COMPLEXOS DE CULTURA,        ESPORTE E LAZER.Nathéssia Temóteo   RA:   090718151Tatiane Santos      RA:   090628578Tatiane...
Sumário      Introdução .....................................................................................................
IntroduçãoEste trabalho tem como objetivo estudos de caso para a realização do projeto Complexode Cultura e Lazer da disci...
1. SESC Pompéia       1.1 ConcepçãoO Centro de Lazer da Fábrica Pompéia – SESC Pompéia, fica localizado no bairro da Pompé...
Galpões da antiga fábrica de tambores IBESA – FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC.Decidiu-se então convida...
Arquiteta Lina Bo Bardi - FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC.O conjunto atendeu perfeitamente ao programa...
1.2 ProgramaFONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC.A arquiteta não tratava o projeto como um centro cultural ...
Vista SolariumPiscina coberta - FONTE: Arquivo pessoal.                                                        8
Iniciou-se então um processo para que as características da antiga fábrica fossem mantidaspropositalmente.O conjunto da fá...
1.3 ProjetoOs trabalhos foram iniciados em 1977, onde Lina instalou um escritório no próprio local aolado dos arquitetos M...
Dados Técnicos:              Espaços na Unidade:- Arq. Lina Bo Bardi                             - Área de ConvivênciaAno:...
Os galpões localizados a esquerda de quem entra pela Rua Clélia, foram destinados aorestaurante, à cozinha e às instalaçõe...
A área de convivência possui espaço destinado à biblioteca e audioteca, com seis plataformasde concreto, elevadas a 0,90m ...
O teatro foi instalado em outro galpão, descendo a rua interna, ainda do lado direito. Foi oespaço que mais provocou inter...
15
16
FONTE: Arquivo pessoal                         17
Dois blocos foram construídos para abrigar as atividades esportivas, chama atenção no projetonão só por sua verticalização...
FONTE: Arquivo pessoalFONTE: Arquivo pessoal                                                  19
1.4 EstruturaExternamente, o conjunto não sofreu alterações, exceto pela colocação de treliças demadeira, as mesmas utiliz...
Internamente os galpões tiveram suas paredes retiradas, ampliando o espaço interior efacilitando a acomodação do programa....
expressionista, evocando Metrópoles, o filme de Fritz Lang. É importante lembrar que,        sob tais passarelas passa um ...
23
Deck de madeira – FONTE: Arquivo pessoalDeck de madeira – FONTE: Arquivo pessoal                                          ...
Passarelas que interligam os blocos de esporte. FONTE: arquivo pessoal                   Croqui escada bloco esportivo. FO...
2. SESC Santo André       2.1 ConcepçãoO SESC Santo André foi elaborado pelo escritório Central de Projetos, composto pelo...
2.2 ProgramaOs arquitetos buscaram um ambiente único, rico e fluído, que fizesse com que as pessoascirculassem pelas diver...
2.3 Projeto“Um dos aspectos que eu ressaltaria na unidade de Santo André é o conforto térmico.Procuramos criar espaços com...
Dados Técnicos:Data de inauguração: 09/03/2002Área do terreno: 31.684,87 m²Área construída: 24.871,37 m²Capacidade de aten...
O Conjunto é composto por três áreas: o ginásio, o conjunto aquático e o bloco principal, queabriga grande parte das ativi...
31
2.4 EstruturaA estrutura combina aço (40 %) e concreto armado (60 %), do embasamento até o nívelintermediário, incluindo o...
A fachada contínua e interrompida apenas pelo volume do auditório, contrastando com ahorizontalidade imposta pelo edifício...
Lanchonete –         34
2.5 CirculaçãoPlanta Geral: Setorização    1- Guarita; 2- Pórtico de entrada; 3- Estacionamento; 4- bilheteria; 5- recepçã...
O pórtico próximo ao estacionamento abriga a caixa d’água e marca a entrada, o acesso é feitopor uma rampa que repete a cu...
3.   ZAMET CENTRE3.1     A concepçãoA arquitetura moderna de Zamet Centre Projetada pelo 3LHD que se encontra em Rijeka -C...
3.2        O ProgramaOs conjuntos conceituais e elementos de design do salão de handebol e do Centro Zamet sãofitas alonga...
3.3      ProjetoObra realizada em            2007 nacidade de Rikeja, Croácia. É umprojeto que inclui um pavilhãodesportiv...
ImplantaçãoLocalização              40
Localização da obra                      41
Começando pela ordem crescente o subsolo. 6.625,19 m².Pavimento no mesmo nível da rua.                                    ...
Pavimento Térreo.1° Pavimento.2° Pavimento.                    43
E seus respectivos cortes:Corte Longitudinal 1-1.Corte Transversal A-A.                             44
Corte Transversal B-B.Contendo duas elevações:Elevação Leste.                           45
Elevação Oeste.                  46
Vista do EdifícioVista do edifício                    47
3.4    Estrutura.3D da modulação dos eixos de pilares e vigas.                                    Estrutura               ...
3.5 CirculaçãoEsquema tridimencional do terreno explicando a forma o que foi implantando e quais são seusacessos.         ...
pedonal em uma direção norte-sul, o planalto de qualidade na frente da escola primária,a zona do parque, colocando o progr...
Além de toda sua otima infra-estrtura contém arquibancadas telescópicas e Jornalistas                                     ...
Foto salas de aula e quadraCirculação                              52
Bibliografia:SESC POMPÉIAPampolo, Camila Aguiar. Um percurso pelos SESC’S, São Carlos – 2007Cidadela da Liberdade, (1999) ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Complexos de cultura, esporte e lazer.

6,837

Published on

Análises do SESC Pompéia e do Centro ZAMET.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,837
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
327
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Complexos de cultura, esporte e lazer.

  1. 1. COMPLEXOS DE CULTURA, ESPORTE E LAZER.Nathéssia Temóteo RA: 090718151Tatiane Santos RA: 090628578Tatiane Menezes RA: 090411234Talita Lopes RA: 1299862902
  2. 2. Sumário Introdução .......................................................................................................................... 031 SESC POMPÉIA1.1 Concepção ......................................................................................................................... 041.2 Programa............................................................................................................................ 071.3 Projeto ................................................................................................................................ 101.4 Estrutura ............................................................................................................................. 201.5 Circulação .......................................................................................................................... 222. SESC SANTO ANDRÉ2.1 Concepção ......................................................................................................................... 262.2 Programa............................................................................................................................ 272.3 Projeto ........................................................................................................................... ..... 282.4 Estrutura ............................................................................................................................. 312.5 Circulação .......................................................................................................................... 343. ZUMENT CENTRE3.1 Concepção ......................................................................................................................... 373.2 Programa............................................................................................................................ 383.3 Projeto ........................................................................................................................... ..... 393.4 Estrutura ............................................................................................................................. 483.5 Circulação .......................................................................................................................... 49 Bibliografia.......................................................................................................................... 53 2
  3. 3. IntroduçãoEste trabalho tem como objetivo estudos de caso para a realização do projeto Complexode Cultura e Lazer da disciplina de projeto.Foram analisados dois projetos da Rede SESC (SESC Pompéia e SESC Santo André)e um projeto internacional, o ZAMET CENTRE, localizado no bairro de Rijeka- Croácia.Tratando-se da entidade SESC – Serviço Social do Comércio, é um espaço públicomantido pelo setor privado. A mesma tornou-se referência arquitetônica cultural, dandoênfase na tentativa de sanar as atuais deficiências sociais, oferecendo locaisadequados e de baixo custo primordialmente para funcionários e comerciários, além dosdemais indivíduos, que podem usufruir de atividades e serviços voltados à cultura,esporte e lazer.Também foi realizada pelos integrantes do grupo uma visita técnica ao SESC Pompéia,onde possibilitou a análise do conceito arquitetônico, sistema estrutural, circulação eespaços privados e de uso público do local, apresentados neste estudo. 3
  4. 4. 1. SESC Pompéia 1.1 ConcepçãoO Centro de Lazer da Fábrica Pompéia – SESC Pompéia, fica localizado no bairro da Pompéia,antigo bairro industrial da zona oeste da cidade de São Paulo.A área onde atualmente se encontra o SESC Pompéia era uma antiga fábrica de embalagens,que ao início do processo de esvaziamento da área industrial foi vendida ao SESC. Vista aérea antiga fábrica de tambores Pompéia – FONTE: VitrúviusAntiga fábrica Pompéia – FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC. 4
  5. 5. Galpões da antiga fábrica de tambores IBESA – FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC.Decidiu-se então convidar a arquiteta italiana Lina Bo Bardi, a mesma depositou grandeentusiasmo na elaboração do projeto, visando à oportunidade de dar aquela antiga fábrica outrafunção, esta com um âmbito social de proporcionar um pouco mais de lazer as pessoas quefrequentavam seus arredores. 5
  6. 6. Arquiteta Lina Bo Bardi - FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC.O conjunto atendeu perfeitamente ao programa proposto, as atividades apresentadas, os locaisde convívio, esporte e lazer trouxeram ao bairro um centro de convívio tipicamente paulistano.Em termos arquitetônicos, Lina conseguiu preservar os conceitos industriais da antiga fábrica,usando meios de restauro, reciclagens e acrescentando ao projeto novas intervenções.Tornou-se um dos marcos da arquitetura brasileira, um arquétipo de arquitetura para o lazer. 6
  7. 7. 1.2 ProgramaFONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC.A arquiteta não tratava o projeto como um centro cultural e desportivo, preferia chama-lo apenascomo centro de lazer, acreditava que ao tratar apenas como centro de desportivo e culturalevariam as pessoas a remitirem algo que lembrasse competividade, ou cultura como umaobrigação, causando certa inibição aos que frequentassem. Então restou somente o lazer, levaras pessoas tão estressadas com suas vidas cotidianas a horas de descontração em um espaçoagradável e de convívio com os demais. Deveria incentivar o esporte recreativo, com umapiscina em forma de praia para as crianças pequenas ou para os que não sabem nadar; quadrasesportivas com alturas mínimas abaixo das exigidas pelas federações de esporte e, portanto,inadequadas à competição. A idéia era reforçar e fomentar a recreação, o esporte “leve”. Assim,programa e projeto se fundiriam indissociáveis, amalgamados. 7
  8. 8. Vista SolariumPiscina coberta - FONTE: Arquivo pessoal. 8
  9. 9. Iniciou-se então um processo para que as características da antiga fábrica fossem mantidaspropositalmente.O conjunto da fábrica, formado por duas faixas paralelas de galpões, a rua interna utilizadaanteriormente como pátio de serviços foram todos restaurados para abrigar os novos serviços. Inicio das obras na rua interna - FONTE: Vitrúvius Retirada do reboco das paredes originais do galpão de atividades gerais, abril de 1980 - FONTE: Vitrúvius Retirada do reboco das paredes originais do galpão de atividades gerais, abril de 1980 - FONTE: Vitrúvius 9
  10. 10. 1.3 ProjetoOs trabalhos foram iniciados em 1977, onde Lina instalou um escritório no próprio local aolado dos arquitetos Marcelo Ferraz e André Vainer, para que se começasse o levantamentode todo o conjunto “com os desenhos de observação passados para a prancheta, medidasdo lugar, voltas e mais voltas pelos velhos galpões” (CENTRO, 1996. p.6) FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC. FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC. 10
  11. 11. Dados Técnicos: Espaços na Unidade:- Arq. Lina Bo Bardi - Área de ConvivênciaAno: - Bar/Café- 1982 - BibliotecaÁrea do terreno: - Deck- 16.573,00 m² - ExposiçãoÁrea Construída Coberta: - Ginásio- 22.026,02 m² - Internet LivreLocalização: - Oficina- Rua Clélia, 93 - PiscinaCapacidade de Atendimento: - Restaurante- 5.000 pessoas/dia. - Rua Central - Sala de atividades corporais - Teatro 11
  12. 12. Os galpões localizados a esquerda de quem entra pela Rua Clélia, foram destinados aorestaurante, à cozinha e às instalações para os funcionários, e os localizados a direita, maiores,para administração, área de exposições, estar e biblioteca. Deste mesmo lado, outro galpãoabriga o teatro, e do lado seu foyer. Completando o conjunto, localizados na cota mais baixa doterreno e separados do restante por uma rua transversal, dois galpões abrigam a esquerda, osetor de manutenção, como marcenaria, depósitos e almoxarifado, e a direita os espaçosdestinados aos diversos cursos que seriam oferecidos.
  13. 13. A área de convivência possui espaço destinado à biblioteca e audioteca, com seis plataformasde concreto, elevadas a 0,90m do piso, que abrigam os espaços de leitura e outras seis lajessuspensas que abrigam os mezaninos, destinados aos jogos. Ao seu lado, estantes baixas quenão comprometem a visão do espaço, complementam as instalações.Área de convivência FONTE: Arquivo pessoal 13
  14. 14. O teatro foi instalado em outro galpão, descendo a rua interna, ainda do lado direito. Foi oespaço que mais provocou intervenções no edifício original, devido a necessidade de instalaçõesde equipamentos de acústica, iluminação cênica e ar condicionado. É um teatro diferente, cujaconformação assemelha-se a um teatro de arena, com duas platéias, uma frente à outra, e opalco entre eles. No pavimento superior, o teatro possui ainda duas galerias de concreto naslaterais, que unem as platéias e acomodam parte do público, totalizando 776 lugares. Possuiquatro camarins, dois no térreo e dois no pavimento superior, em estruturas de concretoconstruídas separadamente. O piso é em concreto, as paredes de tijolos e o mobiliário, delaminado de pinho, projetado pela arquiteta e executado pelos próprios operários da construção. FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC. 14
  15. 15. 15
  16. 16. 16
  17. 17. FONTE: Arquivo pessoal 17
  18. 18. Dois blocos foram construídos para abrigar as atividades esportivas, chama atenção no projetonão só por sua verticalização, mas também em sua separação pelo córrego, o que levou àpassarelas aéreas interligando os dois volumes. O bloco maior repete ao cumprimento do galpãode manutenção, alinhando-se a ele. Possui cinco pavimentos, de pés direitos duplos, queabrigam no térreo “piscina-açude”, e nos pavimentos superiores as quadras, nomeadas ecoloridas segundo as quatro estações do ano. FONTE: Arquivo pessoal 18
  19. 19. FONTE: Arquivo pessoalFONTE: Arquivo pessoal 19
  20. 20. 1.4 EstruturaExternamente, o conjunto não sofreu alterações, exceto pela colocação de treliças demadeira, as mesmas utilizadas por Lina no Solar União, junto às janelas da Rua Barão doBananal, e o portão na Rua Clélia. 20
  21. 21. Internamente os galpões tiveram suas paredes retiradas, ampliando o espaço interior efacilitando a acomodação do programa. Ressaltando como características do conjunto comuns àconstrução industrial, como vãos amplos, iluminação zenital, estruturas independentes,instalações aparentes favorecem esta remodelação (ZEIN, 1996 p.50).Este processo preservou grande parte dos materiais e técnicas originais, como as paredes dealvenaria, que foram limpas com jatos de areia, deixando à mostra as intervenções e as técnicasde colocação dos tijolos, as telhas e os paralelepípedos de granito que foram retirados, lavadose recolocados, ou ainda a própria estrutura original de concreto, que teve seu acabamento tirado.(SERVIÇO SOCIAL DO COMPERCIO, 1982. p.4-5). O bloco esportivo é todo em concreto aparente. Duas torres de concreto, uma com “buracos de caverna” ao invés de janelas, outra com janelas quadradas salpicadas “aleatoriamente” pelas fachadas, ao lado de uma terceira torre cilíndrica de 70 metros de altura, também em concreto aparente e marcada por um “rendado” em seu aspecto exterior – uma “homenagem ao grande arquiteto mexicano Luis Barragán”, dizia Lina. Ligando as duas torres, entre os vestiários e as quadras, 8 passarelas de concreto protendido venciam vãos de até 25 metros e criavam uma atmosfera feérica, 21
  22. 22. expressionista, evocando Metrópoles, o filme de Fritz Lang. É importante lembrar que, sob tais passarelas passa um córrego canalizado – o Córrego das Águas Pretas – que cria uma área non aedificandi. As passarelas, portanto, não surgem de uma decisão formal e nem arbitrária de projeto. Elas respondem à realidade do lugar, entendido no sentido amplo do terreno. 1.5 CirculaçãoA entrada das pessoas é feita pela Rua Clélia, esta dá acesso ao grande corredor quecaracteriza o eixo principal de circulação, pois sua dimensão (8x 134m), ela percorre todo oterreno desde a entrada, cumprindo o papel de ligação entre todos os setores e atividades.Tornou-se um dos locais mais propícios para a realização de atividades como feiras culturais efestas. Quanto à circulação entre os blocos, como já foi citado anteriormente, é feita através depassarelas que cruzam o córrego.Quanto ao espaço privado de acesso restrito– as áreas exclusivas para usuários sãoconstituídas pelos blocos do edifício esportivo, além dos ateliês e dos laboratórios, a circulaçãonessa área é feita principalmente através do deck, amplo espaço de uso coletivo, onde aspessoas podem tomar banho de sol, descansar, caminhar, etc. 22
  23. 23. 23
  24. 24. Deck de madeira – FONTE: Arquivo pessoalDeck de madeira – FONTE: Arquivo pessoal 24
  25. 25. Passarelas que interligam os blocos de esporte. FONTE: arquivo pessoal Croqui escada bloco esportivo. FONTE: A Cidadela da Liberdade, 1999 - Editora SESC. 25
  26. 26. 2. SESC Santo André 2.1 ConcepçãoO SESC Santo André foi elaborado pelo escritório Central de Projetos, composto pelosarquitetos Tito Livío Frascino e Vasco de Mello (o projeto estendeu-se por mais de uma década).O terreno doado pela Prefeitura Municipal em 1990 é localizado próximo a quatro favelas(Tamarutaca, Palmares, Capuava e Sacadura Cabral) relaciona-se então com o programa deInclusão Social nestas áreas, da Prefeitura Municipal em 1989.Santo André faz divisa com outras cidades do ABC, como São Caetano, São Bernardo doCampo além de Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Assim a unidade atuacomo pólo regional e atende as cidades vizinhas.Localizada no bairro Vila Guiomar, em terreno conformado pelas ruas Capricórnio, Escorpião,Tamarutaca e pela Avenida Prestes Maia. 26
  27. 27. 2.2 ProgramaOs arquitetos buscaram um ambiente único, rico e fluído, que fizesse com que as pessoascirculassem pelas diversas áreas e ter contato com as diversas atividades que realizavam naunidade. Sendo assim nas palavras de Guilherme Mazza Dourado, o espaço internoproporciona uma “rica e pitoresca experiência sensorial“, onde podemos visualizar variações depés-direitos, contrastes de escalas espaciais, ambientes horizontais e verticais, jogo de luz esombra, transparência e opacidade.” ( DOURADO, 2002, p. 73 ) 27
  28. 28. 2.3 Projeto“Um dos aspectos que eu ressaltaria na unidade de Santo André é o conforto térmico.Procuramos criar espaços com muita luz natural, porém controlada. Não há incidência diretadessa luz, mas os espaços são muito claros. Assim, automaticamente economizamos energia.Outro aspecto é a ventilação natural do espaço. Foram previstos vários sistemas que retirassemo ar quente daquele ambiente. Tanto é que somente o teatro, os gabinetes dentários e o setor deadministração precisam usar ar-condicionado. Para aproveitarmos melhor a água, conseguimosainda fazer uso de uma nascente que havia na região que fornece uma água que não serve paraconsumo, mas é utilizada para limpeza. Para o aquecimento da água das piscinas, preferimosempregar gás natural, o que colabora para a diminuição do impacto ambiental, pois polui menos.Essa obra é muito interessante também porque foi feita em sistema misto de construção, comconcreto, alvenaria e estrutura metálica. Assim, as peças foram feitas sob medida para a obra, oque possibilitou que não se desperdiçasse material. Todo o projeto de Santo André buscourespeitar muito o meio onde foi construído. Isso se reflete inclusive no projeto horizontalizado daunidade. Isso porque todo o entorno é horizontalizado, então o prédio não causa grande impactona paisagem do bairro.” Tito Lívio Frascino, arquiteto responsável.FONTE: Google – talen.com. br , 2012 Tito Frascino FONTE: Google –titolivio.com.br 28
  29. 29. Dados Técnicos:Data de inauguração: 09/03/2002Área do terreno: 31.684,87 m²Área construída: 24.871,37 m²Capacidade de atendimento: 6.000 pessoas/diaA infraestrutura é composta de 18 banheiros (seis masculinos, seis femininos e seis paraportadores de deficiência), três lanchonetes que atendem área externa e interna, 290 vagas deestacionamento para automóveis e 13 vagas para motos.O Espaço de Eventos, que recebe grandes espetáculos, tem 1.670m2 e capacidade para cercade 2,4 mil pessoas. O local foi criado para funcionar como espaço alternativo que possibilite odesenvolvimento de atividades esportivas como tênis de mesa, badminton, arco e flecha,apresentação de ginástica acrobática, xadrez gigante e outras atividades como show musical,dança, artes plásticas e teatro com 303 lugares. Internet livre, espaço de leitura, ludoteca ecdteca; quatro consultórios odontológicos.O parque aquático é composto de cinco piscinas, sendo três descobertas – uma para recreação,duas infantis e uma de biribol –, solário e uma piscina coberta aquecida, com raias disponíveispara a prática de natação independente e cursos de natação e hidroginástica. A área externatambém possui duas quadras poliesportivas cobertas para a prática de vôlei, basquete e futsal;duas salas como espaço alternativo localizado entre as duas quadras que pode ser utilizado paratênis de mesa e outras atividades adaptadas. Além disso, a unidade possui duas salas paraginástica e alongamento, uma sala para condicionamento físico com 40 aparelhos e uma salapara expressão corporal e artes marciais. FONTE: Google – Eca. usp.br/gestcom, 2012 29
  30. 30. O Conjunto é composto por três áreas: o ginásio, o conjunto aquático e o bloco principal, queabriga grande parte das atividades. O edifício principal é um bloco retangular com trêspavimentos que se acomodam ao desnível de 8 a 10 metros que varia ao longo do terreno, emsua fachada possui um corte que acompanha a forma curva do terreno. Está localizado na partemais alta do terreno, escondendo os declives e causando a impressão de horizontalidade.IMPLANTAÇÃO - 1- guarita; 2-pórtico de entrada; 3-estacionamento; 4-bilheteria; 5-vazio locaistécnicos; 6-bloco principal; 7solário e pergolado; 9-piscinas; 10-jardins; 11-quadras cobertas.FONTE: Tito Livío Frascino. 30
  31. 31. 31
  32. 32. 2.4 EstruturaA estrutura combina aço (40 %) e concreto armado (60 %), do embasamento até o nívelintermediário, incluindo o teatro, foi utilizado concreto. “O nível superior da entrada e ascoberturas do monobloco, das quadras, da piscina aquecida e do solário são em aço”, explicaFrascino. A estrutura metálica da cobertura vence vão de 40 m e cobre a maior parte do edifício.Na face voltada para a rua, a cobertura está sustentada por vigas de concreto e, na fachadainterna (a principal), voltada para a área de lazer, apóia-se sobre o grande caixilhometálico que separa o interior do edifício da varanda.Totalmente destacadas, as quadras poliesportivas receberam cobertura única, com estruturametálica em curva, atirantada por cima por mastros (três de cada lado), colocados nas laterais.O projeto resultou em uma edificação muito clara, com predominância da cor branca ediferentes tipos de textura, de forte impacto urbano. “Os espaços foram pensados e organizadosvisando à flexibilidade, adaptação e reformulação das atividades, quando necessário”, dizFrascino.Uma caixilharia envidraçada, com 14m de altura e 100m de comprimento, separa os espaçosdesse piso principal da varanda, que acompanha praticamente toda a fachada, voltada para asáreas de atividades ao ar livre. Essa longa varanda tem sua colunata porticada interrompida peloauditório. A caixilharia interna é estrutural e sobe por pilares metálicos com a mesma modulaçãodo porticado externo. Seus elementos estruturais sustentam a viga metálica da cobertura. 32
  33. 33. A fachada contínua e interrompida apenas pelo volume do auditório, contrastando com ahorizontalidade imposta pelo edifício. 33
  34. 34. Lanchonete – 34
  35. 35. 2.5 CirculaçãoPlanta Geral: Setorização 1- Guarita; 2- Pórtico de entrada; 3- Estacionamento; 4- bilheteria; 5- recepção e foyer; 6- auditório; 7- salão de eventos; 8- convivência; 9- administração; 10- odontologia; 11- terraço; 12- solário e pergolado; 13- cobertura piscina; 14- piscina e solário; 15- biribol; 16- área verde; 17- quadras cobertas; 18- bar quadras; 19- sanitários; 20- Cooper; 21- sala de cursos; 22- vazios e áreas técnicas. FONTE: Tito Lívio Frascino. 35
  36. 36. O pórtico próximo ao estacionamento abriga a caixa d’água e marca a entrada, o acesso é feitopor uma rampa que repete a curva da fachada, levando até interior do complexo no pavimentomais alto. Tendo assim uma vista dos espaços das unidades. O bloco principal abre-se em doisvolumes: uma grande cobertura metálica sobre as quadras esportivas e um pergolado querecobre toda a área externa ligada à piscina. A malha metálica modular cria sombra para osolário, piscina, parte da lanchonete, e para a piscina aquecida, projetada em nível mais baixo.A entrada de público e veículos ganhou uma praça de estacionamento, onde se destaca ogrande arco do portal. Nesse local foram projetados ainda, um estacionamento coberto, comacesso por rampa localizada na extremidade lateral do terreno, e outro a céu aberto, do ladoexterno da edificação.Ao lado do arco, a rampa de pedestres, com a mesma conformação em curva da fachada,conduz o visitante ao local de recepção, informações e inscrições. À esquerda da recepção,estão os serviços odontológicos e da administração. À direita estão o foyer e o teatro, projetadocom a consultoria do arquiteto e cenógrafo José Carlos Serroni.Desse pavimento, tem-se ampla visão dos recintos de convivência e de eventos, implantados nonível principal. Esse piso inferior - o principal - é também ocupado pelas dependências de apoio,cozinha e refeitório de funcionários, depósitos, vestiários de pessoal interno e externo,lanchonete, salas de múltiplo uso com divisórias retráteis, auditório, salas de aulas de artes e deinformática, com layout do arquiteto Francisco Spadoni.O piso inferior é ocupado por setores técnicos e de serviço. Toda a edificação é atendida porrampas, escadas e elevadores, que facilitam a circulação vertical em pontos estratégicos. A torredo elevador fica entre os espaços de convivência e de eventos e recebeu tratamento do artistaplástico Luís Sacilotto. 36
  37. 37. 3. ZAMET CENTRE3.1 A concepçãoA arquitetura moderna de Zamet Centre Projetada pelo 3LHD que se encontra em Rijeka -Croácia, conhecida um espaço público, de negócios, cultural e esporte. Um terço do volume dopavilhão desportivo é cortado no chão, e outras instalações e serviços públicos totalmenteencaixados no ambiente. O principal elemento arquitetônico do centro Zamet que nosdeparamos são fitas alongamento na direção norte-sul, foram inspiradas em gromacas – umtipo de rocha específico da região da Rijeka que reinterpreta o centro artificialmente pela cor eforma funcionando ao mesmo tempo, como um elemento de design arquitetônico do objeto ecomo um elemento de zoneamento que forma uma praça pública e uma ligação entre o parque ea escola. 3D entrada no nível da rua.Foto local área. 37
  38. 38. 3.2 O ProgramaOs conjuntos conceituais e elementos de design do salão de handebol e do Centro Zamet sãofitas alongamento na direção norte-sul, ao mesmo tempo funcionando como um elemento dedesign arquitetônico dos objetos e como elemento de zoneamento que forma uma praça públicae uma ligação entre norte - parque-escola e ao sul - a rua. Um terço do volume do salão éconstruído dentro do terreno e do edifício com o seu público e serviço de instalações tenha sidocompletamente integrados no terreno, ou seja, ele cria com os seus fitas.O espaço público sobre o telhado não é apenas uma característica do edifício na parte comercialdo centro, mas o teto da sala também é usado como uma espécie de extensão do parquesituado ao norte da sala. A sala foi projetada para esportes principais competiçõesinternacionais, em conformidade com o esporte state-of-the-art padrões mundiais. O projeto docorredor foi concebido como um espaço muito flexível.O auditório foi projetado como um sistema com carrinhos telescópicos, que se abrem e seadaptar ao tipo de competição eo número de espectadores, em grandes competições de 2100espectadores têm lugares sentados, abrindo todos os stands. A arquitetura dos equipamentospúblicos, o centro comercial, a biblioteca e da autarquia local destaca-se na topografia doterreno, ligando a praça em frente do salão e na frente da escola e tenta integrar-se no contextogeral existente do oeste.Área:• Hall = 6.794,26 m²• garagem = 6.625,19 m²• praça pública = 4.283,49 m²• uma biblioteca pública ramo = 355,95 m²• MO Zamet salão com 90 lugares = 366,62 m²• Os estabelecimentos comerciais - lojas, bancos, restaurantes = 1.485,79 m². 38
  39. 39. 3.3 ProjetoObra realizada em 2007 nacidade de Rikeja, Croácia. É umprojeto que inclui um pavilhãodesportivo, garagem, praçapública, uma biblioteca públicaramo, espaço para mo Zamet osalão e outros espaçoscomerciais. O projeto foidesenvolvido Estúdio 3LHD.Zamet Centro será uma espéciede revitalização da parteocidental da cidade. Além deesportes e recreação. Zamet Centro em 3DZamet Centro permite aos cidadãos o uso público da biblioteca com sala de multi-propósito, evárias atividades comerciais (serviços, compras e serviço de catering). Além disso, a capacidadedo segurado na garagem pública é certo para atrair um número maior de jovens e de meia idadeem diversos esportes e eventos culturais, entretenimento e atividades organizadas para criançase jovens.Para compreensão melhor do projeto colocaremos o plantas D2 e representações em 3D. Biblioteca 39
  40. 40. ImplantaçãoLocalização 40
  41. 41. Localização da obra 41
  42. 42. Começando pela ordem crescente o subsolo. 6.625,19 m².Pavimento no mesmo nível da rua. 42
  43. 43. Pavimento Térreo.1° Pavimento.2° Pavimento. 43
  44. 44. E seus respectivos cortes:Corte Longitudinal 1-1.Corte Transversal A-A. 44
  45. 45. Corte Transversal B-B.Contendo duas elevações:Elevação Leste. 45
  46. 46. Elevação Oeste. 46
  47. 47. Vista do EdifícioVista do edifício 47
  48. 48. 3.4 Estrutura.3D da modulação dos eixos de pilares e vigas. Estrutura 48
  49. 49. 3.5 CirculaçãoEsquema tridimencional do terreno explicando a forma o que foi implantando e quais são seusacessos. A principal característica do projeto de Zamet Centro é a integração de um projeto de trabalho grande na estrutura urbana dessa parte da cidade de Rijeka, com o objetivo de minimizar a interrupção e avaliar seus dados às condições urbanas - terreno desnivelado, a ligação 49
  50. 50. pedonal em uma direção norte-sul, o planalto de qualidade na frente da escola primária,a zona do parque, colocando o programa no centro de Zamet na intersecção dascomunicações. A circulação parte de área descoberta justamente para integrar todosque ao redor da obra tendo diretrizes destinadas e usa a inclinação do terreno a favorde valorizar todos fundamentos dela estar naquele local.MO Zamet salãoUm equipamento tão oponente e completo do esporte não foi colocado ali por acaso aconstrução do Centro com pavilhão desportivo Zamet reflete as tradições desportivas dessaparte da cidade, especialmente Handebol. O Handebol Clube Zamet (masculino-base 1957,fêminina 1958). Titulares da qualidade de handebol em Rijeka, na parte croata do sudoeste. Oclube teve um número de jogadores nacionais e atletas olímpicos.2 Quadras de handebol com 90 lugares = 366,62 m². 3D da quadra. 50
  51. 51. Além de toda sua otima infra-estrtura contém arquibancadas telescópicas e Jornalistas 3D da quadra. Quadra Esportes 51
  52. 52. Foto salas de aula e quadraCirculação 52
  53. 53. Bibliografia:SESC POMPÉIAPampolo, Camila Aguiar. Um percurso pelos SESC’S, São Carlos – 2007Cidadela da Liberdade, (1999) – São Paulo: SESC SÃO PAULO; Instituto Lina Bo BardiMachado, Débora dos Santos Candido. Projeto arquitetônico como promotor do espaço deconvivência São Paulo, 2009http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/minhacidade/08.093/1897 - Acessado em 23/03/2012http://www.arcoweb.com.br/memoria/sesc-pompeia-20-anos-projeto-tornou-se-31-07-2002.html -Acessado em 24/03/2012http://www2.sescsp.org.br/sesc/hotsites/arquitetura/site/unidade.asp?cd=87677 – Acessado em29/03/2012SESC SANTO ANDRÉPampolo, Camila Aguiar. Um percurso pelos SESC’S, São Carlos – 2007http://www.sescsp.org.br/sesc/quem_somos/index.cfm?index=3&lg=pt&idcat=3&iditem=16 –Acessado em 25/03/2012http://www.titolivio.com.br/paginas/sesc_s_andre.htm - Acessado em 25/03/2012http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/fotos/244/paineis.jpg - Acessado em 26/03/2012ZUMET CENTREhttp://www.positive-magazine.com/architecture/3lhd-zamet-center-rijeka-croatia/ - Acessado em27/03/2012http://www.archweb.it/dwg/arch_arredi_famosi/3LHD/Zamet_Centre_2D.htm - Acessado em27/03/2012http://www.archdaily.com/425/3lhd-wins-the-zamet-centre-competition/3lhd-centre-zamet-groundfloor-1209030682/ - Acessado em 27/03/2012http://plusmood.com/2009/10/zamet-centre-3lhd-architects/ - Acessado em 27/03/2012http://www.3lhd.com/index.php/hr - Acessado em 28/03/2012 53

×