Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha
1ª Edição: junho/2011
Transcrição:
Stephanie Zanandrais
Copidesque:
Nicibel S...
5
Introdução
A Palavra de Deus é a verdade. Ela é o nosso ma-
nual, que nos direciona para vivermos conforme a
vontade de ...
6
Qual conhecimento? O conhecimento da Palavra de
Deus. Muitas coisas ruins podem acontecer na nos-
sa vida por conta da f...
7
o Espírito Santo ministre a poderosa Palavra do Se-
nhor ao seu coração por meio desta leitura:
“Pai, esta é a tua bendi...
8
9
Entrando no
barco
Em Mateus capítulo 14, versos 10 ao 13, lemos:
“E deu ordens e decapitou João no cárcere. Foi trazi-
d...
10
idealizam como uma pessoa estranha, um homem
bizarro. Bem sabemos que ele usava roupas e pos-
suía uma dieta diferencia...
11
aos discípulos, e estes, às multidões. Todos comeram
e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolhe-
ram ainda doze...
12
bos para o barco, cessou o vento. E os que estavam no
barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho
de Deus! Entã...
13
No Jardim do Getsêmani, Ele buscou companhia
e pediu aos seus discípulos para estarem com Ele.
Jesus queria que seus di...
14
trouxessem o que tinham: “[...] tomando os cinco
pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os
abençoou. Depois, ...
15
instante em que Ele não esteja olhando para você.
Absolutamente, nada é oculto a Ele. Não há sequer
uma lágrima que voc...
16
17
O lugar da
crise
Jesus insistiu com seus discípulos para que em-
barcassem e passassem adiante dele para o outro
lado, ...
18
sua alma ao Senhor, “entretanto, o barco já estava
longe a muitos estádios da terra, açoitado pelas on-
das; porque o v...
19
curso. Quando Jesus disse aos discípulos que atra-
vessassem o mar, a tempestade ainda não havia co-
meçado. No entanto...
20
as horas do dia”? Das seis horas da manhã até as
dezoito horas, são dozes horas. Mas a noite era di-
vidida em quatro v...
21
nada, que nenhuma tribulação, nenhum proble-
ma é maior do que Ele. “Acima de todo principado, e
potestade, e poder, e ...
22
discernir que se tratava de Jesus, por isso ficaram
aterrorizados, com medo. E o medo cega as pesso-
as, quando alguém ...
23
sua história. E somente Ele sabe o que lhe espera do
outro lado. Quem sabe aquele esposo, ou esposa,
tementes ao Senhor...
24
25
Não temas,
coragem!
A fé não é algo subjetivo. Fé é ação, é orar mais
ação. É algo que você faz quando você entra no ba...
26
destino. Porque Ele não frustra os nossos sonhos,
mas ao contrário, Ele diz: “Não temas, coragem”.
“Tende bom ânimo, co...
27
solidão, a depressão, as enfermidades, o desempre-
go... Quando você pensa em desistir Ele diz: “Não
temais, nem vos at...
28
capacitá-lo a terminar o que começou. No entanto,
quando a pessoa se entrega ao desalento, ela vive
dizendo que não vai...
29
çará as vitórias que o Senhor tem para ela. Escolha
viver com coragem, cheio de alento “sê forte e cora-
joso, não tema...
30
31
Lance fora o
medo
No Salmo 34, verso 4, encontramos algo tão ma-
ravilhoso, veja: “Busquei o Senhor, e ele me acolheu;
...
32
23 muitas vezes. E deitado ali naquela maca, dizia:
“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Ele me
fazrepousarempast...
33
tribulações. Portanto, não temeremos ainda que a
terra se transtorne e os montes se abalem nos seios
do mares; ainda qu...
34
seus (2 Timóteo 2.19). Esta é a realidade que traz o
alento ao nosso coração.
Em Isaías, capítulo 41, versos 13 e 14 es...
35
Andando
sobre as
águas
Mateus, capítulo 14, versos 27 ao 29 diz: “Mas
Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo!
...
36
me ir ter contigo, por sobre as águas”. Pedro deixou
a sua zona de conforto, que era aquele barco, e co-
meçou a andar ...
37
e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor”!
(verso 30.) O medo faz com que afundemos, o
medo abre, muitas veze...
38
para o seu casamento acabar, esperam ansiosos
para sua empresa fechar. Mas é tão diferente com
Jesus, pois Ele não nos ...
39
Considerações
finais
Nós aprendemos por meio desta mensagem
que o lugar mais perigoso para viver é no meio,
quando você...
40
afundar, mas Jesus olha para você e diz: “Não temas,
coragem”. E quando você está no centro da vonta-
de de Deus, tudo ...
41
tolo Paulo, declare que você “tudo pode naquele que
te fortalece”. (Filipenses 4.13.) Se o Senhor o man-
dou ir para o ...
42
43
44
45
JESUS TE
AMA E QUER
VOCÊ!
1º PASSO: Deus o ama e tem um plano
maravilhosoparasuavida. “PorqueDeusamou
omundodetalmaneir...
46
2º PASSO: O Homem é pecador e está
separado de Deus. “Pois todos pecaram e ca-
recem da glória de Deus.“ (Rm 3.23b.)
3º...
47
de decisão em voz alta: “Senhor Jesus eu pre-
ciso de Ti, confesso-te o meu pecado de estar
longe dos teus caminhos. Ab...
48
Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha
Gerência de Comunicação
Rua Manoel Macedo, 360 - São Cristóvão
CEP: 31110-...
Marcio valadão   n°193 coragem para seguir em frente
Marcio valadão   n°193 coragem para seguir em frente
Marcio valadão   n°193 coragem para seguir em frente
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Marcio valadão n°193 coragem para seguir em frente

165

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
165
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Marcio valadão n°193 coragem para seguir em frente

  1. 1. Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha 1ª Edição: junho/2011 Transcrição: Stephanie Zanandrais Copidesque: Nicibel Silva Revisão: Adriana Santos Capa e Diagramação: Junio Amaro
  2. 2. 5 Introdução A Palavra de Deus é a verdade. Ela é o nosso ma- nual, que nos direciona para vivermos conforme a vontade de dele. Em 2 Timóteo, capítulo 3, versos 16 e 17, está escrito: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habili- tado para toda boa obra”. Jesus disse: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim”. (João 5.39.) E em Oséias, capítulo 4, verso 6, diz: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento”.
  3. 3. 6 Qual conhecimento? O conhecimento da Palavra de Deus. Muitas coisas ruins podem acontecer na nos- sa vida por conta da falta de conhecimento da Pala- vra do Senhor. Por isso é tão importante conhecê-la e guardá-la no coração. Temos que viver segundo os ensinamentos, princípios de Jesus. A Bíblia é uma fonte inesgotável de significados e interpretações, para a Literatura se trata de um li- vro cânone, mas para nós, cristãos, a fonte que jorra da Palavra de Deus é o Espírito Santo. É Ele quem nos revela a vontade de Deus a cada leitura. Através da mensagem de Mateus 14, versos 13 ao 36, expla- narei sobre a coragem, demonstrada na vida de Je- sus e seus discípulos. E coragem significa, também, correr riscos. Normalmente, não gostamos de correr riscos; mas Jesus não somente mostrou muita cora- gem, como também nos incentivou a correr riscos. Todavia, Ele nos oferece a sua mão quando naufra- gamos, quando enfrentamos os riscos, mas cede- mos à pressão que estes nos causam. Foi assim com Pedro, que ousou andar sobre as águas, mas houve um momento em que ele cedeu à incredulidade, ti- rou os seus olhos do Senhor e começou a naufragar, mas Jesus lhe estendeu as mãos e o resgatou. Que
  4. 4. 7 o Espírito Santo ministre a poderosa Palavra do Se- nhor ao seu coração por meio desta leitura: “Pai, esta é a tua bendita Palavra. Senhor, tu co- nhecesocoraçãodecadaumdosteusfilhos,queatua Palavra venha trazer graça, consolo, edificação, exor- tação, salvação, libertação e a tua vida sobre a vida de cada leitor, nesta hora. Conceda sabedoria e unção do Espírito Santo a cada coração. Em nome de Jesus Cristo. Amem”!
  5. 5. 8
  6. 6. 9 Entrando no barco Em Mateus capítulo 14, versos 10 ao 13, lemos: “E deu ordens e decapitou João no cárcere. Foi trazi- da a cabeça num prato e dada à jovem, que a levou à sua mãe. Então, vieram os seus discípulos, levaram o corpo e o sepultaram; depois, foram e o anuncia- ram a Jesus. Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte; sabendo-o as multidões, vieram das cidades seguindo-o por terra”. Algumas pessoas imaginam que João Batista era um velho, com a barba comprida. Outros, porém, o
  7. 7. 10 idealizam como uma pessoa estranha, um homem bizarro. Bem sabemos que ele usava roupas e pos- suía uma dieta diferenciada, mas João Batista era jovem, primo de Jesus Cristo, a diferença de idade entre eles era de apenas alguns meses. Quando Je- sus ouviu sobre a morte de João Batista – que tão jovem foi decapitado – Ele não sentiu medo, mas tristeza, pois Jesus era Deus, mas também homem. Veja o que o texto diz: “Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte; sabendo-o as multi- dões, vieram das cidades seguindo-o por terra. De- sembarcando, viu Jesus uma grande multidão, com- padeceu-se dela e curou os seus enfermos. Ao cair da tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: O lu- gar é deserto, e vai adiantada a hora; despede, pois, as multidões para que, indo elas pelas aldeias, comprem o que comer. Jesus, porém lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, de comer. Mas eles responderam: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes. Então, ele disse: Trazei-mos. E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a relva, tomando os cinco pães e dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os
  8. 8. 11 aos discípulos, e estes, às multidões. Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolhe- ram ainda doze cestos cheios. E os que comeram fo- ram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças. Logo a seguir, compeliu Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões. E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só. Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário. Na quar- ta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. E os discípulos, ao verem-no andando so- bre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram. Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! E, prontamen- te, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Ho- mem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo am-
  9. 9. 12 bos para o barco, cessou o vento. E os que estavam no barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho de Deus! Então, estando já no outro lado chegaram a terra, em Genesaré. Reconhecendo-o os homens daquela terra, mandaram avisar a toda a circunvizi- nhança e trouxeram-lhe todos os enfermos; e lhe ro- gavam que ao menos pudessem tocar na orla de sua veste. E todos os que tocaram ficaram sãos”. (Mateus 14.13-36.) Aleluia! Quando Jesus ouviu o que tinha acon- tecido com João Batista, ele procurou um lugar deserto, à parte. Jesus queria estar sozinho, quem sabe, abrir o coração diante do Pai, orar e sofrer pela morte de João. Existem momentos na nossa vida que também queremos ficar sozinhos, assim como também há ocasiões em que buscamos estar com outras pessoas, e Jesus nos ensina isso, pois sua compaixão o motivou a estar com as pessoas. Ele desembarca e encontra uma grande multidão, se compadece dela e cura muitos enfermos. Aqui, Je- sus nos dá essa lição de que devemos estar junto de outras pessoas e nos compadecermos delas. Quan- do Ele subiu ao monte e experimentou a transfigu- ração, havia levado consigo três de seus discípulos.
  10. 10. 13 No Jardim do Getsêmani, Ele buscou companhia e pediu aos seus discípulos para estarem com Ele. Jesus queria que seus discípulos orassem, esperava apoio, alguém que estivesse com Ele (Mateus 26.36- 46). Naquele momento em que Jesus soubera da morte de João, Ele buscou estar só, mas o coração do Senhor é cheio de amor, compaixão, por isso Ele se compadeceu daquelas pessoas e ficou junto delas. Quando Jesus viu as necessidades daquelas pessoas, angústia, lágrimas, derrotas, doenças, do- res, Ele se importou, cuidou, tocou e curou todos que precisavam de cura. Agora vamos aos versos 15 ao 17, de Mateus 14: “Ao cair da tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: O lugar é deserto, e vai adiantada a hora; despede, pois, as multidões para que, indo pelas al- deias, comprem para si o que comer. Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mes- mos, de comer. Mas eles responderam: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes”. Não havia alimento, além de cinco pães e dois peixes, para alimentar uma multidão de mais de cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças. Jesus, naquela hora, pediu que os discípulos lhe
  11. 11. 14 trouxessem o que tinham: “[...] tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os aos seus discípulos, e estes, às multidões” (verso 19). To- dos comeram e se fartaram, e ainda sobraram doze cestos cheios. No verso 22, vemos que logo após Je- sus ter realizado a multiplicação dos pães e peixes, “compeliu (insistiu) Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões”. Este termo, “despedir as mul- tidões”, não significa simplesmente um “até logo”, “até breve”. Jesus se preocupava com cada pessoa da mesma forma. Não existe segundo a ótica do Se- nhor, uma pessoa mais importante do que a outra. Era tanta gente, mas Ele despedia-se de cada um, não deixando que ninguém voltasse para casa en- fermo. Que nenhum paralítico voltasse sem andar, nem o cego sem enxergar. O apóstolo João disse que Jesus fez muitos milagres, que nem todos estão registrados nas Escrituras. Os milagres que constam na Bíblia foram escritos para que creiamos que Je- sus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que crendo tenhamos vida em seu nome (João 20.30-31). O Se- nhor é um Deus compassivo, não existe um único
  12. 12. 15 instante em que Ele não esteja olhando para você. Absolutamente, nada é oculto a Ele. Não há sequer uma lágrima que você derrame que não seja do co- nhecimento dele. E quando você começa a enten- der e vivenciar essa realidade, que Deus ama você, se importa com sua vida e tem o melhor para o seu coração, tudo muda.
  13. 13. 16
  14. 14. 17 O lugar da crise Jesus insistiu com seus discípulos para que em- barcassem e passassem adiante dele para o outro lado, e assim, passou a despedir as multidões. Na fé cristã sempre vai existir outro lado, sempre exis- te um ponto a chegar, um alvo, um propósito a ser alcançado. Depois de impelir aos discípulos a passarem para o outro lado, Jesus subiu ao monte a fim de orar sozinho, e caindo a tarde estava Ele só (verso 23). Caía a tarde, o sol estava declinando, os discípulos entraram no barco e Jesus derramava
  15. 15. 18 sua alma ao Senhor, “entretanto, o barco já estava longe a muitos estádios da terra, açoitado pelas on- das; porque o vento era contrário” (verso 24). Muitas pessoas imaginam que pelo fato de estarem fazen- do a vontade de Deus os ventos irão soprar favo- ravelmente. No entanto, os discípulos estavam fa- zendo a vontade do Senhor, sendo obedientes, mas o vento soprava contrário à vida deles. Em obedi- ência a Deus, eles entraram no barco e foram para o outro lado. Mas quando chegaram a alto mar, o vento começou a soprar mais forte. Eles estavam exatamente no meio do mar. O lugar mais delicado, o lugar onde tudo parece ficar mais difícil, não é o começo, não é o fim, é no meio. É no meio que as crises se intensificam. Um casamento começa a en- trar em crise exatamente no meio. Se observarmos as muitas situações da vida, vamos perceber que as pessoas começam a desistir quando estão na me- tade do caminho de alcançar a vitória, do propósi- to de Deus para suas vidas. Muitas vezes a pessoa abre seu próprio negócio, e tudo está indo tão bem, mas na metade, quando está quase alcançando seu objetivo, ela desiste. Muitos iniciam uma graduação cheios de expectativas, mas desistem no meio do
  16. 16. 19 curso. Quando Jesus disse aos discípulos que atra- vessassem o mar, a tempestade ainda não havia co- meçado. No entanto, quando eles estavam no meio do mar, o vento começou a soprar mais forte, era a crise que chegara.Veja Marcos, capítulo 6, versos 47 e 48: “Ao cair da tarde, estava o barco no meio do mar, e ele, sozinho em terra. E, vendo-os em dificuldade a remar, porque o vento lhes era contrário, por volta da quarta vigília da noite, veio ter com eles, andando por sobreomar;equeriatomar-lhesadianteira”. As Escri- turas dizem que todos que querem seguir a Jesus, sofrerão perseguições, tempestades e muitos tipos de tribulações. A crise não vem simplesmente para desenvolver nosso caráter, ela vem para revelar o nosso caráter. É na hora da crise que passamos a nos conhecer. É no momento da crise que olhamos para trás e queremos desistir. Pensamos muitas ve- zes: “Estou no meio do caminho, é mais fácil voltar, porque já conheço o caminho. Seguir pode ser perigo- so, porque o outro lado eu não conheço”. “Na quarta vigília da noite[...]” (Mateus 25.14.) Os judeus dividiam as horas de uma forma muito in- teressante, mas veja que o Senhor disse em João, capítulo 11, verso 9: “Respondeu Jesus: Não são doze
  17. 17. 20 as horas do dia”? Das seis horas da manhã até as dezoito horas, são dozes horas. Mas a noite era di- vidida em quatro vigílias, de três horas. De seis as nove, de nove à meia noite, de meia noite às três da manhã, a quarta vigília. A quarta vigília era exa- tamente das três às seis horas da manhã. Os discí- pulos já deviam estar remando cerca de nove ho- ras. Eles deviam ter entrado no barco às seis horas, quando ainda estava tudo tranquilo. Já estavam no meio do mar, na quarta vigília, entre três e seis horas da manhã, não era nem noite, nem dia, o sol estava nascendo. E diz o texto que os ventos eram contrá- rios. “Na quarta vigília da noite foi Jesus ter com eles andando por sobre o mar”. (Verso 25.) Jesus sabia o que estava acontecendo com os discípulos. Não houve um momento sequer que Ele não soubesse da tempestade que açoitava o barco dos discípulos. Porém, quando Ele viu que estavam desesperados e angustiados, foi ter com eles, não nadando, mas an- dando por sobre as águas. Jesus andava por sobre as ondas, mas para Ele era simplesmente andar por cima daquilo que Ele mesmo criou. Quando com- preendemos que Jesus atravessava as ondas, que tudo está debaixo dos seus pés, entendemos que
  18. 18. 21 nada, que nenhuma tribulação, nenhum proble- ma é maior do que Ele. “Acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igre- ja”. (Efésios 1.21-22.) Quem sabe, você esteja vivendo uma crise con- jugal, e aos seus olhos, não tem mais jeito. Ou talvez seja uma enfermidade de um ente querido, os mé- dicos já disseram que é o fim. A angústia do desem- prego, a pressão financeira, são ondas terríveis, uma tempestade que está assolando a sua vida. Mas não preste atenção ao perigo, às dificuldades da vida, mantenha seu foco em Jesus. Olhe para Ele cami- nhando por sobre as águas. Ele não permitiu que as ondas viessem sobre Ele. Ele atravessava-as. Nenhu- ma onda pode derrubar Jesus, nenhum problema pode fazê-lo afundar. Não existia a lei da gravidade, Ele caminhava e não afundava. “E os discípulos ao verem-no andando por sobre as águas ficaram ater- rados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo gritaram”. (Verso 26.) Quando os discípulos viram-no se aproximando, eles não conseguiram
  19. 19. 22 discernir que se tratava de Jesus, por isso ficaram aterrorizados, com medo. E o medo cega as pesso- as, quando alguém está com medo, não consegue distinguir quem é que se aproxima, se é um fantas- ma, um demônio, ou se é Jesus. Pedro, João, Thia- go, André, Bartolomeu, todos os doze discípulos ficaram amedrontados. Não conseguiam enxergar que se tratava de Jesus, vindo em sua direção. Tudo é tão diferente, quando entendemos essa realida- de de que Ele vem em nossa direção, trazendo paz. Do contrário, temos o terror estampado em nosso rosto, gritamos desesperados e acreditamos ser o fim. Então, Jesus vendo que não o reconheciam, imediatamente lhes disse: “Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais”! (Verso 27.) A Palavra do Senhor foi esta: “coragem, sou eu, não temais”. Uma expressão de vida. Deus deseja que tenhamos ânimo, cora- gem para seguirmos em frente, irmos para o outro lado. Quando uma pessoa perde o ânimo, perde a coragem, ela não sai do lugar, por causa do medo. Saia do lugar de segurança e vá para o outro lado. Atravesse o mar, as ondas, a tempestade, e avance, essa é a vontade do Senhor para sua vida. Ele tem tantos sonhos para você, tantas conquistas para
  20. 20. 23 sua história. E somente Ele sabe o que lhe espera do outro lado. Quem sabe aquele esposo, ou esposa, tementes ao Senhor; do outro lado Jesus tem a con- cretização dos seus sonhos. No entanto, para que isso aconteça, é necessário que você embarque, passe para o outro lado.
  21. 21. 24
  22. 22. 25 Não temas, coragem! A fé não é algo subjetivo. Fé é ação, é orar mais ação. É algo que você faz quando você entra no bar- co, você diz ao Senhor que seja feita a vontade dele. E o melhor lugar para se viver é dentro da vontade do Senhor. Dentro da vontade dele podem vir tem- pestades, o vento pode soprar com fúria, pode vir as tribulações, mas temos a convicção de que va- mos chegar onde o Senhor quer que cheguemos. Se o Senhor direcionou para esse ou aquele lado, siga, pois Ele mesmo fará com que chegue ao seu
  23. 23. 26 destino. Porque Ele não frustra os nossos sonhos, mas ao contrário, Ele diz: “Não temas, coragem”. “Tende bom ânimo, coragem, não temais”, essas são palavras importantes para todos os momentos da sua vida. Sem coragem não conseguimos distinguir quem está falando conosco. Em Mateus, capítu- lo 17, verso 7, está escrito assim: “Aproximando-se deles, tocou-lhes Jesus, dizendo: Erguei-vos e não te- mais”. “Não temas”, por 366 vezes essa expressão é repetida na Bíblia. Existe um “não temas” para cada dia do ano, e até mesmo quando o ano é bissexto. Deuteronômio, capítulo 31, verso 6, nos fala so- bre a coragem para assumir os riscos, coragem para sair da zona de conforto, e que diante das dores do mundo não seremos desamparados. Vejamos o tex- to: “Sede fortes e corajosos, não temais, nem vos ate- morizeis diante deles, porque o Senhor, vosso Deus, é quem vai convosco; não vos deixará, nem vos desam- parará”. Agora Josué, capítulo 10, verso 25: “Então, Josué lhes disse: Não temais, nem vos atemorizeis; sede fortes e corajosos, porque assim fará o Senhor a todos os vossos inimigos, contra os quais pelejardes”. Você que tem pelejado contra os inimigos que ten- tam destruir a sua vida; o desânimo, a insensatez, a
  24. 24. 27 solidão, a depressão, as enfermidades, o desempre- go... Quando você pensa em desistir Ele diz: “Não temais, nem vos atemorizeis; sede fortes e corajosos”. Em Joel, capítulo 3, verso 10, está escrito: “Diga o fraco: Eu sou forte”. Mas de onde vem a força do fra- co? A força vem do Senhor. É a força da Palavra e da vontade do Senhor. Quando o Senhor diz para você ir para o outro lado, você não morrerá afogado, mas chegará ao propósito de Deus para sua vida. Para isso Ele manda que você seja forte e corajoso. 1 Crô- nicas, capítulo 22, verso 13, diz: “Então, prosperarás, se cuidares em cumprir os estatutos e os juízos que o Senhor ordenou a Moisés acerca de Israel; sê forte e corajoso, não temas, não te desalentes”. O desalento é exatamente a falta de alento, de ânimo, de força de vontade, falta de coragem para seguir em frente. Quando uma pessoa perde o alento, ela vive desa- nimada, desalentado, esmorecida. Às vezes você começa algo em sua vida, mas não termina, isso é desalento. Talvez seja aquela casa que você come- çou a construir, mas a construção está parada há tantos anos. Mas amado(a), o mesmo Deus que foi fiel e o capacitou a lançar os alicerces, a levantar as paredes, a levantar a laje, é o mesmo Deus que pode
  25. 25. 28 capacitá-lo a terminar o que começou. No entanto, quando a pessoa se entrega ao desalento, ela vive dizendo que não vai conseguir, vive murmurando. Algumas pessoas estão noivas há tanto tempo e o planejamento do casamento ainda nem começou, mas por que será? Muitos dizem: “Ah, porque não tenho condições financeiras para arcar com um casa- mento”. Mas a Bíblia diz: “Não te desalentes”. Em ou- tras palavras, comece a ver o Senhor, mantenha os seus olhos nele. Quantas pessoas desistem no meio, quando estão quase chegando. Está tão perto, mas ele escolhe voltar, desistir. Falta coragem para conti- nuar o caminho por causa das dificuldades, o medo do desconhecido. Mas o Senhor diz para você hoje: “Coragem, corra riscos, avance!” Muitas vezes, até mesmo na fé, quando uma pessoa conhece Jesus, ela vive o primeiro amor, uma paixão tão grande por Ele, sente “fome” pela Palavra de Deus, mas de repente, no meio do caminho, acontece algo, uma decepção, frustração, ela olha para frente, olha para trás e escolhe desistir. Quantas pessoas, na metade do casamento, desistem.Todavia, se ela tem convic- ção da vontade do Senhor para a vida dela, seguirá adiante, crendo que chegará do outro lado e alcan-
  26. 26. 29 çará as vitórias que o Senhor tem para ela. Escolha viver com coragem, cheio de alento “sê forte e cora- joso, não temas, não te desalentes”.
  27. 27. 30
  28. 28. 31 Lance fora o medo No Salmo 34, verso 4, encontramos algo tão ma- ravilhoso, veja: “Busquei o Senhor, e ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores”. O que atemori- za você? Num domingo eu estava na igreja, no culto das 18h, fazendo a vontade de Deus. E exatamente no meio da reunião, eu comecei a sentir muito mal. Quando cheguei ao hospital, o médico me disse que eu estava sofrendo um infarto. Eu sabia o que aquilo significava, mas uma paz tão grande domina- va o meu coração. Não havia medo. Recitei o Salmo
  29. 29. 32 23 muitas vezes. E deitado ali naquela maca, dizia: “O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Ele me fazrepousarempastosverdejantes.Leva-meparajun- to das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia- me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges- me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bon- dade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre”. (Salmo 23.) Eu podia fazer uma escolha, de transbordar de fé, de confiança, de esperança, ou transbordar de temor, medo, angústia, de blasfêmias e incertezas. Eu escolhi buscar o Senhor e Ele me acolheu, livrou- me de todos os meus temores. No meio da tempes- tade é que a sua fé é revelada, que você coloca para fora aquilo que está dentro do seu coração, ou seja, a fé é “a certeza de coisas que se esperam, a convicção defatosquesenãoveem” (Hebreus 11.1).Vamos ler o que está escrito em Salmos 46, versos 1 ao 3: “Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas
  30. 30. 33 tribulações. Portanto, não temeremos ainda que a terra se transtorne e os montes se abalem nos seios do mares; ainda que as águas tumultuem e espume- jem e na sua fúria os montes se estremeçam”. Deus é o mesmo hoje, Ele não foi, Ele é o nosso refúgio e fortaleza. Por isso não temos nada a temer, porque Ele está conosco, o Deus de Jacó é o nosso refúgio. “Não temas, coragem”. Em Isaías capítulo 41, verso 10 diz exatamente isso: “Não temas, porque sou con- tigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu tefortaleço,eteajudo,etesustentocomminhadestra fiel”. Aleluia! Guarde essa realidade no seu coração. Deus pode nos livrar da tempestade, mas Ele também pode trazer o livramento na tempestade, Ele pode todas as coisas. Veja o que diz Isaías capí- tulo 43, versos 1 e 2: “Mas agora, assim diz o Senhor, que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não te- mas,porqueeuteremi;chamei-tepeloteunome,tués meu. Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”. Quando uma pessoa se entrega a Je- sus, ela passa a pertencer a Ele. E o Senhor vela por aqueles que são dele, Ele conhece aqueles que são
  31. 31. 34 seus (2 Timóteo 2.19). Esta é a realidade que traz o alento ao nosso coração. Em Isaías, capítulo 41, versos 13 e 14 está es- crito: “Porque eu, o Senhor, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: Não temas, que eu te aju- do. Não temas, ó vermezinho de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o Senhor, e o teu Redentor é o Santo de Israel”. Ás vezes você se vê tão pequeno, um vermezinho. E normalmente os vermes são es- magados. Quando você se vê assim tão pequeno, se sentindo esmagado, olhando para todos os lados e não conseguindo enxergar nada para se segurar, é nesta hora que o Senhor está dizendo a você: “Não temas”. E esta expressão usada tantas vezes na Pa- lavra de Deus nos leva a depender mais do Senhor em todas as áreas da nossa vida. A entregarmos tudo nas mãos dele e descansarmos nele.
  32. 32. 35 Andando sobre as águas Mateus, capítulo 14, versos 27 ao 29 diz: “Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! Respondendo-lhe Pedro, disse: se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus”. Havia doze pessoas no barco, mas somente Pedro pediu para ir até Jesus. Ele disse: “Se és tu, Senhor, manda-
  33. 33. 36 me ir ter contigo, por sobre as águas”. Pedro deixou a sua zona de conforto, que era aquele barco, e co- meçou a andar sobre as águas em direção a Jesus. Enquanto ele caminhava olhando para o Senhor estava seguro, porém, no momento em que Pedro passou a reparar no tamanho das ondas, começou a afundar. Prestar atenção ao tamanho dos proble- mas, das dificuldades, nos fazem afundar. Nossos olhos precisam estar em Jesus, pisando nas águas, sem medo, colocando a nossa fé em ação, não olhando para as circunstâncias, mas para a grande- za do nosso Deus. Seja qual for o tamanho do gi- gante que você enfrenta, ele não é maior do que Deus. Deus é fiel. Quantas vezes acreditamos que o homem tem a palavra final, mas é Deus, querido(a), somente Ele tem todo o poder, Ele é o alfa e o ôme- ga, o princípio e o fim. “Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso”. (Apocalipse 1.8.) Quando Jesus diz que você pode ir em direção à vontade dele, Ele não permitirá que você afunde. Ele mandou que os discípulos fossem para o outro lado e não permitiu que eles afundassem. Mas Pe- dro “reparando, porém, na força do vento, teve medo;
  34. 34. 37 e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor”! (verso 30.) O medo faz com que afundemos, o medo abre, muitas vezes, a porta da incredulidade. “E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste”? (Verso 31.) Coragem é assumir riscos e Pedro teve coragem para descer do barco e andar sobre as águas, mas a coragem o fez também correr o risco de afundar. Mas quando começou a afundar gritou: “Salva-me”. E Jesus segurou-o pela mão. Quando você estiver afundando, clame por Jesus. Tenha co- ragem, assuma riscos, mas se você naufragar, cha- me por Jesus, que Ele lhe estende a mão. Pedro não voltou nadando para o barco, ele caminhou sobre as águas lado a lado com Jesus, e subiram juntos no barco. Não sei qual a foi a distân- cia que eles andaram, mas creio que aqueles onze apóstolos que ficaram no barco olharam para Pedro no momento em que ele desceu do barco para ca- minhar sobre as águas, e quem sabe, até diziam uns aos outros que ele não iria conseguir. Existem aque- las pessoas que torcem a favor, e outros, contra. E quando alguém torce contra, muitas vezes, ele está ministrando em sua vida a derrota, contam os dias
  35. 35. 38 para o seu casamento acabar, esperam ansiosos para sua empresa fechar. Mas é tão diferente com Jesus, pois Ele não nos condena. Pedro começou a naufragar, mas Ele lhe estendeu a mão e ele emer- giu. Jesus e Pedro “subindo ambos para o barco, ces- sou o vento. E os que estavam no barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho de Deus! Então, já do outro lado, chegaram a terra, em Genesaré” (ver- sos 32 ao 34). Creia, porque assim como os discí- pulos, você chegará também do outro lado. A tem- pestade vai passar e você chegará ao propósito de Deus para sua vida, e as pessoas reconhecerão que Jesus Cristo é o Senhor. Porque da mesma forma que Ele operou na sua vida, e o fez alcançar o lugar tão almejado, Ele fará com aqueles que o buscarem, e então haverá cura e libertação, salvação, através da sua vida. “Reconhecendo-o os homens daquela terra, mandaram avisar a toda a circunvizinhança e trouxeram-lhe todos os enfermos; e lhe rogavam que ao menos pudessem tocar na orla da sua veste. E to- dos os que tocaram ficaram sãos”. (Mateus 14.35-36.)
  36. 36. 39 Considerações finais Nós aprendemos por meio desta mensagem que o lugar mais perigoso para viver é no meio, quando você está na metade do caminho para al- cançar suas bênçãos é que as crises brotam, é o lugar onde as pessoas afundam e desistem de con- tinuar. Entretanto, é no meio que você demonstra a sua coragem, é o lugar onde você corre riscos, mas corajosamente enfrenta o que estar por vir. No meio da tempestade você pode sentir medo: quer avançar, mas o vento está contrário. Pensa que vai
  37. 37. 40 afundar, mas Jesus olha para você e diz: “Não temas, coragem”. E quando você está no centro da vonta- de de Deus, tudo é diferente. Talvez você esteja fa- zendo a vontade de Deus, mas está pensando em desistir, pois o vento está soprando forte demais, jogando você de um lado para outro, por isso você sente o desejo de acabar com tudo, voltar para o ca- minho que conhece, pois é mais fácil. Mas o Senhor diz para você neste momento: “Coragem”. A nossa vida é marcada pelos recomeços. O Sol brilha mais forte depois da tempestade. A vida tem mais valor quando você está prestes a perdê-la. No tempo de crise, o seu relacionamento com Deus é revelado e você experimenta mais da presença do Senhor na sua vida. Jesus está aí, perto de você para acalmar o vento, então com seus olhos focados nele, cami- nhe sobre as águas. E se você por algum momento desviar o olhar e submergir, Ele segurará a sua mão e o trará à tona, caminhará com você até o barco e o levará ao outro lado, onde milagres acontecerão. Amado(a), seguir a Jesus exige coragem. Arrisque- se, pois Ele nunca o abandonará. Ele mesmo disse: “De maneira nenhuma te deixarei, nunca jamais te abandonarei”. (Hebreus 13.5.) Assim como o após-
  38. 38. 41 tolo Paulo, declare que você “tudo pode naquele que te fortalece”. (Filipenses 4.13.) Se o Senhor o man- dou ir para o outro lado, siga em direção ao obje- tivo, vá para onde Deus o enviar, obedeça, não de- sista, não temas, coragem. Ele mesmo fará com que você alcance o seu objetivo e chegue lado a lado com Ele ao lugar de vitória. Deus abençoe! Márcio Valadão
  39. 39. 42
  40. 40. 43
  41. 41. 44
  42. 42. 45 JESUS TE AMA E QUER VOCÊ! 1º PASSO: Deus o ama e tem um plano maravilhosoparasuavida. “PorqueDeusamou omundodetalmaneiraquedeuoseu Filhounigê- nito,paraquetodooquenelecrênãopereça,mas tenhaavidaeterna.“(Jo3.16.)
  43. 43. 46 2º PASSO: O Homem é pecador e está separado de Deus. “Pois todos pecaram e ca- recem da glória de Deus.“ (Rm 3.23b.) 3º PASSO: Jesus é a resposta de Deus, para o conflito do homem. “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.“ (Jo 14.6.) 4º PASSO: É preciso receber a Jesus em nosso coração. “Mas, a todos quantos o rece- beram, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome.“ (Jo 1.12a.) “Se, com tua boca, confessares Je- sus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será sal- vo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salva- ção.” (Rm 10.9-10.) 5º PASSO: Você gostaria de receber a Cristo em seu coração? Faça essa oração
  44. 44. 47 de decisão em voz alta: “Senhor Jesus eu pre- ciso de Ti, confesso-te o meu pecado de estar longe dos teus caminhos. Abro a porta do meu coração e te recebo como meu único Salvador e Senhor. Te agradeço porque me aceita assim como eu sou e perdoa o meu pecado. Eu desejo estar sempre dentro dos teus planos para mi- nha vida, amém”. 6º PASSO: Procure uma igreja evangé- lica próxima à sua casa. Nós estamos reunidos na Igreja Batista da Lagoinha, à rua Manoel Macedo, 360, bairro São Cristóvão, Belo Horizonte, MG. Nossa igreja está pronta para lhe acom- panhar neste momento tão importante da sua vida. Nossos principais cultos são realizados aos domingos, nos horários de 10h, 15h e 18h horas. Ficaremos felizes com sua visita!
  45. 45. 48 Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha Gerência de Comunicação Rua Manoel Macedo, 360 - São Cristóvão CEP: 31110-440 - Belo Horizonte - MG www.lagoinha.com Twitter: @Lagoinha_com

×