Your SlideShare is downloading. ×
Relatório de Sustentabilidade 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Relatório de Sustentabilidade 2011

887

Published on

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
887
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 20111
  • 2. SUMÁRIO 1 MENSAGEM DA DIRETORIA pág 4 2 RELATO pág 6 3 NOSSAS EMPRESAS pág 8 4 GOVERNANÇA CORPORATIVA pág 16 5 CANAIS DE COMUNICAÇÃO pág 22 6 DESEMPENHO AMBIENTAL pág 26 7 DESEMPENHO ECONÔMICO pág 32 8 DESEMPENHO SOCIAL pág 36 9 GLOSSÁRIO pág 5010 INFORMAÇÕES CORPORATIVAS pág 54
  • 3. MENSAGEM DA DIRETORIA A Marcopolo tem a satisfação de apresentar o primei- Atualmente existem 16 Equipes de Aprimoramen- ro Relatório de Sustentabilidade das suas operações to Contínuo e 107 grupos de Sugestões de Melho- no Brasil. Esse relatório foi feito seguindo a metodo- ramentos do Ambiente Marcopolo (SUMAM). Essas logia da Global Reporting Initiative (GRI). equipes e grupos contribuem com a identificação de oportunidades de melhoria no ambiente, no proces- Desde a sua fundação, em 1949, a Marcopolo de- so e no produto, oferecendo soluções de aplicabilida- monstra preocupação com o bem estar de seus cola- de prática e com retorno do investimento a curto e boradores e das comunidades onde está inserida. Ain- médio prazo. da cedo, a empresa criou programas de motivação, reconhecimento e valorização de seus colaboradores, A Marcopolo investe na modernização de seus pro- estando à frente em temas relacionados como carrei- cessos produtivos com a aquisição de máquinas e ra, capacitação e benefícios. Ações para melhoria das equipamentos de última geração, inovações em mé- condições ambientais, como estações de tratamento todos e processos voltados a prover a melhoria na de efluentes e atendimento aos requisitos das normas ergonomia, saúde e segurança de seus colaboradores. certificadoras, fazem parte dos objetivos da empresa Há dois anos, a Companhia iniciou um estudo mais e estão sempre em constante aperfeiçoamento. profundo do tema Sustentabilidade, criando um Co- A Marcopolo acredita e defende que os investimentos mitê formado por representantes das áreas econômi- em mobilidade urbana devam crescer nos próximos ca, social e ambiental. A Marcopolo também contra- anos em todo o mundo. Do contrário, o tráfego nas tou consultoria especializada e realizou seminários grandes cidades seguirá cada vez mais caótico, prin- para alinhamento dos conhecimentos dos executi- cipalmente em função do aumento populacional e vos sobre o tema, o que possibilitou a identificação 1 da priorização do transporte individual. Há também de oportunidades de melhoria nas várias áreas da uma pressão dos órgãos ambientais para que se redu- empresa. za a emissão de gases nocivos provenientes dos veí- Embora a Marcopolo tenha publicado, desde 1998, culos, que contribuem para o aquecimento global e Balanços Sociais seguindo o modelo “Ibase”, uma causam danos à saúde. Por isso, a mobilidade deverá análise complementar do Comitê de Sustentabili- acontecer por meio de transporte coletivo, seja ôni- dade indicou a necessidade de relatar as atividades bus, trem, metrô ou outras alternativas que venham a ser desenvolvidas. da Companhia utilizando os indicadores do Global Reporting Initiative, como forma de ampliar a presta- Como fabricante de ônibus, a Marcopolo tem como ção de contas aos stakeholders sobre o tema e do que propósito ajudar o mundo do futuro a se locomover ainda se tem por desenvolver na empresa.1 de uma forma sustentável. Sua linha de produtos inclui modelos rodoviários, urbanos, micros e mini- Os indicadores utilizados nesta edição do GRI serão ônibus. Há mais de uma década, a Marcopolo identi- incluídos no Balanced Score Card da empresa para o ficou a necessidade de oferecer um veículo de trans- ano de 2013. porte coletivo capaz de enfrentar de maneira ágil e A Marcopolo compreende a necessidade de ampliar rápida linhas que não eram atendidas regularmente. também a atuação do Comitê de Sustentabilidade, O resultado foi a criação do Volare, miniônibus com incluindo representantes das diversas áreas da or- capacidade para até 32 passageiros e adaptável a vá- ganização, bem como a necessidade de promover o rios segmentos de mercado. O Volare tem se destaca- engajamento dos stakeholders na discussão sobre sus- do no transporte escolar através do Programa Federal tentabilidade. Caminho da Escola, atendendo a normas de seguran- ça e facilitando o acesso das crianças à escola. Além disto, a Companhia zela pelas boas práticas de Governança Corporativa e pelos padrões de conduta A Engenharia da Marcopolo tem como um de seus que devem se refletir no relacionamento entre as pes-MENSAGEM objetivos o desenvolvimento de produtos que utili- soas que fazem parte do contexto Marcopolo. zem tecnologias produtivas mais limpas, que tenham maior capacidade de reciclagem por ocasião do seu Desta forma, a Marcopolo entende que está dan- descarte final e que gradativamente usem também do passos importantes para que a sustentabilidadeDA DIRETORIA mais materiais reciclados. Além disso, conceitos de faça parte da agenda permanente de prioridades, aerodinâmica avançada e conceitos estruturais de úl- influenciando as estratégias de negócios da empre- tima geração permitem ônibus mais leves e de menor sa, suas práticas de gestão de pessoas e sua atuação resistência ao ar, economizando combustíveis. na sociedade. José Rubens de la Rosa Diretor Geral 5
  • 4. PROCESSO DE RELATO O Relatório de Sustentabilidade da Marcopolo no Por ser este o primeiro relatório no formato Brasil é o primeiro publicado pela empresa e segue GRI, não foi realizado processo de engajamento a metodologia Global Reporting Initiative, atendendo dos stakeholders, o que é um objetivo da empre- ao nível C de aplicação GRI (tabela a seguir). sa para o ano que se segue, para o que utilizará A coleta de indicadores é anual, e neste relatório sistemática de diálogos e de pesquisa. Também apresenta os resultados de 2009 a 2011, abrangendo não foram sugeridas metas de melhoria para os as operações industriais da Marcopolo localizadas indicadores, mas estes servirão de base para o es- em Caxias do Sul (RS) e da Ciferal em Duque de tabelecimento de metas que constarão do BSC da Caxias (RJ). companhia em 2013. Os indicadores utilizados nesta edição foram esco- No caso de alguns indicadores, não foi possível lhidos por meio de discussões internas com as áreas levantar dados referentes aos três anos abrangi- envolvidas, as quais identificaram os temas relevan- dos, visto que a implementação e/ou a mensura- tes para os negócios da empresa. ção de alguns processos é recente, especialmente na Ciferal, que está em fase de modernização de As informações econômico-financeiras são apresen- suas práticas produtivas e de gestão. tadas de forma consolidada, de acordo com as práti- cas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS - Inter- Também, por ser o primeiro relatório neste for- national Financial Reporting Standards, estabelecido mato, as informações não foram submetidas à 2 pelo IASB - International Accounting Stardards Board. verificação externa. NÍVEL DE APLICAÇÃO GRI O Relatório de Sustentabilidade GRI da Marcopolo atende aos requisitos para o nível C de aplicação GRI, de acordo com os parâmetros ressaltados na tabela a seguir. NÍVEL GRI2 C C+ B B+ A A+ Responder aos Responder a todos os itens: critérios elencados no 1.1; Nível C mais: Perfil da G3: 2.1 a 2.10; O mesmo exigido Obrigatório 1.2; Resultado 3.1 a 3.8, 3.10 a para o nível B 3.9 a 3.13; 3.12; 4.5 a 4.13, 4.16, 4.17. 4.1 a 4.4, 4.14 a 4.15 Com verificação externa Com verificação externa Com verificação externa Informações Forma de Gestão Informações sobre a For- sobre a Forma divulgada para cada Não exigido ma de Gestão para cada de Gestão da Categoria do Indi- Categoria do Indicador G3: Resultado cadorRELATO Responder a cada Responder a um Responder a um mínimo Indicador essencial mínimo de 10 de 20 Indicadores de De- da G3 e do Suple- Indicadores Indicadores de sempenho, incluindo pelo mento Setorial com a de Desem- Desempenho, menos um de cada uma devida consideração penho da G3 e incluindo pelo das seguintes áreas de ao Princípio da Mate- Indicadores de menos um de desempenho: econômico, rialidade de uma das Desempenho cada uma das ambiental, direitos seguintes formas: do Suplemento seguintes áreas humanos, práticas a) respondendo ao Setorial de desempenho: trabalhistas, sociedade, Opcional social, econômico responsabilidade pelo indicador ou e ambiental. produto. b) explicando o mo- tivo da omissão. 7
  • 5. AS EMPRESAS MARCOPOLO Marcopolo S.A. é uma sociedade anônima de capital aberto, sediada em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, que se rege por um Estatuto Social e pelas disposições legais aplicáveis. A Companhia vem apro- ximando pessoas, por meio dos ônibus que produz, desde 6 de agosto de 1949, ano em que iniciou sua trajetória empresarial. Em 2011, A empresa, que tem seu nome ligado à história do transporte de pas- a produção sageiros no Brasil, foi fundada em Caxias do Sul com o nome de consolidada da Nicola & Cia. Ltda. Em 1971, graças ao sucesso alcançado com o lan- Marcopolo totalizou çamento do ônibus “Marcopolo”, passou a denominar-se Marcopolo S.A. O crescimento contínuo consolidou a organização, que já produ- 31.526 unidades, ziu em suas fábricas no Brasil e Exterior, nesses 63 anos, mais de 300 14,3% superior às mil ônibus, com uma força de trabalho de mais de 17 mil colabora- 27.580 unidades dores em 2011. A Marcopolo é líder do mercado brasileiro com 45,7% de market share no segmento ônibus e posiciona-se entre as maiores fabricadas no fabricantes do mundo. exercício de Está listada desde setembro de 2002 no segmento especial do merca- 2010, e 62,6% do de ações da BM&FBovespa denominado Nível 2 de Governança maior do que as 3 Corporativa. 19.384 unidades produzidas em O OBJETIVO DA SOCIEDADE 2009. Desse total, A Sociedade tem por objetivo a fabricação e a comercialização de ônibus, veículos automotores, carrocerias, tratores, autopeças, má- 67,2% foram quinas agrícolas, máquinas e motores industriais, aparelhos e móveis produzidas no de ferro e aço, ferramentas, ferragens, cutelaria, estruturas metálicas, Brasil e as demais bem como o tratamento de materiais destinados à fabricação destes produtos, materiais para instalações para aquecimento, refrigeração 32,8% no Exterior.3 e ventilação, serviços de reparos, consertos, restauração e recondi- cionamento, inclusive assistência técnica de todos os produtos de seu ramo de indústria e comércio, agenciamento e representação, importação e exportação desses produtos e serviços, agricultura, flo- restamento e reflorestamento, podendo ainda participar de outras sociedades no Brasil ou no Exterior.EMPRESASMARCOPOLO 9
  • 6. VISÃO E VALORES PRESENÇA GLOBAL O crescimento contínuo e dinâmico levou a Com- INTERNACIONALIZAÇÃO O ano de 2011 foi um marco para a Marcopolo, que panhia a buscar novos fronts de negócios globais. registrou recordes de receita e produção. A Compa- VISÃO Ampliou operações de produção e comercialização e nhia seguiu sua estratégia de internacionalização e Ser reconhecido mundialmente como um dos grupos empresariais hoje tem presença marcante em mais de 100 países anunciou acordo para a constituição de uma joint mais competitivos nos Negócios em que estiver atuando e de só- dos cinco continentes. A fabricação de ônibus é rea- venture comercial, na Rússia, com o Grupo OJSC KA- lida imagem econômica e social. lizada em 12 unidades fabris, sendo quatro no Brasil MAZ, maior empresa automobilística daquele país. (duas em Caxias do Sul – RS, uma em Duque de Ca- Também neste ano, a Companhia comunicou a assi- xias – RJ, além de participação de 45% na empresa natura de contrato para a aquisição de 75% de par- VALORES ticipação na empresa Volgren Australia Pty. Limited, San Marino Ônibus e Implementos Ltda., também em Caxias do Sul – RS), e oito no Exterior, sendo maior encarroçadora de ônibus da Austrália, com Respeito e Valorização das Pessoas uma unidade própria na África do Sul e joint ventu- participação de mercado superior a 40%, sediada O relacionamento das pessoas da Marcopolo é de respeito, valo- res na Argentina, Austrália, Colômbia, Egito, Índia em Melbourne. A empresa também aumentou sua rização e transparência. Qualquer pessoa, seja da Empresa ou fora participação na Metalpar, na Argentina, de 40% para dela, deve ser tratada com dignidade e justiça. O trabalho em equi- (2) e México. Na China, a Companhia possui uma 50%, conforme já estava previsto no Contrato fir- pe feito por pessoas comprometidas, motivadas e preparadas é um fábrica de peças e componentes para carrocerias de mado com a empresa Loma Hermosa SA em 21de dos diferenciais da Marcopolo. ônibus. A Marcopolo detém 40% de participação dezembro de 2007. da SPHEROS (climatização e ar-condicionado), 30% Satisfação dos Clientes na WSUL (espumas para assentos) e 26% na MVC A satisfação dos clientes é a razão do sucesso da Marcopolo. Esfor- – Componentes Plásticos. Além disso, detém o con- MERCADO INTERNO ços devem ser direcionados para identificar o que é percebido como trole integral do Banco Moneo, constituído para dar O mercado interno brasileiro segue sendo o grande3 3 de valor pelos clientes, estabelecendo todas e quaisquer ações capa- suporte ao financiamento dos produtos Marcopolo. propulsor da demanda. A Marcopolo operou durante zes de transformar esses valores em realidades lucrativas recíprocas, 2011 com elevada utilização da capacidade instala- respaldadas em relacionamentos de longo prazo. A proximidade CONTROLADAS E COLIGADAS da e realizou investimentos importantes na expan- com os clientes é um requisito chave para este valor. são e modernização das unidades fabris, bem como Em relação às controladas e coligadas no Exterior, na melhoria da eficiência operacional e na gestão o ano de 2009 foi de readequação da estratégia da Solidez Econômico-Financeira da qualidade de seus produtos. Os resultados foram Companhia no seu processo de internacionalização. A Marcopolo tem como premissa básica que a solidez econômico- beneficiados por vários fatores como: o crescimento A fábrica de Coimbra, Portugal, foi desativada. Do -financeira dos negócios é fundamental para seu crescimento sus- do Produto Interno Bruto (PIB), ainda que abaixo do mesmo modo, a Marcopolo encerrou a associação tentável. O compromisso com a Excelência nos Resultados e a Ge- esperado pelo mercado; as favoráveis condições de que, através de sua controlada Ciferal Indústria de ração de Valor deve nortear o dia-a-dia dos profissionais e parceiros financiamento; o câmbio mais competitivo para as Ônibus Ltda., mantinha com a empresa Ruspromau- da Marcopolo. empresas exportadoras (principalmente a partir do to, na Rússia, hoje denominada Gaz Group, sendo a mês de setembro); a forte demanda de ônibus com Meio Ambiente e Comunidades sua parte nos ativos transferida para uma nova em- chassis ainda na norma de emissões Euro 3 e o pro- A Marcopolo e seus colaboradores têm um importante compromis- presa russa, 100% controlada pela Companhia. grama “Caminho da Escola” do Governo Federal. so com a saúde, a segurança, o meio-ambiente e as comunidades onde atuam. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Em 2011, também destaca-se a elaboração do Pla- LINHA DE PRODUTOS Ética nejamento Estratégico da Companhia para os pró- A linha de produtos abrange uma ampla variedade A Marcopolo adota uma atitude de responsabilidade e respeito para ximos cinco anos. O plano contempla as metas de de modelos, composta pelos grupos de rodoviários, com as pessoas e instituições com as quais se relaciona. É de grande crescimento e investimentos de R$ 450 milhões para urbanos, micros e minis, além da família Volare (ôni- importância para a empresa que conflitos de interesses sejam evita- o mesmo período. bus completo, com chassi e carroceria). dos. Na ocorrência de tais situações, devem ser resolvidas de forma transparente, de acordo com as diretrizes do Código de Conduta. Parcerias Os parceiros, caracterizados principalmente por Fornecedores, Montadoras, Representantes Comerciais, Instituições Financeiras, Distribuidores e Revendedores têm um papel importante para a Marcopolo. Devem ser construídos relacionamentos de longo pra- zo, com regras claras e práticas que resultem em sucesso conjunto. 10 11
  • 7. UNIDADES DE NEGÓCIO PRESERVANDO A HISTÓRIA O Centro de Documentação Memória Marcopolo foi criado como parte das comemorações dos 50 anos da Marcopolo, em 1999. No primeiro mo- Uma das maiores fabricantes mundiais de mento a maior preocupação era resgatar os docu- ônibus, participa ativamente no desenvolvi- mentos que contassem a trajetória da Companhia, mento e implementação de soluções para o assim a documentação foi separada por grandes transporte coletivo de passageiros em alguns assuntos. Mas foi em 2004, quando a empresa dos principais mercados do mundo. completou 55 anos, que se implantou o Projeto de Resgate e Tratamento do Acervo Histórico, com o objetivo de organizar e disponibilizar informa- ções através de um banco de dados. Em 2011 este espaço foi remodelado. Hoje o Centro reúne mais de 60 mil itens e resgata os principais momentos da história da Marcopolo, através de matérias de jornais, documentos da empresa, fotos, vídeos e campanhas publicitárias. Ainda é possível acom- Tradicional marca fabricante brasileira de panhar uma linha do tempo através de uma tela ônibus, foi adquirida totalmente pela Mar- interativa e personalizar a visita a partir da defini- copolo em 2001 e é focada na produção de ção dos aspectos que mais interessarem.3 3 modelos urbanos, tendo sua unidade fabril Para o diretor da Marcopolo, Valter Gomes Pinto, no Rio de Janeiro. o centro de documentação é um presente a todos os colaboradores e seus familiares, assim como para a comunidade. “Preservar o passado é uma forma de homenagear todos que fizeram parte de uma história e também de permitir que gerações futuras aprendam e se desenvolvam a partir de ex- periências já vivenciadas”, destaca o diretor. Criado em 2005, o Banco Moneo atua no mercado financeiro nacional, nas carteiras de investimento, arrendamento mercantil e crédito, financiamento e investimento. Tem como principal objetivo permitir aos clientes da empresa, acesso às linhas de crédito para aquisição de ônibus da fabricante. Unidade de negócio independente, a Volare é a principal fabricante brasileira de miniô- nibus, com atuação desde 1998. 12 13
  • 8. DESTAQUES E PREMIAÇÕES EM 2009 - 2010 - 2011 2009 • Troféu Ítalo Victor Bersani CIC – • Prêmio AutoData - Os Melhores do Setor Caxias do Sul Automotivo 2009 AutoData • Top of Mind – As Mais Lembradas pelos • Prêmio Reputação Corporativa - Revista Gaúchos Revista Amanhã Amanhã • Prêmio Mérito Industrial - FIERGS • Prêmio Grandes&Líderes - 500 Maiores do Sul Revista Amanhã • Troféu Transparência 2009 Anefac - Fipecafi - Serasa Experian • Prêmio Maiores & Melhores do Transporte e Logística - Revista Transporte • Troféu Personalidade Top Ser Humano Moderno - Associação Brasileira de Recursos Humanos, seccional Rio Grande do Sul (ABRH-RS) • Prêmio Responsabilidade Social - • Prêmio Apimec - Ouro Apimec - SP Categoria Grandes Empresas Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul 2011 • Prêmio Apimec - Prata Apimec - RJ • Prêmio Campeãs da Inovação - Revista • Prêmio Reputação Corporativa - Revista • Troféu Top Ten Amanhã e Edusys Amanhã • Prêmio CNI – Categoria Design (Média e • Troféu IR Magazine Brazil Awards - IR • Prêmio IDHO 2011 - Indicador de • Top of Mind - Revista Amanhã Grande Indústria) CNI (Confederação Nacional da Indústria) Magazine Brazil Awards Desenvolvimento Humano Organizacional • Mérito Empresarial do Rio Grande do Sul3 3 • Prêmio Exportação ADVB - Associação dos 2011 - Revista Gestão RH • Prêmio Top de Marketing – Categoria - Destaque Gaúcho Indústria - Volare ADVB/RS Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil • Prêmio Marcas de Quem Decide - • Prêmio AutoData - Melhores do Setor • Líder Empresarial do Rio Grande do Sul Certificado de Marca Líder no Setor Fabricante • Prêmio AutoData - Personalidade do Ano Automotivo AutoData Editora de Ônibus - Jornal do Comércio e QualiData AutoData • Prêmio Campeãs da Inovação - Revista • Prêmio IR Magazine Brazil Awards 2011 - IR Amanhã e Edusys • MVC - Prêmio Award Patent Innovation - Magazine Ministério de Tecnologia da França • Mérito Ambiental 2011 - Revista Ecologia e • MVC - Prêmio Inovação - JEC 2011 - JEC Meio Ambiente Composites 2010 • Prêmio As 100 Melhores em Cidadania • Troféu Guri - Rádio Gaúcha Corporativa 2010 - Categoria Destaque • Troféu Empresa Amiga da Cultura - CERTIFICAÇÕES Especial - Gestão & RH Editora Prefeitura de Caxias do Sul Política de Gestão de Negócios Gestão Integrada de Normas • Prêmio Distinção Indústria - FIERGS • Prêmio Top de Marketing 2010 - ADVB/RS A Marcopolo reconhece a Qualidade, o Meio Ambiente, a A essência da Gestão Integrada de Normas é produzir com • Prêmio Marcas de Quem Decide - Jornal do Responsabilidade Social e a Saúde e Segurança como par- qualidade, preservando o meio ambiente, garantindo saú- • Prêmio Economista do Ano - Conselho Comércio e QualiData te integrante de sua Gestão de Negócios e estabelece me- de do trabalhador com responsabilidade e ética. Regional de Economia • Prêmio Mérito Reconhecido - Revista canismos para que esses sistemas sejam implementados, • Prêmio AutoData 2010 - Revista AutoData A Marcopolo mantém as certificações: Jornauto mantidos e melhorados continuamente. • Prêmio Destaque em Gestão e RH - Editora • Top Of Mind 2010 - Revista Amanhã / Por isso a Companhia compromete-se a assegurar a cres- • ISO 9001 - Gestão da Qualidade - Certificação Gestão & RH Segmento Pesquisas cente satisfação de seus clientes através da busca de me- desde 1996; • Prêmio Campeãs da Inovação - Revista • Prêmio Proteção Brasil 2010 - Revista Amanhã lhoria contínua e de excelência em qualidade; considerar • ISO 14001 - Gestão Ambiental - Certificação Proteção e Anuário Brasileiro de Proteção as variáveis ambientais, ocupacionais, sociais e de qualida- desde 2005; • Prêmio Maiores & Melhores do de, no desenvolvimento de novos produtos e processos; • Prêmio Exportação ADVB - Associação dos Transporte e Logística - Revista Transporte garantir a aplicação das legislações, normas e outros regu- • SA 8000 - Responsabilidade Social - Certificação Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil desde 2003; Moderno lamentos, para atingir eficazmente os objetivos planeja- • Prêmio IDHO 2010 - Indicador de dos; prevenir permanentemente a poluição, os acidentes • OHSAS 18001 - Saúde e Segurança do Trabalho - • Certificado Excelência em Gestão Desenvolvimento Humano Organizacional Sustentável - Editora Expressão de trabalho e as doenças ocupacionais; e ser uma empresa Certificação desde 2002. 2010 - Revista Gestão RH ética e socialmente responsável com todos os públicos. 14 15
  • 9. GOVERNANÇA CORPORATIVA A Marcopolo adota as boas práticas de Governança Corporativa seguindo os princípios da trans- parência, equidade, prestação de contas (accountability) e responsabilidade corporativa. Suas ações estão listadas no Nível 2 de Governança Corporativa da BM&FBovespa desde 2002. A gestão da Marcopolo é formalizada com base na distinção entre as funções e responsabilidades do Conselho de Administração, do Conselho Fiscal e da Diretoria Executiva, sendo que o Conselho de Administração é o órgão superior de deliberação colegiada e de governança da Marcopolo. A Companhia disponibiliza as demonstrações financeiras anuais também no idioma inglês e com base em princípios de contabilidade aceitos internacionalmente; realiza, anualmente, no mínimo, uma reunião pública com analistas, e teleconferências com analistas e investidores; divulga anual- mente um Calendário de Eventos Corporativos; mantém um Código de Conduta, uma Política de Divulgação de Informações e uma Política de Negociação de valores mobiliários (mais informações no item Relacionamento com os Investidores). Está vinculada à Cláusula Compromissória, mantendo disposição estatutária no sentido de que a Companhia, seus acionistas, administradores e os membros do Conselho Fiscal, obrigam-se a re- solver, por meio de arbitragem, toda e qualquer disputa ou controvérsia que possa surgir entre eles. PRESIDENTE EMÉRITO 4 Na Assembleia realizada em 20 de março de 2012, foi institu- ído o cargo estatutário de Presidente Emérito da companhia, com caráter exclusivamente honorífico, pessoal, intransferível, tendo sido nomeado para o cargo Paulo Bellini. O Presidente Emérito tem a seu cargo, zelar pela preservação da cultura da Marcopolo, visando o fortalecimento dos valores e princípios éticos da sociedade; contribuir para fortalecer as ações voltadas à gestão de pessoas, para garantir a permanente motivação dos colaboradores; atuar como mentor dos executivos da sociedade;4 acompanhar as atividades político institucionais da sociedade; e zelar pela marca e imagem da Marcopolo e pelo cumprimento de sua função social. O Presidente Emérito pode participar das reuniões de quaisquer órgãos da sociedade. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO O Conselho de Administração é composto por sete membros, sendo a maioria independentes. Dos conselheiros independentes, um foi indicado e eleito pelos acionistas minoritários, um indicado e eleito pelos acionistas detentores de ações preferências, e dois indicados e eleitos pelos acionistas controladores. Possui um secretário, que também faz parte da Diretoria. Seus membros são expressa- mente declarados como tais na ata que os elege por Assembleia Geral e por ela destituíveis a qualquer tempo, para um mandato unificado de até dois anos, cuja gestão se estenderá até a investidura dos novos administradores eleitos, sendo permitida a reeleição. O presidente do Conselho de Adminis-GOVERNANÇA tração não participa da Diretoria. Para auxiliar, opinar e apoiar na condução dos negócios, o Conselho de Administração conta, em caráter permanente, com um comitê técnico e consultivo, denominado Comitê Executivo. O Conse-CORPORATIVA lho de Administração conta ainda com os seguintes Comitês de Apoio: Comitê de Auditoria e Riscos; Comitê de Recursos Humanos e Ética; e Comitê de Estratégia e Inovação. 17
  • 10. OS MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO OS MEMBROS DO CONSELHO DE FISCAL NOME CARGO ELEITO EM MANDATO DE TITULARES NOME CARGO ELEITO EM MANDATO DE Mauro Gilberto Bellini Presidente março 2012 dois anos Francisco Sergio Quintana da Rosa Conselheiro Indicado pelos Controladores março 2012 um ano Oscar de Paula Bernardes Neto Vice-presidente março 2012 dois anos Egon Handel Conselheiro Indicado pelos Preferencialistas março 2012 um ano Luciano Moisés Bado Conselheiro março 2012 dois anos Jerônimo Campos Conselheiro Indicado pelos Minoritários março 2012 um ano Maria Letícia de Freitas Costa Conselheira Indep. março 2012 dois anos Paulo Cezar da Silva Nunes Conselheiro Indep. março 2012 dois anos SUPLENTES Fuad Jorge Noman Filho Conselheiro Indep. março 2012 dois anos Representante dos NOME CARGO ELEITO EM MANDATO DE Minoritários Sérvulo Zardin Suplente de Francisco Sergio Q. da Rosa março 2012 um ano Manuela Cristina Lemos Marçal Conselheira Indep. março 2012 dois anos Eduardo Bittencourt Suplente de Egon Handel março 2012 um ano Representante dos Marco Antonio da Silva Suplente de Jerônimo Campos março 2012 um ano Preferencialistas COMITÊ DE RH E ÉTICA OS MEMBROS DA DIRETORIA O Comitê de Recursos Humanos e Ética tem a responsabilidade de garantir o alinhamento dos processos de gestão NOME CARGO ELEITO EM MANDATO DE de pessoas às estratégias de desenvolvimento da Companhia. Suas funções são acompanhar o processo sucessório das posições estratégicas; monitorar práticas de mercado no que diz respeito à remuneração de executivos; moni-4 4 José Rubens de la Rosa Diretor Geral março 2012 dois anos torar o sistema de remuneração dos administradores; supervisionar as práticas de responsabilidade social adotadas Valter Gomes Pinto Diretor março 2012 dois anos pela companhia e seu impacto na imagem institucional; acompanhar a gestão do clima organizacional e ações Carlos Zignani Dir. Rel. c/ Invest. março 2012 dois anos de natureza estratégica adotadas; avaliar novas políticas e práticas de gestão de pessoas para a Companhia; zelar e José Antonio Valiati Diretor março 2012 dois anos atualizar o Código de Conduta da Companhia, promovendo sua divulgação e disseminando padrões de conduta adequados para a Companhia; fornecer orientações aos interessados no caso de dúvidas sobre a aplicação do Có- digo de Conduta, assim como a apuração e tomada de decisão quando verificados casos de violação dos princípios estabelecidos. Este comitê é composto por seis membros com mandato de dois anos designados anualmente pelo OS MEMBROS DO COMITÊ EXECUTIVO Conselho de Administração, na primeira reunião após a Assembleia Geral Ordinária. NOME CARGO ELEITO EM MANDATO DE Mauro Gilberto Bellini Membro Efetivo e março 2012 dois anos COMITÊ DE AUDITORIA E RISCOS Coordenador O Comitê de Auditoria e Risco tem como objetivo revisar o processo de auditoria independente, a metodologia e Paulo Bellini Membro Efetivo março 2012 dois anos eficácia da auditoria interna, o processo de monitoramento do cumprimento das leis e regulamentações das de- Valter Gomes Pinto Membro Efetivo março 2012 dois anos monstrações financeiras, a eficácia dos controles internos e o sistema de gestão de riscos e o tratamento e apuração das denúncias de fraude. São algumas funções deste comitê supervisionar e avaliar a apresentação de relatórios José Rubens de la Rosa Membro Indicado março 2012 dois anos financeiros e contábeis; supervisionar a auditoria externa; supervisionar a auditoria interna; supervisionar o pro- Carlos Zignani Membro Indicado março 2012 dois anos cesso de gestão de riscos e de controles internos; avaliar o cumprimento de leis e regulamentações; relatar fraudes Carlos Alberto Casiraghi Membro Convidado março 2012 dois anos diretamente ao Conselho de Administração; acompanhar ações de riscos e interagir com o Conselho Fiscal. Ruben Antonio Bisi Membro Convidado março 2012 dois anos COMITÊ DE ESTRATÉGIA E INOVAÇÃO O Comitê de Estratégia e Inovação visa a aplicação do processo de Planejamento Estratégico seguindo as com- CONSELHO FISCAL petências chaves da empresa como a revisão crítica do negócio, a consistência entre os objetivos e estratégias, a O Conselho Fiscal é composto de três membros efetivos, um indicado pelos acionistas minoritários, um pelos aderência às tendências de mercado, a inovação em produtos e serviços, competitividade dos produtos e serviços, acionistas detentores de ações preferenciais e um pelos controladores, e igual número de suplentes, acionistas adequação de investimentos para a criação de valor e crescimento sustentável. Entre as funções que competem a ou não, residentes no país, os quais poderão ser reeleitos, atendidos os requisitos da legislação em vigor. ele estão a proposição de estratégias e inovações para o desenvolvimento, crescimento e a consolidação da empre- sa; liderança e coordenação do processo de desenvolvimento do Planejamento Estratégico da Companhia, como foco nas novas oportunidades de mercado; criação de uma visão estratégica de futuro dentro da Companhia; mo- nitoração da execução e implementação do Plano Estratégico. 18 19
  • 11. REMUNERAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS O montante global anual da remuneração fixa é estabelecido pela Assembleia Geral e distribuído entre os O Comitê de Auditoria e Riscos ligado ao Conselho de Administração monitora e avalia a adequa- administradores, diretores e membros do Comitê Executivo pelo Conselho de Administração. Os membros ção das suas operações com as políticas adotadas, contando com o apoio da Auditoria Interna. do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal não recebem remuneração variável. A política de Gerenciamento de Risco orienta em relação a transações e requer a diversificação de transações e contrapartidas. Nos termos dessa política, a natureza e a posição geral dos riscos REGRAS DE IDENTIFICAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO financeiros é regularmente monitorada e gerenciada pelo Diretor Financeiro e pelo Diretor Geral, DE CONFLITOS DE INTERESSES a fim de avaliar os resultados e o impacto financeiro no fluxo de caixa. Nos termos dessa política, os riscos de mercado são protegidos quando é considerado necessário suportar a estratégia cor- Compete ao Conselho de Administração aprovar a celebração de contratos entre a Companhia e seus administra- porativa ou quando é necessário manter o nível de flexibilidade financeira. Também são revistos, dores e/ou acionista controlador, ou entre a Companhia e partes direta ou indiretamente controladas ou controla- periodicamente, os limites de crédito e a qualidade do hedge das contrapartes. Os controles são doras de acionista controlador. periodicamente auditados internamente, sendo que a Companhia opera instrumentos financei- No que se refere ao Código de Conduta da Companhia, que é aplicado também aos administradores, existe um ros com o objetivo exclusivo de proteção patrimonial (hedge). Comitê de Conduta que tem sob sua responsabilidade fornecer orientação aos interessados no caso de dúvidas quanto à aplicação do Código, assim como a apuração e tomada de decisão quando verificados casos de violação dos princípios estabelecidos. CÓDIGO DE CONDUTA Nos últimos O Código de Conduta da Marcopolo, criado em 2005, é resultado de um estudo No caso do Comitê se defrontar com situações que possam gerar dificuldade de julgamento, devem ser submetidas três anos a que visa a disciplinar as diversas situações que ocorrem na vida da Empresa. ao Comitê de Recursos Humanos e Ética e, persistindo o impasse, pode-se buscar apoio de árbitro externo. O Código tem a função de orientar as ações no dia a dia de trabalho na Com- Companhia panhia, facilitando as decisões e o relacionamento entre diversos grupos que dedicou 2.484 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO ESTRUTURA DE CAPITAL interagem com a equipe da Marcopolo. horas para a4 4 E USO DE INFORMAÇÕES Quanto à estrutura de capital, a única alteração nos Desde sua fundação, a Marcopolo desenvolveu uma visão fortemente pautada capacitação RELEVANTES E DE NEGOCIAÇÃO últimos três anos foi um aumento de capital com em valores. Os Padrões de Conduta devem se refletir no relacionamento entre A Política de Divulgação de Informações da Marco- bonificação de 100% em ações em 2010. as pessoas que fazem parte do contexto Marcopolo: colaboradores, acionistas, de 8.282 polo objetiva manter a uniformidade, simultaneida- clientes, fornecedores de produtos e serviços, representantes comerciais, sindi- colaboradores de e transparência na divulgação de atos e fatos que catos, entidades de classe, governo, imprensa e comunidade em geral. que participaram envolvem os negócios da Companhia, bem como estabelecer os procedimentos que deverão ser ado- COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA Por isso, o Código de Conduta está respaldado em princípios claros de boa dos programas EM 2011 Governança e se pauta em práticas que sejam do conhecimento de todos. Esse tados para a divulgação de informações sobre a Mar- voltados para o conceito tem a ver com a qualidade de atitudes e ações das pessoas, podendo se copolo, inclusive informações que envolvam atos e afirmar que o ser humano é o grande direcionador da Governança Corporativa. entendimento fatos relevantes, e a manutenção de sigilo acerca de informações relevantes não divulgadas. 41,59% Todos os colaboradores recebem um exemplar do Código de Conduta ao entrar do Código de A Política de Negociação tem por objetivo estabele- Acionistas no Brasil na Companhia e participam de treinamentos para o conhecimento e a prática Conduta. cer as regras e os procedimentos a serem observados do Código de Conduta. pela companhia, seus administradores e demais pes- O Código de Conduta pode ser acessado pelo http://www.marcopolo.com.br soas que tenham acesso a informações relevantes, nas negociações com valores mobiliários de emissão 32,32% da empresa, de forma a preservar a transparência Acionistas no Exterior das negociações. O Diretor de Relações com Investidores é o responsá- vel pela execução, acompanhamento e administra- ção geral dessas políticas, e por toda a comunicação 25,63% entre a Companhia e a CVM e Bolsas de Valores, Grupo Controlador bem como entre a Companhia e o mercado, investi- dores e analistas. 0,46% Açoes Em Tesouraria 20 21
  • 12. CANAIS DE COMUNICAÇÃO A Marcopolo investe constantemente em ferramentas de comunicação eficientes e mantém canais abertos com todos os seus stakeholders. O RELACIONAMENTO COM OS COLABORADORES O slogan “Marcopolo, aproximando pessoas” resume o desejo da empresa em me- lhorar a qualidade de vida das pessoas por meio do transporte que produz. Inter- namente, o mesmo slogan é aplicado às iniciativas da Companhia com relação à comunicação com os seus colaboradores. Por meio de vários veículos de comunicação como murais, intranet, jornal interno e campanhas especiais, a Marcopolo mantém seu colaborador bem informado. Além disso, o Departamento de Comunicação Interna realiza periodicamente pesquisas para avaliar o processo de comunicação da empresa com seus colaboradores, atin- gindo neste item 78% de satisfação em Caxias do Sul e 75% na Ciferal em 2011. As ferramentas de comunicação estão em constante evolução, com mudanças signifi- cativas programadas para 2012. O contato com os sindicatos também é uma prática constante na Companhia. Assuntos que afetam o dia a dia dos colaboradores são levados para consulta junto aos sindicatos das categorias e, posteriormente, aprovados com os envolvidos. 55 An o2 7- Nú me Nes vo ro 249 ta e -O utu Do diç lu bro de is cam time ão um nt 201 1 peo s da nato Cif a Con de eral d pel a corr riad Car heça fute bol isputa los o no m Ma gni vo dir Pág .4 em nte o, equ eto ob e Pág apre ipe P .7 r de sen oltro rH , ta re na sult s An ! ado a Re s Pá ch g. 1 1CANAIS DECOMUNICAÇÃO 1 23
  • 13. O RELACIONAMENTO COM OS INVESTIDORES O RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES PESQUISA COM O relacionamento com o investidor da Marcopolo fica sob a responsabilidade da Área O relacionamento com os clientes é desenvolvido de várias formas. Pelo tra- CLIENTES de Relações com Investidores. Para manter esse público sempre em sintonia com a Com- dicional Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) e pelo Canal Aberto, com a panhia, há uma interação permanente por meio de canais de comunicação eficientes. disponibilidade de Linha 0800 702.7070 (Marcopolo) e 0800 707.0078 (Volare) Avaliação Geral ou diretamente no website da empresa ou pelos e-mails contato@marcopolo.com.br A Companhia dá tratamento justo e igualitário a todos os minoritários, sejam do capital 2009-2011 ou contato@volare.com.br ou das demais partes interessadas (stakeholders). Na divulgação de informações, utiliza elevados padrões de transparência, buscando estabelecer um clima de confiança, tanto Todos os contatos recebidos são respondidos ou encaminhados aos setores res- De 0 a 10 – internamente, quanto nas relações da empresa com terceiros. Para atender a dispositi- ponsáveis, sendo todos registrados e acompanhados até a sua solução no prazo nota 8,42 em 2009 vos legais e aprimorar as informações prestadas ao mercado em geral e aos acionistas máximo de 48 horas. Também é feito um follow up para mensurar a satisfação nota 8,64 em 2011 estrangeiros em particular, as Demonstrações Financeiras são divulgadas conforme pa- do cliente com o atendimento. drões estabelecidos pelo International Financial Reporting Standard (IFRS). A pesquisa é feita a A rede de representantes e distribuidores também se constitui em um forte No website da Companhia (www.marcopolo.com.br) os investidores possuem um hot- canal de comunicação com os clientes. cada dois anos. site exclusivo com informações atualizadas constantemente, nos idiomas português O Volare Club, veículo de comuni- e inglês, além de receberem periodicamente mailing eletrônico com assuntos de seu cação trimestral enviado para to- interesse. dos os clientes da Volare, é outra A Política de Divulgação de Informações objetiva manter a uniformidade, simultanei- forma de relacionamento, assim dade e transparência na divulgação de atos e fatos que envolvem os negócios da Mar- como o Viajante, revista trimestral copolo S.A., bem como estabelecer os procedimentos que deverão ser adotados para a publicada pela Marcopolo. divulgação de informações sobre a Companhia, inclusive informações que envolvam Anualmente a empresa desenvolve5 5 atos e fatos relevantes, e a manutenção de sigilo acerca de informações relevantes não o projeto Aproximando Gerações, divulgadas. que investe na integração e no re- Para essa ampla divulgação são disponibilizadas no website da Companhia Apresenta- lacionamento com os clientes do ções, Atas e Editais, Aviso aos Acionistas, Comunicados, Demonstrações Financeiras, Brasil e do Exterior. O programa Documentos entregues à CVM, Fatos Relevantes, Instrução 358, Relatórios Anuais, Re- tem como objetivo aproximar os sultados Trimestrais e Últimas Atualizações. filhos e filhas desses parceiros com a empresa. A Área de Relações com Investidores realiza anualmente reuniões com a Associação dos Analistas e Profissionais de Investimentos do Mercado de Capitais (APIMEC) em Também é feita uma pesquisa com São Paulo, no Rio de Janeiro e em Porto Alegre, bem como non-deal road shows no Brasil clientes para medir seu grau de sa- e no Exterior, além do Marcopolo Day, evento em que a Companhia recebe analistas tisfação com os produtos. Os clien- e investidores em suas instalações em Caxias do Sul para uma apresentação sobre a tes são selecionados a partir de um empresa, seus produtos e seu processo produtivo – em 2011 aconteceu a quinta edição sorteio aleatório. deste encontro. O RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES O relacionamento da Marcopolo com os seus fornecedores é norteado pela visão corporativa, os valores e o Código de Conduta, que estão disponíveis no website, ficando sob responsabilidade da Diretoria de Aquisição e Logística. A sigla MEC, formada pelas iniciais das palavras Maduro, Ético e de Confiança, orienta o relacionamento e ações no dia a dia. A gestão integrada das normas, ISO9001, ISO14001, SA8000 e OHSAS18001, alinha os procedimentos normati- vos com fornecedores. Para fortalecer as alianças estratégicas, a Companhia realiza a cada dois anos o Encontro de Fornecedores, além de utilizar constantemente o Portal de Forne- cedores como importante canal de comunicação. A Marcopolo também democratizou o acesso aos fornecedores que desejam cotar materiais indiretos e serviços colocando as necessidades no Portal. O primeiro contato é feito pelo e-mail mec@marcopolo.com.br 25
  • 14. DESEMPENHO AMBIENTAL A conscientização em relação à preservação do meio RESPONSABILIDADE ambiente se destaca como uma das principais ações ORGANIZACIONAL para a consolidação do desenvolvimento sustentá- O programa Reciclagem com Reuso, desde a sua vel da Marcopolo. A Companhia e seus colaborado- adoção, em outubro de 2001, possibilita a recicla- res têm um importante compromisso com a saúde, gem anual de mais de 250 toneladas de resíduos a segurança, o meio ambiente e as comunidades nas de papel de isolamento de pintura, preservando quais está inserida. As atitudes em relação ao meio cerca de 7 mil árvores. O projeto, distinguido com ambiente têm como prioridade o respeito pela natu- os prêmios Expressão de Ecologia 2002 e Top de reza, a prevenção e a redução dos impactos ambien- Ecologia ADVB 2002, permite reciclar todo o re- tais, através de ações e do comprometimento das síduo de papel com tinta gerado nos processos de pessoas, da melhoria dos processos e da aplicação de isolamento para pintura das carrocerias. tecnologias adequadas, voltadas ao desenvolvimento O Gerenciamento Continuado de Resíduos Sóli- sustentável. Com atitude pró-ativa e profissionais es- dos, implementado em 1999, permite reduzir em pecializados, a Companhia investe em treinamento e até quatro vezes o passivo ambiental, além de re- novas tecnologias para controlar e/ou minimizar os cuperar um terço dos materiais que anteriormen- impactos ambientais decorrentes da sua atividade. te eram descartados. O processo tem início com a coleta seletiva dos resíduos na fonte geradora, que POLÍTICA 6 5 passam pelo armazenamento provisório em cen- Programas voltados às questões ambientais fazem trais, e depois é encaminhado para uma Unidade parte da política de gestão da Marcopolo. A respon- de Processamento de Resíduos (UPR) própria, li- sabilidade socioambiental é um importante aspecto cenciada pelo órgão ambiental. A UPR tem a fina- da sustentabilidade. A empresa desenvolve uma sé- lidade de agregar valor aos materiais descartados, rie de programas e ferramentas para controle do sis- identificar possibilidades de reuso, promover a co- tema produtivo. O Sistema Marcopolo de Produção mercialização adequada dos materiais recicláveis, Solidária (SIMPS) se constitui em uma estratégia de fornecer as informações necessárias para o con- competição industrial para o crescimento, liderança trole do desperdício dos materiais e promover o de mercado, produtividade, qualidade, melhoria do acondicionamento final em células de aterro para6 ambiente de trabalho e rentabilidade dos produtos e os resíduos não recicláveis e não perigosos. serviços. O sistema proporciona condições para me- A Marcopolo trata todos os efluentes gerados no lhorar continuamente a qualidade de seus produtos, processo produtivo, sanitários e de cozinha. A efi- processos e serviços, controlando os impactos ao ciência do tratamento é garantida por laboratório meio ambiente, à saúde e segurança dos colaborado- próprio, cadastrado no órgão ambiental. Também res, eliminando os desperdícios, mantendo uma ca- é realizado o monitoramento anual de emissões deia totalmente integrada. atmosféricas, completando assim a atuação do Sis- tema de Gestão Ambiental. A empresa possui Em 2011 a Companhia obteve a Licença Prévia para um novo aterro de resíduos sólidos industriais a mais importante não perigosos. O objetivo deste aterro é manter certificação emDESEMPENHO o controle absoluto sobre o passivo ambiental da gestão ambiental, empresa. Além disso, foi concluída a obra de am- pliação e modernização da Estação de Tratamento a ISO 14001 – de Efluentes da unidade Ana Rech.AMBIENTAL Sistema de Gestão Ambiental. 27
  • 15. TREINAMENTOS As apresentações são feitas de acordo com a solicita- FONTES DE ENERGIA E CONSCIENTIZAÇÃO ção das escolas e mostram como funciona o geren- As unidades da Marcopolo em Caxias do Sul (RS) e da Ciferal (RJ) têm várias fontes de energia. Nas A Marcopolo realiza ações e atividades com o obje- ciamento ambiental na Marcopolo. Quando possível fábricas gaúchas predomina a utilização da energia elétrica. No Rio de Janeiro é mais significativo o uso tivo de conscientizar e sensibilizar os colaboradores os alunos também podem visitar a empresa e conhe- do gás natural. As unidades de Caxias do Sul também captam energia pela queima de lenha, e pelo uso para as questões ambientais. A importância da coleta cer o funcionamento da coleta seletiva nos diversos de óleo diesel e gás GLP. seletiva de resíduos - para que possam ser reutiliza- setores produtivos, a Central de Resíduos e a Estação ENERGIA LENHA (M3) ÓLEO DIESEL GÁS NATURAL GÁS GLP dos, evitando, assim, o descarte em aterros - é um de Tratamento de Efluentes. ELÉTRICA dos itens de maior destaque. Os eventos também MARCOPOLO 112.331,5 4.480,8 27.733,7 56.069,0 3.689,9 2009 abordam a necessidade da identificação dos impac- MONITORAMENTO CIFERAL 31.113,0 NA 3,5 3.984,8 412,8 tos ambientais de diversas tarefas desenvolvidas du- E ACOMPANHAMENTO MARCOPOLO 147.264,1 6.975,2 49.481,5 72.646,7 4.201,1 2010 rante o processo produtivo. A Marcopolo tem como prioridade em relação ao CIFERAL 40.890,7 NA 844,8 6.564,6 302,5 meio ambiente a prevenção e a redução dos impac- A empresa comemora o Dia do Meio Ambiente sem- MARCOPOLO 152.942,2 6.865,4 52.500,2 68.754,2 4.409,3 2011 tos ambientais, através de ações e do comprometi- pre levando aos seus colaboradores atividades como mento das pessoas, da melhoria dos processos e da CIFERAL 52.789,0 NA 3.691,9 10.011,2 2.255,9 treinamentos, palestras ou entrega de mudas de ár- aplicação de tecnologias adequadas, voltadas ao de- vores ou sementes, ou folder explicativo, e em 2011 senvolvimento sustentável. realizou a Primeira Mostra Natureza versus Desperdí- CONSUMO DE ENERGIA cio, cuja proposta foi a de engajar os colaboradores O setor de Assessoria Engenharia Ambiental garan- Nos últimos anos a Marcopolo incorporou a sua política de sustentabilidade ações práticas que vi- na luta pelo combate aos desperdícios. te o levantamento e avalia o cumprimento da legis- sam a redução no consumo de energia elétrica. O conjunto de medidas já consolidadas gera redução lação ambiental aplicável, define e orienta a coleta de 172 kw. Em valores, representa economia superior a R$ 417,5 mil anuais. Para o público externo, o setor de Meio Ambiente seletiva dos materiais descartados, fomenta a busca6 6 de alternativas para redução de resíduos gerados no Dentre as melhorias implementadas está a substituição de dois compressores com potência total de também promove algumas atividades. A principal é 225 cv (165 kw) por um equipamento com potência de 200 cv (147,2 kw). Também foram substitu- a realização de palestras para alunos de escolas do processo produtivo e determina a sua destinação fi- ídos mais dois compressores com potência total de 300 cv (220,8 kw) por um com potência de 200 Ensino Fundamental, Médio e Superior. nal adequada. cv (147,2 kw). Com essas ações, a empresa reduziu o consumo de energia em 92 kw e economizou R$ 180 mil anuais. MATERIAIS Em 2010 a Marcopolo iniciou a substituição de luminárias nos postos de trabalho. Foram retiradas A redução no desperdício de materiais na produção é perseguida permanentemente pela Marcopolo. Para 268 unidades, onde havia duas lâmpadas fluorescentes de 110 w, e instaladas luminárias de alto atingir os objetivos, que representam economia financeira para a companhia e melhorias ambientais, a em- rendimento com duas lâmpadas de 54 w do modelo T5. presa treina seus colaboradores e investe em processos e equipamentos modernos para o máximo aproveita- Nas rampas, postos de trabalho normalmente com iluminação ineficiente, houve a substituição mento dos insumos. de 380 luminárias com três lâmpadas de 110 w cada. No lugar foram colocadas 274 luminárias de As principais matérias-primas usadas na produção das carroçarias de ônibus são aço, alumínio e compósitos alto rendimento com duas lâmpadas de 54 w. Nessas ações houve redução de consumo de 60 kw, em fibra de vidro. Nos metais as perdas são menores, oscilando de 13% a 18%. Na fibra, até em função da equivalentes a R$ 192 mil anuais. tecnologia disponível, este índice fica em torno de 29%. Dados das unidades de Caxias do Sul (RS) revelam consumo, em 2011, de 45,6 milhões de quilos de aço; de quase 7 milhões de quilos de alumínio; e 3,7 milhões de quilos de fibra. A sucata metálica é integralmente ABASTECIMENTO TOTAL DE ÁGUA RETIRADA POR FONTE (M3) enviada para reciclagem e os resíduos de fibra de vidro são acondicionados nas células do aterro próprio. DE ÁGUA MARCOPOLO CIFERAL Em relação ao abastecimento MATERIAL 2010 2011 de água, as fábricas têm a rede poço de terceiros 26.856 2009 Consumo de aço (kg) 41.160.050 45.617.100 pública como principal fonte. rede pública 143.862 51.336 Na Ciferal a participação da poço próprio 10.607 Sucata de aço 5.697.871 5.920.640 rede pública é de 100%. Em % de perda 14 13 poço de terceiros 27.668 Caxias do Sul as unidades de 2010 Consumo de alumínio (kg) 6.752.580 6.987.985 Ana Rech e Planalto têm po- rede pública 145.100 73.832 Sucata de alumínio 1.186.221 1.197.979 ços próprios, com a devida ou- poço próprio 11.750 torga, que atendem a cerca de poço de terceiros 26.052 % de perda 18 17 27% das necessidades. 2011 Consumo de fibra (kg) 3.499.977 3.759.967 rede pública 157.551 81.782 Sucata de fibra 990.900 1.085.608 poço próprio 16.799 % de perda 28 29 29
  • 16. EFLUENTES RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO Seguindo as tendências mundiais para construção de atitudes sustentáveis, a área de Engenharia foi desafiada a A Marcopolo trata todos considerar os impactos ambientais e de segurança e saúde ocupacional no desenvolvimento do produto e processo os efluentes gerados. Em de fabricação da nova poltrona. A poltrona da nova geração de rodoviários, lançada em 2009, teve seu desenvolvi- Caxias, o tratamento con- mento baseado numa ampla pesquisa de mercado, ouvindo-se os clientes diretos e indiretos. A partir daí foram defi- templa os efluentes indus- nidos os dados de entrada de projeto, inserindos os requisitos de sustentabilidade, como critérios para minimização triais e sanitários. No Rio de resíduos e emissões atmosféricas, destinação final pós consumo e adequação da ergonomia na fase de execução. de Janeiro há somente tra- tamento do esgoto sanitá- O ecodesign é um fator crítico importante, capaz de influenciar mudanças em modelos e estratégias de negócio, rio, pois os industriais são impactando decisões que no passado não eram consideradas. Observa-se neste projeto o atendimento do objetivo coletados e enviados para de facilitar a desmontagem do conjunto gerando a menor perda em termos de material, energia e custos. Essa des- tratamento externo. No montagem é necessária nas fases de manutenção e/ou substituição de componentes. período de 2009 a 2011 a Os componentes descartados tanto na fase de manutenção como na desmontagem da poltrona em fim de vida, Ciferal enviou 300m³ de poderão ser encaminhados para reaproveitamento conforme tipo de material e processo de reciclagem. A redu- efluente industrial para ção média de perdas de matéria-prima no processo de fabricação foi de 10%. Observou-se também a redução de tratamento externo. emissões atmosféricas, pois 60% das operações de solda e colagem foram NOME SIM NÃO substituídas por fixação mecânica. Desenvolvimento do conceito do produto QUALIDADE (mg/l) DESCARTE TOTAL DE ÁGUA Pesquisa e desenvolvimento SÓLIDOS SUSPENSOS Cabe destacar que a aerodinâmica MARCOPOLO - VOLUME (m3) DQO CROMO ZINCO TOTAIS da família de carros rodoviários da Fabricação e produção 2009 15.552 82 82 0,0085 0,178 nova geração G7 proporcionou a Marketing e promoção6 6 significativa contribuição de 8% de Armazenamento, distribuição e fornecimento 2010 17.319 82 52,2 0,0175 0,232 redução no consumo de óleo diesel Uso e serviço 2011 14.195 52,51 37,6 0,0095 0,185 em comparação aos modelos da ge- Disposição, reutilização ou reciclagem Limite legal 330 125 0,4 2 ração anterior. INVESTIMENTOS EMERGÊNCIAS De 2009 a 2011, os investimentos da Marcopolo em proteção ambiental, Nos últimos três anos as unidades de Caxias do Sul e do Rio de Janeiro não registraram qualquer nas unidades de Caxias do Sul e Rio de Janeiro, totalizaram R$ 15.006.186,00 derramamento significativo de conteúdos poluentes no meio ambiente. RESÍDUOS MELHORIAS AMBIENTAIS As unidades de Caxias do Sul e Rio de Janeiro produziram 78,2 mil tonela- Em sua política de aperfeiçoar os processos ambientais, e reduzir e mitigar os impactos dos produtos das de resíduos no período de 2009 a 2011. Do total, 85,5% eram do tipo e serviços, a Marcopolo investiu em melhorias de controle e tratamento. A Estação de Tratamento não perigosos. O principal destino é a reciclagem, respondendo por 66%. de Efluentes da unidade de Ana Rech, em Caxias do Sul, foi ampliada com a instalação de módulo O restante foi coprocessado, aterrado ou passou por tratamento externo. de tratamento terciário para redução de fósforo e nitrogênio e conversão do tratamento físico- -químico de semi-contínuo para batelada. O aporte superou R$ 1,2 milhão. ANO 2011 2010 2009 PESO TOTAL DE Ainda em Caxias do Sul, a empresa obteve aprovação do EIA/Rima e da Licença Prévia para a ins- RESÍDUOS, POR 34.416,4 28.680,20 15.404,9 MARCOPOLO TIPO E MÉTODO DE CIFERAL talação do novo aterro para resíduos sólidos industriais não-perigosos em continuidade ao projeto DISPOSIÇÃO ( t ) da Unidade de Processamento de Resíduos (UPR). Na Ciferal houve a substituição de duas cabines PERIGOSO 7.293,1 5.283,9 1.777,0 MARCOPOLO secas por cabines d’água no setor de pintura. TIPO ( t ) 1.503,32 1.257,28 – CIFERAL NÃO PERIGOSO 20.456,1 18.176,2 13.627,9 MARCOPOLO RESÍDUOS PERIGOSOS 5.163,85 3.662,76 – CIFERAL RECICLADO 18.045,8 15.995,4 10.674,7 MARCOPOLO A empresa também adota medidas práticas em relação aos resíduos perigosos, atendendo ao que 3.610,24 3.600,84 – CIFERAL determina a Convenção da Basiléia. Nos últimos três anos, deu destino correto a 17,1 mil toneladas. COPROCES- 717,8 897,8 1.315,3 MARCOPOLO Para coprocessamento seguiram 4,5 mil toneladas; para reciclagem 2,1 mil toneladas; para tratamento DESTINO ( t ) SADO 852,5 721,81 – CIFERAL externo 3,9 mil toneladas; e 810 toneladas, esses no Rio de Janeiro, foram destinados para aterro. ATERRADO 3.035,2 2.889,1 3.406,7 MARCOPOLO 2.096,63 595,92 – CIFERAL TRATAMENTO 5.950,4 3.677,9 8,3 MARCOPOLO EXTERNO 107,8 1,47 – CIFERAL 30 31
  • 17. DESEMPENHO ECONÔMICO RECEITA LÍQUIDA dos também são examinados pelo Conselho Fiscal e CONSOLIDADA por auditoria externa independente a cada trimestre. A receita líquida consolidada em 2011 de R$ 3.368,9 Os procedimentos operacionais, fiscais e financeiros milhões representou acréscimo de 13,6% sobre os são avaliados pela auditoria interna, que busca iden- R$ 2.964,5 milhões do exercício de 2010 e 66,5% tificar inconsistências e disseminar boas práticas de ante os R$ 2.023,8 milhões de 2009. As vendas para o controle a todas as áreas da Companhia. mercado interno geraram R$ 2.456,6 milhões, 18,1% A Diretoria Executiva é o órgão da governança res- superior aos R$ 2.079,7 milhões do exercício anterior ponsável por identificar riscos e oportunidades rele- e 77,6% sobre 2009. vantes à Companhia, propondo, com base no Plane- jamento Estratégico, as ações necessárias ao Comitê de Auditoria e Riscos e, posteriormente, ao Conselho EXPORTAÇÕES de Administração e implementando-as em caso de As exportações originadas no Brasil, somadas aos aprovação. negócios no Exterior, atingiram receita de R$ 912,3 milhões em 2011. O valor evoluiu 3,1% sobre os R$ 884,8 milhões do exercício anterior e 42,4% na PREVIDÊNCIA PRIVADA relação com 2009. A empresa é patrocinadora de um Plano Fechado de Previdência – MarcoPrev Sociedade de Previdência PROCEDIMENTOS E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO O Conselho de Administração avalia bimestralmen- Privada para colaboradores das unidades de Caxias do Sul. O Plano de Benefícios é custeado 100% pelo empregador e corresponde a 3,75% da folha de salá- 7 te, em reunião presencial, o desempenho econômico rios. Garante 40% do salário, incluindo-se neste valor da Companhia, reportado pela Diretoria. Os resulta- o benefício da previdência oficial. VALOR GERADO E DISTRIBUÍDO O valor econômico direto gerado e distribuído, incluindo receitas, custos operacionais, remuneração de em- pregados, doações e outros investimentos na comunidade, lucros acumulados e pagamentos para provedores7 de capital e governo é apresentado de maneira consolidada para as empresas Marcopolo, conforme abaixo: ÅREA 2011 2010 2009 Valor adicionado total a R$ 1.495.271 R$ 1.311.693 R$ 918.464 distribuir (em mil R$): Distribuição do Valor 18,31% governo 21,40% governo 20,01% governo Adicionado (DVA): 45,57% colaboradores 45,02% colaboradores 44,53% colaboradores 9,87% acionistas 10,27% acionistas 7,82% acionistas 13,11% terceiros 11,03% terceiros 20,59% terceiros 13,14% retido 12,28% retido 7,05% retidoDESEMPENHO A tabela de referência do Ibase (páginas 47, 48 e 49) apresenta outros indicadores sociais, econômicos e am- bientais consolidados.ECONÔMICO 33
  • 18. PERSPECTIVAS 2012 O mercado de atuação da Marcopolo apresenta perspectivas positivas em boa parte dos Deste modo, a despeito das antecipações de compras realizadas em países em que a Companhia opera. No Brasil, que atualmente representa mais de 70% 2011, em decorrência da entrada em vigor das normas de emissão Pro- da receita total da Marcopolo, os fundamentos da economia permitem assegurar a evo- conve-7 (equivalente ao EURO 5), o cenário ainda é favorável para o lução do PIB, ainda que não seja possível identificar com clareza os desdobramentos e setor de carrocerias de ônibus no país. impactos da crise na Zona do Euro. Existe, ainda, condições favoráveis de financiamento para bens de capi- A demanda por ônibus no Brasil deve continuar aquecida nos próximos anos. Os inves- tal por meio da linha FINAME do BNDES. timentos em infraestrutura urbana, com vistas a melhorar as condições de mobilidade No mercado externo, as perspectivas para 2012 também são positivas. urbana da população, vêm impulsionando a renovação da frota brasileira de ônibus, Contratos importantes de exportação a partir do Brasil estão sendo as- bem como a implementação de novas soluções para o transporte público. Os eventos sinados. Em relação às empresas controladas e coligadas, os destaques esportivos que o país sediará, dentre os quais a Copa das Confederações de 2013, a seguem sendo a joint venture na Índia, onde a expectativa reside no au- Copa do Mundo de Futebol de 2014, e os Jogos Olímpicos de 2016, são os principais mento da produção e no lançamento de novos modelos, e a Superpo- fomentadores desses investimentos. lo na Colômbia, onde o mercado segue aquecido. Ressalta-se, também, Em 2012, os fatores que devem sustentar a demanda por ônibus são: que a Marcopolo oficializou a aquisição de 75% da empresa australiana Volgren, que passa a ser consolidada a partir de 1º de fevereiro de 2012. • as eleições municipais de outubro (fato que geralmente gera renovação da frota urbana de ônibus); Conforme comunicado divulgado pela Companhia no dia 16 de dezem- bro de 2011, e revisado no dia 6 de agosto de 2012, as expectativas de • o início das entregas dos ônibus BRT’s; desempenho para 2012, mantidas as condições atuais de mercado e do • o leilão das concessões das linhas interestaduais e internacionais,7 7 desempenho econômico do país, são: investimentos programados no programados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) montante de R$ 220 milhões; atingir uma receita líquida consolidada para ocorrer até o final deste ano; de R$ 3,8 bilhões; e, produzir 32.500 ônibus nas unidades do Brasil e do • e o programa “Caminho da Escola”, do Governo Federal, cujo leilão de Exterior. 2011 foi prorrogado até julho de 2012. 35
  • 19. RESPONSABILIDADE SOCIAL A Companhia e seus colaboradores desenvolvem a responsabilidade social sob a coordena- ção da Fundação Marcopolo (em Caxias do Sul e em Duque de Caxias) por meio de diversos programas e projetos. A Fundação também realiza contribuições mensais para instituições da comunidade na área de saúde e educação, destacando-se o apoio ao serviço de Oncologia do Hospital Geral, em Caxias do Sul, que atende a pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde). Nas unidades fora do Brasil, ações específicas são realizadas de acordo com as necessidades identificadas junto à comunidade local, com especial atenção para demandas na área de saúde e educação. A Marcopolo, o Banco Moneo e a Ciferal (RJ) repassam 1% do Imposto de Renda Devido para o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente das cidades de Caxias do Sul (RS) e Duque de Caxias (RJ), onde as empresas estão instaladas. INFRAESTRUTURA A Fundação Marcopolo disponibiliza aos colaboradores e seus familiares Sedes Recreativas 8 (em Caxias do Sul e no Rio de Janeiro) com moderna infraestrutura para o desenvolvimento das atividades esportivas, culturais e artísticas. Entre as atividades de lazer destacam-se a Fes- ta Junina e Julina, bailes, passeios a pontos turísticos e culturais, eventos como o Entrevero Farroupilha e a tradicional Festa de Natal, além de diversas atividades esportivas e recreati- vas. As atividades desenvolvidas pela Fundação aos colaboradores extrapolam os limites das fábricas, promovendo a qualidade de vida, o bem-estar de cada profissional e seus familiares na sociedade.8DESEMPENHOSOCIAL 37
  • 20. SOCIAL ESPORTES ATIVIDADES ESPORTIVAS PROJETO RECRIA FAZENDO A Fundação Marcopolo acredita que a prática do espor- ARTE EDUCAÇÃO te é muito importante no dia a dia do colaborador. As A Marcopolo e a Fundação Marcopolo desenvolvem desde 2004, em parceria com o Conselho Municipal atividades esportivas aliam espírito de equipe, hábitos dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA) e a Fundação de Assistência Social (FAS), o Projeto saudáveis, competitividade, melhor qualidade de vida Recria Fazendo Arte Educação, que tem por objetivo oportunizar o acesso ao conhecimento e à prática das o que faz com que o trabalhador sinta-se mais motiva- manifestações artístico-culturais das crianças e adolescentes em situação de risco social e pessoal. Foram do e satisfeito. implementadas 32 oficinas de teatro, dança e música em 26 ONGs e criado o Centro de Cultura Popular Reolon, beneficiando mais de 4 mil pessoas na cidade de Caxias do Sul. Os campeonatos internos contam anualmente com a participação de milhares de colaboradores que dispu- tam Futsal Masculino e Feminino, Futebol 7, Futebol COMUNIDADE EDUCAÇÃO de Areia Veterano, Futevôlei, Bocha, Sinuca, Xadrez, Truco, Vaca Parada, Laço, Canastra e Pingue-Pongue. UM DIA FELIZ PROJETO ESCOLAS Nos campeonatos realizados pelo SESI - Serviço Social Evento que acontece anualmente para cerca de 1,5 Desenvolvido desde o ano de 2002 junto a escolas da Indústria, a Fundação Marcopolo se faz presente há mil crianças das instituições assistidas pelo Grupo da comunidade, este projeto visa a melhoria do am- mais de duas décadas, participando da maioria das mo- de Voluntários da Marcopolo, em comemoração ao biente educacional, a fim de contribuir para a for- dalidades, obtendo destaque no âmbito mundial. Dia da Criança. Tem como objetivo proporcionar às mação dos cidadãos. O projeto já atendeu a diversas crianças e aos adolescentes uma tarde diferente do escolas do município de Caxias do Sul, totalizando ESCOLINHA DE FUTEBOL8 6 seu cotidiano. Com o apoio de voluntários da em- cerca de 5.000 beneficiados. A cada dois anos, a Fun- presa e parceiros institucionais, são realizadas ativi- dação faz a seleção da escola onde o projeto será de- (FILHOS COLABORADORES) dades culturais e recreativas, além da distribuição de senvolvido. As atividades são definidas juntamente As escolinhas de futebol e futsal atendem a crianças lanches. com a escola, destacam-se as oficinas de organização de seis a 14 anos, filhos de colaboradores da empresa. e limpeza, qualidade de vida, prevenção ao uso de Por meio da prática do esporte, como instrumento ca- drogas, motivação de professores, teatro e outros. paz de gerar mudanças positivas no desenvolvimento PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS Para 2012 o projeto será estendido à comunidade de destes jovens, enfatiza a disciplina, o relacionamento Esse programa consiste na realização de atividades Duque de Caxias, onde está localizada a Ciferal. interpessoal e o bom desempenho escolar. sócio-educativas, oficinas profissionalizantes e refor- mas de instalações físicas, realizadas pelos colabo- radores da Marcopolo em instituições selecionadas PROJETO TODOS NA ESCOLA junto à comunidade. Esse projeto estimula os pais a matricularem seus CULTURA A Fundação Marcopolo apoia o programa com recur- filhos de seis a 18 anos em instituições de ensino sos para a realização das atividades e suporte aos vo- e acompanharem o rendimento escolar. Os alunos luntários (alimentação, transporte, seleção das insti- matriculados recebem kits escolares com cadernos CENTRO DE TRADIÇÕES GAÚCHAS MARCO DA TRADIÇÃO Fundado em 1986 com o lema “Laços de União e Lealdade”, tem como objetivo preservar as tuições, capacitação para atuação como voluntário). especialmente produzidos para eles. tradições gaúchas. Cerca de 100 pessoas participam das invernadas pré-mirim, mirim, juve- nil, adulta e veterana. O CTG Marco da Tradição também conta com o Piquete de Laçadores. CORAL INFANTIL Oportuniza aos filhos dos colaboradores com idades entre sete e 12 anos, a participação em atividades artísticas, proporcionando desenvolvimento cognitivo, afetivo e motor. GRUPO DE TEATRO O Grupo de Teatro, formado por participantes de diversos setores da empresa, por meio des- ta arte leva cultura e conhecimento aos colaboradores e familiares. Em suas apresentações o grupo incentiva ações sociais através da arrecadação de donativos que são encaminhados as instituições assistenciais. 39
  • 21. EDUCAÇÃO E TREINAMENTO Os programas de treinamento envolvem colaboradores das áreas operacionais, ad- De 2009 a 2011, a organização investiu 563.060 horas em treina- ministrativas e técnicas. No Brasil, os colaboradores interessados têm a oportuni- mento e desenvolvimento dos colaboradores das unidades fabris de dade de participar de cursos abertos fora do horário de expediente como forma de Caxias do Sul (RS) e de Duque de Caxias (RJ). As atividades envol- oportunizar acesso a novas funções. veram em média 10.488 participantes por ano, sendo que 79,7% dos treinandos atuam em setores operacionais da companhia. No O Programa de Incentivo à Educação oferece bolsas de estudo para as diversas mo- período de três anos cada trabalhador recebeu em média 53,68 ho- dalidades de ensino regular e aprendizagem de outros idiomas. ras de treinamento. A Escola de Formação Profissional Marcopolo (EFPM), que completou 21 anos em Todo novo empregado inicia sua trajetória na empresa com o Pro- 2011, mantém cursos de aprendizagem industrial para jovens, incluindo aqueles em grama de Integração. Nos últimos três anos, a companhia dedicou situação de vulnerabilidade social. A eles são ofertados benefícios, primeiro emprego 76.857 horas para esta ação. Do total, 73,9% dessas horas foram remunerado e acesso ao plano de carreira da empresa. Nestas mais de duas décadas, realizadas nas unidades de Caxias do Sul e o restante na Ciferal. a escola formou 727 alunos, sendo que 75% atuam na Companhia. Mantém con- vênio com o serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI - para suporte Este programa envolveu 8.282 empregados, sendo 63,5% deles de- pedagógico e certificação desde o início de suas atividades, além de parceria com dicados às plantas da Marcopolo e Volare, em Caxias do Sul. To- a Fundação de Assistência Social - FAS - para inclusão de jovens que participam da mando por base o número médio de trabalhadores empregados em Recria (Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente de Caxias do Sul). cada ano, que chegou a 10.938 nas unidades brasileiras em 2011, a média anual de participantes nas horas de integração foi de 26% Atualmente, a EFPM tem quatro unidades no Brasil e uma na África do Sul, junto em relação ao quadro funcional. à coligada MASA. As unidades brasileiras atendem 170 jovens nos programas de Aprendizagem como forma de promover sustentabilidade junto às comunidades8 8 onde a empresa está inserida. MARCOPOLO 2009, 2010 E 2011 As coligadas da Marcopolo no Exterior mantêm cursos de Aprendizagem para jovens de acordo com a regulamentação vigente, promovendo a inclusão no quadro de ÅREA Nº TOTAL DE Nº HORAS DE Nº MÉDIA/HORA FUNCIONÁRIOS TREINADOS TREINAMENTO POR FUNCIONÁRIO empregados efetivos sempre que possível. Diretor Corporativo, Diretor Em 2011 também foram oportunizados programas especiais de treinamento para Executivo, Gerentes e 34 3.004 88,35 mulheres das comunidades, que puderam concorrer de forma diferenciada a vagas Assessores oferecidas na Companhia. Coordenadores e Equivalentes 42 6.068 145,63 Na unidade da EFPM do Bairro Reolon, em Caxias do Sul, teve continuidade o pro- Supervisores e Equivalentes 234 36.755 157,52 grama de capacitação para mais 25 pessoas portadoras de necessidades especiais, que Técnicos 617 42.274 68,48 passaram a integrar o quadro de profissionais da empresa. Administrativo e Auxiliares 827 80.607 97,43 Operacional 6.367 370.560 58,20 CIFERAL 2009, 2010 E 2011 ÅREA Nº TOTAL DE Nº HORAS DE Nº MÉDIA/HORA FUNCIONÁRIOS TREINADOS TREINAMENTO POR FUNCIONÁRIO Diretor Corporativo, Diretor Executivo, Gerentes e ------- ------- ------- Assessores Coordenadores e Equivalentes 5 528 105,60 Supervisores e Equivalentes 37 828 22,58 Técnicos 114 1.188 10,42 Administrativo e Auxiliares 219 1.409 6,43 Operacional 1.993 19.839 9,96 41
  • 22. PRÁTICAS TRABALHISTAS POSTOS DE TRABALHO TOTAL DE TRABALHADORES As unidades da Marcopolo em Caxias 8.719 8.449 SATISFAÇÃO do Sul (RS) e Ciferal (RJ) encerraram o Marcopolo 7.032 exercício de 2011 com total de 11.665 DOS COLABORADORES Ciferal colaboradores com contrato de traba- A satisfação dos colaboradores da Companhia é medida por meio da Pesquisa Interna de Clima Organiza- lho por prazo indeterminado, cresci- cional, aplicada a cada dois anos. A última pesquisa, realizada em outubro de 2011, gerou média geral de mento de 6% sobre os 10.990 do ano satisfação de 75% nas unidades em Caxias do Sul (RS) e 72% na Ciferal (RJ). anterior e de 35% na comparação com A partir dos dados coletados, um conjunto de ações de melhorias foi definido junto à diretoria para imple- 2009. As unidades gaúchas concentram 2.545 1.604 2.946 mentação nos anos de 2012 e 2013. A execução tem acompanhamento periódico de sua evolução em todas 75% do quadro funcional. as áreas. 2009 2010 2011 REMUNERAÇÃO E PLANO DE OUTORGA TAXA DE ROTATIVIDADE DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES Em 2011, houve o registro de 2.508 desligamentos nas unidades da Marcopolo em Caxias do Sul (RS) e Ciferal A remuneração dos colaboradores é composta de uma parte fixa, vinculada às competências e habilidades, e (RJ). Em 2010 foram 2.016 e, em 2009, 1.755. A participação de colaboradores masculinos nos desligamentos de outra variável, resultante do cumprimento das metas do Programa de Participação nos Resultados. Pesqui- é de 90%. sas salariais são realizadas periodicamente com o fim de avaliar se os valores pagos aos colaboradores estão A maioria dos desligamentos envolve colaboradores com menos de 30 anos, que representam 68% do total dentro dos padrões regionais, permitindo à empresa manter a competitividade no mercado de trabalho. na Marcopolo, e 63% na Ciferal. Colaboradores com 30 a 50 anos respondem por 29% dos desligamentos na A Companhia possui um Plano de Opção de Compra de Ações, cujos participantes são os executivos da Mar- Marcopolo e 33,5% na Ciferal. A diferença, 3% na Marcopolo, e 3,5% na Ciferal, é de trabalhadores com mais de 50 anos.8 8 copolo e de suas controladas (exceto os diretores controladores), que tem como principais objetivos: alinhar os interesses dos participantes aos dos acionistas; comprometer os participantes com os resultados de curto, médio e longo prazos da empresa; incentivar e estimular o sentimento de propriedade; e atrair e reter talentos. DESLIGAMENTOS POR GÊNERO 1.585 O Plano é monitorado pelo Comitê de RH e Ética, e aprovado pelo Conselho de Administração. Marcopolo - masculino 1.273 1.248 Marcopolo - feminino 664 566 Ciferal - masculino 340 Ciferal - feminino 184 232 132 10 18 27 2009 2010 2011 DESLIGAMENTOS POR FAIXA ETÁRIA 1.236 menor que 30 anos 959 entre 30 e 50 anos 866 maior que 50 anos 532 491 321 431 321 222 232 185 144 48 42 41 49 21 22 Marcopolo Ciferal Marcopolo Ciferal Marcopolo Ciferal 2009 2009 2010 2010 2011 2011 43
  • 23. TURNOVER POR GÊNERO ACORDOS COLETIVOS O turnover dos últimos três anos, dentre os trabalhadores masculinos, girou de 1,33% a 1,55% na Marcopolo Os acordos coletivos de trabalho atingiram 100% dos co- e de 1,8% a 2,19% na Ciferal. Dentre as mulheres o indicador cai de forma sensível: de 0,16% a 0,23% na laboradores. Marcopolo e de 0,05 a 0,09 na Ciferal. SAÚDE E SEGURANÇA 2,19 DO TRABALHO 2,10 Além de atender à legislação referente à saúde e segurança 1,80 no trabalho, a Marcopolo desenvolve ações específicas jun- 1,55 Marcopolo - masculino to aos colaboradores para fortalecer e qualificar a atitude de 1,55 1,33 prevenção visando a redução dos acidentes e das doenças Marcopolo - feminino ocupacionais. Ciferal - masculino Ciferal - feminino MARCOPOLO 0,20 0,23 0,16 2009 2010 2011 0,05 0,07 0,09 Absenteísmo Saúde 1,93% 2,05% 2,30% 2009 2010 2011 Taxa de frequência 2,19 2,46 2,90 Taxa de doenças ocupacionais 0,03 0,09 0,078 8 Taxa de dias perdidos 22,80 100,69 100,44 Número de óbitos 0 0 0 CIFERAL* 2009 2010 2011 Absenteísmo Saúde - 2,28% 3,05% Taxa de frequência - 8,54 3,08 Taxa de doenças ocupacionais - 0 0,01 Taxa de dias perdidos - 53,48 13,77 Número de óbitos - 0 0 *Os indicadores da Ciferal passaram a ser registrados neste modelo a partir de 2010. DESENVOLVIMENTO DE CARREIRA* O processo de desenvolvimento de ANO 2009 2010 2011 carreira evoluiu muito nos últimos Marcopolo 7.032 8.449 8.719 três anos nas unidades da Marcopolo. Em 2011, em Caxias do Sul (RS), 81% Ciferal 1.064 2.541 2.946 dos 8.719 colaboradores passaram % Aval. Marcopolo 36,19 58,59 80,98 por avaliação. Na Ciferal, o índice foi % Aval. Ciferal 19,58 27,33 27,83 de 28%. *O programa de Avaliação de Competências e Habilidades para o Plano de Carreira ainda está em fase de implementação na Ciferal. 45
  • 24. INTEGRAÇÃO COLABORADORES ANO 2009 ANO 2010 Nos últimos três anos a Companhia dedicou 76.857 horas para a integração de novos trabalhadores que par- MARCOPOLO MARCOPOLO ticiparam dos programas para ingresso na empresa. RS 71,80% 618.572.434 RS 70,33% 896.834.538 MARCOPOLO Fora do Estado 20,80% 181.464.458 Fora do Estado 25,40% 323.986.422 HORAS DE INTEGRAÇÃO 2009 2010 2011 Exterior 7,32% 36.331.817 Exterior 4,27% 54.367.049 Nº Total de Horas de Integração 7.001 23.287 26.496 Total 2011 872.700.526 Total 2011 1.275.188.009 Nº Médio de Empregados no ano 6.108 7.812 8.487 CIFERAL CIFERAL Nº Total de Empregados treinados na Integração 762 2.754 1.745 RJ 29,94% 60.614.269 RJ 30,63% 103.955.770 % de Empregados treinados na Integração 12% 35% 20% Fora do Estado 70,03% 141.779.682 Fora do Estado 69,30% 235.361.340 Exterior 0,03% 46.661 Exterior 0,07% 76.436 CIFERAL Total 2011 202.440.612 Total 2011 339.393.546 HORAS DE INTEGRAÇÃO 2009 2010 2011 Nº Total de Horas de Integração 3.280 12.160 4.632 Nº Médio de Empregados no ano 1.574 2.155 2.451 Nº Total de Empregados treinados na Integração 410 1.520 1.091 ANO 2011 % de Empregados treinados na Integração 26% 71% 44% MARCOPOLO CIFERAL RS 70,46% 1.020.043.579 RJ 31,06% 121.884.862 PROCESSO DE COMPRAS Fora do Estado 26,55% 384.280.249 Fora do Estado 68,50% 268.831.0868 O valor total investido em compras de produtos e serviços pelas unidades da Marcopolo, em Caxias do Sul no RS e da Ciferal no RJ, somou mais de R$ 1,8 bilhão em 2011. Na comparação com o ano anterior, o crescimento foi de 11%; sobre 2009, superou 73%. Exterior Total 2011 2,99% 43.235.647 1.447.559.475 Exterior Total 2011 0,44% 1.657.890 392.373.838 8 A política da Marcopolo é trabalhar com fornecedores localizados próximos de suas unidades. É o caso das fábricas de Caxias do Sul, que adquirem média de 75% no Rio Grande do Sul. A situação se repete em São Paulo, aonde chega a 86%. Na Ciferal, a realidade é outra pela falta de fornecedores qualificados próximos à unidade. No Rio de Janeiro TABELA DE REFERÊNCIA IBASE RESULTADOS CONSOLIDADOS concentram-se apenas 31% das compras. Em todas as unidades, a diferença é adquirida em outros estados. A importação de materiais só ocorre em casos específicos, que levam em consideração a falta de conteúdos locais ou 1 - BASE DE CÁLCULO 2011 VALOR (MIL REAIS) 2010 VALOR (MIL REAIS) custos muitos superiores aos preços internacionais. Em 2011, menos de 5% dos produtos usados nas carrocerias foram Receita líquida (RL) 3.368.876 2.964.499 adquiridos no Exterior, índice que vem em declínio nos últimos anos. Resultado operacional (RO) 495.960 441.957 A companhia trabalha com 3.355 fornecedores, divididos dentre curvas A, B e C. A maioria, 87%, integra a curva C. Folha de pagamento bruta (FPB) 496.586 421.230 Para acompanhar a qualidade dos produtos e as práticas adotadas pelos fornecedores em relação aos direitos humanos, 2 - INDICADORES SOCIAIS INTERNOS VALOR (MIL) % SOBRE FPB % SOBRE RL VALOR (MIL) % SOBRE FPB % SOBRE RL a Marcopolo mantém um programa de auditagem. Nos últimos três anos, a empresa auditou 79 fornecedores. Alimentação 23.466 4,73% 0,70% 18.352 4,36% 0,62% Encargos sociais compulsórios 138.903 27,97% 4,12% 110.118 26,14% 3,71% Previdência privada 10.420 2,10% 0,31% 7.715 1,83% 0,26% Saúde 27.057 5,45% 0,80% 21.961 5,21% 0,74% Segurança no trabalho 12.747 2,57% 0,38% 9.752 2,32% 0,33% Educação 1.114 0,22% 0,03% 820 0,19% 0,03% Cultura 453 0,09% 0,01% 377 0,09% 0,01% Capacitação e desenvolvimento profissional 3.165 0,64% 0,09% 15.334 3,64% 0,52% Creches ou auxílio-creche 474 0,10% 0,01% 117 0,03% 0,00% Outros 22.106 4,45% 0,66% 20.961 4,98% 0,71% Total - Indicadores sociais internos 239.905 48,31% 7,12% 205.507 48,79% 6,93% 46 47
  • 25. 3 - INDICADORES SOCIAIS EXTERNOS VALOR (MIL) % SOBRE RO % SOBRE RL VALOR (MIL) % SOBRE RO % SOBRE RL Educação 119 0,02% 0,00% 334 0,08% 0,01% Cultura 3 0,00% 0,00% 87 0,02% 0,00% Saúde e saneamento 143 0,03% 0,00% 161 0,04% 0,01% Esporte 13 0,00% 0,00% 75 0,02% 0,00% Combate à fome e segurança alimentar 17 0,00% 0,00% 0 0,00% 0,00% Outros 205 0,04% 0,01% 2.360 0,53% 0,08% Total das contribuições para a sociedade 500 0,10% 0,01% 3.017 0,68% 0,10% Tributos (excluídos encargos sociais) 237.479 47,88% 7,05% 127.427 28,83% 4,30% Total - Indicadores sociais externos 237.979 47,98% 7,06% 130.444 29,52% 4,40% 4 - INDICADORES AMBIENTAIS VALOR (MIL) % SOBRE RO % SOBRE RL VALOR (MIL) % SOBRE RO % SOBRE RL Investimentos relacionados com a 6.780 1,37% 0,20% 7.210 1,63% 0,24% produção/ operação da empresa Investimentos em programas e/ou 6 - INFORMAÇÕES RELEVANTES QUANTO AO 0 0,00% 0,00% 0 0,00% 0,00% 2011 VALOR (MIL REAIS) METAS 2012 projetos externos EXERCÍCIO DA CIDADANIA EMPRESARIAL Total dos investimentos em meio Relação entre a maior e a menor 6.780 1,37% 0,20% 7.210 1,63% 0,24% 41 40,9 remuneração na empresa ambiente Número total de acidentes de trabalho 994 950 Quanto ao estabelecimento de “metas anuais” para minimizar ( ) não possui metas ( ) não possui metas resíduos, o consumo em geral na produção/operação e aumentar a ( ) cumpre de 51 a 75% ( ) cumpre de 51 a 75% Os projetos sociais e ambientais desen- ( ) todos(as) ( ) todos(as)8 8 volvidos pela empresa foram definidos ( ) direção ( ) direção eficácia na utilização de recursos naturais, a empresa ( ) cumpre de 0 a 50% ( ) cumpre de 0 a 50% ( ) direção emprega- ( ) direção emprega- por: e gerências e gerências ( ) cumpre de 76 a 100% ( ) cumpre de 76 a 100% dos(as) dos(as) 5 - INDICADORES DO CORPO FUNCIONAL 2011 2010 Os pradrões de segurança e salubri- ( ) todos(as) ( ) ( ) ( ) todos(as) ( ) dade no ambiente de trabalho foram ( ) direção emprega- todos(as) direção e emprega- todos(as) Nº de empregados(as) ao final do período 17.231 16.079 e gerências definidos por: dos(as) + Cipa gerências dos(as) + Cipa Nº de admissões durante o período 6.095 7.209 Quanto à liberdade sindical, ao direito ( ) incentiva Nº de empregados(as) terceirizados(as) 1.855 2.058 ( ) segue ( ) incentiva ( ) segue de negociação coletiva e à represen- ( ) não se ( ) não se as normas e segue a as normas e segue a tação interna dos(as) trabalhadores(as), envolve envolve Nº de estagiários(as) 1.157 830 da OIT OIT da OIT OIT a empresa: Nº de empregados(as) acima de 45 anos 2.054 1.769 A previdência privada contempla: ( ) todos(as) ( ) todos(as) ( ) direção ( ) direção Nº de mulheres que trabalham na empresa 1.967 1.680 ( ) direção emprega- ( ) direção emprega- e gerências e gerências dos(as) dos(as) % de cargos de chefia ocupados por mulheres 4,78% 4,60% A participação dos lucros ou resultados ( ) todos(as) ( ) todos(as) Nº de negros(as) que trabalham na empresa 746 463 ( ) direção ( ) direção contempla: ( ) direção emprega- ( ) direção emprega- e gerências e gerências % de cargos de chefia ocupados por negros(as) 1,25% 1,15% dos(as) dos(as) Nº de pessoas com deficiência ou necessidades especiais 380 334 Na seleção dos fornecedores, os mesmos ( ) não são ( ) não ( ) são ( ) são ( ) são ( ) são padrões éticos e de responsabilidade social considera- são con- sugeridos exigidos sugeridos exigidos e ambiental adotados pela empresa: dos siderados Quanto à participação de ( ) empregados(as) em programas de ( ) não se ( ) organiza ( ) não se ( ) apóia ( ) apóia organiza e trabalho voluntário, a empresa: envolve e incentiva envolve incentiva Número total de reclamações e críticas na na empresa no Procon na Justiça no Procon na Justiça de consumidores(as): empresa 2944 01 16 00 10 1.472 % de reclamações e críticas atendidas na no Procon % na Justiça % na empresa no Procon na Justiça ou solucionadas: empresa % 100% 56,2% 100% 100% 100% 100% Valor adicionado e distribuído ver pág 33 7 - OUTRAS INFORMAÇÕES Os dados contemplados na tabela consolidam os resultados das empresas Marcopolo no Brasil e exterior. Responsável pelas informações prestadas: Ademar Baroni - ademar.baroni@marcopolo.com.br (54) 2101.4604. 48 49
  • 26. INDICADOR DESCRIÇÃO PÁG ESTRATÉGIA E ANÁLISE Mensagem da Diretoria 4e5 PERFIL ORGANIZACIONAL Nome da organização 8e9 Principais marcas, produtos e/ou serviços 9, 11 e 12 Estrutura operacional 29 Localização da sede 55 Número de países em que a organização opera 11 Tipo e natureza jurídica 9 Mercados atendidos 11 Porte da organização 9 Prêmios recebidos 14 e 15 PARÂMETROS PARA O RELATÓRIO Período coberto pelo relatório 5e7 Ciclo de emissões de relatórios 7 Dados para contato em caso de perguntas 55 Processo para a definição do conteúdo do relatório 5e7 Limite do relatório 5e7 Limitações quanto ao escopo ou ao limite do relatório 5e7 Joint ventures, subsidiárias, instalações arrendadas, operações terceirizadas e outras organizações Técnicas de medição de dados e as bases de cálculo 11 7 9 Tabela que identifica a localização das informações no relatório 50 a 53 GOVERNANÇA, COMPROMISSOS E ENGAJAMENTO Estrutura da governança 16 e 20 Número de membros independentes ou não executivos 18 e 19 do mais alto órgão da governança Mecanismos para que acionistas e empregados façam 23 e 249 recomendações ou deem orientações ao mais alto órgão de governança Relação entre remuneração para membros do mais alto órgão de 20 governança e o desempenho da organização Processo em vigor no mais alto órgão de governança 20 para assegurar que conflitos de interesse sejam evitados Processo para determinação das qualificações e conhecimento 17 dos membros do mais alto órgão de governança para definir a estratégia da organização para questões relacionadas a temas econômicos, ambientais e sociais Declarações de missão e valores, códigos de conduta e princípios internos 10 e 21 Procedimentos do mais alto órgão de governança para supervisionar a 20 e 21GLOSSÁRIO identificação e gestão do desempenho econômico, ambiental e social Autoavaliação do desempenho do mais alto órgão de governança 10 e 20 51
  • 27. INDICADOR DESCRIÇÃO PÁG INDICADOR DESCRIÇÃO PÁG COMPROMISSOS COM INICIATIVAS EXTERNAS INDICADORES SOCIAIS REFERENTES A DIREITOS HUMANOS Explicação de como a organização aplica o princípio da precaução 17 e 20 Formas de gestão 46 ENGAJAMENTO COM OS STAKEHOLDERS Empresas contratadas e fornecedores críticos que foram submetidos a 46 HR2 avaliações referentes a direitos humanos e as medidas tomadas Relação de grupos de stakeholders engajados pela organização nada a declarar Total de horas de treinamento de empregados em políticas de procedimen- 46 Base para a identificação e seleção de stakeholders com os quais se engajar nada a declarar HR3 tos relativos aos aspectos de direitos humanos relevantes para as opera- Abordagens para o engajamento dos stakeholders nada a declarar ções, incluindo o percentual de empregados que receberam o treinamento Principais temas e preocupações que foram levantados por nada a declarar HR4 Número de casos de discriminação e medidas tomadas zero casos meio do engajamento dos stakeholders Operações identificadas em que o direito de exercer a liberdade de asso- zero casos HR5 ciação e a negociação coletiva pode estar correndo risco significativo e as medidas tomadas para apoiar esse direito ÍNDICE GRI Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência de zero casos INDICADORES DE DESEMPENHO ECONÔMICO HR6 trabalho infantil e as medidas tomadas para contribuir para a abolição do Formas de gestão 32 a 35 e 47 a 49 trabalho infantil EC1 Valor econômico direto gerado e distribuído 33 Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência de tra- zero casos EC2 Cobertura das Obrigações do Plano de pensão de benefício não disponível HR7 balho forçado ou análogo ao escravo e as medidas tomadas para contribuir para a erradicação do trabalho forçado ou análogo ao escravo EC3 Cobertura das Obrigações do Plano de pensão de benefício 33 Percentual do pessoal de segurança submetido a treinamento nas políticas 100% Desenvolvimento e impacto de investimentos em infraestrutura e serviços ofere- não disponível EC8 HR8 e procedimentos da organização relativos a aspectos de direitos humanos cidos, principalmente para benefício público que sejam relevantes às operações Identificação e descrição de impactos econômicos indiretos significativos, não disponível EC9 Número total de casos de violação de direitos dos povos indígenas e medi- não se aplica9 9 Incluindo a extensão dos impactos HR9 das tomadas INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL INDICADORES SOCIAIS REFERENTES A SOCIEDADE Formas de gestão 26 a 31 Formas de gestão 37 EN1 Materiais usados por peso ou volume 28 Programas e práticas para avaliar e gerir os impactos das operações nas 36 a 39 EN5 Energia economizada devido a melhorias em conservação e eficiência 29 SO1 comunidades EN7 Iniciativas para reduzir o consumo de energia indireta e as reduções obtidas não disponível SO4 Medidas tomadas em resposta a casos de corrupção não houve casos EN8 Total de retirada de água por fonte 29 Valor total de contribuições financeiras e em espécie para partidos políti- não existe uma SO6 EN21 Descarte total de água, por qualidade e destinação 30 cos política EN22 Peso total de resíduos, por tipo e método de disposição 31 SO7 Número de ações judiciais por concorrência desleal nada a declarar EN23 Número e volume total de derramamentos significativos 30 SO8 Descrição de multas significativas e número total de sanções não monetárias nada a declarar Peso dos resíduos transportados, importados, exportados ou tratados considera- 30 INDICADORES SOCIAIS REFERENTES A RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO EN24 dos perigosos nos termos da Convenção da Basiléia Formas de gestão 31 Iniciativas para mitigar os impactos ambientais de produtos e serviços e a exten- 31 EN26 Política para preservar a saúde e segurança do consumidor durante o uso 31 são da redução desses impactos PR1 do produto Valor monetário de multas significativas e número total de sanções 31 EN28 não monetárias resultantes da não conformidade com leis e regulamentos ambien- Não conformidades relacionadas aos impactos causados por produtos e nada a declarar PR2 tais serviços EN30 Total de investimentos e gastos em proteção ambiental, por tipo 31 PR4 Não conformidades relacionadas à rotulagem de produtos e serviços nada a declarar INDICADORES SOCIAIS REFERENTES A PRÁTICAS TRABALHISTAS E TRABALHO DECENTE Casos de não conformidades relacionadas à comunicação de produtos e nada a declarar PR7 Formas de gestão 40 a 45 serviços LA1 Total de trabalhadores, por tipo de emprego, contrato de trabalho e região 43 PR8 Reclamações comprovadas relativas à violação da privacidade de clientes nada a declarar LA2 Número total e taxa de rotatividade de empregados, por faixa etária, gênero e região 43 Multas por não conformidades relacionadas ao fornecimento e uso de nada a declarar PR9 LA4 Percentual de empregados abrangidos por acordos de negociação coletiva 45 produtos e serviços Taxas de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos, absenteísmo e óbitos relaciona- 45 LA7 dos ao trabalho, por região Temas relativos à segurança e saúde cobertos por acordos formais com sindicatos os acordos não tem LA9 gerado demanda Média de horas de treinamento por ano, por funcionário, discriminadas por categoria 41 LA10 funcional Percentual de empregados que recebem regularmente análises de desempenho e de 45 LA12 desenvolvimento de carreira 52 53
  • 28. ENDEREÇO DE CONTATO MARCOPOLO – UNIDADE ANA RECH Av. Rio Branco, 4889 – Bairro Ana Rech 95.060-650 – Caxias do Sul – RS – Brasil Telefone: (+55) 54 2101.4000 Canal Aberto – www.marcopolo.com.br RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE MARCOPOLO 2011 REALIZAÇÃO Departamento de Comunicação Interna DIRETOR GERAL José Rubens de la Rosa COMITÊ DE SUSTENTABILIDADE Eliana Zanol de Oliveira – Engenharia Ambiental Irina Eberhardt – Recursos Humanos Thiago Arrue Deiro – Relações com Investidores PRODUÇÃO E EDIÇÃO 10 Adriana Silva Comunicação & Conteúdo PROJETO GRÁFICO Cyclop Propaganda + Design IMPRESSÃO Cromo Gráfica e Editora Ltda10 500 exemplares - agosto/2012 FOTOGRAFIA Maryo José Piardi Franzem Julio Soares/Objetiva Arquivo Marcopolo CONTATO ri@marcopolo.com.br recursoshumanos@marcopolo.com.br DISTRIBUIÇÃO GRATUITAINFORMAÇÕES Agradecemos a todos os profissionais das empresas Marcopolo que contribuíram para a elaboração deste relatório.CORPORATIVAS Esta publicação é de responsabilidade da Marcopolo S.A. 55
  • 29. www.marcopolo.com.br OnibusMarcopolo

×