Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Número de doadores de órgãos dobra em 10 anos no Brasil!
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Número de doadores de órgãos dobra em 10 anos no Brasil!

  • 58 views
Published

Número de doadores de órgãos dobra em 10 anos no Brasil!

Número de doadores de órgãos dobra em 10 anos no Brasil!

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
58
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Radar Saúde Congresso Boletim informativo do Ministério da Saúde destinado aos parlamentares Número de doadores de órgãos dobra em 10 anos no brasil Campanha nacional de 2013, que pretende sensibilizar e estimular a população brasileira a doar órgãos, foi lançada oficialmente pelo Ministério da Saúde O número de doadores de órgãos dobrou nos últimos dez anos. Dados do Ministério da Saúde revelam que atualmente existem 13,5 doadores para cada milhão de pessoas, contra os 6,5 registrados em 2003. Entre os fatores que influenciaram nesse avanço estão ações do MS como o lançamento anual de novas campanhas, parceria inédita com o Facebook e criação de incentivos financeiros para ampliar os serviços habilitados. Este ano, as peças publicitárias apresentam o tema “Não deixe a vida se apagar. Seja doador de órgãos. Fale com sua família”. O Brasil é referência mundial no campo dos transplantes. Atualmente, 95% das cirurgias são realizadas pela rede pública de saúde. Quase 60% de todos os procedimentos realizados pelo SUS são de córnea. A boa notícia é que em Pernambuco, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Distrito Federal a fila de espera por este transplante é nula. Juntos, estes locais realizaram 3.967 cirurgias no primeiro semestre deste ano, o equivalente a 58% das cirurgias deste tipo realizadas no país (6.781, no total). Também foi registrado aumento no número de transplantes de órgãos sólidos (pulmão, coração, pâncreas, rim e fígado). No primeiro semestre de 2013, o Sistema Nacional de Transplantes registrou 3.842 cirurgias realizadas, o que representa aumento de 3,8% em relação ao mesmo período de 2012 (3.703). Os transplantes de medula óssea também cresceram 13% se comparados com os do último ano. Foram 974 no primeiro semestre de 2013 contra 862 no mesmo período de 2012. Ano 3 | nº 153 Outubro 2013 95% dos transplantes no Brasil são realizados no SUS 4 estados (SP, PE, PR e RS), além do DF, acabaram com fila de espera por transplante de córnea 60% dos transplantes realizados pelo SUS são de córnea
  • 2. Estrutura no Sistema Único de Saúde 27 Centrais de notificação, captação e distribuição de órgãos 11 câmaras técnicas nacionais 748 serviços distribuídos em 467 centros 1.047 equipes de transplantes 71 Organizações de Procura por Órgãos (OPOs) em 17estados – em 2010 eram 12 OPOs Em 2012, o Ministério da Saúde implantou novas regras para ampliar o número de transplantes: Hospitais que fazem quatro ou mais tipos de transplantes ganham incentivo de até 60% Hospitais que fazem três tipos de transplantes têm 50% a mais E nos locais onde são feitos um ou dois tipos de transplantes é pago 30% e 40% acima do valor, respectivamente Por meio da Portaria que institui o Plano Nacional de Apoio às Centrais de Transplante, o MS destinará entre R$ 100 mil e R$ 200 mil para estruturação, funcionamento e qualificação das 27 centrais, além de recursos para custeio. O MS disponibiliza ainda R$ 50 milhões para a realização de exames. O objetivo é ampliar as possibilidades de identificação de doadores geneticamente compatíveis no Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea.