• Like
Nutricia Cares about Training_HIPERTENSÃO não se sente, mede-se!
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Nutricia Cares about Training_HIPERTENSÃO não se sente, mede-se!

  • 517 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
517
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
10
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Hipertensão arterialNão se mede, sente-se Março 2012
  • 2. Definição Pressão Pressão que o sangue exerce sobre a parede Arterial das artérias durante a circulaçãoHipertensão • Elevação da pressão arterial acima dos valores Arterial normais • Ocorre quando o coração ao bombear o sangue, exerce uma força excessiva contra a parede das artérias Carrageta M. 2009
  • 3. Definição Pressão Pressão máxima atingida durante a expulsão do Sistólica sangue através da artéria aorta Pressão Diastólica Pressão mais baixa atingida à medida que o coração relaxa permitindo a entrada de sangue nos ventrículos Carrageta M. 2009
  • 4. Prevalência Eutrotrials 2005
  • 5. Prevalência A prevalência da hipertensão na Europa é duas vezes mais alta que na América do NorteOs Afro-Americanos residentes nos USA têm a prevalência mais elevada de hipertensão arterial no mundo Eutrotrials 2005
  • 6. Avaliação• Devem ser utilizados aparelhos calibrados• Deve ser utilizada uma braçadeira adequada (bolsa insuflável deve ocupar pelo menos metade do braço)• Utilizar sempre que possível o mesmo aparelho• Deve descansar, na posição sentada, durante pelo menos 5 minutos antes da medição (ambiente calmo)• Medir sempre no mesmo braço• Medir regularmente (semanalmente ou quinzenalmente)• Registar os valores DGS 2004
  • 7. Classificação Categoria Tensão arterial Tensão arterial sistólica diastólica TAS mmHg TAD mmHgNormal 120 – 129 E 80 - 84Normal alto 130 – 139 Ou 85 – 89Hipertensão 140 – 150 Ou 90 – 99Estádio 1Hipertensão ≥ 160 Ou ≥ 100Estádio 2 DGS 2004
  • 8. Causas de hipertensão HTA • Sem causa aparenteessencial • 95% do total • Factores hereditários e estilos de vida HTA • 5% do totalsecundária  Apneia do sono (↓ oxigenação)  Induzida por farmácos  Doença renal crónica (sobrecarga de volume)  Doenças endócrinas  Anticonceptivos orais  Envelhecimento (embora a pressão arterial elevada no idoso não deva ser considerada normal) DGS 2004
  • 9. Causas de HTA essencialConsumo sal  Consumo em Portugal superior 2x à média em excesso europeia  Alteração na função cardíacaExcesso de  Associado a outros factores de risco peso cardiovascularExcesso de  ≥ 4 copos/dia de bebidas alcoólicas (incluindo o álcool vinho) contribui para a elevação da pressão arterial Carrageta M. 2009
  • 10. Causas de HTA essencialSedentarismo  O exercício físico regular reduz a pressão arterial Tabaco  Eleva a pressão arterial e agrava os efeitos da hipertensão sobre as paredes das artérias (acelerando a aterosclerose) Carrageta M. 2009
  • 11. Sintomas• No período inicial a HTA não provoca quaisquer sintomas ou sinais de doença• No decorrer da doença, a pressão arterial elevada pode levar ao prejuízo de diversos órgãos provocando:  Dores de cabeça  Tonturas  Zumbidos  Aumento dos batimentos cardíacos Contente A. 2001
  • 12. ConsequênciasFornecimento insuficiente de Hipertrofia e dilatação dos sangue vasos sanguíneos • Acidente vascular cerebral (AVC) • Cardiopatia isquémica, incluindo angina de peito, enfarte do miocárdio e a morte súbita • Insuficiência cardíaca • Aneurisma da aorta • Insuficiência renal Carrageta M. 2009
  • 13. Tratamento HTA• Reduzir o consumo de sal (confecção e sal mesa) – 5g de sal/dia – Temperos  sumo de limão ou laranja e ervas aromáticas – Evitar salgados e charcutaria• Reduzir consumo de álcool – Mulheres: 1 a 2 copos/dia; Homens: 1 a 3 copos/dia• Reduzir excesso de peso – Redução em 5kg no peso corporal equivale a ↓ da pressão sistólica em 10mmHg e em 5 mmHg na pressão diastólica Carrageta M. 2009
  • 14. Tratamento HTA• Praticar regularmente exercício físico – O exercício físico regular reduz a pressão arterial em cerca de 10 a 15 mmHg – O exercício escolhido deve compreender movimento cíclicos (marcha, corrida, natação, dança, ciclismo) – Os hipertensos devem evitar esforços (levantar pesos, empurrar moveis pesados), uma vez que a pressão arterial aumenta durante o esforço• Controlo Farmacológico – Aliado ao tratamento nutricional e ao exercício físico Carrageta M. 2009
  • 15. Hipertensão resistente• Medição incorrecta da pressão arterial• Má adesão ao tratamento• Excesso de ingestão de sal e/ou álcool• Medição diurética inadequada• Doses inadequadas e/ou interacções farmacológicas• Suplementos alimentares de origem vegetal• Hipertensão da “bata branca”
  • 16. Obrigada!