Projeto Integrador 2011 - Metropolitano de São Paulo

  • 346 views
Uploaded on

O Projeto Integrador foi um dos primeiros trabalhos importantes realizados no início da faculdade. …

O Projeto Integrador foi um dos primeiros trabalhos importantes realizados no início da faculdade.
O tema escolhido pelo meu grupo foi o Metrô de São Paulo e o intuito do projeto era mostrar um pouco sobre sua história, esclarecendo vertentes do Sindicato dos Metroviários e, basicamente, mostrar como funcionava a comunicação oficial e não-oficial do Metropolitano de São Paulo.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
346
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
4
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Nove de Julho Junho 2011 Projeto integrador Metrô de São Paulo Universidade Nove de Julho Junho 2011 1
  • 2. Integrantes do grupo CAROLINA ROSA LAILA KUTTNER LYGIA COSTA NATHALIA GHILARDI RENAN PEREIRA 2
  • 3. Sumário 1. HISTÓRIA DO METRÔ .................................................................................................. 04 1.1 SINDICATO............................................................................................................08 2. LINHAS ........................................................................................................................... 11 3. PAUTAS (MOTIVACIONAIS/ INSTITUCIONAIS/ FAMILIAR/ EDUCATIVA/ ASSOCIATIVAS/ ORIENTAÇÃO) ...................................................................................... 11 4. HISTÓRIAS CURIOSAS ................................................................................................. 23 5. COMUNICAÇÃO OFICIAL E NÃO OFICIAL ............................................................ 29 6. PUBLICIDADE .............................................................................................................. 33 7. SATISFAÇÃO E INSATISFAÇÃO ........................................................................ 40 8. WEB (REDES SOCIAIS)/ MC DO METRÔ/ PASSAGEM DO METRÔ ................ 42 9. POLÊMICAS/ SEGURANÇA/ VANDALISMO ...................................................... 47 10. EVENTOS (NO PANTS DAY/ SUBWAY PARTY/ PARADA GAY/ VIRADA CULTURAL/ FLASH MOB) ...................................................................................... 49 11. RESPONSABILIDADE SOCIAL................................................................... 12 . CONTEÚDO CULTURAL ........................................................................56 1. HISTORIA DO METRÔ 3
  • 4. O Metrô é um dos maiores movimentadores das massas populares no mundo o que, trocando em miúdos, significa uma minhoca de aço lotada de gente amontoada. O Metrô surgiu na segunda metade do século XIX com o intuito de levar a população proletariada para os grandes centros, ou seja, para o local de trabalho. Rapidamente se tornou um meio popular de locomoção, pois o êxodo rural estava no ápice, e vagas de trabalho estavam transbordando na Revolução Industrial. O metrô foi idéia de alguma mente brilhante da Inglaterra que resolveu usar o sistema de esgotos de Londres a carregar outra coisa além de dejetos. Obviamente, o objetivo original nunca foi atingido. O Metrô de São Paulo ou Metropolitano de São Paulo, conhecido popularmente como Metrô, é um sistema metropolitano que serve a cidade de São Paulo, operado pela empresa de capital misto do estado de São Paulo Companhia do Metropolitano de São Paulo. Fundada no dia 24 de abril de 1968, a empresa é responsável pelo planejamento, projeto, construção e operação do sistema de transporte metropolitano na Região Metropolitana de São Paulo. Tendo a maior parte de seu controle acionário associada ao governo do estado, é subordinada à Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo. Integra também Rede Metropolitana de Transporte de São Paulo. A empresa privada Via Quatro opera a recém-inaugurada Linha 4 do sistema. Atualmente o Metrô de São Paulo é considerado o melhor sistema de transporte sobre trilhos da América. O sistema está em operação e em expansão, com uma alta capacidade e um sistema de interligação para o transporte de massa na região metropolitana. Operacional desde 14 de setembro de 1974, o Metrô atualmente possui uma extensão de 70,6 quilômetros de linhas ferroviárias distribuídas em cinco linhas, ligadas por 62 estações. Compõem o sistema as linhas 1-Azul (Jabaquara - Tucuruvi) 2-Verde (Vila Prudente - Vila Madalena) 3-Vermelha (Corinthians-Itaquera - Palmeiras-Barra Funda) 4-Amarela (Butantã - Paulista) e 4
  • 5. 5-Lilás (Capão Redondo - Largo Treze). O sistema é interligado gratuitamente com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) nas estações Brás, Palmeiras-Barra Funda, Luz e Santo Amaro, e em outros terminais de transporte intermodal na cidade de São Paulo. Diariamente o Metrô transporta 3,4 milhões de passageiros. A HISTÓRIA; Em 1968 São Paulo já despontava como uma imensa e movimentada cidade em desenvolvimento comercial e industrial, caracterizando-se como sendo a metrópole que mais crescia no mundo. Era natural que todo esse crescimento acarretasse problemas graves á essa comunidade; principalmente com relação ao transporte coletivo urbano. Transporte era um problema diário para o paulistano, que não podia mais continuar perdendo horas de trabalho, lazer e convívio com a família nas filas de ônibus. Ele precisaria de um meio de transporte que fosse rápido e seguro, principalmente na hora do Rush. A solução era apenas uma: o Metrô. Surge assim o projeto da primeira linha do metrô, ligando o Norte ao Sul da cidade, passando pelo coração de São Paulo, com uma extensão de 17 quilômetros e 20 estações. As obras das linhas Norte e Sul, hoje chamada de Linha Azul, iniciaram-se no dia 14 de dezembro de 1968 na altura do nº 1500 da Avenida Jabaquara. A população acompanhou atenta a construção da sua primeira linha de metrô. As obras foram divididas em 10 trechos e realizadas utilizando-se avançadas técnicas construtivas. 14 de Setembro de 1974. Tem inicio a operação do primeiro trecho da Linhas 1 Azul, ligando Jabaquara a Vila Mariana. Aos poucos os paulistanos vão descobrindo esse novo caminho. Um ano após sua inauguração a Linha 1 Azul já operava de Santana a Jabaquara, porém a Estação Sé ainda não estava concluída. Para construir a maior estação do 5
  • 6. sistema e abrir horizontes à urbanização do centro da cidade foi necessário demolir o Edifício Mendes Caldeira. Manhã do Dia 16 de Novembro de 1975. Praça da Sé e Praça Clóvis Bevilacqua; Um prédio de 30 pavimentos foi demolido em apenas 8 segundos; Edifício Mendes Caldeira; 500 kg de dinamite. Derrubados para construir a principal estação de São Paulo, a Sé. A demanda de transporte coletivo continuava aumentando numa proporção tal que vários corredores de tráfego já estavam em nível de saturação, como era o caso das avenidas Celso Garcia, Rangel Pestana e Radial Leste; Era necessário uma solução rápida. Assim, no dia 26 de fevereiro de 1977 foram iniciadas as obras da segunda Linha do Metrô de São Paulo. A linha 3 Vermelha. Um velho sonho estaria sendo realizado. Enquanto as obras da Linha 3 Vermelha avançavam rumo ao leste, no dia 17 de fevereiro de 1978, foi inaugurada a Estação Sé, onde futuramente as Linhas 1 Azul E 3 Vermelha se cruzariam em diferentes níveis, possibilitando a transferência entre as duas linhas. 10 de Março de 1979. Dia de festa no Brás. Estava sendo entregue á população o trecho Sé/Brás do Metrô para uso comercial. Tinha inicio a operação da Linha 3. Desde então a linha não parou de crescer. Novas estações foram sendo inauguradas, e em dezembro de 1988 toda a linha 3 Vermelha estava em operação. Enquanto isso outra linha começava a ser construída. Desta vez, atravessando a Avenida Paulista, estavam sendo realizadas as obras do trecho Clínicas da Linha 2 Verde do Metrô de São Paulo. No dia 25 de janeiro de 1991, a cidade de São Paulo completava 437 Anos e a população ganhava de presente mais uma linha de metrô. O trecho Paraíso/Consolação começava a operar. Dezenove meses depois, em setembro de 1992, foram inauguradas as estações Ana Rosa e Clínicas. A ampliação da rede continuava, e em 1998, cinco novas estações foram entregues á população. A linha azul avançou para o Norte com a inauguração das estações Parada Inglesa, Jardim São Paulo e Tucuruvi. E a linha 2 ,Verde, recebeu duas estações, Sumaré e Vila Madalena. 6
  • 7. Ainda em 1998, mais uma nova linha de metrô começou a ser construída. Quem morava na região Sul da cidade poderia contar com a Linha 5 Lilás, que ligaria em sua primeira etapa do Capão Redondo ao Largo 13. A Linha 5 lilás iniciou sua operação comercial em Outubro de 2002, permitindo novas possibilidades de integração e facilitando a vida das pessoas. 14 de Setembro de 2004. O metrô completa 30 anos de operação comercial. Com um sistema de gestão da qualidade implantado, e os processos da operação e da manutenção, certificados pela norma NBR ISO 9001/ Versão 2000, o metrô é considerado o melhor transporte da região de São Paulo com indicio de 91 % de aprovação, conforme pesquisa realizada pela Associação Nacional de Transportes Públicos. Sempre preocupado em oferecer um serviço de alta qualidade aos seus usuários, o Metrô de São Paulo se destacou mais uma vez pelo seu pioneirismo, quando, em 2002, foi o segundo metrô do mundo a obter a certificação da qualidade para operação de suas linhas. Desde o momento em que entra nas dependências do sistema até o seu desembarque o usuário é recebido por empregados treinados e capacitados para dar uns atendimentos diferenciados, baseados numa política que busca garantir a satisfação do cliente e implementar continuamente melhorias nos seus processos. Hoje, mais de um milhão e oitocentos mil usuários são transportados diariamente pelas quatro linhas em operação, com 52 estações distribuídas em 57,6 km de extensão. Para transportar tanta gente com segurança e pontualidade, entra em ação uma sofisticada logística promovida pela área de manutenção, que tem a missão de assegurar a disponibilidade operacional dos equipamentos em instalações do sistema. Sempre de acordo com os padrões requeridos. As equipes de manutenção atuam de forma conjunta e eficiente durante 24 horas/ dia para garantir um bom atendimento no transporte. Cumprindo seus papéis sociais, preocupados com a gestão ambiental, o metrô de São Paulo, implantou modificações nos seus processos, visando facilitar o acesso ao sistema das pessoas com deficiência, reduzir ruídos e fumaça provenientes de grupos geradores diesel reutilizar água para a lavagem dos trens e vias, tratar 7
  • 8. adequadamente os resíduos contaminados oriundos dos serviços de manutenção e separar materiais inservíveis para reciclagem. 1.1 SINDICATO; ·. → História Em Setembro de 1981 foi fundado o Sindicato dos Metroviários, mas suas histórias de lutas, conquistas começaram em Fevereiro de 1970 quando foi fundado o Metrô-Clube. Mesmo ainda não constituindo uma categoria com unidade essa pode ser considerada a sua primeira manifestação de organização de metroviários. Na época o Metrô era um projeto muito recente, o total de associados era de 311 metroviários e eles podem ser considerados os percussores da criação do Sindicato de hoje. Apenas faltava o título de entidade sindical para Aemesp, então começaram a organizar assembléias, promoviam debates, torneios de futebol, aulas de capoeira, reunia os metroviários para projeções de filmes, promovia passeios ao Sesc, festas juninas, entre outros. Uma das maiores conquistas foi em 1989 o direito de uso do bilhete único onde os funcionários não precisam pagar o Metrô para utilizar. Então em 24 de Agosto de 1981 os metroviários receberam do governo federal a Carta Sindical, que confere à entidade já organizada o poder de representação legal da categoria, passando esta a se chamar Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Metroviários de São Paulo. → A luta do Sindicato contra a privatização do Metrô de São Paulo Em 1992, um projeto de lei do então governador de São Paulo Antônio Fleury Filho pretendia incluir o transporte no rol das privatizações, por meio da entrega do Metrô. Iniciava-se então a intensa batalha contra a entrega do Metrô à 8
  • 9. iniciativa privada, que perdura até hoje. Passado dois anos, o governo continuou com o objetivo de “abocanhar” todo o setor de transporte em São Paulo, então o Sindicato iniciou mais uma campanha, mas em defesa do Metrô como empresa pública e pela garantia de transporte bom e barato, a campanha mostrou a população à importância de lutar pela garantia do Metrô estatal e com tarifas acessíveis. Os metroviários lutavam também pelo aumento das linhas e contra o sucateamento e as demissões. Em 1995 com o governo na mão de Mario Covas um abaixo assinado pedindo a extensão das linhas e mostraram preocupação com o incentivo à utilização do transporte público. Em 1998 durante um seminário Metroviário e Ferroviário discutiram problemas da privatização, enquanto isso o Plataforma também denunciava os transtornos causados pelas privatizações e terceirizações. O metrô em Setembro de 1999 completava 25 anos e era considerado o melhor meio de transportes pelos paulistanos, mas sofria de vários problemas como: falta de funcionários, verbas para manutenção e expansão e foi com isso que o Sindicato intensificou a sua campanha, recebendo apoio de trabalhadores, entidades, entre outros. Essa é uma briga que persiste até hoje. Linha 4- Amarela É a primeira do Brasil a ser operada por meio de parceria pública-privada, a iniciativa privada tem trinta anos para explorar a linha, em troca à concessionária investira em trens, além de outros investimentos. Isso gerou uma indignação por parte dos funcionários, que acham isso é uma “privatização”, fizeram uma greve no dia 15 de Agosto de 2006, mas a greve não conseguiu impedir o processo. A parceira-privada funciona assim: O governo do Estado investirá mais de US$ 922 milhões, ou 73% dos recursos, enquanto a iniciativa privada investirá US$ 340 milhões, 27% do total; • O consórcio vencedor terá a concessão da linha por 30 anos, sendo obrigado a manter e operar, tendo a receita tarifária em retorno; 9
  • 10. • O Concessionário terá o direito de explorar empreendimentos associados nas estações, tais como lojas, shoppings, estacionamentos, publicidades durante o prazo de concessão; • Foi instituído mecanismo de compensação financeira entre o Estado e o Concessionário, caso a demanda seja inferior ou superior ao previsto. → Atualmente Atualmente o sindicato esta em outra luta, as reivindicações e são: • Reajuste de 10,79%, conforme IGPM, para reposição da inflação; • Produtividade de 13,80%, conforme ICV-Dieese; • Reajuste de 13,90% para o VR; • Aumento do valor da cesta básica e do VA para R$ 311,09; • Equiparação salarial e Plano de Carreira; • PPP para aposentadoria e plano de saúde para os aposentados; • Não à privatização das L4 e L5; • PR igualitária; • Licença maternidade de seis meses; • Anistia aos demitidos; E não podemos esquecer que em todas as lutas do Sindicato ele sempre coloca que o Metrô precisa de mais expansões e mais funcionários para atender melhor os usuários que a cada dia crescem mais. O Metrô e o Sindicato já tiveram várias reuniões onde suas propostas foram colocadas e infelizmente não chegaram em nenhum acordo, então em assembléia no dia 26/05/2011 o Metrô declarou greve para o dia 01/06/2011. Se o Metrô não apresentar nenhuma proposta nova até às 18h do dia 31/05/2011 a greve realmente acontecerá no dia primeiro de junho. Em nota divulgada, o sindicato dos metroviários declarou: "Diante de mais esta demonstração de pouco caso com o sufoco que a categoria enfrenta dia e noite para atender a população, a categoria não teve alternativa, senão decretar 10
  • 11. greve para o dia 1º de junho". O Metrô acionou o Plano de Apoio entre Empresas de Transporte para minimizar a greve, que deve afetar 3,4 milhões de usuários. E a companhia declarou: "A Companhia do Metrô preparou um esquema especial para garantir o acesso dos seus empregados aos postos de trabalho e alertou todos os funcionários sobre a responsabilidade de manter os serviços essenciais que atendam as necessidades inadiáveis da sociedade. Com o anúncio de greve, a SPTrans deverá readequar as linhas de ônibus para assegurar o transporte de passageiros ao Centro da cidade", informou a nota. A assembléia ocorrida no dia 26/05/2011 foi a maior e foi à primeira unificada, com funcionários da CPTM e Sabesp, consequentemente será a primeira greve unificada. (Metrô, CPTM e Sabesp). 2.LINHAS • A linha 1-azul foi à primeira linha construída pelo Metrô e também a primeira linha de metropolitano a ser construída no Brasil, sua construção foi inicia na década de 60 e sua inauguração no começo dos anos 70, a linha 1 Azul liga Tucuruvi a Jabaquara. Sua operação comercial começou no dia 14 de setembro de 1974, com os trens circulando nos seus primeiros sete quilômetros entre as estações Jabaquara e Vila Mariana, o seu atendimento era das 10 ás 15 horas. No dia 1º de março de 1975 a linha 1 Azul chegou ao centro da cidade, Vila Mariana-Liberdade. Na metade do ano, foi inaugurado mais um trecho, Liberdade-Santana, em 1998 foi entregue a população à extensão até o Tucuruvi que adicionou mais 3 estações: Jardim São Paulo, Parada Inglês e Tucuruvi. 11
  • 12. Tucuruvi (TUC) Integração: Em projeto a integração para o corredor Guarulhos/Tucuruvi da EMTU. Plataformas: Laterais Posição: Sumissubterrânea. Capacidade: 30.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 8.630m2 Inauguração: 29/04/1998 Parada Inglesa (PIG) Integração: Terminal Urbano Plataformas: Laterais Posição: Elevada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.635m2 Inauguração: 29/04/1998 Jardim São Paulo (JPA) Integração: Terminal de ônibus Plataformas: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 7.355m2 Inauguração: 29/04/1998 Santana (SAN) Integração: Terminal de ônibus urbano. Plataformas: Laterais Posição: Elevada Capacidade: 30.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 8.565 m2 Inauguração: 26/09/1975 Carandiru (CDU) Integração: Terminal de ônibus Plataformas: Laterais Posição: Elevada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.880 m2 Inauguração: 26/09/1975 12
  • 13. Portuguesa-Tietê (TTE) Integração: Terminal de ônibus urbano, terminal rodoviário e estacionamento. Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 4.800 m2 Inauguração: 26/09/1975 Armênia, antiga ponte pequena (PPQ) Integração: Terminal de ônibus intermunicipal e urbano. Plataformas: Laterais Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 5.560 m2 Inauguração: 26/09/1975 Tiradentes (TRD) Integração: não tem. Plataformas: Central Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.670 m2 Inauguração: 26/09/1975 Luz (LUZ) Integração: Intregração com a CPTM. Plataformas: central e lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 40.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 18.250 m2 Inauguração: 26/09/1975 São Bento (BTO) Integração: Terminal Correio Plataformas: Lateral e sobrepostas Posição: Subterrânea Capacidade: 40.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 18.150 m2 Inauguração: 26/09/1975 Liberdade (LIB) Integração: não tem Plataformas: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.720 m2 Inauguração: 17/02/1975 São Joaquim (JQM) Integração: não tem Plataformas: Lateral Posição: Subterrânea 13
  • 14. Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.415 m2 Inauguração: 17/02/1975 Vergueiro (VGO) Integração: não tem Plataformas: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 8.980 m2 Inauguração: 17/02/1975 Paraíso (PSO) Integração: Linha 2-verde Plataforma: Lateral e sobrepostas Posição: Subterrânea Capacidade: 40.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 15.765 m2 Inauguração: 17/02/1975 Ana Rosa (ANR) Integração: Terminal de ônibus, estacionamento e linha2-verde Plataforma: Central Posição: Subterrânea Capacidade: 40.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.220 m2 Inauguração: 17/02/1975 Vila Mariana (VMN) Integração: Terminal de ônibus urbano. Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 7.190 m2 Inauguração: 14/09/1974 Santa Cruz (SCZ) Integração: Terminal de ônibus e acesso ao Shopping Center; Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.190 m2 Inauguração: 14/09/1974 Praça da Árvore (ARV) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico 14
  • 15. Área Construída: 6.225 m2 Inauguração: 14/09/1974 Saúde (SAU) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.250 m2 Inauguração: 14/09/1974 São Judas (JUD) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 7.360 m2 Inauguração: 14/09/1974 Conceição (COM) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.840 m2 Inauguração: 14/09/1974 Jabaquara (JAB) Integração: Terminal de ônibus e acesso ao Shopping Center Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 30.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6.850 m2 Inauguração: 14/09/1974 • A Linha 2-verde é constituída pelo trecho entre as estações Vila MadalenaVila Prudente, a linha 2-verde também é conhecida como Linha da Paulista por percorrer parte da Avenida Paulista. Com esta linha o Metrô passou a abranger um dos mais importes eixos do centro expandido de São Paulo, a linha foi inaugurada em 25 de Janeiro de 1991, ano seguinte foi inaugurada as estações Ana Rosa e Clínicas, em 1998 duas novas estações foram inauguradas, Vila Madalena e Sumaré e em 2006 foi inaugurada a estação Santos-Imigrantes e a estação Chácara Klabin, em 15
  • 16. 2007 a estação Alto do Ipiranga foi inaugurada, em 2010 a estação Sacomã, Vila Prudente e Tamanduateí. Vila Madalena (VMD) Integração: Ponte Orca com a estação universitária (CPTM) Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.600 m2 Inauguração: 21/11/1998 Sumaré (SUM) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Semielevada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 5.330 m2 Inauguração: 21/11/1998 Clínicas (CLI) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.510 m2 Inauguração: 12/09/1992 Consolação (CNS) Integração: Linha 4-amarela Plataforma:Central Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 10.270 m2 Inauguração: 25/01/1991 Trianon-Masp (TRI) Integração: não tem. 16
  • 17. Plataforma: Central Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.290 m2 Inauguração: 25/01/1991 Brigadeiro (BGD) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 8.790 m2 Inauguração: 25/01/1991 Chácara Klabin (CKB) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 8.790 m2 Inauguração: 25/01/1991 Santos-Imigrantes (IMG) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Semielevada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 6914,65 m2 Inauguração: 30/03/2006 Alto do Ipiranga (AID) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 30.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 8 600 m2 Inauguração: 30/06/2007 Sacomã (SAC) Integração: Expresso Tiradentes, Terminal Sacomã Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 18.296 passageiros / hora pico Área Construída: 12.452,00 m² Inauguração: 30/01/2010 Tamanduateí (TTI) Integração: Linha 10 da CPTM Plataforma: Lateral 17
  • 18. Posição: Elevada Área Construída: 14890,00m2 Inauguração: 21/09/2010 Vila Prudente (VPT) Integração: Terminal Vila Prudente Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: Demanda diária de 65.900 embarques. Área Construída: 19.729,26m² Inauguração: 21/08/2010 • A linha 3-vermelha é constituída pelo trecho Palmeiras-Barra Funda – Corinthians-Itaquera, é a mais movimentada do sistema. Esta linha deveria ser totalmente subterrânea, mas depois de um amplo debate foi decido que seria construída em superfície, aproveitando a antiga Rede Ferroviária Federal Em 1979 foi inaugurado o primeiro trecho entre as estações Sé e Brás, em 1980 inauguração do trecho, Brás-Bresser, em 1981 inauguração do trecho, Bresser-Belém, no mesmo ano foi inaugurado o trecho, Belém-Tatuapé, em 1982 inauguração do trecho Sé-Santa Cecília, em 1983 a inauguração da estação Anhangabaú, em 1986 inauguração do trecho, Tatuapé-Penha e em 1988 inauguração do trecho, Penha-Guilhermina-Esperança, do trecho, Guilhermina Esperança-Artur Alvim, trecho Artur-Alvim – Corinthians Itaquera e do trecho Santa Cecília – Barra Funda. 18
  • 19. Palmeiras- Barra Funda Integração:CPTM e Terminal Rodoviário Barra Funda Plataforma: Lateral e Central Posição: Superfície Capacidade: 60.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 61.500 m2 Inauguração: 17/12/1988 Marechal Deodoro (DEO) Integração: não tem Plataforma: Sobrepostas Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 12.580 m2 Inauguração: 17/12/1988 Santa Cécilia (CEC) Integração: Terminal Amaral Gurgel Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 10.680 m2 Inauguração: 10/12/1983 Republica (REP) Integração: não tem Plataforma: Lateral e Central Posição: Subterrânea Capacidade: 80.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 39.050 m2 Inauguração: 24/04/1982 Anhangabaú (GBU) Integração: Terminal Bandeira Plataforma: Central Posição: Subterrânea Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 11.160 m2 Inauguração: 26/11/1983 19
  • 20. Sé (PSE) Integração: Linha 1-Azul Plataforma: Lateral e central Posição: Subterrânea Capacidade: 100.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 39.925 m2 Inauguração: 17/02/1978 Pedro II (PDS) Integração: Expresso Tiradentes Plataforma: Lateral Posições: Elevada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.535 m2 Inauguração: 10/03/1979 Brás (BAS) Integração:CPTM Plataforma: Lateral e Central Posição: Superfície Capacidade: 60.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 23.350 m2 Inauguração: 10/03/1979 Bresser-Mooca (BRE) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Superfície Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 10.375 m2 Inauguração: 23/08/1980 Belém (BEL) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Superfície Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.770 m2 Inauguração: 05/09/1981 Tatuapé (TAT) Integração: CPTM Plataforma: Lateral e Central Posição: Superfície Capacidade: 60.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 34.680 m2 Inauguração: 05/11/1981 Carrão (CAR) 20
  • 21. Integração: Terminal urbano do Metrô Plataforma: Central Posição: Superfície Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 10.170 m2 Inauguração: 31/05/1986 Penha (PEN) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Semienterrada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.540 m2 Inauguração: 31/05/1986 Vila Matilde (VTD) Integração: Terminal urbano do Metrô (Linhas da SPTrans) Plataforma: Central Posição: Superfície Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 8.970 m2 Inauguração: 27/08/1988 Guilhermina-Esperança (VPA) Integração: não tem Plataforma: Superfície Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 9.795 m2 Inauguração: 27/08/1988 Patriarca (PCA) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Semielevada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 7.525 m2 Inauguração: 17/09/1988 Artur Alvim (ART) Integração: não tem Plataforma: Central Posição: Semielevada Capacidade: 20.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 14.740 m2 Inauguração: 17/09/1988 Corinthians-Itaquera (ITQ) Integração: CPTM Plataforma: Lateral e Central 21
  • 22. Posição: Elevada Capacidade: 60.000 passageiros/hora/pico Área Construída: 30.435 m2 Inauguração: 01/10/1988 •A linha 5-Lilás é constituída pelo trecho entre as estações Capão RedondoLargo Treze, e 2015 terá integração com a Linha 1-Azul e com a Linha 2-Verde e em 2017 até a futura estação Terminal Multimodal Jardim Ângela. Quando concluída ir a ligar os bairros de Santo Amaro a importantes bairros de atividades terciárias como Moema, Vila Mariana e Brooklin. Construída pela CPTM em 2001 o Governo do Estado de São Paulo passou a operação para a Companhia do Metropolitano de São Paulo, assim passando a se chamar Linha -Lilás Em 1998 começo os trabalhos de construção, em 2002 houve a inauguração do trecho Capão Redondo-Largo Treze, em 2009 início da construção da estação Adolfo Pinheiro, 2011 retomada das obras de expansão da linha. A linha 5-Lilás é uma linha que esta em expansão. Capão Redondo (CPR) Integração: Integração gratuita com EMTU Plataforma: Lateral Posição: Elevada Capacidade: 22.038 passageiros/hora/pico (horizonte 2010) Área Construída: 5.209,00 m² Inauguração: 20/10/2002 22
  • 23. Estação Campo Limpo (CPL) Integração: Integração paga com a EMTU Plataforma: Lateral Posição: Elevada Capacidade: 10.872 passageiros/hora/pico (horizonte 2010) Área Construída: 4.869,49 m² Inauguração: 20/10/2002 Vilas das Belezas (VBE) Integração: não tem Plataforma: Lateral Posição: Elevada Capacidade: 2.213 passageiros/hora/pico (horizonte 2010) Área Construída: 4.886.79 m² Inauguração: 20/10/2002 Giovanni Gronchi (GGR) Integração: Terminal João Dias Plataforma: Lateral Posição: Elevada Capacidade: 10.872 passageiros/hora/pico Área Construída: 4.869,49 m² Inauguração: 20/10/2002 Santo Amaro (STA) Integração: CPTM Plataforma: Lateral Posição: Elevada Capacidade: 25.286 passageiros/hora/pico (horizonte 2010) Área Construída: 7.128,00 m² Inauguração: 20/10/2002 Largo Treze (LTR) Integração: Terminal Santo Amaro Plataforma: Lateral Posição: Subterrânea Capacidade: 8.114 passageiros/hora/pico (horizonte 2010) Área Construída: 8.750,00 m² Inauguração: 20/10/2002 23
  • 24. 3. PAUTAS 3.1. PAUTA MOTIVACIONAL; O metrô não mostra planos de carreira abertamente. Então, automaticamente o metrô não motiva os funcionários a seguir carreira na empresa através das pautas motivacionais. Eles usam das pautas associativas e familiares para encorajar os funcionários. 3.2. PAUTA INSTITUCIONAL ; O metrô oferece aos seus funcionários informativos, quadros de avisos e jornais para informá-los sobre o que a empresa está programando, quais são os interesses e objetivos da empresa naquele momento, e quais são as atividades exercidas pelo metrô. 3.3.VISÃO FAMILIAR; 24
  • 25. A cada estação o metrô revela o seu lado familiar, pois respeita o usuário vendo-o como parte do seu dia-a-dia. De segunda a sexta são mães, pais, tios, irmãos, primos bem cedo acordam para mais um dia de trabalho. Pela manhã os trens do metrô estão cheios de pessoas de famílias diferentes, os funcionários estão aptos na segurança de cada usuário, porque sabe da importância deles irem e voltarem aos seus lares. Porque é de noite que muitos retornam aos caminhos da comunidade local, o aconchego da casa. Estão ali mães esperando seus filhos chegarem da faculdade, pais monitorando da janela a hora que chega e com quem chega. E se eles estão seguros em casa, é isso que o metro de São Paulo tem como primordial missão. Os filhos vêem das baladas, dos encontros e das festas. Pais e filhos vêm dos shoppings, parques, cinemas e tantos outros lugares desta cidade. Mas o metrô está a serviço das famílias que se espalham pelas linhas do Metrô, ainda são 4 linhas, mas daqui alguns anos serão muito mais e as famílias sairão da zona leste e verão as famílias da zona sul. Os avôs da zona norte recordarão os velhos tempos da zona central. Assim cada família virá de extremos lestes ou oestes, ou altos do norte ou baixos do sul. Mas o metrô tem esse desejo chegar até as famílias, e prestar serviço de qualidade a elas pelo o que já está em funcionamento. Por isso, não abrimos mão de zelar pela orientação nas horas de sufoco que muitos pais e filhos enfrentam em um sistema metroviário ainda lento e pequeno para suportar os habitantes da maior cidade da América Latina e uma da maiores do mundo, Esta cidade tem proporções de uma país, mas as linhas do metrô da cidade de São Paulo são poucas, algumas em construção, outras em projetos e as famílias ficam a mercês do interesse dos órgãos públicos no investimento em transporte rápido, seguro, eficiente para levar em paz os filhos e os pais de famílias à espera deles. Tomara que os projetos saiam logo do papel, porque as famílias querem levar seus filhos para os lugares mais incríveis desta cidade. E o metrô precisa ser mais ágil do que os seus próprios trens, porque a copa de 2014 está chegando e todas as famílias escolherão o metro de São Paulo como transporte vestirá camisa verde-amarelo, erguerão bandeiras, darão brados de alegria e o metrô 25
  • 26. precisa estar com mais linhas, mais integrações, serem cumpridas as obras prometidas, fazer as famílias do mundo com as famílias do Brasil se juntar dentro do metrô e comemorar com paz as vitórias de cada seleção. Sabe-se que foram muitos anos sem dar a atenção devida tanto às famílias, quanto ao metrô. A consequência disso, o aumento da população superlotou as pequenas opções de alternativas das linhas do Metrô, então depois que as famílias perderam seus entes queridos e foram vitimas de descaso político, agora estão sendo tomadas medias para aliviar a deficiência que houve das famílias que vem e vão aos trens do Metrô de São Paulo. Basta agora esperarmos as estações que virão as linhas que são pensadas pelo metro a fim de chegar mais perto do rico ou do pobre, das crianças ou dos idosos, dos homens ou das mulheres para todos embarcarem e desembarcarem livres ao seu destino. 3.4. VISÃO EDUCACIONAL Quem precisa ir e vir escolhe o Metrô de São Paulo comoção de transporte rápido, limpo e seguro. Para que a viagem não se torne entediante ou estressante o metrô fez o TV MINUTO, que oferece dentro dos trens educação, entretenimento e informações úteis aos usuários. Aquelas “telinhas” suspensas trazem oportunidade de emprego, promoções aos que estão conectados as redes sociais (twitter, face book, etc.), curiosidades e dicas para o dia – a –dia, traz noticias de esporte, televisão, economia, política. É interessante ver os movimentos gráficos que a TV MINUTO oferece ao usuário, com dinamismo, cores, imagens que chamam atenção dos passageiros que usam o metrô. A TV MINUTO criou para os deficientes auditivos poesias em Libras (Linguagem Brasileira de Sinais), de forma suave, divertida e muito expressiva. No site www.tvminuto.com.br, contém dados importantes tem o link NÚMEROS que traz gráficos do perfil de quem assiste à TV Minuto. Segundo os gráficos entre homens e mulheres, elas são 53% do que assistem. Já no Ramo de Atividade/Serviços, 62% são prestadores de serviços. Entre as classes sócias o índice da Classe B2 e C apontam 75%. No gráfico da faixa etária os jovens e adultos variam de 29% a 30% entre 18 e 34 anos. E por fim 26
  • 27. 53% dos que assistem a TV Minuto têm o Ensino Médio Universitário Incompleto. 93% dos passageiros ficam, pelo menos, 31 minutos nos vagões. 5.232 monitores instalados em 109 trens das 3 linhas do Metrô. TV MINUTO 27
  • 28. Agora toda a virtualização que aparece nos monitores dos trens pode ser visto no site www.tvminuto.art.br, você participa das promoções anunciadas, vê os vídeos que aparecem nas “telinhas”, conhecem obras de artes, peças em cartazes, galerias de fotos. Vale também ver as tuitadas dos artistas com interatividade e informação em tempo real. Na TV Minuto. Art. você têm outra variedade de links que lavam a roteiros de livros, de vídeos, de jornalismo, de movimentos artísticos (teatro, fotografia, cinema). Acaba conhecendo obras literárias, como o livro A Hora da Estrela, em as Primeiras Palavras e também, Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machados de Assis. Com pequenos trechos das histórias. 28
  • 29. 4. HISTÓRIAS CURIOSAS; O Metrô de São Paulo recebe quase 4 milhões de pessoas por dia, então coisas inusitadas acontecem quase todo momento, como essas: “Uma mulher estava no trem sentido Corinthians-Itaquera e quando foi desembarcar acabou perdendo um par de seus sapatos dentro do trem. Ela acabou tendo que comunicar parar um funcionário que acabou tomando as devidas providências e conseguiu recuperar o par de sapato.” “Um policial fardado e com sua arma, estava no trem em horário de pico. 29
  • 30. Quando chegou na sua estação de destino e desembarcou, se deu conta que sua arma havia sumido, infelizmente o Metrô não pode fazer nada para ajudálo” “Um senhor e sua família que tinham acabado de chegar de uma cidade do interior para visitar um parente, chegou na estação Palmeiras-Barra Funda e perguntou para um funcionário do Metrô onde ficava a casa do” Zé “, seu parente, infelizmente o senhor não tinha noção que São Paulo é uma cidade muito grande e achou que fosse como em sua cidade do interior onde todos se conheciam, o senhor não tinha o telefone e nem o endereço do parente. Então o Metrô para não deixar o senhor e sua família completa na rua, acabou pagando a passagem de todos de volta para a sua cidade Natal.” “Um homem que havia acabado de comprar um fogão estava voltando para a sua casa pelo Metrô, e acabou esquecendo o fogão dentro do trem. Só no outro dia ele apareceu na estação perguntando para um funcionário que tinha perdido” algo “dentro do trem e só depois de mais algum tempo se deu conta que era o fogão. Sorte que uma boa pessoa acabou achando e levando para o Achados e Perdidos na estação da Sé.” Historias de Salvamento “Um funcionário estava dentro do trem sentido Jabaquara, e acabou vendo uma mãe desesperada com a sua filha que havia se engasgado com uma bala. O funcionário com os seus treinamentos acabou conseguindo sugar a bala e assim salvando a garota.” “Um funcionário da estação Sé, estava na plataforma da estação quando viu um senhor alcoolizado e foi ver se o senhor precisava de alguma ajuda, médica ou para ajudá-lo a chegar sem sua casa. O senhor alcoolizado acabou levantando e começou a caminhar em direção a via onde o trem estava chegando em “alta velocidade”, falando que iria se matar, então o funcionário conseguiu segurar o senhor e com o peso do seu corpo conseguiu puxá-lo impedindo que ele se jogasse na frente do trem.” 30
  • 31. 5. COMUNICAÇÃO OFICIAL E NÃO OFICIAL O metrô é uma das maiores empresas públicas do país, e o metrô de São Paulo tem o maior número de usuários, por dia cerca de quatro milhões de pessoas trafegam no metrô da capital paulista e como uma instituição de grande porte, uma das suas estratégias é a comunicação oficial. O metrô implantou esse ano o SMS- DISK DENÚNCIA uma forma de interagir com o usuário e garantir a sua segurança nas mediações da instituição, após implantar essa idéia o metrô conseguiu barrar a venda clandestina de mercadorias no interior dos vagões, prender marginais e até ser informado sobre algum acidente no vagão enquanto ele esta em circulação. Essa comunicação entre usuário e funcionário é oficial, é divulgada no site da empresa, nos vagões, foi divulgada na TV, Redes Sociais e Outdoors de cada estação. O metrô se relaciona com os usuários de diversas formas, por isso tem o SAC, ouvidoria, Site da empresa, Redes Sociais Oficiais ( Twitter, Facebook e Orkut) é oficial somente quando é administrado por seu legitimo representante, Caixas de Sugestões e Achados e perdidos. 31
  • 32. O site do metrô de São Paulo é a comunicação Oficial da empresa . Comunicação não oficial é feita pelos os usuários, porém sem resposta da empresa ela é feita em sites e reclamações, em jornais e nas redes sociais. Quando uma reclamação é feita em uma comunidade do ORKUT e FACEBOOK que não são controlados pela a empresa, torna-se automaticamente uma comunicação não oficial. No site RECLAME aqui tem reclamações contra a instituição, porém nenhuma delas foram respondidas pela empresa, se um usuário reclamasse em um jornal e a empresa respondesse, essa comunicação seria oficial, sendo assim ficamos cientes de que a comunicação não oficial é quando a empresa não tem consciência da nota. 32
  • 33. Mural dos metroviários em Itaquera. Comunicação não oficial 6. PUBLICIDADE NO METRÔ A publicidade no metrô é bem restrita em alguns aspectos, entre eles a escolha de qual empresa pode ou não anunciar em seus trens. As empresas que mais anunciam nos carros da companhia metroviária são: bancos, universidades, lojas de departamento, lojas esportivas e artigos esportivos, marcas de roupas e sapatos, emissoras de TV, operadoras móveis de celular, organizações, etc. Essas empresas podem entrar em contato com a administração do metrô e se informar sobre painéis, banners, cartazes, além de seus preços, tamanhos, quantos dias podem ser expostos e quantas unidades as empresa pode espalhar na estação, nos trens e plataformas. Todas essas e outras informações podem ser encontradas no site do metrô, onde podem ser tiradas todas as dúvidas que podem surgir na hora de uma empresa querer anunciar 33
  • 34. 7. SATISFAÇÃO E INSATISFAÇÃO No dia 7 de fevereiro de 2011 uma matéria foi publicada no Jornal Folha de São Paulo sobre a insatisfação dos usuários do metrô que caiu 10% em quatro anos, alguns usuários alegam que o metrô lota mais que os trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Após diversas pesquisas na internet sobre essas insatisfações, porém a liderança é da superlotação principalmente na estação BRÁS e do aumento da passagem que em 2010 teve um reajuste para R$ 2,90. O supervisor do SSO da Estação Itaquera, Antonio Vital, conversou conosco sobre o problema da superlotação e como representante da empresa pública informou que a única forma de evitar esse desconforto para o usuário é a expansão do metrô. São Paulo tem apenas 70 km de metrô, um número inferior para a população paulista, porém a expansão e a falta de metropolitano é um problema nacional. O Brasil esta atrasado em linhas ferroviárias comparado com o metrô dos EUA (Estados Unidos da América) . Comparação da quantidade linhas do metrô no Brasil e nos EUA. Para o Presidente dos sindicatos dos metroviários, Altino Melo. O metrô de São Paulo esta há décadas atrasado em relação a expansão, que garantiria uma viajem mais confortável e evitaria transtornos e até mesmo a insatisfação, reforçando o comentário do supervisor do SSO de Itaquera, a única forma de evitar esse problemas corriqueiros é a expansão do metropolitano na cidade, porém de forma estratégica uma obra em um local que não tem uma concentração de usuários é de certa forma milhões em dinheiro mal investidos 34
  • 35. o que não pode acontecer em uma cidade que a população depende do transporte público para trabalhar. Um exemplo disso é o metrô Tamanduateí, o Angélica que causou manifestações dos moradores da região de Higienópolis. A estação Tamanduateí foi inaugurada em agosto de 2010 após cinco meses de atraso nas obras, após a sua inauguração os usuários e moradores da zona leste mostraram-se insatisfeitos, pois a estação não faz baldeação com a estação SÉ onde se concentra o maior número de desembarque, a estação é da linha verde e esta prevista uma integração com a futura linha branca. Recentemente nos deparamos com a polêmica do metrô Angélica, que seria construído no bairro Higienópolis. Alguns moradores foram contra a construção de um metropolitano na região, pois a estação ficaria próxima de outra e esse percurso pode ser feito de ônibus, e também os usuários podem usar a estação MARECHAL DEODORO que fica próximo ao bairro. Os moradores que queriam a estação na avenida Angélica fizeram uma manifestação contra as assinaturas de pessoas que se sentiram incomodadas com um metrô na região. No site RECLAME AQUI alguns moradores próximos às estações reclamam do barulho, alguns dizem que chega a ser ensurdecedor principalmente de madrugada, outros dizem sobre as obras que são construídas e que os trabalhadores falam muito alto de manhã. No quesito satisfação os usuários fazem comparação com o metrô de São Paulo e o metrô do exterior. Xangai tem cerca de 420 km e é a maior rede de metropolitano do mundo, também sofre com a superlotação como o metrô da capital paulista, mas os paulistanos não deixam a desejar. No Brasil, o metrô de São Paulo é destaque, pois nem o Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belo Horizonte comportam mais passageiros como o nosso, o metrô incentiva o turismo, pois ele trafega no centro da cidade. Pesquisas nas redes sociais ressaltam a satisfação com o nosso metropolitano, encontramos no ORKUT a comunidade: EU ADORO O METRÔ 35
  • 36. DE SÃO PAULO com 1.997 membros, 24 tópicos elogiando o metrô paulistano, entre os elogios os usuários citam a estação favorita e Sumaré e Sacomã são unânimes, por sua beleza, tecnologia e preservação, visitas no metrô, metrô 24 horas, eventos e cultura no metrô. Em 2010 o metrô trouxe bandas internacionais que tocavam em cada estação , proporcionando um dia melhor e saudável para os usuários que podiam desfrutar gratuitamente dos shows . Desde 2007 o metrô adotou o bicicletário nas estações, pensando no meio ambiente e na saúde dos usuários, um novo projeto foi implantado em 2008 é o embarque na leitura parceria com o instituto Brasil Leitor (IBL) facilita o acesso para os leitores e disponibiliza livros gratuitos principalmente sobre a literatura Brasileira , após a “biblioteca metroviária” o metrô adotou a venda de livros para estudantes e leitores. O Brasil esta em primeiro lugar no ISO ( International Organization for Standardization) O ISSO é um sistema gerencial voltado para a qualidade de norma da empresa, reconhecida mundialmente, sua sede fica na Suécia. Esse mérito foi conquistado pela limpeza, organização e bom atendimento, comparado com países de primeiro mundo o Brasil é uma das melhores redes de metropolitano, no quesito limpeza o metrô de Paris, Espanha e EUA ficam atrás do nosso, as estações são sujas, os azulejos quebrados e vira uma concentração de pedintes e músicos. TRANSCRIÇÃO AUDIO Nº5 - RH - FUNCIONARIA ALICE/ SERGIO ALICE - "AQUI TEMOS UM PESSOAL QUE TRATA DE TODA A COMUNICAÇÃO, TODA A MANIFESTAÇÃO DO USUARIO : CARTAS POR EMAIL, TELEFONE,CAIXA DE SUGESTÃO." LYGIA PERGUNTA - VOCÊS PROCURAM PESQUISAR O QUE OS USUARIOS ACHAM, COMENTAM ? E VOCÊS RESPONDEM TAMBEM, OU NÃO ? ALICE - "QUEM FAZ ESSE FILTRO É O PESSOAL DE TURISMO, ESSA PERGUNTA É A NIVEL DE EMPRESA, ENTÃO NÃO POSSO TE RESPONDER EXATAMENTE." "NESTE DEPARTAMENTO, NÓS TRATAMOS DA AREA VISUAL E AUDITIVA 36
  • 37. DO METRÔ. E VISITAS TÉCNICAS, VISITAS DE FACULDADE, PESSOAS QUE QUEREM CONHECER O METRÔ, SABER COMO OS TRENS TROCAM DE TRILHO, VISITAS DE ALUNOS DE LOGISTICA." AQUI NÓS TEMOS OS PROGRAMAS "CONHEÇA SEU METRÔ" E UM OUTRO QUE TRAZ CRIANÇAS DESDE OS 6 ANOS DE IDADE ATÉ O COLEGIAL. O GRUPO É SEMPRE ACOMPANHADO POR UM OU MAIS GUIAS." "NESSA VISITA ELES FICAM CONHECENDO A HISTORIA DO METRÔ DESDE O COMECINHO ATÉ OS DIAS DE HOJE, SOBRE A SEGURANÇA, O TREINAMENTO (...) O OBJETIVO DESTE PROJETO É EDUCÁ-LAS, PARA QUE ELAS APRENDAM A ANDAR DE METRÔ (...)." SERGIO - " POR EXEMPLO, O QUE FAZER QUANDO O TREM PARA; QUEM CHAMAR QUANDO ACONTECE UM ACIDENTE (...) PRINCIPALMENTE AS CRIANÇAS." ALICE - “TEM UM OUTRO PROGRAMA TAMBEM,QUE O PESSOAL AQUI RESPONDE, QUE É O” "CLIENTE CIDADÃO", NESSE PROGRAMA, TODA QUARTA- FEIRA APÓS AS 3 HORAS, AS PESSOAS DA TERCEIRA IDADE VEM AQUI (NO CCO) ASSISTEM UMA PALESTRA E APRENDEM TUDO SOBRE A SEGURANÇA, COMO AGIR EM CASO DE ACIDENTE NO METRÔ(...).”“. "NÓS MOSTRAMOS O QUE ACONTECE QUANDO AS PESSOAS ULTRAPASSAM A LINHA AMARELA DE SEGURANÇA (...) ISSO DÁ UM TRABALHO!(...) A SEGURANÇA NO METRÔ DÁ MUITO TRABALHO PARA O NOSSO SETOR. NÃO TRABALHO DE” AH MEU DEUS!", É UMA PREOCUPAÇÃO. O METRÔ TRABALHA MUITO COM O SER HUMANO, ENTÃO A SEGURANÇA DO USUARIO É MAIS IMPORTANTE QUE QUALQUER COISA, E O NOSSO METRÔ ,GRAÇAS A DEUS, É O METRÔ MAIS SEGURO DO MUNDO PORQUE NÓS NÃO ARRISCAMOS, O PROGRAMA É SEGUIDO DIREITINHO." "QUANDO OCORRE UM PROBLEMA EM QUALQUER TREM DO METRÔ, O TREM DE TRÁS PARA. NÃO IMPORTA SABER O QUE ACONTECEU NO DA FRENTE, ELE TEM QUE PARAR." 37
  • 38. "ENTÃO NÓS TRABALHAMOS MUITO A EDUCAÇÃO DOS IDOSOS." "NÓS TAMBEM ESTAMOS SEMPRE PRONTOS PARA O CASO DE ALGUM USUARIO PASSAR MAL. NESSE CASO ELE DEVE PROCURAR UM FUNCIONARIO NOSSO (OU SE O FUNCIONARIO PERCEBER QUE A PESSOA NÃO ESTA BEM, ELE MESMO ABORDA A PESSOA); E ESSA PESSOA PREENCHE UMA FICHA E É ENCAMINHADA PARA O HOSPITAL , DA REDE PUBLICA, MAIS PERTO." NATHALIA PERGUNTA - PORQUE AS PESSOAS SÃO ENCAMINHAS PARA HOSPITAIS,E NÃO SÃO SOCORRIDAS NO PROPRIO METRÔ ? ALICE - "INFELIZMENTE NÓS NÃO TEMOS CONDIÇÃO DE ACOMPANHAR USUARIO POR USUARIO, ENTÃO NÓS FAZEMOS ESSE MERO ACOMPANHAMENTO; SE NÓS PASSARMOS MAL NA RUA VOCÊ VAI FICAR LÁ, NINGUEM TE AJUDA. AQUI NO METRÔ, NÃO. AQUI ALGUÉM VAI TE ACUDIR, VAI TE LEVAR E FAZER TODO O PROCEDIMENTO CORRETO." NATHALIA PERGUNTA - E SE ACONTECER NA PORTA DO METRÔ ? SERGIO - "SE ESTIVER DENTRO DOS DOMINIOS DO METRÔ A PESSOA VAI SER ACUDIDA DO MESMO JEITO." ALICE TRABALHA, ATUALMENTE, COM UMA AREA QUE CUIDA DE TODO O CONTATO QUE O METRÔ TEM COM O USUARIO, O ACHADOS E PERDIDOS, A CENTRAL DE INFORMAÇÕES E O ATENDIMENTO PESSOAL, LOCALIZADOS NA ESTAÇÃO SÉ. 38
  • 39. Informativo no metrô Itaquera sobre o ISO I nformativo no metrô Itaquera sobre o ISO HISTÓRIA DO ISO 39
  • 40. O objetivo do metrô paulistano é atender as necessidades dos seus usuários, ampliando novas técnicas de lazer, comodidade, segurança e agilidade. Consequentemente como qualquer empresa, seja ela pública ou privada não agrada a todos que utilizam os seus serviços, porém a instituição tenta da melhor forma possível reverter essa situação e compensar com serviços prestados, cultura, Qualidade na limpeza e bom atendimento, expansão e facilitar para que sua viagem seja melhor a cada dia. 8. REDES SOCIAIS Utilizar as redes sociais como uma forma de ser beneficiado não foi uma prática utilizada somente por políticos internacionais e nacionais, empresas públicas e privadas adotaram essa medida para divulgar o seu produto e oferecer os seus serviços. Quando uma empresa tem uma página em sites de relacionamentos essa comunicação é oficial, e o representante da instituição administra a conta e faz divulgações através do sites de relacionamentos. O metropolitano de São Paulo, tem a sua página na internet com informações sobre a sua empresa pública, o internauta pode agendar visitas na instituição, cadastrar o Bilhete, conhecer a história do metrô, das linhas, fazer sugestões, simulação de trajeto, reclamações, conhecer a programação cultural, tecnologia entre outros serviços que são oferecidos. O metrô de São Paulo participa dos sites de relacionamentos: TWITTER E FACEBOOK facilitando os serviços para seus usuários, sem as redes sociais, os paulistanos só obtinham informações sobre a empresa através de jornais e TV. No seu microblog, a empresa respondeu as perguntas dos usuários sobre mais uma polêmica nessa semana, a greve dos metroviários. O metrô falou sobre a greve que acontecerá no dia 01 de junho, quarta- feira. Os funcionários estão reivindicando por ajustes salariais, são contra as privatizações e desejam como todos os usuários a expansão do metrô. 40
  • 41. A greve foi noticia em diversos jornais impressos, na imprensa e principalmente na internet, os “twitteiros de plantão” preocupados com uma suposta paralização questionaram o metrô sobre o caso, muitos twitteiros disseram que São Paulo pararia se o metrô não circulasse, colocando em evidência a importância desse transporte público para os paulistanos. Após a pergunta de um internauta no TWITTER o representante da empresa respondeu na rede: “SOBRE A POSSIBILIDADE DE GREVE DOS METROVIÁRIOS, O METRÔ INFORMA QUE CONTINUA NEGOCIANDO COM OS SINDICATOS E ACREDITA EM UM ACORDO” E essa idéia deu muito certo que o metrô criou outro microblog, o metrô encontros relacionado à cultura o objetivo é transformar estações em espaços culturais, recheado de atividades culturais, como: exposições, músicas, curtametragem e cinema. Twitter encontros no metrô : @metro_encontros 41
  • 42. Twitter oficial do metrô: @metrosp_oficial 9.1 POLÊMICA A polêmica mais comentada foi à ocorrida em setembro de 2010, onde uma blusa foi responsável por uma paralização na Linha 3 – Vermelha do metrô de São Paulo, no sentido Palmeiras- Barra Funda, foi apurado como um verdadeiro ato de vandalismo onde um dos botão-soco que acionam a abertura automática das porta, foi acionado. Mas segundo usuários que estavam presentes no trem, o botão foi acionado com a intenção de que as pessoas saíssem do carro o mais rápido possível por haver sido desligado o arcondicionado. A empresa apresentou provas do ocorrido, alegando que os a blusa de um dos usuários ficou levemente presa a uma porta e com o balanço do trem, houve uma pressão, ocasionando no travamento da mesma. Usuários se assustaram e acionaram os dispositivos indevidamente, causando toda a confusão. Todas as estações da Linha que liga a zona leste à oeste de São Paulo fecharam, com a parada do trem entre as estações Pedro II e Sé e mais de 150 mil usuários foram prejudicados. Pensando nisso, foi desligada a 42
  • 43. energia da via e todos os passageiros começaram a descer dos carros com maior segurança até a estação mais próxima de onde se encontravam. Segundo uma passageira, não havia condições das pessoas se movimentarem nos carros - com a quantidade de pessoas se deslocando para esta parte da capital diariamente, neste mesmo horário, a dificuldade de movimentação é realmente visível – e pessoas começaram a passar mal e a quebrar as portas e janelas para que pudessem sair. Os passageiros receberam instruções de permanecerem em seus lugares que a viagem seria completada em instantes, mas, sem luz e ventilação, as pessoas se desesperaram e depredaram os carros. Mas alguns usuários alegam que alguém poderia ter acionado o dispositivo por ter visto em cima de um dos trens que seguia no sentido oposto uma pessoa, mas essa versão não foi confirmada pela companhia metroviária. A linha 6- Laranja do metrô de São Paulo, que ligará a estação São Joaquim (Linha 1- Azul) na Zona Sul à Brasilândia na Zona Norte tem previsão se termino das primeiras estações entre 2013 e 2014, mas o projeto deve estar pronto no segundo semestre de 2011. A empresa divulgou uma nota de que serão, inicialmente, desapropriados 350 imóveis comerciais e residenciais, uma dezena de terrenos e várias desapropriações em áreas nobres de bairros como Perdizes e Consolação para a construção das novas estações. Mas alguns moradores de Higienópolis, por exemplo, não querem o metrô por essa região por alegar que é um “público diferenciado” que o frequenta e também por acharem desnecessário o uso do meio de transporte. Outros alegam que a estação Angélica ficaria muito próxima da estação Higienópolis, dificultando assim, todo o projeto com menos de 1 km de distância que é exigido. O metrô,alega que repensará com cuidado a localização da estação para não causar transtornos nas construções, mas não há possibilidade de mudança de local das estações. A empresa não apresenta idéia de quantos e quais imóveis serão desapropriados, mas entre os que estão na lista até o momento, está a sede da Escola de Samba Vai – vai. 43
  • 44. Curiosidades: -14 estações, 16 km de via - A linha pode ter um movimento diário de 598.426 pessoas . A estação de maior movimento será Santa Marina: 73.157 pessoas /dia. • Segundo o site do Metrô de São Paulo: NOTA DE POSICIONAMENTO DO METRÔ-SP SOBRE O PROJETO DA FUTURA LINHA 6-LARANJA Sobre o projeto da futura Linha 6-Laranja (Brasilândia-São Joaquim), o Metrô esclarece que: 1. Visando melhor equilíbrio do projeto da futura Linha 6-Laranja, a Companhia está reavaliando a localização da futura Estação Angélica, em razão dela estar a apenas 610 m da futura Estação Higienópolis-Mackenzie e a 1.500m da futura Estação PUC-Cardoso de Almeida. 2. Essa reavaliação tem caráter exclusivamente técnico, em nada motivada por pressão dos moradores da região de Higienópolis, a favor ou contra a estação. 3. No momento, a área técnica do Metrô estuda a melhor localização de uma nova estação que atenda à FAAP, Avenida Angélica, Praça Vilaboim e Estádio do Pacaembu. 4. A definição da nova localização depende da conclusão de estudos geotécnicos e do melhor posicionamento para a implantação da obra, de forma a causar o menor impacto na região. 5. Essa definição constará no projeto básico da futura Linha 6-Laranja, cuja conclusão será no final deste ano. 44
  • 45. 6. A futura Linha 6-Laranja, com 13,5 km e 14 estações, deverá transportar cerca de 638 mil passageiros por dia. A linha fará integração com as linhas 1Azul e 4-Amarela do Metrô e com a Linha 7-Rubi da CPTM. 9.2 SEGURANÇA A equipe de segurança do metrô é treinada para atender ocorrências como roubos e acidentes nas dependências do metrô. No treinamento, a equipe tem aulas de judô. A segurança tem poder da polícia e podem ajudar a qualquer momento, monitorando todas as estações por uma central. Eles apenas cedem a responsabilidade aos policiais quando a ocorrência não cabe em suas possibilidades ou, por acaso, um acidente é muito grave acionam o SAMU para socorrer as vitimas. Em 32 anos de existência, há apenas, dois casos de mortes de seguranças do metrô, um morto por arma de fogo e outro a facadas (arma branca). Em segurança, vale citar também a questão em que se abordam os trens. As medidas tomadas em todas as linhas são de que cada composição tenha uma distância de 150 metros da outra, ou seja, um trem do outro a 87 km/h. A companhia metroviária alega que essa é a forma mais segura de trafegar nas linhas, mas em horários de pico, onde o trafego é maior e o número de usuários aumenta, a companhia quer reduzir a distância para apenas 20 metros hoje na Linha 1 Azul que trafegam 42 trens diariamente. Utilizando uma nova técnica, o CBTC (Communication Based Train Control) o primeiro vagão informa aos demais a localização, posição, velocidade, tempo de percurso e parada que começou a ser testada no trecho de Sacomã à Vila Prudente. Essa nova técnica pode fazer com que a Linha 1 adquira mais seis ou oito trens, reduzindo o tempo de parada e distância entre os mesmos em 20%. SPAP - Sistema de Proteção de Acidentes em Plataforma; • O Spap é um sistema de comunicação entre o usuário e a CCO (Central de 45
  • 46. Controle Operacional), onde se há uma ocorrência, informa a estação em que se encontra e o tipo de ocorrência para que o socorro possa ser breve, e bloqueia a energia da via para que seja feito o procedimento adequado, para que não ocorra mais nenhum acidente. • O Spap é composto por um telefone vermelho, uma espécie de "caixa" onde fica o botão que desliga a energia da via dentro de um vidro em um "pedestal" preto. Há uma preocupação com esse sistema, pois, usuários podem usá-lo de má-fé, como já houve uma ocorrência onde um usuário "spapiou" a via (desligou a energia da via) e ficou pulando de um lado para o outro na plataforma. 9.3 VANDALISMO Do dia 31 de agosto, para o dia 1º de setembro de 2010, o metrô de São Paulo teve algumas composições depredadas por torcedores do Corinthians, no ano do Centenário do Time. A estação da Linha 3- Vermelha, Anhangabaú, foi o cenário desses atos de vandalismo. Não só composições do metrô, mas também extintores usados sem necessidade, e alguns ônibus depredados. A Gaviões da Fiel, torcida organizada do time, negou qualquer envolvimento com os atos de vandalismo, que foi escoltada pela Polícia Militar de São Paulo, e que não teve problemas com isso. Ninguém foi preso ou ficou ferido, mas as companhias de transportes contabilizaram os prejuízos e não foram poucos. Também consta que cinco carros de quatro emissoras diferentes foram depredados por vândalos naquela madrugada. • Em frente à Prefeitura, gritos de protesto e uma faixa incendiada. Os manifestantes exigiam a diminuição da passagem de ônibus e metrô que subiu no inicio do ano, de R$2,70 para R$2,90, a mais cara do país. Depois, seguiram para o terminal de ônibus, um deles foi depredado. No metrô, os 46
  • 47. manifestantes ameaçam entrar sem pagar, mas então, começa a confusão. Seguranças lançam objetos contra as pessoas, e um rapaz quebra luminárias da estação. Mesmo quando as pessoas saem da estação, o conflito continua. Os agentes de segurança saem e agridem um homem que cai no chão. Um cinegrafista da rede Record de televisão, é agredido por um dos seguranças. Assim que as pessoas se afastam, um dos agentes ainda assim, quer briga. O diretor de Operações do Metrô, Mario Fioratti, culpa os manifestantes pela confusão e diz que usaram as câmeras de segurança para identificar os vândalos e encaminhá-los a Delegacia de Polícia do Metropolitano que iniciará o inquérito. Essa é a nona vez que os manifestantes se reúnem para protestar o aumento da tarifa de ônibus, e foi a terceira vez, que houve confronto. O representante do grupo, Fábio Nassif, diz que os manifestantes não querem violência e que não são eles, que começam os confrontos. 10. EVENTOS Vitrine Masp – estação Trianon Na retomada do convênio entre o MASP e o Metrô optou-se pelo projeto de ocupar MASP na Estação Trianon-Masp como espaços de intervenção, para artistas contemporâneos. Isto significou o desejo de substituir o modo tradicional de entender estas vitrines como suportes neutros que asseguram a apreciação de obras através dos vidros, por um entendimento mais vivo e atual, das vitrines como espaços-objeto, capazes de determinar ocupações específicas e interagir mais ativamente com os usuários dos espaços públicos do Metrô. Designada pelo Conselho Curatorial do MASP para exercer temporariamente a curadoria das duas vitrines, apresento os trabalhos dos artistas Renato Pera e Raquel Vendruscolo, selecionados para ocupá-las, entre abril e junho de 2011, com projetos que inauguram este novo tipo de ocupação “. Regina Silveira ··Curadoria : Regina Silveira ·Realização: Artistas Metrô de São Paulo e MASP - Museu de Arte de·São Paulo Assis Chateaubriand”. 47
  • 48. . No Pants Day – Dia de Tirar as calças no Metrô O No Pants Subway Ride é uma intervenção urbana que visa gerar uma cena incomum, bizarra e irônica no meio urbano. Especificamente, as pessoas embarcam no metrô e tiram as calças uma após a outra, mas continuam agindo como se nada demais estivesse acontecendo. O objetivo é surpreender quem presenciar a cena, dando-lhes uma estranha história pra contar. A Edição 2011 foi realizada em São Paulo no dia 9 de Janeiro O No Pants Subway Ride é um evento global, que foi iniciado pelo Improv Everywhere em Nova Iorque, no ano de 2002. São Paulo esteve participando pela terceira vez do No Pants Subway Ride (só que em 2011 o evento foi alinhado com diversas cidades ao redor do globo). Foram dezenas de cidades e milhares de pessoas ao redor do mundo. Data: 09/01/2011 (domingo) Ponto de Encontro: Entrada do Parque da Luz, frente à Estação da Luz Horário de Encontro: 14:00h Horário de saída: 16:00h Todos os participantes embarcam no mesmo trem do metrô. 48
  • 49. ALGUMAS REGRAS: (fonte: http://www.proibidoler.com) O que Levar? - Suas calças - Bolsa, mala ou mochila para guardar as calças (cada um é responsável pela sua) - Amigos e familiares que queiram participar ou só presenciar. Todas as idades são bem-vindas! Deixar em casa: - Vergonha na cara Regras Básicas: – Fingir que ninguém se conhecesse. Você só está pegando o metrô. – Agir como se não usar calças fosse normal. Quando estiver sem elas, não ria. – Dentro do metrô, não se separar do seu grupo. Mas finja estar desacompanhado. Se preferir, fique no máximo em duplas ou trios. – Fotografar e filmar de forma discreta. Estaremos ENCENANDO uma situação. Os outros passageiros não devem perceber nenhuma câmera. Agradecemos se entrar em contato caso queira registrar a intervenção. Por favor, NÃO USEM FIO-DENTAL ELEFANTINHOS OU GIRAFINHAS!!! Nosso objetivo é fazer a graça sem ser vulgar. Também evitem qualquer roupa de baixo muito justa. Dêem preferência a cuecas samba-canção e boxers largas. 12. Conteúdo Cultural 49
  • 50. O Usuário das linhas do Metro de São Paulo vem e vão pelas estações, que muitas delas estão recheadas de alternativas culturais para apreciar durante o embarque ou desembarque. Dentro das estações é possível encontrar obras de arte contemporâneas, que valorizam os talentos brasileiros.Muitas obras encantam os olhos dos que param algum momento de sua rotina e se deslumbram com um acervo de fotografia, de pintura. Com esculturas modernas e da antiguidade. Por isso, o Metrô tem esse compromisso de levar cultura aos passageiros, certo de que no metrô todos têm essa oportunidade. O Programa Ação Cultural nas estações do Metrô contempla exposições, apresentações teatrais, musicais e de canto coral, entre outros eventos. As artes e a cultura no Metrô são instrumentos de humanização que permanecem até hoje como os melhores canais de relacionamento com seus usuários, com a cidade e com seus visitantes. ROTEIRO DAS 50
  • 51. ARTES No metro são 4 linhas em operação, no momento, e em algumas estações existem expressões artísticas que marca aquela estação. Seguindo o roteiro das artes pode-se embarcar em artes plásticas, esculturas, fotografia, cinema. Abaixo segue alguns exemplos que os usuários do metrô de São Paulo podem apreciar : LINHA 2- VERDE SANTOS-IMIGRANTES 51
  • 52. Escultura de ferro pintado, criado pelo artista plástico Marcos Gorrot LINHA 1 – AZUL SANTA CRUZ New York anos 40 Vitrine Lasar Segall As imagens revelam os amplos planos do registro e a grandeza modernidade de uma megalópole como Nova York, com todos os contrastes que a constituem. ESTAÇÃO SANTA CRUZ VITRINE LASAR SEGALL | 1º A 31 52
  • 53. Veja a seleção de reproduções fotográficas de Andreas Feininger, fotógrafo consagrado da revista Life. As imagens revelam os amplos planos do registro e a grandeza da modernidade de LINHA 3 - VERMELHA SÉ Mosaico em pastilhas de vidro do artista Cláudio Tozzi, feito em 1979 LINHA 5 - LILÁS SANTO AMARO Mitocôndrias Pintura feita com tinta acrílica industrial por Antônio Peticov, no ano de 2002. 53
  • 54. Os acervos das bibliotecas contemplam os mais diversos estilos literários: literatura brasileira, auto-ajuda, best-seller, infanto-juvenil, filosofia, religião, ciências sociais, linguística, artes e história, entre outros. O horário de funcionamento é de segunda à sexta-feira, das 11h às 20h. Para se inscrever, os interessados devem apresentar documento de identidade e CPF (original e cópia), juntamente com uma foto 3x4. Também é necessário levar o comprovante de residência (original e cópia). Menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais. Os leitores são cadastrados e recebem uma carteirinha de identificação com foto e código de barra para fazer os empréstimos, tudo gratuitamente. Falada por centenas de milhões de pessoas, uma das oito mais usadas no mundo, idioma de Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, S. Tomé e Príncipe, Guiné Bissau, Timor-Leste e até recentemente de Goa e Macau, a língua 54
  • 55. portuguesa deve aos navegantes a sua expansão geográfica e àqueles que cultivam o seu aprimoramento como meio de expressão. O projeto Poesia no Metrô é um dos maiores programas de leitura de poemas em língua portuguesa já realizado. A princípio, de outubro a dezembro de 2009, na Linha 2-Verde (Vila Madalena/Alto do Ipiranga) e, a partir de 2010, em todas as linhas do Metrô. Algumas poesias merecem apresentação: Camões Soneto Amor é um fogo que arde sem se ver, É ferida que dói e que não se sente; É um contentamento descontente, É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; E servir a quem vence, o vencedor; É ter com quem nos mata, lealdade. Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade, Se tão contrário a si é o mesmo Amor? 55
  • 56. Fernando Pessoa Antes vôo da ave Antes o vôo da ave, que passa e não deixa rasto, Que a passagem do animal, que fica lembrada no chão. A ave passa e esquece, e assim deve ser. O animal, onde já não está e por isso de nada serve, Mostra que já esteve, o que não serve para nada A recordação é uma traição à Natureza, Porque a Natureza de ontem não é Natureza. O que foi não é nada, e lembrar é não ver. Passa, ave, passa, e ensina-me a passar! Realmente o Metrô de São Paulo está cheio de atrações culturais, todos podem entrar no ritmo dos artistas cantando e dançando,olhar as pinturas e tirar suas impressões e aprender com os acervo histórico e fotográfico. São quase 4 milhões de passageiros por dia, quer dizer uma estimativa positiva ao acesso a cultura e as artes. E todos de uma maneira ou de outra passa e admira a obra de arte que mais lhe agrada. 56