Encefalite herpética estudo de caso

6,588 views
6,161 views

Published on

Published in: Health & Medicine
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
6,588
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Encefalite herpética estudo de caso

  1. 1. ESTUDO DE CASO: Encefalite Herpética Valdeci Ferreira da Ponte Neto
  2. 2. Introdução <ul><li>Herpes Simplex Vírus (HSV): </li></ul><ul><li>DNA Vírus; </li></ul><ul><li>Tipo 1 e 2 (Periorais; Genitais) </li></ul><ul><li>Transmissão: Contato íntimo com Transmissor; mucosa ou lesão infectante; </li></ul><ul><li>É rapidamente inativado (aerossóis e fôrmites); </li></ul><ul><li>Neurotropismo=Doenças Neurológicas= Encefalite Herpética (EH) = Inflamação do Encéfalo (HSV-1) </li></ul>
  3. 3. <ul><li>HSV Doença de Distribuição Universal: </li></ul><ul><ul><li>HSV-1 (50 a 90 %) </li></ul></ul><ul><ul><li>HSV-2 (20 a 30%) </li></ul></ul><ul><li>EH apresenta Incidência de 1/500.000 pessoas: </li></ul><ul><ul><li>Um terço: Antes do 20 anos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Metade: Após os 50 anos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pessoas imunossuprimidas (HIV/AIDS). </li></ul></ul><ul><li>70% das morbimortalidades por EH são oriundas da dificuldade diagnóstica e subsequente falha no tratamento. </li></ul>Epidemiologia
  4. 4. Sinais e Sintomas da EH: <ul><li>Cefaleia; </li></ul><ul><li>Febre; </li></ul><ul><li>Prostração; </li></ul><ul><li>Diminuição do nível de consciência; </li></ul><ul><li>Sinais de Déficit Neurológico. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Estão relacionadas a Sequelas Neurológicas: </li></ul><ul><ul><li>Convulsões; </li></ul></ul><ul><ul><li>Déficit Cognitivo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Edema Cerebral. </li></ul></ul>Complicações
  6. 6. Diagnósticos <ul><li>Citológico do LCR; </li></ul><ul><li>Eletroencefalograma(EEG); </li></ul><ul><li>Ressonância Nuclear Magnética (RNM); </li></ul><ul><li>Reação de Cadeia Polimerase (PCR) do LCR; </li></ul><ul><li>Tomografia Computadorizada (TC); </li></ul><ul><li>Biópsia Cerebral. </li></ul>
  7. 7. Tratamento <ul><li>O Tto é feito a partir da administração do Aciclovir: </li></ul><ul><li>Antiviral Seletivo contra o Vírus Herpes; </li></ul><ul><li>Inibe a Síntese Viral; </li></ul><ul><li>DOSAGENS : </li></ul><ul><li>Inicia-se com 10 mg/Kg de 8/8hs por via IV durante 14 a 21 dias, dependendo da eficácia do comprometimento imunológico do pct. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Anamnese : A.P.S., 68 anos, masculino, aposentado, natural de Jucás-CE. Segundo informações colhidas da acompanhante (filha) o pct é separado, tem 4 filhos e mora só em casa de 5 cômodos. Conta com rede de esgoto, abastecimento de água, iluminação e coleta de lixo. Dorme em média 8h/dia e tem em média seis refeições diárias. Sedentário. Nega CA, DM, HAS, AVC, Cardiopatias, transfusões e alergias. Nunca esteve internado nem fez cirurgias. </li></ul>Apresentação do Quadro Clínico
  9. 9. <ul><li>HF : Pai e Mãe faleceram, respectivamente, por AVC e Febre Amarela. Um irmão faleceu por IM. A filha apresenta DM e HAS. </li></ul><ul><li>HDA : Pct iniciou quadro de agitação psicomotora associado a quadro febril há +/- 13 dias. Na admissão permanece apresentava-se febril, com confusão mental e afásico. HD : Encefalite herpética. </li></ul><ul><li>Exames Realizados : Hemograma Completo (Hematócrito: 33%, Hemoglobina: 11,2 g/dL; Hemácias: 3540M/ul; Leucócitos: 7000 M/l), Bioquímico (Glicose: 96 mg/dL; Uréia: 44; Creatinina: 0,9; Na+ :138; K+; 4,1; Cl- 105; Ca++ 9,1; Mg 2,1), Teste Rápido p/HIV (Negativo). Foram solicitados TC com Punção Lombar p/ estudo do LCR. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Terapia Medicamentosa : Pct está com mesma conduta terapêutica desde o início. Aciclovir 600mg + SF 0,9% 250ml (EV 8/8hs) em 1h; Haloperidol 10gts V.O. de 6/6hs. Em caso de febre ou náusea e vômito, uso, respectivo, de Dipirona 2ml + 18ml AD (EV 6/6hs) e Metoclopramida 2ml + 18ml AD (EV 8/8hs). </li></ul><ul><li>Exame Físico : EGB, consciente, desorientado, anictérico, acianótico e afebril ( T.Ax: 36,5ºC). ACV: Ritmo cardíaco regular em dois pontos, BNF. PA: 130x70 mmHg. FC: 80 bpm. Pulsos periféricos palpáveis e filiformes. AR: Murmúrio vesicular audível em todos os campos, sem ruídos adventícios, tórax com expans. reduzida porém simétrica. Abdome: flácido, indolor à palpação. Sem visceromegalias e com RHA presente em QIE. MMSS e II: simétricos, pulsos palpáveis. Sem edema. Boa perfusão periférica. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Evolução do Dia : Pct estável, consciente, desorientado e com sono e repouso preservados. Aceitando dieta por V.O. Eliminações urinárias e intestinais presentes. Abdomem flácido e indolor à palpação. Pele e mucosas íntegras e hidratadas. CVP em MSE. Higienizado, deambulando sem auxílio. SSVV estáveis. Sem queixas. Segue sob os cuidados de enfermagem. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Risco de percepção sensorial perturbada, relacionada a integração sensorial alterada. </li></ul><ul><ul><li>Avaliar e registrar o nível de consciência/orientação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Avaliar a resposta à estímulos verbais e não verbais. </li></ul></ul><ul><li>Risco de hipertermia relacionada a doença. </li></ul><ul><ul><li>Monitorar e registrar SSVV: temperatura, PA, pulso, frequência respiratória. </li></ul></ul><ul><ul><li>Administrar antipiréticos se necessário e com prescrição médica. </li></ul></ul>Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem
  13. 13. <ul><li>Risco de déficit de autocuidado relacionado a prejuízo cognitivo/perceptivo. </li></ul><ul><ul><li>Assistência no autocuidado para banho/higiene vestir-se. </li></ul></ul><ul><li>Risco de função hepática prejudicada relacionada a infecção viral. </li></ul><ul><ul><li>Avaliar sinais de comprometimento hepático (icterícia, ascite, sangramentos, febre, hepatomegalia e etc). </li></ul></ul>

×