Your SlideShare is downloading. ×
Nutricia Cares about Training_Nutrição no ciclo de vida: Gravidez
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Nutricia Cares about Training_Nutrição no ciclo de vida: Gravidez

472
views

Published on

Published in: Health & Medicine

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
472
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
22
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Nutrição no ciclo de vida - Gravidez Setembro 2012
  • 2. Aumento de peso na gravidezAumento do volume Maior desenvolvimento fetal – sanguíneo sanguíneo aproximadamente 200g/semana Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 3. Aumento de peso na gravidezConstrução de tecidos maternos Preparar a mãe para a lactação Desenvolvimento adequado do bebé 62% 30% 8% água gordura proteína Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 4. Aumento de peso na gravidez IMC Ganho total 1º Trim 2º e 3º Trim <18.5 12.5 - 18 Kg 2.3 Kg 0.5 Kg/semana18.5-24.9 11.5 – 16 Kg 1.6 Kg 0.4 Kg/semana24.9-29.9 7 – 11.5 Kg 0.9 Kg 0.3 Kg/semana >30 6 – 7 Kg - -Gémeos 15.9 – 20.4 Kg IMC = peso/ altura2  IMC prévio à gravidez Estas recomendações permitem o crescimento fetal adequado sem aumentar o tecido adiposo materno Caniço L. 2008; Institute of Medicine 2009
  • 5. Aumento de peso em excesso nagravidez  Diabetes gestacional  HTA induzida pela gravidez  Apneia do sono e distúrbios do sono  Atraso na lactação  Pré-eclampsia  ↑ risco de complicações no parto  ↑ probabilidade de recorrer a cesariana  ↑ risco de excesso de peso no bebé até aos 3 anos Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 6. Necessidades nutricionais nagravidez Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 7. Necessidades nutricionais na gravidez • Proteínas  1,1g/kg peso • HC  45-55% • Lípidos  20-35% – Saturadas:7% – Monoinsaturadas: 10% – Polinsaturadas: 8% • Fibra  28g /diaAs necessidades devem ser calculadas de forma individualizada para assegurar o ganho de peso adequado ao IMC prévio à gravidez e garantir um parto de termo sem complicações Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 8. Necessidades nutricionais na gravidez  As necessidades estão aumentadas para assegurarFerro o desenvolvimento do feto e da placenta, bem como a produção de eritrócitos  Suplementação?  Necessidades extra são compensadas através da cessação das perdas menstruais, do ↑ da absorção intestinal e da mobilização das reservas energéticas  Necessidades iguais às das mulheres da mesma faixa etária Carne, fígado, feijão, soja, vegetais de folha verde, salsa, frutos secos, lentilhas, trigo e aveia Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 9. Necessidades nutricionais na gravidez  Controlo de cãibrasMagnésio  Crescimento do feto  Prevenção pré-eclâmpsia Vegetais folha verde, carne, cereais, frutos oleaginosos e leite  Necessidades iguais às das mulheres da mesma Cálcio faixa etária  Suplementar apenas em caso de défice (ex: vegan?) Leite e derivados, vegetais folha verde Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 10. Necessidades nutricionais na gravidez  Importante na síntese do DNA e na replicaçãoFolato celular  Défice pode causar lesões no tubo neural (1ª 4 semanas de gestação)  Prevenção de anemias megaloblásticas  Suplementação (400μg a 600μg)  A forma sintética do acido fólico é mais biodisponível que a encontrada naturalmente nos alimentos (folato) Feijão preto e frade, espinafres, ervilhas, leguminosas secas, soja, frutos secos, arroz integral Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 11. Necessidades nutricionais na gravidez  Potencia a absorção de ferro não-hemeVit. C  Necessidades ↑ (em 10mg) no ultimo trimestre (assegurar as reservas maternas necessárias ao rápido crescimento do feto) Kiwi, citrinos, morangos, papaia, brócolos, batata-doce, tomate, ananás  As necessidades de tiamina (B1) e riboflavina (B2)Vit. B estão ↑ (necessárias para a libertação de energia celular)  Tiamina  cereais integrais e carne  Riboflavina  vegetais folha verde, carne e lacticínios Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 12. Recomendações nutricionais Mastigar devagar (~30min) Ingerir apenas as porções recomendadas (ingestão em excesso pode levar a vómitos  malnutrição e desidratação) Não saltar refeições (5 a 6 refeições por dia) Evitar alimentos com elevado teor em açúcar (aumento de peso, síndrome de dumping) Limitar a ingestão de gordura (aumento de peso, náusea) Manter um estado de hidratação adequado (8 copos de água por dia) Manter uma ingestão adequada de fibra de forma a evitar ou tratar estado de obstipação Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 13. Exercício físicoRegular e de baixa ↓ 50% o risco de diabetes gestacional intensidade ↓ 40% o risco de pré-eclâmpsia Em caso de não existir contra-indicação medica, é aconselhável a gravida realizar pelo menos 30 minutos exercício físico regular O exercício físico deve ser ligeiro, tal como, andar a pé, dançar ou praticar natação Ingerir água durante e após o exercício físico Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 14. Mitos na gravidez Agora tenho de comer por 2… Ingerir o necessário para fornecer ao bebé os nutrientes indispensáveis Evitar os excessos, que podem ser prejudiciais para a saúde da placenta e do bebé Café é proibido! Evitar consumo excessivo durante o primeiro trimestre (>300mg/dia) – associado a aborto espontâneo A partir do 2º trimestre pode consumir até 200mg de cafeína/diaCafé curto: 45-100 mg; Coca-Cola (1 lata): 34 mg; Chá preto (1 chávena): 45 mg; Chá verde (1 chávena): 20 mg; Ice Tea (1 lata): 26 mg
  • 15. Mitos na gravidezDurante a gravidez é natural ter desejos ou aversões por determinados alimentos  Desejo por um alimento pode estar relacionado com a desregulação do apetite (alterações hormonais e/ou passagem dos nutrientes para o feto)  Satisfazer os desejos desde que não se tornem excessivos  Comum aversão por alimentos e bebidas que consumia muito  Chá, café, álcool, alimentos fritos e ovos são aversões comuns no início da gravidez e alimentos doces no final da gestação Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 16. Importância da qualidade do sono ↑ Ganho de peso Baron KG. 2011
  • 17. Sintomas gastrointestinais na gravidez Náuseas e vómitos Ao levantar: bolachas de água e sal Ingerir pequenas refeições ricas em glícidos complexos de 3/3h Ingerir líquidos entre as refeições Evitar grandes refeições e alimentos com muita gordura e muito condimentados Iogurte em alternativa ao leite Preferir alimentos frios aos quentes Ingerir vegetais de folha verde, devido ao seu teor de vit. K Chá de raiz de gengibre Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 18. Sintomas gastrointestinais nagravidez Azia  Preferir pequenas refeições, a refeições demasiado volumosas  Não ingerir alimentos condimentados  Não comer até 2 horas antes de se deitar  Dormir com a cabeceira mais altaRefluxo  Refeições pequenas e frequentes  Evitar alimentos com elevado teor em gordura ou irritantes para o estômago, como a cafeina Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 19. Chás na gravidezFolha de menta ajuda a aliviar náuseas, vómitos e flatulência Chá de limão efeito calmante, ajuda na irritabilidade, insónia e ansiedadeRaiz de gengibre ajuda a aliviar náuseas e vómitos Camomila ajuda nas insónias Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 20. Efeito do álcool na gravidez1º Trimestre aumenta o risco de aborto espontâneo  concentração sérica de vitaminasCompromete antioxidantes (essenciais para a protecção dos danos nos tecidos maternos e do feto  Absorção e utilização de acido fólico Caniço L. 2008; Lammi-Keefe CJ. 2008
  • 21. Doenças de origem alimentar Durante a gravidez a função imunitária pode estar diminuída Sistema imunitário do bebé ainda não está formado Microorganismos ou outros compostos podem passar a placenta IRJ 2006
  • 22. Obrigada!