Perfeito em cima,péssimo em ...

1,717 views

Published on

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,717
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,591
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Perfeito em cima,péssimo em ...

  1. 1. PERFEITO EM CIMA, PÉSSIMO EM... Nossa combalida e única ponte de quase 50 anos, sofre a cada dia pelo desgaste natural. Ficamos sempre na dúvida, de quando a nova ponte vai sair do papel em definitivo. A passos de tartarugas e ao bel prazer do governador, a sua execução segue a toque de caixa, esperando dias mais próximos das eleições, para que ela tome um novo ritmo. Desde a assinatura (28.06.13) do contrato, até a presente data, já se passaram sete meses, faltando apenas dois meses para ser o mesmo tempo, que foi concluída a ponte Lomanto Júnior. É bom lembrar, que a atual ponte foi feita na época dos militares, onde prazo e zelo pelo dinheiro público eram tratados com mais carinho. Além de uma tecnologia bem mais empírica e um tempo adverso. Enquanto a nova não sai, cabe ao poder municipal, realizar as devidas manutenções. Recentemente, a nossa ponte, teve seus postes trocados, e já era tempo. O serviço é para se bater palmas de um modo geral, se não fosse a péssima engenharia adotada para as substituições dos postes.
  2. 2. Não sei se por pressa, falta de verba, fiscalização ou falta de respeito com o dinheiro público, os postes foram “soldados” nos “tocos” dos postes velhos em péssimo estado de conservação. Qualquer leigo sabe, que solda elétrica em ferro galvanizado, retira sua proteção anticorrosiva e em pouco tempo todo o trabalho está perdido e corroído. Vejam pelas fotos, o estado que as soldas foram feitas e as “escorras” vergonhosas, para substituição do empirismo, que não tardará a mostrar o fracasso e o desperdício do dinheiro público. De nada irá adiantar uma pintura com anticorrosivo, pois só fará prorrogar por alguns meses um serviço “porco” e sem compromisso com a cidade.
  3. 3. José Rezende Mendonça

×