da Paisagem As formas de relevo criadas pelas forças do interior da Terra sofremconstantes modificações provocadas por agentes externos do relevo. Água Vento Seres vivos O desgaste das rochas causado pelo intemperismo origina as rochas sedimentares.
    • Antropicidade Consiste na atuação direta ou indireta do ser humano sobre o planeta.
    • Agentes modeladores
    • A incrível força da natureza esculpindo as rochasParque Nacional Grand Canyon, no Arizona, Estados Unidos (2006).
    • Formas de RelevoPRINCIPAIS ESTRUTURAS DE RELEVO: PLANALTO PLANÍCIE DEPRESSÃO MONTANHAS
    • Formas de Relevo Continentais Montanhas: formadas pela ação de forças tectônicas Jovens: formadas em épocas Velhas: formadas em eras mais remotas. geológicas recentes. Apresentam Tendo sido afetadas pela erosão, apresentam maiores altitudes. altitudes mais moderadas. Montanhas jovens no Parque NacionalLos Glaciares, na região patagônica (Argentina, 2000)
    • Formas de Relevo Continentais Planalto: superfícies onde predomina intenso processo de erosão.Situam-se entre 200 metros Apresentam forma aplainada e 2 mil metros de altitude. ou morros, serras ou elevações íngremes de topo plano (chapadas). Morro do Pai Inácio, na Chapada Diamantina (Bahia, 2008)
    • Formas de Relevo Continentais Planícies: poucas irregularidades e forma quase plana Baixas altitudes Sedimentação constante devido(até 100 metros) aos movimentos das águas do mar, de rios, de lagos etc. Planícies Planícies fluviais Planícies lacustreslitorâneas
    • Depressões Relativa: Partes mais baixas em relaçãoàs formas de relevo que as circundam. Apresentam uma leve inclinação e sãotambém caracterizadas por um processode erosão, que é um aspectodeterminante na sua formação.Quando as depressões se encontramabaixo do nível do mar, recebem onome de depressões absolutas. O mar Morto, na Ásia, é um exemplo de depressão absoluta. Depressão Sertaneja /São Ele está metros Francisco abaixo do nível do mar.
    • As Diferentes Classificações do Relevo Brasileiro Professor Aziz Ab’Saber / anos 60Professor Aroldode Azevedo Anos40/50 Professor Jurandyr Ross Anos 90
    • Classificação de Aroldo de Azevedo:elaborada na déc. De 40, levou em consideração as cotas altimétricas (altitude)do relevo. Planalto: superfície levemente ondulada com mais de 200 m dealtitude. Planície: superfície aplainada com menos de 200 m de altitude.
    • Classificação de Aziz AB Sáber:Classificação publicada em 1958, onde se definia: Planalto : superfíciesuavemente ondulada, onde se verifica o domínio do processoerosivo(desgaste). Planície: superfície onde o processo de sedimentação émais atuante e independe do nível altimétrico.
    • Classificação de Ross Proposta pelo professor Jurandyr Ross, divulgada em 1989.Utiliza os processos geomorfológicos para elaborar a sua classificação,porem diferente das classificações anteriores, Ross, usa recursos maismodernos como a aerofotogrametria , (fotos aéreas, projeto Radam Brasil) ereformulou a classificação do relevo brasileiro, elevando para 28 o númerode grandes unidades de relevo.Além disso, ao invés de se prender às divisões anteriores entre planaltos eplanícies, introduziu um novo conceito, o de depressão. Destaca três formas principais de relevo: planaltos, planícies e depressões. Define cada macro unidade da seguinte forma: PLANALTO, superfície irregular, com altitude acima de 300 metros e produto de erosão; PLANÍCIE, área plana, formada pelo acúmulo recente de sedimentos; DEPRESSÃO, superfície entre 100 e 500 metros de altitude, com inclinação suave, mais plana que o planalto e formada por processo de erosão.
    • O relevo brasileiro Mapa Relevo brasileiro CaracterísticasPredominam os planaltos de baixaaltitude ( até 1200m ) e as planícies.O relevo brasileiro não possui grandesaltitudes . Este fato pode ser explicadopela antiguidade de seus terrenos (emgeral, pré-cambrianos ) que vemsofrendo o ataque dos agentes deerosão há milhões de anos.Planalto, Planícies e Depressões são asprincipais formas de relevo . O Brasilnão apresenta cadeias de montanhasou dobramentos modernos . As Cores variam de acordo com níveis de altitude indo dos mais baixos ( verde) aos mais elevados ( marrom)
    • Classificação de Aroldo de Azevedo  Primeira classificação.  Recursos limitados.  4 grandes planícies.  2 grandes planaltos.  Subdivide o planalto brasileiro em 3 sub- unidades.
    • Classificação de Aziz Ab’Saber  Feita por um discípulo de Aroldo de Azevedo.  Número de planícies permanece a mesma.  2 grandes planaltos.  Subdivide o planalto brasileiro em 6 sub- unidades.
    • Classificação de Jurandyr Ross  Realizada na déc. 80.  Resultado do Projeto RADAM-Brasil.  Divide o país em 28 unidades de relevo.  Predomina planaltos baixos e depressões.  Planícies com áreas pequenas e limitadas.
    • Dúvidas? Perguntas? Sugestões? Reclamações?Opiniões para as próximas aulas? http://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/