Your SlideShare is downloading. ×
0
Modelos de
Negócios Digitais
Eliane Bezerra - 12.109.608-5
Marcos Meneleu - 12.109.419-7
Matheus Oliveira - 12.208.088-0
M...
 e-Business
 e-Commerce
 e-Procurement
 e-Marketplace
 e-Tailer
 Economia Digital
 Paradoxo da Produtividade
 Soci...
e-Business: Fazer negócio pela internet não
necessariamente envolvendo transação comercial.
e-Commerce: Conjunto de
ativid...
- Apresentação institucional;
- Brand site;
- Prestação de serviços aos clientes;
- Optimização de processos da força de
v...
Comércio de bens físicos e intangíveis
Passos:
- Marketing on-line
- Pedido
- Pagamento
- Suporte para entrega
E-COMMERCE
ESTUDO E-BIT
COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL
Compra de bens e serviços, por meio da Internet sendo que pode ser implementado
através de um processo manual ou usando um...
É um local virtual para negociações e comércio eletrônicos entre empresas,
empresas e consumidores, entre consumidores, go...
pure plays
“puro desempenho / jogo”
bricks and clicks
“tijolos e cliques”
E - TAILERS
Empresa de descendentes armênios (Marcio Kunruian e Hagop
Chabab) que nasceu como loja física.
Ao abrir a segunda loja em ...
Economia baseada em tecnologias digitais que fornecem uma plataforma global
em que pessoas e organizações planejam estraté...
ECONOMIA DIGITAL
Formas de se inter-relacionar na Economia Digital:
 Estabelecer presença online
 Redes sociais: transfo...
Formas de se inter-relacionar na Economia Digital:
Criar integração virtual em tempo real
Entrevistas de trabalho online
...
Evolução da Informática
Anos 90 – Surgimento da Internet
Anos 60 e 70 – Grandes
computadores
Anos 80 – Microcomputadores e...
Parece obvio que editar um texto no computador é muito mais eficiente que
editá-lo numa maquina de escrever. Porém, alguém...
De outro lado, existem trabalhos que refutam o paradoxo. Entre eles estão as
pesquisas de Erik Brynjolfsson, professor do ...
Segundo Brynjolfsson (1993), a falta de evidência não é evidência da falta de
contribuição positiva de TI para a produtivi...
: to share is human :
Data mining – Andreas Weigend
“..organizations transform themselves from passive collectors to activ...
ABC of Social Data
Approval
Belonging
Connecting
“Stanford Program on Regions of Innovation and Entrepreneurship” Sep-2012...
SOCIAL DATA
ANTES HOJE
Shopbots são softwares que automaticamente coletam informações de múltiplos sites
de vendas online sobre preço, descrição ...
Buscapé
BUSCAPÉ
VIDEO
COMO FUNCIONA?
 Produtos garantidos por uma assinatura mensal e entregues na
porta de casa
MODELOS DE NEGÓCIOS BASEADOS EM ASSINATURAS
- Modelo de marketing baseado na ideia de cobrar absolutamente nada por um produto
ou serviço.
- Como ganhar $ com isso?
-...
Algumas empresas com modelos Freemium
FREEMIUM
ENTRETENIMENTO ONLINE
ENTRETENIMENTO ONLINE
ENTRETENIMENTO ONLINE
ENTRETENIMENTO ONLINE
ECOSYSTEM / VIRTUAL GOODS
ECOSYSTEM
Exemplo: App Store
Constituintes:
-Vendedores do software
-Desenvolvedores do software...
VENDA DE PASSAGENS AÉREAS
VENDA DE PASSAGENS AÉREAS
VENDA DE PASSAGENS AÉREAS
WHITE LABELS
VIDEO
http://livecomm.com.br/o-que-e/
MECANISMO DE BUSCA
SEO, ou Search Engine
Optimization pode ser definido
como um agregado de todo o
trabalho necessário para a
produção de um ...
SEM, ou Search Engine Marketing
refere-se à utilização de pay-per-click
(PPC) como por exemplo, através do
Google AdWords....
O Search Engine é a estratégia de Marketing via Ferramenta de Busca. Ele é
baseado na palavra-chave.
A Estratégia pode ser...
SEM e SEO
LINKS
PATROCINADOS
LINKS
PATROCINADOS
BUSCA
ORGÂNICA
SEM
SEM
SEO
SEM e SEO
SEARCH ENGINE MARKETING
SEO
Search Engine Optimization
“Busca Orgânica”
PPC
Pay-Per-Click
“Publicidade de pesqui...
LEAD GENERATION
Criação ou geração de interesse do consumidor , sobre produtos ou serviços de
uma empresa, visando o aumen...
 WANG, Hui; WEIGEND, Andreas S. Data mining for financial decision making. Decision support systems, v. 37, n. 4, p.
457-...
Modelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios Digitais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Modelos de Negocios Digitais

349

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
349
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Modelos de Negocios Digitais"

  1. 1. Modelos de Negócios Digitais Eliane Bezerra - 12.109.608-5 Marcos Meneleu - 12.109.419-7 Matheus Oliveira - 12.208.088-0 Melissa Gerhard - 12.109.321-5 Ricardo Dantas - 12.109.423-9 Sistemas de Informação
  2. 2.  e-Business  e-Commerce  e-Procurement  e-Marketplace  e-Tailer  Economia Digital  Paradoxo da Produtividade  Social Data  Modelos de Negócios  SEM E SEO/Lead Generation AGENDA
  3. 3. e-Business: Fazer negócio pela internet não necessariamente envolvendo transação comercial. e-Commerce: Conjunto de atividades comerciais que acontecem on-line. E-BUSINESS X E-COMMERCE e-commerce está dentro do e-business
  4. 4. - Apresentação institucional; - Brand site; - Prestação de serviços aos clientes; - Optimização de processos da força de vendas; - E-commerce; - E-procurement; - E-marketplace; - E-collaboration; - Supply chain management; - E-community; - EDI; - Gestão de clientes através de CRM; - Gestão integrada da cadeia de valor. Estratégia para escolha do modelo de negócios Objetivos a serem alcançados: E-BUSINESS
  5. 5. Comércio de bens físicos e intangíveis Passos: - Marketing on-line - Pedido - Pagamento - Suporte para entrega E-COMMERCE
  6. 6. ESTUDO E-BIT
  7. 7. COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL
  8. 8. Compra de bens e serviços, por meio da Internet sendo que pode ser implementado através de um processo manual ou usando um software de gestão do tipo ferramenta de ERP. Maior escolha de fornecedores que deverá levar a custos mais baixos, melhor qualidade, entrega melhorada, redução do custo de aquisição. Mais oportunidades de oferta, possivelmente em uma escala global, menor custo de apresentar uma proposta, e, possivelmente, de ofertar peças que podem ser mais adequadas para as pequenas empresas. Benefício para a compradora: Benefício para a fornecedora: E-PROCUREMENT
  9. 9. É um local virtual para negociações e comércio eletrônicos entre empresas, empresas e consumidores, entre consumidores, governo e consumidores, governo e empresas. Esse espaço pode ser destinado a uma área de negócio específica ou atender diversos estilos de negócio. E-MARKETPLACE
  10. 10. pure plays “puro desempenho / jogo” bricks and clicks “tijolos e cliques” E - TAILERS
  11. 11. Empresa de descendentes armênios (Marcio Kunruian e Hagop Chabab) que nasceu como loja física. Ao abrir a segunda loja em 2001, fecharam-na após 7 meses. Programa do Banco Real para venda on-line. Em 2007 venderam todas as lojas físicas e ficaram apenas com a venda on-line. Empresa tem dobrado o tamanho a cada 12 meses em média. Faturamento em 2012 de R$1,2Bi . E-MARKETPLACE
  12. 12. Economia baseada em tecnologias digitais que fornecem uma plataforma global em que pessoas e organizações planejam estratégias, interagem, comunicam-se e procuram informações. É considerada um fenômeno emergente. Fonte: ORLIKOWSKI ,WANDA J. ; IACONO, C. SUZANNE , The truth is not out there: na enacted view of the “Digital Economy” ECONOMIA DIGITAL Discursos sobre a economia digital: - Determinismo tecnológico - Escolha estratégica - Enacted view
  13. 13. ECONOMIA DIGITAL Formas de se inter-relacionar na Economia Digital:  Estabelecer presença online  Redes sociais: transformar fãs e seguidores em clientes  Identificar o público alvo dentro do ambiente online e direcionar a comunicação a isso  Deve existir diálogo e interação entre cliente – empresa dentro do ambiente online. A publicação de conteúdo útil e compartilhável gera maximização da exposição ao mercado , consequentemente, do seu negócio.
  14. 14. Formas de se inter-relacionar na Economia Digital: Criar integração virtual em tempo real Entrevistas de trabalho online Comunicação através de redes sociais Aulas online ECONOMIA DIGITAL
  15. 15. Evolução da Informática Anos 90 – Surgimento da Internet Anos 60 e 70 – Grandes computadores Anos 80 – Microcomputadores e Informática Pessoal e também Investimento em Redes Locais Segundo o departamento de comércio americano (Department of Commerece 1998, 1999, 2000) a soma de todos os investimentos em computadores nos Estados Unidos, de 1960 a 1998 é de 500 bilhões de dólares (dólar de 1996); em software gastou-se 1 trilhão de dólares (dólar de 1996) e em comunicações, outros um trilhão de dólares. PARADOXO DA PRODUTIVIDADE Quanto, nestes 40 anos, este investimento trouxe de aumento de produtividade, de aumento de riquezas para as empresas e para as nações de modo geral?
  16. 16. Parece obvio que editar um texto no computador é muito mais eficiente que editá-lo numa maquina de escrever. Porém, alguém estudiosos constataram um fenômeno chamado Paradoxo da Produtividade, que trata-se da não evidência de ganhos de produtividade quando há investimento em TI. PARADOXO DA PRODUTIVIDADE
  17. 17. De outro lado, existem trabalhos que refutam o paradoxo. Entre eles estão as pesquisas de Erik Brynjolfsson, professor do Massachusetts Institute of Technology - MIT. Strassmann: Lucratividade versus investimento em TI por empregado(fonte: Strassmann 95) Brynjolfsson: Produtividade versus investimento em TI PARADOXO DA PRODUTIVIDADE
  18. 18. Segundo Brynjolfsson (1993), a falta de evidência não é evidência da falta de contribuição positiva de TI para a produtividade. No que diz respeito às pesquisas que não encontram relação positiva entre TI e produtividade, o autor propõe quatro explicações. São elas:  Erros de medida de input e output  Defasagem entre custos e benefícios  Redistribuição e dissipação de lucros  Falhas no gerenciamento da TI Apesar das explicações propostas por Brynjolfsson (1993) não serem as únicas existentes na literatura, são as que, aparentemente, melhor explicam o fenômeno. PARADOXO DA PRODUTIVIDADE
  19. 19. : to share is human : Data mining – Andreas Weigend “..organizations transform themselves from passive collectors to active explorers and exploiters of data, they face a serious challenge: How can they benefit from increased access to information to better understand their markets, customers, suppliers, operations..? : the need for attention : : from e-business to me- business... : : ... to we-business : : the future of social data : SOCIAL DATA
  20. 20. ABC of Social Data Approval Belonging Connecting “Stanford Program on Regions of Innovation and Entrepreneurship” Sep-2012 SOCIAL DATA
  21. 21. SOCIAL DATA ANTES HOJE
  22. 22. Shopbots são softwares que automaticamente coletam informações de múltiplos sites de vendas online sobre preço, descrição e qualidade dos itens e serviços prestados por eles. Pricebots são softwares que atualizam os preços ofertados de acordo com o mercado, através de algoritmos (grandes possibilidades de customização de preços). Vantagem: Direciona o consumidor ao preço / qualidade desejada em um espaço de tempo muito reduzido. Desvantagens: Cria desvantagens comerciais para as lojas, direcionando os “desavisados” ou mostram resultados tendendo a zero. SHOPBOTS
  23. 23. Buscapé
  24. 24. BUSCAPÉ VIDEO
  25. 25. COMO FUNCIONA?
  26. 26.  Produtos garantidos por uma assinatura mensal e entregues na porta de casa MODELOS DE NEGÓCIOS BASEADOS EM ASSINATURAS
  27. 27. - Modelo de marketing baseado na ideia de cobrar absolutamente nada por um produto ou serviço. - Como ganhar $ com isso? - Para conseguir a versão completa ou funcionalidades avançadas, deve-se pagar por isso. FREEMIUM
  28. 28. Algumas empresas com modelos Freemium FREEMIUM
  29. 29. ENTRETENIMENTO ONLINE
  30. 30. ENTRETENIMENTO ONLINE
  31. 31. ENTRETENIMENTO ONLINE
  32. 32. ENTRETENIMENTO ONLINE
  33. 33. ECOSYSTEM / VIRTUAL GOODS ECOSYSTEM Exemplo: App Store Constituintes: -Vendedores do software -Desenvolvedores do software -Indivíduos -Organizações -Companhias VIRTUAL GOODS Bens virtuais são objetos não-físicos adquiridos para utilização em comunidades online ou jogos online. Recorde: Entropia Universe US$ 330 mil em estação espacial
  34. 34. VENDA DE PASSAGENS AÉREAS
  35. 35. VENDA DE PASSAGENS AÉREAS
  36. 36. VENDA DE PASSAGENS AÉREAS
  37. 37. WHITE LABELS VIDEO http://livecomm.com.br/o-que-e/
  38. 38. MECANISMO DE BUSCA
  39. 39. SEO, ou Search Engine Optimization pode ser definido como um agregado de todo o trabalho necessário para a produção de um volume maior de visitas de referência dos mecanismo de busca, diretórios web e outros sites, com o máximo objetivo de tornar o site popular. Fonte: JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior SEM e SEO
  40. 40. SEM, ou Search Engine Marketing refere-se à utilização de pay-per-click (PPC) como por exemplo, através do Google AdWords. Embora alguns elementos são comuns a ambos (SEO e SEM), PPC publicidade é muito mais fácil de implementar e pode atingir resultados imediatos, geralmente sob a forma de conseguir visitantes para ver o seu site em questão de minutos. Fonte: JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior SEM e SEO
  41. 41. O Search Engine é a estratégia de Marketing via Ferramenta de Busca. Ele é baseado na palavra-chave. A Estratégia pode ser dividida em duas partes iguais: busca paga (links patrocinados)  busca orgânica SEM e SEO
  42. 42. SEM e SEO LINKS PATROCINADOS LINKS PATROCINADOS BUSCA ORGÂNICA SEM SEM SEO
  43. 43. SEM e SEO SEARCH ENGINE MARKETING SEO Search Engine Optimization “Busca Orgânica” PPC Pay-Per-Click “Publicidade de pesquisa” PRÓS: -Ótimo ROI a longo prazo -Alcançável alto volume -Mais exposição e visibilidade CONTRAS: -Dificil quantificar -Muito trabalho para designe e desenvolvimento -Leva um tempo PRÓS: -Configuração rápida -Mensurável e Quantificável -Menos recurso para desenvolvimento CONTRAS: -Mais Caro -Menor potencial de volume -Pode estar sujeito a “cegueira de anúncios”
  44. 44. LEAD GENERATION Criação ou geração de interesse do consumidor , sobre produtos ou serviços de uma empresa, visando o aumento das vendas totais da empresa.
  45. 45.  WANG, Hui; WEIGEND, Andreas S. Data mining for financial decision making. Decision support systems, v. 37, n. 4, p. 457-460, 2004  BRYNJOLFSSON, Erik; SAUNDERS,Adam. Wired For Innovation. MIT, 2010  BRYNJOLFSSON, Erik. The Productivity Paradox of Information Technology. Communications of the ACM, 1993  JERKOVIC, John I.. SEO Warrior, O’Reilly Media, 2009  ORLIKOWSKI ,WANDA J. ; IACONO, C. SUZANNE . The truth is not out there: an enacted view of the “Digital Economy”, p. 352 – 380, MIT.  HAROLD V. . Entertainement Industry Economics, Dec. 2010. Disponível em: http://www.slideshare.net/ThiagoCavalcante1/entertainment-industry-economics-vogel-completo  P. Timmers. Business modells for electronic markets, 1998  E Commerce, 2001. Disponível em: <http://www.e-commerce.org.br/>. Acessado em 12 de setembro de 2013. BIBLIOGRAFIA
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×