Agrupamento de escolas da Batalha                                    Ano lectivo 2011/2012                                ...
Agrupamento de escolas da Batalha          Ano lectivo 2011/2012                Filosofia3                        Grupo 1
Agrupamento de escolas da Batalha                             Ano lectivo 2011/2012                                   Filo...
Agrupamento de escolas da Batalha                      Ano lectivo 2011/2012                            Filosofiatransfobi...
Agrupamento de escolas da Batalha                           Ano lectivo 2011/2012                                 Filosofi...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               FilosofiaDIA...
Agrupamento de escolas da Batalha              Ano lectivo 2011/2012                    Filosofia    As mulheres do mundo8...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               FilosofiaMUL...
Agrupamento de escolas da Batalha                        Ano lectivo 2011/2012                              Filosofia  O m...
Agrupamento de escolas da Batalha                                Ano lectivo 2011/2012                                    ...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               Filosofia  A...
Agrupamento de escolas da Batalha                             Ano lectivo 2011/2012                                   Filo...
Agrupamento de escolas da Batalha                                   Ano lectivo 2011/2012                                 ...
Agrupamento de escolas da Batalha                          Ano lectivo 2011/2012                                FilosofiaA...
Agrupamento de escolas da Batalha                          Ano lectivo 2011/2012                                Filosofia ...
Agrupamento de escolas da Batalha                        Ano lectivo 2011/2012                              Filosofia     ...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               FilosofiaMUL...
Agrupamento de escolas da Batalha                           Ano lectivo 2011/2012                                 Filosofi...
Agrupamento de escolas da Batalha                            Ano lectivo 2011/2012                                  Filoso...
Agrupamento de escolas da Batalha                          Ano lectivo 2011/2012                                Filosofia ...
Agrupamento de escolas da Batalha                           Ano lectivo 2011/2012                                 Filosofi...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               Filosofia-É ...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               Filosofia-A ...
Agrupamento de escolas da Batalha                          Ano lectivo 2011/2012                                Filosofia-...
Agrupamento de escolas da Batalha                           Ano lectivo 2011/2012                                 Filosofi...
Agrupamento de escolas da Batalha                             Ano lectivo 2011/2012                                   Filo...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               Filosofia  D...
Agrupamento de escolas da Batalha                Ano lectivo 2011/2012                      Filosofia     Homem e mulher: ...
Agrupamento de escolas da Batalha                            Ano lectivo 2011/2012                                  Filoso...
Agrupamento de escolas da Batalha                         Ano lectivo 2011/2012                               Filosofia  N...
Agrupamento de escolas da Batalha                        Ano lectivo 2011/2012                              FilosofiaHOMOF...
Agrupamento de escolas da Batalha                              Ano lectivo 2011/2012                                    Fi...
Agrupamento de escolas da Batalha                          Ano lectivo 2011/2012                                Filosofia ...
Agrupamento de escolas da Batalha                        Ano lectivo 2011/2012                              Filosofia     ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Direitos das mulheres

6,823

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,823
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
183
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Direitos das mulheres"

  1. 1. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaÍndiceINTRODUÇÃO ..................................................................................................... 4DIREITOS UNIVERSAIS DAS MULHERES ................................................................ 6DIA DA MULHER .................................................................................................. 7AS MULHERES DO MUNDO .................................................................................. 8MULHERES DO MUNDO ...................................................................................... 9A MULHER AFRICANA ...................................................................................... 11MULHER INDIANA ............................................................................................. 12A MULHER EUROPEIA ....................................................................................... 15A MULHER ISLÂMICA……………………………………………………………………..17MULHER CHINESA ............................................................................................. 27HOMEM E MULHER: O QUE OS SEPARA ............................................................ 29“UMA BATALHA DE CADA VEZ…ATÉ VENCER A GUERRA” ............................. 30HOMOFOBIA .................................................................................................... 32MISANDRIA E ANDROFOBIA ............................................................................. 33CONCLUSÃO: .................................................................................................. 34BIBLIOGRAFIA ................................................................................................... 35 2 Grupo 1
  2. 2. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia3 Grupo 1
  3. 3. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaIntrodução Este trabalho trata as diferenças de género em váriassociedades,culturas e religiões. A abordagem das questões de génerofocam sobretudo as distinções que são culturalmente construidas entreos sexos. Desde os tempos primórdios que o estatuto da mulher é geralmenteinferior ao do homem,como podemos constatar com a nossa pesquisa. A diferença entre sexos também pode ser denominada de sexismo, oque significa priviligiar um dos sexos. As ações que diferenciam os sexos são principalmente: acharem queum sexo é superior ao outro; que a mulher e o homem sãoprofundamente distintos, mesmo além das diferenças biológicas e queessas devem refletir-se em aspectos socias como nos direitos. As diferenças de género (ou diferença de sexos) são distinções decaracterísticas biológicas e/ou fisiológicas geralmente associadas entreos sexos masculino e feminino. O sexismo contra as mulheres é denominado de machismo,chauvinismo ou misoginia. As pessoas que praticam o sexismo não sãosempre pessoas do sexo oposto, muitas das vezes pessoas desse mesmosexo são influenciadas pela forma como a cultura age no seu todo,dogmatismo. Muitos indivíduos justificam a sua posiçãomachista com o facto de ascaracterísticas biológicas do homem serem geralmente superiores ás damulher,como a força e a altura. O sexismo contra o homem é regularmente denominado demisandria ou androfobia. A homofobia é também uma forma de diferenciação de géneros,sendo que esta é a intolerância a pessoas homosexuais. A homofobia évista como um comportamento crítico e hostil tal como discriminante. A 4 Grupo 1
  4. 4. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofiatransfobia é a descriminação de pessoas transexuais,travestis etransgéneros. 5 Grupo 1
  5. 5. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Direitos universais das mulheres Segundo a Organização das Nações Unidas os 12 direitos das mulheressão:1. Direito à vida;2. Direito à liberdade e a segurança pessoal;3. Direito à igualdade e a estar livre de todas as formas de discriminação;4. Direito à liberdade de pensamento;5. Direito à informação e a educação;6. Direito à privacidade;7. Direito à saúde e a protecção desta;8. Direito a construir relacionamento conjugal e a planejar sua família;9.Direito à decidir ter ou não ter filhos e quando tê-los;10. Direito aos benefícios do progresso científico;11. Direito à liberdade de reunião e participação política;12.Direito a não ser submetida a torturas e maltrato; 6 Grupo 1
  6. 6. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaDIA DA MULHER O dia da mulher nasceu no contexto da primeira guerra mundial e dasegunda revolução industrial. No seguimento destes acontecimentos, a mão-de-obra feminina foiincorporada, em grande escala, naindústria. No entanto as suas condições detrabalho eram doentias e perigosas e,por isso, motivo de protesto por parte dastrabalhadoras. Muitas manifestaçõesocorreram nos anos seguintes, em váriaspartes do mundo, destacando-se NovaIorque, Berlim, Viena (1911) e SãoPetersburgo (1913). O primeiro Dia Internacional da Mulher foi celebrado dia 28 deFevereiro de 1909 nos Estados Unidos, por iniciativa do Partido Socialistada América, em memória do protesto contra as más condições detrabalho das operárias da indústria do vestuário de Nova York . No ano seguinte, o Dia Internacional da Mulher foi celebrado a 19 deMarço, por mais de um milhão de pessoas, na Áustria, Dinamarca,Alemanha e na Suíça. Poucos dias depois, a 25 de Março de 1911, um incêndio na fábricada Triangle Shirtwaist mataria 146 trabalhadores - a maioria costureiras. O número elevado de mortes foi atribuído às más condições desegurança do edifício. Este foi considerado como o pior incêndio dahistória de Nova Iorque, até 11 de Setembro de 2001, sendo por isso esteo acontecimento associado à origem do Dia Internacional da Mulher-Dia 8 de Março, apesar de ser recordado num dia diferente. A verdade é que actualmente o dia da mulher é considerado um diacomemorativo e tem um carácter comercial muito forte, o que não erapretendido aquando da sua origem. No entanto, não significa que seja de todo desvantajoso. Pelocontrário mostra que já não é necessário lembrar constantemente àsociedade que a mulher é igual ao homem. 7 Grupo 1
  7. 7. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia As mulheres do mundo8 Grupo 1
  8. 8. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaMULHERES DO MUNDO Um pouco por todo o mundo é conhecida a posição da mulher. Quer seja pela maneira como é tratada ou pela maneira como évista aos olhos da sua cultura, a verdade é que desde sempre a mulherfoi desvalorizada. Os actos violência mais cruéis são permitidos para castigar qualquerofensa ao homem, proibições que afectam o seu sentido maternal etranstornam a mulher quer a nível físico quer a nível psicológico, entresoutros aspectos são apenas alguns exemplos da maneira como vive amulher no mundo- DISCRIMINADA. O machismo é a principal forma de discriminação. O machismo não é algo recente.Na época de sua origem, nada eraquestionado pelas mulheres, pois elas não tinham acesso aos estudos etinham poucos conhecimentos, logo não faziam nenhuma reflexãoacerca do assunto nem acerca e da sua condição, limitavam-se aaceitar. A partir da metade do século XX, as mulherespassaram a ter um maior acesso aoconhecimento e aos estudos,inclusive àfilosofia. A partir desse maior acesso tinhammaneira e argumentos para reivindicar os seusdireitos. Machista é todo aquele que não acreditanuma igualdade de direitos entre homem emulher. Um exemplo, existem homens emulheres que acreditam que as tarefasdomésticas são um dever somente da mulher. 9 Grupo 1
  9. 9. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia O machismo não passa de uma forma de opressão, de umaideologia criada por sociedades de classes. Nasceu com a história da humanidade na qual, como já foi referidoanteriormente, a mulher era considerada inferior mas vai morrendo como avanço da sociedade e com a emancipação da mulher. Existem várias maneiras de por esta discriminação em prática, comopor exemplo: Infidelidade, Violência doméstica, Diferença de direitos, Na prática de desporto.  Infelizmente ainda é testemunhado em milhares de aldeiasmulheres e homens que acreditam que existem determinadas funçõesdestinadas apenas às mulheres ou apenas aos homens. Para combatereste facto é necessário instruir as pessoas e leva-las a pensar emsituações hipotéticas e extremas para que cheguem por si próprios áconclusão de que a partilha é a melhor maneira de conviver emsociedade. Isto porque as pessoas que vivem nessas aldeias são normalmentede classes com um nível de educação mais baixo e por isso bastantedogmáticas. Cada cultura tem as suas regras específicas e, nos exemplos que seseguem, demonstra-se como vive e sofre a mulher em cada canto domundo. 10 Grupo 1
  10. 10. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaA MULHER AFRICANA Desde há longos anos que a mulher africana tem sabidoenfrentar com amor e coragem uma luta gigantesca provocadapor diversos motivos. Lutou contra a opressão colonial, contra a fome e miséria teveque se deslocar de uma terra para outra àprocura de sobrevivência e por causa dasguerras civis em muitos dos paísesAfricanos.Elas têm lutado incansavelmentepara conseguir modificar os conceitos dasociedade em relação aos direitos dasmulheres. Têm demonstrado uma coragemimpressionante e apesar das imensasdificuldades que lhes têm sidoapresentadas não perderam a alegria edemonstram uma força inquebrantávelpara conseguirem alcançar o seu objectivoprincipal:DIREITOS IGUAIS E UMA SOCIEDADE MAIS JUSTA Apesar dos passos dados resta ainda um longo caminho a percorrer:É grande o número de mulheres vítimas da exclusão social, da violênciafamiliar e cultural, com os Direitos Humanos fundamentais negados... 11 Grupo 1
  11. 11. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia A luta pela igualdade e pelo desenvolvimento continua, sabendoque até a vitória final haverá entretanto necessidade de instruir milhõese milhões de mulheres e de crianças até progredirem para sociedadesactuais. A mulher em África tem independência económica. Emboraculturalmente esteja submetida aos seus parentes masculinos e adeterminados rituais para ser completamente aceite na sociedade, mastambém é uma mulher com problemas de fome, violência e exclusão. Hoje em dia as mulheres em África continuam a dominar o podereconómico, se tiver em conta a manutenção das famílias e dos lares, amaior parte das famílias são mantidas na sua maioria por mulheres. Como reconhecimento da situação difícil em que se encontrava amaioria das mulheres do continente, foi criado o dia da mulher africana-31 de Julho- para as homenagear, um avanço no combate contra adesigualdade de géneros.MULHER INDIANA 12 Grupo 1
  12. 12. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia“Venha o que vier, precisarei me adaptar, pois as mulheres têm de fazersacrifícios, porque neste país as coisas são feitas para os homens.(Shobha Choudhary, casada desde os oito anos)” Quando uma mulher se casa, com um marido escolhido pelos seuspais, que tem obrigatoriamentede ser da mesma casta (gruposocial hereditário). A mulher só pode chamar omarido pelo seu nome no dia docasamento, a partir daí vai viverpara casa dos pais do marido etem de obedecer a tudo o queele e a sua mãe dizem, apesar dos pais da noiva terem de pagar odote (montante significativo)á familia do noivo para que há-jácasamento. Este acto faz com que muitos casamentos sejam baseadosem intereses e não em sentimentos o que acarreta mais infelicidadepara a já miserável vida da mulher Quando uma mulher fica grávida de uma menina o mais usual é serobrigada a recorrer ao fetocidio pela familia do noivo. O fetocidio é arazão da desporporção de sexos na Índia. O grande motivo é por que o filho homem vai continuar os negóciose tomar conta da família na ausência do pai. Os negócios nunca vãopoder ser continuados por uma filha mulher porque “a mulher não tempulso firme como o homem para controlar negócios”.Auxiliando estajustificação para a negação dos direitos da mulher, os indianos aindaacrescentão o pagamento do dote, um peso para os baixosorçamentos familiares. 13 Grupo 1
  13. 13. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Em tempos antigos quando o marido morria, praticava-se o sati queconsistia em cremar a mulher viva juntamente com o cadáver domarido, mas com uma lei que proíbe essa tradição, as mulheresindianas viúvas de hoje usam um sári branco que significa a sua viúveze a perda do seu prestígio, que já não era muito na sua sociedade,tendo que se “desenrascar” sozinhas, muitas vezes definhando á beirado rio Ganges, o rio maior da índia. No pequeno estadomontanhoso de Meghalaya, noleste da Índia, opera umsistema matrilinear em quepropriedades e riquezaspassam de mãe para filha aocontrário do que acontece emtodo o resto da índia, ondetodos os bens e negóciospassam de pai para filho. "Se é uma menina, haverá grandes comemorações na família dolado de fora. Se é um menino, você ouvirá eles murmuraremeducadamente que O que Deus quiser nos dar está bom." A única informação encontrada acerca do domínio das mulheres naIndia foi a informação acima referida por citações de um homemresidente nessa região, o que nos leva intuitiva a reparar nadesproporcionalidade da igualdade dos géneros. Em toda a Índia amulher é dominada pelo homem e apenas neste pedaço do país amulher carrega a liderança. 14 Grupo 1
  14. 14. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaA MULHER EUROPEIA São encontrados na bíblia textos sobre a primeira mulher, Eva, que foicriada a partir de um modelo, Adão. Eva, portanto, é parte de um homem, originada de sua costela e nãoconcebida directamente por Deus, que criou o homem à sua imagem esemelhança. Nesta representação, ela assume uma posição deinferioridade. Eva é a extensão de Adão, que é filho de um Deus masculino.Carrega, ainda, a responsabilidade de tê-lo induzido a comer o fruto daÁrvore do Conhecimento, acarretando-lhes a expulsão do Paraíso,tendo o homem de trabalhar para garantir a sua subsistência e amulher de ser submissa e de sentir dor na hora do parto. Partindo destes pressupostos, a mulher também nesta cultura é um serinferior, culpada pela tentação do homem e dos seus pecados. Tinha meramente funções sexuais, de reprodução e de cumprirtarefas consideradas humilhantes para ohomem. Mas a mulher ocidental é mais evoluídaculturalmente que a mulher oriental, e não sedeixou ficar numa posição de inferioridade. Começou tudo com a promoção daigualdade nos direitos contratuais e depropriedade para homens e mulheres, e naoposição de casamentos arranjados. Seguiu-se a conquista do direito ao voto eassim, pouco a pouco, a mulher foi conquistando alguns dos seusdireitos. Estes movimentos foram apenas alguns de muitos outrosrealizados por mulheres como Voltairine de Cleyre,Margaret Sangeretambém pela portuguesa Beatriz Ãngelo conhecidas como feministas,devido ao movimento do feminismo. 15 Grupo 1
  15. 15. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Actualmente a mulher ocidental tem uma vida mais facilitadaembora ainda existam diferenciações, nomeadamente a nível desalários para o mesmo emprego e de educação. No entanto, em alguns países essa diferença é muito pouca ou quaseinexistente.Em alguns países considerados desenvolvidos ahomossexualidade feminina já é uma realidade e o seu casamento já épermitido, algo que podemos agradecer ao feminismo pois, sem isso, talcoisa seria considerado absurdo e severamente castigado. Mas as desigualdades ainda persistem: O fosso salarial entre homens e mulheres continua a ser de 18% em média, na União Europeia, com condições de trabalho cada vez mais precárias para as mulheres. A violência dos homens contra as mulheres mata mais de mil mulheres na Europa todos os anos. Esta violência é simultaneamente uma consequência da desigualdade e um obstáculo à igualdade. 16 Grupo 1
  16. 16. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia As doutrinas económicas actuais têm consequências particularmente graves param as mulheres. A maioria das pessoas que vivem em condições de pobreza são mulheres, muitas delas idosas. Em diversos países da UE, é negado às mulheres o direito de decidirem livremente sobre o seu corpo e a sua sexualidade, sendo também proibido ou seriamente limitado o acesso a serviços de saúde sexual e reprodutiva, incluindo o aborto a preços acessíveis. Continuam a ser as mulheres a despender grande parte do tempo à prestação de cuidados, aos filhos e à família, sendo este trabalho não remunerado. A falta de serviços de apoio à prestação de cuidados à família a preços acessíveis é uma realidade em toda a Europa. As estruturas de decisão nacionais e europeias continuam a ser extremamente desequilibradas em termos de género. As mulheres só representam uma média de 23% dos deputados nacionais (2009).17 Grupo 1
  17. 17. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaMULHER ISLÂMICA Existe, infelizmente, um pouco por todo o mundo mulheres que sofremdiscriminação. O caso de maior relevância que confirma este horrível facto é o casodas mulheres islâmicas. Estas mulheres são desde cedo ensinadas aobedecer quer pela sua mãe quer pela imposiçãode poder do seu pai. Podíamos culpar as mãesmas elas também não tiveram acesso ao ensino enão sabem que do lado de lá das fronteiras do seupaís existe um mundo livre onde algumas mulheresjá têm quase tanta liberdade como os homens e partilham os mesmosdireitos. No entanto, a mulher islâmica não tem direitos. Embora possamconstar na constituição do seu país, nas aldeias mais pequenas, que porvezes não constam no mapa, estes direitos não são postos em prática.Isto acontece porque o homem conseguiu dominar a mulher,impedindo-a de ter acesso ao ensino e ao resto do mundo, impondo asua vontade e o seu poder.A mulher islâmica e a religião O islamismo sustenta que tanto o papel do homem como o damulher são igualmente merecedores de respeito, isto é, segundo o seuponto de vista o trabalho é dividido entre os sexos, o que é benéficonão só para eles como para a sociedade. Tendo em conta a cultura em que estamos inseridos, a divisão detrabalho que eles põem em pratica é vista como desigual. 18 Grupo 1
  18. 18. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia No entanto, os seguidores desta religião acreditam que as tradiçõesislâmicas apoiam uma igualdade entre os sexos. O Alcorão afirma que para Deus não existe qualquer diferença entreos sexos: "Quanto aos muçulmanos e às muçulmanas, aos fiéis e às fiéis, aosconsagrados e às consagradas, aos verazes e às verazes, aosperseverantes e às perseverantes, aos humildes e às humildes, aoscaritativos e às caritativas, aos jejuadores e às jejuadoras, aosrecatados e às recatadas, aos que se recordam muito de Deus e às quese recordam dEle, saibam que Deus lhes tem destinado a indulgência euma magnífica recompensa." (Alcorão 33:35) "A quem praticar o bem, seja homem ou mulher, e for fiel,concederemos uma vida agradável e premiaremos com umarecompensa, de acordo com a melhor das suas acções." (Alcorão16:97) No entanto essa diferença existe e é justificada pelo papel de cadaum dos sexos na sociedade, isto é, os direitos e responsabilidades deuma mulher são iguais aos do homem, mas não necessariamenteidênticos a eles. Igualdade e identidade são duas coisas diferentes, afirmam astradições islâmicas - a primeira é desejável e a última não. Contudo, a igualdade exigida pelas tradições islâmicas tem que servista num contexto mais amplo, se quisermos que seja compreendidaadequadamente. 19 Grupo 1
  19. 19. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Por exemplo, uma vez que osmuçulmanos têm em conta adiferenciação dos papéis comonatural e desejável na maioria doscasos, asresponsabilidadeseconómicas são do homem, a fimde proporcionar um equilíbrio nasdiferenças físicas entre homens emulheres, por causa da responsabilidade maior que a mulher carrega,no que se refere à reprodução e às actividades de criação eeducação que são necessárias ao bem-estar da sociedade. Assim, afirmar que os homens da família são responsáveis pelosustento económico das mulheres, ou que as mulheres não sãoigualmente responsáveis, não é um impedimento ou uma negação daigualdade de sexos. Pelo contrário, é uma obrigação a ser cumprida pelos homens, comouma compensação por outra responsabilidade que envolve umahabilidade específica das mulheres. Contudo, este facto dificulta uma possível ascensão da mulher namedida em que, para sobreviver, necessita de poder económico quenão lhe é dado nesta cultura, estando sempre dependente do maridoou de um homem. A justificação para o que denomina-mos de discriminação, segundoos islamicos é: “Se as mulheres islãmicas sentirem qualquer tipo dediscriminação em qualquer lugar ou tempo, a culpa não é do islamismomas sim da natureza não islâmica de sua sociedade, e do fracasso dosislamicos em atender às suas tradições.” 20 Grupo 1
  20. 20. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia A verdade é que o alcorão pode ser interpretado de várias formas.Se a igualdade entre sexos e o direito da mulher está presente nestedocumento sagrado, a verdade é que a permissão e a justificaçãopara a desigualdade também ai se encontram pressentes. Seguindo os seus exemplos, os crentes em Maomé e seus familiares,maltratam as mulheres. Nesta cultura a mulher é um ser inferior pois é considerada menosinteligente e menos religiosa devido às suas condições naturais que aimpedem de cumprir as obrigações impostas pela religião. Por exemplo,durante a menstruação não podem jejuar quando isso era suposto. Uma mulher virgem - seja criança ou adulta- pode casar sem o seuconsentimento, seguindo o exemplo dos mais antigos lideres doislamismo: “Maomé casou com Aisha que lhe foi prometida em casamentoquando tinha apenas seis anos de idade. Casaram quando a meninacontemplou nove anos.” A justificação para a poligamia também consta no alcorão e nãodeixa de ser um acto humilhante para a mulher e de certo modoglorificante para o homem.Em livros como Al-Fiqh ala al-Mazahib al-Arbaa o homem pode ter até quatro mulheres e se alguma morrer ouse divorciar pode até casar com uma quinta esposa. Ao homem é também lhe permitido ter relações sexuais com umnúmero ilimitado de escravas, pois no acto da sua compra o direito aessas relações está implícito. Este acto é justificado pelos profetas que dizem ter “ a potênciasexual de quarenta homens”. 21 Grupo 1
  21. 21. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaA mulher islâmica e a familia Algumas das famílias islâmicas são extensas, pois existem várias quevivem com três ou mais gerações de parentes (avós, pais, tios, tias esuas descendências) e devido á prática de poligamia. As crianças destas famílias nãosentem a falta dos pais quetrabalham porque são cuidadaspelas mulheres da casa. As tradições islâmicas têm umaforte participação da família noque diz respeito aos casamentos.Enquanto a maior parte das mulheres discorda com o planeamento doseu casamento feito pelos seus familiares. No entanto, os islâmicosdefendem que esta prática é vantajosa pois assegura casamentosbaseados em princípios mais sólidos e dá pouco relevo à atracçãofísica, ao desejo sexual e ao amor. As leis e a mulher islâmica-É absolutamente proibido às mulheres qualquer tipo de trabalho forade casa, incluindo professoras, médicas, enfermeiras, engenheiras, etc;-É proibido às mulheres andar nas ruas sem a companhia de um“nmahram” (pai, irmão ou marido);-É proibido falar com vendedores homens; 22 Grupo 1
  22. 22. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia-É proibido ser tratada por médicos homens, mesmo que em risco devida;-É proibido o estudo em escolas, universidades ou qualquer outra instituição educacional; -É obrigatório o uso do véu completo (burca) que cobre a mulher dos pés à cabeça; -É permitido chicotear, bater ou agredir verbalmente as mulheres que não usarem as roupas adequadas (burca) ouque desobedeçam a uma ordem talibã;-É permitido chicotear mulheres em público se não estiverem com oscalcanhares cobertos;-É permitido atirar pedras publicamente a mulheres que tenham tidosexo fora do casamento, ou que sejam suspeitas de tal (ex. violação);-É proibido qualquer tipo de maquilhagem (foram cortados os dedos amuitas mulheres por pintarem as unhas);-É proibido falar ou apertar as mãos deestranhos;-É proibido à mulher rir alto (nenhumestranho pode sequer ouvir a voz damulher);-É proibido usar saltos altos que possamproduzir sons enquanto andam, já que nenhum homem pode ouvir ospassos de uma mulher; 23 Grupo 1
  23. 23. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia-A mulher não pode usar táxi sem a companhia do marido, pai ouirmão;-É proibida a presença de mulheres em rádios, televisão ou qualqueroutro meio de comunicação;-É proibido andar de bicicleta ou motocicleta, mesmo com seus“maharams”;-É proibido o uso de roupas que sejam coloridas, ou seja, “que tenhamcores sexualmente atraentes”;-Os transportes públicos são divididos em dois tipos, para homens emulheres, pois os dois não podem viajar no mesmo;-É proibida a participação de mulheres em festividades;-É proibido o uso de calças compridas mesmo debaixo do véu;-As mulheres estão proibidas de lavar roupas nos rios ou locais públicos;-As mulheres não se podem deixar fotografar ou filmar;-Todos os lugares com a palavra “mulher” devem substitui-la, porexemplo: O Jardim da Mulher deve passar a chamar Jardim daPrimavera;-Fotografias de mulheres não podem ser impressas em jornais, livros ourevistas ou penduradas em casas e lojas;-As mulheres são proibidas de aparecer nas varandas das suas casas;-O testemunho de uma mulher vale metade do testemunho masculino; 24 Grupo 1
  24. 24. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia-Todas as janelas devem ser pintadas de modo a que as mulheres nãosejam vistas dentro de casa por quem estiver do lado de fora;-É proibido às mulheres cantar;-Os alfaiates são proibidos de costurar roupas para mulheres;-É completamente proibido assistir a filmes, televisão, ou vídeo;-As mulheres são proibidas de usar as casas de banho públicas (apesarda maioria não ter casa de banho em casa).“Algumas mudanças…” A estilista libanesa Aheba Zalvetti criou o“burquini”, isto é, uma mistura de burca combiquíni, mas mais reservado pois cobre toda amulher, com excepção do rosto e dos pés. Esta veste é composta por uma espécie de véu, uma camisola demanga comprida e calças longas. Tem um tecido muito versátil para aprática de desporto (natação, voleibol e futebol de praia).A federaçãoiraniana de natação, por exemplo, que nunca enviou nenhuma mulheràs Olimpíadas, já adoptou um uniforme inspirado no burquíni comouniforme oficial para competições internacionais. Apenas no Mundial de Jogos para Mulheres Muçulmanas é que elaspodem usar a roupa que quiserem, pois é um evento somente paramulheres.  Este exemplo não pede ser considerado uma evolução da cultura muçulmana uma vez que os direitos da mulher ainda não são respeitados. A mulher, apesar de já poder practicar desporto e ir á praia ainda não é livre de usar as roupas que desejar e escolher e o tipo de desporto que quer practicar uma vez que é condicionada pela roupa. 25 Grupo 1
  25. 25. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Em todas as culturas existem certas tradições e regras quecondicionam a vida das pessoas, principalmente a vida das mulheres. No caso do islamismo, os homens são vistos como superiores ásmulheres. Por exemplo, o nascimento de um rapaz é acolhido com maisentusiasmo do que o de uma rapariga (muitas vezes, quando nascemraparigas, são mortas a nascença). Mesmo antes do profeta Muhammad, a mulher era vista como umfardo indesejável, uma fonte de desgraça e humilhação para a família.Eram tratadas como brinquedos nas mãos dos homens e não tinhamdireito à herança. Com o aparecimento do profeta Muhammad pouco mudou, pois asmulheres continuam a ser mal tratadas e sem direito á liberdade. A mulher islâmica é apesar das opiniões e justificações dos homensda sua cultura discriminada. A sua posição é considerada inferior á do homem e isso reflecte-se na sua vida e na maneira como é tratada pela sua sociedade. 26 Grupo 1
  26. 26. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaMULHER CHINESA São ainda incontáveis os casos de países em que a igualdade entreHomens e Mulheres não passa de uma miragem. A discriminação feminina é uma realidade sentida na China. As mulheres Chinesas sofrem discriminaçãono trabalho, na educaçãoe no acesso a serviços de saúde. Diz a conhecida "política" que um casal não pode ter mais do queum filho e, de preferência, ele deve ser do sexo masculino. Um segundofilho apenas é permitido nos casos em que o primeiro seja umarapariga. Por isto, a China cedo ficou conhecida como o país em que vigora achamada "política do filho único". No caso de um casal dar origem amais nascimentos do que o legalmentepermitido é obrigado ao pagamentode pesadas multas o que temconsequências prejudiciais nos magrosorçamentos da esmagadora maioriadas famílias. Talvez um dos aspectos maisdesumanos desta lei é o aborto obrigatório para todas as mulheressolteiras e para aquelas que voltem a engravidar, depois de já teremtido o "filho único. Não é tido em conta o tempo de gestação, nem sequer apossibilidade de traumas psicológicos, mais ou menos complicados. Noscasos em que ela recusa o aborto, a detenção é o primeiro passo. Umadetenção que nunca se sabe quanto tempo pode durar, nem em quecondições... Até que a concordância com o aborto acabe poracontecer. 27 Grupo 1
  27. 27. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Depois de a mulher se casar é obrigada a ir viver para casa dos paisdo marido, situação que agrava a total dominação masculina. A seguir a esta dominação, o mais comum é que cheguea violência. Não só do marido para com a mulher, como também daparte da família dele para com ela. O que agrava esta situação é o facto de que, na China, um caso deviolência só é crime quando o agressor pertence a uma famíliadiferente da do agredido. Desculpabilizando, assim, osactos violentosentre elementos do mesmo agregado familiar.  São mudanças na lei como a acima referidas que entristecem decerto modo a mulher na medida em que tem mais um obstáculo na sualuta pela liberdade. No entanto este é dos mais difíceis de ultrapassaruma vez que podem facilmente ser presas durante longos períodos detempo, os que as desprende da luta pelos seus direitos. 28 Grupo 1
  28. 28. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Homem e mulher: o que os separa29 Grupo 1
  29. 29. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia“UMA BATALHA DE CADA VEZ…ATÉ VENCER A GUERRA ” A igualdade entre o homem e a mulher é um ideal a atingir pelahumanidade. Apesar das grandes diferenças existentes em algumas culturas, averdade é que a pouco e pouco esta batalha vai sendo vencida. É na Europa e na América que estes factos são mais notórios pois,nestes continentes a grande parte dospaíses que deles fazem parte sãoconsiderados como desenvolvidos em aqualidade de vida de toda a populaçãoé bastante melhor, o que incluieducação, respeito dos direitos entreoutros factores, cruciais para umasociedade sem diferença de géneros. Exemplo disso mesmo é a notícia seguinte sobre os países nórdicos: “Os países nórdicos são os que mais respeitam a igualdade entrehomens e mulheres, seguidos pelos restantes países europeus. No outro extremo estão países como o Brasil, a Índia, o Paquistão e oEgipto, revela um estudo publicado pelo Fórum Económico Mundial,que mostra grandes disparidades nos 58 países analisados. O estudo - o primeiro do género que tenta quantificar asdesigualdades entre os sexos através do nível de participação damulher na vida política e económica e dos índices de acesso àeducação e à saúde -, situa nos cinco primeiros lugares a Suécia, aNoruega, a Islândia, a Dinamarca e a Finlândia. 30 Grupo 1
  30. 30. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Na lista dos 15 primeiros países desta lista estão outros dez da UniãoEuropeia, aos quais se juntam a Nova Zelândia, na sexta posição, oCanadá, na sétima, e a Austrália, na décima posição. A Grã-Bretanha aparece em oitavo lugar, a Alemanha no nono, aFrança no 13ª, à frente da Bélgica (20º), Portugal (23º) e Espanha (27º).Os países europeus pior colocados são a Itália (45º) e a Grécia (50º).”(página da educação, arquivo vivo, nº146) No entanto esta guerra está, infelizmente, muito longe de ser vencida. Ainda existem muitas discriminações não só ás mulheres comotambém a pessoas homossesuais e, numa menor escala ao homem. 31 Grupo 1
  31. 31. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 FilosofiaHOMOFOBIA Relativamente às diferenças entre pessoas com orientações sexuaisdiferentes ainda há muito por mudar, principalmente no que toca acasais homossexuais. O seu casamento já é legal em muitos países, mas apenas em paísesdesenvolvidos. E mesmo nestes existe por vezes muita discriminação erejeição. Segue uma notícia que serve de exemplo. “Apesar de proibida a discriminação, homens gays não podem doarsangue “Uma norma nacional considera inapto à doação qualquer homemque se tenha relacionado sexualmente com outro homem no períodode 12 meses. O mesmo vale para heterossexuais que, no mesmoperíodo, se relacionaram sexualmente com várias parceiras.” Ora se em países considerados desenvolvidos isto acontece, o queacontecerá em países mais desfavorecidos? Como é óbvio a homossexualidade não existe nestes países. Oumelhor ela existe mas é ignorada o que trás sofrimento a muitas pessoascom essa orientação sexual. 32 Grupo 1
  32. 32. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia MISANDRIA E ANDROFOBIA Pelo trabalho desenvolvido até aqui é fácil entender e concluirque é pouca a discriminação feita ao homem. Apesar de existir, é feitapor uma minoria de mulheres no mundo e, geralmente, por feministasextremas. Misandria é o ódio ou desprezo ao sexo masculino. Teve origemno feminismo radical, tendo sido influenciado pela figura de ValerieSolanas. A androfobia é o medo irracional de homens. É um caso do foropsicológico que leva indirectamente á discriminação do homem. ´ É no entanto rara e leva a que sejam publicadas perguntas dogénero do exemplo que se segue em redes sociais.“Alguma menina além de mim tem ANDROFOBIA ousou a única da face da terra! Devo mudar de planeta?Eu sou uma aberração da natureza, tenho 18 anos e nunca cheguei perto de beijar um rapazfico completamente gelada só de me aproximar uns 20cm de um homem . Procurei umapsicóloga e descobri que tenho ANDROFOBIA (medo de homem) queria saber se só eu souuma aberração? Meninas respondam por favor!” 33 Grupo 1
  33. 33. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia Conclusão: Com este trabalho concluímos que as mulheres continuam a seras mais descriminadas em todos o mundo pois a desigualdade entregéneros continua a ser muita principalmente nos países emdesenvolvimento o que um mundo “tão desenvolvido” como o nossonão devia suportar. Das mulheres espera-se obediência, beleza eprincipalmente muito trabalho, já dos homens espera-se, força,competitividade, autoridade e poucos sentimentos. No entanto, continua-se a lutar por igualdade de género, ou sejaigualdade de ser e estar para todas as pessoas, e nãoigualdade entreos sexos, o que não é nem possível nem apetecível. Estaigualdadepressupõe o direito de escolher sem obstáculos ouinterditossexualmente definidos. Ou seja, sem discriminações. Ninguém tem o direito de tratar um grupo de pessoas comosendo de menor valor, menos merecedores ou menos dignos derespeito. Discriminações deste tipo revelam ignorância por parte dequem as pratica e dogmatismo. É importante estarmos sempre abertosa novas ideias uma vez que se encontramos num mundo em constantemudança e evolução, que temos que acompanhar se queremos fazerparte dele como cidadãos activos. "A mulher foi feita da costela do homem, não dos pés para serpisada, nem da cabeça para ser superior, mas sim do lado para serigual, debaixo do braço para ser protegida e do lado do coração paraser amada." (Maomé) 34 Grupo 1
  34. 34. Agrupamento de escolas da Batalha Ano lectivo 2011/2012 Filosofia BIBLIOGRAFIAAs fontes para a elaboração deste trabalho foram as seguintes: http://mulheresislamicas.blogspot.pt/ http://www.sbmrj.org.br/Mulheres-tradicoes.htm http://www.jusbrasil.com.br/topicos/2267941/discriminacao-entre- homem-e-mulher http://pt.wikipedia.org/wiki/Sexismo e discriminação 35 Grupo 1

×